Pensamento para o dia - novembro 2019

1° de novembro de 2019

“As pessoas estão desejando excessivamente saber sobre a vida dos outros. Elas querem fugir de si mesmas se interessando pelos outros. Elas não querem se preocupar com os detalhes de sua própria vida, com seus próprios problemas ou refletir para se reformar e reabilitar! Qual benefício se obtém de toda sobrecarga de informação que você procura levar em sua mente e do conhecimento das várias regiões do mundo, quando você não tem conhecimento do seu próprio eu, que é verdadeiramente o centro de todos os seus interesses? Não adianta andar por todo o mundo, entrar em contato com pessoas de várias raças e se envolver com ganhos e gastos sem poder conhecer sua própria identidade! Internalize e compreenda que a árvore do corpo humano somente alcança a realização quando produz amor (prema). Esse doce presente é a razão pela qual ela cresce e deve ser nutrida sempre!” (Discurso Divino, 12 de agosto de 1963)

Sathya Sai Baba

2 de novembro de 2019

“Enquanto a vida persistir, você será pego em altos e baixos, bom e mau, certo e errado. A dualidade é inevitável e é até necessária. No entanto, para desfrutar do doce fruto do amor, você deve tirar a casca da raiva, malícia, inveja e ganância. Use a amargura em você para preservar e desenvolver a doçura dentro de si. A partir da experiência de santos e sábios, você pode perceber que a alegria obtida do mundo externo é infinitesimal, quando comparada com a bem-aventurança conquistada pela disciplina espiritual. Para conquistar essa felicidade, é essencial esforço espiritual com desapego. Para extrair água da terra por meio de um furo, o cano deve estar livre de ar, para que a água suba. Se o ar entrar, a água não subirá. Da mesma forma, certifique-se de que o apego às coisas do mundo não estrague seus esforços espirituais. O amor não brotará se prazeres sensuais e orgulho pessoal invadirem a mente!” (Discurso Divino, 12 de agosto de 1963)

Sathya Sai Baba

3 de novembro de 2019

“Uma pessoa que chora porque foi mordida por uma serpente no sonho pode ser curada simplesmente ao ser acordada! Não há necessidade de um médico. Assim também, quando Arjuna – que sofria de ignorância (ajñana) – recebeu conhecimento espiritual (jñana), ele se recuperou e cumpriu seu dever. A dor e a serpente desaparecerão quando o sonhador ‘acordar’. Para abrir uma porta, você deve girar a chave para a direita. Da mesma forma, você deve se voltar para Deus e para a retidão no seu interior, então a fechadura do seu coração se abrirá e a corrente da escravidão cairá. Gire a chave para a esquerda e você ficará preso quando a porta for trancada! Para este despertar espiritual, a principal necessidade é fé em Deus e fé em si mesmo. Você pode mover montanhas se apenas conquistar sua mente! Limite seus sentidos e use seus instrumentos através de canais úteis. Isso resultará em felicidade para você e outras pessoas.” (Discurso Divino, 12 de agosto de 1963)

Sathya Sai Baba

4 de novembro de 2019

“Testes são evidências da graça e não da raiva. O aspecto terrível de Deus não é terrível em essência. Deus é descrito como Raso vai sah: Ele é a própria doçura. Como a doçura pode se tornar amarga? A Divindade é um espelho impecavelmente limpo. Você vê nele seu próprio reflexo. Quando você tem tendência ao que causa terror, o reflexo que você vê o assusta. Quando você tem tendência ao que é suave e inofensivo, o reflexo será afetuoso e agradável. Não culpe Deus, como a maioria das pessoas faz. Quando tudo dá certo, você diz que Deus está muito perto de você. Quando algo dá errado, você diz que Deus o abandonou e se afastou! Ele nunca se move nem para longe, nem para perto. A distância d’Ele para você é exatamente a mesma distância entre você e Ele. Ele está em todos os lugares. Ele está sempre em seu coração. Reconheça-O lá. Compreenda que Ele é o mais íntimo e o mais próximo de você. Ele é o seu próprio Ser, nem terrível nem afetuoso, mas simplesmente ‘é’.” (Discurso Divino, 30 de maio de 1974)

