Pensamento para o dia - junho 2018

1° de junho de 2018

“Primeiro, pratique a atitude de ‘Eu sou Dele’. Deixe a onda descobrir e reconhecer que ela pertence ao mar. Isso não é fácil. A onda leva muito tempo para reconhecer que o vasto mar abaixo confere sua existência. O ego é tão poderoso que não permitirá que seja tão humilde a ponto de se curvar diante do mar. ‘Eu sou Seu; Você é o mestre. Eu sou servo; Você é soberano. Estou preso’. Essa atitude mental irá domar o ego. O próximo passo é: ‘Você é meu’, onde a onda exige o apoio do mar como seu direito. O Senhor deve assumir a responsabilidade de vigiar e orientar o indivíduo. Surdas disse: ‘Você é meu; Eu não vou deixa-Lo; Eu te aprisionarei em meu coração; Você não escapará’, e o Senhor o fez! A última etapa é: ‘Você sou eu’ - eu sou apenas a imagem e Você é a realidade. Tudo é um. Dualidade é apenas ilusão.” (Discurso Divino, 8 de setembro de 1963)

Sathya Sai Baba

2 de junho de 2018

“Há ferro e há também o ímã. O imã atrairá o ferro para si próprio; esse é o destino de ambos. Mas se o ferro estiver coberto com ferrugem, a graça do ímã pode não funcionar forte o suficiente para atrair o ferro para perto. A ganância pelo prazer sensual certamente agirá como a ferrugem! Ela age como a poeira que induz ferrugem; a ferrugem acabará por romper o próprio ferro e mudar sua natureza inata. Então, o ferro deve ser testado constantemente e limpo. Então, quando entra em contato com o imã, ele também ganha a qualidade magnética e finalmente descansa da sua busca. Essa conquista é a melhor, tanto para o ímã quanto para o ferro. O pó da ganância sensual pode ser evitado mantendo boa companhia (satsang) e colocando em prática os princípios de boa conduta que se deve absorver das sagradas escrituras!” (Discurso Divino, 11 de março de 1968)

Sathya Sai Baba

3 de junho de 2018

“Acolha todos os golpes do destino, os infortúnios e misérias, assim como o ouro acolhe o cadinho, o martelo e a bigorna, para transformar-se numa bela joia. Ou como a cana recebe o cortador, triturador, caldeira, panela, pulverizador e secador, para que sua doçura possa ser preservada e usada como açúcar por todos. Os Pandavas nunca hesitaram quando os desastres caíram sobre eles. Eles ficaram felizes porque os desastres os ajudaram a lembrar de Krishna e a invocá-Lo. Submeta-se à vontade de Deus. Nunca busque poder ou posição, mas submeta-se à Sua Vontade para que você seja sempre feliz e impassível. O Senhor se apressa em direção ao devoto mais rápido do que o devoto corre para Ele. Se você der um passo em direção a Ele, Ele dará cem passos em sua direção! Ele será mais do que uma mãe ou pai. Ele irá nutrir você de dentro de você, assim como Ele salvou e fomentou muitos santos que depositaram fé Nele!” (Discurso Divino, 8 de setembro de 1963)

Sathya Sai Baba

4 de junho de 2018

“Apego e ódio são os maiores inimigos do progresso em qualquer esquema de serviço social, até mesmo em qualquer esquema de trabalho. Se um homem está iludido em acreditar que ele está salvando os outros, então o azar é dele, pois não há outro de forma alguma. Todos são Um, a tristeza de uma pessoa é a tristeza de todos. A falha fundamental é a ignorância da humanidade. Se apenas um fosse sábio, ele saberia que todos os indivíduos são ondas na superfície do mesmo oceano. A ação sem egoísmo é o ideal a ser visado. Mas agora tudo é medido pelo resultado, o ganho que se acumula. O estudo é também para o salário que se pode obter com base no grau acadêmico obtido. Se o ato é feito sem desejo egoísta (no modo nishkama), não há sentido buscar ganhos. O desejo de ganho é como as presas venenosas; quando são retiradas, a cobra do karma (ciclo de ação e reação) é inofensiva.” (Discurso Divino, 15 de setembro de 1963)

