Pensamento para o dia - outubro 2020

1° de outubro de 2020

Vocês chamam a si mesmos de devotos, por isso Eu lhes falarei sobre o dharma daqueles que buscam adquirir devoção. Ninguém pode se tornar um devoto porque assim se autodenomina ou porque é assim chamado pelos outros. Devoção implica em dedicação, sem que nada permaneça; nem mesmo um resquício de ego deve sobrar. Só o que conta é o Seu comando; Sua vontade é o que prevalece. Como um bêbado, o devoto não tem qualquer noção de honra, decência, orgulho ou vaidade. O devoto é um bêbado (matta), um louco (unmatta), não se importando com nada que não esteja relacionado com o seu ideal. O devoto é surdo aos clamores da fome e da sede, sua lógica não é precisa, e faz erros de cálculos no mercado. Narada diz que aqueles que se embriagam com o álcool da ignorância tropeçam nas sombras do mundo, enquanto que aqueles embriagados com o néctar da sabedoria nunca se afastam do Altíssimo, o qual descobriram ser eles mesmos. (Divino Discurso, 25 de janeiro de 1963)

Sathya Sai Baba

2 de outubro de 2020

Quando a caixa d’água está cheia, a água flui das torneiras; quando o coração é a caixa d’água de amor, compaixão e fé, os atos, palavras e pensamentos promoverão a paz e a alegria. Os políticos, no entanto, não reconhecem essas necessidades; eles enchem o coração dos jovens com ódio, inveja e ganância, e os incentiva à violência e difamação. Eles afastam os jovens das salas de aula, das bibliotecas e laboratórios, e os fazem vadiar pelas ruas. Eles os estimulam a ferir inocentes, a danificar propriedades e a se comportar selvagemente, com fúria. A cultura indiana nunca encoraja o uso da força para causar mudanças nas leis, nas condições sociais ou nas atitudes das pessoas. Gandhi direcionou o movimento para a independência da Índia através de princípios espirituais que promoviam coragem e confiança, e divulgou às pessoas a recitação e a reflexão nos Nomes de Deus. Ele purificou o coração da nação, removendo o ódio e inveja, medo e dúvida. Ele aderiu ao ideal e ao caminho; vocês também devem fazer o mesmo. (Divino Discurso, 31 de maio de 1972)

Sathya Sai Baba

3 de outubro de 2020

Vocês vão de um lugar a outro como pacotes enviados pelo correio, recebendo carimbos no embrulho sem que nada fique marcado no interior do seu ser. Quando um cego visita lugares, ele não se importa se é dia ou noite. Assim também vocês não diferenciam um lugar do outro e se comportam, em todo tipo de lugar, da mesma forma desatenciosa, igualmente focados nos sentidos. Vocês não permitem que a santidade do local aja sobre suas mentes. Como resultado das peregrinações, seus hábitos devem mudar para melhor, seu olhar para o exterior deve se expandir, e sua visão interior deve se tornar mais profunda e mais firme. Você deve tomar consciência da Onipresença de Deus e da Unidade da Humanidade. Você deve aprender a tolerância e a paciência, a caridade e o serviço. Depois de terminada a peregrinação, sentados em suas casas, vocês devem refletir sobre suas experiências e se determinar a buscar a experiência mais elevada, mais rica e mais real da percepção de Deus. Eu os abençôo para que possam estabelecer essa determinação e para que possam, passo a passo, alcançar essa Meta. (Divino Discurso, 28 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

