Pensamento para o dia - março 2018

1° de março de 2018

“Deve ser explicado às pessoas que vieram a Prasanthi Nilayam que o silêncio é o primeiro degrau da escada do esforço espiritual e a marca registrada deste lugar! A partir daqui eles devem aprender a tornar todos os lugares, onde quer que estejam, uma Prasanthi Nilayam. A conversa alta perturba aqueles que praticam namasmarana (recordação do nome do Senhor) ou meditação (dhyana) ou recitação (japam)! O ruído gera mais ruído. Esta é uma oficina, onde mentes e corações danificados são reparados ou revisados. Nas oficinas, haverá o barulho do martelo, o ruído da roda, o zumbido do motor e o ruído das correntes. Nesta oficina, apenas o sussurro do Nome de Deus deve ser ouvido. Com novas peças montadas e novas camadas de tinta, carros emergem da oficina tão bons como novos e funcionam bem, sem problemas, por milhas e milhas. As pessoas devem buscar Prasanthi Nilayam como uma oficina para pessoas, cansadas, desgastadas ou prestes a entrar em uma longa jornada.” (Discurso Divino, 24 de fevereiro de 1965)

Sathya Sai Baba

2 de março de 2018

“Deus não está separado de você. Não tenha a impressão de que Deus está presente apenas nos templos. O corpo é o templo e o morador é Deus (Deho Devalaya Prokto Jeevo Deva Sanathanaha). Então, você não precisa ir em busca de Deus em outro lugar. Direcione sua visão para o seu interior. Então você encontrará Deus, que é a encarnação da bem-aventurança. Você está se afogando em ilusão por causa do excessivo apego ao corpo. Se livre do apego ao corpo e desenvolva apego a Deus. Assim você se tornará o próprio Deus. Deus e os seres humanos não estão separados uns dos outros. Eles são como imagem e reflexo. Deus está em todos. Este templo do corpo pode se mover porque Deus está dentro. As escrituras revelam - Satyam Jnanam Anantam Brahma (A Divindade é Verdade, sabedoria e infinito). Você deve seguir o caminho da verdade e da sabedoria para entender e experimentar o princípio Divino (Brahman).” (Discurso Divino, 19 de novembro de 2000)

Sathya Sai Baba

3 de março de 2018

“Gostaria de lhe dizer algo sobre a atitude que você deve cultivar quando se oferece como voluntário. Eu mesmo selecionei você para esse papel e isso mesmo é um privilégio raro. Há tantos entre os milhares que estão pleiteando com todo o seu coração para que lhes seja dada essa oportunidade. Mas, apenas você foi escolhido. Devo dizer-lhe que o voluntariado não é apenas um surto momentâneo. Ele não pode ser feito sem disciplina profunda, treinamento prolongado e humildade. Você deve desenvolver prema (amor) para todos. Não pense que um voluntário seja uma pessoa superior, mais devotada do que o resto. Não despreze o resto como distúrbios e perturbações. Quando você trata qualquer um com dureza, você está Me tratando com dureza. Quando você está insultando alguém, você está Me insultando. Se você tem amor por Mim, tenha prema para com todos, já que Sai está em cada um.” (Discurso Divino, 24 de fevereiro de 1965)

Sathya Sai Baba

4 de março de 2018

“A mente tornou-se inconstante pois a alimentamos com tendências mundanas. Como podemos estabilizá-la? Dê um trabalho que mantenha a mente sempre ocupada, então ela não nos incomodará! É a natureza do macaco continuar a subir e descer, e as pessoas que capturam macacos os levam de casa em casa e os fazem subir e descer um poste; desta forma eles mantêm o macaco ocupado e também ganham alguma esmola para si. Nossa mente também é um macaco louco, não é? E os macacos devem estar envolvidos em uma obra atrativa para mantê-los longe de sua inconstância! Então, em primeiro lugar, fique quieto e dê à mente de macaco o dever de um vigia. A mente de macaco assim encarregada, verá a respiração entrar –‘So’– e a respiração sair –‘ham’– e será mantida ocupada. Após cinco minutos desse exercício, sua mente se acalmará.” (Discurso Divino, 25 de maio de 1979)

