Pensamento para o dia - julho 2018

1° de julho de 2018

“Vamos crescer juntos, avançar e aprender em conjunto, desenvolver a inteligência e atingir objetivos nobres juntos, sem qualquer conflito e deixe-nos viver em amizade. Este é o verdadeiro significado da igualdade. Essa igualdade dá paz. Sem igualdade, haverá apenas inimizade, diferenças e dualidade. Todos os dias você diz shanti (paz) três vezes! Diga com um coração puro e diga suavemente. Quando há inimizade no coração, cantar Shanti Mantra não será útil! Entoar duramente também anula o efeito do canto! Palavras não são importantes, os sentimentos dentro do seu coração são importantes. Portanto, realize todas as práticas espirituais com pureza de coração. O caminho do amor é o mais nobre. Pode não ser possível fazer japa (cantar o nome de Deus). Você pode não ser capaz de manter a mente estável em meditação. Você pode não conhecer o caminho da yoga. Mas você pode desenvolver amor em seu coração. O caminho do amor é fácil e é um atalho.” (Discurso Divino, 7 de abril de 1993)

Sathya Sai Baba

2 de julho de 2018

"Quando estamos com fome, nós comemos para satisfazer nossa fome! Demora cerca de duas horas para a comida na boca ir ao estômago, ser digerida e produzir força e sustento para o corpo. Da mesma forma, pode haver um intervalo de tempo entre as ações e suas consequências. Uma semente não se torna uma árvore assim que você a semeia. A semente germina primeiro, torna-se uma muda e depois cresce em uma árvore no decorrer do tempo. A árvore inteira está dentro de uma pequena semente. Você só vê a semente, não a árvore inteira escondida nela. Da mesma forma, você deve lembrar que seu futuro está contido nas ações realizadas por você no presente. Você imagina seu futuro e espera por ele. Não há necessidade de esperar por isso, porque o seu futuro está no seu presente! Seus pensamentos, palavras e ações atuais determinam seu futuro. Portanto, torne o presente sagrado, sublime e significativo." (Discurso Divino, 22 de abril de 1993)

Sathya Sai Baba

3 de julho de 2018

“O amor de Swami não tem nenhum traço de interesse próprio nele. É absolutamente puro. Swami sabe apenas como dar, não como receber. A mão de Swami é mantida acima para conferir algo, não esticada para procurar qualquer coisa. Além disso, uma vez que Swami declarou: "Você é Meu", quaisquer que sejam os caminhos errados que se possa seguir, Swami não o abandonará. Pode se perguntar por que alguém que tenha sido aceito por Swami deve estar sujeito a dificuldades e problemas. Esses problemas são as consequências de seu próprio karma (ações). A pessoa deve cuidar para que sua conduta seja correta. Se, supondo, o Senhor abençoar um homem com cem anos de vida, ele não deve se encher de orgulho e começar a pular de uma árvore na confiança de que viverá por um século. Ele pode viver cem anos, mas pode ter a perna quebrada no outono. Assim, ao aceitar a bênção de Deus, deve-se também tentar levar uma vida justa.” (Discurso Divino, 13 de julho de 1984)

Sathya Sai Baba

4 de julho de 2018

“Desejos e força de vontade (iccha shakti), ambos emergem dos pensamentos. A força de vontade é muito importante, como o princípio vital de todo ser humano. Todos os outros poderes, como o poder do intelecto, da compreensão, da determinação, da fala, etc., surgem disso. Essa força de vontade é como o rei de todos os outros poderes. Levará alguém ao caminho sagrado se fizer uso adequado dela. Pelo contrário, se alguém faz uso impróprio dela, a pessoa se torna perversa. A força de vontade afeta seus pensamentos e os pensamentos influenciam a força de vontade. Maus pensamentos tornam a força de vontade fraca. O declínio na força de vontade torna os desejos mais fortes e, enfim, enfraquecem você! Aqui está um pequeno exemplo. Suponha que uma pessoa tenha o hábito de beber muito café ou chá, fumar cigarros, etc. Seus maus hábitos não enfraquecerão sua força de vontade e capacidade de realizar grandes coisas? Por isso, desenvolva bons pensamentos, bons hábitos e pratique o limite aos desejos.” (Discurso Divino, 22 de abril de 1993)

