Especial

EXPANSÃO DA EDUCAÇÃO EM VALORES HUMANOS SATHYA SAI PELA AMÉRICA LATINA

Prof. Dalton de Souza Amorim

“Alguém pode dominar todas as formas de conhecimento (…), pode ser um imperador governando um vasto reino, pode oferecer vacas e ouro como um ato de caridade, pode contar as incontáveis estrelas no céu, (...) mas é impossível controlar o corpo, a mente e os sentidos. Volte sua visão para dentro e atinja o estado supremo da equanimidade da mente.”

- Sathya Sai Baba, 22 de novembro de 2001.

Desde que Sathya Sai Baba deu início aos ensinamentos em Educação em Valores Humanos, a mensagem se espalhou com facilidade por toda a América Latina, pois as sementes germinam rápido em um solo bom. É difícil dizer por que ela se espalhou tão facilmente pela América Latina. Talvez os problemas regionais mostrassem que algo estava errado ou ausente na educação, pedindo uma ação urgente. Talvez a assimetria e os problemas da sociedade clamassem por valores e pelo amor. Ou talvez tenha sido apenas o calor natural dos corações nessa parte do mundo que permitiu naturalmente a percepção de segredos por trás da EVH e das ações correspondentes.


Progresso da EVH na América Latina
A primeira Escola Sathya Sai na América Latina foi fundada em 1998 no Rio de Janeiro, Brasil. Ela foi baseada em um projeto de Seva dedicado a cuidar de crianças em um bairro muito pobre da cidade, que havia começado em 1993. No início dos anos 2000, escolas e institutos brotaram em vários países da América Latina. Atualmente, há 13 Escolas Sathya Sai e 12 Institutos Sathya Sai na América Latina. Já existem Escolas Sathya Sai na Argentina (1), Paraguai (1), Brasil (3), Equador (2), Venezuela (1), Colômbia (2), Guatemala (1) e México (2). O tamanho e as condições materiais das escolas variam, mas o selo de uma atmosfera de amor e transformação é comum a todas elas, e é extraordinário e impactante. O impacto se estende além dos estudantes, que desenvolvem discernimento, nobreza, força e amor. É impressionante conversar com os ex-alunos e ver o brilho em seus olhos, seu amor e sua prontidão para servir. Eles são os frutos de uma árvore madura. Para chegar a esse estágio, no entanto, a árvore também tem que ser nutrida pelos pais e familiares, professores e funcionários, diretores, escolas da vizinhança, voluntários e autoridades públicas.  É necessário que todas as mudanças coalesçam para produzir os brotos de uma nova geração. As Escolas Sathya Sai demonstram que a Educação verdadeira é possível. Ela não é uma utopia inatingível, é real e palpável, e pode ser vivida diretamente.


Os processos nessas escolas proporcionam transformações incríveis. Os professores estão acostumados a serem contratados apenas para transmitir conteúdo acadêmico, mas logo percebem nas Escolas Sathya Sai que a educação é a expressão do Ser Interno. Eles gradualmente passam a entender que são vistos como exemplos, que sua profissão é extremamente nobre e que o amor flui através de suas ações. O testemunho desses professores, agora Gurus, aquece nossos corações. Eles entendem que seu próprio Sadhana inspira os estudantes, e que tudo na EVH é um processo de autotransformação. Eles crescem espiritualmente e transformam suas próprias casas e famílias. Os funcionários, que não costumam ser vistos com muita consideração pela sociedade moderna, também precisam ser exemplos. Os trabalhos na cozinha, no jardim e na limpeza trazem dignidade e amor. E suas palavras são de pessoas que finalmente reconhecem seu próprio valor como verdadeiros seres humanos.

