Pensamento para o dia - julho 2019

1° de julho de 2019

“Na realidade, todas as misérias da humanidade são causadas por ela mesma, não por qualquer fator externo. Estando em posse de todos os instrumentos de alegria e contentamento, se o homem é infeliz, deve-se apenas à sua perversidade e imbecilidade. Ao longo dos séculos, ele foi advertido pelas escrituras de todas as línguas de que deveria abandonar a cobiça e a luxúria, desistir do hábito de alimentar os sentidos e abandonar a crença de que ele é apenas esse corpo e nada mais. No entanto, ele não conhece a doença que o tortura. A doença é causada pela ‘deficiência vitamínica’, como é dito. As vitaminas são Verdade (satya), Retidão (dharma), Paz (shanti) e Amor divino (prema). Tome-as e irá se recuperar. Absorva-as em seu caráter e conduta e, assim, você irá brilhar com excelente saúde mental e física.” (Divino Discurso, 16 de dezembro de 1964)

Sathya Sai Baba

2 de julho de 2019

“Deus pede o coração, o coração pleno e nada além do coração. Se o coração tiver muitos vazamentos, a doçura será drenada e você não poderá oferecer a Deus o coração pleno. Egoísmo, orgulho e sede de fama: todos esses são vazamentos. As sementes só brotarão quando estiverem bem dentro do solo, não quando estiverem na superfície. Se você doar algo para uma boa causa, esperando que seu nome apareça no jornal – ficando entusiasmado quando for visto lá e abatido quando não for encontrado – então, a caridade se perderá em um vazamento. Tal sacrifício é superficial e egoísta. Karna perdeu a vida quando se lembrou, em desespero, de tais sacrifícios que fez. Eles não devem ser contabilizados na memória. Barganhas e cálculos são inúteis no campo espiritual. Você não pode barganhar com o Senhor e pedir recompensas proporcionais. Peça recompensa proporcional e você perderá tudo. Ele tem Sua própria aritmética.” (Discurso Divino, 17 de dezembro de 1964)

Sathya Sai Baba

3 de julho de 2019

“Busque o conhecimento espiritual (jñanam), que é a morada da doçura. Livre-se do desejo pelo prazer sensorial, que, como o prazer que você sente ao coçar um eczema, só piora o problema. Você não pode curá-lo, cedendo à tentação de coçar. Quanto mais coçar, mais você será tentado a continuar, até que o sangramento intervenha. Portanto, desista dessa busca vã e se concentre em assuntos espirituais ou, pelo menos, se movimente no mundo com a consciência sempre presente de que ele é um pântano, uma rede, uma armadilha para a qual o apego e o desejo o empurrarão. Seja um verdadeiro devoto e se torne tão pequeno que possa se esquivar das algemas dos sentidos, ou seja um verdadeiro sábio (jñani) e se torne tão grande que possa escapar rompendo-os.” (Discurso Divino, 16 de dezembro de 1964)

Sathya Sai Baba

4 de julho de 2019

“Uma pessoa pode estudar todas as escrituras e livros-textos de prática espiritual e pode até dar palestras sobre eles por horas, mas ela irá falhar e errar, quando for confrontada pela tentação. Cuidado! Como a terra que está ressecada, o coração pode parecer livre de qualquer colheita do mal. No entanto, quando as primeiras chuvas caírem, as sementes e raízes sob o solo transformarão os resíduos em um tapete verde. É uma tarefa difícil, mas vale a pena reformar tendências e caráter. Você pode ter os melhores vegetais, pode ser o cozinheiro mais capacitado, porém, se a panela de cobre – na qual prepara a sopa de legumes – não for selada com estanho, a comida que você cozinhar será altamente venenosa! Assim, faça a “selagem” do seu coração com verdade (sathya), conduta correta (dharma), paz (shanti) e amor divino (prema), transformando-o em um vaso adequado para a repetição do santo nome, meditação, votos religiosos, peregrinação, rituais de adoração e outros pratos que você prepare nele.” (Discurso Divino, 13 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

