Avatar Vani

A DEVOÇÃO É O CAMINHO MAIS FÁCIL
PARA ALCANÇAR DEUS *


Sigam o caminho supremos do amor
 

Todos os devotos podem experimentar a bem-aventurança através da devoção. O caminho da devoção é muito fácil. Não envolve esforço árduo ou muito dinheiro. Requer apenas amor verdadeiro por Deus.


Deus se manifesta quando você ora com o coração puro
 

Milhares de pessoas alcançaram Deus através da devoção. O caminho do Raja Yoga e do Karma Yoga é bastante penoso, pois não é fácil controlar a mente. Portanto, não desista desse caminho simples da devoção. Ele pode parecer difícil no começo. De fato, qualquer novo empreendimento é árduo no começo. Por exemplo, quando você aprende a andar de bicicleta ou moto, parece difícil no começo. Mas fica fácil quando você continua a prática. Você pode se livrar de suas más qualidades praticando constantemente boas ações. Então você pode facilmente contemplar Deus. Esta é a verdadeira riqueza.
Havia uma devota em Karnataka que passava todo seu tempo na contemplação de Deus. Ela dizia:


As ondas são os adornos do oceano,
As casas são os adornos de uma vila,
O lótus é o adorno do lago,
A lua é o adorno do céu,
Mas, para o coração, o amor é a joia.

(Poema em télugo)

Ela louvava e adorava a Deus, dizendo: “Ó Senhor! Você está presente em todos os lugares. Não há lugar onde Você não esteja presente. Todos os nomes e formas são somente Seus”. Uma vez que seu coração estava repleto de puro amor, ela podia perceber Deus em seu coração. Deus se manifesta quando um devoto ora com um coração sagrado, repleto de amor puro e desinteressado.


Thyagaraja cantava constantemente o Nome de Rama. Quando seu irmão jogou no rio Kaveri o ídolo de Rama que Thyagaraja costumava adorar, ele foi procurá-lo. Ele orava constantemente: “Onde posso procurá-lo, ó Rama? Quando poderei ver seu rosto sorridente? Por que você está me punindo assim? Que pecado eu cometi?”


Alguns peregrinos de coração puro carregaram Thyagaraja em um palanquim. Percebendo isso, alguns ladrões decidiram roubá-lo, considerando-o um homem rico. Imediatamente Rama e Lakshmana, armados com arcos e flechas, manifestaram-se ali e expulsaram os ladrões. Thyagaraja não estava ciente desse iminente ataque de ladrões e não pediu ajuda a Rama. Instantaneamente, os ladrões caíram aos pés de Thyagaraja. Quando ele perguntou por que eles estavam fazendo isso, os ladrões disseram que dois guerreiros com arcos e flechas os atacaram para salvá-lo. Thyagaraja ficou surpreso, mas ele entendeu a verdade e orou: “Ó Rama! Você me protegeu dos ladrões. Os ladrões tiveram a benção de Te ver, mas eu não”. Os ladrões viram Rama e Lakshmana, mas não os reconheceram. No entanto, a convicção de Thyagaraja de que Rama e Lakshmana estavam sempre com ele foi fortalecida por esse incidente. Thyagaraja foi ao rio Kaveri para tomar banho. Lá, ele encontrou o ídolo de Rama que havia sido jogado no rio. Então Thyagaraja cantou: “Ó Rama! Venha para casa. Eu te adorarei. Ó filho de Dasaratha! Não posso mais suportar estar separado de você ”. E foi quando ele experimentou a visão de Rama.
 

Somente um verdadeiro devoto alcança a visão de Deus


De todas as pessoas no mundo, somente o devoto de Deus pode alcançar Sua visão. Muitas pessoas instruídas têm pleno conhecimento das escrituras, mas o simples aprendizado não ajuda a ter a visão do Senhor. É o puro amor que faz Deus se manifestar diante de um devoto. O universo inteiro está contido na palavra Prema (Amor). Exceto Prema, nada mais de valor existe no universo. O caminho do amor é o caminho supremo para alcançar Deus. O fluxo ininterrupto de amor concede felicidade a todos. Este é o caminho mais fácil para toda a humanidade alcançar Deus. Existem três princípios básicos do amor: não questionar, sempre dar e não aceitar e ser feliz. A felicidade do homem depende de seguir o caminho do amor. Deus também será feliz quando você seguir o caminho do amor. Ele então fará você dançar no êxtase do amor.


Tudo está contido no Nome de Rama. O canto do nome de Rama remove todas as más qualidades e queima todos os pecados. A palavra Rama consiste em três letras: R, A, M. 