4 de outubro de 2020

O Dharma diz ‘Satyam vada’ e ‘Dharmam chara’: fale a verdade e pratique a retidão. ‘Satyannasti paro dharmah’: não há melhor fator de equilíbrio na sociedade, não há maior suporte ao progresso individual do que Satya, a Verdade. Esconder a verdade, deturpá-la, negá-la ou deformá-la são sinais de covardia; nenhuma pessoa de coragem cederá à inclinação de cobrir a face da Verdade. Além disso, você deve saber que a determinação dos Vedas é ‘Dharmam chara’ — Pratique o Dharma. Não é suficiente que você aprenda sobre ele; você deve colocá-lo em ação, preencher cada momento com palavras, ações e pensamentos que reflitam sua consciência do Dharma. Esse tipo de vida é a marca característica do que se conhece por shilam (caráter) em declarações como ‘Shilam param bhushanam: O Caráter é a joia mais preciosa’. Você deve examinar cada momento de seu tempo acordado e verificar se está observando os preceitos do Dharma, ou se está se afastando dele! (Divino Discurso, 15 de abril de 1964)

Sathya Sai Baba

5 de outubro de 2020

Tudo tem o seu dharma. A água tem como seu dharma a natureza e a obrigação de fluir. O fogo tem o dharma de queimar e consumir. O ímã, atrair e puxar para si. Todos eles estão seguindo seu dharma de maneira inalterável, inclusive o sistema solar e as estrelas do firmamento. Entre as coisas dotadas de Consciência ou Chaitanya  — as plantas e as árvores, os insetos e os pássaros, os ovíparos e os mamíferos, todos conseguiram preservar como um tesouro o seu dharma específico, sem que o passar do tempo o alterasse. Mas o ser humano, cuja inteligência se estende do inerte e do infinitesimal em direção à superconsciência e ao universal, é o único ser vivo que escorregou e está deslizando para baixo. A experiência das muitas gerações de buscadores, que procuraram os meios de se obter contentamento e felicidade através dos Shastras (preceitos da vida diária) está sendo negligenciada, e panacéias da moda são prescritas e experimentadas em larga escala. (Divino Discurso, 15 de abril de 1964)

Sathya Sai Baba

6 de outubro de 2020

A tentação de se ignorar o Dharma surge do egoísmo e da aceitação de falsos valores. A vontade de satisfazer os desejos mais baixos é a fonte de adharma (não-retidão). Esse desejo se apodera de vocês de maneira furtiva e silenciosa, como um ladrão no meio da noite; ou como um camarada que vem salvá-los; ou como um servente que os vem atender; ou como um conselheiro que os vem advertir. Ah, a maldade lança mão de mil truques para capturar seu coração. Vocês devem estar sempre alertas contra a tentação. O desejo abre uma fenda na sua consciência, entra e nela se instala. Então, ele se multiplica e consome a personalidade que construíram com tanto trabalho. A fortaleza não está mais sob o seu controle. Vocês se reduzem a uma simples marionete, manipulada por esses inimigos internos. Sempre que tentam se reconstruir, eles minam as estruturas e vocês têm que reiniciar tudo outra vez. Tal é o tamanho do mal que lhes causam! (Divino Discurso, 15 de abril de 1964)

Sathya Sai Baba

7 de outubro de 2020

Conhecer seu próprio Ser é uma tarefa dura. Tomem o exemplo do alimento que vocês ingerem pela sua própria boca. Vocês o sentem em seu estômago, mas depois disso vocês não têm a experiência do que acontece nas etapas que se seguem. Então, sem antes adquirir os meios necessários, como poderão conhecer a Verdade que está por trás dos invólucros que os cobrem e os envolvem: o do corpo físico, da energia vital, da mente, do intelecto e da bem-aventurança (Annamaya, Pranamaya, Manomaya, Vijñanamaya and Anandamaya)? Limpem do seu intelecto ou do poder intelectual (dhi shakti) as teias de aranha do ego, o pó do desejo e a fuligem da ambição e da inveja, e ele se tornará um instrumento capaz de revelar o Svarupa – a Verdade Interior. “Conheçam a si mesmos; conheçam o Motivador Interno (Antaryamin)” – isso é o que as escrituras de todos os credos exortam. Pois, a menos que estejam munidos desse conhecimento, vocês serão como um navio sem bússola, navegando num mar tempestuoso. (Divino Discurso, 16 de abril de 1964)

