Artigo

BUSCANDO A VERDADE ...

COMPREENDENDO O VERDADEIRO AMOR

Arthur Hillcoat

Meus mais humildes e amorosos ​​Pranams (reverências) aos pés de lótus de nosso amado Senhor e Nosso melhor Amigo.


Ouvi algo mencionado há pouco sobre o fato de Swami me chamar de “leão”, mas não quero que tenham medo! Eu sou apenas uma gatinho. Não tenho muito tempo para histórias. Mas vou contar algumas histórias curtas para começar. Swami disse (quando estávamos planejando partir nessa jornada) para que eu falasse sobre Unidade e Amor. Então, isso é algo que eu tenho que fazer.

Traga o Leão Sorridente

Mas, é claro, devemos ver o lado amoroso e divertido de Swami. Um dia, Ele estava conversando com os alunos lá dentro e então veio para fora, onde eles não podiam vê-Lo. Ele me chamou e eu disse: “Sim, Swami?” Ele disse: “Os meninos querem ver você”. Eu disse: “Me ver, Swami?” Ele disse: “Sim, eles querem ver você. Entre lá!” E então, eu entrei.

Houve um grande alvoroço com rugidos e risos dos estudantes; e então eu soube que Swami tinha feito uma brincadeira. Quando vi um dos alunos mais tarde, perguntei: “Qual era o motivo do rugido quando entrei”? Ele disse: “Oh, Swami estava nos provocando”. Eu disse: “O que você quer dizer com provocação?” Ele disse: “Swami levantou a manga e começou a mover a mão e disse: 'Você gostariam de ver um leão'? E os alunos disseram: 'Sim, Swami'! Então, ele me chamou.

Veja bem, nosso Senhor tem um belo senso de humor; Ele brinca com os alunos e você se torna parte disso, o que é maravilhoso. Mas às vezes você também comete erros...

Dançarina de Ouro

 

Estávamos aqui no Estádio Hill View no 65º aniversário de Bhagavan e houve um programa cultural à noite. Swami estava no poço da orquestra (local abaixo do palco). Eu estava a poucos metros de Swami e as crianças apresentavam uma peça teatral.

Depois foi anunciado que uma dança especial de Shiva seria executada; e como era algo querido a mim,  fiquei ansioso pela apresentação. E uma bela dama subiu ao palco - totalmente dourada, com longos e belos cílios - e começou a dançar.

Então comecei a me preocupar: “O que essa moça está fazendo, dançando na frente de Swami?” Como vocês sabem, na Índia, quando as meninas completam 12 anos de idade, elas não dançam mais na frente de todos. Então, eu estava um pouco preocupado com isso. Eu olhei para ver se Swami estava bem. Mas não havia nada aparecendo em Seu rosto; estava impassível!

 

Quando acabou, Swami caminhou silenciosamente em minha direção e perguntou: “Você já tinha visto essa dança antes?” Eu disse: “Não, Swami, foi muito, muito linda.” “Oh, sim”, Ele disse. Havia um brilho em Seus olhos e foi quando Ele se inclinou para mim e disse: “Mas não era uma menina; era um menino”! Então você vê, estas são as coisas que, às vezes, acontecem.

Amar a Deus, e não limitar Deus

Há muitas outras histórias como essa, mas eu realmente preciso avançar para assuntos mais importantes. Quando eu era muito jovem, na adolescência, no início da adolescência, eu tinha o desejo de falar sobre Deus. Era um desejo muito profundo. Felizmente, ninguém me perguntou, porque eu não saberia o que dizer. Mas o desejo estava lá.

Eu ia em qualquer igreja e estava naquele dia em uma em particular. Houve uma disputa e eu tive que sair para encomendar os sorvetes. Houve uma última reunião e eu disse: “Os refrigerantes estão aqui e os sorvetes, aqui”. Uma senhora me disse com veemência: “De quem você comprou os refrigerantes”? Não me pareceu muito bom o tom, mas eu disse: "Tramackeys" e então ela começou a me insultar. “Como você ousa fazer isso? Como você pode fazer esse tipo de coisa? ” Eu disse: “O que eu fiz de errado? Eu não sei, eles têm os melhores refrigerantes ”! Ela disse: "Isso não vem ao caso; eles são católicos”!

Então, eu parei e vi que, momentos antes eles estavam falando sobre um Deus amoroso; mas apenas para nós que estávamos ali, e não para mais ninguém. Nós nunca podemos limitar  Deus, pois isso nos limita se pensarmos desta forma.

De qualquer forma, eu estou divagando um pouco. Eu quero falar sobre o que Swami me disse para falar. Eu provavelmente só usei essas palavras no começo: “Unidade e Amor”. Em primeiro lugar, não podemos ter unidade a menos que haja amor. Em segundo lugar, unidade não se aplica somente ao nosso Centro.