Sathya Sai Baba

5 de julho de 2018

“Somos incapazes de perceber Deus dentro de nós porque não percebemos a cobertura suja em que Ele está envolto. Se nossas roupas ficarem sujas, nós as mudamos porque temos vergonha de aparecer em roupas sujas. Se a nossa casa estiver suja, nós a limpamos para que os visitantes não tenham uma impressão ruim de nós. Mas quando nossas mentes e corações estão poluídos, nos sentimos envergonhados? Não é estranho que devamos nos preocupar tanto com a limpeza de nossas roupas ou de nossos lares, mas não estamos preocupados com a pureza de nossos corações e mentes que afetam toda a nossa vida? Para purificar nossos corações e mentes, a primeira coisa que devemos fazer é levar uma vida justa. Nossas ações devem ser baseadas na moralidade. Ceder ao abuso de outros ou infligir dor a eles não é um sinal da natureza humana. O mal que fazemos aos outros acaba recaindo sobre nós.” (Discurso Divino, 02 de abril de 1984)

Sathya Sai Baba

6 de julho de 2018

“A realização de Vaidika Karmas (ações prescritas pelas escrituras) como rituais de sacrifício (yagnas), caridade e penitência, é considerada punya karmas ou ações meritórias. Enquanto estiver engajado nessas ações, se você estiver preocupado com os ganhos mundanos, o egoísmo (ahamkara) surgirá - haverá o sentimento: “Eu estou fazendo esses ritos sagrados”. Todas as ações, boas ou más, resultarão em escravidão! Correntes que aprisionam podem ser feitas de ouro ou ferro, mas elas são todas iguais! Por isso, as escrituras declaram que realizar Deus (Sakshatkaram) e alcançar a união com Deus (Brahma prapti) não podem ser obtidos apenas por rituais ou boas ações. Como são atos externos relacionados ao corpo, eles não são propícios ao desenvolvimento de sua visão interior. Somente quando você é capaz de se livrar do egoísmo e do apego, você pode desenvolver a visão interior. Para realizar o Divino sempre, o senso de dualidade deve ser erradicado. Perceber a divindade em toda parte é Sabedoria (Advaita Darshanam Jnanam)!” (Discurso Divino, 28 de setembro de 1984)

Sathya Sai Baba

7 de julho de 2018

“Um fazendeiro desejoso por cultivar deve remover todas as ervas daninhas de seu campo. Todas as variedades de ervas daninhas afetam negativamente a plantação. Assim, capinar é uma condição prévia essencial para obter uma boa produção. Da mesma forma, um aspirante espiritual ávido para alcançar bem-aventurança (Atmananda) deve remover de seu coração as várias manifestações das gunas rajas e tamas (características de paixão e embotamento) na forma de malícia, desejo, ganância, raiva, ódio e ciúme. Esses seis tipos de inimigos do homem são os filhos das gunas rajas e tamas. Ninguém pode experimentar a alegria e a felicidade da alma enquanto essas ervas daninhas estiverem presentes. O mundo inteiro é uma manifestação das três gunas. Destas três, as gunas rajas e tamas são a fonte de toda dificuldade, tristeza, dor e problemas. Os seis atributos da guna tamas são o sono, o torpor, o medo, a raiva, a preguiça e a inércia. Por isso, o Senhor Krishna pediu a Arjuna que removesse as gunas rajas e tamas de seu coração.” (Discurso Divino, 12 de setembro de 1984)

Sathya Sai Baba

8 de julho de 2018

“Quaisquer que sejam as escrituras que você possa estudar, quaisquer esforços espirituais (sadhanas) que você possa praticar ou peregrinações que se possa empreender, a menos que alguém consiga se livrar das impurezas no coração, a vida permanecerá sem valor e sem sentido. A purificação do coração é a essência de todos os ensinamentos das escrituras e o objetivo básico da vida. Nenhum estudo espiritual ou sadhana pode ajudar a purificar seu coração, a menos que você mesmo faça o esforço. E quando o coração é purificado, torna-se uma morada digna para o Divino. Reconhecendo este fato, a Bhagavad Gita indicou um caminho de três estágios para a Divindade: engajar o corpo em boas ações, usar a mente para desenvolver bons pensamentos e qualidades humanas, e contemplar a Deus através de Upasana (adoração do Divino). Através disso, qualquer indivíduo pode alcançar o estágio em que, como um rio que se une ao oceano, se funde ao Divino (Brahman).” (Discurso Divino, 28 de setembro de 1984)

