Cuidado com a hipertensão

Mas comer demais tornou-se um mal social, um hábito da moda. O estômago grita basta, mas a língua insiste em mais e o homem se torna o alvo indefeso da doença. Ele sofre de corpulência, pressão sanguínea alta e diabetes. Comida moderada é o melhor remédio para evitar a vida corporal. 

Discurso do dia 21/09/79 

Palavras de Sathya Sai vol 14

A hipertensão ou pressão alta é uma doença comum, muito comum. Uma em cada quatro pessoas adultas está com essa doença. Duas em cada quatro pessoas acima dos sessenta anos também está com esse problema. São números muito altos. Se você está com mais de 40 anos, é muito difícil que você não tenha um familiar ou um amigo com pressão alta.

 

Agora, segure-se na cadeira. A hipertensão mata aproximadamente 10 milhões de pessoas por ano no mundo, mais do que todas, eu disse todas, as doenças infecciosas combinadas. Você já deve ter percebido que são organizadas campanhas para combater as doenças infecciosas e se faz muito alarde em relação à esse assunto, mas será que não deveria ser feito um alarde ainda maior em relação ao combate da hipertensão?

 

Quase caí pra trás da cadeira quando fiquei sabendo que os índios que não tinham contato com a civilização e que foram estudados há vários anos atrás não tinham casos de hipertensão nas suas tribos. Sim, é isso mesmo. Nenhum, nenhunzinho, índio isolado da civilização tinha pressão alta, nem mesmo aqueles que tinham mais de 45 anos.

 

Por que os índios isolados não têm pressão alta? A explicação principal está relacionada com o estilo de vida desses índios, principalmente com a sua alimentação. Em uma das tribos, a banana e a mandioca eram os alimentos principais. Numa outra tribo, a alimentação era constituída basicamente de banana cozida, complementada com outros alimentos. Nessas duas tribos o uso de sal de cozinha era nulo. Além disso, os índios dessas tribos costumavam praticar atividade física regular.

 

Infelizmente e até pra mostrar que os índios são bem parecidos com a gente nesse sentido, depois que eles começaram a adotar os comportamentos do homem civilizado, como usar sal e produtos industrializados em sua alimentação, os casos de hipertensão começaram a aparecer nas suas tribos e hoje o número de índios com essa doença ficou muito parecido com o da nossa população. É uma pena, mas é uma demonstração de que aqueles velhos hábitos dos índios eram muito úteis para evitar esse problema, que causa tantas consequências ruins para todos nós.

Referências

 

- Frieden TR, Jaffe MG. Saving 100 million lives by improving global treatment of hypertension and reducing cardiovascular disease risk factors. J Clin Hypertens 2018;20:208–211. Disponível em: 

Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/jch.13195

 

- Mancilha-Carvalho JJ, Silva NAS, Carvalho JV, Lima JAC. Pressão arterial em seis Aldeias Yanomami. Arq Bras Cardiol. 1991;56(6):477-82. 

Disponível em: 

http://www.arquivosonline.com.br/pesquisartigos/Pdfs/1991/V56N6/56060009.pdf

 

- Souza Filho ZA, Ferreira AA, Santos B, Pierin AMG. Prevalência de hipertensão arterial em indígenas do Brasil: uma revisão sistemática com meta-análise. Rev Esc Enferm USP · 2015; 49(6):1016-1026. 

Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v49n6/pt_0080-6234-reeusp-49-06-1016.pdf

 

Nota: Este artigo é apenas para sua informação e nenhum conselho é dado ou pretendido. Você deve consultar seu médico antes de fazer qualquer alteração em sua vida que possa afetar sua saúde.

© © 2016-2020 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.