Então, primeiro temos que olhar para nós mesmos e é sobre isso que quero falar hoje. Pois, a menos que possamos entender e encontrar a Verdade, voltaremos vida após vida. Jesus disse há dois mil anos: “O Reino de Deus está em você”. Quantos avisos nós tivemos naquele momento? Claro, a comunicação não era tão boa naqueles dias como é agora.

 

Anos atrás eu me perguntava repetidamente: “Por que de todas as pessoas no mundo, por que eu? Por que o Avatar me atraiu para Ele ”? Eu me perguntava isso muitas vezes. Mas Swami acabou por nos dizer um dia: “Se é sua boa sorte vir a Mim, você deve agradecer aos méritos conquistados em vidas anteriores”. Portanto, é bom podermos desempenhar bem os nossos papéis nesta vida em particular.

 

Mudança e Compreensão

O que é que precisamos fazer? É muito simples dizer que devemos mudar ou que devemos fazer isso ou aquilo. Mas como vamos fazer isso? Primeiro, devemos entender que a única coisa na vida - diz Swami - é a mudança. No entanto, Swami também nos diz que se estamos procurando pela auto-realização ou pela iluminação, então somos egoístas. Ele disse isso porque estamos procurando algo para nós mesmos quando deveríamos estar procurando algo para compartilhar com os outros.

Então, qual é a coisa mais importante a procurar? Na minha opinião, é a busca por compreensão. Compreender o que é a vida e quais passos devem ser dados para se conhecer a Verdade. Quanto mais se compreende, mais simples a vida se torna. Devemos continuar na busca por compreender para que chegue o momento em que estaremos abertos à Verdade completa.

A busca que temos deve vir de uma compreensão. Devemos continuar buscando, nos esforçando até o momento em que nosso entendimento chegue num ponto que percebemos que o próprio esforço é uma pedra no caminho - porque não há nada a alcançar! Você é isso neste momento; mas você não sabe. A maior parte do sofrimento é causada pois esquecemos quem realmente somos.

Swami nos diz repetidas vezes: “Encarnações de Amor”. Ele também nos diz que somos Divinos. Mas nós realmente ouvimos Swami? Ele nos diz belas e adoráveis palavras e temos um bom sentimento mas, quando partimos, pensamos nisso? Empregamos algum tempo a procurar compreensão? Pois, sem ela, como podemos conhecer a Verdade? Quais são as coisas que atrapalham? São elas: acreditarmos que estamos separados, que temos livre-arbítrio, que podemos fazer coisas e que podemos alcançar coisas. Como é triste que pensemos assim!

Lição das lâmpadas

Nós pensamos que estamos separados. Lembro-me de que uma vez, em um hotel em Bengaluru, era noite e eu queria escrever uma carta, mas eu não conseguia ver direito, apesar de todas as luzes estarem acesas. Eu olhei para as lâmpadas - elas eram todas 25 watts. Mas se você analisar bem, mesmo 100 delas ainda não fariam uma boa luz. Então, fui ao gerente e disse: “Olha, eu não consigo enxergar! Você teria uma lâmpada de 100 watts?” “Ah, sim. Claro!” ele disse, e me deu. Assim, substituí a de 25 watts e coloquei a de 100 e então eu passei a ter muita luz!

Então me ocorreu que havia apenas uma corrente elétrica que alimentava o prédio. E aquela corrente estava esperando para se expressar como luz. Mas a quantidade de luz dependia da qualidade da lâmpada! Eu pensei: “Não é como Deus? A Corrente Divina está sempre pronta para se expressar como Amor e Luz através de cada um dessas lâmpadas humanas. Mas depende da qualidade da lâmpada o quanto de amor e luz podem ser expressos”.

 

Então, precisamos nos perguntar: que tipo de lâmpada eu sou? Quanto amor e luz estou expressando? Pode-se estar satisfeito com 25 watts. Pode-se dizer: “Bem, talvez 75 esteja bom ou 100.” Mas, seja a quantidade que for, temos que nos perguntar, então, quanto realmente queremos expressar. Alguns podem dizer que gostariam de ser uma lâmpada de 100 watts; alguns podem dizer de 500 watts ou até um milhão de watts; outros podem querer expressar aquilo que não pode ser expresso. Mas não podemos fazer isso sem nos esforçarmos para compreender.

Assistindo um vídeo

Vocês sabem, um vídeo é um ótimo conceito. O que acontece quando estamos assistindo a um? Nossos olhos tendem a ficar um pouco quadrados e nós ficamos olhando para a tela. Não estamos sentados ali nos preocupando com o que já foi exibido - que poderíamos chamar de passado; e não temos medo do pouco da fita que ainda está por vir - que poderíamos chamar de futuro! Estamos assistindo o que está na tela naquele exato momento, bem naquele exato momento. Se pudéssemos viver dessa maneira, nossas vidas seriam muito mais simples.

