Especial

CINCO TÉCNICAS DE ENSINO DE BAL VIKAS

Neeta Khanna

Bhagavan Baba, em Sua graça infinita, concebeu o currículo de Bal Vikas (Educação Espiritual Sai) e deu aos mestres Bal Vikas uma poderosa ferramenta, na forma de cinco técnicas de ensino para incutir bons hábitos e salientar os valores inatos em cada criança. A metodologia adotada para a realização desta tarefa é sincronizar as cinco técnicas de ensino, que são: Sentar em Silêncio, Orar, Contar Histórias, Cantar em Grupo e Atividades em Grupo. Tudo isso tem que ser integrado criteriosamente na sala de aula pelo mestre Bal Vikas para obter os resultados desejados. No programa Sri Sathya Sai Bal Vikas, a síntese perfeita envolve o desenvolvimento de ligações entre os cinco valores humanos e seus traços equivalentes da personalidade humana e ideais de educação, pelo material instrucional apropriado, técnicas de ensino adequadas e comportamento exemplar dos mestres do Sri Sathya Sai Bal Vikas, que são os líderes do programa. Naturalmente, essas técnicas foram consideradas muito eficazes e adequadas. Segue um breve resumo dessas técnicas.


Sentar em Silêncio
Sentar em Silêncio é o processo de sintonização interna. Swami disse uma vez: “É na profundidade do silêncio que a voz de Deus pode ser ouvida”. Precisamos filtrar todos os outros distúrbios para podermos ouvir a voz da consciência (Deus dentro de nós para nos guiar no caminho correto). Sentar em silêncio é o meio mais eficaz de comunicação, pois ele permite que um indivíduo se comunique com seu próprio eu interior e conheça melhor sua força e seus potenciais. É só na solidão que acontecem as coisas mais importantes, as decisões são tomadas, descobertas e novidades são percebidas. Costuma-se dizer que “um homem forte é mais forte quando ele está sozinho”. Newton descobriu as leis da gravidade ao sentar-se silenciosamente sob uma macieira, não quando estava trabalhando em seu laboratório. 


Na sala de aula, é aconselhável começar o sentar em silêncio com as crianças pequenas por somente um minuto ou dois e aumentar gradualmente o tempo. O necessário é ajudá-los a tornar suas mentes calmas e livres da agitação. Bhagavan comparou o corpo humano a um copo, e a mente  à quantidade de água no copo. Quando se agita o copo, a água fica perturbada e pode até derramar. Não é possível realizar qualquer coisa quando a mente está em tal estado e, portanto, o copo que é o corpo também tem de estar em perfeito estado de calma. Solicita-se que as crianças se sentem em uma postura boa, fechem seus olhos e tenham bons pensamentos e sentimentos. Os mestres utilizam a visualização guiada para criar imagens vívidas e detalhadas para focar e acalmar a mente. Este espectro de imaginação pode incluir todas as coisas que as crianças adoram e admiram. O mestre deve se esforçar para envolver todos os cinco sentidos das crianças. Às vezes, a música instrumental pode ser utilizada para potencializar o efeito. O sentar em silêncio deve ser praticado regularmente pelas crianças, mesmo durante as férias. Quando elas vão para os grupos II e III de Bal Vikas, elas aprendem a meditação na luz. Isso também é recomendado para um mestre Bal Vikas na sua vida pessoal, porque somente assim a instrução carrega a autenticidade da experiência em primeira mão.


Percebe-se no retorno das crianças que muitas delas não querem abrir os olhos ao final da sessão em silêncio. Alguns veem a luz divina no silêncio e experimentam paz e felicidade profundas. As observações mostram que muitos estudantes agitados no começo se tornam calmos, atentos e mais felizes após sessões regulares do sentar em silêncio. A faculdade intuitiva, as artes criativas assim como as habilidades verbais e escritas das crianças melhoram em todos os níveis. Alguns dos estudantes mais antigos confessam que é uma boa ferramenta para a autoanálise e reduz o estresse e a tensão em suas vidas cotidianas. 


 Os pais e os professores ficam satisfeitos ao ver uma notável melhora nas crianças. Há uma melhora na qualidade e destreza de seus trabalhos em casa e na escola. Há boa concentração, poder de captação e receptividade. Emoções, especialmente a raiva, o estresse e a ganância, diminuem. Os pais se convencem de que a ida de seus filhos à aula das Bal Vikas não é tempo perdido mas sim tempo ganho. 


