Pensamento para o dia - novembro 2016

 

1° de novembro de 2016

“O ódio e a inveja distorcem o verdadeiro encanto de um indivíduo. A raiva é o combustível para todas as variedades de pecado. Basta olhar para si mesmo em um espelho quando for atacado pela raiva, e você descobrirá que é, então, semelhante a Shoorpanakha (irmã do rei-demônio Ravana) dos tempos antigos. A guna Rajas que o está dominando é, portanto, o traço rakshasa (demoníaco) que você deve aprender a evitar. Aqueles que aspiram o sucesso no campo espiritual devem, portanto, renunciar à raiva e subjugar os caprichos da mente. Eles devem renunciar às suas agitações mentais e preocupações e cuidar para que elas não criem preocupação nos outros também. Devem convencer-se de que em todos há divindade (Shivam), reconhecível como respiração (swasam). Desenvolva o Amor Universal (Vishwaprema) e demonstre-o em suas palavras e ações. Eu os abençoo a obter Satyam, Shanti e Sukham (Verdade, Paz e Felicidade) através destes meios e a fundir-se na fonte de toda a bem-aventurança.” (Palavras de Sathya Sai, Vol. 6, Capítulo 38)

Sathya Sai Baba

2 de novembro de 2016

“Há nações que não têm paz nem no meio da abundância; elas são obcecadas pelo medo e a ansiedade por conta da muita abundância que conseguiram para si próprias. Somente o que garante paz ao indivíduo e à sociedade é o progresso e a disciplina espiritual. Na Índia, assim como em outros países, há uma triste negligência por esses dois objetivos. Prover habitação, roupas e alimentos produz felicidade física (sukha); proporcionar educação em habilidades e transmitir informações sobre o mundo oferecem um meio de subsistência. Mas o antigo ditado diz: "Na sukhat labhate sukham" - A felicidade real e duradoura não pode ser conquistada pela felicidade física. A felicidade duradoura, aquela que não será abalada ou diminuída ou modificada pela boa ou má sorte, poderá vir somente pela disciplina da mente e a fé em um Poder Superior que guia todas as ações, palavras e pensamentos do homem. A lâmpada dessa consciência espiritual deve ser iluminada e alimentada, para que os passos do homem possam seguir esse caminho e prosseguirem ilesos.” (Divino Discurso, Escola Secundária de Anantapur para Meninas, Dia Escolar, 1966)

Sathya Sai Baba

3 de novembro de 2016

“Você deve se esforçar para diagnosticar seu próprio caráter e descobrir as falhas que estão infestando-o; não tente analisar o caráter dos outros e detectar seus defeitos. A vida é uma campanha contra inimigos; é uma batalha com obstáculos, tentações, dificuldades e hesitações. Estas forças estão dentro de cada indivíduo e, assim, a batalha deve ser incessante e perpétua. Como o vírus que prospera na corrente sanguínea, os vícios da luxúria, da ganância, do ódio, da malícia, do orgulho e da inveja afetam a energia e a fé e levam a pessoa a cair ao final. Ravana tinha grande erudição, riqueza, poder, autoridade, até mesmo a Graça de Deus - mas o vírus da luxúria e do orgulho alojados em sua mente trouxeram sua completa destruição. Ele não podia viver em paz e alegria, mesmo por um momento, depois que esse vírus começou seu trabalho. Lembre-se, a virtude é a força e o vício é a fraqueza.” (Discurso Divino, 16 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

4 de novembro de 2016

“Muitos são incapazes de compreender a sacralidade do amor desinteressado e a devoção das Gopikas e interpretam mal todas as suas ações, atribuindo-lhes significados errados. As Gopikas tinham pensamentos nobres; Seu amor e devoção ao Senhor Krishna eram absolutamente altruístas. É por esta razão que mesmo depois de tantos séculos elas permanecem vivas nas mentes de milhões na Índia. O Bhagavata prega a santidade da devoção ao Senhor Krishna. Não há ódio, ciúme ou raiva no amor divino; é por isso que ele pode ofertar felicidade ao mundo inteiro. Devemos aceitar o amor desinteressado como um tipo essencial de devoção e promovê-lo em nosso país. Deve ser um ideal no que diz respeito ao nosso relacionamento com Deus. Descarte de seu coração todos os pensamentos impuros ou o egoísmo, cultive o amor divino e desinteressado e purifique seu coração.” (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, Capítulo 14)

