Pensamento para o dia - março 2017

 

1° de março de 2017

“É a consciência no corpo físico que permite ao homem desfrutar dos prazeres vindos dos objetos experimentados pelos sentidos. Uma vez que se realiza a verdade de que somente os seres humanos têm a capacidade de buscar o eterno abandonando o apego ao corpo, a natureza divina da consciência se tornará clara. Então, cada ação poderá ser considerada como uma oferenda ao Divino. O trabalho será então transformado em adoração. Quando a identificação do Ser com o corpo se vai, a ação que pode parecer ser feita para o prazer pessoal pode ser convertida em ações de dedicação ao Divino. Quando as ações são realizadas neste espírito altruísta, pode-se experimentar um sentimento de libertação e desfrutar da bem-aventurança que está além da compreensão. Tudo começa com o controle dos sentidos, que é de fato o primeiro estágio da Auto realização. Isso deve ser iniciado precocemente na vida. Não se deve esperar até a velhice para embarcar neste exercício vital. Quando a morte bate à porta e alguém está cercado por seus amigos e parentes, não pode haver tempo para pensar em Deus. Comece a viagem para Deus de agora em diante.” (Discurso Divino, 19 de fevereiro de 1987)

Sathya Sai Baba

2 de março de 2017

“Embora a fonte da paz e da bem-aventurança esteja dentro, as pessoas a procuram no exterior, como quem persegue uma miragem. Devido à atividade inquieta, a preocupação sem fim e desejos ilimitados, a paz de espírito é perdida e a pessoa torna-se vítima de descontentamento e miséria. No início, a paz deve ser cultivada dentro de nós mesmos e, então, essa paz deve ser estendida à família. Da casa ela deve ser espalhada para nossa aldeia. Assim, a paz deve começar com o indivíduo e se espalhar para toda a sociedade. Na organização Sai, são feitos esforços para propagar os valores de Verdade, Retidão, Amor, Paz e Não-Violência. Isso é apenas propagação, mas não prática (ou demonstração). Mera pregação é inútil. De todas as virtudes, o amor é o primeiro. Se o amor é fomentado, todas as outras qualidades fluem dele. Nossa degradação é o resultado do esquecimento de Deus. Quando nos lembrarmos de Deus, nossa vida será cheia de paz e felicidade.” (Discurso Divino, 23 de março de 1989)

Sathya Sai Baba

3 de março de 2017

“Todos vocês têm cinco conselheiros em sua vida. Eles são: "Quem, quando, onde, o quê e como". Antes de empreender qualquer ação, vocês devem obter respostas para estas cinco perguntas. Quando vocês obtiverem as respostas corretas para elas, as ações baseadas nelas serão naturalmente condutas corretas. Infelizmente, a maioria das pessoas atua hoje sem qualquer preocupação com esses fatores. Todos vocês devem exercer seu próprio julgamento usando seus poderes de observação e discrição, usando todos os instrumentos dotados por Deus a vocês através da forma de órgãos de percepção e ação. Em cada membro de vocês, há potência divina. Essa potência divina é chamada de 'Angirasa'. Este nome deriva do fato de que Deus está presente em cada membro (Anga) como uma essência (Rasa). Por isso, não há necessidade de procurar Deus fora de si mesmos. Vocês são divinos. Todos os seus poderes são suas potências divinas.” (Discurso Divino, 14 de janeiro de 1997)

Sathya Sai Baba

4 de março de 2017

“Desenvolva a qualidade de 'Kshama' (tolerância e perdão) e abstenha-se da dureza na fala em todos os momentos. Sai é o melhor exemplo disso. Muitas pessoas se entregaram à calúnia e à crítica, mas permaneço totalmente inalterado e sigo firmemente o que considero bom. Você também deve perceber que se renunciar à tolerância e ao perdão, não terá paz. Estou sempre em paz porque eu sou sempre paciente. Você também deve permanecer do mesmo modo. O que quer que alguém possa fazer com você, não se preocupe com isso. O que é que você perde por causa de seu comportamento? Você não tem ideia de suas próprias forças ou fraquezas. Se você recorrer à retaliação, você só vai piorar sua própria condição. Assim, bravamente enfrente tais ataques e não se deixe agitar por eles. Você deve conquistar outros por sua tolerância. Faça da paciência seu alento vital e seu ideal.” (Discurso Divino, 14 de janeiro de 1997)