Sathya Sai Baba

8 de outubro de 2020

Vocês não devem oferecer ao Senhor as flores que crescem em plantas; o mérito será das plantas, e não seu! O Senhor quer que Lhe ofereçam o lótus que nasce no Lago do seu Coração, a fruta que amadurece na árvore de sua existência terrena, não o lótus ou a fruta disponíveis num mercado. Vocês talvez perguntem: “Onde podemos encontrar o Senhor?” Ora, Ele deu o Seu endereço no capítulo 18, verso 61 da Bhagavad Gita. Atentem-se a isso e o registrem: “Ó Arjuna, o Senhor reside no coração de todos os seres” (Ishvarah sarva bhutanam hrid-dese, Arjuna, tisthati). Uma vez aprendida esta lição, como poderão olhar algum ser vivo com desprezo, comprazer-se em odiá-lo ou achar graça em ridicularizá-lo? Todo indivíduo está saturado com a Presença Divina e é movido por atributos Divinos. Amor, honra, amizade - eis o que cada pessoa merece de vocês. Ofereçam isso em abundância. (Divino Discurso, 16 de abril de 1964)

Sathya Sai Baba

9 de outubro de 2020

Corrija o corpo, reconstrua a mente e regule seu modo de vida; então o país, automaticamente, se tornará forte e próspero. Não lamente o fato de um pote ser de barro se nele há néctar; isso é muito melhor do que possuir um pote de ouro contendo veneno. A terra pode ser rica, mas se a vida for má, ela será deplorável. Não importa se o padrão de vida é baixo, contanto que o modo de vida seja puro, cheio de amor, que haja humildade, medo do pecado e reverência pelos mais velhos. É fácil restaurar esse modo de vida, desde que os Vedas sejam novamente estudados e seguidos. A Mãe Veda (Vedamatha) fomentará em você o amor e a bondade. Tenha fé; não descarte um diamante, rejeitando-o como se fosse um pedaço de vidro. O Dharma estabelecido nos Vedas é a melhor armadura para protegê-los contra o sofrimento. (Divino Discurso, 15 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

 

10 de outubro de 2020

Algumas pessoas, com medo da crítica cínica por parte dos descrentes, hesitam em participar do Nagara-sankirtan (canções de louvor cantadas pelas ruas). Quando você tem a própria Encarnação do Destemor instalada em seu coração, por que o menor tremor de medo deveria afetá-lo? Se os outros não participam, por medo da zombaria ou do escárnio, siga em frente sozinho, cantando o Nome. Você veio a este mundo sozinho, sem companheiros, não é? Durante os seus anos de vida, você reuniu todos esses amigos, parentes e conhecidos que se ligaram a você. Quando você retorna ao reino de onde você veio, você adentra os portais sozinho, sem ninguém para lhe fazer companhia. Que assim também seja com a jornada chamada Nagara-sankirtan. Vá às ruas sozinho, reúna parentes e amigos se eles vierem até você; ande com eles, despreocupado e impassível; desfrute de sua própria doce solidão; e por fim entre em sua casa, com a satisfação de que fez um bom trabalho. As pessoas podem rir de você, considerando-o insano, mas essa insanidade é contagiosa e, em pouco tempo, até os irreverentes serão iniciados e farão parte do grupo. (Divino Discurso, 13 de janeiro de 1970)

Sathya Sai Baba

11 de outubro de 2020

O Senhor se importa com ekagrata e chitta-suddhi (concentração e pureza de mente). Você não precisa sentir que está fisicamente afastado dEle. Ele não tem nenhum ‘perto’ nem ‘longe’. Desde que o endereço esteja claro e correto, a sua carta será entregue, seja na rua mais próxima seja em Calcutá, seja em Mumbai com o mesmo selo. Smarana (lembrar) é o selo; manana (recapitulação) é o endereço. Tenha o Nome como smarana; a Forma, como manana, basta isso. Escolha um Nome e uma forma para smarana e manana; porém, não fale mal dos outros nomes e formas. Comporte-se como a mulher em uma família mista; ela respeita e serve os mais velhos da família, como o sogro, os irmãos dele e o próprio cunhado dela, mas seu coração é dedicado ao seu marido, o qual ela ama e respeita de um modo especial. Se você censura a fé dos outros, a sua devoção é falsa. Se você é sincero, você irá apreciar a sinceridade dos outros. Você enxerga defeitos nos outros porque você mesmo tem esses defeitos, não o contrário. (Divino Discurso, 15 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

