Pensamento para o dia - outubro 2017

 

1° de outubro de 2017

“Você pode resgatar sua vida apenas quando entender de onde veio, sua função e seu destino. Para realizar isso, primeiro aprenda o uso justo de seus órgãos sensoriais (Indriyas). Por exemplo, considere suas narinas. Elas são projetadas para serem usadas ​​para respirar e cheirar objetos e descartar o que tiver mau cheiro. Você já percebeu que o processo respiratório também transmite uma mensagem espiritual significativa quando você inala e exala o ar a cada segundo? Isso contém o precioso mantra, 'So-hum', que se chama Hamsa Gayatri e é a essência do não-dualismo (Advaita). So-Ham deve lembrá-lo da mensagem de identidade entre Deus (So) e você (Aham). Por que você esquece isso e, em vez de usar o nariz para objetivos sagrados, usa-o para cheirar rapé? Ao abusar, você torna isso a causa principal de várias doenças respiratórias. A maioria das doenças que as pessoas sofrem hoje é devida ao uso dos órgãos sensoriais para fins impróprios. Por isso, reconheça o papel crítico dos sentidos e use-os com retidão.”  (Discurso Divino, 6 de outubro de 1997)

Sathya Sai Baba

2 de outubro de 2017

“Putlibai, a mãe de Gandhi observou um voto em que ela não comeria até ouvir um cuco cantar. Um dia, ela esperou muito e o canto de um cuco não foi ouvido. Preocupado com o fato de sua mãe estar mantendo seu voto e não se alimentar, o jovem Gandhi foi atrás da casa e imitou um cuco cantando. Ele entrou e disse a sua mãe para comer pois o cuco tinha cantado. Mãe Putlibai sentiu-se muito triste ao saber que o filho estava mentindo. Ela gritou: "Ó Deus! Que pecado eu cometi para dar à luz um filho que não fala a verdade?" Percebendo o enorme sofrimento que ele causou a sua mãe ao proferir uma mentira, Gandhi fez um voto de que nunca mais cederia à falsidade. Mães, treinem seus filhos em valores morais e não negligenciem os erros de seus filhos. Vocês devem reformá-los sempre que se afastarem do caminho certo e recompensá-los por suas boas ações.” (Discurso Divino, 6 de maio de 2001)

Sathya Sai Baba

3 de outubro de 2017

“Nós adoramos Deus com flores, oferecemos adoração ritual (puja) e prestamos obediência. Há algo mais sagrado e superior que isso! É oferecer a Deus uma mente pura e boa conduta. Isso é chamado Paraa Bhakti. Ao adorar Deus com puja e flores, o aspirante espiritual permanece estacionário na jornada para Deus; deixar de ascender a uma posição mais alta é imprudente. As flores mundanas sempre desaparecem, perdem fragrâncias e desenvolvem odores desagradáveis. Em vez de adorar com flores mundanas, impermanentes e receber recompensas transitórias de Deus, adore-O com o que é duradouro para atingir um estágio muito superior. A primeira flor a oferecer a Deus é a não-violência (Ahimsa). A segunda é o controle dos sentidos (Dhama). A terceira é a compaixão por todos os seres vivos (Daya). A quarta é tolerância (Kshama). A quinta é a paz (Shanti). A sexta é o ascetismo (Tapas). A sétima é a meditação (Dhyana). E a oitava é a flor da Verdade (Sathya).” (Discurso Divino, 12 de maio de 1981)

Sathya Sai Baba

4 de outubro de 2017

“O mundo está cheio de tristezas e conflitos. Você tenta evitá-los e obtém um pouco de alegria e paz de alguma forma, ignorando o sofrimento e o desapontamento. Seus esforços são como cavar um poço em uma pilha de areia. Quanto mais profundo você cava, mais rápido ele desmorona e, então, você começa todo o processo em um lugar ligeiramente diferente! Quando pilhas de desejos sensuais o dominam e o arrastam até o sofrimento, você pensa em uma saída! A única maneira de obter alegria eterna é através de Bhakti (devoção). Esse é o melhor entre os yuktis (os caminhos ditados pela inteligência). Somente isso confere shakti (força). A semente da devoção cresce apenas em um terreno bem preparado. O método de preparação é dado nos Vedas. Ele anuncia claramente o código de conduta, o método de viver e os ideais a serem seguidos. Mantenha-se firme ao código de conduta. Mesmo que você não tenha sido capaz de estudar os Vedas, ouça as palavras daqueles que seguem seus ensinamentos e foram conquistados pela alegria dessa experiência!” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