Sathya Sai Baba

9 de julho de 2018

“Hoje em dia, quando se vai a um piquenique, leva-se um espelho, um pente e um lenço. Por que as pessoas os mantêm? Ao viajar, o vento pode desarrumar os cabelos, então elas usam um espelho e um pente para arrumar o cabelo. Isso as ajuda a ficarem bonitas. Da mesma forma, você não precisa de alguns utensílios para ajustar a beleza perturbada de sua mente? Assim como o seu espelho lhe diz se o seu cabelo está desgrenhado ou não, a utilidade da devoção é revelar o estado da sua mente! Com tal espelho limpo, será fácil ver se há impurezas na mente ou não. Quando reconhecemos que a mente está perturbada, devemos corrigi-la imediatamente e, para isso, precisamos do pente da sabedoria! O desapego (Vairagyam) é o lenço que limpa a sujeira do nosso coração. Ao viajar pela vida, onde quer que você esteja, leve sempre as virtudes de devoção, sabedoria e desapego.” (Discurso Divino, 12 de setembro de 1984)

Sathya Sai Baba

10 de julho de 2018

“Hoje, os exercícios espirituais limitam-se a ouvir palestras e não praticar os ensinamentos. Ouvir tornou-se um tipo de doença. Depois de simplesmente escutar, as pessoas se gabam de saber tudo. Essa arrogância louca está aprofundando a ignorância das pessoas. Deve-se refletir sobre o que foi ouvido. Após a reflexão, deve-se fazer Nididhyasana (colocar em prática as lições). Só então haverá a tripla pureza de pensamento, palavra e ação. Hoje as pessoas se contentam com o simples escutar de discursos. Isso não levará à Realização. A prática de Nama Likhita Japam (repetição da escrita do nome do Senhor como um exercício espiritual) promove harmonia em pensamento, palavra e ação (primeiro pense no Nome do Senhor, então diga e escreva). Todos esses três processos devem ser realizados apenas com um coração puro.” (Discurso Divino, 7 de outubro de 1993)

Sathya Sai Baba

11 de julho de 2018

“Em um vaso cheio de água, quando ele se move, a água também se move. Se o vaso estiver firme, a água também ficará estável e você poderá ver sua própria imagem! Mas se a água treme, sua imagem também treme. Da mesma forma que meditar, você deve manter seu corpo imóvel. Seu corpo é como o vaso e sua mente é a água dentro. Se o seu corpo se move, sua mente interior ficará agitada. Portanto, controle sua mente e mantenha-a firme, mantendo as costas retas e o corpo firme. O poder da Kundalini viaja do Mooladhara, na base da coluna vertebral, para o Sahasrara, centro da energia de mil pétalas, na coroa da cabeça. Portanto, cabeça, pescoço e corpo devem ser retos, sem dobras. Isso é extremamente importante para estudantes e buscadores. Muitas vezes pergunto aos alunos: "Por que você estuda? Para se tornar estável!" Desde a tenra idade, mantenha seu corpo sob controle, você pode conseguir coisas muito úteis na vida!” (Discurso Divino, 12 de setembro de 1984)

Sathya Sai Baba

12 de julho de 2018

“Quando você suspeita da força da fundação de uma casa, tem medo de entrar nela; quando suspeita da habilidade do fabricante, você fica nervoso em dirigir o carro. Os tempos atuais tornaram-se uma era de medo, ansiedade e ashanti (ausência de paz) porque as pessoas não têm fé profunda no Criador. Bhishma, Shankara e outros Jnanis (sábios) sabiam que o Senhor é a base (Aadhara) para toda a criação e não tinham medo algum. Nos últimos tempos, Mahatma Gandhi baseou-se na graça e poder do Senhor e conquistou a liberdade para a nação. Saiba que o Senhor é o alicerce invisível sobre o qual sua vida é construída. Ele é sua fonte, sustento e força. Sem a Sua Vontade, nenhuma folha pode se virar, nenhuma folha de grama pode tremer. Que base mais firme você pode desejar do que isso? Tendo conhecido o Senhor, o Poder Onipotente como o principal motivo de sua vida, você não deve mais temer!” (Discurso Divino, 8 de dezembro de 1964)