Sathya Sai Baba

5 de março de 2018

“Reduza seu desejo ao mínimo! Um desejo tolo de estar atualizado e acompanhar a moda faz você acumular hábitos e artigos desnecessários. Examine seu quarto, mesa, guarda-roupa, etc. e descubra quantas coisas supérfluas você acumulou. Você as adquiriu porque viu alguém que as tinha e sentiu que, a menos que você também as possuísse, você ficaria pequeno em sua companhia. Você pode ser feliz com muito menos bagagem do que acha ser essencial. Uma vez que um artigo está com você há algum tempo, você sente que é indispensável e não sabe como viver sem ele. Como o bicho da seda, você tece um casulo para si mesmo, a partir de sua fantasia! Não permita que hábitos onerosos cresçam. Eles são caros do ponto de vista monetário e espiritual. Vigie seus gostos e desgostos com um olho vigilante e descarte qualquer coisa que ameace atravancar seu caminho espiritual.” (Discurso Divino, 24 de fevereiro de 1965)

Sathya Sai Baba

6 de março de 2018

“O serviço prestado por uma pessoa assegura um futuro brilhante quando esse serviço é executado sem ego e em agradecimento, considerando-o uma oportunidade dada por Deus. Tudo o que fizer aos outros, faça com o sentimento de que está fazendo para si próprio. Na verdade, o serviço que presta faz mais bem a você! Um pequeno exemplo: Um amigo é calorosamente recebido, levado à sala de estar e lhe é oferecida uma xícara de café. Este bom ato fica impresso no coração da pessoa e ela lembrará a calorosa recepção recebida e retribuirá. Se você cuidar de um amigo que está hospitalizado, sem ninguém para cuidar, esse amigo não retribuirá a ajuda quando você precisar dele? Então, lembre-se de que o serviço que você presta aos outros é uma reserva que o ajudará com suas necessidades futuras. Da mesma forma, se você estender essa ideia e considerar que as más ações feitas aos outros são verdadeiras ações feitas a si mesmo, você nunca fará más ações!” (Discurso Divino, 27 de maio de 1973)

Sathya Sai Baba

7 de março de 2018

“Como sevaks dedicados (servidores), se seus beneficiários o agradecem ou o difamam, alegremente realizem as tarefas que lhes são atribuídas. Pois, vocês estão servindo a si próprios, não a eles, lembrem-se! Buquês ou insultos, receba-os com a mesma calma. São apenas aqueles que se identificam com o corpo que exultam ou se sentem pesarosos! Lembrem-se, vocês são o Dehi (Morador), não o deha (corpo) - isso lhes dará forças para servir bem. Ao fazerem Seva não argumentem se essa tarefa particular é sua e aquela não é; não sejam pedantes com fronteiras e limites. Apoiem-se e complementem-se mutuamente em uma alegre cooperação. Atuem como o satsanga ideal (companhia nobre), infundindo energia e entusiasmo a todos. Além disso, não carreguem um fardo maior que o que lhes é atribuído e não interfiram com o que outras pessoas estejam fazendo, ou critiquem os outros. Malícia, inveja ou competição não devem ter lugar em seus corações. Não se apressem em descobrir faltas onde não existe. Isso é entusiasmo mal direcionado. Em vez disso, espalhem paz e alegria!” (Discurso Divino, 24 de fevereiro de 1965)

Sathya Sai Baba

8 de março de 2018

“As pessoas que desejam verificar a qualidade do ouro desenham uma linha com ele em uma pedra e avaliam sua qualidade ao examinar essa risca. O teste que revelará a qualidade da sua fé é se você está praticando sinceramente as determinações estabelecidas por Deus. Suas crenças e ações devem ser expressões de fé. Elas devem ter a santidade como sua essência. Elas devem estar tão cheias de amor e compaixão que atrairão para você a graça de Deus. Tal karma (ações) é o que é defendido através do karma kanda das escrituras védicas. É a raiz ereta do progresso humano, a própria respiração da existência humana feliz, o alimento que sozinho pode dissipar a fome das pessoas e a água vital que pode sanar sua sede. Portanto, o primeiro e contínuo dever é se envolver em atividades que são ensinadas ou aprovadas nos Vedas. Três tipos de atividade alcançam Deus e ganham Sua graça: (1) Atividade não motivada pelo desejo pessoal (2) Atividade que emana do amor altruísta e (3) Oração decorrente dos corações puros.” (Sathya Sai Vahini, Capítulo 19)