Impacto disseminado da EVH 
Essas escolas trabalham em comunidades que são majoritariamente cristãs. No começo, havia desconfiança sobre por que essas escolas tão lindas estavam ali, de graça. Mas após 10 ou 15 anos de trabalho, a conexão resultou em confiança e apoio. Há um entendimento, agora, de que os princípios básicos da Educação em Valores Humanos são os mesmos que seus próprios princípios fundamentais. Esse é um aspecto muito especial do desenvolvimento dessas escolas na América Latina. Uma vez que haja a percepção da unidade dos propósitos e princípios, existe uma sinergia entre pais e escola ao apoiar e guiar as crianças. É claro que essas mudanças ocorrem simultaneamente. Ser pai de uma criança na Escola Sathya Sai gera discussões sobre valores reais, mudanças pessoais, prioridades, práticas dos pais e da vida em família – e tudo isso ocorre em uma sociedade fortemente movida pelo consumismo, materialismo e superficialidade.   Isso significa que as aproximadamente 1300 crianças beneficiadas pelas Escolas Sathya Sai na América Latina se traduzem em milhares de pessoas diretamente beneficiadas pelos projetos. 

Crianças da Escola Sathya Sai de Goiás, Brasil Central, se reúnem para a cerimônia da bandeira.

A disponibilidade de financiamento para que um número tão grande de Escolas Sathya Sai funcione em uma parte do mundo com recursos tão limitados tem sido um desafio. Escolas Sathya Sai são modelos abertos, que devem ser compartilhados. Não há necessidade de luxo ou instalações sofisticadas. Mas a excelência em ambos os aspectos, acadêmico e espiritual, não pode ser abandonada. Um compromisso financeiro mínimo é necessário para os projetos. Consequentemente, algumas escolas tiveram que fechar, mas não antes de causar um grande impacto nas crianças e suas famílias, na comunidade e no ambiente educacional que as envolviam.


Logo após testemunharem o ambiente amoroso e as conquistas acadêmicas das Escolas Sathya Sai, outras escolas se interessaram pela mudança – como ocorreu inicialmente com a escola criada por Bhagavan Sai. Isso inclui escolas públicas de todos os países da América Latina em que há atividades de EVH, mas escolas filantrópicas também se interessam por esse modelo de ensino. No Equador, no Brasil e na Colômbia, para citar alguns exemplos, escolas particulares caras pediram apoio dos Institutos Sai. 


Institutos Sathya Sai já foram estabelecidos no México, El Salvador, República Dominicana, Guadalupe, Porto Rico, Colômbia, Venezuela, Equador, Peru, Bolívia, Brasil e Argentina. Alguns outros países podem estabelecer Institutos ao longo dos próximos anos. Os Institutos Sai compartilham entre si o entendimento e a experiência dessas escolas, o que contribui para um aprofundamento e ajuste contínuos. Dezenas de milhares de professores, diretores e outros profissionais participaram de cursos dos Institutos que trazem uma nova esperança para o ensino e uma nova prática escolar. Esse é um processo fantástico: educadores que estavam decepcionados com a situação atual redescobrem o ensino e percebem que a educação com a qual sonharam toda sua vida é possível e real. O fato de que professores e diretores devem ser exemplos dos valores sobre o qual eles falam traz a necessidade de autotransformação. Isso significa que a EVH não é uma receita pronta, com pouca repercussão fora da escola. Toda a vida dos educadores e de suas famílias é profundamente afetada pelos conceitos e práticas da Educação em Valores Humanos. Os Institutos geram muita atividade de transformação. Há filiais dos Institutos em várias cidades de cada país. Congressos e oficinas de Educação Sai regionais e nacionais são organizados periodicamente para o compartilhamento de EVH além dos limites dos Institutos. Apoio é dado a escolas públicas e particulares que demonstrem interesse em EVH. O entendimento adequado da natureza da EVH e das práticas corretas do Educare leva um tempo longo, e é estritamente necessário evitar uma abordagem superficial e incorreta. Dissertações de mestrado e doutorado sobre a experiência desses Institutos e escolas estão sendo escritas. Esse conhecimento alcança não só as grandes cidades, como a Cidade do México, Buenos Aires, São Paulo e Bogotá, mas também pequenos vilarejos e vilas. É incrível que tudo isso esteja ocorrendo com base em trabalho voluntário e recursos limitados.

Apresentação cultural pelos estudantes da Escola Sathya Sai de Bahia de Caraquez, Equador.