Sathya Sai Baba

13 de julho de 2018

“A busca da verdade deve se tornar sua disciplina espiritual diária; cada momento deve ser usado para este dever primário. A verdade só pode se refletir em sua inteligência quando sua inteligência for purificada pelo ascetismo (tapas). Tapas significa todos os atos empreendidos com motivos mais elevados, todas as atividades indicando anseio pelo espírito, arrependimento por erros passados, firme determinação de aderir à virtude e autocontrole e, finalmente, equanimidade serena diante do sucesso ou fracasso. É tapas que promove a renúncia e a disciplina. Essa disciplina é essencial quando as tentações de se desviar são tantas como agora. Nesta era de ferro, quando a escuridão está envolvendo a mente das pessoas, qualquer pequena lâmpada que possa iluminar os degraus é muito bem-vinda. É por isso que aconselho a recorrer a boas ações, boa conduta e bom comportamento (sat-karma, sad-achara e sath-pravartana) para que você esteja constantemente estabelecido na presença do Senhor!” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1965)

Sathya Sai Baba

14 de julho de 2018

“Que destino lamentável é esse? O pequeno ego no homem é alimentado em uma enorme conflagração pela mente e os sentidos, e é apanhado no fogo da aflição. O egoísmo faz com que uma pessoa veja a glória em realizações insignificantes, a felicidade em aquisições triviais e a alegria na autoridade temporária sobre os outros. Mas o Imortal interior está aguardando a descoberta para conferir bem-aventurança e libertação do nascimento e morte. Existe uma técnica definida pela qual a centelha imortal pode ser descoberta. Embora pareça difícil, cada passo adiante torna o próximo mais fácil e uma mente preparada pela disciplina, num piscar de olhos descobre que o Divino é a base da criação. Não há atalho para essa consumação. Você deve abandonar todos os impedimentos acumulados até agora e tornar-se luz para a jornada. Luxúria, ganância, raiva, malícia, vaidade, inveja, ódio - todas essas tendências de estimação devem ser eliminadas.” (Discurso Divino, 8 de dezembro de 1964)

Sathya Sai Baba

15 de julho de 2018

“Deixe-Me lhe dizer – a maior ajuda da beleza feminina é a virtude! Agregue importância à nisha (disciplina e firmeza) e não à nasha (café da manhã ou comida)! Você pode perder a comida, mas não a disciplina. Viva uma vida regulada pela disciplina, de agora em diante; faça disso um hábito e uma armadura que protegerá você do mal. Ore a Deus e recite Seu nome, ou medite sobre Sua glória por algum período fixo de tempo todos os dias; você achará isso muito gratificante. Não diga “Deixe-me provar a recompensa, para então eu começar a prática espiritual”. Pratique, e a experiência acontecerá; tem que acontecer. Se você deseja ser respeitado pelos outros, deve respeita-los também. Se outros devem servi-lo, sirva-os primeiro. Amor gera amor; confiança produz confiança. Auto engrandecimento e egoísmo trarão desastre. De fato, nenhuma alegria pode se igualar à alegria de servir aos outros.” (Discurso Divino, 9 de dezembro de 1963)

Sathya Sai Baba

16 de julho de 2018

“Um único lar agora tem dez facções e partidos. Aqueles que não podem reformar seus próprios lares começaram a reformar o país e estão aconselhando outros sobre cooperação e vida harmoniosa. O conhecimento dos Atmas, a base de todos os seres, é agora esquecido, e essa é a causa de toda agitação, confusão e crise moral hoje! O declínio na disciplina do pensamento constante do Senhor (namasmarana) é a causa raiz do declínio deste país. É para despertar o sono e comunicar esta mensagem a eles que Deus desce. Se alguém lhe chama de fraco, não acredite. Você tem inteligência, disciplina, capacidade espiritual, consciência das excelências dos outros, consciência de suas falhas e vontade de melhorar a si mesmo - então como você pode ser chamado de fraco? Lembre-se, uma vida de oração não cederá à fúria da paixão; será uma fonte de força e cooperação. Eu abençoo que todos possam ter vidas cheias de alegria e paz.” (Discurso Divino, 09 de dezembro de 1963)