5 de julho de 2019

“Você está sujeito a misérias porque se esqueceu da fonte, na qual se originou. Um peixe nasce na água. Sem água, ele não pode sobreviver nem por um instante. Ele só está feliz na água, onde se originou. Qual é a fonte do ser humano? O Senhor Krishna respondeu na Gita: ‘Mamaivamsho Jivaloke Jivabhuta Sanathanaha’ (o Eterno Atma em todos os seres é uma parte do Meu Ser). Assim, é evidente que cada ser humano é uma centelha do Divino. Cada um se originou do Divino. Tendo nascido do Atma, você deve sempre contemplar o Ser Interno. Você ficará inquieto e enfrentará dificuldades, caso se esqueça do Atma. Portanto, nunca se esqueça de sua origem. Tenha fé no Ser Interno; respeite-o e o reverencie; permita que ele seja a base da sua vida. Esse é o dharma (dever) que você deve acatar. Você pode ocupar qualquer posição de autoridade, possuir riqueza e prosperidade, mas apenas a fé no Ser Interno o protegerá.” (Divino Discurso, 22 de fevereiro de 2001)

Sathya Sai Baba

6 de julho de 2019

“Uma mãe vai ao rio buscar água e deixa seu filho no berço. No caminho de volta, ela pode estar conversando com outras mulheres enquanto carrega um balde cheio de água em sua cabeça. No entanto, sua mente estará constantemente focada em seu bebê e ela vai querer voltar para casa o mais rápido possível, temendo que seu filho acorde e comece a chorar. Da mesma forma, sua mente deve sempre estar focada no Atma (centelha divina), em meio a todas as atividades. Tenha isso como seu objetivo. Ao praticar cantos devocionais (bhajans), você pode cantar vários cânticos em diferentes melodias, mas sua mente deve estar constantemente fixada no Divino! Arjuna perguntou ao Senhor Krishna como ele poderia lutar na guerra, se tinha que pensar constantemente em Deus. Krishna respondeu: ‘Ó tolo, são seu corpo e sentidos que estão envolvidos na guerra. Sendo assim, você pode sempre manter a mente focada em Deus’. Realize todas as suas ações com o único propósito de agradar a Deus.” (Divino Discurso, 22 de fevereiro de 2001)

Sathya Sai Baba

7 de julho de 2019

“Fale suave e docemente. Cultive uma boa mente. Somente então, você conquistará o respeito dos outros. Você não pode sempre agradar, porém, sempre pode falar gentilmente. Não ouça conversas maldosas. Kaikeyi deu atenção às más palavras de Manthara, que, ao fim, levaram Rama ao exílio, a quem ela amava muito mais do que seu próprio filho, Bharata. Hoje em dia, você encontra alguma mulher chamada Kaikeyi ou Manthara? Não. A sociedade não respeitará aqueles que se entregam e dão ouvidos ao mal. Assim, você deve sempre falar e ouvir boas palavras. Caso aconteça de você ouvir algo ruim, não compartilhe com os outros. Qual é o propósito de causar inquietação nos outros, ao dizer-lhes algo que causou o mesmo em você? Atualmente, há pessoas que não apenas emprestam seus ouvidos a conversas maldosas, como também as espalham para o restante da sociedade, causando grande agitação. Deixe sua língua pronunciar palavras que darão felicidade aos outros.” (Divino Discurso, 22 de fevereiro de 2001)

Sathya Sai Baba

8 de julho de 2019

“Você deve fazer sua mãe feliz. Se você não consegue deixá-la feliz, como pode ficar em paz? Não há sentido em adorar a Deus, sem reverenciar os próprios pais. Assim, primeiramente, reverencie sua mãe, pois foi ela quem lhe concedeu o nascimento. Somente quando o coração da mãe for doce, o mundo inteiro será doce. A divindade do Senhor Rama floresceu sob o cuidado amoroso de Kausalya. Tendo nascido do ventre de Kausalya, Ele obteve as qualidades dela. Por esta razão, Ele é adorado como Deus. Shivaji pôde fazer tamanho sacrifício pelo país porque ele nasceu de Jijabai, uma senhora pura. As crianças conseguem ter grande prosperidade em razão da nobreza da mãe. Então, encarnações do amor! Não há nada maior que o amor. Só o amor é o principal motivo de toda prosperidade. Você deve, portanto, adorar e reverenciar a mãe que é a personificação do amor.” (Divino Discurso, 1 de junho de 2001)

