Pensamento para o dia - fevereiro 2019

1° de fevereiro de 2019

“Não conte suas lágrimas de dor. Não fique mal-humorado em razão de sua tristeza.  Deixe-as passar pela sua mente, como os pássaros que voam no céu sem deixar rastros ou como fazem as chamas e inundações em uma tela de cinema, que não queimam, nem molham a tela. Você não deve ficar desanimado com as decepções. Talvez, seus desejos estivessem equivocados ou a realização deles poderia ter deixado você em situação ainda pior. De qualquer forma, essa é a vontade do Senhor e Ele sabe mais sobre todas as coisas. Desilusões e aflições são como a casca da banana, que serve para proteger o sabor e permitir que a doçura se produza na fruta. Em tais dificuldades cruciais, deixe sua mente habitar no esplendor e majestade do seu Eu Superior Divino (Atma). Isso manterá você atento e confiante. As travessuras dos sentidos e da mente podem ser detidas pelo chicote da sabedoria do Verdadeiro Eu Superior (Atma jñana).” (Discurso Divino, 22 de janeiro de 1967)    

Sathya Sai Baba

2 de fevereiro de 2019

“Seja bom, veja o bem, fale o bem e faça o bem. A base para esta disciplina é ‘ter bons pensamentos’. Isso envolve o controle da mente. A meditação em Deus é um dos passos para alcançar a estabilidade da mente. A concentração é necessária para qualquer ação, até mesmo para caminhar na rua, conversar, ler e assim por diante. Você deve se concentrar em Deus por meio de uma devoção firme. Fazer do trabalho um ato de adoração é equivalente à meditação também. Você deve realizar todas as ações como oferendas a Deus. Além disso, quando sentir a Divindade dentro de você, não irá pensar, ver, ouvir ou fazer qualquer mal. Ter fé total na Divindade interna é autoconfiança. Essa é a fundação sobre a qual as paredes da autossatisfação devem ser levantadas e o telhado do autossacrifício colocado, para que a mansão da autorrealização esteja completa.” (Divino Discurso, 18 de julho de 1997) 

Sathya Sai Baba

3 de fevereiro de 2019

“Se você alegar que não tem tempo para orações, Eu direi que é a preguiça que faz você argumentar dessa maneira. Como outra tarefa inferior pode demandar o tempo que é, legitimamente, o propósito do seu nascimento? Levante-se todos os dias como se estivesse se levantando da morte. Ore dessa maneira, sentado em sua cama: ‘Assim, eu nasci. Faça-me falar palavras doces e amorosas. Faça com que meu comportamento seja calmo e agradável para com todos. Permita-me realizar ações, que tragam felicidade e fortaleçam em minha mente ideias benéficas para todos. Que o dia de hoje seja útil para o Teu serviço.’ Lembre-se dessa promessa durante o dia. Quando você se recolher à noite, sente-se e examine, rapidamente, todas as experiências do dia. Avalie se você causou dor ou desgosto a alguém com palavras ou ações. Então ore: ‘Estou morrendo agora e caindo no Teu colo. Perdoa-me por qualquer erro. Guarda-me em Teu abrigo amoroso.’” (Divino Discurso, 22 de janeiro de 1967)

Sathya Sai Baba

4 de fevereiro de 2019

“O Senhor revelou a Arjuna e, portanto, à toda humanidade, que Ele fica satisfeito com a devoção oferecida pelos aspirantes para obter a graça. Ele declarou: Bhaktiman me priyo narah (Uma pessoa verdadeiramente devotada à Mim, é muito querida por Mim. Gita, capítulo 12, verso 19). Muitos podem afirmar, com orgulho, que amam a Deus. Isso os leva, somente, até a metade da jornada. Não se ganhará muito com isso. Você deve se perguntar: Deus respondeu com ‘me priyo narah’ (ele ou ela é querido por Mim)? Somente então, você poderá afirmar ter alcançado a Graça Divina. Apenas a Graça de Deus confere a mais preciosa dádiva do Amor Dele. Como alguém pode se tornar ‘querido’ por Deus? A Gita enfatiza duas qualificações:  Santushta Satatam (sempre contente) e Dhruda niscayah (com firme determinação). O devoto deve estar sempre contente e alegre, sem se importar com as mudanças nas marés da sorte.” (Discurso Divino, 2 de agosto de 1986)

