Pensamento para o dia - janeiro 2020

1° de janeiro de 2020

“Neste dia de Ano Novo, você deveria se propor a começar cada dia com amor, passar o dia com amor, preencher o dia com amor e terminar o dia com amor. As pessoas se preocupam com o que vai acontecer neste ano, e se este será um ano melhor do que o ano que passou. Não é o ano específico que importa. Cultive bons pensamentos, fale boas palavras e pratique boas ações com a visão ampla de que todos no mundo sejam felizes. Abandone seus maus pensamentos e más qualidades, pois eles são a causa de todo o sofrimento no mundo. Se você estabelecer Deus como seu guia e salvador, você certamente alcançará o sucesso em qualquer trabalho que faça. Deus é seu único amigo verdadeiro. Ele está sempre com você, em você e ao seu lado. Você deve desejar que todos sejam felizes. Todos devem encher seus corações com o puro amor. Então o país e o mundo irão prosperar e todos serão felizes!” (Divino Discurso, 1º de janeiro de 1994)

Sathya Sai Baba

2 de janeiro de 2020

“Nesta vida mundana, o amor se manifesta de diversas formas, como o amor entre mãe e filho, esposo e esposa, e entre parentes. Esse amor, baseado em relacionamentos físicos, surge a partir de causas egoístas e por autointeresse. Mas o amor do Divino é desprovido de qualquer vestígio de autointeresse. É amor somente pelo amor. Isso é chamado de devoção (bhakti). Primeiramente, esse amor se caracteriza por sempre dar, e não receber. Em segundo lugar, esse amor não conhece o medo. Em terceiro lugar, é amor por causa do amor, e não por motivos egoístas. Todas essas três facetas do amor juntas constituem a entrega ao Divino (prapatti). Quando a pessoa se deleita nessa atitude de prapatti, ela experimenta a bem-aventurança do Divino. Para isso, o primeiro requisito é kshama (perdão e paciência). Somente uma pessoa com essa atitude de kshama pode ser considerada como dotada de amor sagrado.” (Divino Discurso, 1º de janeiro de 1994)

Sathya Sai Baba

3 de janeiro de 2020

“Quando você realiza uma atividade como oferenda ao Senhor, o seu bem, o bem maior e o bem mais alto (svartha, parartha e paramartha), todos se tornam um. Primeiramente, ‘eu’ e ‘você’ se tornam ‘nós’. Depois, ‘nós’ e ‘Ele’ se unificam. A alma individual (jiva, o ‘eu’) deve se identificar primeiro com a criação (prakriti, ‘você’), e depois com o Espírito Supremo (paramatma, ‘Ele’). Essa jornada é o significado do mantra Om Tat Sat. Hoje, ontem e amanhã, Om Tat Sat é, foi e será. ‘Ele’ e ‘eu’ estão sempre presentes, assim como a prática espiritual (sadhana). Assim como o sol é inseparável e jamais se dissocia de seus raios, sob nenhuma circunstância um aspirante deve ficar sem sua prática espiritual. Somente quando os aspirantes espirituais aderem às suas disciplinas espirituais de modo ininterrupto é que podem ser considerados um com o Om.” (Prema Vahini, cap. 5)

Sathya Sai Baba

4 de janeiro de 2020

“Quando vocês olham para todos ao seu redor com amor, Deus também olha para vocês com amor. Qualquer que seja a situação em que vocês se encontrem, nunca manifestem raiva, inveja, hipocrisia ou vaidade. Não tratem os demais com raiva ou ódio. Sentindo o seu amor altruísta, as pessoas também desenvolverão amor. Quando vocês tratam os demais com amor, eles também lhes retribuirão esse amor em pensamentos e palavras. Se, ao contrário, vocês escolherem ser raivosos, as pessoas também se comportarão de forma raivosa com vocês. Não criem distância entre si com sua fala ou conduta. Atraiam todos através do amor. Então todos vocês estarão unidos. Vocês também alcançarão a proximidade com Deus. Deus é a manifestação do Amor. Ele protege toda a humanidade com Seu Amor. Assim, encarnações do Amor, desenvolvam mais e mais o amor desinteressado em vocês!” (Divino Discurso, 27 de janeiro de 2007)

