Pensamento para o dia - junho 2021

01 junho de 2021

Ninguém deve ferir os outros por meio da fala, de ações ou de qualquer outra maneira. De acordo com Buda, o verdadeiro Dharma (Retidão) consiste em se abster de causar dano a qualquer pessoa por meio do pensamento, da palavra ou da ação. [Sri Sathya Sai Speaks Vol. 30/Ch. 13, May 15, 1997, Buddha Purnima]

Sri Sathya Sai Baba

02 junho de 2021

Buda não suportava ver ninguém sofrendo. Ele ficava triste ao ver os velhos maltratando os jovens, os homens com autoridade perseguindo o povo e os peixes grandes engolindo os pequenos. Ele percebeu que era errado alguém causar mal aos outros. Por isso, ele declarou: a Não violência é o Dharma Supremo (Suprema ação correta). [Sri Sathya Sai Speaks Vol. 30/Ch. 13, May 15, 1997, Buddha Purnima]

Sri Sathya Sai Baba

03 junho de 2021

Buda declarou: “Mãos na sociedade, cabeça na floresta” (Sangham sharanam gachchami). Ele renunciou a tudo para pensar em promover o bem-estar da sociedade. Ele declarou: "Eu me refugio na Ação Correta" (Dharmam sharanam gachchami). O que é este Dharma? "A não violência é o Dharma mais elevado" (Ahimsa paramodharmah). Dharma significa não causar dano a ninguém. [Sri Sathya Sai Speaks Vol. 30/Ch. 13, May 15, 1997, Buddha Purnima]

Sri Sathya Sai Baba

04 junho de 2021

Muitos de vocês interpretam erroneamente upavasa como 'jejum' e Eu sei que vocês exageram. Vocês jejuam na segunda-feira para agradar Shiva, na terça-feira para agradar Lakshmi, na quarta-feira para propiciar algum outro Deus, na quinta-feira em Meu Nome, na sexta-feira para Gauri e no sábado, por medo de Shani e no domingo, para obter o favor do Sol. Agora, este jejum não os deixará mais perto da Graça de Deus. Upavasa significa que todos os seus pensamentos, ações e palavras nesses dias sagrados devem ser sobre Deus, vocês devem passar o dia 'perto' Dele, 'Nele’ e 'para' Ele. Isso significa que comer, dormir e outras ocupações corporais assumem um papel secundário, enquanto a meditação e a repetição do Nome assumem o papel principal. Se o seu corpo definhar como resultado desses jejuns, Deus será culpado! Assim, vocês só estão atraindo a calúnia das pessoas sobre o Deus que vocês adoram! Eles virão até vocês e dirão: “O quê! Antes de começarem esse Puja para Sai Baba, vocês estavam com uma aparência muito melhor; agora vocês se tornaram tão magros e frágeis; vocês mal conseguem se mexer!” Não exagerem em nada; sejam moderados e sábios. (Discurso Divino, 20 de fevereiro de 1966)

Sri Sathya Sai Baba

05 junho de 2021

Os desejos, quando satisfeitos, geram outros desejos; quando não realizados, eles conduzem a novas parcelas de vida na terra, a fim de acalmar o impulso! O único método pelo qual a ilusão do desejo pode ser destruída é dedicar todas as atividades a Deus. Envolva-se em ações com espírito de adoração; deixando as consequências para Ele e parando de se apegar a elas! Considere todos como a Personificação do Divino e adore cada um como tal, oferecendo amor, compreensão e serviço. Apenas os cegos serão indiferentes à condição sombria dos outros, e apenas os surdos não serão afetados pelos soluços dos outros. Na verdade, não existem os 'outros'! Todos vocês são 'células vivas' no corpo de Deus, cada uma desempenhando sua função individual para promover Sua Vontade. A alegria que uma pessoa obtém ao promover a alegria de outra é incomparável. Seu coração deve se derreter de compaixão quando o olho vê outra pessoa sofrendo. Esse é o sinal de um indivíduo puro ou nobre (sátvico)! (Divino Discurso, 01 de abril de 1975)