12 de outubro de 2020

Encha o reservatório com água; então, quando abrir as torneiras, os baldes se encherão. Cultive amor e devoção, assim suas atividades estarão saturadas de compaixão e caridade, e trarão a colheita preciosa da alegria e paz. A água deve ser pura; o Amor deve ser altruísta e universal. Você mesmo pode julgar se seu Amor é estreito ou amplo, se sua Devoção é rasa ou profunda. Você está contente com suas conquistas? Examine você mesmo — declare o veredito sobre si, através de seu próprio discernimento. A pureza de intenção é a melhor garantia de que você terá paz. Uma consciência que não está tranquila é um companheiro torturante. A ação correta não deixará maus resultados para atormentar seu sono ou sua saúde. Portanto, seja correto e evite qualquer preconceito contra os outros com base em casta, credo, cor, forma de adoração, posição social ou nível de riqueza. Não olhe ninguém com desprezo; veja todos como o Divino, que em realidade vocês são. (Divino Discurso, 13 de janeiro de 1970)

Sathya Sai Baba

13 de outubro de 2020

Quando uma pessoa transborda o orgulho de que só ela pode cantar bem os bhajans no grupo, naturalmente os outros desenvolvem raiva, inveja, ódio, hostilidade e outros atributos nocivos. Somente o amor pode erradicar do coração as ervas daninhas do orgulho. Amem todos, considerando-os como as muitas formas de Deus desempenhando diversos papéis. Um coração sem Amor é tão sombrio quanto uma cidade sem um templo. O orgulho espiritual é a forma mais venenosa de orgulho; ele cega e arruína a pessoa que dele sofre. Cuidado com o orgulho; estejam sempre conscientes de que vocês são somente instrumentos na Minha Divina Missão de Dharma sthapana - Revitalização da Retidão. Busquem ser cada vez mais eficientes como tais instrumentos. A Mão que manuseia o Instrumento sabe como e quando ele deve ser usado. Se há retidão no coração, haverá beleza no caráter. Se há beleza no caráter, haverá harmonia no lar. (Divino Discurso, 13 de janeiro de 1970)

Sathya Sai Baba

14 de outubro de 2020

Vocês se sentam diante de uma imagem e lhe oferecem louvor e o incenso da adoração, porém não tentam compreender o significado de Deus que veem na imagem. Investiguem a Vontade de Deus, descubram Seus comandos, imaginem o que mais Lhe agrada e ajustem suas vidas com base nisso. Não se deixem capturar no pegajoso emaranhado da natureza exterior. Não endureçam seus corações com a cobiça e ódio. Enquanto persistir em vocês um vestígio da consciência ‘eu-sou-o-corpo’, vocês devem, por si mesmos, buscar Deus. São vocês que devem se aproximar do espelho, o espelho não virá até vocês para mostrar-lhes como realmente são! Suavizem seu coração com amor. Limpem-no através de hábitos de vida e de pensamento que sejam puros. Usem-no como um templo, onde vocês instalam seu Deus. Estejam felizes por terem dentro de si a fonte de poder, sabedoria e alegria. Proclamem que vocês são inconquistáveis e livres, que não podem, por tentação ou medo, ser levados ao mal! (Divino Discurso, 14 de janeiro de 1970)