Sathya Sai Baba

5 de janeiro de 2020

“Enquanto a mãe tiver forças, ela alimentará seus filhos. Os filhos também devem cuidar de sua mãe do mesmo modo. Deus nos deu um nascimento humano para que possamos nutrir e cuidar uns dos outros. Para que servem os relacionamentos, como os de irmãos e irmãs? Não é somente para que dividam as propriedades e riquezas. Essas relações são para que o amor seja desenvolvido e compartilhado. Os verdadeiros parentes são aqueles que compartilham amor entre si. Algumas pessoas manifestam um grande amor pelos outros, mas não têm o mesmo amor por sua mãe e seu pai em seus próprios lares. Antes de tudo, devemos amar nossos pais e, depois, as outras pessoas. Lembrem-se de que não devemos limitar nosso amor somente aos nossos amigos e parentes; devemos amar a todos. Só assim Deus derramará Seu amor sobre nós. Quando vemos alguém ferido na rua, não devemos ser indiferentes. Não importa o quanto estejamos com pressa, devemos fazer nossa parte para aliviar o sofrimento daquela pessoa. Então, Deus se manifestará diante de nós, e encherá nossos corações com amor.” (Divino Discurso, 27 de janeiro de 2007)

Sathya Sai Baba

6 de janeiro de 2020

“As Upanishads nos ensinam sobre os três caminhos: karma, upasana e jñana yoga. A essência do karma yoga (o caminho da ação) é realizar todas as ações dedicando-as como uma oferenda ao Senhor, para Seu deleite. O upasana yoga (o caminho da adoração) consiste em amar a Deus de todo o coração, com harmonia e pureza de pensamento, palavra e ação (denominada trikaranasudhi). Amar a Deus com o objetivo de meramente satisfazer seus desejos mundanos não é adoração verdadeira. A devoção consiste em amor motivado unicamente pelo próprio amor. Os seguidores do jñana yoga (o caminho da sabedoria) devem considerar todo o universo como sendo a manifestação de Deus. A fé firme de que a Divindade reside em todos os seres na forma do Atma (Espírito) denomina-se jñana. Se você se pergunta como pode haver unidade em meio a tantas formas e nomes, diferentes tipos de comportamento, diferentes doutrinas etc., considere o exemplo do insondável oceano com suas infinitas ondas. Cada onda é única e diferente das outras em relação ao seu tamanho e forma, mas todas são manifestações de uma única massa de água, e não são diferentes do oceano.” (Chuvas de Verão, 1990, cap. 16)

Sathya Sai Baba

7 de janeiro de 2020

“Membros da Organização de Serviço! Antes de qualquer outra coisa, cultivem o amor em seus corações. Falem amorosamente com todas as pessoas com as quais vocês se deparam. Tragam para perto de si todos aqueles que estão com problemas. Então, Deus derramará Seu amor sobre vocês. Como podem receber o Amor de Deus se não amam o seu próximo? Se querem tornar-se merecedores do Amor de Deus, a primeira coisa a fazer é tornarem-se merecedores do amor dos demais. Deus os ajudará se vocês ajudarem os outros. Ajudar Sempre, Ferir Jamais. Nunca causem problemas aos outros. Amem a todos. Vivam suas vidas com bondade no coração. Seus corações devem se derreter pelo fluxo abundante do amor. Queridos! Vocês não são diferentes de Mim; Eu estou em vocês e vocês estão em Mim. Assim como Eu os amo, vocês devem amar a todos. Vocês somente poderão alcançar a grandeza quando desenvolverem e compartilharem o puro amor que vem de seu interior. Esse é o serviço que devem prestar.” (Divino Discurso, 27 de janeiro de 2007)

Sathya Sai Baba

8 de janeiro de 2020

“A diversidade nas atitudes e nas práticas é natural e deve ser bem recebida; não há necessidade de uma única fé absoluta e rígida. A rivalidade entre os que seguem caminhos diferentes não pode trazer paz e prosperidade a nenhum país. Sem liberdade de escolha da fé, o mundo não pode progredir. A Índia ensinou que nunca um pequeno grupo pode comandar os recursos inesgotáveis do mundo. Para o funcionamento efetivo da comunidade, é necessário dividir o trabalho entre os setores da população, e atribuir a cada um deles a tarefa de contribuir com sua parte para o bem comum. Isso promove a diversidade e a reciprocidade. A diversidade era aprovada para a aplicação prática dos poderes e potencialidades espirituais, portanto não há necessidade de facções nem lutas. Há um fascinante mistério que, se explorado, permitirá que você visualize a Unidade que é a base da multiplicidade. Por essa razão, os textos antigos proclamam: ‘Somente Um existe; os sábios o descrevem de diferentes formas’ (ekam sat viprah bahudha vadanti).” (Sathya Sai Vahini, cap. 5)