Sathya Sai Baba

5 de março de 2017

“Em todas as formas de práticas espirituais (Sadhana) o amor tem o primeiro lugar. O amor é a marca suprema da humanidade. Amor é Deus. Viva no amor. Comece seu dia com amor, preencha seu dia com amor e termine o dia com amor; este é o caminho para Deus. Você também deve envolver-se em Serviço (Seva), evitando qualquer traço de vaidade (Ahamkara). Ao prestar serviço, deve haver reconhecimento da onipresença de Deus em todos os seres humanos. A maioria das pessoas não desenvolveu o espírito de sacrifício (Tyaga) ou aversão aos prazeres sensuais (Bhoga). O verdadeiro serviço exige um espírito de sacrifício. Sacrifício é o único meio para alcançar a imortalidade. Qualquer trabalho que você possa fazer, se estiver varrendo o chão ou preparando o jantar, converta-os em um exercício espiritual. Infunda todas as suas ações com amor a Deus e as dedique a Ele.” (Discurso Divino, 23 de março de 1989)

Sathya Sai Baba

6 de março de 2017

“Vendo um copo meio cheio de água, o otimista se alegra que o copo esteja meio cheio, enquanto o pessimista está triste por estar meio vazio. Embora ambas as afirmações estejam corretas, o otimista espera encher a outra metade também, enquanto o pessimista desiste. O otimista tem fé, o pessimista não tem fé para sustentá-lo - esta é a diferença-chave. Fé é poder. Desenvolva a fé pelo esforço constante. Todos têm fé no amanhã seguinte a hoje e, portanto, assumem atividades e projetos que vão além deste dia! Pessoas sem fé não podem planejar, elas atraem a miséria devido à sua falta de fé! A fé deve levar ao esforço. Através do conhecimento, da fé e do esforço, a sabedoria pode ser alcançada. Equipado com estes, você pode escalar grandes alturas e emergir de forma vitoriosa. Não cultive muita fé em coisas meramente materiais. Desenvolva profunda fé na Verdade eternamente válida - Deus!” (Discurso Divino, 27 de junho de 1981)

Sathya Sai Baba

7 de março de 2017

“Todos têm vastos recursos de poderes. Quando você não os utiliza para cumprir os deveres para si mesmo e para a sociedade que o sustenta, você está apenas se tornando um alvo para o ridículo. Quando você está em uma plataforma de estação ferroviária, esperando o trem que deveria chegar e ouve o anúncio de que ele vai chegar cinco horas depois, como você se sente? Você não lança insultos contra o trem? Quando meros vagões recebem de você tal tratamento, quão pior tratamento você mereceria se não cumprisse seu dever e suas responsabilidades à sociedade? Utilize suas habilidades e aprendizado de forma consistente e eficaz conforme o dever exige. A menos que seja usado, mesmo um relógio fica enferrujado, o que pode ser dito, portanto, da habilidade não utilizada? O corpo não foi concedido por Deus para ser alimentado, bem vestido e para ser desfilado por aí com orgulho. O corpo deve ser exercitado para mantê-lo em boa forma, como uma ferramenta para servir os outros.” (Discurso Divino, 27 de junho de 1981)