Sathya Sai Baba

17 de julho de 2018

“Sábios antigos, que experimentaram a fragrância do divino, procuraram pela forma. Eles buscaram por Ele nas florestas e matas. Eles renunciaram a muitas coisas e fizeram muitos sacrifícios, mas não puderam achar a fonte. Alguns até desistiram no meio do caminho, pois ficaram satisfeitos com a fragrância que experimentaram. Porém outros, com rígida determinação, foram capazes de achar a flor, eventualmente. Houve outros, todavia, que não puderam experimentar a fragrância devido a um “severo resfriado”, e foram chamados de ateus. Mesmo tendo nariz, não puderam experimentar a fragrância da Bem-aventurança divina; eles são, na verdade, infelizes. Mas, aqueles que foram capazes de experimentar esta bem-aventurança exclamaram em êxtase, “Vedahametham Purusham Mahantam (Nós realizamos a Suprema Personalidade da Divindade)”. Como pode alguém realizar isso? Em todos os seres humanos, a bem-aventurança ou Ananda emana do coração, assim como a fragrância da flor. Verdadeiramente, o coração é completo e pleno.” (Discurso Divino, 20 de abril de 1998)

Sathya Sai Baba

18 de julho de 2018

“O Divino está em todos e em todos os lugares. Você pode não vê-Lo com seus olhos físicos, porém, você pode visualiza-Lo com sua visão interior. O ar existe, você não pode negar este fato, no entanto, você não pode vê-lo ou pega-lo. Quando faz calor, você pode experimentar o ar fresco tanto usando um leque como um ventilador elétrico. O ar não veio do ventilador. Contudo, quem usa um ventilador recebe e sente o ar. Similarmente, Deus existe como o ar. O intelecto é o ventilador. Se você o direcionar para o Atma, você consegue Atmananda (bem-aventurança do Atma). Por outro lado, se você o virar em direção ao corpo, você terá um prazer corporal temporário. Para atravessar o oceano da vida, você não pode depender do corpo, que é perecível e transitório. Ele é, na verdade, repleto de sujeira e imundice, carne e ossos. Consequentemente, você deve se entregar ao Divino no interior. Uma vez que você tenha Deus para te ajudar, não há nada que você não possa alcançar.” (Discurso Divino, 29 de abril de 1988)

Sathya Sai Baba

19 de julho de 2018

“Você faz um seguro de vida porque você está inseguro em relação a isso, não é? Para garantir a vocês uma vida confortável, vocês são persuadidos a fazer um seguro e pagar as apólices. Porém, apenas Deus pode proteger você do terror da morte. Você pode obter felicidade ao controlar e conquistar a mente e os sentidos. Ferro e aço são produzidos em fornalhas em chamas, onde o minério é derretido e outros componentes são adicionados. O ferro fundido é carregado em baldes por tratores e derramado por conchas. Mesmo a concha manipulando o calor, ela é imune a ele. O trator segura outros materiais, mas não segura a ele mesmo! A mente é assim. Ela segura, manipula, lida com todas as outras coisas, mas não pode conduzir ou manipular e transmutar a si mesma. A mente não pode segurar aquele que segura, quer dizer, o Motivador Interno, Deus. Então, para salvar a vocês mesmos da desobediência da mente e de seus agentes, você precisa se segurar naquEle que segura.” (Discurso Divino, 11 de março de 1968)