Oração
“A distância entre nós e Shiva é apenas a distância que nosso chamado alcançará; acredite Nele e chame-O. Ele irá responder, ‘Eu estou aqui, Eu estou com você’.” (Sathyam Sivam Sundaram, Parte I). É com esta convicção que o Mestre de Sri Sathya Sai Bal Vikas infunde nas crianças o fervor e a importância da oração. As orações que geralmente são cantadas e entoadas nas aulas do Bal Vikas combinam Stuti, Stotras e Prarthana (Hinos, Louvores, Orações). As orações também enfatizam a doçura e o esplendor do nome Divino. As crianças são levadas a entender que, invocando o nome de Deus, elas obtêm sua Graça para seu bem-estar e proteção. O gatinho mia e a mãe gata sai correndo para pegá-lo e acompanhá-lo para fora do perigo. Draupadi chamou Krishna do salão da corte de Hastinapur e Ele instantaneamente correu por todo o caminho desde Dwaraka para proteger a honra dela!


Em um surpreendente incidente no Sai Kulwant Hall em Prasanthi Nilayam, após o término de um programa de Bal Vikas, Bhagavan entrou no Mandir e não parecia haver esperanças de sair novamente. Na ala masculina, uma criança da Bal Vikas estava sentada com seu mestre. De repente, a criança começou a chorar e, quando indagada, disse que queria Vibhuti materializado das mãos do próprio Bhagavan. Para que eles não fossem expulsos do salão devido aos gritos, o mestre pacificou a criança, orientando a sentar-se calmamente, fechar seus olhos e rezar. “Swami virá”, dizendo isso, o Mestre se esqueceu disso. E eis que inesperadamente Swami veio deslizando do Mandir diretamente em direção a eles. O mestre estava exultante pensando que Bhagavan tinha vindo abençoá-lo pelo excelente trabalho no programa de Bal Vikas. Em vez disso, Swami se aproximou do menino. O mestre teve que sacudi-lo para que abrisse seus olhos para ver o próprio Divino materializando Vibhuti nas mãos estendidas da criança. Bhagavan, em seguida, olhou para o mestre e disse: “Você não tem fé. A criança teve fé em sua oração”. Assim, Swami certificou que, a todo aquele que clama por Ele com sincera e pura devoção, Ele aparece para consolar e apoiar. 


Bhagavan Baba insistiu que em uma aula de Bal Vikas, o mestre deve ajudar as crianças a começar o dia com oração, fazer todos os seus deveres em oração, passar por Ahara e Vihara (comida e recreação) em oração e terminar o dia com oração, para que vivam em consciência integrada com o  Senhor. A oração deve finalmente tornar-se um hábito constante. Enquanto cantamos as glórias de Deus, embebendo Seu nome, vamos absorvendo Suas qualidades divinas, deixando e livrando-nos de nossos traços animais. A oração é, portanto, um meio de ascensão do humano ao divino. 


O ensinamento de slokas (versos) e orações de todas as religiões cria consciência e respeito por outras religiões também. As crianças então compreendem o significado subjacente ao dito da Paternidade de Deus e da Irmandade do homem. É crucial que os mestres sejam versados na filosofia de Baba; só então eles podem inspirar vida nos stotras, orações, Gita Slokas e Gayatri Mantra incluídos no currículo.


Material didático criativo deve ser empregado pelos mestres para ensinar orações e Slokas. Cartazes, quadros ilustrados, caça-palavras, vídeos de animação e apresentações em PowerPoint podem ser utilizados para tornar a aprendizagem interessante e eficaz. Um feedback dos mestres afirmou que as crianças agora chamam o Senhor para orientação e assistência especialmente quando são confrontadas com tanta negatividade ao seu redor. A frase de Bhagavan “Por que temer quando eu estou aqui” tornou-os destemidos. Elas desenvolveram a autoconfiança, tornaram-se sábias, saudáveis e felizes. Aprenderam a atribuir seus sucessos e falhas ao Senhor. As famílias agora oram antes de cada refeição e participam dos Bhajan e das outras atividades da Organização de Sai. Como se diz, “família que ora unida permanece unida”.


