Pensamento para o dia - outubro 2018

1° de outubro de 2018

“Tenha cuidado com sua saúde física também. Satisfaça as demandas da natureza. Ao carro deve ser dado o combustível que ele precisa. Caso contrário, sua cabeça pode chacoalhar e seus olhos ficarem embaçados devido à pura exaustão. Como pensamentos sobre o Senhor podem se estabelecer em uma estrutura enfraquecida? Apenas lembre-se do propósito deste corpo quando estiver cuidando dele. Um rolo compressor é alimentado com óleo, carvão e outros tipos de combustível. Porém, por que é mantido em bom estado? Para consertar a estrada, não é? Similarmente, lembre-se que você veio em um corpo, de modo que pudesse tomar consciência do fim do ciclo de nascimento e morte. Por esse motivo, use o corpo como um instrumento. Ao voar de lado a outro, mais e mais alto, o pássaro tem que, por fim, pousar para descansar. Assim, até mesmo o mais rico e o que tem mais poder buscam descanso e paz.  A paz somente pode ser obtida em uma loja: a realidade interior.” (Discurso Divino, 23 de fevereiro de 1958)

Sathya Sai Baba

2 de outubro de 2018

“A mãe de Ghandi era uma disciplinadora rígida e de coração puro. Como diz o ditado: ‘Yatha Raja, Tatha Praja’ (Assim como é o rei, são os súditos). Ela contava com a ajuda de uma empregada doméstica chamada Rambha, que seguia seus valores e cuidava das crianças com amor e carinho. Um dia, o pequeno Ghandi veio correndo até Rambha e contou-lhe que o medo o assombrava. Rambha disse: ‘Meu querido, não há necessidade de ter medo, já que o todo-protetor Ramachandra está sempre conosco.  Recite o nome de Rama sempre que estiver com medo’.  Desse momento em diante, Ghandi cantou o nome de Rama, e como todos sabem, ele assim o fez até seu último suspiro. Será que podemos encontrar mulheres com o coração tão nobre, hoje em dia? Veja o impacto que ela teve na pequena criança! Por causa de mulheres e mães de coração tão nobre, que crianças tomaram o correto caminho da retidão.” (Discurso Divino, 19 de novembro de 2000)

Sathya Sai Baba

3 de outubro de 2018

“As pessoas sofrem porque têm desejos irracionais, que as consomem para realizá-los, e falham. Elas atribuem muito valor ao mundo objetivo. É somente quando o apego aumenta, que você sente dor e tristeza. Se você olhar para a natureza e todos os objetos criados com a percepção da visão interior, então o apego desaparecerá, embora o esforço permaneça. Você também verá tudo mais claro, com uma glória inundada pela Divindade e esplendor. O apego à natureza tem limites, mas o apego ao Senhor – que você desenvolveu quando os olhos internos se abriram – não tem limites.  Desfrute dessa realidade. O Senhor é o poder imanente em tudo. A lua é refletida em uma vasilha, desde que tenha água. Assim também, o Senhor pode ser claramente visto no seu coração, desde que você tenha a água do amor (prema) nele. Quando o Senhor não está refletido no seu coração, isto apenas significa que você não O ama suficientemente.” (Discurso Divino, 02 de fevereiro de 1958)

Sathya Sai Baba

4 de outubro de 2018

“Todos vocês devem se tornar heróis: aventureiros e ousados. Preparem-se para esse papel de hoje em diante.  Dentro de você existem muitos animais: o cão, a raposa, o asno, o lobo etc. Suprima as tendências de todas estas criaturas e encoraje as boas qualidades do amor e da amizade a brilharem, daqui para frente. Inicie o cultivo de virtudes. Isto é muito importante, benéfico e lhe trará a verdadeira bem-aventurança (ananda).  Esta é a essência de todo conhecimento, a culminância de toda aprendizagem. Trate a todos como a você mesmo, e ainda que não possa fazer-lhes algum bem, desista de causar-lhes qualquer mal. Acenda a lâmpada do amor dentro do nicho do seu coração, e as aves noturnas da ganância e da inveja voarão para longe, por não suportarem a luz. O amor faz você ser humilde. Dobre-se e curve-se diante da grandeza e da glória. Uma pessoa inflexível está infectada com o pior tipo de egoísmo. Lembre-se que o homem é o único ser que pode reconhecer e reverenciar o grande e o glorioso.” (Discurso Divino, 03 de março de 1958)