Sathya Sai Baba

5 de novembro de 2016

“A luta de cada indivíduo contra seus inimigos internos é diferente. Cada pessoa obtém o resultado de acordo com seu Sadhana (práticas espirituais), baseado no merecimento de seus atos neste e em seus nascimentos prévios. A vida não é uma fórmula mecânica, onde 2 mais 2 sempre é 4. Para alguns, 2 mais 2 pode ser 3 ou 5, dependendo de sua "avaliação pessoal" de 2. No caminho espiritual, cada um deve avançar de onde ele já está, no seu próprio ritmo, à luz da lâmpada que cada um está segurando na mão. Identifique os defeitos que minariam seu caminho espiritual, e ajuste-o para avançar em sua jornada até Ele. As pessoas compram roupas com cor escura, de modo que não possam revelar poeira ou sujeira; elas não preferem roupas brancas, pois elas mostram claramente a sua condição suja. Mas, não tente esconder sua sujeira na escuridão; envergonhe-se das naturezas sujas e tente limpá-las rapidamente.” (Divino Discurso, 16 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

6 de novembro de 2016

“As pessoas viajam ao céu e voam às alturas do firmamento. Elas mergulham nas profundezas do oceano e, de muitas outras maneiras, elas estão fazendo coisas incríveis. Com a ajuda da ciência e tecnologia, elas estão descobrindo e inventando coisas que antes não eram acessíveis aos seres humanos comuns. Elas estão fazendo todos os esforços para aprender e compreender vários fenômenos, mas só são parcialmente bem-sucedidas nesse objetivo. Na verdade, as pessoas estão inventando computadores e máquinas complicadas e sofisticadas e, através delas, estão tentando conquistar o universo. Depois de adquirir todas essas forças e capacidades, se as pessoas não têm a sabedoria para usá-las bem para a sua felicidade e vida pacífica, todas essas invenções tornam-se inúteis.” (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, Capítulo 15)

Sathya Sai Baba

7 de novembro de 2016

“Se nosso amor, crença e afeição estão restritos ao nosso parente mais próximo, este será o tipo mais baixo de amor egoísta. Por outro lado, se você se estende um pouco além da região estreita de sua família e amplia sua fé e crença a seus compatriotas, então se torna intermediário. Se você tratar o mundo inteiro como um e considerar todas as pessoas que vivem nele como um, e estender sua fé e simpatia a todos eles, então ele é o tipo mais elevado de amor desinteressado. Gradualmente, devemos passar do círculo limitado de nossa família para o círculo mais amplo do nosso país e, então, expandir para o Universo. Quando falamos de humanidade, isso não deve ser confinado a um pequeno grupo de pessoas. Há apenas uma casta e essa é a casta da humanidade, e quando falamos de humanidade, devemos estender nosso amor desinteressado a todas as espécies no Universo também.” (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, Capítulo 15)

Sathya Sai Baba

8 de novembro de 2016

“As pessoas hoje sofrem intensamente da febre dos sentidos e experimentam os remédios falsificados de recreações, prazeres, férias, piqueniques, banquetes, danças, etc., apenas para descobrir que a febre diminui, mas retorna após um intervalo - não é curada totalmente. Todas as variedades em gosto, cor, cheiro de várias iguarias de alimentos, quando você considera honestamente, são uma mera droga para curar a doença da fome. Todas as bebidas que as pessoas inventaram são apenas drogas para aliviar a doença da sede. O que você denomina de luxo (bhoga) hoje, é uma coisa que arrasta as pessoas para excitação e perseguições insanas. A febre desaparecerá apenas quando o vírus oculto se tornar ineficaz. Assim também, o vírus ou a doença de sua mente morrerão somente quando os raios da sabedoria (Jnana) caírem sobre eles. Tenha discernimento e sempre tente preferir o benéfico (hita) ao agradável (priya), pois o agradável pode levá-lo pelo caminho deslizante ao poço sem fundo.” (Divino Discurso, 16 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