Sathya Sai Baba

9 de janeiro de 2020

“Pode chegar um tempo em que você se tornará cansado e fraco; ore então assim: ‘Senhor, as coisas foram além da minha capacidade. Sinto que um esforço adicional seria excessivo para mim. Dá-me forças, ó Senhor’. Inicialmente, Deus fica a uma certa distância, observando seus esforços, assim como o professor permanece afastado enquanto os estudantes fazem uma prova. Então, quando você se livra de seu apego aos prazeres sensórios (bhoga) e pratica boas ações e serviço desinteressado (seva), Deus se aproxima de modo encorajador. Da mesma forma que o Deus Sol (Surya-Narayana), Ele espera do lado de fora da porta fechada. Assim como o empregado que, conhecendo as preferências de seu patrão, não anuncia a sua presença ou bate à porta, mas simplesmente espera, Deus também espera! Quando a pessoa abre apenas um pouquinho a porta, o sol penetra e imediatamente expulsa a escuridão do interior. Similarmente, quando a ajuda de Deus é pedida, Ele imediatamente se apresenta com as mãos estendidas para oferecer ajuda. Assim, o que você necessita é somente o discernimento (viveka) para orar e a sabedoria espiritual (jñana) para lembrar-se Dele.” (Prema Vahini, cap.6)

Sathya Sai Baba

10 de janeiro de 2020

“‘Comer’ não significa colocar a comida sobre a língua e sentir seu sabor. Comer só tem valor quando o alimento é mastigado, engolido, digerido, assimilado na corrente sanguínea e transformado em músculos e ossos, em força e vigor. Da mesma forma, a compreensão espiritual deve permear e revigorar todos os momentos da vida. Ela deve ser expressa através de todos os órgãos da ação e dos sentidos (karmendriyas e jñanendriyas). Deve-se caminhar com firmeza e alcançar esse estado. O mero acúmulo de conhecimento não é sabedoria espiritual (jñana). Somente a boa conduta (sat-guna) é sabedoria espiritual. Para que a pessoa possa praticar serviço altruísta, é necessário que se envolva no ato de comer (bhoga). Essa alimentação é uma parte do sacrifício (yajña). Para fazer funcionar a máquina do corpo, o combustível do alimento precisa ser utilizado. O alimento não é o sacrifício, mas torna o sacrifício possível. Portanto, a alimentação não deve ser escarnecida como fomento à gula; ela deve ser compreendida como parte da adoração.” (Prema Vahini, cap. 7)

Sathya Sai Baba

11 de janeiro de 2020

“Estudantes! Vocês realizaram uma variedade de exercícios de ginástica. Vocês se destacaram em vários jogos e esportes. Embora esses jogos tenham um valor próprio no plano físico, há algo maior do que todos os seus benefícios para a saúde. Consiste na seguinte mensagem: A vida é um jogo, jogue-o! Vocês devem aprender a tratar a vida em si como um grande jogo. Para alcançar um bom nome e sucesso nesse jogo, vocês devem cultivar bons hábitos. Bons pensamentos, boa fala e boas ações são as disciplinas necessárias nesse jogo. Se, para alcançar sucesso em jogos como tênis, muita prática e esforço são necessários, quanto mais esforço é necessário para se ter sucesso no jogo da vida! Nesse jogo, se vocês desejam obter um bom nome, sustentem seus ideais e tomem consciência do Divino. Vocês devem observar em sua vida diária o pensamento correto, a conduta correta e a atitude correta!” (Divino Discurso, 14 de janeiro de 1992)