5 de outubro de 2017

“As flores que você oferece no culto são criadas por você? Você traz flores que foram criadas pela Vontade (sankalpa) de Deus em alguma árvore ou jardim e oferece de volta ao próprio Criador. Qual é a grandeza em oferecer flores criadas por Deus e devolvê-las ao próprio Deus? Muitas pessoas se banham no Ganges, levam a água do Ganges para as palmeiras e a oferecem de volta ao próprio Ganges. Existe algum mérito nisso? Deixe-Me sugerir uma melhor alternativa para oferecer a Deus. Da árvore da sua vida, selecione os frutos que você cuidadosamente nutriu e cultivou, florescendo sob a forma de boas qualidades interiores e ofereça-os a Deus! Isto é algo excepcional! Para promover essas boas qualidades, talvez você tenha passado por vários problemas. Mas lembre-se, é através dos problemas que estas boas qualidades cresceram e sua mente agora, naturalmente, adquiriu a concentração divina!” (Discurso Divino, 12 de maio de 1981)

Sathya Sai Baba

6 de outubro de 2017

“Em templos ou casas, você pode ter visto pessoas que quebram cocos para oferecer a Deus. Se você tentar quebrá-lo, assim como caiu da árvore, você conseguirá? Não! A cobertura externa fibrosa deve ser removida para primeiro expor a semente. A fibra protege a semente e a deixa crescer, evitando os golpes do ambiente. A libertação resulta de quebrar a mente cheia de caprichos e desejos. Mas como você pode quebrá-la quando a armadura fibrosa dos desejos sensuais a engloba? Então, com cuidado e persistência, remova-os e dedique sua mente a Deus! Quebre-a em Sua presença. Nesse exato momento, você estará liberto! A fibra mais resistente é a raiva. É realmente a sujeira mais pegajosa! Quando você se irrita, esquece tudo e rapidamente desce à mais baixa profundeza. Você perde todo discernimento durante a agitação. Fique atento! Cultive as virtudes assiduamente. A virtude é sua respiração vital, o caráter é a espinha dorsal.” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

7 de outubro de 2017

“Ofereça a flor da não-violência (ahimsa) a Deus. Consideramos que ahimsa significa não causar dano e não ferir outros seres vivos. O verdadeiro significado de 'Ahimsa' é não causar ferimentos e danos por meio de pensamentos, palavras ou ações. O controle de seus órgãos sensoriais é outra flor que deve ser oferecida a Deus. Nossos sentidos funcionam sem qualquer controle. Se os cavalos que estão correndo não são controlados, eles representam um perigo. Deus criou cada órgão do corpo humano para um propósito específico. Somente quando usarmos esses órgãos sensoriais no caminho correto para o qual foram criados, é que teremos direito à graça de Deus. Nossa força interior diminuirá rapidamente com agitação ou tristeza desnecessária. O corpo também sofre de doenças devido a agitações mentais e distrações. A pessoa envelhece muito rapidamente por meio de emoção e tristeza. A razão de você não preservar este instrumento sagrado em condição adequada é a falta de controle sobre esses órgãos sensoriais. Portanto, a segunda flor do controle sensorial deve ser usada para adorar a Deus.” (Discurso Divino, 12 de maio de 1981)

Sathya Sai Baba

8 de outubro de 2017

“Uma fraqueza fatal que a maioria das pessoas se vê atraída é "Dambha" (presunção, egoísmo ou orgulho), o desejo de ser falado, de ser louvado! As pessoas se deleitam em ecoar suas conquistas e capacidades. Elas desejam que seus nomes e ações sejam publicados nos jornais diários em grandes letras destacadas para todos verem. Não se apaixone por este clamor! Isso realmente torna a pessoa ridícula e lamentável. Não se esforce para chamar a atenção nos jornais. Em vez disso, você deve se esforçar para ganhar status no reino de Deus. Ganhe fama na companhia dos bons e piedosos, progrida na humildade e na reverência aos anciãos e aos pais. Se você está sempre preso na classe primária repetindo os alfabetos, quando você entenderá o ensinamento dos estudiosos das escrituras? O assunto espiritual está fora do alcance de seus sentidos e você deve adquirir força para escutar e apreciá-lo profundamente em sua mente. Desejo que você o pratique e viva em alegria!” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