Sathya Sai Baba

5 de fevereiro de 2019

“Você diz: ‘Estou ficando doente’ ou ‘Estou gozando de boa saúde’, e assim por diante. Isso acontece porque pensa que o corpo é ‘você’. Quando, de fato, você é, verdadeiramente, apenas o Atma com os cinco envoltórios (Panca-koshas) sobrepostos. Esse mal-entendido é o resultado do sistema educacional predominante na atualidade, que ensina que a felicidade obtida dos sentidos é toda felicidade que alguém pode conseguir. Não revela ao indivíduo a fonte infinita de bem-aventurança, que ele tem dentro de si. Não há treinamento sobre a arte de adquirir paz mental. A ninguém é revelado o segredo da obtenção do estado de equanimidade, em meio à confusão da civilização moderna. Todos são induzidos a flutuar na correnteza que arrasta a humanidade ao medo, ansiedade e desespero. A vida hoje é semelhante à situação em que o dono da casa está restrito a um regime insípido, enquanto os membros da família se divertem em um banquete. Os sentidos se divertem sem limites, mas o Atma é ignorado.” (Discurso Divino, 18 de outubro de 1963)  

Sathya Sai Baba

6 de fevereiro de 2019

“Os devotos não devem ficar perturbados com os conflitos promovidos por pessoas que não tiveram uma experiência com o divino ou intuitiva. Vocês devem se esforçar para ficar livres de ansiedade e medo, orgulho e inveja. Todos têm quatro inimigos que tentam arruinar vocês: raiva, inveja, ódio e a multidão de desejos. Vocês devem considerar altos e baixos como papéis que lhes foram atribuídos no drama Divino. Lembrem-se sempre que todas as vezes que insultarem, ferirem ou rejeitarem uma pessoa, de fato, estarão fazendo sofrer ao Deus amado, que adoram. Vocês não podem colher graças e bem-aventurança do Divino, se plantaram o ardor espiritual em um coração cheio de ervas daninhas de ganância e ódio. A prescrição moral básica para qualquer devoto que aspira a ser próximo e querido pelo Avatar é: ‘Adore a Deus e ofereça amor a Ele em todo ser vivo’.” (Discurso Divino, 2 de agosto de 1986)

Sathya Sai Baba

7 de fevereiro de 2019

“Na era de Treta, vanaras (macacos) podiam agir e falar como naras (seres humanos). Na era de Dwapara, o ser humano (nara) se transformou em Narayana (Deus), pela graça de Narayana. Na era de Kali (a era que estamos agora), foi declarado que o ser humano (nara) é o próprio Narayana! O espaço em uma panela e em um monastério são idênticos ao espaço no céu. Apenas os disfarces de panela e monastério alimentam a ilusão da separação. Os sentidos são os vilões. Eles estimulam a ilusão de que você é o corpo. Controle-os, como o touro é controlado pela argola no nariz, o cavalo pelo freio em sua boca e o elefante pelo aguilhão. Primeiro vem você, depois ajude. Melhore, ensine e reconstrua a você mesmo. Então, prossiga para resolver os problemas dos outros. Essa reconstrução é muito fácil, desde que, calmamente, você pergunte a sua própria personalidade: ‘Eu sou o corpo ou os sentidos ou a mente ou o intelecto?’, e assim por diante.” (Discurso Divino, 26 de outubro de 1963)

Sathya Sai Baba

8 de fevereiro de 2019

“Realize puja (ritual de adoração) com flores, japam (repetição) com um rosário e assim por diante, somente até você se sentir preparado para esforços mais elevados. Não ofereça ao Senhor as flores que crescem em plantas. Isso recompensará a planta, não a você! O Senhor quer que você ofereça o lótus que desabrocha no lago do seu coração e o fruto que amadurece na árvore da sua jornada na terra. Você pode perguntar: 'Onde posso encontrar o Senhor?'. Bem, Ele deu a você o Seu endereço no capítulo 18, verso 61 da Gita. Ele declarou: ‘Ishwarassarvabhoothaanam hriddese, Arjuna, tistati – Ó Arjuna, o Senhor habita no coração de todos os seres’. Então, depois de saber disso, como você pode menosprezar qualquer ser vivo com desrespeito ou como pode se deleitar em sentir ódio por ele ou se engajar em passatempos para ridicularizá-lo? Lembre-se, todos os indivíduos estão preenchidos com a Presença Divina e se movem por meio dos atributos divinos. Amor, honra e generosidade são o que eles merecem de você. Dê a eles tudo isso sem restrições e com total intensidade!” (Discurso Divino, 16 de abril de 1964)  

