Pensamento para o dia - setembro 2020

1° de setembro de 2020

"Tudo está em você; você está em tudo. Você tem de estabelecer essa convicção em sua consciência por meio de análise, discernimento e exploração intelectual. Você deve isolar e descartar da consciência as impressões dos sentidos, da mente, do intelecto etc. Esses não têm nenhuma relação com o Atma, quem você realmente é. O Atma não é afetado por nenhum sujeito ou objeto. Mesmo se os sentidos, a mente, o intelecto etc. estiverem inativos, essa inatividade não afetará o Atma! Conhecer o Atma como tal entidade, não afetada e desapegada, é o segredo da sabedoria espiritual. Cada simples ato seu deve ser executado tendo essa sabedoria como pano de fundo. Essa consciência do Atma vai guiá-lo tanto no caminho exterior como no caminho interior; ela não bloqueará a ação, mas a preencherá com propósito e significado; desenvolverá a fé e a vida moral; conduzirá ao reino da libertação pela estrada da renúncia ao fruto da ação, e não pela renúncia da própria ação." (Gita Vahini, cap. 6)

Sathya Sai Baba

2 de setembro de 2020

"Qual é exatamente a causa de todo o sofrimento? Apego ao corpo é o que produz o sofrimento, bem como seus precursores: gostos e aversões. Esses dois são o resultado de o intelecto considerar algumas coisas e condições como benéficas e outras como não benéficas. Essa ideia de benéfico e maléfico é uma ilusão. Entretanto, você se apega aos objetos que são considerados benéficos e começa a odiar os outros. Mas, do ponto de vista mais elevado, ambos não existem; a distinção é desprovida de sentido. De fato, não há dois, então como pode haver bom e mau? Ver dois onde só existe um é ignorância, ilusão (maya). A falta de conhecimento da unidade entre “Aquele” e “você” (Tat e tvam) é a causa de toda ignorância — a palavra tattva, que significa “princípio”, guarda em si essa grande doutrina filosófica. Se essa verdade não for aprendida, a pessoa estará fadada a se debater no oceano do sofrimento. Mas se for conhecida, e se a pessoa viver nessa consciência, então ela pode se livrar do sofrimento." (Gita Vahini, cap.3)

Sathya Sai Baba

3 de setembro de 2020

"Qual é a forma da preocupação? Ela é somente um medo criado pela mente. A mente é, por natureza, instável. Como podem as preocupações, que são criações dessa mente volúvel, ser permanentes? Cada preocupação é como uma moeda de um centavo. Uma rúpia é igual a 100 centavos, e 100 rúpias equivalem a 10.000 centavos. Quando você junta 10.000 moedas de um centavo, elas serão bem pesadas e difíceis de carregar. Portanto, o Senhor diz: “Dê-Me esses 10.000 centavos e Eu lhe darei uma nota de 100, que é muito leve, fácil de carregar, e pode ser guardada com segurança”. É muito difícil cuidar de uma grande pilha de 10.000 centavos. É ainda mais difícil carregá-la e protegê-la dos outros. Assim, o Senhor aconselha: “Meu querido, entregue a Mim sua pilha de preocupações”. Portanto, entregue esse fardo ao Senhor." (Divino Discurso, 29 de julho de 1996)

Sathya Sai Baba

4 de setembro de 2020

"Por que há tanta anarquia e confusão no mundo hoje em dia? Por que não há paz? Seria porque não existem pessoas instruídas nem instituições educacionais? Não, existem muitas delas, mas as pessoas instruídas não possuem, junto com sua educação, a cultura necessária nem uma visão ampla. Nosso país é conhecido como um tesouro espiritual. Ainda assim, hoje nos esquecemos do nosso tesouro espiritual e da real força de nosso país. As crianças não estão compreendendo sequer o significado da educação. Tomando a palavra raiz ‘vid’ e adicionando ‘ya’ você obtém vidya (educação). Aqui ‘vid’ quer dizer ‘iluminação’, e ‘ya’ significa ‘aquilo’. Portanto, aquilo que confere iluminação e luz é vidya. Só pode ser chamado de vidya aquilo que lhe dá luz e destrói sua ignorância, aquilo que lhe dá sabedoria e conhecimento superior. Aquilo que promove a ignorância e a escuridão não pode ser chamado de vidya." (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, cap. 1)