9 de outubro de 2017

“Ao ampliar seu coração e torná-lo maior e maior, você deve torná-lo tão grande quanto o próprio Deus. Um balão, em sua fase inicial, é pequeno. Se você continuar soprando ar, torna-se cada vez maior e mais tarde explode. Embora comece com as ideias de "eu" e "meu", se você finalmente se mudar para o lugar, "todos são meus e todos são um", gradualmente você se tornará mais amplo em sua visão, e então você explodirá e se fundirá em Deus que é onipresente. Você deve reconhecer a verdade de que sua vida deve consistir em fazer a jornada da posição de "eu" para a posição de "Nós". Se a todo tempo você simplesmente permanecer no lugar de "eu", você permanecerá onde você está. Esta criação é como a ponte que liga o homem com Deus. "Eu" é uma colina. "Deus" é outra colina. A ponte entre os dois é o aspecto da criação. Se você quebrar e destruir a ponte, você nunca pode chegar ao destino. Espero que você mergulhe na sociedade e faça serviço, e use assim a ponte para alcançar Deus.” (Discurso Divino, 12 de maio de 1981)

Sathya Sai Baba

10 de outubro de 2017

“Quando você vai a um templo, você vê o ídolo e, muito em breve, seus pensamentos estão com o calçado que você deixou no lado de fora do portão! Este pensamento simples revela a profundidade da concentração que você alcançou. A menos que cuide de cada aspecto, você não pode experimentar os benefícios de suas práticas espirituais (sadhana)! Um pote cheio de água com um, alguns ou muitos buracos é inútil para transportar ou armazenar água, não é? Portanto, você não pode alcançar a libertação simplesmente indo para lugares sagrados, ou vendo, tocando e conversando com grandes almas. Você deve colocar todo o seu esforço para seguir as instruções e os comandos. Seguindo o caminho de Radha, Meera, Gouranga e Thukaram, você deve sentir uma afinidade inseparável com o Senhor, tão inseparável como o mar e a onda. Lembre-se, você é realmente a mesma essência, o mesmo sabor, a mesma qualidade que o mar, embora você tenha o nome e a forma da onda.” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

11 de outubro de 2017

“A flor da "compaixão por todos os seres vivos" (Sarvabhute Daya Pushpam) é muito querida por Deus. Da semente da Divindade cresce a árvore da criação. Nesta árvore, os frutos são seres humanos que são Jeevatma. Em cada um desses frutos humanos, a Divindade está presente como uma semente. Na Bhagavad Gita, o Senhor Krishna disse: "Beejam Maam Sarva Bhutanam" (Eu sou a semente em todos os seres vivos na forma de Atma, a Alma). Reconhecendo a verdade de que Deus está presente na forma de Atma em todos os seres vivos, ser compassivo com todos é o que Deus espera de você todos os dias. Deus ama muito a flor da tolerância (Kshama). É verdadeiramente a mais elevada qualidade de um ser humano. Muitas vezes você desenvolve ideias estreitas, pensando em "eu", "minha família", e trata os outros como diferentes de "eu". Quando você realmente ama, você desenvolve paciência e tolerância. Expanda seu amor para abranger todos os seres vivos, isso irá frutificar como tolerância.” (Discurso Divino, 12 de maio de 1981)