Sri Sathya Sai Baba

06 junho de 2021

Enquanto vocês são estudantes, vocês devem sentir que estudar é seu primeiro e único dever. Sejam uma testemunha do que está acontecendo fora da sala de aula; não saiam correndo e se distraiam. Tentem identificar o Um nos muitos; tornem-se fortes, física, mental e espiritualmente; absorvam o máximo possível a sabedoria adquirida no passado e cultivem as habilidades pelas quais vocês podem servir à sociedade. O coração impregnado de compaixão é, na verdade, o altar de Deus. Se vocês esquecerem esses ideais e permitirem que a ganância, a vaidade e o ódio criem raízes em seus corações, vocês estão apenas se rebaixando ao nível da besta. Como primeiro passo no progresso educacional, vocês devem reverenciar seus pais e ter gratidão e amor por eles. É por meio deles que vocês têm essa chance maravilhosa de vida na Terra. Eles são os guardiões da cultura, os primeiros professores que incutiram virtude em vocês. (Divino Discurso, 23 de março de 1975)

Sri Sathya Sai Baba

07 junho de 2021

O imperador Shivaji uma vez enviou algumas pessoas de sua corte até Samartha Ramdas, seu preceptor, com grandes quantidades de provisões, grãos, roupas, doces e vasos. Ele perguntou: "Para quem vocês trouxeram isso e por quê?" Eles responderam: "Para o senhor. O senhor não tem ninguém que possa prover para o senhor, então, Shivaji Maharaj enviou estas coisas." Ramdas riu e disse: "Eu tenho a Providência para prover para mim; só Deus não tem ninguém para prover para Ele. Peça a Shivaji para enviar isso a Deus!" Agora, há uma onda de ansiedade se espalhando pelo mundo, como resultado do aumento dos preços, e tentativas estão sendo feitas freneticamente para baixá-los. A causa fundamental do aumento dos preços é a queda do preço do homem! O homem deve perceber seu valor inestimável; ele não deve se considerar uma porca ou parafuso barato, que não tem um propósito maior na vida. Ele deve saber que ele é o imperecível e invencível Atma (Alma) e o corpo é apenas um veículo para ele! (Divino Discurso, 01 de abril de 1975)

Sri Sathya Sai Baba

08 junho de 2021

Por meio da disciplina espiritual contínua e consistente, o homem pode controlar os caprichos da mente, que, por sua variedade e vaidade, causam decepção e angústia! O que é necessário é a consciência do jogo maldoso que a mente joga. Ela apresenta diante da sua atenção, uma fonte após a outra de prazer temporário; não permite nenhum intervalo para pesarem os prós e os contras. Quando a fome é aplacada, ela mantém diante dos olhos a atração do filme, ou lembra ao ouvido o encanto da música, ou faz a língua salivar pelo sabor agradável de algo que anseia. O desejo logo se torna um ímpeto de ação; o ímpeto logo ganha força e o anseio se torna incontrolável! O fardo dos desejos gradualmente se torna pesado demais e a pessoa fica desanimada e triste. Treinem a mente para se voltar para a inteligência em busca de inspiração e orientação, não para os sentidos em busca de aventuras e realizações. Isso a tornará um instrumento para reduzir seus caprichos e economizar tempo e energia para assuntos mais vitais! (Divino Discurso, 01 de abril de 1975)

Sri Sathya Sai Baba

09 junho de 2021

Devoção e fé devem ser cultivadas por todos os alunos. Sejam tão dedicados e disciplinados quanto Arjuna. Sejam tão inteligentes e fortes quanto Bhima. Sejam firmes e sinceros como Dharmaraja. Então, nenhum dano pode acontecer a vocês; vocês alcançarão a vitória em todos os seus esforços. Existem quatro comandos que vocês terão que consolidar diante de sua atenção: (1) Siga o Mestre (2) Enfrente o Diabo (3) Lute até o Fim e (4) Conclua no Objetivo. ‘Siga o Mestre’ significa cumprir o Dharma. ‘Enfrentar o Diabo’ significa superar as tentações que o assediam quando vocês tentam ganhar artha (riqueza ou os meios para viver com conforto). ‘Lutar até o fim’ significa lutar incessantemente; travar guerra contra os seis inimigos que são liderados por kama (luxúria). E, finalmente, ‘Concluir no Objetivo’ significa não parar até que o objetivo de Moksha (libertação da ignorância e da ilusão) seja alcançado. Esses comandos são fundamentais para a busca dos quatro Purusharthas - Dharma, Artha, Kama e Moksha. (Divino Discurso, 06 de julho de 1975)