Sathya Sai Baba

5 de novembro de 2019

“A riqueza material traz consigo não apenas alegria, mas também tristeza. A acumulação de riquezas e a multiplicação de desejos só levam à alternância entre alegria e sofrimento. O apego é a causa raiz da alegria e do sofrimento. O desapego é o salvador. Apego (ashakti) é morte (maraka). O desapego (anashakti) é o salvador (tharaka). Um milionário paga imposto de renda com lágrimas nos olhos. Mas um diretor renuncia alegremente aos móveis e equipamentos do laboratório de sua escola quando é transferido para outro lugar. Por quê? Porque o diretor sabe que ele é apenas o zelador, não o proprietário. Ele não está apegado a esses objetos. Ele sabe que eles pertencem ao governo. Da mesma forma, perceba que sua família, sua casa, seus terrenos, seu carro etc. são todos propriedades do Senhor e que você é apenas o administrador. Esteja pronto para abrir mão deles a qualquer momento, sem murmurar.” (Discurso Divino, 19 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

6 de novembro de 2019

“Se você permanecer acordado por doze horas no Shivaratri (festival do Senhor Shiva) devido a uma doença, a vigília não conquistará Seu agrado. Se você brigar com sua esposa e deixar de comer por um dia inteiro, isso não será registrado no livro de Deus como um jejum. Lembre-se, nenhum desfrutador (bhokta) pode ser um devoto (bhaktha). Ninguém com olho no lucro obtido do serviço a Deus poderá ser um verdadeiro devoto. As pessoas louvam Rama até as alturas um dia e no dia seguinte O condenam, quando a fortuna delas se acaba. Da mesma forma, aqueles que declaram ‘Meu Deus é grandioso e os dos outros são pequenos’ não conhecem os elementos da disciplina espiritual e são inaptos para entrar no campo do serviço espiritual. Dinheiro (dhana) é a moeda do mundo. Disciplina espiritual (sadhana) é a moeda do espírito. O Senhor busca por pureza, sinceridade, simplicidade e felicidade permanente no sadhana, na contemplação de Seu nome e forma.” (Discurso Divino, 19 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

7 de novembro de 2019

“O Sol refulgente pode ser visto apenas com sua própria luz. Da mesma forma, somente através da graça de Deus você pode obter uma visão do Divino. Nenhuma habilidade, esforço intelectual ou conhecimento é necessário para experimentar Deus. Assim como as nuvens podem obscurecer o Sol, as nuvens do egoísmo, apego e ódio impedem que se veja o Divino. Oração e disciplina espiritual (sadhana) são os meios pelos quais essas nuvens são dispersas. Sadhana é a estrada majestosa para alcançar o Divino. A constituição humana é uma mistura de boas e más características. Aquele no qual os bons traços predominam tende a ver apenas o bem nos outros. Aqueles que têm a visão equânime veem as boas e más qualidades de maneira imparcial. É necessário, portanto, cultivar boas qualidades. O mundo deve ser visto como a imagem refletida do Divino. Todos os atos devem ser feitos como uma oferta ao Divino.” (Discurso Divino, 11 de fevereiro de 1983)

Sathya Sai Baba

8 de novembro de 2019

“Compreenda que a comida que você come é auspiciosa (Shivam) quando é consumida de maneira inteligente e em quantidades moderadas. Ela se torna perigosa (Rudram) e com efeitos devastadores, se consumida com ganância e em proporções inadequadas. De fato, qualquer coisa ou pensamento que obstrua o fluxo de bem-aventurança divina (ananda) em qualquer situação, experiência ou ideia é Rudram. Todo passo em direção à limitação, regulação, controle, progresso e sublimação é Shivam (auspicioso, frutífero, benéfico). É o desejo que assombra um indivíduo que faz da comida um benefício ou uma desgraça. É a mente que escolhe o desejo e o direciona. Uma faca afiada pode ser usada para cortar uma fruta ou para esfaquear. Nas mãos de um cirurgião, ela pode salvar uma vida, ao invés de destruí-la. Nunca esqueça que sua própria mente pode libertá-lo da escravidão ou prendê-lo mais firmemente ao mundo objetivo. Ouça o Deus Onipresente que reside dentro de você como o Motivador Interno e permita que Ele o guie!” (Discurso Divino, 30 de maio de 1974)