Sathya Sai Baba

12 de janeiro de 2020

“Uma vez, Vivekananda foi até Swami Ramakrishna Paramahamsa e perguntou: ‘Você já viu Deus?’. ‘Sim’, disse Sri Ramakrishna. ‘Em qual forma?’, perguntou Vivekananda. Ramakrishna respondeu: ‘Estou vendo Ele assim como estou vendo você’. ‘Por que então sou incapaz de vê-Lo?’. Ramakrishna explicou que, se ele ansiasse por Deus com a mesma intensidade com a qual ele ansiava por muitas outras coisas, ele também teria a experiência de Deus. Ramakrishna disse que as pessoas derramavam lágrimas por conta de relacionamentos, riquezas e muitos outros aspectos, porém quantos derramavam lágrimas por Deus? Ramakrishna aconselhou Vivekananda a ansiar por Deus com todo seu coração e alma. Dessa forma, Deus seria obrigado a se manifestar. Se você é ávido por vivenciar o Divino, você deve se devotar a Ele. As pessoas passam por muitas dificuldades para obter riqueza, relacionamentos, posição e poder. Se elas devotassem uma pequena fração desse tempo a pensar em Deus, elas certamente experimentariam a liberdade do medo da morte.” (Divino Discurso, 9 de julho de 1998)

Sathya Sai Baba

13 de janeiro de 2020

“Concentre-se no amor de Deus. Embora sua mãe, pai e preceptor devam ser adorados como seres divinos, eles não são Deus. Deus deve ser adorado como mãe, pai, preceptor, parente e amigo. Todos eles habitam em suas respectivas moradas, mas Deus habita em seu coração. Ame Deus, que reside em seu coração. Todos os outros objetos de amor são impermanentes. Quando a pessoa desenvolve amor, ela vê o Divino em todos os seres. É como usar óculos com lentes coloridas. Se você olhar o mundo através das lentes do amor, você verá amor em todos os lugares. Os óculos e a visão devem estar em harmonia, e somente com amor você pode ver amorosidade no mundo. É através do amor que nobres qualidades como gentileza, compaixão e empatia são promovidas. Encarnações do Amor! Vocês estão realizando uma variedade de exercícios espirituais (sadhanas). Deus não busca seu sadhana. Nem mesmo busca sua devoção. Ele busca somente o seu amor.” (Divino Discurso, 9 de julho de 1998)

Sathya Sai Baba

14 de janeiro de 2020

“O festival de Sankranti está chegando com toda sua beleza e esplendor. Este não é um dia comum. Ele marca o início do sagrado Uttarayana (a jornada do sol em direção ao norte). Ele nos confere fartura, prosperidade e nos ajuda a desenvolver virtudes e a assumir atividades sagradas. Vocês podem conquistar o mundo inteiro quando seus pensamentos são nobres. Quando vocês enchem seus corações com pensamentos e sentimentos mundanos, não são capazes de colocar em prática suas qualidades divinas inatas. Hiranyaksha, Hiranyakasipu, Duryodhana e Kamsa não eram, de forma alguma, comuns. Embora tivessem corpos e mentes muito fortes, eles se tornaram fracos ao mergulharem em sentimentos mundanos. Não encham seus corações com sentimentos mundanos. Todo indivíduo é dotado com imenso poder e inteligência. Desenvolvam virtudes, pensamentos nobres e um caráter exemplar, e assim poderão alcançar grandes alturas.” (Divino Discurso, 14 de janeiro de 2003)

Sathya Sai Baba

15 de janeiro de 2020

“Hoje é o dia de Sankranti, que marca o início do Uttarayana, um período auspicioso e sagrado. Pelo menos a partir de hoje, desenvolvam sentimentos nobres. Sigam o caminho sagrado. Então seu futuro certamente estará garantido e seguro. Orando a Deus, vocês podem alcançar qualquer coisa na vida. Eu quero que vocês orem. Estou sempre com vocês, em vocês, acima de vocês e ao seu redor. Esforcem-se para transmitir essa fé aos seres humanos, seus irmãos. Isso Me fará muito feliz. A felicidade está na união com Deus. Por esta razão, contemplem Deus incessantemente. Jamais deem espaço para a ansiedade ou a preocupação, pensando: ‘As provas estão se aproximando; como vou encará-las? Serei aprovado?’ Não deem lugar ao desespero e ao desânimo com tal atitude negativa. Tenham fé em Deus. Cumpram com seu dever e encarem corajosamente qualquer situação. Então o resultado certamente será bom. O amor é tudo. O amor é Deus. Vivam em amor.” (Divino Discurso, 14 de janeiro de 2006)