9 de novembro de 2016

“Das 24 horas em um dia, usem seis para ganhar a vida, seis para contemplação de Deus, seis para dormir e seis para servir aos outros. A maioria de vocês nem tem cinco minutos para realmente contemplar o Senhor, e vocês não se envergonham. Que tragédia! Reflitam sobre sua condição atual (sthiti), seu rumo (gathi), suas capacidades (shakthi) e suas inclinações e tendências (mathi). Então, ingressem no caminho da prática espiritual, passo a passo, para que se aproximem do objetivo de forma constante e rápida, dia após dia. A cultura indiana aconselha o controle dos sentidos, não os atender. O carro é conduzido por meio de um volante que está dentro dele, de modo que quando o volante interno é girado, as rodas exteriores se movem. Tentar mover as rodas externas sozinho é um sinal da ignorância! A concentração interna deve ser desenvolvida ao invés da distração externa. Cultivem quietude, simplicidade e humildade, em vez de ruído, complexidade e presunção.” (Discurso Divino, 16 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

10 de novembro de 2016

“Arjuna obteve a Instrução Espiritual (Geeta upadesh) do próprio Senhor porque ele experimentou profunda aflição (Vishada), desapego (Vairagya), rendição (Sharanagati) e a concentração unidirecionada no Senhor (Ekagrata). Quando o anseio pela Libertação se torna intenso, além da expressão, você pode deixar de lado todas as convenções sociais, normas mundanas, etc., que não são úteis a esse alto propósito. Do mesmo modo que Prahlada abandonou seu pai, Bhishma contrapôs seu Guru, Meera abandonou seu marido e Shankaracharya superou os subterfúgios de sua mãe. Para desenvolver esse gosto pela libertação, Namasmarana é o melhor caminho. Deixe a doçura do Nome do Senhor, saturada com o açúcar de Seu esplendor, brincar sempre em sua língua e mente. Este exercício simples, mas extremamente poderoso, pode ser praticado por todos, em todos os momentos, independentemente de casta, credo, sexo, status social ou econômico.” (Discurso Divino, 16 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

11 de novembro de 2016

“Seu lar (griha) deve ressoar com o nome de Govinda; caso contrário, ela será apenas uma caverna (guha), onde habitam animais selvagens. A alma precisa de uma casa, e seu próprio corpo é a sua casa. Também nessa casa, o nome do Senhor deve ser ouvido, ou então será um vaso de barro (ghata), não o corpo de um ser humano. Então sua casa estará imersa na paz mais elevada (shanti)! Obediência ao comando do Senhor é o segredo para sua libertação. Assim que você aceitar que o pomar em sua mente pertence a Ele, todos os frutos serão doces! Seu refúgio de busca por proteção (saranagathi) tornará todos os frutos aceitáveis ao Senhor, de modo que não poderão ser amargos. E para a água, o que pode ser mais puro e mais precioso do que suas lágrimas - derramadas não em tristeza, mas no êxtase da oportunidade de servir ao Senhor e de caminhar pelo caminho que leva a Ele?” (Discurso Divino, 8 de fevereiro de 1963)

Sathya Sai Baba

12 de novembro de 2016

“Hoje, muitas pessoas não dão importância à recitação do Nome do Senhor. É um grande erro. Muitos estão enfrentando um monte de problemas porque eles não fazem namasmarana. Na era atual (Kali), somente cantar o nome divino pode redimir sua vida. Não há outro refúgio! Cantar a glória do Senhor é muito sagrado. Há muitas cobras de características perversas no formigueiro de seu coração. Quando você recita o nome divino, todas as "cobras" de más características sairão. Namasmarana é como o nadaswaram (instrumento musical) que atrai cobras e as tira dos formigueiros. Deixe este nome doce (nadaswaram) ser seu sopro de vida (jeevanaswaram). Repita o nome de Deus incessantemente para se livrar das más características. Que cada rua reverbere com o canto da glória divina. Que cada célula de seu corpo seja preenchida com o nome divino.” (Discurso Divino, 14 de abril de 2002)