Sathya Sai Baba

5 de outubro de 2018

“Quando as sete cores do espectro são revolvidas juntas, o efeito é a ausência de cor. Quando elas param de se revolver, as sete cores podem ser distinguidas separadamente. Quando as três pás do ventilador elétrico giram rapidamente, e as pás não podem ser distinguidas separadamente, elas produzem um conforto refrescante.  Assim também, quando as qualidades de satwa, rajas e tamas (pureza, ação, inércia) estão irreconhecivelmente interligadas, então, tudo que resta é felicidade pura e nada mais. Supari (noz de areca) é marrom; pan (folha de bétele) é verde; chunam (lima) é branca, porém, quando estes são mastigados juntos, a cor fica vermelha! Quando as suas três gunas são adequadamente moderadas por meio da prática espiritual, o resultado é shanti ou paz. A lamparina é satwa guna, o pavio é tamo guna e o óleo é rajo guna. Quando eles estão integrados, geram a luz da sabedoria, que ilumina por meio de todos os problemas.” (Sathya Sai Speaks, volume 6, capítulo 27)

Sathya Sai Baba

6 de outubro de 2018

“Uma cabaça verde afunda na água, mas uma seca flutua. Torne-se seco, livre-se de apegos, desejos, evite ter ansiedades e preocupações. Então, você poderá flutuar inatingível nas águas das mudanças e possibilidades. Até mesmo a água, ao se transformar em vapor, pode se elevar ao céu. Torne-se leve e perca peso, então assim você pode subir cada vez mais alto. Yoga é chitta vritti nirodha – prevenção de impulsos que agitam a consciência interna do homem.  Esses impulsos aumentam o peso. Livre-se dos desejos que afundam você; tenha apenas o anseio de ficar cara a cara com a verdade. Esta verdade está brilhando em você, esperando para ser descoberta. Deus é o habitante interno (antaryami), e então, quando Ele é procurado no mundo exterior, não pode ser capturado. Ame a Deus, sem nenhum outro pensamento; sinta que sem Ele nada tem valor; sinta que Ele é tudo. Assim, você se torna dEle, e Ele se torna seu. Não há parentesco mais próximo que esse.” (Divino Discurso, 17 de outubro de 1966)

Sathya Sai Baba

7 de outubro de 2018

“Quando um avião voa pelo céu, ele não deixa marcas, nenhum traço que dure, nenhum sulco ou buraco que interfira no tráfego. Assim também, permita que todos os seus sentimentos e emoções atravessem sua mente, porém, não permita que eles deixem marcas. Isso pode ser feito pela investigação, pela análise silenciosa dentro de si mesmo, mais do que ao ouvir palestras ou estudar livros. As crianças pequenas são treinadas a andar em um andador, que elas seguram e empurram. O Pranava é um triciclo, com as três rodas do A, U e M – o triciclo do Omkara. Segurando-se nele, você pode aprender a usar os dois pés de Bhakti e Vairagya (devoção e desapego). Quando deixa de segurar em Omkara, você cai no chão impotente. Quando você anda todos os dias recitando o Pranava, você, definitivamente, vai tomar consciência da glória do Divino, que é a própria substância do universo.” (Sathya Sai Speaks, volume 6, capítulo 27)

Sathya Sai Baba

8

8 de outubro de 2018

“Nag Mahasaya – o discípulo chefe de família de Sri Ramakrishna Paramahamsa – conseguiu escapar das correntes de samsara (vida mundana) se tornando humilde e menor, com menos egoísmo. Ele se tornou tão pequeno, que poderia rastejar com segurança. Nag Mahasaya se sentia assim: “Eu sou o servo dos servos de Deus” – Dasoham. Vivekananda – outro discípulo de Sri Ramakrishna Paramahamsa – por outro lado, se expandiu até se identificar com todo o universo e então a corrente se quebrou, e não conteve sua majestade. Vivekananda se sentiu como um Mestre, o Isa (Senhor) que era Idam Sarvam (o universo inteiro), Sada Soham (eu sou eternamente Ele). Ele teve firme convicção de que assim O era. Essa é a identificação entre o indivíduo e o universal (Jiva-Brahma-aikya-anusandhanam), o verdadeiro casamento celestial. Todos devem se esforçar para alcançar esta consciência e celebrar esta união em suas vidas. Escolha um caminho que melhor se adeque a sua personalidade e persista com as práticas até obter a vitória!” (Sathya Sai Speaks, volume 06, capítulo 27)