Sathya Sai Baba

5 de junho de 2018

“O universo, incluindo a casa em que você mora, ou seja, o corpo, é composto dos cinco elementos: terra, água, fogo, vento e éter - elementos que atuam sobre os sentidos como olfato, paladar, cor, toque e som. Como os elementos são "emanações divinas", cada um deles deve ser tratado com reverência e circunspecção. Por exemplo: pegue a terra. Se você espalhar sementes no solo, ou plantá-las muito profundamente no solo, elas não lançarão seus brotos! Verter água na garganta pode muito bem se tornar tortura, se o limite for ultrapassado. Você não pode respirar confortavelmente em um tufão, nem seus tímpanos suportam a pressão de uma explosão próxima a você! Qualquer uso dos elementos, além dos limites legítimos, é um sacrilégio. Assim também, cada elemento deve ser usado sob algumas limitações, não quando e como você gosta. Trate os elementos como uma vestimenta do Todo-Poderoso.” (Discurso Divino, 11 de março de 1968)

Sathya Sai Baba

6 de junho de 2018

“A graça de Deus é como a chuva e a luz do sol. Você deve fazer um pouco de sadhana (prática espiritual) para adquiri-la, como manter um pote em pé para receber a chuva, ou o sadhana de abrir a porta do seu coração para que o Sol possa iluminá-lo. Ore pela graça e faça um pouco de sadhana. A Graça corrigirá tudo. Sua principal consequência é a auto realização (Atma sakshatkara); mas há outros benefícios incidentais também como uma vida contente e feliz e um agradável temperamento corajoso, estabelecido em paz inabalável (shanti). O principal benefício de uma joia é a alegria pessoal, mas quando alguém chega à última moeda da bolsa, ele pode vendê-la e recomeçar a vida! Essa é uma vantagem incidental. A bananeira tem monte de frutas como seu principal presente! Mas suas folhas, cerne macio de seu tronco, botão de flor, etc., são itens subsidiários com uso lucrativo. Essa é a natureza da graça. Cumpre uma variedade de desejos.” (Discurso Divino, 29 de março de 1968)

Sathya Sai Baba

7 de junho de 2018

“Todo mundo anseia ser feliz; todo mundo quer trabalhar menos e ganhar mais, dar pouco e receber muito, mas ninguém experimenta querer menos e dar mais! Todo desejo é um grilhão que dificulta o movimento – é um empecilho aos seus pés. Um jovem universitário vagueia livre em suas duas pernas. Quando ele se casa, ele fica com quatro pés! Uma criança o deixa com seis pés, restringindo, assim, ainda mais o alcance de seus movimentos. Quanto mais pés, menor a velocidade, mais firme o aperto ao chão – Lembre-se, centopeias só podem engatinhar! Mais objetos significa mais obstáculos e desvantagens! Reduzir desejos, viver simplesmente - esse é o caminho para a felicidade. O apego traz tristeza em seu rastro; finalmente, quando a morte exige que tudo seja deixado para trás e todos sejam abandonados, você é dominado pela dor! Seja como o lótus na água; sobre ela, não dentro dela. A água é necessária para o lótus crescer, mas o lótus não permitirá que nem mesmo uma gota o molhe.” (Discurso Divino, 15 de maio de 1969)

Sathya Sai Baba

8 de junho de 2018

“Deus é a fonte de todo amor. O amor cura a mesquinhez, o ódio e a tristeza. O amor libera amarras; o salva do tormento de nascimento e morte. O amor liga todos os corações em uma brilhante sinfonia suave. Visto através dos olhos do Amor, todos os seres são belos, todos os atos são dedicados e todos os pensamentos são inocentes. Ame a Deus e ame o mundo como vestimenta de Deus, nem mais nem menos. O mundo é uma grande família. Se você prestar atenção ao indivíduo, as diferenças se impõem a você. Fixe sua atenção no samasthi (o coletivo), então os pontos de identidade serão mais aparentes. Se você se concentrar nos rótulos exteriores - hindu, cristão, muçulmano, parsi, budista - então, você desenvolverá orgulho, desprezo ou ódio! Mas se você se concentrar na luta que o homem sofre para se elevar da carne para alcançar o nível da Divindade, você perceberá todos os rótulos como insignificantes. Então tudo é amor, cooperação, encorajamento mútuo e apreciação.” (Discurso Divino, 7 de julho de 1968)