Sathya Sai Baba

13 de novembro de 2016

“Nada mais pode lhe dar a bem-aventurança, a coragem e a força do que a que você obtém do namasmarana (canto do Nome Divino). Mesmo que algumas pessoas zombem de você, não se preocupe com isso. Você pode ser jovem ou velho, rico ou pobre, todos devem fazer namasmarana. Cante a glória de Deus de todo o coração, sem qualquer inibição, com plena concentração e total dedicação. Não tenha medo de ninguém. Somente então você pode experimentar a bem-aventurança divina. Comece este sagrado namasmarana a partir deste instante. Cuide para ver o Nome emergir do núcleo do seu coração. Toque o vina (instrumento de cordas) do seu coração e cante a glória de Deus. Certifique-se de que você não tenha pensamentos maus, pois eles produzem notas discordantes. Somente então você se tornará o destinatário da graça e energia divinas. Eu o abençoo a levar uma vida feliz! Você não precisa procurar a bem-aventurança lá fora. Ela está dentro de você. A partir de hoje, deixe que sua devoção e senso de rendição cresçam mais. Seja destemido e cante a glória do Senhor onde quer que esteja e conduza a vida de um verdadeiro ser humano.” (Discurso Divino, 14 de abril de 2002)

Sathya Sai Baba

14 de novembro de 2016

“Uma doença insidiosa está agora galopante entre a maioria das pessoas, ou seja, a descrença. Ela ateia fogo aos pequenos brotos de fé e reduz a vida a brasas e cinzas. Você não tem critério para julgar, mas finge julgar. Dúvida, raiva, veneno, doença - todos estes têm que ser eliminados antes que cresçam. Repita o Nome do Senhor, se você tem fé ou não. Isso, por sua vez, induzirá a fé que, por sua vez, criará a evidência em que a fé pode ser construída. Você atribui importância à quantidade, mas o Senhor considera apenas a qualidade. Ele não calcula quantas medidas de "arroz doce" você ofereceu, mas quantas palavras doces você pronunciou, e quanta doçura estava presente em seus pensamentos. Ofereça-Lhe a folha perfumada da devoção, as flores de suas emoções e os impulsos que são libertos das pragas da luxúria, da raiva, etc. Dê-Lhe os frutos crescidos no pomar da sua mente, azedos ou doces, suculentos ou secos, amargos ou doces.” (Discurso Divino, 8 de fevereiro de 1963)

Sathya Sai Baba

15 de novembro de 2016

“Pais e filhos devem se unir e cantar a glória de Deus. Encarnações do amor, suas vidas devem ser dedicadas a Deus: como primeiro passo, vocês devem dedicar alguns minutos todos os dias à adoração de Sua glória e desfrutar da profundidade dessa glória. Gradualmente, quando a doçura do hábito os encorajar, vocês dedicarão mais e mais tempo e sentirão a satisfação gradualmente. O propósito de "viver" é conseguir "viver em Deus". Todos têm direito a essa consagração e consumação. Vocês são a Verdade; não percam a fé; não se menosprezem. Vocês são Divinos, embora muitas vezes deslizem da humanidade para a animalidade ou até mais baixo. Cultivem o Amor; compartilhem esse amor com todos. Como podem dar menos a uma pessoa e mais a outra, quando eles são os mesmos que você? Se vocês esquecerem a divindade básica, o ódio crescerá e a inveja levantará seu capuz. Vejam o divino (Atma) em todos. Então, o Amor brotará e a paz cairá como o orvalho.” (Discurso Divino, 4 de julho de 1968)