Sathya Sai Baba

8 de março de 2017

“Abandonar o pequeno "eu" é o verdadeiro significado da renúncia (Tyaga). Tyaga não significa fugir de seu lar para a selva. Significa sublimar cada pensamento, palavra e ação como uma oferenda a Deus e saturar todos os atos com intenção Divina. Esta é a melhor prática espiritual para cultivar o amor desinteressado. O amor dá para sempre, ele nunca pede que o outro dê. Verta amor e você será banhado em troca. O amor desinteressado prospera na renúncia, eles são inseparáveis. A realidade essencial de um ser humano rejeita o ego como uma mancha. Quando você investigar sinceramente a questão, "Quem sou eu", você descobrirá que todos estão incluídos no "eu", e seu amor se expandirá ilimitadamente. Não se deve permitir ao ego expressar-se livremente, pois ele sufoca a fonte do amor. Deus é amor, assim todas as coisas criadas por Deus estão preenchidas de amor.” (Discurso Divino, 17 de julho de 1981)

Sathya Sai Baba

9 de março de 2017

“Eu vim para reformá-lo. Eu não vou deixá-lo até que Eu faça isso. Mesmo se você fugir antes que Eu faça isto, não pense que você pode escapar de Mim, Eu vou me prender a você. Eu não ficarei preocupado se você deixar Sai, pois não estou ansioso que deve haver um grande encontro aqui e uma grande comitiva em torno de Mim. Quem convidou todos aqui? Sem qualquer convite impresso, milhares estão vindo para Sai. Mas, de uma coisa tenha certeza. Se você vem a Mim ou não, você é todo Meu. Esta Sai Mata (Mãe de todos) tem o amor de mil mães para Seus filhos; é por isso que faço tanta lalana (carícia) e tanta palana (proteção). Se pareço estar com raiva, lembre-se, é apenas o amor em outra forma que Eu uso para evidenciar Meu desapontamento quando você não se molda em conformidade com a Minha orientação.” (Discurso Divino, 11 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

10 de março de 2017

“A mente é o vento que nos traz o cheiro - fétido ou perfumado do mundo. Quando a mente se torna fétida, isso o deixa enojado. Quando se volta para o perfumado, você fica feliz. O vento reúne nuvens dos quatro cantos; da mesma forma, sua mente traz à sua consciência muitas decepções. É também a mesma mente que dispersa as nuvens que obscurecem ou fazem com que se sinta perdido na noite da dúvida. Controle a mente e você permanecerá imperturbável em todos os momentos. Este é o segredo para a paz imperturbável - Shanti, e esta é a educação que todos vocês devem primeiro assegurar firmemente. Para conseguir essa equanimidade, você não precisa de níveis acadêmicos elevados, mas de esforço espiritual sistemático (Sadhana). Então você será sempre feliz, seja você pobre ou rico, apreciado ou criticado, próspero ou desafortunado. Essa é uma armadura sem a qual é tolice entrar na arena da vida.” (Discurso Divino, 20 de dezembro de 1958)

Sathya Sai Baba

11 de março de 2017

“Você já ouviu a história da coelha que pegou emprestado da Mãe Terra quatrocentas rúpias? Ela pensou que se ela se mudasse para um novo lugar ou país, estaria livre da obrigação. Então, um dia, ela correu tão rápido quanto suas pernas puderam carregá-la e foi muito longe do lugar onde ela havia tomado a quantia da Mãe Terra. Contente com o esforço dela mesma, sentou-se em grande alívio e disse a si mesma: "Agora ninguém vai me pedir para pagar!" Para seu absoluto desânimo, bem abaixo de onde ela estava sentada, do chão abaixo, ela ouviu uma voz, “A Mãe Terra está bem debaixo dos seus pés, bem aqui. Você não pode escapar de mim, por mais que você corra!" Assim também, você não pode fugir de Mim. Tudo que exijo é boa conduta, bons hábitos, bons pensamentos e boa companhia, onde quer que você esteja. Use esta preciosa oportunidade para lutar mais intensamente, mais do que nunca, para alcançar seu objetivo.” (Discurso Divino, 11 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