Sathya Sai Baba

9 de outubro de 2018

“Quando uma pessoa morre, sua propriedade e posses permanecem na casa; estes não vão com a pessoa para o além. Seus parentes tampouco podem acompanhá-la; somente o bom ou mau nome conquistado permanecerá aqui. Então, todos vocês devem viver de tal maneira, que a posteridade se recordará de vocês com gratidão e alegria. Para levar uma vida boa, o contato constante com o Deus interior é de grande ajuda. Essa inspiração pode, somente, ser alcançada por meio da recitação constante do Nome do Senhor e da invocação das fontes internas da Divindade. Pratique Namasmarana (repetição do nome do Senhor), incessantemente. Lembre-se também que – por apenas cantar em alto volume de voz ou gritar Shivoham (eu sou Shiva) – você não se tornará Shiva. Você deve desenvolver as qualidades da Divindade, como amor universal, ausência de apego etc. Então você terá o direito de afirmar Shivoham, e mesmo sem afirmar nada, você será Shiva, pois você não terá sentimentos de aham (egoísmo)!” (Sathya Sai Speaks, volume 6, capítulo 27)

Sathya Sai Baba

10 de outubro de 2018

“A programação para o Dasara em Puttaparthi tem várias atividades como hinos védicos, adoração às Mães Divinas, alimentação dos pobres, dramatização, música, Harikathas, leitura de épicos morais, palestras sobre textos das escrituras etc. Tudo isso foi desenvolvido por bons motivos, que não são evidentes superficialmente. Você pode pensar que isso é costume ou tradição. Não! Cada atividade tem um significado mais profundo, com a intenção de trazer um benefício definido. Os Vedas são para toda humanidade. A recitação dos Vedas promove a paz mundial e o bem-estar humano, subjugando a ira dos elementos e das comunidades humanas. Os Vedas invocam as forças da natureza a serem calmas e benevolentes. Para aqueles que obtêm felicidade quando recitam os nomes do Senhor, cada nome evocando uma faceta do esplendor de Deus, nós temos os pujas (rituais de adoração). Para aqueles sedentos de direcionamento ao longo do caminho do Sadhana, nós temos os discursos de especialistas. Recitações musicais, dramatizações e discursos relatam as lições essenciais e a sabedoria das escrituras, de maneira palatável e agradável. Tudo isso faz desabrochar as pétalas do coração humano!” (Discurso Divino, 17 de outubro de 1966)

Sathya Sai Baba

11 de outubro de 2018

“Você veio de Deus, uma centelha divina de Sua Glória, uma onda do oceano de bem-aventurança. Você estará em paz, apenas, quando novamente se fundir Nele. Como uma criança perdida, você poderá ter felicidade somente quando reencontrar sua mãe. As gotas do oceano evaporaram e se juntaram a uma congregação chamada nuvem, caíram sobre a terra, fluíram ao longo das ravinas e, finalmente, alcançaram o oceano. Comece essa jornada, viaje rápido e leve. É no Sanatana Dharma (Lei Eterna) que está forte e claramente estabelecido que: karma (ação) é importante para moldar o destino de uma pessoa; o fato do indivíduo passar por muitos nascimentos para não precisar nascer novamente; e a onipotente Graça de Deus vinda como Avatar para reunir pessoas ao Seu redor em companhia sagrada, para salvá-las e salvar o mundo por meio delas. Dúvidas sobre qualquer destas verdades irão, certamente, conduzir ao sofrimento e à dor.  Todos devem ser salvos, cedo ou tarde, pela Graça do Todo-Misericordioso. Faça isso mais cedo, ao invés de mais tarde. Mantenha o objetivo claro diante dos olhos e siga em frente.” (Discurso Divino, 17 de outubro de 1966)