Sathya Sai Baba

5 de setembro de 2020

"O professor é como uma caixa d’água. Se nela houver água limpa e boa, então você terá água boa nas torneiras. Os estudantes são como as torneiras, e se revelarão bons somente quando os professores forem bons. Professores devem ter ideais elevados para que estes se reflitam em seus alunos, que são os futuros cidadãos e líderes. Os professores devem primeiro praticar, eles mesmos, aquilo que querem ensinar a seus alunos. Devem ter um sentimento de sacrifício em prol do bem-estar da nação para que os estudantes tenham um ideal similar. Antes de tentar corrigir seus alunos, eles devem primeiro corrigir a si mesmos. Os valores humanos não são mercadorias vendidas no mercado. Eles devem ser refletidos no comportamento e no modo de vida da pessoa. Devem ser ensinados não como matérias acadêmicas, mas sim como a base sobre a qual a vida correta deverá ser construída. O professor deve fazer sadhana para assegurar o controle dos sentidos e alcançar harmonia em pensamento, palavra e ação. Quando você alcançar essa harmonia, você se tornará um professor ideal." (Divino Discurso, 20 de janeiro de 1985)

Sathya Sai Baba

6 de setembro de 2020

"Foi dito (por um devoto) que o mundo está se tornando permeado por Sai (Saimayam), que o nome de Sai está nos lábios de todos. Eu quero que isso vá mais além. E eu não insisto que deva ser o nome ‘Sai’. O mundo deve se tornar Paramatma-mayam (permeado pelo Supremo Senhor), isso é tudo; não importa quantos Nomes e Formas o Paramatma assuma nos lábios das pessoas e diante do olho de suas mentes. É a mesma substância colocada em diferentes moldes. Como os doces com forma de animais que as crianças desejam: gatos e cachorros, vacas e cavalos, todos são feitos da mesma doçura. Uma criança prefere tal forma e tal nome; a outra chora por uma outra. A mesma substância divina aparece em diferentes momentos e lugares, assumindo diferentes Nomes. Quando as forças do mal e do ódio os oprimem, os Bons aceitam o Senhor como seu cocheiro, e Ele os habilita a derrotar os inimigos." (Divino Discurso, 26 de fevereiro de 1961)

Sathya Sai Baba

7 de setembro de 2020

"Aferrem-se à sua fé; não mudem sua lealdade assim que algo acontece ou quando alguém lhes sussurra algo. Não tirem o retrato de Sai Baba da parede e pendurem algum outro quadro diante da primeira decepção. Entreguem tudo a Ele; deixem que Sua Vontade seja feita — essa deve ser sua atitude. A menos que passem por altos e baixos, como vocês podem ser fortalecidos? Deem as boas-vindas à luz e à sombra; ao sol e à chuva. Não pensem que devotos são apenas aqueles que veneram um retrato ou imagem com uma parafernália pomposa. Todo aquele que caminha corretamente ao longo da senda moral, que age conforme fala e fala conforme o que viu, que é tocado pelo pesar do outro e exulta com a sua alegria — esses são devotos, talvez devotos maiores." (Divino Discurso, 26 de fevereiro de 1961)

Sathya Sai Baba

8 de setembro de 2020

"Vocês sabem que o mundo dos sonhos é um mundo fantástico sem sentido onde cinquenta anos são comprimidos em cinco minutos, e onde incidentes e coisas estranhas são considerados como sendo reais e vividos. Mas deixem-Me dizer-lhes que, do ponto de vista do estado da Iluminação, mesmo o estado de vigília, de onde vocês analisam os sonhos e os declaram inválidos, igualmente não tem validade. Assim, tenham um sentido de valores, ou uma escala de valores; deem a cada coisa, a cada pessoa, seu devido valor, não mais que isso. Cinco envoltórios revestem o Atma e impedem que seu esplendor se revele. Façam com que esses invólucros se tornem puros e brilhantes. O annamaya kosha (revestimento físico) deve ser purificado por alimentos bons, limpos e puros; o pranamaya kosha (revestimento vital), por uma respiração calma, regular e por um temperamento equânime; o manomaya kosha (revestimento mental), por pensamentos e emoções sagrados, intocados pelo apego aos sentidos e não afetados por alegria ou tristeza; o vijñanamaya kosha (revestimento da sabedoria), purificado pela contemplação da Realidade; e o anandamaya kosha (revestimento da bem-aventurança), pela imersão no êxtase da percepção de Deus." (Divino Discurso, 26 de fevereiro de 1961)