Sathya Sai Baba

16 de janeiro de 2020

“Adoração (puja) não é a mera colheita de uma flor e sua colocação no alto de uma bela imagem de Deus; não esqueçam que o jardineiro que trabalhou para cuidar da planta que deu a flor também é um adorador. A real sabedoria espiritual (jñana) é a compreensão verdadeira; não é meramente uma proeza intelectual. Somente quando o alimento é oferecido é que o corpo pode funcionar. Até mesmo os atos que precedem um sacrifício são oferendas (yajña). Pode-se utilizar o mundo para adorar o Senhor, para estabelecer a paz e a justiça na sociedade e para controlar e coordenar as funções do corpo. Toda ação feita para satisfazer esses três objetivos é sacrifício. O primeiro é denominado ritual sacrificial (yajña), o segundo, caridade (dana), e o terceiro, austeridade (tapas). Todos os atos humanos, em qualquer lugar do mundo, devem se subordinar a essas três necessidades.” (Prema Vahini, cap. 7)

Sathya Sai Baba

17 de janeiro de 2020

“Medite em Deus como Verdade, como Amor. É possível conscientizar-se do Divino em qualquer forma sobre a qual se medite. Esteja sempre na boa companhia (satsanga) de Seus devotos. Através dessa boa companhia, o discernimento e o desapego (viveka e vairagya) serão implantados e desenvolvidos. Esses dois fortalecerão o espírito e lhe concederão paz interior. Sua mente então se fundirá em Deus. Em tudo o que fizer, fale e aja com verdade, usando toda força e talento com os quais for dotado. A princípio, você poderá falhar nisso e encontrar dificuldades e sofrimentos. Mas, no fim, está destinado ao sucesso e a alcançar a vitória e a bem-aventurança. Somente a verdade triunfa, nunca a falsidade (satyameva jayate, nanritam). Através do seu comportamento e seu modo de vida, você poderá compreender a Verdade; poderá de fato compreender Deus (Paramatma). Somente Deus é real. Deus é a Verdade. O Supremo Senhor é Amor.” (Prema Vahini, cap. 8) 

Sathya Sai Baba

18 de janeiro de 2020

“As pessoas desenvolvem uma enorme variedade de hábitos e atitudes egoístas, gerando uma grande insatisfação para si mesmas. O impulso para tudo isso vem da ganância por acumular autoridade, domínio e poder – a ambição por coisas que jamais poderão ser eternas e plenas. Em realidade, é impossível obtê-las até o nível da saciedade. Um indivíduo pode sentir-se orgulhoso por ter se tornado mestre em todas as artes, ser dono de todas as riquezas, possuidor de todo conhecimento, repositório de todas as escrituras; mas de quem a pessoa adquiriu tudo isso? Deve haver alguém maior. Ela pode até alegar que ganhou tudo isso por meio de seus próprios esforços, de seu trabalho e de sua lida. Mas, certamente, alguém lhe deu tudo isso, de uma forma ou de outra. Isso ela não pode negar. A fonte da qual originam-se toda a autoridade e todo o poder é o Senhor de tudo. Ignorar essa onipotência e iludir-se de que o pequeno poder que se tenha adquirido foi por sua própria conta é, sem dúvida, egoísmo, vaidade e orgulho (ahamkara).” (Prema Vahini, cap. 9)

Sathya Sai Baba

19 de janeiro de 2020

“A pessoa que é um veículo genuíno de poder pode ser reconhecida pelas características de verdade, bondade, amor, paciência, tolerância e gratidão. Onde tudo isso reside, o ego (ahamkara) não pode subsistir; ele não encontra lugar. Portanto, busque desenvolver essas virtudes. A refulgência do Divino Ser (Atma) é obscurecida pelo ego. Portanto, quando o ego é destruído, todos os problemas terminam, toda a insatisfação desaparece e a bem-aventurança é alcançada. Assim como o sol é obscurecido pela névoa, o sentimento do ego oculta a bem-aventurança eterna. Mesmo com os olhos abertos, um pedaço de tecido ou de papel pode impedir a visão de funcionar de forma eficaz e útil. Assim também, a tela do egoísmo impede a pessoa de ver Deus, que, na verdade, está mais próximo do que qualquer outra coisa no Universo.” (Prema Vahini, cap. 9)