Sathya Sai Baba

12 de outubro de 2017

“A águia é incomodada pelos corvos enquanto ela tiver um peixe em seu bico. Eles a atacam para roubar o peixe de seu bico. Eles perseguem o pássaro onde quer que ela pouse para descansar um pouco. Por fim, ela abandona o apego ao peixe e o deixa cair do seu bico; os corvos voam atrás dele e deixam a águia livre. Portanto, deixe os prazeres sensoriais e os corvos de orgulho, inveja, malícia e ódio irem voar para longe. Pratique a renúncia de agora em diante para que você possa partir para a jornada quando receber o chamado. Ninguém sabe quando isso acontecerá. Porém, nesse momento, você estará em lágrimas quando pensar na casa que construiu, na propriedade que acumulou, na fama que reuniu, nas bagatelas que obteve, e assim por diante. Saiba que tudo isso é por um momento fugaz. Desenvolva o apego pelo Senhor, que estará com você onde quer que vá. Apenas os anos que você viveu com o Senhor devem ser contados como vida, o resto é tudo fora da contagem.” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

13 de outubro de 2017

“Imagine que seu filho e empregado estejam em casa. Se o seu filho estiver roubando algumas coisas ou desenvolvendo maus hábitos, você tentará controlá-lo corrigindo, repreendendo e persuadindo-o a retornar aos bons caminhos, mas nunca o levará e o entregará à polícia - certo? Por outro lado, se o seu empregado roubar uma pequena colher, imediatamente você considerará entregá-lo à polícia, não é? Qual é o significado interno dessa situação? O motivo da diferença de comportamento é a ideia estreita de "esse menino é meu filho". Porque o empregado não lhe pertence, não há consideração por tolerância e paciência! Cultive a ideia ampla: "todo mundo é meu", então, o amor, a paciência e a tolerância crescerão abundantemente.” (Discurso Divino, 12 de maio de 1981)

Sathya Sai Baba

14 de outubro de 2017

“Desenvolva o amor divino (Prema) em relação ao Senhor, a Personificação do Amor Divino Supremo. Nunca dê lugar a dúvidas, hesitações e perguntas para testar o amor do Senhor. "Por que meus problemas não acabaram? Por que esta situação está acontecendo comigo?" Não pense que Deus não se preocupa com você ou Ele não o conhece. Você pode não obter o que quiser, quando quiser, mas não tenha a impressão de que Deus não o ama ou se importa com você. Não deixe a mente agitada; nunca permita que a fé decline. Isso só aumentará o sofrimento que você já padece. Agarre-se a sua divindade escolhida - Shiva, Rama ou Sai Baba. Não perca o contato e a companhia, pois somente quando o carvão está em contato com as brasas vivas é que ele também pode se tornar uma. Cultive a proximidade Comigo em seu coração e você será recompensado com uma fração do Amor Divino Supremo.” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

15 de outubro de 2017

“Deus ama a flor da paz (Shanti). Esta flor de paz não deve ser interpretada como ficar calado em relação a quem o está atacando ou acusando-o. Não é nada disso! Se você é impassível e imperturbável apesar de alguém encontrar falhas em você, isso é Shanti verdadeira. Se você pode preencher seu coração com amor, você sempre será pacífico. Pelas nossas próprias características ruins, perdemos a paz. Com pensamentos verdadeiros, você terá paz. Com pensamentos falsos, você perde a paz. É somente quando você está livre de todos os pensamentos que pode ter paz verdadeira. Os seus próprios pensamentos ruins são responsáveis por toda a sua dor e tristeza. Pelos bons pensamentos e ideias, você se tornará um sadhu (santo). Sadhu não significa aquele que simplesmente usa um manto laranja, raspa a cabeça e usa contas de santos (Rudrakshas). Toda pessoa que tenha bons pensamentos e boas ideias é um sadhu.” (Discurso Divino, 12 de maio de 1981)

Sathya Sai Baba

16 de outubro de 2017

“Envolva-se agora em disciplina espiritual, pensamentos espirituais e companhia espiritual. Esqueça o passado. Pelo menos a partir de agora, procure salvar-se. Nunca ceda à dúvida ou insegurança. Isso é um sinal de ignorância. Tenha fé em qualquer Nome e na Forma indicada por esse Nome. Se você reverencia Shiva e odeia Vishnu, o mais e o menos se cancelam e o resultado líquido é zero. Não tolerarei o menor ódio de qualquer Nome ou Forma. A esposa deve reverenciar o marido, mas isso não significa que ela tenha de odiar seus pais, irmãos ou irmãs. Você nunca pode alcançar o Senhor pelo ódio por uma ou mais de Suas muitas Formas e Nomes. Se você despreza o Deus que outro reverencia, o desprezo recai em seu próprio Deus. Evite facções, briga, ódio, desprezo e busca por falhas. Isso recai em você. Lembre-se que qualquer um é um peregrino em direção ao mesmo objetivo. Alguns viajam por uma estrada, alguns por outra.” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