Sathya Sai Baba

16 de novembro de 2016

“Escolha qualquer nome Dele que lhe agrada, eleja qualquer forma Dele. Todos os dias quando você desperta para o chamado do brilho leste, recite o nome, medite sobre a forma, tenha o nome e a forma como seus companheiros, guias e guardiões em toda a labuta das horas de vigília. Quando você se retirar à noite, agradeça a Deus em tal forma, com esse nome, por estar com você, por você, ao seu lado, diante de você, atrás de você, o dia inteiro. Se você manter esta disciplina, você não poderá vacilar ou falhar. Esforce-se sempre para promover a alegria e a felicidade de seus compatriotas; alegremente compartilhe sua alegria e felicidade. Decida por realizar a busca de sua própria realidade. Decida viver na inspiração da constante lembrança de Deus. Cultive amor e compartilhe amor. Eu o abençoo a alcançar o sucesso neste esforço e obter disso grande alegria.” (Discurso Divino, 4 de julho de 1968)

Sathya Sai Baba

17 de novembro de 2016

“Todas as religiões ensinam uma disciplina básica - a remoção da mancha do egoísmo da mente, da corrida atrás de pouca alegria. Toda religião ensina os seres humanos a encher seu coração com a glória de Deus e a expulsar a insignificância da vaidade. Treine-a em métodos de desapego e discernimento, de modo que você possa mirar alto e alcançar a libertação. Acredite que todos os corações são motivados pelo Deus único; que todas as fés glorificam o Deus único; que todos os nomes, em todas as línguas e todas as formas que você possa conceber, denotam o Deus único; e que Sua adoração é melhor realizada por meio do amor. Cultive essa atitude da Unidade (Eka-bhava) entre as pessoas de todos os credos, de todos os países e de todos os continentes. Essa é a mensagem de amor que trago. Esta é a mensagem que desejo que você leve ao coração. Fomente o amor, viva no amor, espalhe o amor – esse é o exercício espiritual que irá produzir o máximo benefício.” (Discurso Divino, 4 de julho de 1968)

Sathya Sai Baba

18 de novembro de 2016

“Hoje em dia, o alimento que você come, a água que você bebe e o ar que você inala estão todos poluídos. As próprias pessoas estão muito poluídas porque suas mentes estão cheias de sentimentos negativos e desejos mundanos. Sem dúvida, você pode ter desejos, mas eles devem estar sob limites. Muitos corações humanos são um antro de características malignas como raiva, ódio, ganância, ciúme, pompa e espetáculo. Apenas o amor pode afastar essas características negativas. Desejo, raiva, ganância, ciúme, etc., surgem somente a partir do apego ao corpo e dos hábitos alimentares impróprios. Portanto, controle seu apego e desejos. As letras que você escreve aparecerão azuis quando a caneta estiver cheia de tinta azul, e vermelha quando estiver cheia de tinta vermelha. Da mesma forma, tudo o que vir, ouvir e disser será negativo se o seu coração tiver sentimentos negativos. Portanto, preencha seu coração com amor. Então, tudo o que vir, ouvir, disser e fizer será cheio de amor e você experimentará um mundo impregnado de amor.” (Discurso Divino, 11 de agosto de 2000)

Sathya Sai Baba

19 de novembro de 2016

“Nos tempos atuais, muitos homens menosprezam as mulheres e as tratam como meras servas. Este é um grande erro. Quanto mais o homem respeitar as mulheres, mais ele será respeitado. Os homens não devem se comportar de forma arrogante em relação às mulheres, achando que eles sejam mais fortes e poderosos. Hoje em dia as pessoas recebem vários títulos de reputação como Padmashri, Padma Vibhushan, etc. Mas os títulos conferidos às mulheres desde épocas antigas são Grihalakshmi (Deusa da casa), Illalu, Dharmapatni (consorte da retidão), Ardhangani (a metade do homem), etc. Estes são títulos muito elevados e sagrados. Como podem as mulheres com títulos tão elevados a seu favor serem inferiores aos homens? Todo homem deve cuidar para que as mulheres em sua casa não derramem lágrimas. O marido tem o direito de apontar os erros de sua esposa, mas ele não deve usar palavras duras e ferir seus sentimentos. Nunca use palavras ásperas com ninguém. Fale suavemente e docemente. Sua família alcançará paz e prosperidade quando você observar estes princípios.” (Discurso Divino, 11 de agosto de 2000)

