Comida é remédio

Consumir alimentos nutritivos é um dos fatores mais importantes que podem garantir uma vida saudável

O alimento deve ser considerado remédio para a doença da fome e sustento para a vida.​  

Sathya Sai Baba,

Pensamento do dia 10 de Maio de 2010

Hoje em dia, o alimento não costuma ser utilizado como um remédio e como um meio de garantir a saúde e evitar as doenças. Infelizmente, ele tem sido utilizado para obter prazer e para afastar sentimentos como a ansiedade e a tristeza.

 

Alimentos vegetais, integrais e naturais são fundamentais para pavimentar a estrada que conduz à saúde. Agregá-los ao nosso dia a dia é uma excelente maneira de permitir que a saúde entre na nossa vida.

 

A literatura científica é rica em referências que comprovam os benefícios dos alimentos vegetais, integrais e naturais para a saúde. Tais alimentos podem tanto diminuir o risco de várias doenças como também são capazes de prolongar a nossa vida. 

 

As conclusões de alguns dos principais estudos científicos sobre alimentos e saúde são os seguintes:

1.         O consumo de até 800 g por dia de frutas e vegetais reduz o risco de doenças e o risco de morte. Para chegar à essa conclusão, foi considerada uma porção de frutas ou vegetais de 80 g cada. Para consumir os 800 g de frutas e vegetais que mais reduziram o risco de doenças e de morte seriam necessários o consumo de 10 porções de 80 g cada [1].

2.         O consumo regular de oleaginosas reduz o risco de diversas doenças e também reduz o risco de morte [2]. As oleaginosas mais comuns são as nozes, os amendoins, as castanhas e as sementes como a semente de gergelim e a semente de girassol. O consumo recomendado de oleaginosas é de 42 g por dia [3], o que equivale, por exemplo, a 3 colheres de sopa de amendoim.

3.         O consumo de alimentos integrais como o pão integral está associado com um risco reduzido de morte [4].

4.         O consumo de raízes, vegetais verdes folhosos, vegetais cozidos e vegetais crucíferos (como couve, couve-flor, repolho, nabo, rúcula, agrião e brócolis) está associado com um risco reduzido de morte [4].

 

 

 

Referências

 

1-Aune D, Giovannucci E, Boffetta P, Fadnes LT, Keum N, Norat T, Greenwood DC, Riboli E, Vatten LJ, Tonstad S. Fruit and vegetable intake and the risk of cardiovascular disease, total cancer and all-cause mortality-a systematic review and dose-response meta-analysis of prospective studies. Int J Epidemiol. 2017 Jun 1;46(3):1029-1056. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5837313/pdf/dyw319.pdf

 

2-Amba V, Murphy G, Etemadi A, Wang S, Abnet CC, Hashemian M.Nut and Peanut Butter Consumption and Mortality in the National Institutes of Health-AARP Diet and Health Study. Nutrients. 2019 Jul 2;11(7).

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6682967/pdf/nutrients-11-01508.pdf

 

3-Harvard Health Publishing. Why nutritionists are crazy about nuts. Disponível em:

https://www.health.harvard.edu/nutrition/why-nutritionists-are-crazy-about-nuts

 

4 - Kwok CS, Gulati M, Michos ED, Potts J, Wu P, Watson L, Loke YK, Mallen C, Mamas MA. Dietary components and risk of cardiovascular disease and all-cause mortality: a review of evidence from meta-analyses. Eur J Prev Cardiol. 2019 Sep;26(13):1415-1429.

 

Nota: Este artigo é apenas para sua informação e nenhum conselho é dado ou pretendido. Você deve consultar seu médico antes de fazer qualquer alteração em sua vida que possa afetar sua saúde.

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.