17 de outubro de 2017

“Quando as características de um asura (demonio) entram em nara (homem), ele se torna Narakasura. Em tal pessoa, você encontra apenas características ruins e sentimentos malignos. Tal pessoa não se junta à companhia do nobre e não faz esforços para alcançar Deus, mas faz amizade apenas com pessoas perversas. Tal mentalidade é a consequência de ações malignas sobre uma série de nascimentos. Ravana adquiriu todo tipo de conhecimento, como Rama. Mas, ao contrário de Rama, ele se juntou a má companhia, acolhendo maus pensamentos e permitindo atos perversos. Por isso, as pessoas reverenciam Rama e abominam Ravana. A pessoa é reverenciada ou ridicularizada com base na sua conduta. Compreenda que ninguém deve levar uma vida egocêntrica. Onde quer que ocorra uma boa atividade, onde quer que seja realizada uma reunião de oração, participe com entusiasmo. As escrituras nos guiam: ‘Abandone a má companhia. Junte-se à companhia do nobre. Execute ações meritórias de dia e de noite’." (Discurso Divino, 4 de novembro de 2002)

Sathya Sai Baba

18 de outubro de 2017

“Narakasura está presente em todos como luxúria, ódio, ganância e como medo e sofrimento, que são contra a própria natureza da humanidade. Assim como um guarda-chuva com uma cobertura de seda não pode protegê-lo da chuva, mas aquele com uma capa à prova d'água pode, do mesmo modo, neste mundo dominado por tempestades, incessantemente aplacado por chuva torrencial, um guarda-chuva com revestimento à prova de desejo e raiva é muito essencial. Existe um grande poder latente intrínseco a todos e, quando esse poder se torna explícito (vyakta), um ser humano merece ser chamado de indivíduo (vyakti). Quando as qualidades latentes do seu interior se manifestam, os demônios serão automaticamente destruídos. Sua realidade é o Atma, sua característica é a bem-aventurança (ananda). Krishna é o Ser Superior ou Total (Paramatma) e Satyabhama (consorte de Krishna) representa o eu individual (jiva). Neste dia auspicioso, Paramatma destrói as propensões do mal com a colaboração ativa do eu individual. Lembre-se, o eu individual pode derrotar o mal com a graça ativa do Senhor.” (Palavras de Sathya Sai, Vol. 3, dezembro de 1963)

Sathya Sai Baba

19 de outubro de 2017

“Não se deixe levar pelas opiniões dos outros - boas ou ruins. Desenvolva sua própria linha de pensamento, com base na sua consciência. Desenvolva autoconfiança. Onde há autoconfiança, haverá autossatisfação. Onde há autossatisfação, haverá auto sacrifício. E através do auto sacrifício vem a auto realização. A autoconfiança é a base do edifício; permanece abaixo da superfície da terra. A autossatisfação representa as paredes, o auto sacrifício é o telhado, e a vida nesta casa é auto realização. Sem a base da autoconfiança, a auto realização não pode ser alcançada. Portanto, crie sua autoconfiança lentamente. Nesse processo, comece cedo, dirija lentamente e alcance seu objetivo de auto realização de forma segura. Em primeiro lugar, desenvolva amor. É mais fácil cultivar o amor do que todas as outras qualidades. Não há nada neste mundo que não possa ser alcançado com amor.” (Discurso Divino, 4 de novembro de 2002)