Sathya Sai Baba

9 de junho de 2018

“O principal meio de separar sua mente das distrações e se ligar na busca de Deus é a comunhão com Deus (Yoga) e o sacrifício (Tyaga). Kama (desejo) deve ser eliminado por Tyaga, e Rama (Deus) deve ser assegurado pela Yoga. O desejo descolore a inteligência, perverte o julgamento, aguça o apetite dos sentidos e leva a uma falsa atração do mundo objetivo. Quando o desejo desaparece ou se concentra em Deus, a inteligência se torna auto luminosa e brilha em seu esplendor imaculado. Esse esplendor revela o Deus dentro e fora do mundo. Essa é a verdadeira compreensão do Ser (Atma Sakshatkara). Eu o abençoo para que tenha sucesso em seu sadhana (práticas espirituais). Se você não está praticando agora, Eu o aconselho que adote um simples namasmarana (recitação do nome divino), junto com reverência pelos pais, anciãos e mestres, e prestar serviço aos pobres e doentes.” (Discurso Divino, 15 de maio de 1969)

Sathya Sai Baba

10 de junho de 2018

“Todos anseiam por segurança, paz, alegria e felicidade. Mas a maioria acredita que estes podem ser extraídos do mundo! O resultado é que as pessoas perdem seus anos comendo e bebendo, brincando e descansando, ganhando e gastando. Elas correm do berço ao túmulo sem parar, vagando ao longo, não sabendo nem a origem da sua viagem nem o seu destino, através dos tempos. O homem ganhou qualidades únicas de cabeça e coração por uma série de vidas repletas de esforço como membros de espécies inferiores; essa vitória é agora reduzida a cinzas, por essa preguiça indolente. Você deve ter a habilidade de nadar através das ondas de alegria e dor, de aflição e ganho. Você deve ser um mestre da arte de estar totalmente à vontade, perfeitamente calmo e não afetado, o que quer que aconteça ao seu corpo, sentidos ou mente! Aprenda a habilidade de alcançar e manter a paz interior, a arte de estar sempre ciente de sua própria Realidade interior (Atma), para depois você poder seguramente circundar o mundo!” (Discurso Divino, 7 de julho de 1968)

Sathya Sai Baba

11 de junho de 2018

“O serviço prestado sem egoísmo, por menor que seja, pode ser altamente benéfico. Deve emanar de um coração terno que responde a todo soluço e gemido, e está pronto para renunciar e sofrer com prazer. É preciso ter a ânsia de se envolver com os outros e sentir sua dor. É preciso cultivar paciência e força interior, a fim de evitar o ressentimento, na crítica e no ridículo, enquanto se está empenhado em um serviço alegre. Os sábios usam seu dinheiro, força, inteligência, habilidades, aptidões e oportunidades para ajudar os outros e tornar suas vidas mais felizes. Assim eles ganham a graça divina, pois o seva é a mais alta forma de adoração. Há milhões que estão com fome, desesperados e miseráveis. Peço que você limite sua ingestão de alimentos à sua necessidade real, para que possa compartilhar seus recursos com os necessitados. Nunca desperdice comida. Não desperdice dinheiro para fins prejudiciais; use-o para ajudar os outros. Não perca tempo e energia; permita que outros se beneficiem de suas habilidades!” (Discurso Divino, 21 de novembro de 1985)