Sathya Sai Baba

20 de julho de 2018

“O amor existe para o amor e nada mais; é espontâneo e dá prazer. O amor vê pelo coração, não pelos olhos. Ele ouve não pelos ouvidos, mas pela tranquilidade do coração. Ele fala não com a língua, mas usando compaixão. O amor tem muitos sinônimos – compaixão e bondade também significam amor. O amor emana unicamente do coração, e não de qualquer outra fonte. O amor é imortal, é doce, é repleto de bem-aventurança e infinito. Um coração preenchido com amor é ilimitado. Assim como rios de nomes diferentes se fundem no oceano e se tornam um com ele, o amor, em muitas formas, entra no seu coração e se funde nele. Seus pensamentos, palavras e visão devem ser preenchidos com amor. Esse é o amor divino. Alguém saturado com amor divino, jamais poderá estar sujeito ao sofrimento. As pessoas, hoje em dia, ficam afetadas com elogio ou culpa. Entretanto, aqueles repletos de amor divino transcendem elogios ou censura. Eles não são afetados pela crítica ou lisonja, e tratam alegria e tristeza, lucros e perdas, vitória e derrota, da mesma forma.”  (Discurso Divino, 25 de dezembro de 1995)

Sathya Sai Baba

21 de julho de 2018

“Atma vidya (ciência do Ser) sozinha pode fixar a mente no Dharma. Os estudantes aqui terão um vislumbre desse Atma vidya; eles desenvolverão um desejo agudo de conhecer isso. Esse conhecimento e desejo vão mantê-los firmes quando eles enfrentarem os problemas da vida. Prahlada disse ao seu pai “o pai que conduz seu filho a Deus, é o único pai que merece a devida reverência pelo seu papel.” Pais que conduzem seus filhos ao turbilhão do prazer sensorial, aos vulcões da paixão física, ao pântano lamacento do orgulho e da pompa desconhecem seus deveres e responsabilidades. Assim como, um sistema educacional que afasta as crianças de Deus – o único refúgio, o único parente, o único guia e guarda – é, realmente, um sistema onde os cegos estão empenhados em cegar aqueles que dependem dele.” (Discurso Divino, 22 de julho de 1968)

Sathya Sai Baba

22 de julho de 2018

“Mulheres, que foram o baluarte da cultura Indiana, as guardiãs da antiga riqueza espiritual, estão rapidamente sucumbindo às atrações frágeis da cultura extravagante, como é evidenciado pelos modos de vida e comportamento social dos tempos atuais.  Esse é o resultado do sistema educacional artificial e vazio, como também as forças atrativas da literatura barata e filmes vulgares. As mulheres jovens de hoje são as mães e professoras da próxima geração de líderes por vir. Todos devem respeitar suas cinco Mães: Deha mata, a mãe da qual você nasceu; Go mata, a vaca que dá o leite que sustenta; Bhu mata, a terra onde crescem as plantações; Desha mata, sua terra natal que dá proteção, cuidado, amor, direitos e chances de servir e elevar-se a posições mais altas; e mãe Veda, o tesouro espiritual que revela o propósito da vida e conduz você a Auto realização. A Deha mata deve revelar à criança as glórias das outras; então sua responsabilidade é a maior e mais crucial.” (Discurso Divino, 22 de julho de 1968) 

Sathya Sai Baba

23 de julho de 2018

“Os ateístas (nastikas) sofrem de uma febre que estraga o sentido do paladar deles; eles acreditam que tudo está amargo. Um crente (astika) sente o paladar como é: amargo como amargo, azedo como azedo, doce como doce. Entretanto, a pessoa de realização (yastika) experimenta todos os eventos da vida como doce, preenchida com a Graça do Senhor. Prahlada era esse tipo de pessoa; ele foi espancado, pisoteado e lançado no fogo e na água, mas ele sentiu apenas doçura em todos os momentos. Ele superou todas as calamidades com o fortalecimento advindo do nome Narayana no coração. Há uma fonte secreta no coração que enche quando o nome é pronunciado e ela vai satisfazer sua sede. Quando em dificuldade, ore pela orientação Dele antes de saltar em qualquer direção. Os humanos aconselham até onde sua inteligência vai, mas o Senhor revelará a você a saída de todo dilema. Pergunte diretamente ao Senhor e Ele não apenas responderá a você, mas também lhe resgatará.” (Discurso Divino, 10 de março de 1962)