Sri Sathya Sai Baba

10 junho de 2021

Athi Sarvathra Varjayeth é um axioma antigo; significa, ‘Evite o excesso, em todos os lugares’. Vocês devem respeitar os limites estabelecidos por sábios experientes em textos sagrados. Eles agem como diques que barram as águas da inundação; eles direcionam as paixões furiosas para canais inofensivos e salvam vocês da ruína. Claro, o homem tem necessidades elementares - físicas, mentais e intelectuais, que devem ser satisfeitas em alguma medida. Mas, não há necessidade de se sobrecarregar com alimentos indesejados, móveis supérfluos e mansões com vários cômodos. O luxo enerva e escraviza. Os líderes devem dar o exemplo a esse respeito, pois as pessoas geralmente tentam imitá-los e rivalizar com eles. Um exemplo é mais eficaz do que um preceito. Um grama de prática vale mais do que uma tonelada de pregação. É por isso que declaro: "Minha vida é Minha mensagem". Vocês devem transformar suas vidas em exemplos do ideal que pregam. Os pais devem dar bons exemplos para os filhos e os professores devem dar bons exemplos para os alunos! (Discurso Divino, 01 de abril, 1975)

Sri Sathya Sai Baba

11 junho de 2021

O homem tem que adorar a Deus na forma de homem; Deus aparece diante dele como um mendigo cego, um idiota, um leproso, uma criança, um velho decrépito, um criminoso ou um louco. Vocês devem ver, mesmo por trás desses véus, a personificação divina do amor, do poder e da sabedoria - o Sai - e adorá-Lo por meio do serviço abnegado. Deus não pode ser identificado com um Nome e uma Forma. Ele é todos os Nomes e Formas. Os nomes de vocês também são Dele, vocês são as Suas formas! Aparecem como corpos individuais separados porque o olho que os vê busca apenas corpos, o invólucro externo! Quando vocês santificarem a sua visão e olharem para eles através do olho átmico, o olho que penetra além do físico com todos os seus atributos e acessórios, então verão os outros como ondas no oceano do Absoluto, como "mil cabeças, olhos e pés" do Ser Supremo, conforme é cantado no Rigveda. Esforcem-se para obter essa visão e impregnar-se dessa Bem-aventurança!  (Discurso Divino, 1º de abril de 1975)

Sri Sathya Sai Baba

12 junho de 2021

Sem desistir da preguiça, como se pode conhecer a Verdade? Sem abrir mão da paixão, pode a devoção criar raízes? Sejam serenos e calmos no estresse e na tempestade, esse é o caminho sátvico (nobre) para se conquistar o Senhor, a Verdade. A mente é uma maravilha e ainda mais surpreendentes são as suas travessuras. Ela não tem forma ou formato distinto. Assume a forma daquilo em que está envolvida. Vaguear de desejo em desejo, flertar de um desejo para outro é a sua natureza. Ela é, portanto, a causa da perda e da tristeza, da euforia e da depressão. Os seus efeitos são tanto positivos como negativos. Vale a pena conhecer as características da mente e as maneiras de dominá-la para o máximo benefício. Ela tende a reunir experiências e armazená-las na memória. Não conhece a arte de desistir. Nada é jogado fora pela mente; como consequência, o pesar, a ansiedade e a miséria continuam fervilhando nela. Se o sacrifício puder ser ensinado à mente, a pessoa poderá tornar-se um iogue (uma pessoa espiritualmente serena)! (Discurso Divino, 8 de janeiro de 1983)