Sathya Sai Baba

9 de julho de 2019

“Descubra a sua santidade, a sua divindade, a verdade real! Às vezes, você pode ter dúvidas sobre qual ação é a correta (dhármica), qual é a verdade (sathya), qual expressa o amor divino (prema) e assim por diante. Eu compreendo. Contudo, ninguém tem dúvidas sobre si mesmo, não é? Então, descubra quem você é, e permaneça fiel e fixado nessa indagação sobre a verdade. Isso, apenas, é suficiente para salvá-lo, para lhe dar felicidade eterna! Essa é a essência dos ensinamentos dos Vedas e Upanishads. Isso foi experimentado por nossos sábios e santos e exposto por estudiosos em seus discursos. Lembre-se do Deus no qual você se inspira, o Deus que faz você se mover, o Deus que é todo este vasto universo, cada átomo e cada gigantesca estrela. Escolha qualquer Nome e Forma para esse Deus imanente onipresente, que atrai você, e mantenha Seu Nome e Forma em sua língua e diante de seus olhos mentais. Esta atividade é chamada meditação com recitação do Nome (japa-sahita dhyanam).” (Divino Discurso, 13 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

10 de julho de 2019

“O corpo humano é destinado a servir os outros, não a se entregar a ações egoístas. Como o egoísmo se tornou parte integrante de sua vida, você se envolve em muitas atividades imorais. Abandone o egoísmo e aceite o serviço desinteressado. Desista do apego ao corpo. Torne-se conectado ao Ser Interno. Entenda que o mesmo Ser Interno (Atma) existe em todos. Embora você encontre milhares de lâmpadas brilhando aqui, a corrente elétrica que passa por elas é a mesma. Corpos são como lâmpadas. O princípio do Atma é a corrente elétrica presente neles. Com tal sentimento de unidade, esforce-se para aliviar o sofrimento de seus semelhantes. O sábio Vyasa deu a essência de dezoito Puranas no seguinte ditado: ‘Paropakaraya Punyaya, Papaya Parapidanam’ (uma pessoa alcança méritos servindo aos outros e pratica a imoralidade ferindo-os). Então, ajude sempre e jamais fira. Não há prática espiritual (sadhana) mais elevada do que essa. Essa é a base para a autorrealização!” (Divino Discurso, 14 de abril de 2001)

Sathya Sai Baba

11 de julho de 2019

“Primeiramente, torne seu coração puro. É somente a pureza que atrai a Divindade. Se a limalha de ferro estiver enferrujada, até o ímã mais poderoso não a atrairá. A limalha de ferro pode culpar o imã, dizendo que ele não tem energia. Mas o ímã responde a ela: ‘Você pode pensar o que quiser, que não me incomodo. Livre-se da ferrugem e se torne pura. Somente então, eu atrairei você.’ Da mesma maneira, como você espera que Deus atraia sua mente, que está enferrujada devido a maus pensamentos? Veja o bem, ouça coisas boas, fale palavras boas e agradáveis, e empreenda atividades sagradas. Se você agir dessa maneira, sem pedir qualquer coisa, Deus certamente concederá Sua graça a você. A contemplação de Deus é o único meio para manter os sentidos puros. Todas as práticas espirituais são destinadas ao controle dos sentidos.” (Divino Discurso, 22 de fevereiro de 2001)

Sathya Sai Baba

12 de julho de 2019

“O buscador tem que ser muito vigilante sobre como olhar, sobre as coisas que procura visualizar e sobre o que anseia ver. É a visão (drishti) que determina o apego, a tristeza, a paixão, etc. Você é o ser mais nobre já criado e, assim, deve desenvolver uma visão que não vê bem, nem mal, pois vê tudo impregnado pela Divindade e, portanto, sem diferenças entre si. Shankara declarou: ‘Faça com que sua visão seja saturada de sabedoria (jñana), então aquilo que é visto aparecerá em sua verdadeira luz, como Brahman.’ Tal visão é chamada divina, sobrenatural, suprassensorial e auspiciosa. Cada corpo que vê diante de si é um espelho no qual, se abrir seus olhos, você poderá ver a imagem de Deus. O Deus em você está em cada um deles também. Não pense que os outros são distintos, pois eles são apenas você, em muitos espelhos.” (Divino Discurso, 29 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