Sathya Sai Baba

12 de junho de 2018

“O verdadeiro amor é o doce fruto que brota da fragrante flor das boas ações. Hoje, quando surge alguma dificuldade ou quando surge algum problema, o amor se transforma em ódio. Quaisquer que sejam as vicissitudes que se possa enfrentar, sejam quais forem as tristezas e privações pessoais pelas quais alguém possa passar, uma pessoa com amor verdadeiro não deve ser afetada. O amor governa sem recorrer à espada. Reúne sem leis. Como o brilho da chama no fogo ou os raios do sol ou as ondas do oceano, o amor divino é a qualidade básica de todo ser humano verdadeiro. O Amor Verdadeiro é praticar amor puro e altruísta para com todos os seres vivos, que são todos encarnações do Divino, sem expectativa de recompensa! Uma pessoa amorosa genuína estará livre de antipatia ou ódio e é amistosa e compassiva com todos os seres (Adweshta sarva bhutanam, maitrah, karuna evacha). Somente aqueles com essa atitude merecem ser chamados de seres humanos!” (Discurso Divino, 6 de maio de 1985)

Sathya Sai Baba

13 de junho de 2018

“Não há mal em dinheiro, erudição, conhecimento ou inteligência. Mas o mal surge de atividades que se realizam empregando-os. Água pura não tem cor. Despejada em uma garrafa preta, parece preta. Em uma garrafa vermelha, parece vermelha. A água não se tornou vermelha ou preta. A cor da garrafa faz a diferença. Quando o dinheiro, a erudição, a astúcia e a inteligência são possuídos por pessoas nas quais rajas (paixão, emoção, natureza extrovertida) é dominante, eles promovem o ódio, a ambição e a luxúria. Quando possuídos por pessoas em quem tamas (preguiça, embotamento, presunção) é dominante, eles promovem avareza, ganância e inveja. Quando possuídos por pessoas em quem Satwa (equanimidade, equilíbrio, pureza) é dominante, eles promovem o amor, a compaixão, o desejo de servir, a unidade de toda a humanidade e a paz mundial. A sublimação do seu caráter para Satwa é o dever que todos devem a si mesmos. Este é o caminho, o objetivo real. Você deve seguir incessantemente o caminho e alcançar o objetivo.” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1985)

Sathya Sai Baba

14 de junho de 2018

“Islã significa dedicação, entrega, paz e tranquilidade. O mês Ramadan é separado para a sagrada tarefa de trazer à memória e praticar os ensinamentos que Hazrat Muhammad (Maomé) transmitiu, e progredir espiritualmente para alcançar a unidade e a pureza. O Islã ensina que a graça de Deus pode ser obtida pela justiça e na vida reta; riqueza, erudição e poder não podem consegui-la. Somente o amor puro pode agradar ao Senhor. Os videntes muçulmanos enfatizam que devemos investigar a validade do "eu", que sente que é o corpo e o "eu" que sente que é a mente, e chegar à conclusão de que o verdadeiro "eu" é o Eu que anseia por Si Próprio, Deus. O mês do Ramadan, o jejum e as orações são planejados para despertar e manifestar essa percepção. Todas as religiões enfatizam a unidade, a harmonia e a igualdade de pensamento. Portanto, cultive o amor, a tolerância e a compaixão e demonstre a verdade em todas as atividades diárias. Esta é a Mensagem que lhe dou com Minhas Bênçãos!” (Discurso Divino, 12 de julho de 1983)

Sathya Sai Baba

15 de junho de 2018

“Não é suficiente ter nascido um ser humano com todas as faculdades funcionando bem - física, mental e emocional. Você deve levá-las à perfeição usando o intelecto exigente, assim como um escultor faz após retirar a pedra de sua forma bruta. Todos devem estar conscientes de sua afinidade com Deus, da Divindade latente em si e de sua imensa potencialidade. Você pode perceber isso pelo exercício de seu discernimento e desapego (viveka e vairagya). Somente um ser humano entre toda a criação animal é capaz disso. O caminho nobre para essa consciência é mostrado pelo Guru; nem um único dos cem mil 'gurus' que reivindicam seu status têm direito a isso. Pois, a palavra Gu-ru significa aquele que não tem trevas em si! Quando você for sincero, o próprio Senhor o guiará. Não se desespere; caminhe bravamente. Tente preencher cada momento com pensamentos de Deus, de uma forma ou de outra.” (Discurso Divino, 22 de maio de 1965)