Sathya Sai Baba

9 de novembro de 2019

“O poder do nome divino é incomparável. As pessoas costumam dar pouca atenção a esse fato. Elas confundem um pedaço de vidro brilhante com um diamante. O verdadeiro diamante é muito diferente! O que é esse ‘diamante real’? O nome de Deus é o verdadeiro diamante, que aniquila a mente! Portanto, mantenha-o protegido e procure refúgio aos pés de lótus do Senhor! Você é muito afortunado por participar do Akhanda Bhajan (canto devocional ininterrupto). É uma oportunidade grandiosa. Nunca perca a oportunidade de participar de bhajans (cantos devocionais). Se você fizer bom uso disso, sua vida será santificada. Depois de procurar refúgio n’Ele, nunca desista. Onde quer que você vá, os pés divinos o protegerão! Estabeleça firmemente o nome divino em seu coração e sua vida será santificada. Isso é devoção (bhakti). Esse é o seu poder (shakti). Isso é liberação (mukti). O Akhanda Bhajan Global é realizado todos os anos para lembrá-lo e reacender esse espírito!” (Discurso Divino, 13 de novembro de 2007)

Sathya Sai Baba

10 de novembro de 2019

“Encarnações do Amor Divino! Quando vocês cantarem o nome divino com amor, pelo menos uma vez, experimentarão uma felicidade inexplicável e avassaladora em seus corações. O nome divino derrete até uma pessoa de coração de pedra. Até o gelo leva um tempo para derreter, mas o coração de Deus derrete instantaneamente quando vocês cantam Seu nome com amor. Então, cantem o nome do Senhor. Mesmo enquanto viajam, vocês devem cantar o nome d’Ele silenciosamente, sem atrair a atenção dos outros. Em todos os lugares, em todos os momentos e sob quaisquer circunstâncias, vocês devem contemplar o sagrado nome de Deus (Sarvada sarva kaleshu sarvatra Rama chintanam). Não há maior exercício espiritual do que esse. A essência de todas as práticas espirituais está contida em cantar o nome do Senhor incessantemente. Na era das trevas (Kali yuga), cantar o nome de Deus é o único caminho nobre para se alcançar a liberação. Desenvolvam sentimentos nobres. Contemplem Deus com a fé inabalável de que Ele concederá tudo de que vocês precisam. Eu os abençoo para que conduzam suas vidas com amor, paz e felicidade!” (Discurso Divino, 14 de abril de 2003)

Sathya Sai Baba

11 de novembro de 2019

“Eu gostaria de dizer que não é o que você ouve que é benéfico, mas o que você coloca em prática diariamente. Desenvolva a renúncia às suas próprias necessidades e desejos. Examine cada um deles segundo o critério da essencialidade. Quando você empilha coisas em seu apartamento, você apenas intensifica a escuridão e a poeira. Portanto, também não junte nem armazene muitos materiais em sua mente. Viaje leve. Tenha apenas o suficiente para sustentar a vida e manter a saúde. O prato feito de lentilhas (pappu) deve ter apenas sal (uppu) suficiente para torná-lo saboroso, ou seja, não estrague o prato adicionando muito sal. Levar a vida se tornará muito difícil se você colocar muito desejo nela. Limite seus desejos à sua capacidade e, mesmo dentre esses, tenha apenas aqueles que garantirão uma alegria duradoura. Não corra atrás da moda e da aprovação do público, gastando seus recursos além do que pode repor. Além disso, atenha-se ao seu próprio dever (dharma) e ao código de conduta que regula a vida ou o estágio que você alcançou.” (Discurso Divino, 19 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