Sathya Sai Baba

20 de outubro de 2017

“Qual é exatamente o significado de 'Sai Baba'? Sai significa Sahasrapadma (lótus com milhares de pétalas), significa Sakshatkara (realização ou experiência direta do Senhor), Ayi significa mãe, e Baba significa pai. Assim, 'Sai Baba' significa Ele que é pai e mãe e o objetivo de todo esforço yóguico; a Mãe sempre misericordiosa, o Pai todo sábio e o objetivo de todos os esforços espirituais. Meu advento é estabelecer a retidão (dharma samsthapana). Quando você está tateando em uma sala escura, você deve aproveitar a chance quando alguém traz uma fonte de luz para a sala. Você deve apressadamente coletar seus pertences espalhados lá, ou descobrir onde eles estão localizados, ou fazer o que você precisa fazer com a luz. Da mesma forma, faça o melhor com essa oportunidade quando o Senhor desce na forma humana e salve-se do desastre. A importância indevida que você agora atribui à satisfação dos desejos sensuais deve diminuir como resultado de sua associação com livros sagrados e personagens santos.” (Discurso Divino, 26 de fevereiro de 1961)

Sathya Sai Baba

21 de outubro de 2017

“Não corra atrás de todos os que repetem materiais de livros didáticos e usam o manto de faquir (mendicante). Examine sua conduta diária, seus motivos, seus conselhos e a relação entre o que eles dizem e fazem. Fique atento à sua fé. Não mude sua lealdade assim que algo fortuito acontece ou que alguém sussurre sobre outra pessoa! Não retire a imagem de Sai Baba da parede e coloque alguma outra imagem na sua primeira decepção. Deixe tudo com ele. Deixe que Sua vontade seja realizada - essa deve ser sua atitude. A menos que você experimente o difícil e o fácil, como você pode se fortalecer? Acolha a luz e a sombra, o sol e a chuva. Não pense que apenas aqueles que adoram uma foto ou uma imagem com pomposa parafernália são devotos. Quem anda reto pelo caminho moral, quem age conforme fala e fala como se vê, quem se enternece pelo sofrimento do outro e exulta pela alegria do outro - esses são devotos, talvez devotos maiores.” (Discurso Divino, 26 de fevereiro de 1961)

Sathya Sai Baba

22 de outubro de 2017

“O nascimento humano é muito sagrado e raro (Jantunam nara janma durlabham). A palavra manava (ser humano) também significa aquele que é sagrado. Por que recorremos a degradar um ser humano tão sagrado? As pessoas defendem várias coisas boas e sagradas, mas quando se trata de praticar, elas recuam. Quando surge um conflito entre preceito e prática, você deve ter a coragem de enfrentar a situação e fazer todos os esforços para seguir o caminho sagrado. Você, em sua vida cotidiana, encontrará várias pessoas com más características e comportamento incorreto. Não se junte à companhia delas. Ofereça-lhes uma saudação (namaskar) e afaste-se. Você pode perguntar, por que devemos oferecer saudações a pessoas doentias. Saudamos pessoas boas, de modo a não perder sua companhia. Nós também saudamos as pessoas más pedindo que elas se afastem de nós. Devemos nos juntar à companhia de pessoas boas, cultivar boas qualidades e levar uma vida boa, santificando assim essa preciosa vida.” (Discurso Divino, 4 de novembro de 2002)

Sathya Sai Baba

23 de outubro de 2017

“A flor do ascetismo (Tapas Pushpam) é muito apreciada por Deus. O ascetismo não exige que você abandone sua esposa e filhos, vá até uma floresta e coloque a cabeça para baixo e os pés para cima - isso não é tapas! Para praticar tapas verdadeiro, devemos abandonar nossos pensamentos ruins assim que ocorrerem! A coordenação de pensamento, palavra e ação é tapas. Quaisquer pensamentos que surjam em sua mente, expressá-los como palavras e colocá-los na prática como seu trabalho é verdadeiro tapas. É neste contexto que as escrituras revelam: "Manas Ekam, Vachas Ekam, Karmanyekam Mahatmanam - a pessoa que pode coordenar seus pensamentos com suas palavras e suas palavras com seus atos é de fato uma grande alma (Mahatma)." Abandone os maus pensamentos de sua mente - isso é sacrifício! Esse sacrifício se tornará yoga (caminho espiritual). Lembre-se, abandonar a própria propriedade e a esposa e ir para a floresta não é yoga!” (Discurso Divino, 12 de maio de 1981)