Sathya Sai Baba

9 de março de 2018

“Certa vez, um sábio tinha um gato em seu eremitério. Sempre que ele realizava um homa (oferecimento de oblações aos deuses no fogo consagrado), o gato pulava sobre o fogo e lhe dava muitos problemas. Então ele o capturava antecipadamente e o mantinha sob uma cesta invertida durante a duração do homa. Seu filho, que observou essa operação durante anos, pensava que essa captura e prisão do gato eram partes vitais do próprio ritual. Então, ele tinha o grande trabalho de procurar um gato antes de cada homa e se sentia feliz quando conseguia um que pudesse manter sob uma cesta invertida no mesmo quarto. Esse é um exemplo de repetição mecânica sem sentido. O esforço espiritual não deve se tornar a repetição mecânica de fórmulas estabelecidas ou a execução de formalidades secas! Lembre-se, seus esforços espirituais devem ser para atrair a graça de Deus para si próprio. Suas práticas espirituais devem estar acompanhadas por uma oração sincera do coração!” (Discurso Divino, 14 de janeiro de 1967)

Sathya Sai Baba

10 de março de 2018

“A palavra shastra, indicada nas escrituras, significa "o que comanda, ordena e dirige com autoridade". Os shastras não precisam conter ordens como: "Antes de comer alimentos, cozinhe-os bem, antes de plantar sementes, prepare o solo arando-o". Quem comanda o bezerro recém-nascido a buscar comida no úbere da mãe vaca? O nascimento ocorre com o sustento para aqueles que nascem. De fato, o sustento está pronto primeiro e o nascimento do indivíduo a ser sustentado ocorre mais tarde. O alimento e o padrão de vida do indivíduo dependem do mérito ou do demérito acumulado nas vidas anteriores enquanto a pessoa se esforça por estes dois. Mas as diretrizes realmente valiosas para o progresso humano estão além da compreensão das pessoas e suas inteligências. O erudito deve perceber que as atividades recomendadas nas escrituras promovem os melhores interesses das pessoas agora e levam a paz e harmonia no futuro.” (Sathya Sai Vahini, Capítulo 19)

Sathya Sai Baba

11 de março de 2018

“O imperador de Cholas tentava visitar o templo de Srirangam Gopuram, do qual ele havia ouvido muito. Ele preparou sua carruagem e, nos seis meses seguintes, tentou fazer esta viagem muitas vezes. Mas, em todas as ocasiões, um recluso em roupas ocre com um rosário em volta do pescoço e um halo em volta da cabeça interceptava o veículo. Quando o imperador descia para homenageá-lo, ele o mantinha envolvido em uma conversa que era tão encantadora que ele esquecia sua jornada e seu objetivo. Um dia, quando ele lamentava o fracasso em preencher os olhos com a glória de Srirangam, o Senhor apareceu diante dele e disse: "Por que você se lamenta? Eu sou o Mestre que veio até você com tanta frequência assim que você pronunciava Srirangam; reconhecer-Me em tudo é a peregrinação genuína para Srirangam ". Considere todos os que você encontrar como o Senhor de Srirangam, seu Mestre. Mostre amor imaculado por todos os que vêm a você.” (Discurso Divino, 14 de janeiro de 1967)

Sathya Sai Baba

12 de março de 2018

“Há muito tempo, havia uma pessoa que tinha três amigos. Por acidente, ele foi acusado por algum crime e um mandato foi emitido contra ele pelo tribunal. Ele se aproximou de um amigo e pediu-lhe para testemunhar sua inocência. Ele disse: "Não vou sair de casa, posso ajudá-lo apenas daqui de dentro". O segundo amigo disse: "Posso ir até a varanda do tribunal. Não vou entrar na área reservada para as testemunhas". O terceiro amigo disse: "Venha, eu falo por você onde quer que você queira." O primeiro amigo é a "propriedade e posses", que só pode testemunhar dentro de casa. O segundo são "os parentes e os membros da família", que chegam até o cemitério, mas não acompanham a pessoa ao assento do julgamento. O terceiro amigo é o nome honesto obtido pelas virtudes e pelo serviço. Estes persistem mesmo depois da morte e do enterro; são testemunhas durante anos e anunciam a inocência e a grandeza do indivíduo. Eles também decidem a natureza do próximo nascimento.” (Discurso Divino, 24 de maio de 1973)