Sri Sathya Sai Baba

13 junho de 2021

As pessoas se empenham em bhajans, puja e dhyana (adoração e meditação) - estes são apenas exercícios físicos! A mente não os eleva à sinceridade. O coração não flui para eles ou vibra neles. Então eles permanecem no nível humano. Eles não se elevam ao Divino. "Pode-se encher um lago com apenas uma chuvinha fraca? Aliviar a sede com saliva? Encher a barriga prendendo a respiração? Podem-se manter vivas as brasas queimando folhas de grama?”, pergunta um poeta. Quando se necessita de carvão, devem-se queimar toras; apenas uma chuva torrencial pode encher um lago até a borda; só se pode saciar a sede com um copo de água fria, nada menos que isso! O coração deve ser oferecido por inteiro! A devoção deve transbordar do coração. Olhem para o lótus; as suas raízes estão submersas no lodo. Ele cresce através da água e nela flutua. Não é manchado pelo lodo ou molhado pela água! O maravilhoso é que ele não pode sobreviver sem lodo e sem água, mas se eleva ao ar e ao sol! (Discurso Divino, 8 de janeiro de 1983)

Sri Sathya Sai Baba

14 junho de 2021

Devemos investigar o que se entende por “Eu”. Quando indagam qual é o seu nome, vocês dizem: “Ramana”, “Lakshmaya”, “Venkanna”, “Krishnamurthy", etc. Quando lhes perguntam quem é Ramana ou Lakshmaya, levantam as mãos e respondem: “Eu”, “Eu”. Tenho feito essa pergunta a várias pessoas e usado vários nomes, mas a resposta é sempre “Eu”. De onde vem esse “Eu”? Ele é encontrado em todos. Esse “Eu” tem uma forma? É este corpo ou esta mente, este intelecto ou esta consciência? Não é nenhum deles. O “Eu” não é este corpo. Quando digo “meu lenço”, quero dizer que sou diferente do lenço. Digo “minha mesa” ou “minha cadeira” porque não sou a mesa nem a cadeira. Agora, se temos esse “Eu” em todos, ele deve ser o mesmo em todos. É o Um entre muitos. 1 + 1 + 1 + 1 é igual a 4. Mas Eu + Eu + Eu + Eu é igual a apenas “Eu”, pois o “Eu” é o mesmo em todos. Reconhecer isso é conhecer realmente a própria identidade verdadeira, o Um, o Atma. Sem esse conhecimento, a vida é um desperdício. (Discurso Divino, 25 de julho de 1978)

Sri Sathya Sai Baba

15 junho de 2021

A tendência a se comparar com os outros é muito errada. Não há duas coisas nem dois homens idênticos. Mesmo gêmeos idênticos crescem com modos de vida distintos. Nenhuma das milhões de folhas de uma árvore é exatamente igual a outra. Os botânicos estão cientes dessa característica. Há bilhões de seres humanos na Terra, mas onde está a “prensa” que deu a cada um deles uma “impressão” singular? Essa é a glória de Deus! Uma empresa fabrica milhões de caixas, todas idênticas e podendo ser trancadas e abertas pelo mesmo conjunto de chaves. Os homens são criados por Deus, cada um com uma natureza, qualidade, potencialidade e destino distintos. Então como pode alguém se comparar a outro e exultar ou se desesperar? Dizemos que alguém é alto e nos sentimos deprimidos por sermos baixos. Em outras ocasiões, ficamos orgulhosos por sermos melhores que os outros. Quando refletimos sobre isso, vemos que é uma grande bobagem! (Discurso Divino, 8 de janeiro de 1983)