Sathya Sai Baba

20 de janeiro de 2020

“A mera erudição é totalmente inútil; os Vedas, as Upanishads e as escrituras são doutrinas para serem vividas na prática diária. Sem essa prática, seja qual for a riqueza de palavras ou o nível de escolaridade, tudo acaba sendo um colossal desperdício. Para trazer esses ensinamentos para sua vida real, a pessoa tem de eliminar o sentimento do ‘eu sei’, abrir seus olhos à essência verdadeira, e nela meditar. Então ela poderá, certamente, atingir a bem-aventurança. A previsão do tempo em um jornal pode indicar que vão cair dez milímetros de chuva; porém, mesmo que o jornal seja dobrado dez vezes e espremido, nem uma gota de água pode ser extraída. O propósito da previsão não é fornecer chuva, mas apenas dar informação sobre ela. Do mesmo modo, as escrituras podem apenas informar sobre as doutrinas, axiomas, regras, regulamentos e deveres. Elas dão instruções sobre os métodos de se atingir a paz e a libertação, mas não estão saturadas com essas essências de bem-aventurança. A pessoa tem de descobrir o caminho, a direção e a meta, da maneira descrita nos textos; então ela deve trilhar o caminho, seguir a direção e alcançar a meta.” (Prema Vahini, cap. 9)

Sathya Sai Baba

21 de janeiro de 2020

“Se a consciência manifestar o orgulho do ‘eu sei tudo’, a queda será inevitável; essa ilusão causa a morte. O segredo da salvação está na compreensão desse perigo; o renascimento será inevitável se esse perigo não for evitado. Consciente de tudo isso, se você mergulhar na prática espiritual, então o mundo e suas preocupações não o afetarão. É somente quando você está longe dessa verdade que você sofre, sente dor e experimenta dificuldades. Quando se está distante do mercado, ouve-se apenas um grande barulho indistinto. Mas, à medida que nos aproximamos e caminhamos por ele, as conversas e negociações individuais podem ser claramente ouvidas. Da mesma forma, enquanto a realidade do Supremo (Paramatma) não for conhecida, você será subjugado e atordoado pelo alvoroço do mundo; mas, quando você entrar profundamente no reino do esforço espiritual, tudo se tornará claro e o conhecimento da Realidade despertará dentro de você. Até lá, você permanecerá atado no insignificante ruído da argumentação, da disputa e do exibicionismo pomposo.” (Prema Vahini, cap. 9)

Sathya Sai Baba

22 de janeiro de 2020

“Aqueles que buscam a união com Deus e o bem-estar do mundo devem descartar como desprovidos de valor o elogio e a crítica, o reconhecimento e o menosprezo, a prosperidade e a adversidade. Devem, corajosamente, manter fé inabalável em sua própria realidade inata e dedicar-se à sua elevação espiritual. Ninguém, nem mesmo uma grande personalidade espiritual (maha-purusha) ou um Avatar, pode escapar da crítica e da censura. Assim, que os aspirantes se mantenham longe de todas essas pessoas hesitantes e ignorantes, e que desistam de discutir com elas suas crenças e convicções. Que fiquem absortos em livros sagrados e na companhia dos devotos do Senhor. No futuro, enriquecidos com a experiência da percepção espiritual e encorajados pelo contato com a Realidade, eles poderão estar em meio a qualquer companhia sem perigo, e até mesmo se esforçar para dirigir outras mentes à verdade que eles próprios viram.” (Prema Vahini, cap. 10)

Sathya Sai Baba

23 de janeiro de 2020

“Alguns aspirantes estão tão amedrontados por seus problemas, perdas e dificuldades que nem sequer iniciam o esforço espiritual, e assim permanecem afastados. Alguns, depois de iniciarem a jornada espiritual e prosseguirem por certa distância, ficam deprimidos e vencidos pelos obstáculos e decepções e, assim, desistem no meio. No entanto, outros aderem firmemente ao caminho espiritual com calma e coragem, não importando a natureza das adversidades ou as dificuldades do caminho; esses são do nível mais elevado. Você pode estar iludido pelo apego a este mundo ilusório e atraído pela alegria temporária, mas nunca abandone os meios de se alcançar felicidade permanente e completa. Prossiga em seus deveres espirituais com plena devoção. Deus não pode ser conhecido sem fé e sem firmeza. O Senhor vem somente através da suprema devoção (para-bhakti); a suprema devoção vem somente através da sabedoria espiritual (jñana); a sabedoria espiritual vem somente através da fé (shraddha); e a fé vem somente através do amor (prema).” (Prema Vahini, cap. 10)