13 de julho de 2019

“Sem dúvida, todo objeto na natureza, todo incidente no tempo está ensinando uma lição a você. Certa manhã, Dakshinamurthy estava caminhando vagarosamente pela praia. Ele olhou para as ondas e extraiu uma lição delas. Lenta, mas sistematicamente, as ondas levavam para a praia um pouco de palha, passando de uma crista a outra, até que foi depositada na terra! O mar é uma vastidão extensa, profunda e poderosa. No entanto, constantemente, está empenhado em se livrar de todas as coisas alheias a ele. O mar sabe que você não deve negligenciar um desejo, tal como uma palha. Force o desejo de volta à praia, onde não poderá causar dano algum. Dakshinamurthy exclamou: ‘Maravilhoso! O Mar me ensinou uma grande lição’. A lição de que o perigo espreita quando um desejo, que surge dos sentidos e da mente, aparece! O preço da paz e da felicidade é a eterna vigilância.” (Discurso Divino, 29 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

14 de julho de 2019

“O mantra Gayatri é o caminho nobre para a Divindade. Não há tempo estabelecido ou regulamento para recitá-lo. Contudo, os jovens celibatários (Brahmacharis) fazem bem em recitá-lo pela manhã e à noite, nas primeiras horas do amanhecer e do anoitecer (sandhya), para obter um benefício maior. No entanto, o Divino está além do tempo e do espaço, e por isso qualquer hora e qualquer lugar são apropriados para repetir o nome de Deus. O Bhagavata declara: ‘Contemplem sempre a Deus, em todos os lugares e em todos os momentos’ (Sarvada, sarvatra, sarvakaleshu Hari chintanam). Vocês devem aprender a pensar em Deus em tudo que veem, fazem e tocam. Vocês devem perceber que estão desempenhando papéis temporários no palco cósmico. Vocês devem voltar ao verdadeiro Ser Interno Divino, quando a peça terminar. Ao recitar regularmente o Gayatri, vocês devem purificar suas vidas e se tornar exemplos de vida correta para o mundo. Esta é a Minha bênção para vocês.” (Discurso Divino, 17 de março de 1983)

Sathya Sai Baba

15 de julho de 2019

“Seja simples e sincero. É um total desperdício de dinheiro sobrecarregar as imagens e estátuas sagradas nos santuários e altares de suas casas com o peso de guirlandas, como também desfilar com caros utensílios, vasos e oferendas, para exibir sua devoção. Isso é um equívoco, que diminui a divindade, imputando a ela o desejo de pompa e publicidade. Para derramar graça, Eu peço apenas pureza de coração. Não calcule a distância entre você e Mim. Não interponha formalidades de relacionamento entre preceptor e discípulo (guru e sishya). Tampouco interponha distinções de grandeza da relação entre Deus e devoto, entre você e Mim. Eu não sou guru, nem Deus. Eu sou você. Você é Eu. Esta é a verdade. Não há distinção. Aquilo que parece ser distinto é ilusão. Vocês são ondas. Eu sou o oceano. Compreenda isso e seja livre, e leve uma vida divina!” (Discurso Divino, 19 de julho de 1970)

Sathya Sai Baba

16 de julho de 2019

“O Guru Purnima é sagrado por muitas razões: o buscador, que sofre com a ilusão de que o mundo objetivo é tão real quanto ele mesmo, é conduzido à Verdade. Neste dia, aqueles que nunca sentiram o impulso de explorar a Realidade são inspirados a buscar a fonte da felicidade dentro de si. Neste dia, peregrinos aos pés de lótus de Deus estudam os livros que guiam a vida. Neste dia, os discípulos exibem gratidão aos pés do preceptor pelo presente que é a luz. Quando o sol nasce, o mundo é abençoado com calor e luz. Quando o Guru abençoa, o devoto recebe paz e alegria! Lembre-se, o Guru Purnima não é uma data marcada no calendário, que termina quando o dia acaba! Saiba que sempre que sua mente, junto com a deidade que a preside, a Lua, estiver cheia (Purna), ela receberá os raios refrescantes da graça do Guru! Treine sua mente para obter a iluminação do intelecto e não das forças ilusórias dos sentidos.” (Discurso Divino, 18 de julho de 1970)