Sri Sathya Sai Baba

16 junho de 2021

Não há maior qualidade no homem do que o amor abnegado que se expressa no serviço ao próximo. A relação entre a ação (karma) e a yoga da ação (karma yoga) deve ser entendida. A ação comum, feita com apego ou desejos, causa escravidão; mas a ação altruísta e sem desejos torna-se karma yoga. A nossa vida deve tornar-se uma Comunhão Divina (yoga) e não uma enfermidade (roga). Hoje a maioria das nossas ações resulta em roga porque estão relacionadas a prazeres sensoriais. Pode-se ficar livre de doenças seguindo o caminho espiritual. Ele não consiste meramente em entoar cânticos devocionais (bhajans) ou recitar hinos. Essas são boas ações. Só podem ser consideradas espirituais as ações realizadas como uma oferenda completa ao Divino. O homem que se encontra em estado de ignorância sobre o Ser é como o botão de uma flor que ainda não floresceu. Quando a flor desabrocha, ela espalha a sua fragrância por toda parte. Da mesma forma, aquele que percebe a Divindade no seu interior torna-se uma fonte de luz e de força! (Discurso Divino, 6 de abril de 1983)

Sri Sathya Sai Baba

17 junho de 2021

Quando vocês veem um advogado, lembram-se dos seus problemas jurídicos; quando veem um médico, pensam nas suas enfermidades. Da mesma forma, quando veem um templo, lembram-se de Deus. Os templos são úteis apenas como lembretes. A verdadeira adoração está na devoção sincera ao Deus que está no interior de cada um. Purificando o templo do coração, vocês devem dedicar a vida ao serviço. É esse serviço dedicado, feito com espírito de prática espiritual (sadhana), que distingue as Organizações Sri Sathya Sai. Inúmeros devotos Sai - homens e mulheres, jovens e idosos - estão prestando serviço de várias formas por amor a Sai. As pessoas falam sobre a cinza sagrada (vibhuti) e os milagres de Swami. No entanto, o verdadeiro milagre é o amor ilimitado de Swami. É esse amor que inspira incontáveis devotos a se empenharem no serviço abnegado. Não há nada maior do que esse amor. Todos vocês foram atraídos a Mim por esse amor. Dar e receber amor é a Minha ocupação! (Discurso Divino, 6 de abril de 1983)

Sri Sathya Sai Baba

 

18 junho de 2021

Não há limite para a Minha Divina Bem-Aventurança (Ananda). Estou sempre imerso em bem-aventurança. Isso ocorre porque a Minha bem-aventurança está associada ao amor puro e não a objetos materiais. Se vocês seguirem esse caminho de amor, obterão inefável Ananda e experimentarão a paz. Com mente equânime, aceitem boa sorte e infortúnio, felicidade e tristeza, perda e ganho. Estes são produtos da natureza, como calor e frio, verão e inverno. Têm os seus propósitos a servir. Da mesma forma, os altos e baixos da vida têm lições a nos ensinar. Na verdade, sem reveses na vida não seremos capazes de experimentar a Divindade. Sem a escuridão, não podemos valorizar a luz. Sem passar por dificuldades, não desfrutaremos os benefícios. É a falta de paz de espírito que nos compele a buscar os meios para alcançar a paz duradoura! As Escrituras declaram que só por meio da renúncia se conquista a imortalidade. Os homens devem aprender a praticar a renúncia para que descubram o segredo da paz e da bem-aventurança duradouras! (Discurso Divino, 6 de abril de 1983)

Sri Sathya Sai Baba

19 junho de 2021

O homem moderno sofre com a sensação de posse. Esta é uma atitude negativa. Ele está obcecado com a ideia de “meu”. Atribui importância excessiva ao corpo, esquecendo-se do extremamente precioso princípio átmico que está no seu interior e que lhe conferirá bem-aventurança duradoura. A razão disso é a sua falha em usar apropriadamente os sentidos, tornando-se um escravo dos desejos instigados por eles. Os olhos, os ouvidos e outros órgãos dos sentidos devem ser usados apenas para perceber coisas sagradas. Não devem ser usados indiscriminadamente para desfrutar de tudo o que lhes agrada. Esta é a razão pela qual Swami aconselha as pessoas a não ver o mal, não falar o mal e não ouvir o mal, e sim ver o que é bom, ouvir o que é sagrado e falar o que é bom! Estas podem parecer máximas simples, mas estão cheias de profundo significado! Deve-se discernir constantemente entre ações negativas e positivas. Todas as ações más e imorais são de caráter negativo e devem ser evitadas! (Discurso Divino, 15 de fevereiro de 1998)