12 de março de 2017

“Todos têm muita concentração. Você conhece a arte, pois toda tarefa a exige e todos se beneficiam de uma boa concentração. O carpinteiro, o tecelão, o balconista, o barqueiro - todos a têm em maior ou menor grau. Use esse poder de concentração para a tarefa de conduzir a mente em direção à sua própria bondade. Examine seu funcionamento e treine-a para restringir-se à boa companhia, bons pensamentos e boas ações. Pratique meditação em qualquer forma do Senhor e repita qualquer nome do Senhor com a consciência de sua doçura. Isso vai ensinar sua mente a ser afiada e produzir boa música tanto pelas alegrias, como também pelas dores que são incidentais à vida. Se você entra na arena da vida apenas para obter alegria sensorial, você terá todos os tipos de problemas. É como velejar em um barco minúsculo, em um mar tumultuado, sem um leme. Portanto, ingresse no caminho da disciplina espiritual agora mesmo.” (Discurso Divino, 20 de dezembro de 1958)

Sathya Sai Baba

13 de março de 2017

“Lembre-se, como a água subterrânea, o Divino está em todos. O Senhor é o Morador interno em todos os seres; Ele é Todo penetrante. Ele é a Alma (Atma) de cada ser. Ele está em você tanto quanto em todos os outros. Ele não está mais em uma pessoa rica e nem é maior em alguém obeso; Sua centelha ilumina a caverna do coração de cada ser. O sol brilha igualmente sobre tudo; Sua Graça está caindo uniformemente sobre tudo. São apenas as pessoas quem erguem obstáculos que impedem que os raios de Sua Graça as aqueçam. Não culpe o Senhor por sua ignorância, tolice ou teimosia. Assim como a água subterrânea brota em uma fonte de água fervente quando um poço é perfurado até a profundidade, pelo constante canto do Nome Divino, toque a fonte da Divindade, de modo que um dia ela jorre abundantemente, concedendo-lhe frescor e alegria intermináveis.” (Discurso Divino, 20 de dezembro de 1958)

Sathya Sai Baba

14 de março de 2017

“Você só conhece o presente, o que está acontecendo diante de seus olhos; você não sabe que o presente está relacionado ao passado e está preparando o curso do futuro. Cada nascimento limpa a memória que alguém já experimentou. As pessoas não percebem que o fim deste ciclo de nascimento e morte está em suas próprias mãos. A árvore veio da semente e a semente da árvore e assim por diante, desde o início dos tempos. Você não pode saber qual veio primeiramente - árvore ou semente, mas você deve saber que pode facilmente pôr um fim ao ciclo fritando a semente. Uma semente frita não brotará novamente! Você afirma ter dominado seus sentidos e todos os desejos inferiores, mas eles brotam na primeira oportunidade, assim como a grama que cresce após a primeira chuva de verão. Assim como você procura o úbere da vaca por conta do leite que ela dá, procure apenas o Senhor e Sua Glória na Natureza. De fato, a Natureza é útil somente quando ela aumenta a maravilha e o temor que ela é capaz de provocar e sustentar.” (Discurso Divino, 12 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

15 de março de 2017

“A vida é uma peregrinação a Deus; o lugar sagrado está lá, longe. A estrada está bem diante de você, mas a menos que você dê o primeiro passo em frente e siga esse passo com outros, como você pode alcançá-lo? Comece com coragem, fé, alegria e estabilidade. Você está fadado a ter sucesso. Sua mente e intelecto são dois bois atrelados à carroça do seu 'eu interior'. Os bois não estão acostumados com o caminho da Verdade, da Retidão, da Não-violência, da Paz e do Amor, e assim eles arrastam a carroça para a estrada que lhes é muito familiar, a saber, a falsidade, a injustiça, a preocupação e o ódio. Como seu mestre, você deve treiná-los a tomar o melhor caminho, para que eles não possam trazer desastre a si próprios, à carroça a qual eles estão ligados e aos passageiros da carroça.” (Discurso Divino, 12 de dezembro de 1958)