Sathya Sai Baba

16 de junho de 2018

“Viva com prema (amor), em prema, por prema. Então o Senhor, que é Premaswarupa (Amor Divino personificado), lhe concederá tudo o que você precisa apesar de não lhe pedir nada. Ele sabe, Ele é a mãe que não espera ouvir o lamento do filho para alimentá-lo. Seu prema é muito vasto e profundo. Ele antecipa todas as necessidades e corre com a ajuda necessária. Todos estão ansiosos para saber quando Eu voltarei a conceder-lhes 'entrevistas', para que possam colocar diante de Mim as longas listas de korikas (vontades ou desejos), que vocês trouxeram. Esses desejos vão se multiplicando; eles nunca acabam. A realização de um leva a uma nova série. Esforce-se para chegar ao estágio em que somente Seu desejo contará e você será um instrumento em Suas mãos. Quando você se preenche com amor por Deus, você alcança Sarupya e Sayujya (semelhança de forma e absorção em Deus). Esforce-se por essa consumação, não por vitórias menores.” (Divino Discurso, 15 de maio de 1969)

Sathya Sai Baba

17 de junho de 2018

“Formas de culto, ou a fraseologia da adoração, ou o estilo do discurso podem variar, mas todas as religiões são direcionadas para a mesma consumação. A mesma corrente sanguínea circula em todos os membros do corpo. O mesmo fluxo divino ativa todo o Universo. Visualize esse Arquiteto supremo, esse Designer incompreensível, esse invisível Doador de Vida. Isto é falado como a realização da Paternidade de Deus e da Irmandade do Homem. Não se envolva no negócio de viver. Em sua luta pela sobrevivência e pelo sucesso, não esqueça o Deus que tornou a vida possível. Semeie as sementes do amor, depois de preparar o solo do seu coração removendo as ervas daninhas. Regadas pela fé, deixe-as crescer e produzir as flores da fortaleza (sahana). Então você garantirá o fruto - Shanti ou paz. Esta é a tarefa, este é o dever - este tem que ser o seu voto!” (Discurso Divino, 7 de julho de 1968)

Sathya Sai Baba

18 de junho de 2018

“Vocês podem ser de muitos países, e apegados a diferentes culturas e tradições, línguas e estilos de vestir, alimentar, etc. Mas, esta variedade não deve esconder de nossa visão, a unidade da Divindade inerente a todos vocês. O mundo de hoje está afligido por problemas formidáveis e medo que se espalha rapidamente - medo de guerra, fome e terroristas demoníacos, problemas de conflitos raciais, religiosos e regionais, de recuperação econômica e sobrevivência, de indisciplina estudantil, de choques de credos, de frenesi e fanatismo, de tomada de poder e extremo egoísmo. O único remédio para esse medo rastejante é uma atitude de Vairagyam (desapego). Quando alguém está preso ao complexo corpo-mente e à limitação do eu-meu, o medo é inescapável. A consciência Advaita (não-dual), de que aquilo que testemunhamos é apenas uma superimposição de nossa própria mente sobre a Realidade, é a melhor cura e o serviço é o sadhana mais eficaz.” (Discurso Divino, 21 de novembro de 1985)

Sathya Sai Baba

19 de junho de 2018

“Se você tem um carro totalmente equipado, em bom estado de funcionamento, você o manteria na garagem? O carro é principalmente para sair em uma viagem; você não vai entrar nele e dirigir? Assim é com o seu corpo humano. O nascimento humano lhe foi dado para um grande propósito - realizar o Senhor interiormente. Prossiga em direção ao objetivo. Aprenda a usar as faculdades do corpo, os sentidos, o intelecto e a mente para alcançar o objetivo e seguir em frente. Para alcançar essa grande consumação, você deve dar um passo após o outro. Boas ações, como adoração ritual, repetição de nomes sagrados, meditação, observância de votos, etc., são os "passos"; bons pensamentos como a oração por maior discernimento e mais chances de servir aos outros também ajudam. Lenta e progressivamente limpe a mente, afie o intelecto, purifique os sentidos e ganhe a graça do Senhor. Você veio, inspirado pelo Amor Divino; cultive e compartilhe esse amor divino altruísta com todos.” (Discurso Divino, 18 de fevereiro de 1966)