12 de novembro de 2019

“Por quanto tempo podemos tolerar um garoto que permanece na mesma série escolar? Ele deve passar de uma série para a seguinte, ano após ano. O aspirante espiritual também não deve se estagnar permanecendo em uma disciplina espiritual (sadhana). A partir do relacionamento mestre-servo com Deus, o aspirante deve avançar para o relacionamento corpo-membro e alcançar o estágio de fusão com o Onisciente. Em outras palavras, a partir do dualismo (dvaita), por meio do não dualismo condicionado (vishista advaita), o aspirante deve avançar ao monismo ou não dualismo (advaita). Nos estágios iniciais, o homem adora retratos ou imagens de Deus em todas as dezesseis formas de homenagem reverencial. No entanto, é necessário progredir dessa etapa para a conscientização do Atma. As flores perdem a cor e apodrecem rapidamente. O efeito do oferecimento de flores pode não durar muito. O que Deus mais ama são as flores que desabrocham na árvore da própria vida de uma pessoa, alimentadas e estimuladas por seus dons e sinceridade. Essas são as flores das virtudes cultivadas no jardim do coração.” (Discurso Divino, 6 de outubro de 1981)

Sathya Sai Baba

13 de novembro de 2019

“Ahimsa, a virtude da não violência, é a primeira flor virtuosa que Deus mais ama. Isso implica muito mais do que a abstenção de ferir seres vivos. Deve-se desistir de causar dor a qualquer ser vivo não apenas por ações, mas também por palavras e pensamentos. Não se deve alimentar qualquer ideia de magoar ou humilhar o outro. A segunda flor que Deus deseja é o controle e o domínio dos sentidos (indriya nigraham). Não se deve correr atrás do prazer sensual e da felicidade sensorial. A terceira flor que é muito querida ao Senhor é a compaixão (daya). A compaixão para com todos os seres vivos e todas as coisas agrada o Senhor (Sarvabhuta-daya), pois, em verdade, ‘Tudo é Deus’! Você deve sempre lembrar que as escrituras nos ensinam que a adoração e o respeito prestados a qualquer deus alcançam o Supremo (Sarva deva namaskaram Keshavam prati gacchati). Também deve ser observado com a mesma importância que a humilhação causada a qualquer ser vivo alcança o Supremo (Sarva jiva thiraskaram Keshavam prathigacchati)!” (Discurso Divino, 6 de outubro de 1981)

Sathya Sai Baba

14 de novembro de 2019

“Encarnações de amor! A Índia (Bharat) é o centro da verdade, retidão, moralidade, mérito, penitência e sacrifício (tyaga), e é dotada da riqueza da espiritualidade e bem-aventurança. É uma grande sorte para vocês ter nascido nessa terra sagrada. Queridos filhos, todos vocês devem viver de acordo com a reputação de filhos queridos (muddu biddalu) de sua pátria-mãe. Não se tornem filhos tolos (moddu biddalu) ou filhos maus (chedda biddalu). Sua pátria-mãe terá orgulho de vocês somente quando se tornarem nobres e exemplares. Vocês devem decidir nutrir valores espirituais e espírito de sacrifício. Considerem o serviço como seu dever. Serviço é Deus. A divindade pode ser experimentada apenas através do serviço. Por meio de uma investigação profunda, vocês saberão que estão em Deus, que Deus está em vocês e que vocês são Deus. Vocês devem ser capazes de entender e agir com a convicção de que são uma centelha do Divino!” (Discurso Divino, 14 de janeiro de 2000)

Sathya Sai Baba

15 de novembro de 2019

“A quarta flor a ser oferecida a Deus é kshama, que é tolerância ou força mental. Kshama também é verdade, justiça, conhecimento, sacrifício e alegria. Sem kshama, ninguém pode ser feliz nem mesmo por um único momento! Kshama promove as qualidades divinas e revela a Divindade dentro de você. Você deve realizar disciplina espiritual (sadhana) para conquistar kshama e se estabelecer nela. Alimente a ideia de que Deus está igualmente presente em todos, apesar da ridicularização dos ignorantes, das críticas sarcásticas dos cegos e até mesmo dos elogios dos admiradores. A quinta flor é a paz interior (shanti). Shanti não significa que, diante de qualquer coisa que digam ou de qualquer ato abusivo cometido, não se deve reagir. Não significa que se deve ficar calado como uma rocha. Shanti envolve o domínio de todos os sentidos e paixões. A paz interior deve se tornar a natureza de uma pessoa. Shanti tem o desapego como qualidade básica. O mar, que gosta de reunir e possuir, fica na parte inferior. A nuvem, que gosta de renunciar e desistir, está nas alturas do céu.” (Discurso Divino, 6 de outubro de 1981)