Sri Sathya Sai Baba

20 junho de 2021

Certo dia, quando estava na floresta com Sita, Rama disse a ela: "Bhujata! Neste mundo não existem maiores divindades merecedoras de adoração do que a nossa mãe e o nosso pai. Se um homem tem uma mãe amorosa, que cuida dele continuamente e promove o seu bem-estar, e não a adora como Divina, como poderá meditar sobre um Ser sutil, que está além da sua experiência cotidiana? O Divino transcende toda compreensão humana. Como se pode reconhecê-lo? Aqueles que não conseguem compreender o coração dos pais, que estão próximos a eles e cujo amor experimentam na vida diária, como poderão compreender o Absoluto, que as Upanishads declaram estar além do alcance da fala e da mente? Daí a recomendação: ‘A Mãe e o Pai devem ser Adorados como Divinos’. O Meu dever primordial era cumprir a vontade do Meu pai”. (Discurso Divino, 26 de abril de 1993)

Sri Sathya Sai Baba

21 junho de 2021

A libertação não é algo a ser alcançado na vida após a morte. O esforço pela libertação deve começar cedo na vida e prosseguir continuamente. Outro termo para libertação é "emancipação". Essa é a verdadeira liberdade - a liberdade da escravidão aos sentidos. Isso significa que vocês devem cumprir todos os deveres sem apego aos seus frutos. Hoje em dia todas as ações são realizadas com apego aos resultados. Por exemplo, os alunos buscam o estudo da biociência com o objetivo de se tornarem médicos. Não há nada de errado nisso. No entanto, quando se tornarem médicos, deverão preocupar-se principalmente com o bem-estar dos seus pacientes e não com os seus ganhos! Mesmo na prestação de serviço social muitas vezes existe um elemento de interesse próprio, o que prejudica a qualidade do serviço. Em vez de ser um ato positivo de amor altruísta, ele se torna um ato negativo que carrega a mancha do interesse próprio. Nenhuma alegria permanente pode advir de tais atividades negativas. (Discurso Divino, 15 de fevereiro de 1998)

Sri Sathya Sai Baba

22 junho de 2021

O corpo humano é vítima de muitas doenças. O homem as considera como doenças físicas, mas nem todas estão inteiramente relacionadas ao corpo. Doenças físicas podem ser tratadas com medicamentos. Hoje, porém, a maioria das doenças no mundo tem origem na mente. Aberrações mentais desencadeiam reações no corpo e ocasionam várias enfermidades. A principal causa de muitas doenças está enraizada na mente. Mente e corpo estão inter-relacionados. A influência da mente sobre o corpo é de caráter negativo. Essa negatividade é antagônica à experiência da bem-aventurança. Maus pensamentos e maus sentimentos surgem na mente; ao mesmo tempo, também existem bons pensamentos e bons sentimentos. Somente quando se eliminam pensamentos e sentimentos ruins é que se pode ter boa saúde. Muitas doenças têm a sua origem em pensamentos que ocupam a mente. Maus pensamentos provocam indigestão, afetam o coração e acarretam variações na pressão arterial! Preocupações dão origem a muitas doenças mentais. Diabetes e doenças pulmonares têm as suas causas na mente. (Discurso Divino, 25 de fevereiro de 1998)

Sri Sathya Sai Baba

23 junho de 2021

O homem tem que se libertar primeiro dos caprichos da mente. Estar livre de doenças é um tipo de libertação. O homem perde a paz de espírito devido a vários problemas. Livrar-se dessa condição e garantir paz de espírito é outro tipo de libertação (mukti). Ingerir alimento para se livrar das dores da fome é outro tipo de libertação. Livrar-se das provações e tribulações da vida diária é outro aspecto da libertação. Todos esses tipos de libertação devem ser garantidos enquanto ainda se está vivo. É errado imaginar que a libertação é um estado que se deve alcançar após a morte. Hoje os vários tipos de libertação a serem assegurados estão relacionados ao físico. Tais problemas estão fadados a existir enquanto se está apegado ao corpo. Todos eles surgem dos pensamentos “negativos” do homem. A libertação que os homens devem buscar é a paz de espírito. Se a paz for obtida, tudo o mais pode ser conquistado facilmente. Como experimentar a paz? Levando uma vida piedosa. (Discurso Divino, 25 de fevereiro de 1998) 