Sathya Sai Baba

13 de março de 2018

“Quando Adi Shankara residia em Varanasi com seus alunos, ele encontrou um estudioso que estava imerso em regras complicadas de gramática. Quando perguntado por que havia se ocupado deste estudo intensivo, ele respondeu que isso facilmente lhe daria algumas peças de prata. "Se eu for designado como um pandit, eu posso ir à casa de alguns grandes zamindars (proprietários) e espero receber esmolas e ofertas para a manutenção da minha grande família", disse ele. Shankara então aconselhou-o adequadamente e preencheu-o de autoconfiança e coragem. Retornando ao seu eremitério, Shankara escreveu um versículo que resume o conselho que ele deu ao pobre estudioso assim: Bhaja Govindam, bhaja Govindam, bhaja Govindam, moodha mate. Samprapte sannihithe kale, nahi nahi rakshati dukrun karane (Louve a Deus, louve a Deus, louve a Deus, mente tola! Quando a morte se aproxima, as regras da gramática não podem salvá-lo). O estudo desses versículos e a inspiração que deles deriva promoverão discernimento e desapego e, assim, prepararão a mente para a visão do Supremo.” (Discurso Divino, 21 de maio de 1973)

Sathya Sai Baba

14 de março de 2018

“Enquanto estiver neste mundo transitório, você tem uma necessidade dolorosa de alguém de seu tipo a quem possa comunicar seus sentimentos, compartilhar suas descobertas, depressões, momentos de bem-aventurança e tristeza. Alguém que possa estar ao seu lado enquanto trilha o caminho difícil para a verdade e a paz, encorajando-o e entusiasmando-o rumo ao objetivo. Os amigos que podem conferir conselhos reais, conforto e consolo são presentes preciosos, raramente encontrados hoje. A amizade deve unir dois corações e tocar ambos beneficamente, independente do que aconteça: perda ou ganho, dor ou prazer. Cada um deve corrigir o outro, pois cada um sabe que isso veio da simpatia e do amor. Cada um deve estar atento para que o outro não se desvie do ideal, não cultive hábitos que sejam deletérios e nem esconda pensamentos e planos que sejam malignos. A honra de cada um está sob custódia do outro. Cada um confia no outro e confia no amor vigilante do outro. Somente esses merecem o nome de ‘amigos’, esses que ajudam a estimular a vida, os ideais de limpeza, a elevar emoções e a se fortalecer.” (Discurso Divino, 24 de maio de 1973)

Sathya Sai Baba

15 de março de 2018

“A qualificação importante para o seva (serviço) é um coração puro, não contaminado por vaidade, ganância, inveja, ódio ou competição. Além disso, precisamos de fé em Deus como a fonte da vitalidade, da virtude e da justiça. Seva é o culto que você oferece ao Deus no coração de todos. Não pergunte ao outro a que país ou estado ele pertence, ou qual casta ou credo que ele professa. Veja a sua forma favorita de Deus naquela "outra pessoa". De fato, ele ou ela não é "outro", é a imagem do Senhor, tanto quanto você é. Você não está ajudando "um indivíduo". Você está Me adorando neles. Deus está diante de você naquela forma; então, que espaço há para o ego em você edificar seu disfarce? O dever é Deus, o trabalho é adoração. Mesmo o trabalho mais minúsculo é uma flor colocada aos pés de Deus. Aproxime-se de todos a quem você serve com um coração cheio do tesouro do Amor!” (Discurso Divino, 4 de março de 1970)

Sathya Sai Baba

16 de março de 2018

“A Cultura Bharatiya é a base do progresso humano. Ela irá elevar a humanidade pela promoção da fraternidade, defendendo a justiça e saturando cada pensamento, palavra e ação com reverência e humildade. Esta cultura permanecerá inabalável enquanto o Ganges fluir. Nenhuma tentativa de suprimir ou destruí-la pode ter sucesso. A história e as tradições de Bharat são tão puras, santas, santificantes, curativas e preciosas como o Ganges. As origens de ambos são as neves frias, reconfortantes e imaculadas! Quando homens e mulheres jovens não são treinados para viver uma vida benevolente e piedosa, ensinando-lhes várias habilidades e truques, isso não apenas os torna um perigo para si como para os outros. O hábito da oração irá inculcar coragem e confiança. Isso proporcionará ao aluno uma vasta e nova fonte de energia. Todos os esforços devem ser feitos para apresentar aos alunos as experiências doces de meditação e Yoga, ou à alegria de investigar a própria realidade!” (Discurso Divino, 13 de maio de 1970)