Sathya Sai Baba

16 de março de 2017

“Seu filho lhe dará grande alegria pelas brincadeiras e conversa infantil, mas quando ele interfere em seu trabalho ou exige a sua atenção quando você está trabalhando em algo importante, você fica muito irritado com ele. Seu filho agora se torna sua fonte de alegria, bem como de tristeza! Lembre-se, não há nada no mundo que possa lhe dar alegria sem mistura. Mesmo que haja uma dessas coisas, quando ela se perde, você ficará muito triste! Isso está na própria natureza deste mundo. Portanto, tente corrigir a própria fonte de alegria e tristeza, a mente. Controle sua mente e treine-a para aceitar e ver a verdadeira natureza deste mundo objetivo, que atrai e repele você por turnos. Este é o verdadeiro fruto da educação!” (Discurso Divino, 20 de dezembro de 1958)

Sathya Sai Baba

17 de março de 2017

“Muitos desencorajam-no a assumir práticas espirituais e dizem que estas podem ser iniciadas em uma idade madura, como se fossem prerrogativas ou punições especiais para os idosos! Aprecie o mundo enquanto você pode e, então, pense no futuro - essa parece ser a atitude de muitos! A criança dá os primeiros passos na segurança de sua casa; ela hesita lá dentro até que seus passos se tornem firmes, até que seu equilíbrio seja aperfeiçoado e, então, à medida que cresce, ela lentamente se aventura nas ruas e no mundo inteiro. Do mesmo modo, todo ser deve dominar primeiro o mundo interior e tornar-se impermeável às tentações. Você deve aprender a não cair quando os sentidos o fizerem tropeçar; você deve aprender o equilíbrio da mente, que não o fará se inclinar mais para um lado do que para outro. Depois de dominar essa sabedoria discriminatória, você poderá se mover com confiança pelo mundo exterior, sem medo de acidentes à sua personalidade.” (Discurso Divino, 7 de fevereiro de 1959)

Sathya Sai Baba

18 de março de 2017

“O homem é salvo pelo Vedanta, que é como o rugido do leão. Ele dá coragem e iniciativa; torna a pessoa um herói. Ele não lamenta ou geme ou chora. Ele instila os mais altos tipos de autoconfiança. É a armadura mais forte contra as flechas do destino, ela é impermeável contra a chuva de granizo do prazer sensual. É uma cortina que mantém para fora os mosquitos da preocupação, que de outra forma roubam o sono. Com um coração saturado de Vedanta, você é uma rocha na praia, não afetada pelas ondas da tentação. Vedanta desafia seu espírito de aventura, sua própria realidade. Embarque no trem da disciplina espiritual agora e você chegará ao término que é jnana (absoluto conhecimento de você e de tudo isso). Em uma viagem de trem você não desce no meio quando alguma estação o atrai. Igualmente, na jornada espiritual, as estações são karma (ação), upasana (contemplação) e assim por diante. Você deve passar por elas, mas lembre-se que elas não são o fim. O fim é a Realização.” (Discurso Divino, 3 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

19 de março de 2017

“Como um vaso de latão que deve ser esfregado com tamarindo, lavado e seco para brilhar como novo, sua mente também deve ser tratada com bondade e serviço, repetição do nome do Senhor, realização de ações benéficas e contemplação do bem-estar de todos. O Sol está aqui no céu, todos os dias. São as nuvens passageiras que às vezes o escondem de sua visão. Da mesma forma, o mundo sensorial é a nuvem que esconde a Alma Divina (Atma) que está sempre brilhando no firmamento de seu coração. A mesma mente que reúne as nuvens também pode dispersá-las com um comando! Pois, é o vento que as recolhe de todos os cantos e torna o céu escuro. E no momento seguinte, elas mudam a direção e são enviadas em debandada para o lugar de onde quer que elas tenham vindo! Igualmente, sua mente é toda poderosa. Treine-a para dispersar as nuvens da ilusão, não as reúna.” (Discurso Divino, 12 de abril de 1959)