Sathya Sai Baba

17 de julho de 2019

“(1) O silêncio é o primeiro passo da disciplina espiritual (sadhana). O silêncio promove o autocontrole, diminui as chances de raiva, ódio, malícia, ganância, orgulho e facilita os outros passos. Além disso, você pode ouvir os passos Dele, somente quando o silêncio reina em sua mente. (2) Pureza: é a porta para a Divindade. A purificação interna e externa é essencial para instalar Deus em seu coração. (3) Serviço: salva você da agonia que sente quando o outro sofre, amplia sua visão e sua consciência e aprofunda sua compaixão. Todas as ondas estão no mesmo mar e se fundem no mesmo mar. O serviço (seva) ancora esse conhecimento. (4) Amor puro: nunca calcula a reação, o resultado ou a recompensa. O amor chama e o amor responde. O Amor é Deus, viva em Amor. (5) Ausência de ódio: nenhum ser deve ser menosprezado como secundário, inferior, sem importância ou dispensável. Cada um tem um papel designado no drama projetado pelo Todo-Poderoso. Nunca insulte ou prejudique qualquer ser, pois Deus vive em todos os seres e seu desdém se tornará um sacrilégio!” (Discurso Divino, 19 de julho de 1970)

Sathya Sai Baba

18 de julho de 2019

“O Guru lembra ao devoto a inevitabilidade da morte e a natureza transitória da existência sobre a terra. Quando Yajnavalkya resolveu ir à floresta para se retirar e ter uma vida de ascetismo, ele chamou suas duas esposas e lhes propôs dividir as riquezas, que ele ganhara, entre elas. Antes de aceitar sua parte, Maithreyi perguntou ao marido se as riquezas a ajudariam a perceber a Verdade e alcançar a imortalidade. Quando lhe foi dito que eram obstáculos e não ajuda, ela se recusou a ficar com esse peso. Nachiketha recusou o presente que era o império, riqueza e anos de vida saudável. Prahlada ensinou a mesma lição para seus companheiros. Buda procurou resolver o mistério do sofrimento e praticou a renúncia ao apego como o primeiro passo em sua disciplina espiritual (sadhana).” (Discurso Divino, 19 de julho de 1970)

Sathya Sai Baba

19 de julho de 2019

“Cada religião enfatiza um nome e uma forma, e recomenda sua aceitação. Alguns até insistem que Deus não tem nome, nem forma. Mas, na realidade, Deus é indestrutível e eterno (akshara), e está além de todos os nomes e formas. Deus é! Você alcança akshara – o estágio da unidade sem atributos – em três etapas da disciplina espiritual (sadhana): (1) eu sou Teu, (2) Tu és meu e (3) Tu és eu mesmo. Por meio da disciplina espiritual (sadhana), você deve transcender a dualidade do ‘eu’ e ‘Você’. ‘Eu’ é apenas o reflexo de ‘Você’ neste corpo. A consumação será alcançada quando a dualidade for superada. Mantenha seu coração calmo, puro e brilhante, como a luz da lua. Sua mente deve ser limpa apenas pela mente. Assim como você molda uma foice ou um machado de ferro com um martelo de ferro, a mente é formadora e formada. O poder que ajuda a mente a moldar bem é a fé em Deus. Cultive essa fé e tudo mais lhe será acrescentado.” (Divino Discurso, 29 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

20 de julho de 2019

“Como alguém pode se tornar ‘querido’ por Deus? A Gita enfatiza duas qualificações: estar sempre contente (samtushtah satatam) e ter firme determinação (dhruda nischayah). Todos possuem essa qualidade de dhruda nischayah, pois ela é uma habilidade que garante a sobrevivência, como também assegura popularidade e primazia. Aqueles que escalam os picos do Himalaia obtêm a coragem audaciosa a partir da firmeza de sua determinação de não voltar atrás. Outros demonstram heroísmo ao atravessar oceanos turbulentos sozinhos. Outros resolvem explorar florestas assustadoras. Firme determinação, bravura e habilidade são utilizadas até mesmo para a tortura cruel de outros, com o fim de roubar suas riquezas. Ignorando sua divindade interior e deixando de lado a humanidade, alguns descem a níveis demoníacos. Valmiki, quando era Ratnakara, usou sua coragem e bravura de maneiras perversas. O contato com os Sete Sábios e seus ensinamentos fez com que ele direcionasse as mesmas qualidades para Rama. Ele foi transformado tão completamente, que se tornou o autor do Ramayana. Temos que concluir que dhruda nischayah pode servir tanto a bons quanto a maus propósitos.” (Divino Discurso, 2 de agosto de 1986)