Sathya Sai Baba

16 de novembro de 2019

“A sexta flor, querida por Deus, é a austeridade (tapas). Austeridade não significa abandonar cônjuge e filhos, e fugir para a solidão da floresta. A verdadeira austeridade é a coerência completa entre o pensamento, a palavra e a ação. A pessoa má nunca poderá alcançar isso. Ela se comporta desonestamente consigo mesma. Quando uma pessoa obtiver sucesso com a austeridade, as palavras que proferir terão tanto poder que tudo o que disser se transformará em mantras! A sétima flor é a meditação (dhyana). Hoje existem muitos métodos de meditação! Lembre-se, sentar-se em silêncio e transferir suas emoções e sentimentos para Deus não é meditação. Com a ajuda de Deus, você deve sinceramente transmutar suas emoções, desejos e sentimentos em qualidades Divinas. Isso é a verdadeira meditação! Com a ajuda da sua meditação, você não deve trazer Deus ao seu nível, mas sim, se elevar ao nível Dele!” (Discurso Divino, 6 de outubro de 1981)

Sathya Sai Baba

17 de novembro de 2019

“A oitava flor que Deus ama com ternura é a verdade (satyam), aquela que não é modificada pela passagem do tempo. Somente Deus persiste inalterado do passado, através do presente e até o futuro. Quando esta flor desabrochar em seu coração, você será recompensado com uma fragrância eterna. Adore o Senhor, oferecendo essas oito flores de não violência, controle dos sentidos, compaixão, tolerância, paz interior, austeridade, meditação e verdade, que brotam do seu coração! Hoje, você oferece flores frescas e sua devoção não dura nem mesmo até você sair do santuário! Assim que você termina a adoração, raiva, ódio e ansiedade o dominam e o degradam. Sem desenvolver qualidades virtuosas, como alguém pode ganhar a graça de Deus? Comprometido com a mentira (Asatya Narayana Vrata) em todos os 364 dias, qual é o benefício que você espera obter com a Verdade (Satya Narayana Vrata) em um dia? Quando você afirmar ser devoto de Sai, justifique a reivindicação cultivando essas flores da virtude e oferecendo-as a Deus.” (Discurso Divino, 6 de outubro de 1981)

Sathya Sai Baba

18 de novembro de 2019

“Todos os esforços, todas as conversas e todos os prazeres terminam no cemitério. Cada passo leva o homem para mais perto disso, não para mais longe. Então, por que celebrar enquanto vive, acreditando que isso é real e duradouro? Você deve ter ouvido o seguinte: Pratique duas coisas, desista de duas! O que elas são? As duas coisas a serem abandonadas são todas as lembranças (1) do mal que os outros fazem a você e (2) do bem que você faz aos outros. As duas coisas a serem praticadas incessantemente são: (1) a crença de que a morte é certa e inevitável e (2) de que Deus existe e atende à oração e à pureza. Geralmente, as pessoas fazem o oposto. Elas não esquecem o mal que os outros fazem ou o bem que é feito por elas próprias. Elas se esquecem da morte e da existência de Deus. Qual é a utilidade de buscar obter lucros de todos os atos? Depósitos bancários, prédios, diplomas, títulos e riquezas devem ser deixados para trás. Assim que o último suspiro é dado, nosso corpo se torna algo de mau cheiro e mau presságio. Ele é removido da própria casa que você construiu e amou!” (Sathya Sai Speaks, volume 6, capítulo 44, dezembro de 1966)

Sathya Sai Baba

19 de novembro de 2019

“Os homens que ocupam cargos devem cumprir seus deveres de acordo com os salários recebidos. As mulheres têm dado exemplo nesse aspecto. Elas são mais determinadas, dedicadas e devotadas ao trabalho em casa e nos escritórios, em comparação aos homens. Em países como Malásia, Cingapura, Japão, Alemanha etc, as mulheres praticam mais os valores humanos do que os homens. Elas estão seguindo as orientações de Swami sob todas as circunstâncias. Existem milhões e milhões de trabalhadoras sinceras no mundo. Elas estão lutando não por nome e fama, mas pelo amor e graça de Swami. Isso prova que elas receberam Seus ensinamentos em sua correta essência. Encarnações do Amor! Cultivem amor altruísta, cuidem de sua saúde e sirvam a sociedade. Então Deus conferirá a vocês a força e a felicidade necessárias. Se Deus pode fazer o mudo falar e o deficiente físico subir montanhas, por que abandonará aqueles que são sinceros e dedicados?” (Discurso Divino, 20 de novembro de 1998)