Sathya Sai Baba

20 de março de 2017

“Deus não é atraído pelo conhecimento ou pela erudição que não levam a nada, exceto ao egoísmo e ao orgulho. Deus é atraído apenas pela devoção pura. Traga-Me quaisquer que sejam os problemas que você tiver e Eu os tomarei e lhe darei bem-aventurança! Você corre para o templo ou a Prasanthi Nilayam e anseia por obter um darshan! Que maior sinal de devoção é necessário do que este anseio? Mas, este amor não é suficiente! Na verdade, não significa muita coisa! O que é necessário é a regulação desse Amor na forma de virtude e serviço. Se você conseguir isso, você realmente conseguirá alguma coisa. A renúncia e o amor divino devem reverberar a atmosfera e o silêncio como disciplina deve preencher o lugar. Tenha o Nome do Senhor em sua língua e a forma de seu Senhor escolhido diante de seus olhos. Se você se moldar desta forma, o lugar onde você estiver se tornará Kashi e sua casa se tornará Badri.” (Discurso Divino, 3 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

21 de março de 2017

“O intelecto deleita-se com discussão e disputa. Uma vez que você cede à tentação da dialética, levará muito tempo para escapar de seus grilhões e desfrutar da bem-aventurança. Portanto, esteja ciente da limitação da razão. A lógica deve dar lugar ao amor e à devoção. O intelecto pode ajudá-lo por uma pequena distância ao longo do caminho para Deus, o resto é inspirado e iluminado pela intuição. E muitas vezes, o egoísmo tende a encorajar e justificar a selvageria, pois uma pessoa é conduzida pelo caminho errado por sua própria razão, se esse for o caminho que ela gosta! Você muitas vezes chega à conclusão que deseja alcançar! A razão só pode ser domada pela disciplina, pela aplicação sistemática do jugo da compaixão, da calma, da tolerância e da resistência (Dhaya, Shantham, Kshama, Sahana). Treine-a para caminhar tranquilamente ao longo de pequenos trechos de estrada e depois que você estiver confiante de sua docilidade, você pode levá-la ao longo do tortuoso caminho sêxtuplo das tentações - luxúria, raiva, cobiça, ilusão, orgulho e ciúme.” (Discurso Divino, 12 de abril de 1959)

Sathya Sai Baba

22 de março de 2017

“Não me diga que está completamente satisfeito com a ilusão dos prazeres mundanos e não se importa com bem-aventurança e paz! Confie em Mim, sua natureza básica abomina essa rotina maçante e aborrecida de comer, beber e dormir, e está buscando sinceramente algo que sabe que perdeu, que é contentamento (Shanti). No fundo, todos anseiam por libertação da escravidão do trivial e temporário, e isso está disponível em apenas uma loja – na da contemplação do Eu Superior, que é a fonte de tudo o que é visto! Por mais alto que um pássaro possa subir, mais cedo ou mais tarde, ele procura pousar em um topo de árvore para desfrutar da quietude. Assim também virá um dia quando até os mais arrogantes, os mais obstinados, os mais incrédulos e até os que afirmam que não há alegria ou paz na contemplação do Senhor, terão de orar: ‘Oh Senhor, concede-me Paz, concede-me consolação, força e alegria!’” (Discurso Divino, 7 de fevereiro de 1959)

Sathya Sai Baba

23 de março de 2017

“Não se envolva no cultivo ou na promoção de vontades e desejos. Esse é um processo sem fim de semear e colher; você nunca alcançará contentamento e um desejo, quando satisfeito, incitará a sede de dez mais. Não corra atrás de desejos sinuosos ou de satisfações tortuosas. Todos os caminhos que conduzem ao reino dos sentidos são tortuosos e cegos, somente a estrada que conduz ao caminho do Senhor é reta. Cultive a retidão em cada ação, isso revelará o Eu Divino. Simplicidade lhe permitirá superar as três gunas (características). Nenhuma Guna única deve dominar; todas devem ser domesticadas para preencher o lago da bem-aventurança. É a sua bem-aventurança interna que importa, não o externo, o sensorial, o objetivo e o mundano. Se a estabilidade interna ou o equilíbrio interior não forem perturbados pelos altos e baixos externos, isso é um sinal certo de sucesso espiritual.” (Discurso Divino, 12 de abril de 1959)