Contar histórias
Contar histórias sempre foi o meio mais fascinante de instrução e esclarecimento. Transmite de forma eficaz os valores de uma forma sutil, fornece respostas a muitas questões, orienta, motiva e ajuda as crianças em idade impressionável a aprender muitas lições importantes de vida. É o  instrumento mais fácil e eficaz para incutir valores e bons hábitos e desenvolver bom caráter. Todas as boas histórias têm um apelo universal e o impacto é duradouro. É como um comprimido revestido de açúcar que as crianças inocentemente engolem. Contar histórias, enquanto uma arte, requer habilidade, inspiração e apelo às nossas emoções. É um transbordamento espontâneo de sentimentos de um coração para outro. Enquanto ciência, lida com as questões científicas do homem, o estudo da mente humana, ou seja, a psicologia.
Por séculos pessoas em todo o mundo passaram pela rica tradição de histórias, folclore e lendas que moldaram nossas vidas. Hoje ninguém tem tempo para contar histórias. O preço que pagamos pela digitalização de nossas vidas é a perda da infância inocente de nossas crianças e o elemento da falta de criatividade e imaginação em suas vidas. Daí, histórias se tornaram uma parte essencial do programa de Bal Vikas. 


Bhagavan Sri Sathya Sai Baba salientou muitas vezes esta técnica através da partilha de inúmeros contos em Seus Discursos Divinos. “Oka Chinna Katha” (“uma pequena história”): quando Swami amorosamente dizia estas belas palavras, todos os devotos e estudantes rapidamente se endireitavam para ouvir. O baú do tesouro das histórias de Swami, chamado Chinna Katha, é um inestimável material didático para incutir valores nas crianças. O mestre Bal Vikas tem que usar sua habilidade e energia para apresentar uma história de um modo tão inspirador que deixe uma forte impressão na mente influenciável das crianças.


Planejamento, preparação e apresentação de uma estória são muito importantes. A preparação deve ser minuciosa, o que inclui diálogo e material didático. Elementos visuais captam facilmente a atenção das crianças. A apresentação tem de ser dramática. Mesmo um assunto chato e monótono pode ser empolgante se o narrador tiver a arte de interpretá-lo assim. Movimentos, gestos, modulação da voz, estilo de interação, uso de recursos orais e/ou visuais são alguns dos componentes que o mestre deve ter em mente. Além de histórias de nossas escrituras, também podemos considerar o Panchatantra, os contos de Jataka e os incidentes das vidas dos santos, dos combatentes da liberdade e das personalidades famosas, como itens que podem inspirar e motivar as crianças. Eles devem ter relação com a vida cotidiana.


Para fins de seleção, o público, a ocasião e o objetivo também têm que ser levados em consideração. Explorar as profundezas do significado por trás da história vai ajudar as crianças a compreender e identificar os valores por si mesmas. As histórias sempre devem terminar com um tom otimista. Uso de recursos visuais e animação com fantoches torna a história mais interessante. Dramatizações podem trazer à tona o talento latente das crianças. A geração de hoje procura o raciocínio lógico. As crianças absorvem e captam a essência da história, uma vez que estão completamente convencidas. 


Muitos mestres compartilham suas experiências de moldar a vida de seus filhos apenas por narrar histórias simples. Nesse sentido, para muitos pais que estão criando filhos em núcleos familiares, o Bal Vikas cuida de um componente importante da vida de uma criança, ou seja, a sessão de contos de histórias feita por um mestre amável e cuidadoso. Eles ficam muito felizes ao ver seus filhos tímidos e reticentes abrindo-se para participar de concursos de oratória, teatro e redação nas escolas. As crianças demostram espírito de equipe e suas habilidades de discurso e de dicção melhoram. Elas tentam imitar grandes personalidades. Transformações específicas têm sido notadas em crianças durante um período de tempo. 


Canto grupal
Música e canto em grupo são as armas mais poderosas para colocar o corpo humano em harmonia e ritmo. Crianças gostam de cantar com unicidade de propósito. Uma grande quantidade de palestras pode falhar em causar um impacto, ao passo que uma única canção melodiosa pode derreter o coração mais resistente e ter o efeito desejado sobre a mente. O canto afasta os efeitos nocivos da poluição através da criação de novas vibrações sonoras que são ressonantes com pureza e alegria. Cantar em grupo traz uma sensação de unidade e espírito de união nas crianças e as pequenas diferenças são esquecidas. Quando uma criança canta em um grupo, sua individualidade desaparece, e então ela deixa o nervosismo e a timidez de lado enquanto canta as canções. Isso reforça o caráter e o comportamento construtivo.