Sathya Sai Baba

24 de janeiro de 2020

“Como o amor deve ser cultivado? Através de dois métodos: 1. Sempre considere os erros dos outros, não importa quão grandes, como sendo insignificantes e desprezíveis. Sempre considere seus próprios erros, não importa quão insignificantes e desprezíveis, como sendo grandes, sinta-se triste e se arrependa com sinceridade. Dessa maneira, você evita desenvolver grandes erros e defeitos; você, além disso, adquire as qualidades da fraternidade e da tolerância. 2. O que quer que você faça, consigo mesmo ou com os outros, faça-o recordando-se de que Deus é onipresente. Ele vê tudo, ouve cada palavra e sabe tudo o que você faz. Quando falar, lembre-se de que Deus ouve cada palavra; discrimine entre o verdadeiro e o falso, e fale somente a verdade. O que quer que faça, discrimine entre o certo e o errado, e faça apenas o certo. Esforce-se a cada momento para viver consciente do onipotente Senhor.” (Prema Vahini, cap. 10)

Sathya Sai Baba

25 de janeiro de 2020

“O corpo é o templo do indivíduo; por isso, tudo o que acontece nesse templo diz respeito ao indivíduo. Da mesma forma, o mundo é o corpo do Senhor, e tudo o que acontece nele, bom ou mau, é do Seu interesse. Pelo fato observado do indivíduo e do corpo, conheça a verdade do fato inobservável do Senhor e do mundo. O relacionamento entre o indivíduo e o Senhor pode ser compreendido por todos aqueles que adquirem três instrumentos principais: (1) uma mente não maculada pelo apego e pelo ódio; (2) uma fala não maculada pela falsidade; (3) um corpo não maculado pela violência. A alegria e a paz não são inerentes aos objetos externos; elas estão em você mesmo. Mas, na sua tolice, você as procura fora de si, em um mundo do qual, hoje ou amanhã, você está destinado a partir. Tente conhecer a essência de todas as coisas, a verdade eterna. Tente experimentar o Amor que é o próprio Deus. Tenha discernimento a cada instante, aceitando o que for verdadeiro e descartando o resto.” (Prema Vahini, cap. 10)

Sathya Sai Baba

26 de janeiro de 2020

“Para algumas doenças são prescritos remédios de aplicação externa, enquanto que, para outras, são dados medicamentos para uso interno. Mas, para essa doença universal do ciclo de nascimentos e mortes (bhava-roga), ouvir discursos espirituais (sravana), cantar o nome de Deus (kirtana) e outros medicamentos são prescritos para uso interno e externo. O indivíduo tem de pronunciar e ouvir o nome do Senhor. Deus tem igual afeição por todos os seus filhos, da mesma forma como a natureza da luz é iluminar tudo. Utilizando essa luz, alguns podem ler bons livros e outros podem cumprir com qualquer uma de suas tarefas diárias. Assim também, pela recitação do nome de Deus, uma pessoa poderá progredir na compreensão de Deus, outra poderá até mesmo cometer más ações! Tudo depende de como se usa a luz. Mas o nome do Senhor não tem, e nunca terá, mácula alguma.” (Prema Vahini, cap. 12)

Sathya Sai Baba

27 de janeiro de 2020

“Muitas pessoas difamam a adoração de imagens; porém, a base dessa prática está, em realidade, na capacidade de se ver o macrocosmo no microcosmo. O valor da adoração de uma imagem é confirmado pela experiência, não dependendo da capacidade imaginativa de alguém. O que é encontrado na forma do Senhor (Virat-swarupa) é também encontrado, sem redução nem adulteração, na forma (swarupa) da imagem. Imagens têm o mesmo propósito das metáforas e analogias na poesia. Elas ilustram, ampliam e esclarecem. A alegria não vem da forma e da estrutura das coisas, mas através do relacionamento estabelecido com elas. Não é qualquer criança que faz a mãe feliz, mas seu próprio filho. Assim também acontece com todas as coisas no Universo; se você decidir estabelecer essa afinidade, esse puro e divino amor (Ishwara Prema), então verdadeiramente uma alegria avassaladora poderá ser experimentada! Somente aqueles que a sentiram podem compreender essa verdade!” (Prema Vahini, cap. 11)