Sathya Sai Baba

20 de novembro de 2016

“Ninguém deve considerar-se insignificante ou sem importância. Qualquer um, pequeno ou grande, é uma parte vital do todo e tem um papel essencial no mundo, como todas as partes de um foguete. Qualquer pequena peça defeituosa pode fazer com que o foguete exploda. Da mesma forma, neste vasto Cosmos, cada ser tem um papel significativo a desempenhar para assegurar seu bom funcionamento. Atualmente, não há unidade, pureza ou consciência da Divindade. Quando há discórdia entre pensamento, palavra e ação, a humanidade é minada. A unidade deve ser promovida para promover a humanidade. Celebramos muitos festivais e aniversários. Não são as festas que são importantes, nem os vestidos ou os discursos. Sentimentos são o que importa. Sem pureza de pensamento, a pureza da sabedoria não pode ser obtida. Procure purificar sua mente. Cultive o amor altruísta para com todos e envolva-se em serviço social. Serviço aos moradores é serviço a Rama (Grama Seva é Rama Seva).” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1992)

Sathya Sai Baba

21 de novembro de 2016

“Estudantes! Encarnações do amor! Onde as seis qualidades de zelo, determinação, coragem, inteligência, habilidade e heroísmo estiverem presentes, lá a ajuda Divina se manifestará! Em qualquer campo, a qualquer momento, quem estiver dotado com todas essas seis qualidades preciosas, o sucesso lhe estará assegurado. Elas garantirão a sua completa prosperidade. No entanto, essas qualidades enfrentam várias dificuldades de tempos em tempos. Assim como um estudante enfrenta vários exames para se formar, essas nobres qualidades também estão sujeitas a julgamentos. Tais julgamentos devem ser considerados como trampolins para as altas realizações. Estes ensaios são na forma de perdas, problemas, dores, sofrimentos e calúnias. Deve-se superar esses problemas com coragem e autoconfiança e seguir em frente. Sem autoconfiança, as seis qualidades não podem ser adquiridas. Os alunos devem desenvolver autoconfiança e embarcar na jornada da vida com fé em Deus.” (Discurso Divino, 14 de janeiro de 1997)

Sathya Sai Baba

22 de novembro de 2016

“A educação é um ornamento para você, é sua riqueza secreta que confere prosperidade e fama. É um parente inabalável em viagens ao estrangeiro. Mais do que riqueza, ela assegura o respeito dos governantes. A educação é a base para levar uma vida significativa no mundo físico, no reino da mente e na sociedade. Ela o equipa com força mental e estabilidade para enfrentar os desafios da vida e compreender as inúmeras manifestações na Natureza. Somente quando você compreende o poder de sua mente é que pode reconhecer a relação entre o mundo e a sociedade. A educação deve promover o discernimento e a humildade e permitir que você reconheça suas obrigações para com seus pais e outras pessoas que fizeram de você quem você é hoje. A gratidão é uma virtude suprema. Seja grato a seus pais. Amplie sua visão. Esteja ciente da divindade que é inerente a cada ser. Cultive o espírito de amor e preencha sua vida com alegria.” (Discurso Divino, 22 de novembro de 1988)