A comunicação e a unidade entre as Escolas e Institutos Sathya Sai vêm aumentando rapidamente. Já tivemos o trigésimo encontro online entre os Institutos Sai da América Latina, que ocorre a cada dois anos e meio. Esses encontros permitem que os Institutos compartilhem práticas, procedimentos organizacionais e iniciativas, além de padronizar a terminologia e o entendimento. Desde 2009, sete cursos certificados interinstitutos foram organizados no Brasil, Venezuela, Equador, Argentina, México, República Dominicana e Bolívia. Esses cursos de estágio têm duração de quatro semanas, com atividades ao longo de todo o dia, e incluem conceitos, oficinas, e uma semana de prática escolar de fato. Todos aqueles que vivenciam a prática escolar comprovam o poder do amor no ensino. Esses cursos aprofundam a preparação de professores tanto de Escolas Sathya Sai como de escolas comuns, assim como docentes dos Institutos. Além disso, eles também fornecem uma oportunidade para que os Institutos da América Latina se reúnam, compartilhem suas visões e aprendam uns com os outros. Também já ocorreram algumas reuniões virtuais entre diretores das Escolas Sathya Sai para sanar dúvidas, compartilhar protocolos, esclarecer aspectos das práticas e trocar histórias inspiradoras: várias expressões de união em um continente enorme. A conexão próxima dos Institutos e Escolas com o Comitê de Educação da Fundação Mundial Sathya Sai foi crucial para fornecimento de orientações, compreensão aprofundada e perspectivas de longo-prazo.


Reconhecimento do papel da EVH pela sociedade
Em alguns casos, a experiência da Educação em Valores Humanos foi levada para uma escala maior. Na cidade de Americana, no estado de São Paulo, Brasil, todo o sistema municipal de educação adotou a EVH. Devido às rápidas mudanças políticas, todas as iniciativas de educação formal propostas pelas autoridades públicas têm vida curta. Mas as transformações sentidas nos corações dos professores, alunos, pais e funcionários das escolas são tão profundas que a consciência desenvolvida pela EVH não pode ser eliminada por mudanças políticas. Em outros casos, a percepção do amor altruísta e dedicação à humanidade demonstrados pelos profissionais e voluntários ligados aos Institutos e Escolas Sathya Sai levou a um reconhecimento formal por parte da sociedade. O Dr. Pal Dhall, presidente do Comitê de Educação da Fundação Mundial Sathya Sai, recebeu uma Medalha de Reconhecimento e o título de Professor Honorário da Universidade Ricardo Palma, no Peru, pelo seu trabalho e sacrifício duradouros na área de educação em valores humanos.

10o Congresso Nacional de Educação em Valores Humanos no Brasil, um dos muitos países latino-americanos com encontros regulares dos Institutos Sai.

Sathya Sai Baba pediu que levássemos a Mensagem da EVH para todos os cantos do mundo. Quando descobrimos que uma escola filantrópica em Babahoyo – uma cidade 75km ao nordeste de Guayaquil, no Equador – está sendo muito bem-sucedida em trazer a EVH para a prática, percebemos isso está de fato acontecendo.

 

O processo da disseminação da Educação em Valores Humanos na América Latina não é de curto prazo. Ele não vai apenas levar gerações, mas também precisa cobrir uma extensão geográfica imensa, com cidades grandes e pequenas, bairros ricos e pobres, que deixaram as práticas e os valores humanos e espirituais de lado há muito tempo.


“Primeiro compreender, depois ajustar”, disse Sri Sathya Sai Baba. Institutos em cada país da América Latina estão melhorando a qualidade de seus docentes. Cursos gratuitos são oferecidos a professores, educadores, autoridades públicas e profissionais de outras áreas. Eles compreendem e vivenciam a Educação em Valores Humanos, transformam a si mesmos e compartilham com os outros seu entusiasmo pela EVH. Nos países da América Latina que têm Escolas Sathya Sai, a atmosfera de amor profundo das Escolas e Institutos Sathya Sai está sendo levada a alturas sem precedentes, para que todos possam ver e compreende que “Sim, é possível”!


– O autor, um professor sênior da Universidade de São Paulo, é Membro do Comitê de Educação da Fundação Mundial Sathya Sai.

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.