Sathya Sai Baba

28 de janeiro de 2020

“Um comerciante calcula o débito e o crédito que obteve no final de uma semana, um mês, um ano e calcula o balanço para chegar a um número: seus ganhos. Da mesma forma, neste negócio da vida, tudo acaba deixando algum saldo positivo ao fim de todas as transações. As experiências que persistem até o último momento da vida – as duas ou três que emergem à consciência quando o indivíduo se recorda de tudo o que aconteceu na vida –, essas são as realizações genuínas. Se, no momento da morte, a pessoa anseia por satisfazer a língua, essa será a prova de que, durante toda a vida, a língua foi sua senhora. Ou se uma mulher se lembra do seu filho e quer acariciá-lo, o desejo interno (samskara) do amor materno terá sido predominante durante toda a sua vida. Isso prova que todas as outras experiências foram lançadas ao esquecimento. Portanto, dirija toda a corrente da sua vida em direção à aquisição daquele samskara mental que você quer ter em seu último momento. Fixe sua atenção nisso, dia e noite.” (Prema Vahini, cap. 16)

Sathya Sai Baba

29 de janeiro de 2020

“Mantenha sempre a morte, que é inevitável, diante dos olhos da memória e empenhe-se na jornada da vida com bons desejos para com todos, com estrita adesão à verdade, buscando sempre a companhia dos bons e tendo a mente sempre fixa no Senhor. Viva, evitando más ações e pensamentos raivosos e prejudiciais, e não se apegue ao mundo. Se você viver assim, seu último momento será puro, doce e abençoado. Esforço disciplinado durante toda a vida é necessário para assegurar essa consumação. A mente deve voltar-se para as boas tendências mentais (samskaras). Cada um deve examinar a si mesmo rigorosamente, localizar seus defeitos e lutar para corrigi-los. Quando as pessoas descobrem e se conscientizam de seus próprios defeitos, é como se renascessem – elas recomeçam, a partir de uma nova infância. Esse é o autêntico momento do despertar.” (Prema Vahini, cap. 16)

Sathya Sai Baba

30 de janeiro de 2020

“A vida é eternamente perseguida pela morte. Ainda assim, as pessoas não toleram a simples menção da palavra ‘morte’. É considerado pouco auspicioso ouvir essa palavra, embora, por mais insuportável que pareça, todas as coisas vivas estejam, a cada momento, aproximando-se mais e mais daquele acontecimento. Se você comprar um bilhete com a intenção de fazer uma viagem, e entrar em um trem, mesmo que se sente quieto ou deite, leia ou medite, o trem o levará, quer queira quer não, ao seu destino. Da mesma forma, cada coisa vivente recebeu, ao nascer, um bilhete para a morte e faz agora a viagem; por isso, sejam quais forem suas lutas, seus cuidados e precauções, você terá de alcançar aquele lugar algum dia. Todo o resto pode ser incerto, mas a morte é certa. É impossível mudar essa lei. As pessoas ensinaram aos olhos, aos ouvidos e à língua o prazer da novidade constante. Agora, as tendências opostas devem ser ensinadas. A mente precisa ser dirigida para o bem; as atividades de cada minuto têm de ser examinadas a partir dessa perspectiva.” (Prema Vahini, cap. 16)

Sathya Sai Baba

31 de janeiro de 2020

“Vinte golpes de martelo podem não conseguir quebrar uma pedra, mas a vigésima primeira martelada poderá quebrá-la. Isso significa que aquelas vinte tentativas foram inúteis? Não. Cada uma daquelas batidas contribuiu com sua parte para o sucesso final; o resultado final foi o efeito cumulativo! Da mesma forma, a mente está engajada num combate com o mundo, tanto interna como externamente. É desnecessário dizer que nem sempre você alcançará o sucesso. Absorvendo-se em bons trabalhos e saturando sua mente com amor a Deus, você certamente alcançará a bem-aventurança eterna. Preencha cada momento da vida com amor. Então, as más tendências não obstruirão seu caminho. Se sua mente estiver sempre voltada para o Senhor, você será automaticamente atraído para boas ações. O objetivo de toda prática espiritual é a destruição da mente e, algum dia, uma boa ação conseguirá destruí-la, tal como a vigésima primeira martelada! Todas as boas ações feitas no passado contribuem para esse triunfo; nenhuma ação nobre é sem valor, cada pequena ação conta!” (Prema Vahini, cap. 16)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2020 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.