Sathya Sai Baba

17 de março de 2018

“Há pessoas que se levantam da cama com uma mente perturbada e agitada. Não faça isso! Levante-se do seu sono com uma mente pacífica. Pense em Deus. Se os pais se criticam assim que se levantarem da cama, certamente as crianças também começarão a brigar e a lutar entre si! As crianças sempre tentam imitar seus pais e, portanto, os pais devem dar o exemplo aos seus filhos. Você deve ensiná-los pela prática, não apenas pelo preceito. Sob qualquer circunstância, não dê lugar à raiva ou ao ódio. Nunca odeie ninguém. O ódio em você irá voltar para você como reflexo e fazê-lo sofrer. Você pode ter que enfrentar algumas dificuldades e dores, mas não se importe. Seja calmo e tranquilo. Considere todos como personificações da Divindade. Sua saudação ou zombaria, a quem quer que seja dirigida, chega a Deus. Ofereça suas reverências a todos. Compartilhe seu amor com todos.” (Discurso Divino, 2 de abril de 2003)

Sathya Sai Baba

18 de março de 2018

“Algumas pessoas mantêm o rosário girando em suas mãos, mas suas mentes vagam no mercado. Isso pode ser chamado de japa (repetição)? Enquanto meditamos, seu corpo e mente devem estar estáveis! O corpo é feito de cinco elementos, por isso está fadado a sofrer. Vocês não devem ser afetados por isso. Esse é o verdadeiro sadhana (exercício espiritual). Todos os outros sadhanas serão inúteis se não desistirmos do apego ao corpo. O dia de hoje marca o início de um ano muito sagrado. Não só neste ano, mas ao longo da sua vida, vocês devem cultivar pensamentos sagrados. Personificações do amor, desenvolvam mais e mais amor em vocês. Experimentem o amor e compartilhem com os outros. Vocês não são simplesmente mortais. Vocês são centelhas do divino. Conduzam suas vidas de tal maneira. Esta é a mensagem mais importante para este Ano Novo! Quando vocês compreenderem e internalizarem sua origem divina, seus pensamentos, palavras e ações se tornarão sagrados!” (Discurso Divino, 2 de abril de 2003)

Sathya Sai Baba

19 de março de 2018

“Quando você canta bhajans, mantenha o ritmo adequado batendo palmas. Deve-se bater palmas conforme o bhajan. E os bhajans devem ser entoados com a melodia adequada e de todo o coração. As três sílabas no nome Bha-ra-ta representam bhava (sentimento), raga (melodia) e tala (batida). Significa que os verdadeiros Bhartiyas são aqueles que cantam a glória de Deus com bhava, raga e tala. Você deve juntar as duas mãos e bater palmas. Os cinco dedos de uma mão simbolizam karmendriyas (sentidos da ação) e os da outra mão significam jnanendriyas (sentidos da percepção). Quando você canta a glória de Deus, deve haver harmonia entre estes dois. Permita que toda ação seja agradável a Deus. Você pode chamá-lo Rama, Krishna ou Govinda, mas Deus é um. Desenvolva o sentimento de unidade e alcance a visão do Eu Divino (Atma).” (Discurso Divino, 2 de abril de 2003)

