Mensagem de Bhagavan no dia de Easwaramma

DEUS RESIDE NO CORAÇÃO

 

OS PAIS DEVERIAM COLOCAR OS FILHOS NO CAMINHO ESPIRITUAL

Desde os tempos antigos, existe a prática em Bharat (Índia) de reverenciar a mãe como Deus. Desde o princípio, os Vedas declararam: “Reverencie a mãe como Deus, o pai como Deus e o mestre como Deus”. No curso comum da existência diária, eles são deuses para os propósitos mundanos. Para o corpo humano, a mãe, o pai e o professor devem ser considerados divinos. Mas, na busca da vida espiritual, o Divino é o único Deus. Há outro ditado em sânscrito que chama a atenção de que Deus como mãe, pai, parente, amigo, riqueza, conhecimento é, de fato, o Supremo Senhor de tudo. Isso significa que, para a vida espiritual, Deus é tudo.

Só Deus merece ser adorado


A mãe e o pai são residentes na casa. O mestre habita em seu Ashram. Mas Deus é o habitante do coração. Só Deus pode residir no coração. É verdade que mãe, pai e mestre são divinos, mas não têm o direito de habitar no coração. Deve-se reverenciá-los, respeitá-los e fazê-los felizes. Mas só Deus merece ser adorado.

“Deus está mais próximo do homem do que sua mãe e mais perto do que o pai. Desistir de Deus é um pecado hediondo. Esta é a verdade proclamada por Sai”.


Após o fim da guerra de Kurukshetra, Krishna foi ver Gandhari, a mãe dos Kauravas. Dhritharashtra, o pai dos Kauravas, também estava em profunda tristeza. Gandhari falou a Krishna com grande raiva e angústia: “Krishna, os Pandavas e Kauravas são filhos de irmãos. Qual é a razão para a sua hostilidade contra os Kauravas e sua parcialidade para com os Pandavas? Você protegeu continuamente os Pandavas, mas não salvou nem mesmo um dos meus cem filhos da morte. Por que esta discriminação?”


Krishna sorriu para ela e respondeu: “Em sua indignação e raiva, você está usando as palavras imprudentemente. A culpa é só sua. Embora você tivesse cem filhos, você viu algum deles? Como é que crianças que não são vistas pela mãe podem esperar obter a graça de Deus?”.
Quanto mais se esforçarem para dar alegria à sua mãe, mais a pátria se regozijará. A mãe e a pátria caminham juntas.


Quando os Pandavas estavam prestes a partir para a batalha, Kunti pronunciou uma bênção especial sobre eles, proclamando que a vitória estaria sempre ao lado daqueles que defendiam o dharma. Ela disse que grandes guerreiros que foram lutar bravamente foram abençoados por suas mães com Raksha Kavach (armadura protetora). No caso dos Pandavas, Kunti declarou que a bênção “Sri Rama Raksha” (a proteção de Sri Rama) pode servir como armadura para eles no campo de batalha. Isso mostra o quão importante é a bênção de uma mãe para o sucesso e o bem-estar dos filhos.


É para demonstrar ao mundo a importância da reverência pelos pais e a necessidade de receber suas bênçãos, que Swami também faz questão de visitar o Samadhi (túmulo) dos pais desse corpo duas vezes por ano. Swami adere a esta prática para servir de exemplo para o mundo.


- Extraído do Discurso do Dia de Easwaramma de Bhagavan em 6 de maio de 1998.

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.