Pensamento para o dia - julho 2020

1° de julho de 2020

“Muitas vidas podem ser necessárias até uma pessoa provar que sabe o que é melhor para ela, que é capaz de delinear o seu próprio futuro sem fazer mal a si mesma ou aos outros, e que tem consciência das armadilhas ao longo do caminho. Por isso, o melhor é confiar na experiência dos sábios, que eram repletos de compaixão e foram movidos por essa compaixão a iluminar o caminho da libertação. Essa experiência está guardada como um tesouro nas Escrituras (Vedas). A fé nos Vedas irriga o coração e faz brotar nele o amor universal. Os textos espirituais (Shastras) advertem contra os passos em falso, consolam em momentos difíceis, fortalecem diante das angústias, e dão interpretações corretas aos dilemas morais. Eles prescrevem a roupa, a alimentação, a maneira de se falar, as formas de conduta social, o modo de comportamento entre as pessoas, as linhas para se seguir adiante. Eles são a consciência da sociedade.” (Divino Discurso, 25 de janeiro de 1963)

Sathya Sai Baba

2 de julho de 2020

“A limpeza interna, ou seja, manter a mente e o intelecto serenos e sagrados, livres da sujeira, é algo muito importante para o buscador espiritual. Quando os pensamentos e sentimentos são impuros e agitados, você não pode estar calmo e feliz. Quando a mente está poluída, as reações ficam poluídas. Para manter a mente limpa, você deve analisar compassivamente as situações que envolvem os outros e suas atividades, e então decidir como reagir a elas. Não se apresse em tirar conclusões. Seguir as reações dos outros não é desejável. O indivíduo só deve decidir por agir após discernimento e indagação inteligentes. ‘Alguns estão fazendo isto, então também faremos’ — essa atitude é inferior e degradante, é um sinal de fraqueza. Ela é consequência da ignorância básica. As ovelhas comportam-se dessa maneira. Os que nascem como seres humanos, movendo-se como pessoas educadas, devem evitar seguir estupidamente os outros como ovelhas e poluir as mentes com ideias emprestadas dos lábios dos outros.” (Vidya Vahini, cap. 16)

Sathya Sai Baba

3 de julho de 2020

“Seu tempo não deve ser usado somente na tarefa de coletar informação e obter certas habilidades que lhe proporcionarão um salário do qual viver; ele também deve ser usado para se obter a arte de ser contente e calmo, controlado e corajoso. Você deve também cultivar uma sede ardente por conhecer a verdade do mundo e de seu próprio Ser. Que suas palavras sejam como mel; e seus corações tão macios quanto a manteiga! Que sua visão seja como uma lâmpada, que ilumina e não confunde. Seja como o árbitro em um campo de futebol, que assiste o jogo e o julga, segundo as regras estabelecidas, não afetado pelo sucesso de um time ou o revés do outro! Lembrem-se, vocês todos são peregrinos, caminhando por esta ‘terra da ação’ (karma kshetra) em direção à meta da ‘terra da retidão’ (dharma kshetra). Sejam humildes e fortes para resistir às tentações. Não abaixem a cabeça como covardes diante das insinuações dissimuladas dos sentidos.” (Divino Discurso, 13 de março de 1964)

Sathya Sai Baba

4 de julho de 2020

“Ame por Amor; não o manifeste por objetos materiais ou pela realização de desejos mundanos. O desejo gera raiva, a raiva provoca o pecado e, sob seu impacto, amigos são vistos como inimigos. A raiva está na raiz de todo tipo de calamidade. Portanto, não se torne vítima dela. Trate todos, quem quer que sejam, com a toda-abarcante compaixão do Amor. Essa empatia construtiva deve se tornar a reação espontânea de toda a humanidade. Sature cada respiração, enquanto inala e enquanto exala, com Amor. Sature todo momento com Amor. O Amor não conhece o medo. O Amor rejeita a falsidade. O medo leva o ser humano à falsidade, à injustiça e ao mal. O Amor não busca elogio; essa é sua força. Somente aqueles que não possuem Amor buscam recompensa e reputação. A recompensa pelo Amor é o próprio Amor. O Amor altruísta é o mais elevado dever, a mais nobre santidade.” (Divino Discurso, 29 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

5 de julho de 2020

“Purnima significa lua cheia refulgente. Guru significa (Gu - ignorância; Ru - destruidor) Ele, que remove a escuridão e a ilusão do coração e o ilumina com Sabedoria Superior. A lua e a mente estão interrelacionadas como objeto e imagem. Hoje, a lua está cheia, clara e refrescante, sua luz é fresca, agradável e pacífica. Portanto, a luz da mente também deve ser agradável e pura. No firmamento do seu coração, a lua é a mente. Existem nuvens espessas e pesadas, desejos sensuais e atividades mundanas, que estragam sua alegria na luz da lua. Portanto, dê as boas-vindas à forte brisa do Amor para espalhar as nuvens e conferir a você a refrescante glória do luar. Quando a devoção brilha por completo, o céu no coração se torna uma tigela de beleza e sua vida é transformada em uma encantadora avenida de Ananda. Essa beleza do coração, essa Ananda (bem-aventurança), deve ser conquistada através da mente, envolvendo-se no Sadhana (prática espiritual).” (Divino Discurso, 29 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2020 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.