O R significa fogo, que tem a potência de queimar todos os pecados, A significa o sol que dissipa toda a escuridão e M significa a lua que esfria e pacifica a mente. Então, cante o Divino Nome de Rama de todo o coração. É o maior mantra para a libertação do homem.
O homem pode se conectar com Deus cantando Seu Nome. Aqui está uma pequena história para ilustrar. Uma vez um grande evento foi organizado para inaugurar o fornecimento de água aos aldeões. Uma caixa d’água foi construída e uma torneira dourada foi instalada nela. Um alto dignitário foi convidado como Convidado Principal para inaugurar o abastecimento de água abrindo a torneira de ouro. Um grande número de moradores lá se reuniu para testemunhar o evento. No entanto, quando o convidado principal abriu a torneira, a água não saiu. O motivo foi que os organizadores se esqueceram de abrir a válvula que ligava a caixa d’água ao rio que era a fonte de água. A fonte é Deus, a torneira é o devoto e a válvula que conecta o devoto à fonte é o Nome de Deus. A menos que a válvula de conexão seja aberta, a graça de Deus na forma de água não pode fluir. Quando o devoto se conecta a Deus cantando Seu Nome, a graça divina flui em sua direção.


O homem pode experimentar a divindade por meio de seus sentimentos divinos


Muitos devotos como Ramadas, Gora Kumbhar e Sakkubai alcançaram a graça de Deus cantando Seu Nome. Pothana foi outro grande devoto e estudioso que compôs o Bhagavatam em Télugo. Embora seu cunhado Srinatha lhe pedisse para dedicar seu Bhagavatam ao rei, Pothana se recusou a fazê-lo, pois ele o dedicara a Rama. Em sua ira, Srinatha incendiou a casa de Pothana. Tudo na casa foi queimado, exceto o Bhagavatam composto por Pothana. Naquele momento, Pothana havia saído e seu filho estava arando o campo. Quando Srinatha passou por aquele caminho, o filho de Pothana perguntou sobre seu bem-estar. Srinatha respondeu que tudo estava bem e que era suficiente se ele cuidasse do bem-estar da família de seu pai.

 

Quando Pothana desejou escrever o Bhagavatam, ele não foi capaz de completar a primeira estrofe do livro, embora tivesse composto a última parte que dizia “Rama é tudo”. Pothana deixou o livro aberto em sua forma incompleta e foi tomar banho no rio. Quando ele retornou, a estrofe incompleta deixada por ele foi completada por Rama. É assim que Deus ajuda Seus devotos espontaneamente. Você precisa de uma lâmpada para ver a lua em uma noite de lua cheia? Não, você pode ver a lua pela sua própria luz. Da mesma forma, o homem experimenta a Divindade por seus próprios sentimentos divinos. Um parente que não ajuda na necessidade, um companheiro que é ignorante e iletrado e um cavalo que não pode correr devem ser deixados imediatamente. Mas as pessoas não seguem esses princípios e sofrem na vida. Eles perdem o caminho correto por causa de sua visão distorcida. Aqui está um pequeno exemplo. Certa vez, um professor estava ensinando matemática, mas um aluno da turma olhava para outro lugar. Quando o professor perguntou a ele o quanto ele havia conseguido, significando o quanto ele havia aprendido, o aluno respondeu que restava apenas a “cauda” porque estava olhando para um rato entrando em um buraco no teto. Este é o estado do homem atualmente, que não presta atenção, mesmo que tenha consciência do caminho certo.
Quarenta anos atrás, os marajás de Mysore, Jayachamaraja Wadiyar, Ramaswamy Mudaliar, Lakshmanaswamy Mudaliar, a sogra dos marajás e alguns outros vieram até Swami. Todos eles visitaram o templo de Chamundeswari. A sogra dos marajás tinha setenta anos, mas nunca havia visitado o templo antes. Ela não percebia a importância do templo porque ele estava muito perto de sua casa. Quando algo está próximo de nós, não entendemos seu valor. Não reconhecemos o valor do nosso próprio olho. Mas percebemos isso quando perdemos a visão. Muitas pessoas vêm até Swami. Mas elas não percebem o valor da graça de Swami quando recebem tudo Dele. Esse tipo de pessoa não pode ser chamado de ser humano.

Bhagavan encerrou Seu discurso com o Bhajan "Prema Mudita Manase Kaho Rama Rama Ram". - Discurso Divino de Bhagavan em Sai Sruthi, Kodaikanal, em 24 de abril de 1996.
 

Mídias Sociais

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Spotify ícone social

© © 2016-2020 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.