Sathya Sai Baba

20 de junho de 2018

“Observe-Me. Que benefício posso obter de toda Minha atividade? Eu que atribui todos os benefícios a todas as atividades de acordo com o que elas merecem? Mas, ainda assim, você vai Me encontrar ocupado do amanhecer ao anoitecer, do anoitecer ao amanhecer. Termino Meu almoço ou jantar em poucos minutos para que possa lhe ensinar o valor do tempo. Atendo ao mais ínfimo detalhe de todos os vários itens de trabalho, pois tento dar-lhe um exemplo, com atenção meticulosa e antecipação cuidadosa de todas as contingências. Eu sei que muitos ficam ociosos horas a fio, desperdiçando preciosas horas em fofocas ociosas, conversas e debates sem propósito. Quando você pratica a atitude de que Deus está em toda parte como o testemunho de cada ato seu, que Deus está em cada ser que você encontra e serve, então, você certamente será recompensado por uma Visão do Senhor. Quando você tem essa chance brilhante, não a deixe passar por ignorância ou negligência. A melhor maneira de obter a Graça é obedecer às instruções, seguir o conselho e submeter-se ao controle exercido com muito Amor.” (Discurso Divino, 22 de novembro de 1965)

Sathya Sai Baba

21 de junho de 2018

“A maioria das pessoas se envolve em cantos de bhajans, puja e dhyana (adoração ritualística e meditação), mas estes são meros exercícios físicos! Pergunte-se sinceramente - sua mente está elevada como resultado disso? Seu coração transborda durante a sua adoração? Não! Consequentemente, você continua a permanecer no nível humano e não se eleva ao Divino. ‘Pode um lago ser preenchido quando há apenas um borrifo de chuva? A sede pode ser aliviada, com algumas gotas de água? Pode a barriga estar cheia, se você segurar a respiração? Você pode conseguir brasas vivas queimando folhas de grama?’, pergunta um poeta famoso. Lenha deve ser queimada se carvão for necessário. Somente grandes quantidades de chuva podem encher um lago até a borda. Somente um copo de água fria pode curar a pessoa com sede, nada menos. O coração tem que ser oferecido por completo. A devoção deve preencher e transbordar o coração para você se elevar à Divindade!” (Discurso Divino, 8 de janeiro de 1983)

Sathya Sai Baba

22 de junho de 2018

“Há duas coisas que chamam a atenção: hitha (o benéfico) e priya (o prazer). Prefira o benéfico ao prazer, pois o prazer pode levá-lo ao caminho de deslizamento para o abismo. Vibhishana aconselhou hitha a Ravana, mas ele deu ouvidos ao priya que seus ministros bajuladores falavam. Ele selou seu destino por essa preferência pelo prazer sobre o benéfico. O verdadeiro médico está interessado em curar você de todas as doenças e, assim, ele aconselha hitha para restaurar sua saúde; o Guru é um médico assim. Obedeça-lhe, mesmo quando a sua receita não for palatável, pois você será curado! As pessoas sofrem com a febre dos sentidos e tentam os remédios de recreação, prazeres, piqueniques, banquetes, danças, etc., apenas para descobrir que a febre não diminui. A febre só pode diminuir quando o vírus oculto se torna ineficaz. Esse vírus só vai morrer quando os raios de jnana (sabedoria) caírem sobre ele.” (Discurso Divino, 16 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

23 de junho de 2018

“A vida é uma campanha contra os inimigos; uma batalha com obstáculos, tentações, dificuldades e hesitações. Esses inimigos estão dentro e, portanto, a batalha tem que ser incessante e perpétua. Como o vírus que prospera na corrente sanguínea, os vícios de luxúria, ganância, ódio, malícia, orgulho e inveja abafam a energia e a fé de todos os seres e os reduzem a uma queda prematura. Você deve se esforçar para diagnosticar seu próprio caráter e descobrir as falhas que o estão infestando; não tente analisar o caráter dos outros e procure identificar seus defeitos. Esse autoexame é muito necessário para trazer à luz os defeitos que possam prejudicar a carreira espiritual de alguém. As pessoas compram roupas com cores intensas para que não revelem poeira ou sujeira; elas não preferem roupas brancas, pois mostram claramente sua condição suja. Mas, não tente esconder sua sujeira na escuridão; tenha vergonha de naturezas sujas e tente limpá-las rapidamente.” (Discurso Divino, 16 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