Sri Sathya Sai Baba

24 junho de 2021

Há apenas uma coisa que solicito de todos vocês. Encham o coração de amor e ofereçam-Me esse amor. Eu não peço nada a ninguém. Basta que vocês desenvolvam amor e o compartilhem com o próximo. É somente quando estão felizes que podem fazer os outros felizes. O que é felicidade? É união com Deus. Cantando o Nome de Deus vocês experimentarão felicidade. Atos bons e piedosos, tais como adoração, japa e meditação, são úteis para santificar o tempo, mas não são um fim em si mesmos. Eles têm matizes de mundanidade. O que é necessário é uma ação positiva, dedicada ao Divino; então vocês estarão livres de doenças. Somente tendo pensamentos puros vocês poderão ser saudáveis e vigorosos. Não tenham má vontade para com ninguém. Eu não tenho ódio de ninguém e por isso ninguém Me odeia; todos são seres cheios de amor por Mim! Desejo que todos vocês sejam bem-aventurados! (Discurso Divino, 25 de fevereiro de 1998)

Sri Sathya Sai Baba

25 junho de 2021

As pessoas devem compreender que o serviço é o passaporte para a liderança. Consequentemente, nas organizações de serviço não se deve permitir nenhuma distinção de superior ou inferior e todos devem ser convidados a participar do serviço. Na verdade, o nascimento humano é destinado ao serviço. Sejam quais forem as outras realizações que alguém possa obter, elas não são iguais à alegria derivada da prestação de serviço altruísta. Hanuman, que era poderoso, corajoso e grande em tantos aspectos, contentou-se em se descrever como um servo de Rama quando lhe perguntaram em Lanka quem ele era. Vocês podem perceber pelo seu exemplo o quão grandioso é ser um servo de Deus. O Senhor de todos os mundos, Sri Krishna, dispôs-se a servir como cocheiro de Arjuna. A atitude de serviço sempre foi cara ao Senhor. Todos os servidores Sai (Sai sevaks) devem, desde o início, cultivar o sentimento de que todos eles são centelhas do Divino. Só então serão capazes de prestar serviço de todo o coração. (Discurso Divino, 24 de novembro de 1990)

Sri Sathya Sai Baba

26 junho de 2021

Quando se realiza algum trabalho com uma atitude egoísta, motivado por interesse próprio e inspirado pela esperança de autopromoção, esse trabalho alimenta a ganância, o orgulho, a inveja e o ódio. Estreita o vínculo e estimula o sentimento de apego a trabalhos cada vez mais lucrativos. Promove a ingratidão para com aqueles que emprestaram as suas mãos e cérebros e para com o próprio Deus, que dotou o indivíduo de impulso e habilidade. A pessoa diz: “Eu o fiz” quando o trabalho é bem sucedido, ou então: “Outros estragaram o meu sucesso” quando ele não obtém êxito. Ressentimento, depressão e desespero se seguem quando o trabalho resulta em fracasso. Quanto mais profundamente se estiver apegado aos frutos, mais intensa e dolorosa será a tristeza ao se ficar desapontado. Consequentemente, o único meio de escapar tanto do orgulho quanto da dor é deixar o resultado à Vontade de Deus e ser feliz com o pensamento de que cumpriu o seu dever com toda a dedicação e zelo de que é capaz! (Discurso Divino, 10 de setembro de 1984)