Sathya Sai Baba

12 de outubro de 2018

“Os Vedas deram quatro Mahavakyas (axiomas divinos) ao mundo. Um deles é Prajnanam Brahma (conhecimento é Divindade). O que é Prajnana? É conhecimento livresco? É um conhecimento esquecido com o passar do tempo? Está relacionado com a experiência corporal? Não. Não, de maneira alguma. Prajnana é o princípio imutável e eterno, que está em você todo o tempo e sob quaisquer circunstâncias. As pessoas o chamam de conhecimento supremo, porém, a tradução correta para este termo é Consciência-Integrada- Constante. Embora Deus esteja presente no interior, o homem vai em busca Dele, acreditando que Ele esteja presente apenas em um lugar específico. É o mesmo que alguém ir em busca de si mesmo em outro lugar. Torne-se consciente de que os cinco elementos presentes em você são as próprias formas do Divino. A Divindade está presente em todos os seres. O princípio da vida, que flui através de cada nervo do corpo, é verdadeiramente divino.” (Discurso Divino, 09 de outubro de 2001)

Sathya Sai Baba

13 de outubro de 2018

“Todos devem considerar reverenciar e servir a própria mãe como divina, independentemente do país ou circunstâncias. Se você não pode respeitar e servir sua mãe, que carregou você no ventre por noves meses, trouxe você ao mundo e lhe criou ao longo dos anos, quem mais provavelmente você deverá respeitar? O próprio Senhor Sri Rama declarou que a mãe de uma pessoa e sua terra natal são mais grandiosas que o céu. O amor materno é semelhante ao do Criador, que protege este infinito cosmos de inumeráveis maneiras. O festival Navaratri ensina esta verdade profunda. A pessoa deve se lembrar que a reverencia à mãe é a sua tarefa primordial. Se a mãe de uma pessoa está infeliz, todo o gasto feito e toda adoração realizada em nome de Durga, Lakshmi e Saraswati durante o festival Navaratri não produzirá frutos.” (Discurso Divino, 14 de outubro de 1988)

Sathya Sai Baba

14 de outubro de 2018

“No Mahavakya (Grandioso Verso) dos Vedas, Tat Twam Asi (Tu és Aquele), Tat tem sentido denotativo de o que está do lado de fora e Twam representa a Divindade inata. Isso significa que a mesma Divindade está presente dentro e fora.  Antarbahischa Tatsarvam Vyapya Narayana Stitaha (Deus, que a tudo permeia, está presente dentro e fora). Aquilo que é visto, ouvido e experimentado do lado de fora não é nada mais que reflexo, ressonância e reação do ser interior. Se a realidade é interior, por que ansiar pelo seu reflexo no exterior? Isso é pura loucura. O homem é a personificação do tempo. O homem é o senhor do tempo. Para entender a realidade de alguém, essa pessoa precisa controlar a mente. Assim é dito: controle a mente e se torne o mestre dela. Os cinco elementos observados no exterior estão presentes em você. Você é o mestre dos cinco elementos. Você deve dominar a mente; não se torne escravo dela.” (Discurso Divino, 09 de outubro de 2001)

Sathya Sai Baba

15 de outubro de 2018

“Os dez dias do festival Dasara têm o objetivo de encorajar você a controlar os seus dez sentidos. A lenda diz que a Deusa Chamundi matou o demônio Mahisha durante o festival Dasara. Qual é o significado interno dessa história? Nós não devemos, sob qualquer circunstância, nos associar a demônios. Seus pensamentos, palavras e ações devem ser puros, dignos de um ser humano, não de demônios. Evite más companhias. Esteja sempre em boa companhia. Não desenvolva ódio por ninguém. Todas as pessoas que cruzem seu caminho devem ser consideradas como personificações da Divindade. Cumprimente-as. Sempre fale a verdade, observe a retidão (Dharma). Seja pacífico. Seja feliz e bem-aventurado. Você deve ter uma conduta amorosa na sociedade. Eu estou impregnado com amor. Eu distribuo esse amor a cada um e a todos. Eu não odeio pessoa alguma. Eu realmente não tenho egoísmo! Meu amor é desinteressado. O amor é minha propriedade. Vocês todos são herdeiros desta propriedade. Amor é Deus. Deus é amor. Assim, viva em amor.” (Discurso Divino, 27 de setembro de 2006)