Sathya Sai Baba

9 de setembro de 2020

"O que significa exatamente ‘Sai Baba’? ‘Sa’ significa Sahasra-padma (mil lótus), sakshatkara (conscientização, experiência direta do Senhor), etc. ‘Ai’ significa mãe, e ‘Baba’ significa pai. Assim, ‘Sai Baba’ significa ‘Aquele que é pai e mãe, e a meta de todo esforço yogi’ – a mãe sempre compassiva, o pai que tudo sabe e a meta dos esforços espirituais. Quando você está tateando às cegas em uma sala escura, você precisa aproveitar a oportunidade quando alguém entra com uma lamparina. Apressadamente, junte seus pertences espalhados, ou descubra onde eles estão localizados, ou faça o que mais for necessário. De maneira similar, tire o melhor proveito dessa oportunidade, quando o Senhor veio em forma humana à sua própria porta, e apresse-se para se salvar do desastre." (Divino Discurso, 26 de fevereiro de 1961)

Sathya Sai Baba

10 de setembro de 2020

"As Upanishads prescrevem certas disciplinas espirituais corretivas para livrar o indivíduo do constante diálogo interior (manasika-sambhashana), que é um obstáculo à paz interna. A primeira disciplina é o controle da respiração (pranayama). Não se trata de ginástica nem de um exercício descomunal. A mente tem de se concentrar no período de retenção do ar (kumbhaka) e no processo de inalar (puraka) e exalar (rechaka). Quando a atenção é assim fixada, dá-se fim à conversação interna sobre assuntos irrelevantes. Força mental também é adquirida. A segunda disciplina é a imersão em atividades benéficas, ou seja, serviço às pessoas para ajudar a diminuir o sentimento egóico, e a realização de atos bons e piedosos. Quando o pensamento do indivíduo está ocupado em tais atividades, a mente se distancia da conversação à qual se entregava. Além disso, as disciplinas de ouvir conselhos espirituais, refletir sobre eles e descobrir modos e meios de confirmar a fé no Espírito (shravana-manana-nididhyasana), bem como a recitação dos nomes de Deus (japa), distanciando a mente da busca pela satisfação dos sentidos (tapas) têm sido prescritas pelas escrituras para silenciar essa tagarelice mental." (Vidya Vahini, cap. 18)

Sathya Sai Baba

11 de setembro de 2020

"Deseje e ore pelo bem-estar do universo inteiro. Desenvolva o sentimento de unidade e expulse o sentimento de diferenças. Esse é um serviço verdadeiro ao país. Você deve viver em unidade e estar carregado com o sentimento de que todos são seus irmãos e irmãs. Seu senso de unidade deve ser maior do que aquele que é encontrado entre membros de uma família. Todos vocês sabem que quando Vivekananda discursou em Chicago no Parlamento das Religiões, ele, abordando o tema da sabedoria de nossos ancestrais, começou com as palavras: ‘Irmãos e irmãs da América’. O público ficou tão tocado de ouvir isso que lhe aplaudiram de pé. Eles ficaram muito felizes de serem chamados de irmãos e irmãs. Hoje, entretanto, os indianos (bharatiyas) estão envergonhados de considerar os outros como irmãos e irmãs. Temos que difundir tal espírito entre todas as pessoas. A humanidade é algo que veio conosco com nosso nascimento, e não depois. O ser humano e a qualidade da humanidade surgiram ao mesmo tempo. Como foi que nos esquecemos de tal sentimento divino?" (Divino Discurso, 27 de maio de 2000)