Sathya Sai Baba

23 de novembro de 2016

“Encarnações do Amor Divino! Todo mundo aspira à felicidade e quer evitar o sofrimento. Mas neste mundo, verdade e mentira, retidão e iniquidade, justiça e injustiça passam e mudam com o tempo. Deve-se ter fé no princípio último a partir do qual tanto o bem como o mal surgem. Todos os dias experimenta-se felicidade e tristeza, acolhe-se afeições e aversões e atrai-se preocupações e miséria. Como podemos estar em paz nestas condições? O verdadeiro homem é aquele que acredita na equanimidade - da mesma forma que se acolhe a felicidade, deve-se ser capaz de acolher tristezas também. Deve-se confiar no Divino e experimentar Seu amor em seus corações. Se quiserem ser respeitados por todos, vocês devem respeitar todos. Seja rico ou pobre, nobre ou ignóbil, todos têm amor-próprio. Deve-se fazer um esforço para salvaguardar o amor-próprio. Aquele que tem amor-próprio verdadeiro respeita a todos. Não há nada de novo que Eu possa dizer-lhes hoje. Todos devem alcançar a bem-aventurança e vencer a tristeza; desenvolvam o verdadeiro amor e experimentem a Divindade. Esta é a Minha mensagem principal para vocês hoje.” (Discurso Divino, 23 de novembro de 2001)

Sathya Sai Baba

24 de novembro de 2016

“Lembre-se, não há nenhum mérito especial nos chamados exercícios espirituais. Cada ato em sua vida diária deve ser santificado realizando-o como uma oferenda a Deus. Um agricultor que lavra seu campo deve sentir que está cultivando o campo do seu coração. Enquanto semeia sementes, ele deve semear as sementes das boas qualidades em seu coração. Enquanto rega o campo, ele deve pensar que está regando o campo de seu coração com amor. Desta forma, todos devem seguir o caminho espiritual sem a ajuda do rosário ou ir para a floresta. Independentemente das diferenças físicas e ideológicas, o princípio Divino (Atma) é comum a todos. Você deve reconhecer que cada ser no Universo está integralmente relacionado à sociedade como órgãos diferentes em um corpo. A humanidade em si é um membro da Natureza e a Natureza é um membro de Deus. Se essa relação integral é compreendida, onde está o fundamento para o ódio? Portanto, conduza sua vida de uma maneira exemplar.” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1992)

Sathya Sai Baba

25 de novembro de 2016

“Você deve tornar segura a sua própria consciência e deve ter confiança em si mesmo. Sua consciência é seu guia e deve ditar seu comportamento. Ou para o bem ou para o mal, é a sua consciência que é responsável. A culpa em você provoca o mal; a força e a confiança em você devem, portanto, fazer coisas que irão promover a confiança em si mesmo. É por isso que tenho repetidamente dito que você deve seguir as quatro ordens: "Siga o Mestre" que é a sua consciência. A segunda coisa é "Enfrente o diabo". A terceira é "Lute até o fim". Então você deve "Concluir o jogo". Se você se lembrar de todas estas quatro ordens, de tal modo que elas fiquem retumbando a todo momento em você, não poderá haver nada mais sagrado do que isso em sua vida.” (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, capítulo 15)

Sathya Sai Baba

26 de novembro de 2016

“Você tinha uma casa e morava nela. Você tomava grande cuidado para que ela fosse confortável, encantadora e impressionante. Você se enraivece quando algum cartaz é colado em suas paredes! Então um dia você a vende. Não é mais o objeto do seu apego. Na verdade, mesmo se um raio a atingir, você não se perturbará! Agora você chama de seu o dinheiro que conseguiu; você coloca-o em um banco e torna-se apegado à caderneta emitida pelo banco. Você o mantem em um cofre de ferro e examina suas páginas com amor. O dinheiro que você deu ao banco pode ser emprestado por eles a alguém que você não gosta, mas você não se importa. Você tem a caderneta com você. Agora, o que exatamente é seu? A que você está tão profundamente apegado? À casa, ao dinheiro ou à caderneta? Você estava ligado ao prestígio, ao conforto, ao espetáculo e à ganância - coisas que surgiam em sua mente como desejo; você estava ligado ao seu próprio ego, basicamente. Essa foi a coisa que induziu você a reivindicar essas coisas, uma após a outra, como suas! Todos devem fazer algum esforço espiritual para purificar a mente da luxúria e da ganância, da inveja e do ódio.” (Discurso Divino, 27 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