Sathya Sai Baba

20 de novembro de 2019

“Encarnações do Amor! A riqueza perdida pode ser recuperada, de uma maneira ou de outra. Se um amigo se afastou, você pode fazer muitos outros amigos através de bons sentimentos.  No entanto, se a saúde for perdida, você sofrerá de várias maneiras. Seu corpo é uma combinação de muitos membros. Somente quando todos os membros forem utilizados para propósitos sagrados, é que você terá boa saúde (pushti) e felicidade (santushti). Um corpo humano saudável é a base para todas as ações virtuosas. Ele é o requisito principal para a realização dos quatro objetivos da vida humana: retidão (dharma), riqueza (artha), desejo (kama) e liberação (moksha). Investigue a razão da sua perda de saúde. Pensar em excesso, preocupar-se e prolongar o horário de trabalho são as principais causas da sua doença. Atividade excessiva em qualquer campo é prejudicial. Tenha em mente as limitações do seu corpo e aja de acordo. Não conceda atenção indevida à sua saúde. Cumpra seus deveres de maneira pacífica e feliz, então, tudo ficará bem.” (Discurso Divino, 20 de novembro de 1998)

Sathya Sai Baba

21 de novembro de 2019

“Tratem todos como seus irmãos e irmãs. Às vezes, pode haver diferenças de opinião, mas isso não deve levar ao ódio e à inimizade. As diferenças não devem nos dividir. Os membros da Organização Sai devem promover essa unidade. Que não haja conflitos. Vivam como filhos da mesma família. Conquistem um bom nome, para que não exista, no mundo, outra organização comparável à Organização Sai. Desenvolvam amor e trabalhem em união. Somente quando os cinco dedos da mão se juntam é que qualquer tarefa pode ser realizada. Uma pessoa pode ser o presidente da Organização, mas isso não significa ela que possa agir de acordo com os seus caprichos e fantasias. Eu estou ciente do fato de que não existem pessoas assim na Organização Sai. Mesmo assim, Eu os advirto: todas as áreas da Organização Sai (Samithi), como serviço (Sevadal), educação em valores humanos (Balvikas) etc, devem trabalhar em harmonia. Considerem as diferentes áreas como os dedos da mesma mão e trabalhem em conjunto.” (Discurso Divino, 20 de novembro de 1998)

Sathya Sai Baba

22 de novembro de 2019

“Estudantes! Instituições educacionais, que devem liderar a promoção do bem-estar geral do país, estão levando o país a se desviar. Valores humanos como sacrifício, integridade, justiça e moralidade quase desapareceram. A reverência e o respeito pelos idosos estão totalmente ausentes. O que precisamos hoje não é um novo sistema de educação, uma nova ordem social, nem mesmo uma nova religião. Precisamos de homens e mulheres nobres e virtuosos (Uttama-purushulu). Somente então, a nação será próspera. Qualquer que seja a situação em outras universidades, os estudantes do Instituto Sri Sathya Sai devem se comportar de maneira exemplar e ideal. Devem também promover valores morais, espirituais e sociais. Dediquem suas vidas à manutenção da moralidade. Queridos estudantes! Defendam os ideais da educação. Cultivem o amor de Deus e inspirem em todos a devoção a Deus. Vivam em Deus! Façam os outros viverem em Deus!” (Discurso Divino, 22 de novembro de 1992)