Sathya Sai Baba

16 de outubro de 2018

“Todo yajna tem uma grande e invisível influência sobre a vida humana, pois estas fórmulas sagradas são sons potentes, carregados de mistérios sutis. O sacrifício ritualístico (yajna) tem um significado mais profundo. Os significados dos símbolos são valiosos e essenciais para o progresso humano. Todo ritual é um ato simbólico. Yajna está correlacionado à cada passo das aspirações humanas e práticas espirituais. Yajna permanece em contato com a vida humana e aspirações em seus mínimos detalhes. A manteiga é o produto obtido ao se bater as emoções, impulsos, impressões e instintos das pessoas. A essência mais pura e mais autêntica do divino nas pessoas. Essa manteiga – ao ser ainda mais clarificada – se torna ghee, e é isso que se oferece aos deuses!  Quando orar a Deus, se concentre no fruto eterno: o universal, o espiritual. Não ore por pequenos desejos mundanos. Direcione sua mente para seguir as diretrizes ensinadas pelo Senhor, para restabelecer a retidão (dharma) no universo.” (Divino Discurso, 04 de outubro de 1942)

Sathya Sai Baba

17 de outubro de 2018

“É somente para permitir que você coloque bons pensamentos em prática, que as deusas Durga, Lakshmi e Saraswati são adoradas, durante as celebrações do Dasara. Durga não deve ser entendida como a deusa feroz. Ela é a Deusa Suprema, que protege você. Lakshmi é a personificação da riqueza. Saraswati é a deusa da fala. Bons pensamentos, boas palavras e boas ações representam a tatwa (essência) destas três deusas. Aquele que ensina a você coisas boas é, verdadeiramente, a personificação da Deusa Saraswati. Aquele que lhe ensina o mal é, verdadeiramente, um demônio.  A Deusa Durga destrói apenas esses demônios. Durga, Lakshmi e Saraswati, na verdade, não são diferentes de você. Elas estão, de fato, instaladas no seu próprio coração. Elas exortam você a levar a vida de um ser humano, já que você é um ser humano. Durga, Lakshmi e Saraswati são as três mães para um ser humano.”  (Discurso Divino, 28 de setembro de 2006)

Sathya Sai Baba

18 de outubro de 2018

“O que você pode conseguir com sua inteligência insignificante? Uma vez, um homem riu de Deus por dar à figueira majestosa uma semente minúscula e conferir à cabaça de cinza uma fruta gigantesca. Ele pensou: “Não há sentido de proporção”! Ele estava viajando e, com o passar do tempo, ao se sentir cansado foi dormir sob a sombra de uma figueira. Quando ele acordou, viu muitas sementes caídas da árvore em cima de seu corpo. Se a figueira tivesse sementes proporcionais ao seu tamanho, apenas uma semente caída daquela altura teria morto o crítico imediatamente! Ele agradeceu a Deus por sua lógica perfeita e inteligência, e continuou sua jornada, se sentindo seguro e protegido. Receba tudo da maneira como vem e cultive contentamento. Não multiplique seus desejos, nem alimente ganância e desespero.  Você tira suas roupas aquecidas quando começa a se sentir aquecido. O casaco dos desejos deve ser tirado quando o calor da devoção aumentar. Empenhe-se para conseguir a graça, não se esforce para obter nenhum fruto inferior.” (Discurso Divino, 04 de outubro de 1962)

Sathya Sai Baba

19 de outubro de 2018

“O mundo é uma manifestação das três gunas (Sattva, Rajas e Tamas). Quando o egoísmo e interesse próprio estão desenfreados, as pessoas esquecem a generosidade e a compaixão. Quando as forças da injustiça, imoralidade e falsidade crescem em proporções monstruosas e se entregam à dança da morte, o princípio Átmico, a Divina Mãe Shakti, assume a forma Rajásica para reprimir e vencer as forças do mal e proteger as qualidades Sátvicas. Esse é o significado interno do festival Dasara. Durante os dez dias do festival Dasara, pergunte a você mesmo: a Mãe Divina destruiu os dez demônios (rakshasas) dentro de mim? Rakshasas não são seres demoníacos, mas sim qualidades perversas. Arrogância, maus pensamentos, luxúria, raiva, ilusão, ganância, orgulho, inveja, ego e ódio são os demônios que devem ser destruídos. Você deve decidir agora, por conta própria, se é Ravana ou Rama, de acordo com suas qualidades! Personificações do amor divino! De hoje em diante, conduzam suas vidas com amor altruísta e vivam em paz e felicidade!” (Discurso Divino, 18 de outubro de 1991)