Sathya Sai Baba

24 de março de 2017

“Prática - essa é a coisa real que importa na espiritualidade! A erudição é um fardo, é muitas vezes uma desvantagem. Enquanto se acredita que Deus está longe nos templos e lugares sagrados, você sente a religião como um fardo e um obstáculo. Mas plante-O em seu coração e você se sentirá leve, sem fardo e de fato, mais forte! É como a cesta de alimentos - quando você a carrega no ombro, parece pesada e você sente que está muito fraco para sequer carregá-la durante uma caminhada. Mas sente-se perto de um córrego e coma-a. Embora o peso total não diminua, a consequência de comer a comida faz você se sentir mais leve e de fato mais forte! Da mesma forma, aplique isso à ideia de Deus. Não carregue em seu ombro, assimile 'Ele'! Deixe-O florescer dentro de você! Mantenha a memória do Senhor e Sua Glória sempre com você!” (Discurso Divino, 18 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

25 de março de 2017

“Você pode duvidar se uma palavra tão pequena como Rama, Sai ou Krishna pode levá-lo através do mar ilimitado da vida mundana. As pessoas atravessam vastos oceanos em uma jangada minúscula; elas são capazes de andar através de selvas escuras com uma pequena lâmpada em suas mãos. O Nome, mesmo o Pranava (Om), que é menor, tem vastas potencialidades. A jangada não precisa ser tão grande quanto o mar. A recitação do Nome Divino é como a perfuração de um poço para conseguir água subterrânea; é como o golpe do cinzel que liberará a imagem de Deus aprisionada no mármore. Quebre o invólucro e o Senhor aparecerá; rache o pilar, como Prahlada (devoto do Senhor Vishnu) pediu a seu pai para fazer, e o Senhor que está sempre lá se manifestará. Agite com força e você trará a manteiga, latente no leite, à mostra.” (Discurso Divino, 13 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

26 de março de 2017

“Como o gatinho que chama a mãe de onde ele se senta apenas miando, tudo o que o devoto verdadeiro necessita fazer é apenas ansiar pelo senhor! Um mero miado com a dor da separação conquistará Seu coração. A plantação em crescimento nos campos tem sede de chuva. Ela vê as nuvens de chuva forte navegarem no céu, mas não pode subir até essa altitude, nem pode trazer as nuvens para o chão. A humanidade também chia no sol quente, o calor insuportável do ego e da ganância. Ela precisa da chuva da graça; ela sabe que só pode florescer com paz e alegria. Assim como as nuvens formam gotículas e caem sobre os campos que escolhem fomentar, o Absoluto sem Forma se individualiza, assume forma e desce no meio da humanidade para salvar e sustentar. Esse é o segredo de Deus (Madhava) descendo como homem (manava). Uma vez que as chuvas vêm, o sol tem seus usos! Igualmente, quando a graça do Senhor é conquistada, o ego e a ganância podem ser aproveitados fazendo-os fluir em canais úteis.” (Discurso Divino, 25 de janeiro de 1963)

Sathya Sai Baba

27 de março de 2017

“O contato dos sentidos com o objeto suscita desejo e apego; isso leva a esforço e, consequentemente, à alegria ou desespero! Então, há o medo da perda ou tristeza pelo fracasso e o comboio de reações se alonga. O "observador" não deve se ligar ao "observado"; esse é o segredo para se viver feliz. Com muitas portas e janelas abertas a todos os ventos que sopram, como pode a chama da lâmpada sobreviver? A lâmpada é a sua mente que deve queimar constantemente, inalterada pelas exigências do mundo exterior. A entrega total ao Senhor (Saranagathi) é uma maneira de fechar as janelas e portas. Pois, quando você se rende completamente ao Senhor, você fica desprovido de "ego" e, assim, não é golpeado por alegria ou sofrimento. Saranagathi permitirá que você aproveite a Graça do Senhor para enfrentar todas as crises que surgem em sua vida e o torna heroico, firme e melhor preparado para enfrentar os desafios.” (Discurso Divino, 13 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