Sathya Sai Baba

23 de novembro de 2019

“Muitos não entendem o princípio Sai. ‘Quem é este Sai? Por que certas coisas estão acontecendo desta maneira?‘. Essas perguntas são feitas. Eu não sou um renunciante (sanyasi). Eu não sou um iogue. Eu não sou um buscador de prazer (bhogi). Eu não sou alguém que se sacrifica (tyagi). Eu sou ‘Eu’. Esse ‘Eu’ é o primeiro nome dado à centelha divina (Atma). Um renunciante está limitado por certas restrições. Aquele que busca por prazer tem outras formas de restrição. Eu não tenho limitações. A minha natureza é a bem-aventurança ilimitada. Meu nome é ‘Eu’. Não é um nome dado após o nascimento. Para Me compreender, todos devem perceber que o ‘Eu’ está presente em todos. O ‘Eu’ é usado por todos em todos os contextos, seja milionário ou pobre. Esse ‘Eu’ é o Imanifesto, o Absoluto (Brahman). Eu sou Brahman (Aham Brahmasmi). Todos devem se esforçar para reconhecer a divindade que está presente em cada um. Esse esforço deve ser feito por todos. O nascimento humano foi concedido para esse fim. Essa tarefa não pode ser deixada para ser realizada por Deus.” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1992)

Sathya Sai Baba

24 de novembro de 2019

“Os indivíduos estão integralmente ligados à sociedade como diferentes órgãos de um corpo. A humanidade é um membro da natureza e a natureza (Prakriti) é um membro de Deus. Se essa relação integral for compreendida, onde estará a base para o ódio? Ninguém deve se considerar insignificante ou sem importância. Todo mundo, pequeno ou grande, é uma parte vital do todo e é essencial para o seu bom funcionamento, como todas as partes de um foguete. Qualquer pequena peça defeituosa pode causar a explosão do foguete. Da mesma forma, neste vasto Cosmos, todo ser humano tem um papel relevante a desempenhar para garantir seu bom funcionamento. Qualquer um pode seguir o caminho espiritual sem a ajuda de um rosário ou sem fugir para a floresta. Por exemplo, um agricultor que cultiva o campo deve pensar que ele está cultivando o campo do seu coração. Enquanto semeia, ele deve pensar que está semeando boas qualidades em seu coração e, enquanto rega, deve pensar que está regando o campo de seu coração com amor.” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1992)

Sathya Sai Baba

25 de novembro de 2019

“União é força. A união promove o bem-estar de todos. Se uma pessoa não luta pela unidade e pelo progresso, como poderá servir a sociedade? Mesmo pequenas formigas agindo em união podem destruir uma serpente. Hoje a unidade está sendo minada no país. Existem diferenças em todas as casas. Instituições sem unidade acabam por entrar em colapso. Uma nação dividida enfrenta a destruição. Portanto, para o bem-estar da nação, todos devem viver em unidade. Distinções como de superioridade e inferioridade devem ser abandonadas. Somente o bem-estar da nação deve ser considerado. Se a unidade for perdida, o que uma pessoa poderá realizar? Se houver três pessoas em uma casa, só poderá haver paz na casa se as três viverem em harmonia. Em todo indivíduo, existem três entidades: a mente (manas), a língua (vak) e os órgãos de ação (kayam). Somente quando essas três entidades funcionarem harmoniosamente é que o indivíduo poderá ter paz.” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1992) 

Sathya Sai Baba

26 de novembro de 2019

“Deus está escondido e obstruído pelas nuvens do egoísmo. Livrar-se do egoísmo é a disciplina espiritual (sadhana) a ser praticada. Aprenda uma lição com a árvore. Quando ela está cheia de frutos, não levanta a cabeça por orgulho. Pelo contrário, ela se abaixa e se inclina, como se não levasse nenhum crédito por sua realização e como se ajudasse você a colher seus frutos. Aprenda uma lição com os pássaros. Eles alimentam aqueles que não podem voar para longe. O pássaro alivia a coceira do búfalo coçando-o com o bico. Eles se ajudam e se servem mutuamente, sem pensar em recompensa. Quão mais atento o homem deve estar com suas habilidades e faculdades superiores? Serviço é a melhor cura para o egoísmo. Então, engaje-se para aliviar a dor e o sofrimento, na medida de suas possibilidades. Tente amenizar, o quanto for possível, as aflições dos outros. Esse é o melhor sadhana para o aspirante.” (Discurso Divino, 13 de janeiro de 1968) 