Sathya Sai Baba

20 de outubro de 2018

“As más ações dos ímpios e as boas ações e anseios dos justos são responsáveis pelo Advento dos Avatares. O Avatar Narasimha (Deus encarnado como metade-homem e metade-leão) veio devido à grande devoção de Prahlada e as más qualidades de Hiranyakashipu (pai de Prahlada). Deus descende em resposta aos anseios e ações das pessoas. Aqui estão dois exemplos simples. As plantações no solo buscam pela chuva no céu. Elas não podem alcançar as nuvens. Então, as nuvens descem em forma de chuva para prover água às plantações. Outro exemplo: há uma criança engatinhando no chão. Ela quer sua mãe, mas não pode pular até ela. Então, a mãe se curva, pega a criança e lhe dá carinho para fazê-la feliz. Da mesma maneira, para oferecer alívio aos devotos, nutri-los, protegê-los e encorajá-los, o Divino vem na forma humana para dar-lhes felicidade.” (Discurso Divino, 15 de setembro de 1988)  

Sathya Sai Baba

21 de outubro de 2018

“Quando você preenche seu coração com amor, você não terá ressentimento em relação a ninguém. Cultive a crença de que Deus está em todos. Entregue-se ao divino com espírito de dedicação. O significado simbólico na relação entre Krishna e as Gopikas é esse: seu coração está em Brindavan. Seus pensamentos são como as Gopikas. O Atma é Krishna. Bem-aventurança é o esporte de Krishna. Todos devem converter seus corações em uma Brindavan (morada de Krishna) e considerar o Atma, o morador interno, como Krishna. Toda ação deve ser considerada como uma Leela (passatempo divino) de Krishna. Gokulashtami é celebrada pelo oferecimento de Paramannam (um prato especial feito com arroz cozido em açúcar mascavo) à Krishna. O verdadeiro significado de Paramannam é Annam (alimento), relacionada à Param (Supremo). Paramannam é doce. Seu amor deve ser doce. O que você oferece a Deus deve ser seu doce amor. Seu amor deve ser abrangente. Esta é a principal mensagem do Avatar.” (Discurso Divino, 03 de agosto de 1988) 

Sathya Sai Baba

22 de outubro de 2018

“Dentre muitos que se proclamam devotos do Senhor, somente poucos são verdadeiros devotos. Quando elementos da ganância e do egoísmo estão presentes no devoto, Deus não terá interesse por ele, nem por ela. O Amor Divino está presente todo o tempo. Contudo, assim como as nuvens que escodem o sol temporariamente das pessoas, a ambição e o ego dos devotos se interpõem entre o amor de Deus e o devoto. Para passar da condição humana à divina no homem, o único meio é Prema Tatwa (Princípio do Amor). O amor mundano não pode ser equiparado ao Amor Divino (Prema). O termo Prema é usado na linguagem popular para descrever o que é apego mundano de verdade. As pessoas estão mais apegadas aos nomes e formas do que à essência interna das coisas. Para superar este falso apego às formas externas e nomes, é essencial cultivar o amor, na sua forma mais pura. Para manifestar esse amor, o primeiro requisito é livrar-se da ganância e interesses próprios.” (Discurso Divino, 21 de agosto de 1992) 

Sathya Sai Baba

23 de outubro de 2018

“Embora Deus habite em cada pessoa, este fato se mantém latente como o óleo na semente de gergelim. Para manifestar o Divino dentro de você, você deve passar por provações e sofrimentos. O amor por Deus deve crescer como um resultado da adversidade. Assim como o ouro aumenta seu brilho quanto mais aquecido for no cadinho, sua devoção deve brilhar mais ao passar por constantes processos de purificação. Lembre-se, para toda crueldade e violência que encontramos no mundo hoje em dia, a causa raiz é o egoísmo. Isso deve ser erradicado. Experimente o Princípio do Amor e livre o mundo do ódio. Uma vez que ódio é destruído, o mundo estará livre de violências e conflitos. Cultive o amor desinteressado e manifeste amor em todos os seus pensamentos e ações. Você experimentará bem-aventurança. Quando você estiver preenchido com Amor por Deus, todas as dores e problemas serão esquecidos. Para propagar este princípio de Amor Divino, Deus descende na forma humana de tempos em tempos.” (Discurso Divino, 21 de agosto de 1992)