Sathya Sai Baba

15 de outubro de 2020

Buscadores espirituais fervorosos buscaram a chave para todo o conhecimento — aquilo que se conhecido, torna tudo o mais conhecido; aquilo que está latente em cada átomo do Universo. Eles o descreveram como algo que está além das palavras, além do alcance da imaginação e compreensão humanas. Eles mesmos admitiram que é melhor que Deus seja retratado na forma humana para que assim as pessoas possam facilmente compreendê-Lo, aproximar-se Dele e obter bem-aventurança dessa contemplação. O ser humano concebe somente as qualidades e realizações humanas, apesar de ele poder multiplicá-las ao máximo e permitir que a quantidade resultante preencha e transborde de seu coração. Libere as portas gêmeas do desejo e da raiva, e remova o ferrolho da ganância, então você poderá entrar nos sagrados precintos de Moksha (Libertação)! A ganância é o mal monstruoso que rebaixa o ser humano. Ela surge do apego aos sentidos e da fomentação dos sentidos. Coloque os sentidos em seu devido lugar; eles são janelas para o conhecimento, não canais de contaminação. (Divino Discurso, 14 de janeiro de 1970)

Sathya Sai Baba

16 de outubro de 2020

O ser humano se esforça constantemente, de várias formas, para elevar seu status e suas condições. Logo que alcança sucesso em um esforço, ele busca sucesso em outro, e assim continua. Mas, qual é a marca distintiva de um verdadeiro ser humano? A vida humana é composta de ganhos e perdas, altos e baixos. Deve-se enfrentá-los. Somente aquele que supera esses desafios com fortaleza é um ser humano verdadeiro. Qual é a causa das vicissitudes na vida? A causa deve ser encontrada nos desejos das pessoas. Não há dúvidas que não se pode escapar dos desejos. Por exemplo, uma pessoa busca alcançar certos ideais. A outra pode buscar se dar bem nos estudos e conseguir um bom trabalho. Outra pode desejar obter um bom nome e construir uma boa família. Não há nada de errado em tais desejos. Mas, o que estamos testemunhando nesta Era de Kali é o crescimento desenfreado dos desejos. Como consequência, as pessoas sucumbem a más condutas. Deve haver limites a todo desejo. Deve haver um limite até mesmo à busca de poder e posição. (Divino Discurso, 14 de outubro de 1991)

Sathya Sai Baba

17 de outubro de 2020

Navaratri significa ‘nove noites’. A escuridão está associada com a noite. O que é essa escuridão? É a escuridão da ignorância. O propósito da celebração do Navaratri é permitir que o ser humano se livre dos nove tipos de escuridão que tomaram conta dele. Quando se faz referência à Devi, isso significa a forma unificada de Durga, Lakshmi e Sarasvati. As três juntas representam Shakti. Shakti é a energia responsável por todos os fenômenos da Natureza (Prakriti). A Natureza é energia, e o controlador dessa energia é o Senhor. A Natureza é composta de três qualidades: satva, rajas e tamas. Sarasvati representa a qualidade de satva (serenidade). Lakshmi representa a qualidade de rajas (atividade) e Parvati representa a qualidade de tamas (destrutibilidade). Pelo fato de a Natureza ser composta dessas três qualidades, para se obter controle sobre a Natureza, as pessoas oferecem adoração a Durga, Lakshmi e Sarasvati. Elas não são deusas, mas símbolos sagrados das três qualidades. (Divino Discurso, 27 de setembro de 1992)

Sathya Sai Baba

18 de outubro de 2020

O progresso da tecnologia moderna, através da poluição da atmosfera com fumaça de  dióxido de carbono, está causando uma ameaça à vida na Terra. Essa fumaça já criou um buraco na camada de ozônio, que está sobre a terra servindo como uma barreira de proteção contra radiações nocivas do sol. Se a camada de ozônio for destruída, os efeitos dos raios solares podem ser desastrosos. Todas as nações se preocupam agora com essa ameaça. Tudo o que se necessita fazer para evitar esse perigo é reduzir a poluição da atmosfera causada por automóveis e emissões industriais. É vital economizar no uso de todos os recursos naturais. A poluição do ar traz muitas consequências ruins. A celebração do Navaratri é uma ocasião para se reverenciar a Natureza e também para se ponderar sobre como os recursos naturais podem ser usados apropriadamente, para o bem maior da humanidade. Recursos naturais como água, ar, energia e minerais devem ser usados adequadamente, não devem ser mal utilizados nem desperdiçados. (Divino Discurso, 27 de setembro de 1992)