Sathya Sai Baba

27 de novembro de 2019

“Existe uma lei de causa e efeito. Toda ação (karma) tem uma consequência, quer você goste, espere-a ou não! Um bom karma produz bons resultados, enquanto que um mau karma produzirá um resultado ruim. O nascimento é o resultado do karma realizado antes da morte. Se lhe perguntarem o que acontece com uma pessoa após a morte, você pode apontar para si mesmo e declarar: ‘Isso é o que acontece: o renascimento!’ Esse não é um sistema de crenças de desespero, mas sim de esperança, de certezas, de encorajamento para se levar uma vida ativa, útil e benéfica, pois o futuro está em suas mãos. Embora o dia de hoje já tenha sido moldado por ontem, o de amanhã pode ser moldado por hoje! Vários tipos de karma são realizados para induzir o desapego, para canalizar os desejos para fins eternos e universais, transmutar todos os atos em atos de adoração e oferecer adoração a Deus, que governa todas as forças da natureza, toda a energia do homem e todos os membros de sua anatomia!” (Discurso Divino, 15 de outubro de 1967)  

Sathya Sai Baba

28 de novembro de 2019

“A frustração é causada pelo diagnóstico errado da causa raiz do sofrimento. Massageando a cabeça, você pode aliviar uma dor insuportável no estômago? Não importa o quanto demore; descubra a verdadeira raiz do problema e aplique o remédio. A verdadeira causa de todos os problemas é o apego e a ilusão. Os casais pensam que serão felizes quando tiverem um filho, porém isso é apenas o começo de uma série de preocupações! Eles se preocupam com a saúde da criança, seus hábitos, educação, amigos, casamento, perspectivas de carreira e assim por diante, em uma cadeia sem fim. A mente multiplica as raízes da preocupação, ansiedade e tristeza. Cultive desapego, não apego. Reflita sobre a grande herança da humanidade. Então, você desistirá do apego e não se envolverá em pensamentos, palavras ou ações pequenas! Contemple a retidão (dharma), a verdade (sathya) e o amor (prema), que são os fundamentos da humanidade e que guiarão todas as suas ações para que sejam justas.” (Discurso Divino, 6 de novembro de 1967) 

Sathya Sai Baba

29 de novembro de 2019

“É fácil desistir do sadhana (disciplina espiritual); é preciso esforço para manter-se firme nele. No entanto, de nada serve subir apenas um degrau. Suba mais e mais alto, para onde o ar é mais puro. Suba até que você veja os morros e os vales como parte de uma mesma planície, todos os altos e baixos como não sendo dignos de preocupação. Você fala como se tivesse entregado tudo; porém, quando perde uma caneta, você apresenta uma queixa à delegacia e confia que a polícia a recuperará para você! Você só será um herói, um leão na floresta do mundo, quando não exultar nem se abater com a boa ou má sorte que recair sobre você. A fim de se desenvolver e crescer nas práticas espirituais, você deve reduzir seus desejos e descartar seus quereres. Olhe para tudo com a postura de uma testemunha desinteressada; não mergulhe e se enrede. Quando as algemas forem afrouxadas, você se sentirá mais leve e feliz. Viaje sem peso, mesmo na jornada da vida.” (Divino Discurso, 9 de outubro de 1970) 

Sathya Sai Baba

30 de novembro de 2019

“Eu gosto de simplicidade; gosto do tipo de vestimenta que não desencoraja as pessoas de se aproximarem de você em busca de uma palavra gentil, um pequeno serviço, uma mão amiga. A vestimenta deve ser limpa e decente, não esquisita ou extravagante. Não deve ser usada para chamar atenção. Da mesma forma que você deseja usar roupas limpas e confortáveis para o corpo, também deseje exercícios puros e reconfortantes para a mente, como a repetição do nome de Deus, a meditação, etc. Use os olhos para ver coisas íntegras, os pés para se dirigir à casa de Deus, as mãos para servir às manifestações de Deus que se movem ao seu redor como seres humanos, a língua para apaziguar a dor, louvar as virtudes e glorificar Deus. Não use os olhos para vulgarizar seu cérebro, nem os pés para entrar nas filas de filmes perniciosos. O caráter é o dom mais precioso da educação. Eu considero a gratidão como seu componente principal! Todos devem expressar gratidão aos seus pais por este dom da vida.” (Divino Discurso, 23 de julho de 1970)

Sathya Sai Baba

Mídias Sociais

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Spotify ícone social

© © 2016-2020 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.