Sathya Sai Baba

20 de março de 2018

“Uma cópia da Gita pode estar disponível por vinte e cinco centavos de rúpia; um romance pueril pode custar dez rupias. Qual é mais valioso? Qual pode transmutar metais comuns em ouro? Lembre-se, Seva (serviço) é mais proveitoso do que japa, dhyana, yajna e yaga (recitações, meditação, sacrifícios e rituais) geralmente recomendados para os aspirantes espirituais. Isso porque ele tem dois propósitos: a extinção do ego e a aquisição de ananda (bem-aventurança). Quando alguém sentado perto de você está abatido em tristeza, você pode estar feliz? Não. Quando um bebê chora muito tristemente perto do seu ouvido, as lágrimas correm em seus olhos em compaixão. Por quê? Existe uma ligação invisível entre os dois. Os seres humanos apenas têm essa qualidade da empatia; somente eles podem ser felizes quando outros são felizes e tristes quando os outros estão tristes. É por isso que os seres humanos são o modelo ideal de toda a criação. Os seres humanos apenas são capazes de seva. Essa é sua glória especial e habilidade única. Aproveite plenamente esse precioso nascimento!” (Discurso Divino, 4 de março de 1970)

Sathya Sai Baba

21 de março de 2018

“Estudantes! Vocês são personificações do Divino! Há dois aspectos de Vidya ou educação que vocês devem dominar: Vijnana - entender o mundo ao nosso redor, ou ciência, e também Prajnana - o aprendizado superior, a arte de controlar os sentimentos internos e as muitas camadas da Consciência. Benfeitores e beneficiários do campo educacional, ouçam isso: cada aluno tem um relógio no pulso. E, vocês olham para o relógio pelo menos cem vezes por dia. Bem, aprendam com o relógio esta grande lição. Quando você observar o relógio (watch em inglês), lembre-se das cinco letras da palavra WATCH (que também significa vigiar em inglês): cada uma lhes dá uma boa lição para a vida: "W" diz: "vigie suas palavras (word em inglês)"; ‘A’ avisa: “vigie sua ação (action em inglês)”; "T" indica "vigie seus pensamentos (thoughts em inglês)"; "C" aconselha: "vigie seu caráter (character em inglês)" e "H" declara: "vigie seu coração (heart em inglês)". Quando estiverem consultando seu relógio, absorvam esta lição que o relógio está transmitindo!” (Discurso Divino, 4 de março de 1970)

Sathya Sai Baba

22 de março de 2018

“O reconhecimento da Divindade inata, e a regulação da vida diária de acordo com essa Verdade, são as estrelas que guiam aqueles que estão presos nas correntes e contracorrentes de conflitos e lutas! Sem Atmajnana (consciência de sua própria realidade de que você é apenas uma onda no oceano da Divindade) a vida se torna uma farsa sem sentido, uma zombaria, um jogo de tolos. É a aquisição dessa consciência que torna a vida sincera, doce e frutífera. Quando você tenta preparar uma refeição, você pode ter com você todos os ingredientes que precisa: arroz, lentilhas, sal, limão, especiarias, legumes e assim por diante. Mas, a menos que tenha fogo na lareira, você não pode obter uma refeição comestível. Assim também na vida, o Atmajnana é o fogo que torna o mundo material e as atividades e experiências externas comestíveis e saborosas, digeríveis, concedendo saúde e dando alegria. Essa alegria é chamada Ananda; é edificante, iluminadora e construtiva!” (Discurso Divino, 16 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

23 de março de 2018

“Os ministros de Ravana falavam apenas o que lhe agradava; eles estavam com medo e assim, provaram ser conselheiros perigosos. Somente seu irmão Vibheeshana lhe dava o remédio benéfico que o teria curado; mas, como não era priya ou agradável, Ravana o rejeitou e caiu em perdição. Esta é a mensagem que trago - a Mensagem que confere força, paz, esperança e realização. Esta mensagem certamente é hitha (benefício), embora possa não ser priya (agradável). Um paciente deve tomar remédios e se submeter a um regime que seja benéfico; não se pode pedir apenas remédios doces e um regime confortável que lhe agrade. O médico sabe mais e deve ser obedecido em prol da recuperação. Os Vedas e as escrituras são os maiores repositórios de hitha, pois foram conquistados pela penitência e pelo trabalho de sábios e videntes que estavam interessados apenas no bem-estar da humanidade e na libertação do homem.” (Discurso Divino, 16 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