Sathya Sai Baba

19 de outubro de 2020

A celebração do festival de Dasara é voltada à purificação das ações realizadas pelos dez sentidos humanos (dasendriyas): os cinco sentidos da ação e os cinco sentidos da percepção. Todo ser humano neste mundo tem de realizar algum tipo de ação (karma). A deidade controladora, ou a força motriz, por trás dessas ações, é Devi (também conhecida como Durga), que é a personificação da energia. Ela é quem confere todos os tipos de energia para a realização de diversos tipos de karma. A Deusa Lakshmi confere aos seres humanos todas as formas de bens como dinheiro, grãos alimentícios, ouro, diferentes tipos de objetos, veículos para transporte, etc. para que possam levar uma vida feliz neste mundo. A terceira faceta do Princípio Divino Feminino é Sarasvati, a deusa do aprendizado e do intelecto. Assim, a Trindade de Durga (deusa da energia), Lakshmi (deusa da riqueza) e Sarasvati (deusa do aprendizado e intelecto) é adorada durante este festival de Dasara. (Divino Discurso, 10 de setembro de 2008)

Sathya Sai Baba

20 de outubro de 2020

A maioria de vocês vem a Mim para obter coisas sem importância, pequenas curas e benefícios, alegrias e confortos. Poucos querem de Mim o que Eu vim para dar, ou seja, a própria Libertação. E, mesmo entre esses poucos, apenas um punhado se mantém no caminho da prática espiritual com sucesso. Muitos são desvirtuados por sinais exteriores de santidade: uma túnica longa, a barba, os rosários, a cabeleira emaranhada, e assim por diante; eles acompanham os muitos que assim vagam por esta terra, seguindo-os para locais ermos e desertos. É muito difícil delimitar com precisão as manifestações do Senhor, por isso Eu Me anuncio e Eu mesmo explico a Minha missão, a tarefa, as qualidades e características que diferenciam o Avatar do resto. Não tenham fome de riquezas e conforto; tenham fome de bem-aventurança (ananda). (Divino Discurso, 4 de fevereiro de 1963)

Sathya Sai Baba

21 de outubro de 2020

O festival do Navaratri é observado através da contemplação de Deus por dez dias, livrando-se de todas as impurezas para se vivenciar a Divindade interior. O penúltimo dia do festival é dedicado ao que é denominado Ayudha Puja (adoração das armas). As armas a serem adoradas são os poderes divinos internos. Quando o Divino é adorado dessa forma, a pessoa está destinada a progredir espiritualmente. De forma oposta, a prática comum agora é tratar o Divino e o devoto como separados um do outro. Isso é errado. O Divino é onipresente e está em todas as pessoas e todos os objetos. Conscientizando-se dessa unidade, todas as ações devem ser realizadas como um ato de dedicação ao Divino. Imagine a bem-aventurança que pode ser experimentada em tal estado mental! É essencial celebrar o festival nesse espírito sagrado. Não basta fazer isso somente por dez dias durante o festival de Navaratri. Isso deve se tornar a regra por toda a vida da pessoa, até o momento de seu último alento. (Divino Discurso, 14 de outubro de 1994)