A busca e o sofrimento

Uma vez que iniciamos a busca começamos a ver mudanças. Eu costumava ver isso anos atrás; passei por alguns períodos difíceis na minha vida e costumava olhar para o alto e dizer: “Senhor, por que eu? Por que eu de novo?” E era como se o Senhor estivesse dizendo: “Por que não você? E aqui está um pouco mais para você!” Vocês conhecem esse sentimento? Por estar tão chateado, perguntava: “Por que eu? Por que eu? Pobre de mim!” Mas quando se sofre bastante, e eu digo sofrimento, dor, perda, tristeza - qualquer tipo de sofrimento, é a graça de Deus no Seu melhor. Porque quando tivermos sofrido o bastante começaremos a questionar. E então começaremos a nos perguntar: “Qual é o propósito da minha existência? Qual o propósito da vida? Por que existe sofrimento? Por que alguns parecem sofrer mais que outros? Quem sou eu? Quem sou eu realmente?” E é só assim que começaremos a obter respostas. Então, Deus estende a mão para nós e nossa vida começa a se desdobrar com um maior entendimento. Mas primeiro precisamos fazer essas perguntas.

 

A vida é muito bonita - onde quer que vamos no mundo, encontramos amor. E é interessante, eu costumava dizer que encontramos amor principalmente em países que sofreram - como Bósnia, Croácia, Macedônia, Rússia - mas isso não é bem verdade - mas a intensidade é um pouco maior. Porque eles estão sempre perguntando e perguntando, porque estão buscando muito por compreensão. Mas, como Swami diz: “Tudo isso está apenas na nossa imaginação”. Que imaginação! E isso é muito difícil de entender. Mas se continuarmos trabalhando,  iremos entender.

 

Apenas Deus existe. É muito simples; somente Deus existe. E tudo o mais que podemos ver, tocar, cheirar, provar existe dentro de Deus; como um peixe no aquário. Mas aquilo que você é, também é aquilo em que tudo existe. Swami nos diz isso repetidamente.

 

Ele diz: “Você é Deus”! A única coisa é que, se você entender isso e sentir que é assim, então você não descerá a rua principal amanhã dizendo que você é Deus! Reconheça essa verdade dentro de si mesmo! Se você falar demais, encontrará um veículo e dois homens com jaquetas brancas que o levarão para um passeio em algum lugar! Mas é para isso que Swami está aqui! É o Avatar. Por que continuamos adiando o tempo todo? Por que não procuramos entender o que Ele está nos dizendo repetidamente?

Nossa verdadeira natureza

Alguns anos atrás, uma tragédia aconteceu! Swami levantou-e para fazer um discurso e depois se afastou sem dar o discurso! E disse que Ele nunca mais daria um discurso novamente! É terrível quando o Avatar está aqui e Ele tem que fazer isso para tentar chamar nossa atenção! Dois dias depois, ele fez um discurso para explicar. Ele disse: “Por que vocês não estão Me ouvindo? Ninguém está ouvindo! Eu falei de todas as maneiras possíveis. Diga-me o que vocês desejam que E faça para que vocês entendam”?

Quando o Avatar faz isso Ele não está fazendo isso por diversão: "Oh, é isso que Eu farei hoje". Ele está tentando chamar nossa atenção de que a verdadeira natureza do ser humano é aquela para a qual ele sempre orou; aquilo que se expressa através da forma de Sai que é quem ele é! E temos que fazer um esforço para alcançar isso. Não vale a pena?

Como eu disse anteriormente, Jesus disse que o Reino de Deus está em você. Por que nos negamos? Anos atrás, eu costumava dizer por que deveríamos limitar Sai; por que devemos limitar a Deus não fazendo essa busca? Mas é claro que percebi depois que não se pode limitar a Deus; limitamo-nos quando não ouvimos, não tomamos nenhuma ação para entender e compreender a pureza de Seus ensinamentos.

 

Nós devemos entender que nossa verdadeira natureza é a Divindade. Algumas pessoas dizem: “Bem, o que eu vou fazer? Se eu perceber isso, quem fará meu trabalho?” Veja bem, isso é um mal-entendido. O corpo deve permanecer até a hora designada para partir. O corpo ainda deve desempenhar o papel que lhe foi atribuído nesta vida.

 

(Continua na próxima edição…)

 

- O autor foi o Presidente do Conselho Sathya Sai da Austrália e, durante muitos anos,  ficou encarregado das celebrações de Natal em Prasanthi Nilayam.

© © 2016-2020 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.