24 de março de 2018

“Se em cada família as virtudes ilustradas no Ramayana estiverem incorporadas, o Universo será resplandecente de alegria e paz! Todos sabem, Dasharatha governou Ayodhya e teve quatro filhos: Rama, Lakshmana, Bharata e Shatrughna. Bem, se em uma cidade chamada Ayodhya, houve certa vez um governante chamado Dasharatha e teve um filho chamado Rama, por que deveríamos celebrar o nascimento de Rama, neste momento e época? Vá um pouco mais fundo na história e você perceberá que Dasharatha não é o governante de uma terra distante! Ayodhya significa uma cidade que é invencível, na qual o inimigo não pode penetrar, uma fortaleza inexpugnável. Representa o Atma, o coração onde o Senhor reside, que está além das tentações, os sutis inimigos da paixão e emoção, impulso e instinto. E Dasharatha? A pessoa que estava no controle total de sua ratha (carruagem) - as dez entidades, ou seja, o corpo com os cinco sentidos da ação e os cinco sentidos do conhecimento!” (Discurso Divino, 4 de abril de 1971)

Sathya Sai Baba

25 de março de 2018

“Manifestações do Amor Divino! A história de Rama não é antiga. Ela é eterna e sempre nova. Ela é muito auspiciosa. Quando alguém contempla Rama incessantemente, ele obtém grande alegria e deleite! O Ramayana ensina os princípios da retidão (dharma) e o caminho do dever para cada indivíduo. O Ramayana estabelece um ideal para pais, irmãos e irmãs em todas as famílias e para a humanidade! É para entender e assimilar o princípio do Ramayana que estamos celebrando o festival de Rama Navami hoje. Não basta a celebração se limitar apenas a dividir pudim doce e outros itens deliciosos. Que vocês preencham seu coração com os sagrados ideais do Ramayana! Obedeçam aos comandos do Senhor Rama. Dor e prazer, tristeza e felicidade se sucedem. Deve-se tratá-los com equanimidade. Que vocês abandonem o ódio e todas as diferenças. Que vocês vivam em paz e harmonia!” (Discurso Divino, 11 de abril de 2003)

Sathya Sai Baba

26 de março de 2018

“Todo mundo tem que passar pelas adversidades da vida. É a natureza de pravritti (caminho exterior). Há outro aspecto na vida - nivritti (caminho interior). Uma criança vai até a mãe e diz: "Estou com fome". A mãe que segue apenas o caminho exterior diz: "Criança, vá e coma a comida. Sua fome será saciada". Este é o dharma de pravritti. Mas a mãe que trilha o caminho interior não diz apenas isso. Ela aconselharia a criança sobre que tipo de comida comer, quando e como comer também. A mãe que segue o caminho nivritti aconselha-a a comer tal alimento que lhe dará boa saúde. Alguém pode ter desejos, mas eles devem estar abaixo do limite. Eles devem basear-se na verdade e retidão. Não coma qualquer coisa que receber. Não fale o que vier à sua mente. Fale somente após a devida consulta. O Ramayana ensina os aspectos pravritti e nivritti da vida de uma maneira bonita. Não há moralidade mais elevada do que é retratado nele. O Ramayana deve ser o assunto de nossa parayana (adoração).” (Discurso Divino, 11 de abril de 2003)

Sathya Sai Baba

27 de março de 2018

“Nos tempos atuais, todos estão lamentando porque perderam a paz, a segurança e a felicidade. Há um alto clamor em todos os quarteirões. Mas alguém está procurando descobrir por que essa tragédia aconteceu? A razão é que "não há coordenação entre o que é dito e o que é feito". A hipocrisia é excessiva em lares, aldeias, escritórios e nos conselhos da nação. Alguns que passam as contas do rosário com o nome de Deus em seus lábios também estão engajados em buscas ímpias. Com a Bhagavad Gita em suas mãos, eles falam sobre escândalos e armam tramas malignas. Com rosários nos dedos, eles se irritam com servos, perdendo a paciência com o menor pretexto. Isto não é voto ou disciplina do espírito! Um verdadeiro devoto que se propõe a ser sincero deve exercer constante vigilância e praticar a disciplina de estar sempre na Presença Divina. Deus, que está agora adormecido em sua consciência, deve ser reconhecido e ressurgido para que cada ato seu reflita o esplendor divino.” (Discurso Divino, 4 de abril de 1971)