Sathya Sai Baba

24 de julho de 2018

“A natureza é uma grande loja onde todas as coisas, que ajudam você a compreender a verdade, são encontradas. Essa verdade é, primeiramente, conhecida como “Tudo isto está impregnado com Brahmam (Divindade), dirigido por e composto de Brahmam (Sarvam Brahma Mayam)!”. Então o buscador se eleva a uma consciência maior de que “Tudo isto é Brahmam (Sarvam Brahmam)”, e isto só aparece como alguma outra coisa, por um tempo, para aqueles que estão com os olhos fechados! O estado final é aquele em que não há nem mesmo “Tudo isto (Sarvam)” para ser postulado como Brahmam; existe somente Brahmam: o primeiro e único. Esta lição é aprendida pelas pessoas quando elas estudam a Natureza, analisando-a e tentando entende-la. É no colo da mãe que a criança aprende a arte da vida; assim também é a Natureza (Prakriti) que ensina a uma pessoa como ser bem-sucedida em uma luta difícil e ganhar a paz suprema (Prashanti). Quebre as leis da Natureza, e ela vai lhe dar um soco na orelha; obedeça ao comando dela e escute seus avisos, e ela lhe passará sua herança de imortalidade.” (Discurso Divino, 3 de junho de 1962)

Sathya Sai Baba

25 de julho de 2018

“Atualmente, algumas pessoas não fazem exercícios físicos e levam uma vida sedentária. Meu conselho aos estudantes e trabalhadores de escritório é que para eles é benéfico percorrer cinco ou seis quilômetros de bicicleta por dia. Este exercício de ciclismo é muito útil para manter sua boa saúde e reduzir suas despesas com automóveis. Outra grande vantagem é a prevenção de acidentes, e redução da poluição atmosférica, causada pela liberação de gases nocivos pelos automóveis. A fumaça de dióxido de carbono de motores veiculares e indústrias já está poluindo o ar nas cidades e afetando a camada de ozônio acima da terra. Nos dias de hoje, todos os cinco elementos estão imensamente afetados pela poluição. Portanto, você deve tentar reduzir o uso de automóveis e controlar a emissão de efluentes industriais nocivos. Você deve, sempre, agir em harmonia com a Natureza, que é um reflexo da Divindade. Sua principal tarefa agora é purificar o ambiente no qual você vive.” (Discurso Divino, 06 de fevereiro de 1993)

Sathya Sai Baba

26 de julho de 2018

“Veja Deus em todos que você encontra; veja Deus em tudo que você lida. Seu Mistério é imanente em tudo que é material e imaterial; de fato, foi descoberto que não há matéria ou material. Tudo é Deus, uma expressão do Seu Mistério! Obtenha felicidade das fontes de felicidade dentro e fora de você; avance, não fique parado, nem retroceda. Cada minuto deve marcar um degrau para frente. Alegre-se, pois é dado a você reconhecer Deus em tudo. Dê boas-vindas a todas as chances de cantar Sua Glória, de escutar Suas histórias, e dividir Sua presença com outros. Deus tem Suas mãos em todos os trabalhos, Seus pés em todas as altitudes, Seus olhos em todos os horizontes, e Seu rosto diante de todos os rostos. A Kalpavriksha (a árvore que atende os desejos) no coração do ser humano está sendo sufocada pela vegetação selvagem e arbustos fortes. Remova esta vegetação sufocante, e a árvore crescerá e produzirá frutos.” (Discurso Divino, 09 de março de 1968)

Sathya Sai Baba

27 de julho de 2018

“Este dia é chamado Vyasa Poornima. É um dia sagrado, que deve ser celebrado com orações e contrição. Só isso pode limpar o coração, não festejar ou jejuar, o que afeta apenas o corpo. O fato do Sábio Vyasa estar associado com esse dia, ou Senhor Rama ou Krishna estar conectado com algum outro dia é meramente uma oportunidade de marcar o dia como extraordinariamente importante, quando algo sagrado deve ser feito. É lua cheia hoje, quando a lua cheia brilha sem qualquer obstáculo; quando o luar está brilhante, fresco e cheio. A mente do homem é comparada à lua, pois, é tão instável quanto a lua com sua oscilação entre o brilho e a escuridão; neste dia, a mente deve ser brilhante, resplandecente e fresca. O Sábio Vyasa é o Lokaguru (professor do mundo inteiro): ele é a Resplandescência Divina. Porém, até mesmo Vyasa pode somente mostrar a você a estrada. Você tem que atravessá-la sozinho.” (Discurso Divino, 24 de julho de 1964)