Sathya Sai Baba

24 de outubro de 2017

“Sentar-se na postura de lótus (padmasana) e fazer a Kundalini shakti (energia espiritual) subir do Mooladhara (plexo basal) ao Sahasrara (a protuberância no topo da cabeça) não é dhyana (meditação). A verdadeira meditação consiste em reconhecer a presença de Deus em todos os tipos de trabalho que você faz em sua vida diária. Deus é o habitante de todos. Tentar confinar Deus a um lugar que você escolher não é meditação! De acordo com a nossa cultura, primeiro fazemos reverência ao trabalho que temos de fazer. Antes de empreender qualquer trabalho, devemos considerar esse trabalho como Deus. É isso que os Upanishads nos ensinam: "Tasmai Namaha Karmane - Saúdo o trabalho que tenho que fazer e adoro Deus nessa forma". Você já viu uma pessoa que toca tabla ou harmônio? Antes de começar a tocar, ele faz reverência ao instrumento. Considerar toda a criação como a forma de Deus e desempenhar seu dever nesse espírito é a verdadeira meditação.” (Discurso Divino, 12 de maio de 1981)

Sathya Sai Baba

25 de outubro de 2017

“Existem duas qualidades em cada pessoa. Uma é a natureza animal, a outra é a humanidade. Infelizmente, as pessoas estão esquecendo sua humanidade ao cair presas dos seis inimigos da luxúria, da ira, da ganância, da inveja, do apego e do orgulho, e do mal-uso dos talentos dados por Deus. Elas se degradam assim ao nível de um animal. Por outro lado, deve-se usar a mente, o status e os talentos de uma pessoa para se tornar virtuoso, seguir o caminho da retidão e se esforçar para se elevar do humano ao Divino. Todas as coisas do mundo devem ser usadas corretamente e não incorretamente. Uma faca pode ser usada para cortar vegetais ou a garganta de alguém. Como uma faca é usada depende de quem a usa. O estado mental da pessoa deve estar em condições adequadas. A conduta de uma pessoa está relacionada aos seus pensamentos e sentimentos. O coração é inerentemente puro. Mas os pensamentos de alguém podem manter essa pureza ou poluí-lo. Pode-se construir ou destruir o próprio destino pelos seus pensamentos e ações.” (Discurso Divino, 16 de julho de 1997)

Sathya Sai Baba

26 de outubro de 2017

“O Senhor se manifestará quando o pilar for dividido com a espada do anseio. Hiranyakashipu fez isso e imediatamente o Senhor apareceu dentro desse pilar. O Senhor não se escondeu no pilar antecipando a contingência. Ele está em toda parte e, assim, Ele também estava lá. A lição que Hiranyakashipu aprendeu foi que o deha-tatwa deve ser dividido se o dehi-tatwa for revelar-se. Ou seja, a consciência do "eu-sou-o corpo" deve desaparecer se a consciência de "eu-sou-a Personificação" for emergir. Enquanto você estiver na consciência dehi (eu-sou-a Personificação), nenhuma dor ou tristeza, orgulho ou egoísmo podem lhe prejudicar. Uma pequena quantidade de água do mar mantida separadamente em uma garrafa cheirará mal em alguns dias. Enquanto estiver no mar, nada a afeta. Esteja no mar, como parte dele. Não se individualize e se separe. Não sinta que você é o corpo (deha), separado do Morador (dehi).” (Discurso Divino, 29 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

27 de outubro de 2017

“Todos têm a Divindade embutida em si, bem como a Verdade e a doçura. A única questão é que não se sabe como manifestar essa Divindade, bem como perceber essa Verdade e provar essa doçura. Então, a pessoa carrega os fardos duplos de alegria e tristeza amarrados aos extremos de um único bastão pendurado em seus ombros. Coragem é o tônico para obter tanto saúde mental como física. Abandone dúvida, hesitação e medo. Não dê qualquer chance para que estes busquem raiz em sua mente. Por meio de sua força divina interior, as pessoas podem conseguir qualquer coisa; elas podem até se tornar Deus. Para ajudá-lo a abandonar o medo e a dúvida, mantenha o Nome do Senhor sempre na sua língua e na sua mente e alimente-se das formas infinitas do Senhor e de Sua ilimitada glória. Apegue-se a Ele. Então, seu apego a esses objetos temporários ruirá ou, pelo menos, você começará a vê-los em sua proporção adequada, como tendo apenas uma realidade relativa.” (Discurso Divino, 02 de setembro de 1958)