Sri Sathya Sai Baba
 

27 junho de 2021

O espírito de sacrifício é o equipamento básico do sevak, ou seja, daquele que assume o serviço. Sem a inspiração do senso de sacrifício, o serviço (seva) será uma hipocrisia, um ritual vazio. Gravem isso no coração de forma profunda e clara. Existem quatro modos de se escrever, dependendo do material no qual o texto é inscrito. O primeiro é escrever na água; o texto vai desaparecendo ainda enquanto o dedo se move. O seguinte é escrever na areia; ele permanecerá legível até que o vento sopre e o apague. O terceiro é a inscrição nas rochas; ela dura séculos, mas também é corroída pelas garras do tempo. Já a inscrição em aço pode resistir ao toque devastador do tempo. Tenham este axioma inscrito no coração: "Servir ao próximo é meritório; prejudicar os outros ou permanecer impassível e ocioso enquanto eles sofrem é pecado". (Discurso Divino, 26 de junho de 1969)
                                                                                                                                                                                             Sri Sathya Sai Baba

 

28 junho de 2021

A ideia por trás de inclinar a cabeça aos Pés de Bhagavan é que assim pensamentos sagrados entram na mente do devoto. Isso significa que quando alguém entra em contato com os Pés do Senhor, impulsos sagrados fluem dos Seus Pés para o devoto. Quando a cabeça do devoto toca os Pés do Senhor, a energia divina do Senhor flui em direção a ele. Isso quer dizer que vocês devem manter contato apenas com objetos puros e evitar os impuros! Vocês são afetados por tudo o que tocam. Por exemplo, se tocam no fogo, ele queima. O fogo pode queimar até mesmo o ferro, de tão potente que é. Quando o fogo se extingue, o resíduo é simples carvão. Quando vocês tocam no carvão, a sua mão fica preta; portanto, em qualquer caso, o contato não é benéfico! Mas o que acontece quando entram em contato com o Fogo Divino? Todos os seus maus pensamentos e más ações são reduzidos a cinzas. Esta é a santidade associada à realização de Pada-namaskar (prostrar-se aos Pés do Senhor). (Divino Discurso, 15 de março de 1992)

Sri Sathya Sai Baba

 

29 junho de 2021

Usem o distintivo invisível de um voluntário de Deus em todas as horas e em todos os lugares. Deixem que todos os seus dias de vida sejam uma oferenda contínua de Amor, assim como uma lamparina a óleo se esgota iluminando os arredores. Inclinem o corpo, corrijam os sentidos e suprimam a mente - esse é o processo para se atingir a posição de 'filhos da imortalidade', que as Upanishads reservaram para o homem. Deus é a personificação da doçura. Alcancem-No oferecendo a Ele, que em tudo reside, a doçura que tem derramado sobre vocês. Triturem a cana na moenda do serviço (seva), fervam-na no caldeirão da penitência, purifiquem-na de toda erva daninha do desejo sensual e ofereçam a Deus o açúcar cristalizado do amor compassivo. O homem é o mais nobre de todos os animais, o produto final de incontáveis idades de evolução progressiva; porém ele não está se esforçando conscientemente para fazer jus à sua herança! (Discurso Divino, 26 de junho de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

 

30 junho de 2021

A Gita não incentiva a inércia, a indiferença ou a preguiça. Recomenda a ação (karma) como uma comunhão divina (yoga), como uma atividade em sintonia com a Vontade Divina, voltada para a promoção da própria realização espiritual. Karma tem que ser um ato de satisfação, de adoração e de dever para consigo mesmo e para com o próximo. A Gita assinala os passos e o caminho para a realização desse objetivo. Aceita todas as atitudes como valiosas e sublima cada uma em um esforço espiritual (sadhana). É uma árvore dos desejos (Kalpa-Vriksha), que concede bênçãos aos aspirantes de todos os níveis de comprometimento. É um oceano de sabedoria espiritual do qual cada um pode levar o quanto couber na vasilha que carrega. O buscador racional, o aspirante voltado para a ação e o aspirante devocional - todos recebem do Senhor igual atenção e cuidado. Na verdade, a Gita infunde em cada ato da vida diária a sublimidade da filosofia Vedanta e a imanência e transcendência do Princípio Divino. (Discurso Divino, 10 de setembro de 1984)

Sri Sathya Sai Baba