Sathya Sai Baba

22 de outubro de 2020

Durante o Navaratri há uma forma de adoração chamada de Anga-arpana Puja (dedicação de vários membros e órgãos a Deus). Na realização desse Puja, acontece uma forma de autoengano. Quando um devoto diz “netram samarpayami” (ofereço meus olhos ao Senhor) e oferece somente uma flor ao Senhor, a pessoa está se enganando. Seria apropriado dizer que ela está oferecendo uma flor. Mantras como “netram samarpayami” são destinados a indicar que a pessoa está usando seus olhos somente para ver Deus. O significado real do Mantra é que você pensa no Divino em tudo o que você vê ou faz. Portanto, o verdadeiro Anga-arpana Puja é declarar que você oferece todos seus membros ao serviço do Senhor. Isso significa que todo e qualquer trabalho que você faça deve ser feito como uma oferenda a Deus. O festival de Navaratri deve ser usado como uma ocasião para se examinar a  própria natureza, se ela é humana, animalesca ou demoníaca, e buscar transformar a natureza animal em humana e, por fim, divinizar a natureza humana. (Divino Discurso, 6 de outubro de 1992)

Sathya Sai Baba

23 de outubro de 2020

Não conseguimos tudo o que pedimos. Qual é a razão? Deus não tem compaixão? A criança está doente, mas ela pede muitos tipos de doces que a mãe se recusa a dar. Isso significa que ela odeia a criança? Ou que ela tem um coração duro? Teria ela perdido sua afeição? A recusa é em si um sinal de compaixão. Pois, cada pessoa é um doente, sofrendo do recorrente nascimento e morte. Dar tudo o que é pedido só pode aumentar o sofrimento. Assim surge a retenção e a negação. E você também não pede por aquilo que é indispensável! Você não ora pela paz inabalável. Se você orar por ela, a bênção será concedida! Deus irá responder quando o chamado surgir do coração. Eu sei que você bate à porta. Mas, em qual porta? Mantendo a porta de seu próprio coração fechada, como pode você ter sucesso em abrir a outra porta? Bata à porta de seu próprio coração. Deus, o Residente, aparecerá. (Divino Discurso, 21 de outubro de 1982)

Sathya Sai Baba

24 de outubro de 2020

Os estudantes pensam que seu ‘dever’ é somente serem pontuais quando vão à faculdade ou à escola, e estarem atentos às aulas e a outros exercícios acadêmicos. Os professores também consideram seu dever cumprido quando estão presentes durante as horas estabelecidas e quando realizam as tarefas atribuídas a eles. Esse equívoco tem de ser abandonado. A educação deve ser acolhida como um Sadhana para o estabelecimento da paz no coração dos indivíduos e na sociedade. A educação é um empenho espiritual presidido pela Deusa Sarasvati. Sarasvati é a Shakti (Energia) de Brahma, o Primeiro Membro da Trindade, e Ela é a fonte e o sustento de toda atividade criativa. O Gayatri, o mantra Védico essencial, que ora à ‘Fonte da Luz’ para iluminar o intelecto do aspirante, é também uma faceta dessa Shakti. O mantra Gayatri é um clamor universal e eterno que surge do coração do ser humano em direção à Encarnação do Amor e da Luz. Essa é a própria base do esforço educacional em todas as terras e em todos os tempos. (Divino Discurso, 6 de julho de 1975)

Sathya Sai Baba

25 de outubro de 2020

No dia de Vijayadasami conclui-se o ritual védico que dura sete dias, realizado em prol da promoção da paz e da prosperidade entre os homens em todas as terras. Ele é concluído com as oferendas finais aos Deuses que presidem variados aspectos da natureza. Essa oferenda é chamada de Purnahuti e, normalmente, uma série de objetos valiosos são lançados e postos no fogo sacrificial que foi adorado e alimentado durante a semana inteira. A oferta final é a oferta do próprio ser da pessoa, e é a culminação dos sacrifícios feitos ao longo desse período. Purnahuti significa a consumação da vida terrena do indivíduo através da dedicação de si mesmo ao Todo-poderoso, ou Brahman. Isso é também conhecido como entrega (sharanagati). Você não tem nada em você, nada que lhe pertença que você pode reivindicar como seu para ser oferecido a Deus. Então, o que significa a entrega do ser, ou o que ela implica? Ter a experiência de Deus como Onipresente, ser consciente de Deus e nada mais: isso é a verdadeira entrega. Ver Deus em tudo, em todos os lugares, em todos os momentos — isso é o verdadeiro sharanagati. Ele é quem dá, Ele é quem desfruta, Ele é quem vivencia. (Divino Discurso, 8 de outubro de 1975)