Sathya Sai Baba

24 de outubro de 2018

“Nós deveríamos ter medo do pecado, e não de dificuldades. Nós temos que desenvolver Daiva preeti, papa bheeti e Sangha neeti (medo do pecado, amor a Deus e moralidade na sociedade). Ao invés de desenvolver medo do pecado, nós somos escravizados pelo pecado. Ao invés de buscar refúgio em Deus, nós estamos nos submetendo a dificuldades.  A moralidade na sociedade conduzirá ao amor de Deus, que, por sua vez, levará ao medo do pecado. Por isso, nós deveríamos sustentar a moralidade na sociedade e nos dedicar a Deus. Uma vez, o Santo Thyagaraja orou: “Ó Senhor, eu estou profundamente preocupado com o medo do pecado. Eu sou incapaz de me render ao Seu amor. Por favor, conceda-me a força da convicção para me prostrar diante do Seu amor divino e me abençoe com a força para superar as dificuldades.” Todos os verdadeiros devotos de Deus devem se abster de ações pecaminosas e superar sofrimentos e dificuldades. Empenhe-se para obter o tesouro da devoção pura!” (Discurso Divino, 28 de agosto de 2004)

Sathya Sai Baba

25 de outubro de 2018

“Existem quatro tipos de templos: Primeiro, Vidyalaya (o templo de aprendizagem); Segundo, Bhojanalaya (o templo dos alimentos); Terceiro, Vaidyalaya (o templo de cura); e Devalaya (o templo de Deus). Todos os quatros são lugares de adoração para o homem.  Você vai ao Bhojanalaya (também significa hotel ou restaurante), come comida boa e saborosa de sua preferência e sai feliz. Você vai ao Vaidyalaya (hospital), se consulta com um médico e recebe apenas o tratamento prescrito para a sua doença. Quando você vai ao Vidyalaya (uma instituição educacional), está em busca somente de conhecimento sobre os temas que lhe interessam. Similarmente, quando você vai ao Devalaya (templo), pergunte a si mesmo se você se conduz adequadamente. Em um templo, você deveria se concentrar apenas em adoração. Ao invés de manter sua mente concentrada no Divino, por que você permite que ela oscile de um lado a outro, e pense em coisas mundanas inúteis?  Lembre-se, se você garantir somente a graça de Deus, tudo será alcançado com facilidade!” (Discurso Divino, 07 de agosto de 1988)

Sathya Sai Baba

26 de outubro de 2018

“Uma fraqueza fatal que evita que você se aproxime de experimentar Deus é dambha: arrogância, egoísmo, orgulho, desejo de ser falado ou elogiado! As pessoas se deleitam em falar incansavelmente de suas realizações e habilidades. Elas querem que seus nomes e feitos apareçam diariamente nas manchetes dos jornais! Isso, realmente, torna-os ridículos e deploráveis. Não é no jornal que você deve se esforçar para chamar a atenção. Ganhe status no reino de Deus. Ganhe fama na companhia dos bons e piedosos, progrida em humildade, em reverência aos anciãos e pais! Se você estiver para sempre no ensino primário trabalhando o bê-á-bá, como poderá se apropriar dos assuntos que os especialistas ensinam? Espiritualidade e Divindade estão além do alcance dos sentidos e você deve ouvir, praticar e cultivar ideais nobres em sua mente. Coloque em prática as virtudes e viva em felicidade.” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

27 de outubro de 2018

“Adi Shankara perguntou: ‘quem é você, quem sou eu, de onde eu venho, para onde estou indo, qual é a natureza e o propósito de todo este movimento e mudanças, há alguma base estável, algum objetivo, direção ou diretor (Kasthwam, koham, kutha ayatah)?’ Não varra estas perguntas da sua mente. Cada um de vocês lida com isso e isso os incomoda, quando você está só com algo grandioso e magnífico na natureza ou ao experimentar algum evento terrível ou chocante. É uma insensatez abandonar estes momentos preciosos e voltar novamente à monotonia da vida, sem persistir com a indagação para qual você foi impelido. O Guru vem para alertar e despertar. Ele revela a verdade e encoraja você a progredir na direção dela. A menos que você tenha o anseio, o coração questionador e a inteligência em busca, ele não pode fazer muito. O faminto pode ser alimentado; aquele sem fome descartará a comida como se fosse um castigo.” (Divino Discurso, 14 de julho de 1965)