Sathya Sai Baba

21 de julho de 2019

“Transforme seu coração, tornando-o puro e sagrado. Pureza é a verdadeira característica de um ser humano. Essa pureza deve se manifestar em tudo que vocês fazem, em seus pensamentos, naquilo que vocês veem ou dizem, verdadeiramente, em tudo. Somente quando vocês demonstrarem tal pureza, é que poderão se tornar encarnações do Ser Interno Divino (Atma). Então, a distinção entre o Divino e o mundano desaparece. Tudo é divinizado. A diferença entre o objeto e o sujeito também desaparece. Tudo então se torna pleno (purnam). A percepção dessa totalidade é o verdadeiro Guru Purnima, não a realização de rituais de homenagem aos pés do Guru (pada puja) e a obtenção de um mantra do Guru. Decida-se hoje a levar uma vida exemplar, a voltar seus pensamentos para Deus, a buscar a purificação do seu coração e a autorrealização neste mesmo nascimento!” (Divino Discurso, 13 de julho de 1984)

Sathya Sai Baba

22 de julho de 2019

“O contentamento (samtushti) preenche o coração com o deleite divino. Ele demarca o estágio de desapego do mundo, pois o mundo faz com que uma pessoa oscile entre a dor e o prazer. Desista das tentativas de conseguir alegria ou de evitar a tristeza, e não se preocupe com altos e baixos. O sucesso não deve inflar seu ego, nem a derrota deve lançá-lo em desânimo. Elogios não devem subir à cabeça, tampouco a humilhação deve fazê-lo baixar a cabeça. Equanimidade e serenidade são os sinais de contentamento. O devoto deve acolher com gratidão o que quer que aconteça, conforme ordenado pela Vontade Divina, à qual ele se rendeu. Devotos devem estar livres de ansiedade e medo, orgulho e inveja. Quatro inimigos têm a intenção de arruinar você: raiva, inveja, ódio e horda de desejos. Considere os altos e baixos como papéis no jogo Divino. A prescrição moral básica para todo devoto que aspira a ser próximo e querido a Deus é adorá-Lo e oferecer Amor a Ele em todo ser vivo.” (Divino Discurso, 2 de agosto de 1986)

Sathya Sai Baba

23 de julho de 2019

“Para fazer uma criança entender que a palavra ‘cadeira’ representa uma mobília, você tem que desenhá-la e escrever as letras correspondentes embaixo dela. Após a criança ter aprendido a identificar a forma temporária da cadeira (kshara) com a palavra eterna sem forma (akshara), a imagem é eliminada e a palavra permanece. A partir desse momento, a palavra passou a representar o objeto, o material concreto visível. Se nenhuma cadeira existisse, a palavra ‘cadeira’ não poderia ter surgido. A palavra ‘Deus’ surgiu para indicar uma entidade que foi experienciada. O ‘nada’, o ‘ser inexistente’ não precisa de nome. O nome é uma prova da coisa. A palavra ‘Deus’ é uma evidência do Fenômeno Divino. Da Forma ao Sem Forma, do Sem Forma à Forma: ambos são processos possíveis e progressivos. Seu Deus pessoal é uma expressão, um símbolo e uma representação do Deus impessoal. O Impessoal se personifica e assume uma forma e atributos. Esta é a verdadeira natureza do Divino.” (Divino Discurso, 2 de agosto de 1986)

Sathya Sai Baba

24 de julho de 2019

“Independentemente de país, raça ou período de nascimento, todos nascem no mundo carregando três dívidas. Uma dívida é um dever decorrente do que você recebeu anteriormente. A primeira dívida é com o Divino. A segunda é com os sábios (rishis). A terceira é com os próprios pais de uma pessoa. Com facilidade, podemos identificar essas dívidas no corpo humano como diferentes forças divinas que o nutrem e protegem. A energia divina que permeia todo o seu corpo é chamada de Essência Divina (rasa). Temos uma dívida de gratidão para com Deus, que não apenas nos dotou com esse precioso corpo humano, como também o sustenta. Poderemos desfrutar plenamente desses presentes de Deus, somente quando quitarmos nossas dívidas para com Ele. Como? Realizando boas ações, prestando serviço a outros seres saturados com o mesmo Divino e consagrando nossas ações para servir à sociedade. Quite suas dívidas para com Deus agora ou, talvez, em muitas vidas futuras. Quanto mais cedo quitá-la, mais rápido você se tornará consciente da Divindade.” (Divino Discurso, 10 de outubro de 1983)