Sathya Sai Baba

28 de março de 2018

“Comece com esta primeira lição, a partir da cartilha espiritual. Não se vanglorie de ter simplesmente dominado a Bhagavad Gita, tendo lido centenas de vezes, e aprendido de cor todos os slokas (versos) com todos os comentários escritos até agora sobre eles. Entre todos os milhões que aprenderam a Gita, apenas Arjuna tinha Vishwarupa Darshana, a visão de que este Universo é apenas uma manifestação parcial de Sua imensurável glória. Por que esses grandes pandits (eruditos) não tiveram essa experiência? A realização dessa realidade pode vir apenas para o aspirante que a merece. Arjuna alcançou o estágio mais elevado de rendição quando o ensino começou e, durante o processo, ele teve ekagrata ou concentração insuperável. Não admira que ele tenha sido abençoado. A menos que você possua o mesmo grau de rendição, o mesmo anseio e a mesma concentração, como você pode esperar o resultado que Arjuna alcançou?” (Discurso Divino, 16 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

29 de março de 2018

“Jesus incutiu grande fé nas pessoas que viveram durante sua vida. Um desses pescadores foi nomeado por Jesus como Pedro. Ele desenvolveu um intenso amor e fé por Jesus. A partir de então, todos os pescadores costumavam levar Jesus a suas expedições de pescaria e depois de seu retorno à noite, Jesus costumava expor assuntos espirituais a eles. Quando o pai de Pedro faleceu, sua mãe ficou cheia de tristeza, mas Jesus a consolou dizendo: ‘A morte é apenas uma vestimenta da vida. Por que você derrama lágrimas? A morte é como mudar de vestido. Portanto, pare de se lamentar. Esses corpos físicos vêm e vão, então não desperdice seu pensamento nessas coisas efêmeras. O morador interno (dehi) que vive dentro deste corpo é a verdadeira Divindade! Qualquer pessoa com um corpo físico não pode escapar das vicissitudes da vida. Sem dificuldades, ninguém pode existir. A morte segue o nascimento e com a mesma certeza a miséria segue a felicidade!’” (Discurso Divino, 25 de dezembro de 2002)

Sathya Sai Baba

30 de março de 2018

“O governador de bom coração não queria que Jesus recebesse uma sentença de morte. Ele lamentou que um grande e nobre homem estivesse sendo crucificado sem nenhuma culpa. Ele disse a Jesus: “Você é um grande homem. Essas pessoas de coração de pedra tentam matá-lo sem qualquer motivo.” Jesus respondeu: “Estou feliz que pelo menos você entenda o Meu Deus!” Finalmente, antes da crucificação, Sua mãe, Maria, chegou perto Dele e começou a derramar lágrimas. Jesus consolou-a dizendo: “Por que você chora, mãe? O corpo é como uma bolha de água. Deixe-os fazer o que quiserem com este corpo. Não pense que eles estejam tentando me matar. Eu não tenho morte!” Maria então perguntou: “Você não é meu filho?” Jesus respondeu: “Claro! Estou relacionado fisicamente a você como filho - mas, "eu sou apenas eu". Vocês são como filhos para mim. Todos vocês são encarnações do Divino”. Assim, Jesus atingiu o mais alto nível de espiritualidade, tendo passado por todos os testes. Jesus não era apenas uma forma humana. Ele era a personificação do Eu Divino, na verdade.” (Discurso Divino, 26 de dezembro de 2007)

Sathya Sai Baba

31 de março de 2018

“Jesus passou por várias provações e tribulações durante o Seu tempo. Ele se tornou o Salvador e o Messias dos pobres e desamparados, ajudando-os de muitas maneiras. Certa vez, enquanto atravessava o deserto, uma pobre mulher se aproximou dele implorando por comida. Ele deu seu pão dizendo: "Tome isto". Quando alguém perguntou de onde o pão veio, Jesus respondeu que era a vontade Divina. Não há nada maior que a Vontade Divina. Tudo é a vontade de Deus. O principal dever de um ser humano é realizar a vontade de Deus e submeter-se a essa vontade divina. As pessoas hoje são cegas, tendo perdido os dois olhos da fé. Fé é a base para toda a criação. Portanto, acima de tudo, desenvolva fé. Quando há fé e amor, tudo o mais será acrescentado a tal pessoa. Muitas pessoas têm fé, mas carecem de amor. Fé desprovida de amor não tem utilidade. O amor e a fé devem estar juntos como polos magnéticos mutuamente atraentes.” (Discurso Divino, 26/12/2007)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.