27 de novembro de 2016

“Hoje, as mercadorias disponíveis são limitadas e os desejos são ilimitados. Como nossas vontades e desejos estão aumentando além da disponibilidade, há um desequilíbrio econômico no mundo. Muitas pessoas estão tentando corrigir isso aumentando a disponibilidade de produtos. Em vez disso, se as pessoas aprendessem a conter suas vontades e desejos, não haveria necessidade de aumento de esforço nem de despesa. Esse aspecto de diminuir nossas vontades e desejos é chamado de "Vairagya" (desapego) nas escrituras. A palavra Vairagya não significa que você deve fugir de sua família, sentar-se em uma floresta, fechar o nariz e colocar-se em tortura física. O verdadeiro significado do desapego (vairagya) é que você deve permanecer na sociedade, fazer seus deveres e aprender a conter suas vontades e desejos. Nossa vida é uma longa jornada. Nesta longa jornada da vida, faça todos os esforços para diminuir suas vontades e desejos. A prática de Vairagya também inclui ingerir comida suficiente, evitando o desperdício.” (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, Capítulo 15)

Sathya Sai Baba

28 de novembro de 2016

“Saia do poço do ego para o mar do Espírito Universal, do qual você é parte. Force sua mente a respirar a atmosfera grandiosa do Eterno, lembrando-a de Deus e Sua Glória, a cada segundo, com cada respiração, quando você repetir qualquer um de Seus muitos nomes. Ou envolva-se em algum trabalho que o levará do seu estreito eu para a magnificência mais vasta, onde você dedica o fruto de suas ações (karma) a Deus, onde você dedica seu tempo e energia para compartilhar sua alegria, habilidade ou conhecimento com seus semelhantes. Ou mantenha-se cercado sempre por pessoas dedicadas à vida superior - aquelas que irão encorajá-lo a avançar para a meta. Através destes meios, alcance Chitta Suddhi (pureza de espírito) e, então, a Verdade será refletida claramente no espírito.” (Discurso Divino, 27 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

29 de novembro de 2016

“Jovens e estudantes devem ir aos quatro cantos do país, limpar o local e não necessitar de médicos, cultivando a própria pureza. Se o objetivo é fazer o bem aos outros, então o próprio Deus cuidará do objetivo altruísta de fazer o bem. Esta é a essência dos dezoito Puranas de Vyasa. Ser capaz de fazer o bem aos outros é uma grande virtude (punya) e ser capaz de se manter longe de fazer mal aos outros também é um mérito. Portanto, mesmo se você não for capaz de fazer o bem, apenas sente-se quietamente e fique em silêncio, mas não prejudique os outros. Você deve ter cuidado para que todos os cinco órgãos estejam sem qualquer defeito. Você não deve ver nenhum mal com seus olhos. Não deve falar nada indigno com sua boca, e não deve tocar em nada impuro. Você deve, portanto, manter todos os seus cinco órgãos em um estado sátvico (ou sagrado).” (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, capítulo 15)

Sathya Sai Baba

30 de novembro de 2016

“A companhia do piedoso (Satsanga) o leva a retirar-se gradualmente das intrincadas atividades mundanas. Quando um pouco de carvão frio é colocado no meio das brasas incandescentes e quando o fogo é abanado, o carvão também brilha com as chamas. O fogo da Sabedoria (Jñana agni) opera da mesma forma. O esforço individual e a Graça Divina são ambos interdependentes. Sem esforço, não haverá concessão de graça; sem a Graça não pode haver gosto no esforço. Para ganhar essa preciosa Graça do Senhor, tudo o que você precisa é apenas de fé e virtudes. Você não precisa louvá-Lo para ganhar Seu favor. O louvor alimenta o fogo do egoísmo e confunde a fé genuína. Deus não gosta do mero louvor verbal externo e de ofertas de gentileza. Ele é seu e você é Dele. Toda a humanidade é a família de Deus. Bata com fé: as portas da Graça se abrirão. Abra sua porta! Os raios do Sol esperando lá fora fluirão silenciosamente e inundarão seu quarto com luz.” (Discurso Divino, 27 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.