Os componentes principais do canto devocional em grupo são Bhava, Raga e Tala (sentimento, melodia e ritmo), que são os aspectos básicos da cultura indiana e o que ela representa. O sentido e o significado intrínseco da letra da música devem ser explicados claramente às crianças de modo que a concentração e a memorização da canção sejam fáceis. Os tipos de canções a serem ensinadas às crianças são: (i) Nama Sankirtan, que é cantar o Nome Divino presente em todas as religiões, onde os valores relacionados com os nomes do Senhor são explicados; (ii) canções que oram por força, sabedoria, orientação, etc.; (iii) músicas refletindo elevado sentimento de sacrifício e amor universal; (iv) canções que retratam o amor maternal, que suscitam sentimentos patrióticos e o amor e o respeito pela herança e cultura; e (v) canções que expressam amor pela Natureza e consideração pelos elementos naturais, pois desenvolverão um sentido de gratidão à natureza e exibirão os valores do serviço altruísta e da abnegação.


Cantar em grupo é uma ferramenta muito poderosa e tem muitos efeitos benéficos no desenvolvimento da criança como um todo. O uso justificado dos cinco elementos, o uso correto dos cinco sentidos, a valorização do tempo, uma maneira correta de viver, a dignidade do trabalho, o patriotismo, o amor à Natureza, o respeito aos pais e aos mais velhos, evitar desperdício de alimento: tudo isso foi testemunhado na vida cotidiana das crianças após terem aprendido as valiosas canções compostas pelos mestres sobre vários tópicos. Os pais ficam felizes porque seus filhos agora cantam Bhajans e canções de valores em casa e não escutam canções pop. Suas energias são mobilizadas agora para o trabalho construtivo. Eles ficam menos estressados e fatigados e seu pensamento torna-se mais focado.

Crianças de Bal Vikas no Acampamento Anual de Férias.

Atividades em Grupo
“Unir-se é um começo, manter essa união é um progresso, trabalhar em união é o sucesso.” - Henry Ford.


As atividades em grupo introduzem crianças de Bal Vikas em um estágio inicial da vida em dinâmicas em grupo, dotando-as com habilidades interpessoais, qualidades de liderança, senso crítico e criativo, tomada de decisões, solução de problemas, trabalho colaborativo e cooperativo em equipe. Aprendem a trabalhar com o grupo. A interação é através do divertimento e da cooperação ao invés da competição. Elas aprendem a lidar com o sucesso e o fracasso graciosamente.

A palavra equipe significa que “Juntos se alcança mais” [1]. 

“Ninguém pode assobiar uma sinfonia; é preciso uma orquestra inteira para tocá-la.”

 

Jogos de valores são um componente integrante das atividades em grupo e se destinam a reforçar o conteúdo do currículo de Bal Vikas. Eles desenvolvem atenção, foco, poder de memória, pensamento analítico, discernimento, determinação e treinam as crianças na resolução de problemas.
 

I. Atividades Literárias: Debates, elocução, discussões em grupo, “just a minute” (jogo de elocução), criação de slogans sobre temas baseados em valores: isso infunde nas crianças coragem, pensamento crítico e criativo e desenvolve habilidades de escuta e comunicação. 


II. Celebração de Festivais Religiosos e Nacionais: Estes irão desenvolver nas crianças respeito por todas as religiões e comunidades, bem como pela diversidade cultural e pela grandiosa história de sua pátria.


III. Atividades de Serviço Comunitário: Atividades como plantio de mudas e campanhas de limpeza que vão lembrá-las de sua responsabilidade para com a Mãe Natureza e a sociedade. Visitas a lares de terceira idade, favelas, orfanatos, etc., desenvolvem empatia, compaixão e simpatia para com os menos favorecidos na sociedade.

IV. Encenação de peças curtas: Encenando peças curtas sobre a vida dos santos e de grandes homens, as crianças passam a conhecer a rica herança da sua pátria e inspiram-se para absorver ideais.

Quadro no palanquim de Bhagavan em uma procissão Sarva Dharma.

Atividades em grupo são um desvio agradável do processo de aprendizagem centrado no professor para o centrado na criança. Portanto, elas são altamente recreativas, revigorantes e recarregam as energias. As crianças as apreciam muito e aguardam ansiosamente por elas. Sendo de natureza participativa, atividades em grupo proporcionam excelentes oportunidades para que as crianças adquiram valores e competências através da aprendizagem experiencial, ou seja, aprender fazendo. Em suma, as atividades em grupo completam todo o currículo de Bal Vikas de uma forma sutil através de diversão e lazer.


Não é necessário enfatizar o quão satisfeito e grato um mestre se sente quando percebe a transformação significativa no padrão de comportamento da criança através do uso das cinco técnicas de ensino acima. 
 

- A autora é Co-Coordenadora Nacional de Sri Sathya Sai Bal Vikas, Índia.

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.