Sathya Sai Baba

28 de outubro de 2017

“O deha, o corpo, é apenas um instrumento para realizar o Dehi ou o Morador. Perceber sua unicidade com o Dehi deve ser seu deeksha ou busca constante. E esta busca deve se expressar na prática como disciplina e treinamento dos sentidos (Nishtha e Sikshana). Água e fogo individualmente não podem mover um trem; ambos devem cooperar para produzir uma terceira coisa - vapor. O vapor move o motor para a frente. Querosene e ar devem unir-se tanto para formar o gás que se inflama na lâmpada a petróleo quanto para dar luz. O yoga é explicado como chitta vritti nirodha - a contenção das agitações mentais. Significa também a União que é possível quando as agitações mentais são frustradas e a equanimidade é alcançada. Devoção, sabedoria ou ação (Bhakti, Jnana ou Karma) devem levar à conquista da equanimidade. De outra forma, são simplesmente uma farsa. O controle da mente irá levá-lo ao posto de vencedor.” (Discurso Divino, 29 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

29 de outubro de 2017

“Atma-Rama, o Rama que confere alegria eterna, está presente em seu coração. Então, repita Seu nome, ele é o Sol que pode fazer florescer o lótus em seu coração. Rama não é filho do imperador Dasaratha, mas o governante dos seus dez sentidos (dasendriyas). A recitação do nome de Rama deve se tornar tão automática, frequente e essencial como a respiração. As sílabas fundamentais de Rama são do mantra Shiva e Narayana, pois é composto pelas segundas sílabas de ambos: Na-ra-yana e Na-mah-sivaya. O nome Rama dá-lhe poder e todo capital espiritual que você precisa. Ele tem uma forma também, e você deve visualizar a forma quando repetir o nome; então, o nome torna-se concreto e sua lembrança é mais fácil. Viva sempre na presença desse nome preenchido pela forma. Então a vida se torna uma adoração contínua ao Senhor.” (Discurso Divino, 02 de setembro de 1958)

Sathya Sai Baba

30 de outubro de 2017

“A preocupação e o sofrimento de uma forma ou de outra estarão sempre lá, no passado, no presente e no futuro, ao caminhar, sonhar e dormir. Mas coloque a fé no Senhor e faça suas tarefas dedicando-as a Ele e as preocupações e sofrimentos desaparecerão definitivamente! Lembre-se do Senhor com gratidão pelo menos três vezes, ou mesmo duas vezes por dia; isso lhe dará grande paz. Não desista dos seus deveres mundanos, mas faça-os com o nome de Deus em seus lábios. Não se envolva nos assuntos dos outros para não ficar preso a eles ao ponto de não poder se libertar. Passe seu tempo na contemplação das belezas da natureza, que se espalham diante de você na terra e no céu - adoráveis ​​extensões verdes, brisas tranquilas e alegres, o panorama de nuvens coloridas e a música dos pássaros. Cante as glórias de Deus ao caminhar. Não fale com ódio, não fique com raiva, não perturbe o céu com seus gritos e maldições, e não polua o ar com clamores vingativos.” (Discurso Divino, 2 de setembro de 1958)

Sathya Sai Baba

31 de outubro de 2017

“Você é julgado por sua disciplina espiritual não pelo número de templos que você foi ou pela quantidade e o custo das oferendas que ofertou lá. Não calcule o tempo que gastou na companhia do Nome do Senhor e exulte! Calcule o tempo que desperdiçou longe desse contato e se arrependa. Tenha o nome do Senhor em seus pensamentos e você poderá enfrentar qualquer calamidade! Lembre-se de como a mãe Sita desafiou as provocações, insultos e torturas dos agressores em Lanka. O que lhe deu vigor mental? Era o nome do Senhor (Rama nama) e nada mais. Desejo e raiva (Kama e krodha) não podem coexistir com a verdadeira devoção a Deus. Sua devoção a Deus deve ser sincera e estável. Bhakti não é uma questão de contas e barbas, nem a adoração consiste em flores e cânfora! A planta jovem da devoção deve ser cuidadosamente irrigada, capinada, adubada e borrifada com pesticidas para produzir uma colheita de amor, paz e alegria.” (Discurso Divino, 29 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.