Sathya Sai Baba

25 de julho de 2019

“Cada segundo é um novo momento em sua vida. Utilize-o para purificar seu coração e preenchê-lo com amor. Então, você perceberá que Deus é seu e que está preenchido com o amor divino. A verdadeira devoção é o único método para tornar-se consciente do Divino. Devoção significa amor a Deus, sem qualquer desejo de recompensa. Tal devoção somente pode ser desenvolvida por meio da boa conduta. Não pode haver devoção sem retidão. A pureza da mente é essencial para desfrutar a Bem-aventurança Divina, assim como a pureza do corpo é essencial para a saúde corporal. Maior que todo o conhecimento que pode ser adquirido no mundo é o conhecimento do Eu Superior (Atma jñana). Não há nada igual à bem-aventurança proveniente da autorrealização, que só será alcançada quando a percepção do ego for destruída e houver sagrada submissão ao Divino. As orações, novamente, são usadas para buscar a realização de desejos materiais. Dentre os milhões que fazem orações, pouquíssimos buscam o próprio Deus com corações puros.” (Divino Discurso, 31 de dezembro de 1983)

Sathya Sai Baba

26 de julho de 2019

“Traços malignos herdados e enraizados na mente devem ser abandonados. Dentre esses traços, os piores são o ódio e a inveja. Eles surgem do egoísmo intenso. Eles são qualidades do leopardo e não devem encontrar lugar em um ser humano. Algumas pessoas tentam fingir que superaram a raiva, o ódio, o ciúme e o orgulho. Essas características aparecem de tempos em tempos. Você deve eliminá-las imediatamente. Você deve realizar um ritual sagrado (yajña) interno contínuo, em contraposição ao yajña externo realizado apenas anualmente. O yajña interno deve ser realizado em todos os momentos, em todos os lugares e sob todas as circunstâncias. O altar sacrificial para esse yajña está dentro de cada um de nós. Sempre que um mau pensamento ou desejo ocorrer, expulse-o impiedosamente. Somente por meio da vigilância permanente e do esforço contínuo podemos ganhar a graça Divina. Somente quando as más características forem banidas, é que a Divindade se manifestará em toda a sua glória. Este é o propósito real dos yajñas: permitir que você alcance a pureza para tomar consciência da Divindade.” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1983)

Sathya Sai Baba

27 de julho de 2019

“Atualmente, as pessoas e sua devoção estão submersas no oceano profundo da vida mundana. As pessoas falam sobre compaixão, mas estão preocupadas apenas com a ‘moda’. Elas proferem a palavra ‘cooperação’, mas só se entregam à ‘operação’. Nos dias de hoje, a devoção está se tornando um espetáculo pomposo. Para assegurar a graça do Divino, não é necessário buscar conhecimento, riqueza, poder ou posição. A pureza da mente é suficiente. Cada célula do corpo da pessoa será preenchida com o Divino, quando Deus for adorado com devoção pura e sincera. Para o devoto abnegado, Deus será Onipresente. O verdadeiro conhecimento vem quando uma pessoa se vê confrontada por uma crise moral extrema. Essa era a situação que Arjuna enfrentou quando ele foi colocado entre os dois exércitos oponentes. Parikshit enfrentou uma crise semelhante, quando soube que tinha apenas uma semana para viver. Em meio a tais crises, a pessoa pensa em Deus e busca ajuda divina. O Senhor está sempre pronto para responder às orações de verdadeiros devotos.” (Divino Discurso, 31 de dezembro de 1983)