24 de junho de 2018

“Adore o Senhor e ofereça as oito flores de não-violência (ahimsa), controle de seus sentidos (indriya nigraham), compaixão por todos os seres (sarva bhuta daya), fortaleza (kshama), paz interior (shanti), austeridade (tapas), meditação (dhyana) e verdade (sathya). Agora, quando outras flores são usadas, a devoção não dura depois que você sai do seu altar ou da porta do quarto de puja! Quando alguém atravessa essa porta, a raiva, o ódio e a ansiedade o possuem e o degradam. Sem desenvolver as qualidades indicadas pelas oito flores, como alguém pode ganhar a graça de Deus? Envolvido em Asatya Narayana Vrata (a adesão à falsidade) em todos os 364 dias, qual é o bem que você espera obter ao realizar Satyanarayana Vrata (adoração ao Senhor Satyanarayana) no 365º dia do ano? Como você afirma ser devoto de Sai, justifique sua reivindicação cultivando estas flores de virtude e oferecendo-as a Deus.” (Discurso Divino, 6 de outubro de 1981)

Sathya Sai Baba

25 de junho de 2018

“Existem dois obstáculos que impedem o progresso espiritual, apesar de seus valiosos esforços. O primeiro é a tendência a se comparar com os outros. Isso é muito errado. Não há dois indivíduos que sejam idênticos. Mesmo gêmeos idênticos crescem de maneiras distintas. Bilhões de seres humanos estão na Terra, mas qual é a máquina de impressão que deu a cada um deles uma marca singular? Essa é a glória de Deus. Deus cria cada indivíduo com sua natureza, qualidade, potencialidade e destino distintos. Como então alguém pode se comparar com outro e exultar ou se desesperar? Como você pode se orgulhar de ser melhor que os outros? O segundo obstáculo é que temos o hábito de justificar nossas falhas, racionalizar nossos erros e evitar a responsabilidade de enfrentá-los diretamente e corrigi-los. Essas duas atitudes engrossam a ignorância e geram mais fracassos. Todo mundo tem Deus como a Fonte. Lembre-se de que todos são amigos e parentes, através de Deus de Quem viemos!” (Discurso Divino, 3 de março de 1983) 

Sathya Sai Baba

26 de junho de 2018

“Arjuna passou a ter direito à orientação espiritual da Gita do próprio Senhor, porque ele demonstrou abatimento, renúncia, rendição e unidirecionamento (vishada, vairagya, saranagati e ekagrata) que são essenciais para assimilar a grande mensagem. Quando seu anseio pela libertação se torna verdadeiramente intenso, você ganha o direito de deixar de lado todas as convenções sociais, normas mundanas e códigos de conduta, que não servem a esse elevado propósito. Assim, Prahlada pôde desistir de seu pai, Bhishma pôde contrariar seu Guru, Meera pôde abandonar seu marido e Shankaracharya pôde usar subterfúgios com sua mãe. Pergunte seriamente se você alcançou esse estágio! Desenvolva esse gosto pela libertação! Cantar o nome de Deus é o melhor caminho; isso pode ser praticado em todos os momentos e lugares por todos, independentemente de credo, gênero, casta, idade ou status econômico e social. Ele manterá você em constante contato com o Infinito e, assim, lhe transmitirá a sabedoria e o poder do Infinito.” (Discurso Divino, 16 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