Sathya Sai Baba

28 de julho de 2018

“Uma vez que você tenha um Guru, deixe tudo para ele, até mesmo o desejo de alcançar liberação. Ele conhece você melhor do que você mesmo pode se conhecer. Ele vai conduzi-lo tanto quanto for bom para você. Seu dever é apenas obedecer e extinguir a tendência de se afastar Dele. Então, não há necessidade de conseguir um Nome ou mantra do Guru e repeti-lo. De que serve a repetição do Nome, sem, ao mesmo tempo, a purificação dos impulsos pelo cumprimento dos Seus mandamentos. Você deve fazer o melhor uso do Guru, como também deve fazer o mesmo com Puttaparthi. Você deve adquirir aqui as habilidades para conquistar shanti e santosha (paz mental e bem-aventurança), a graça de Deus, as lições das práticas espirituais, e os frutos de satsang (companhia do sagrado); não desperdice sua energia e tempo com a busca pela satisfação sensorial em companhia ímpia.” (Discurso Divino, 24 de julho de 1964)

Sathya Sai Baba

29 de julho de 2018

“O homem é uma mistura de daiva, danava e manava (deus, demônio e homem). A maldade da natureza de danava pode ser superada por daya (a qualidade da misericórdia e caridade), simpatia e sentimento de companheirismo; o orgulho do aspecto de daiva pode ser superado por dama (autocontrole), desapego e renúncia; o egoísmo do aspecto de manava pode ser superado por seguir o dharma prescrito pelos sábios justos, que foram purificados pela penitência, e pela canalização de seus instintos e impulsos para campos frutíferos. Quando estes três são, por fim, sublimados, manava (homem) é transformado em Madhava (Deus). Cada um tem que passar por esse processo de purificação, ao descobrir suas falhas e imperfeições, e trilhar a estrada para o sucesso. Se você tem daya, dama e dharma (simpatia, autocontrole e retidão), que vão levá-lo para além do reino das três qualidades da mente, então não há necessidade de conseguir um Nome ou mantra com um Guru e repeti-lo.” (Discurso Divino, 24 de julho de 1964)

Sathya Sai Baba

30 de julho de 2018

“Krodha (ira) é um veneno mortal. Ela afeta os outros com seus gases, manifestada pelo olho, pela língua e pelas mãos. As sementes de uma árvore venenosa brotam em uma planta venenosa, que quando se transformar em uma árvore grande, suas folhas, flores e frutos, certamente, serão venenosos. Assim também, uma pessoa viciada em raiva só pode emanar veneno, por meio de pensamento, palavra e ação. Um pensamento de ódio é como uma pedrinha jogada nas águas calmas do Manasa-sarovar (Lago da Mente), presente dentro do homem. Isso cria um efeito circular, o qual se espalha pelo lago inteiro. A ira é muito prejudicial para o progresso da juventude. Lute, de todas as formas, para prevenir que o veneno entre em sua estrutura mental. Cultive o amor, a bondade, o espírito de serviço, e encoraje todos os pensamentos de cooperação com os outros. Veja a Divindade em cada um, da mesma forma que devem vê-la em vocês mesmos.”  (Discurso Divino, 07 de dezembro de 1978)

Sathya Sai Baba

31 de julho de 2018

“Uma das dificuldades, que deve ser superada, é a pouca fé em si mesmo (Avishwasam). Hoje em dia, você, alegremente e com prazer, coloca toda fé no corpo e nos seus acessórios, mas não no seu motivador interno, o cocheiro. Particularmente, a juventude de hoje tem fé em prazeres e passatempos irreais, transitórios, momentâneos. Eles não têm conhecimento sobre o eterno, o imutável, e o sempre bem-aventurado. Anos preciosos de vida são, assim, desperdiçados em atividades inúteis. É por isso que sua fé vacila até mesmo quando uma pequena calamidade acontece! Contemple profundamente a impermanência da riqueza, fama, amizade mundana, e assim por diante. Cultive a fé no valor do serviço; creia que o amor pode superar o ódio. Tenha fé na retidão e na vida com moral. Isso é chamado de viver em justiça (dharma).  Nunca se desvie em caminhos errados, atraído pelos desejos sensuais e planos de autoengrandecimento.” (Discurso Divino, 07 de dezembro de 1978)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.