Sathya Sai Baba

12 de setembro de 2020

"Imagine que você está visitando um amigo em uma cidade e está planejando ficar com ele por dez dias. Você tem algum dinheiro, e está com medo de levá-lo consigo. Agora, se você deixar sua carteira com seu amigo para que ele cuide, você poderá andar alegremente por todos aqueles lugares da cidade e de seus arredores que você deseja. Você poderá vagar pelos mercados mais movimentados sem qualquer traço de medo. A carteira que você tem é o Amor; entregue-a totalmente a Deus. Ele lhe libertará das preocupações, da ansiedade e do medo. Você deve cultivar Amor por Deus através do sadhana da repetição do Nome, da meditação e do serviço (japa, dhyana, e seva). Tome Dhruva como exemplo: ele orou e praticou austeridades para induzir Deus a conceder-lhe a soberania do reino. Mas quando Deus apareceu diante dele como Vishnu, ele disse: ‘Senhor! Eu não desejo o reino. Eu desejo somente a Ti.’ Similarmente, na fase inicial, a pessoa ora por dádivas mundanas e por ganhos materiais, mas assim que os pensamentos se aclaram e se purificam, ela deseja somente uma graça do Senhor — Ele mesmo!" (Divino Discurso, 25 de dezembro de 1981)

Sathya Sai Baba

13 de setembro de 2020

"Tudo tem energia latente em si; seja um pedaço de papel ou uma tira de pano. Quando a energia latente se exaure, o resultado é a morte; quando a energia preenche, acontece o nascimento. Ser-consciência-bem-aventurança (sat-chit-ananda) é energia. Nós (sat) somos (chit) felizes (ananda). A energia é tudo e ela é originada em Deus. Essa é a verdadeira base de todas as pessoas. Agora, estamos construindo superestruturas em algum outro lugar, não na base. O Princípio Divino fundamental está sendo ignorado. Estamos fascinados por assuntos e estudos que prometem alimentar nossos estômagos e tornar-nos materialmente felizes e poderosos. Mas a verdade sólida é o Divino subjacente a tudo. As pessoas devem conhecer a suprema verdade do Ser Uno por trás de toda transformação ou, pelo menos, conhecer a verdade prática do amor e da fraternidade. Esses dois pontos são os limites que a educação deve sempre ter em mente: o ponto de partida e o objetivo." (Vidya Vahini, cap. 19)

Sathya Sai Baba

14 de setembro de 2020

"Quando os pensamentos surgirem em sua mente, você deve despender pelo menos alguns minutos para analisar se tais pensamentos são bons ou maus, se são para o bem do seu país, e se servirão de ajuda ou não à comunidade ao seu redor. Se eles forem pensamentos ruins, você deve colocá-los de lado imediatamente, e se eles forem bons, você deve tentar promovê-los. Quando uma planta espinhosa é vista, ela é removida no momento em que seus espinhos são reconhecidos; mas logo que notamos uma árvore frutífera brotando, cuidamos dela e promovemos seu crescimento. Da mesma forma, no campo do coração, no momento em que ideias más começarem a brotar, você deve arrancá-las e jogá-las fora. Assim como as sementes se tornam árvores, o ser humano (manava) também deve tentar crescer e, por fim, se tornar Deus (Madhava)." (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, cap. 2)

Sathya Sai Baba

15 de setembro de 2020

"Balarama e Krishna foram exemplos que mostraram que eles não se importavam com sua força física e que sacrificariam tudo. Estavam dispostos a trabalhar duro e demonstraram que a prosperidade pode ser alcançada pelo trabalho árduo e sincero. O Senhor Krishna era onisciente, onipotente, a Divindade encarnada, e ainda assim Ele trabalhou como cocheiro para Arjuna. Krishna foi Aquele que reconheceu a importância do serviço à comunidade e, através de Sua prática e pelo exemplo que estabeleceu aos outros, demonstrou a importância do serviço ao próximo. Após a batalha do Mahabharata, foram eles que levaram os cavalos ao rio, lavaram-nos e cuidaram de suas feridas, aplicando-lhes medicamentos. Ele, assim, demonstrou que o trabalho árduo e a compaixão para com todos os seres vivos constituem o dever de todos os seres humanos." (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, cap. 3)