Sathya Sai Baba

28 de outubro de 2018

“Você terá que seguir os passos de Radha, Meera, Gouranga e Tukaram. Você deve sentir uma afinidade inseparável com o Senhor, tão inseparável como a da onda com o mar. De fato, você tem a mesma essência, o mesmo sabor, a mesma qualidade do mar, embora tenha o nome e a forma da onda. O Senhor é a forma com atributos (Saguna), aspecto do Paramatma (Ser Supremo), que é o universo. A manteiga, enquanto no leite, está imanente nele, e não tem nome ou forma separada. No entanto, quando você converte leite em yogurt e o separa, ele assume um nome e forma, os quais o diferenciam do leite. Da mesma maneira, Ghee (manteiga clarificada) quando está líquida não tem forma em particular, mas quando se solidifica, assume uma forma. Assim também, Madhava-tatwam (a essência Divina) quando assume uma forma se torna Manava (forma humana).” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

29 de outubro de 2018

“O amor de Deus é totalmente desinteressado. É absolutamente puro, eterno e impecável. O amor humano é egocêntrico e corrompido. Este amor não pode se fundir ao amor de Deus. Somente quando você estiver livre do egoísmo, orgulho, ódio e inveja, que Deus habitará em você. Sem tyaaga (renúncia), se uma pessoa está imersa em prazeres mundanos e leva uma vida mundana, toda sua devoção é apenas artificial e um tipo de autoengano. Tal tipo de devoção não conduzirá uma pessoa a Deus. Atualmente, o mundo está cheio deste tipo de pessoa. As pessoas afirmam que estão amando a Deus. Contudo, amam a Deus para seu próprio benefício e não pelo simples amor a Deus. Isto é egoísmo puro. Você procura todas as coisas no mundo em benefício próprio. Até mesmo Deus é procurado pela mesma razão. Deus não pode ser alcançado tão facilmente.  O coração tem só um assento. Há espaço nele para somente uma pessoa. Se você assentar desejos mundanos na cadeira, como pode esperar que Deus se sente nela? Deus se sentará somente se a cadeira estiver vazia.” (Discurso Divino, 12 de agosto de 1992)

Sathya Sai Baba

30 de outubro de 2018

“A águia é incomodada pelos corvos desde que tenha um peixe no bico. Eles passam perto para roubar o peixe de sua boca. Eles perseguem a ave onde quer que ela fique para descansar. Por fim, ela desiste do apego ao peixe e o solta. Os corvos voam para trás e deixam a águia livre. Então, se abstenha dos prazeres sensoriais e os corvos do orgulho, inveja, maldade e ódio voarão para longe, porque querem apenas carniça. Pratique a renúncia a partir de agora, para que possa iniciar a jornada quando for chamado, pois você nunca sabe quando isso acontecerá.  Caso contrário, você estará em lágrimas, quando pensar na casa que construiu, nas propriedades acumuladas, na fama obtida e nas ninharias que ganhou. Saiba que tudo isso é por um momento efêmero. Desenvolva apego pelo Senhor, que estará com você onde quer que vá.” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

31 de outubro de 2018

“Cultive a proximidade a Mim em seu coração e você será recompensado. Então, você também receberá uma fração do Amor Supremo. Não perca o contato, nem a companhia. Somente quando o carvão entrar em contato com a brasa ardente, é que ele poderá também se tornar uma brasa ardente. Verdadeiramente, você é afortunado, abençoado com uma grande chance. Esta chance não aparecerá para você novamente, tenha cuidado. Se você não puder ou não atravessar o mar de sofrimentos agora, quando terá tal chance novamente? Engaje-se em disciplina espiritual, pensamentos e companhia espiritualizados. Deixe o passado seguir seu caminho. Pelo menos de agora em diante, busque salvar a si mesmo. Jamais ceda à dúvida ou à instabilidade. Não se abale mentalmente. Não permita o declínio da fé. Isso apenas aumentaria o sofrimento que você já está experimentando. Mantenha-se firme: esse deve ser o seu voto.” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.