27 de junho de 2018

“O processo de viver é o balançar de um pêndulo do sorriso ao choro. A infância é demasiadamente tenra e inocente, a juventude é muito cheia de insensatez e defeitos, a meia-idade é confusa com problemas e possíveis remédios, e a velhice é gasta em arrepender-se de fracassos passados. Quando você pode provar alguma felicidade verdadeira? Alegrias e tristezas são os resultados do envolvimento da mente no transitório e no trivial. A essência interna de cada ser vivo é Deus. O Sol não é maculado por seus raios caírem sobre qualquer coisa prejudicial. O Eu Superior também não é afetado pelos efeitos da mente perseguindo os sentidos onde quer que eles o conduzam. Quando alguém se torna consciente de que o Eu é Deus, não pode haver medo da morte assombrando-o. Fé é vida; ausência de fé é a morte. Apenas o corpo morre; o Eu Divino (Atma) está além do nascimento e da morte. Consciente disso, a pessoa é mergulhada em Ananda (Bem-aventurança Divina).” (Discurso Divino, 8 de janeiro de 1983)

Sathya Sai Baba

28 de junho de 2018

“As pessoas estão ligadas e sustentadas pela ação (karma). Elas podem conseguir qualquer coisa através da ação. Sua realização está na habilidade de desempenhar ações. As ações executadas terão suas consequências apropriadas e ninguém poderá escapar das consequências de suas ações. Então faça boas ações, desenvolva bons pensamentos e junte-se à boa companhia para obter boas recompensas no futuro. Como é a semente, assim é a árvore e seus frutos. Por isso, pratique boas ações desde cedo. Quais são as boas ações? São as ações que agradam a Deus. Quando você realiza ações que agradam a Deus, você também terá a recompensa que irá agradar-lhe! Portanto, as escrituras nos ensinam a realizar todas as ações para agradar a Deus (Sarva karma Bhagavad preethyartham). Quando você oferece todas as suas ações a Deus, seu coração se torna sagrado, então você pode levar uma vida pacífica. Para manter seu coração sagrado, com forte determinação, pratique os três P's - Pureza, Paciência e Perseverança.” (Discurso Divino, 22 de abril de 1993)

Sathya Sai Baba

29 de junho de 2018

“O cultivo de bons pensamentos é uma boa conduta (dharma). Quando protegemos o dharma, o dharma por sua vez nos protegerá (Dharmo rakshati rakshitaha). Se você ferir o dharma, você será ferido em troca! Quando nossa própria mente gera bons pensamentos, ela nos protege. Nossa própria mente pode nos prejudicar também. Como? Ela nos prejudica através de seus maus pensamentos! Portanto, nossa mente é responsável por todas as nossas dificuldades, problemas e misérias. Então, mantenha sua mente pura e livre de maus pensamentos. No momento em que um pensamento surge em sua mente, use seu discernimento para saber: é bom ou ruim? Quando você começa essa análise, a velocidade de seus pensamentos diminui. Se, por outro lado, você agir imediatamente de acordo com seus pensamentos, sua velocidade aumentará. Portanto, reserve um tempo para controlar o processo de pensamento por meio de uma investigação minuciosa. Primeiro, pergunte e depois aja. Comece cedo, dirija devagar, chegue com segurança. Se você desacelerar seus pensamentos, você definitivamente chegará com segurança!” (Discurso Divino, 7 de abril de 1993)

Sathya Sai Baba

30 de junho de 2018

“Amigos modernos chegam perto de você, desde que haja dinheiro no bolso e seu pai tenha uma alta posição. Eles vão dizer "olá, olá" para você. Quando seu bolso está vazio ou seu pai se aposentou, eles vão deixá-lo imediatamente. Deus não é assim. Deus está sempre com você, em você, acima de você e abaixo de você. Ele é seu verdadeiro amigo. É somente Deus quem lhe protegerá nas dificuldades. Deus sempre estará com você. Deus é a personificação da bem-aventurança eterna, a sabedoria absoluta, além do par de opostos, e expansivo e difundido como o céu. Deus nunca o abandonará. Tenha amizade com um amigo tão verdadeiro. Só então a sua vida como ser humano valerá a pena. Quando você tem um amigo assim, nunca ficará aquém de nada. Problemas e dificuldades nunca poderão incomodá-lo. Você sempre será feliz.” (Discurso Divino, 7 de abril de 1993)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.