Sathya Sai Baba

16 de setembro de 2020

"Devido aos muitos obstáculos e problemas que Prahlada enfrentou, bem como às punições que lhe foram impostas, o resto do mundo foi capaz de saber quão grande era a sua devoção. Ele nunca teve lágrimas em seus olhos e nunca demonstrou qualquer sinal de dor quando os demônios o feriam. Ele apenas pronunciava o nome do Senhor e pedia ao Senhor que viesse a ele. Por causa dessa situação, ele conseguiu promover devoção e mostrar aos outros o que a verdadeira fé e devoção podem fazer. Por outro lado, se o pai de Prahlada tivesse cuidado dele com todo carinho e ternura, acalentando-o no colo, como poderiam a fé e a devoção de Prahlada ser conhecidas pelo resto do mundo? Até mesmo um diamante não obtém seu valor a menos que suas facetas sejam lapidadas. O próprio ouro puro não se transformará num belo ornamento a menos que seja repetidamente malhado e colocado no fogo. Em todas as dores e tribulações, devemos reconhecer apenas caminhos para obtermos a suprema felicidade." (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, cap. 3)

Sathya Sai Baba

17 de setembro de 2020

"É a Divina Vontade que opera como Amor em cada um de nós. É Ele quem incita a prece — ‘Que todos os mundos sejam felizes’. Pois Ele nos faz cientes de que o Deus que adoramos, o Deus que amamos, o Deus por quem vivemos, está em todos os outros seres como Amor. Assim o Amor se expande e engloba toda a criação. Olhando mais de perto, descobrimos que a própria vida é Amor; eles não são dois, mas somente um. O Amor é a própria natureza da vida, assim como queimar é a natureza do fogo, a umidade é a natureza da água, e a doçura, a natureza do açúcar. Cuidamos de uma planta somente enquanto suas folhas estão verdes; quando elas se secam e a planta se torna um graveto sem vida, paramos de amá-la. O amor dura enquanto a vida existe. A mãe é amada enquanto existe vida nela; quando a vida se vai, nós a enterramos sem qualquer remorso. O Amor está atado à vida. Em realidade, o Amor é Vida. A pessoa sem Amor para compartilhar está tão ruim quanto morta. Essa é a razão pela qual o Amor expande em um círculo sempre crescente." (Divino Discurso, 25 de dezembro de 1981)

Sathya Sai Baba

18 de setembro de 2020

"Arjuna foi orientado a se empenhar na batalha, restituir sua parte do reino, e garantir às pessoas uma administração e uma atmosfera justa onde pudessem se esforçar com sucesso para obter a salvação. Ele teve de fazer isso em um espírito de dedicação e entrega à vontade de Deus, independente de seus próprios gostos e aversões e da consequência que pudesse vir de suas atividades altruístas. A Gita diz que o serviço à sociedade é o mais alto serviço, bem como o sadhana (prática espiritual) mais benéfico. Você não pode fugir desta obrigação; você tem de usar a comunidade onde nasceu para sublimar seu egoísmo e se salvar. Quando Dharmaraja, a conselho do sábio Narada, realizou o grande sacrifício Rajasuya para propiciar seu falecido pai, o Senhor Krishna estava presente no sacrifício e pediu que lhe fosse dado algum serviço; Ele preferiu o serviço de recolher as folhas nas quais a comida era servida às milhares de pessoas que eram alimentadas todos os dias!" (Divino Discurso, 11 de janeiro de 1968)

Sathya Sai Baba

19 de setembro de 2020

"A vida deve ser vivida acumulando e protegendo virtudes, não riquezas. Escute e reflita sobre as histórias dos grande heróis morais do passado, para que seus ideais possam ser gravados em seus corações. Hoje em dia, a virtude está se tornando rara no indivíduo, bem como na família, na sociedade e na comunidade, em todos os campos da vida, seja no campo econômico, político e até mesmo no ‘espiritual’. Assim, há também um declínio na disciplina, que é o solo no qual a virtude cresce. A menos que cada um seja respeitado, seja qual for seu status, condição econômica ou desenvolvimento espiritual, não pode haver paz nem felicidade na vida. Esse respeito pode ser despertado somente através da convicção de que o mesmo Ser (Atma) que está em você, está desempenhando o papel da outra pessoa. Veja esse Atma nos outros; sinta que eles também têm fome, sede, anseios e desejos como você tem; desenvolva simpatia e ansiedade por servir e ser útil!" (Divino Discurso, 22 de fevereiro de 1968)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2020 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.