Sathya Sai Baba

26 de outubro de 2020

Aqueles que aspiram por paz mental têm também de reduzir a bagagem que carregam; quanto mais bagagem, maior o incômodo. Posses objetivas e desejos subjetivos: ambos são entraves na corrida pela iluminação. Uma casa atulhada de madeira será escura, empoeirada e sem livre movimento de ar fresco; será mal ventilada e sufocante. O corpo humano é também uma casa; não permita que ele esteja abarrotado com velharias, bugigangas, lixo ou com mobiliário desnecessário. Permita que a brisa da santidade sopre à vontade por ela; não permita que ela seja dessacralizada pela escuridão da ignorância cega. A vida é uma ponte sobre o mar das mudanças; atravesse-a, mas não construa uma casa sobre ela. Hasteie a ‘Bandeira de Prashanti’ no templo que é seu coração. Siga os ditames que ela ensina: domine os seis inimigos que arruínam a bem-aventurança natural no ser humano, eleve-se ao nível do Yoga, onde as agitações são aquietadas, e permita que o esplendor da Divindade interior (o Atma) irradie, abarcando todos para todo o sempre. (Divino Discurso, 12 de outubro de 1969)

Sathya Sai Baba

27 de outubro de 2020

O colo materno é uma escola para todo ser humano. É ele seu primeiro templo. A mãe é a riqueza primordial de todas as pessoas. É o dever de toda pessoa reconhecer essa verdade sobre sua mãe. Não há Deus maior do que a mãe. O pai é o tesouro de um indivíduo; a mãe é seu Deus. Porém, ao invés de dar valor a essa preciosa riqueza e Divindade, as pessoas estão se envolvendo em todo tipo de atividade para obter dinheiro e posições. O pai e a mãe são inseparáveis assim como uma palavra e seu significado. Todos deveriam estimar seus pais como encarnações do Divino. A mãe e o pai podem estar fisicamente separados, mas espiritualmente eles são um. Boas mães são mais essenciais do que boas esposas. Uma boa esposa é de valor somente a seu marido. Uma boa mãe é um patrimônio da nação. Desde tempos remotos, as escrituras da Índia vêm glorificando os exemplos de grandes mulheres como Maitreyi, Sita e Savitri. Suas vidas continuam sendo uma fonte de inspiração até hoje. (Divino Discurso, 11 de setembro de 1983)

Sathya Sai Baba

28 de outubro de 2020

Na Gita, o Senhor declarou que Ele é o poder de discernimento (buddhi) nos seres humanos. Não se pode alcançar grandeza pela aquisição de riquezas. É a inteligência que torna um ser humano respeitado. Aquele que não exercita esse poder de discernimento não é melhor do que um pássaro ou um animal de carga. É para elevar o ser humano a um nível superior que o Divino desce como Avatar. Avatar significa ‘descida’. Abaixar para elevar a criança ao aconchego do colo, elevar o ser humano enredado em desejos fúteis e buscas triviais: assim a Divindade desce ao nível humano e ensina como o indivíduo pode se santificar. Esse é o ensinamento da Gita. Todas as grandes Escrituras, seja a Bíblia, o Alcorão, e as outras, se originaram para o mesmo propósito. As Escrituras, por si só, não podem salvá-lo. Elas servem somente como placas sinalizadoras. Elas indicam as estradas a serem tomadas para a conscientização do Divino. (Divino Discurso, 31 de agosto de 1983)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2020 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.