Sathya Sai Baba

28 de julho de 2019

“Limpe suas emoções, paixões, impulsos, atitudes e reações: essa é a essência da disciplina espiritual de todas as fés. Examine sua mente e pensamentos. Não busque as falhas dos outros. Veja apenas o bem. Não fale mal de qualquer pessoa! Se você escorregar em calúnia, arrependa-se e decida-se a não dar vazão a esse hábito novamente. Não humilhe ninguém. Respeite a todos pelo bem existente neles. A dor causada pelo seu comportamento vai assombrar você durante seus últimos momentos. Deixe cada ato seu representá-lo como se fosse suas credenciais, quando você deixar o mundo. Não deixe que nenhum ato seja um empecilho ou uma dívida. Mergulhe cada momento no amor por Deus. De que vale gastar horas em meditação, e depois espalhar a raiva e infligir ressentimento por meio de suas palavras e ações com amigos e familiares? A Gita recomenda que você seja sempre um iogue (satatam yoginah): sempre controlado e conectado ao Divino. Portanto, esteja vigilante, seja firme, seja sincero. Uma pessoa estável ganha sabedoria.” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1973)

Sathya Sai Baba

29 de julho de 2019

“Frio e calor estão no plano de Deus! Aceite isso e trate ambos como valiosos. Provações e tribulações são instrumentos eficazes na caixa de ferramentas de Deus para purificar você. Na verdade, Mãe Kunti orou a Krishna assim: ‘Dá-nos sempre tristezas, para que nunca nos esqueçamos de Ti’. Sofrimento e dor são as restrições alimentares que o médico prescreve para suplementar o medicamento da recordação de Deus (namasmarana). Plantas espinhosas e plantas sem espinhos estão presentes na natureza. O indivíduo sábio conhece o valor de ambas. Ele planta a muda sem espinhos e a protege com arbustos espinhosos, de maneira que o que ele cultiva não seja prejudicado. Uma ação pode salvar, assim como matar. É como o gato que morde o gatinho. Ele o morde para levá-lo em sua boca a um lugar seguro, como também pode morder o rato para matá-lo e comê-lo. Torne-se o gatinho, e o trabalho irá salvá-lo como uma Mãe amorosa. Torne-se um rato e você estará perdido!” (Discurso Divino, Vijayadasami, 1953)

Sathya Sai Baba

30 de julho de 2019

“Cada um de vocês é um peregrino nessa estrada, seguindo seu próprio ritmo, de acordo com sua qualificação e com o estágio alcançado por meio de seus esforços. O conselho que agrada ou se aplica a um de vocês pode não ser apropriado ao outro, que não viajou tão longe ou alcançou um estado mais avançado do que seu próprio estado! Quando Eu digo a uma pessoa para seguir uma linha de disciplina espiritual (sadhana), é especificamente para o benefício daquela pessoa! Cada um de vocês tem diferentes estruturas mentais, físicas e espirituais. Quando um indivíduo é obeso, o médico aconselha certos tipos de alimentos. Quando ele é magro, o médico aconselha outro grupo de alimentos, não é? Se os médicos, que tratam doenças do corpo, têm que prescrever remédios diferentes, quão mais específicos e pessoais devem ser os medicamentos para as condições complexas e variadas das situações mentais, anseios espirituais e aspirações dos indivíduos através da ponte do tempo?” (Discurso Divino, 3 de março de 1974)

Sathya Sai Baba

31 de julho de 2019

“Você deve se proteger contra o orgulho que infecta os estudiosos, que dominaram um determinado número de escrituras. Não julgue os outros como inferiores por não participarem de cantos devocionais (bhajans) ou círculos de estudo. Você pode estar muito equivocado se calcular o desenvolvimento espiritual de uma pessoa por aspectos meramente externos. A pureza interior não pode se expressar por meio de demonstrações pomposas. Somente Aquele que vê todo coração sabe quem reside nele: Deus (Rama) ou o desejo egoísta (kama). Estude sinceramente com fé e devoção. A menos que você investigue seriamente, não poderá descobrir o remédio aplicável ao seu temperamento e seus problemas. Aprofunde-se na importância e significado daquilo que você lê e sempre tenha em mente o objetivo de colocar o que você lê em prática. O Universo inteiro é uma universidade para você. Você pode absorver a sabedoria do céu, nuvens, montanhas, rios, dos fenômenos diários do nascer e do pôr do sol, estações do ano, pássaros, árvores, flores, insetos e, de fato, de todos os seres e coisas na natureza.” (Discurso Divino, 3 de março de 1974)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.