28 de março de 2017

“Um ano velho se vai e um ano novo chega, e as pessoas comemoram com alegria a chegada do ano novo. Você sabe quantos séculos se passaram desde a história da humanidade? Não adianta voltar atrás e observar a estrada percorrida - o seu dever é observar a estrada à frente e caminhar firmemente rumo ao seu objetivo. É a falta de fé que faz com que você perca a paciência e se precipite em ataques de raiva; é a falta de fé em si mesmo e nos outros. Se você se vê verdadeiramente como o Eu Divino imortal e todos ao seu redor como seus reflexos, assim como as escrituras as declaram, você nunca será incitado a ficar zangado. O que você deve resolver hoje no auspicioso Ano Novo é marchar firmemente no caminho espiritual para manifestar sua Divindade. Resolva fazer uma coisa - Pratique primeiro e depois pregue!” (Discurso Divino, 13 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

29 de março de 2017

“Reformar as tendências e o caráter é uma tarefa árdua. Pode-se ter estudado todos os livros-texto de prática espiritual, também ter lido todas as escrituras, e pode-se até ter lecionado durante horas sobre elas; mas, a pessoa cai em erro quando confrontada com a tentação. Como a terra que está seca, o coração pode parecer estar livre de qualquer colheita do mal, mas quando as primeiras chuvas caem, as sementes e as raízes debaixo do solo transformam a terra seca em um tapete de verde. Você pode ter o melhor dos vegetais, você pode ter o chef mais capaz do mundo, mas se o recipiente de cobre em que você prepara a sopa não estiver estanhado, o prato que você cozinhar será altamente venenoso. Da mesma forma, você deve 'estanhar' seu coração com a verdade, a retidão, a paz e o amor divino. Só então ele se tornará um recipiente apto a repetir nomes sagrados, praticar meditação, observar votos religiosos, fazer adoração ritualística, e assim por diante.” (Discurso Divino, 13 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

30 de março de 2017

“No passado, as Encarnações Divinas livraram o mundo do mal destruindo os poucos fanáticos e ogros que criaram esse mal. Mas nos tempos atuais, o fanatismo e o crime reinam em cada coração. As pessoas maléficas são uma legião, ninguém está livre dessa mácula, e todos são perversos de uma forma ou de outra. Portanto, todos precisam de correção. Todos devem ser educados e guiados no caminho certo. Todo ser é um peregrino destinado a retornar a Deus e fundir-se Nele. Mas a maioria das pessoas esqueceu o caminho, vagam como crianças perdidas, perdendo um tempo precioso nas ruas secundárias do mundo. Os seres humanos são os melhores entre as criaturas que podem sentir, pensar e experimentar sua própria viagem através do tempo! Armado com a espada do discernimento (Viveka) e o escudo da renúncia (Vairagya), você deve usar esta preciosa oportunidade para transformar-se e se tornar Divino - esse é o seu destino, o plano e o propósito do seu ser.” (Discurso Divino, 25 de janeiro de 1963)

Sathya Sai Baba

31 de março de 2017

“Uma vez, uma pessoa em grande angústia clamou por uma reserva no guichê de uma estação ferroviária, mas o funcionário não pôde ajudar pois a pessoa não sabia para onde queria ir. Ela estava ansiosa apenas para ir embora, pois já tinha tido o suficiente daquele lugar. Como alguém poderia ajudá-la? Todos, mais cedo ou mais tarde, se comportam assim. A vida não é algo imaculado. Ninguém é feliz por estar imerso na vida mundana. Todo indivíduo é sacudido pelas ondas de alegria e sofrimento; é golpeado pela sorte, boa ou ruim; é alvo de elogios e críticas. O mal ao redor abala a paz e a ansiedade, e rouba o sono e o silêncio da pessoa. Ela, portanto, tenta escapar de tudo isso, mas não tem certeza para onde ir! O professor espiritual (Guru) pode orientá-lo para o caminho, qual lugar procurar; mas, mesmo um Guru não pode fazer você alcançá-lo. Você deve caminhar ao longo da estrada sozinho.” (Discurso Divino, 14 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.