Sathya Sai Baba

9 de fevereiro de 2019

“Nossos ancestrais investigaram sobre a natureza da Divindade através de muitos caminhos, mas não tiveram sucesso em reconhecer a realidade. Assim, eles começaram a adorar Prakriti (Natureza). Depois disso, os Bharatiyas (indianos) passaram a murti aradhana (adoração de ídolos). Toda criatura, que nasce neste universo, possui uma forma (murti). Os ídolos são inanimados na natureza e não possuem as qualidades da compaixão, amor, tolerância etc. Por essa razão, algumas pessoas se opõem à adoração de ídolos. Isso é ignorância. Você não adora as fotos dos seus pais e avós? Essas fotos têm vida? Não. Também não possuem as qualidades da compaixão, amor, sacrifício etc. Então, qual é o sentido de adorá-las? Por meio dessas fotos, recordamos as virtudes e ideais, que essas pessoas representaram.  Você usa seu dedo indicador para apontar para um objeto específico, por exemplo, uma flor ou um copo. Similarmente, os ídolos são como indicadores da Divindade. Uma vez que você reconheça a Divindade, não precisará mais de indicadores. Sendo assim, não é tolice ser contra à adoração de ídolos?” (Divino Discurso, 12 de março de 2002)   

Sathya Sai Baba

10 de fevereiro de 2019

“Chaitanya ou consciência está presente no menor e no maior. Do seu ponto de vista, um objeto pode parecer sem vida, mas, do ponto de vista védico, tudo é Chaitanya. É tolice negligenciar a existência de Chaitanya. Uma pessoa pode perguntar: ‘Se a consciência a tudo permeia, por que não é visível ao olho nu?’. Todos vocês têm conhecimento sobre o fato de haver manteiga em todas as gotas de leite. Você pode negar a existência da manteiga, simplesmente, por não ser visível ao olho nu? O processo de produção da manteiga envolve coalhar e bater o leite. As pessoas são incapazes de perceber esse princípio de Chaitanya, devido a duas falhas: (1) elas ignoram seus inumeráveis erros e (2) aumentam as menores falhas dos outros. Uma pessoa pode alcançar a Divindade, somente quando parar de agir assim. É um grande pecado procurar as faltas alheias. Ao invés disso, procure suas próprias falhas. Considere seu menor defeito como um grande erro e tente corrigi-lo.” (Discurso Divino, 12 de março de 2002)   

Sathya Sai Baba

11 de fevereiro de 2019

“Nossa jornada vai do individual ao universal, de ‘Swa’ (meu) a ‘So-ham’ (unidade com Deus), do ‘eu’ ao ‘nós’. O Sol resplandecente pode ser visto apenas por meio de sua própria luz. Similarmente, somente pela graça do Divino, uma pessoa pode conquistar a visão do Divino. Não se exige habilidade, esforço intelectual ou conhecimento para experimentar o Divino. Assim como as nuvens podem obscurecer o Sol, as nuvens do egoísmo, apego e ódio impedem que se veja o Divino. Oração e sadhana (disciplina espiritual) são os meios pelos quais essas nuvens são dissipadas. Sadhana é a nobre estrada para se alcançar o Divino. A composição humana é uma mistura de boas e más qualidades. Aqueles, cujas características boas são predominantes, tendem a ver só o bem nos outros. Aqueles que têm uma mente equânime vêem as boas e más qualidades imparcialmente. É necessário, portanto, cultivar boas qualidades.” (Discurso Divino, 11 de fevereiro de 1983)     

Sathya Sai Baba

12 de fevereiro de 2019

“Se gastamos tanto tempo e esforço para entender o conteúdo das escrituras, não deveríamos usar todo esse conhecimento para compreender e experimentar o Divino em nós? Simplesmente ler e ensinar aos outros, sem colocá-lo em prática na sua vida, é uma ocupação inútil: você está desperdiçando seu tempo e sua vida também! O que você precisa, de verdade, é a graça de Deus. Nos tempos atuais, há muita confusão. Para superar isso, conduza sua mente de maneira estável e calma, e a mantenha sob seu controle. Nunca se apresse ou use a força para controlar a mente. Se uma vaca, que está em sua casa, quiser sair e comer a plantação do campo, como ela pode ser domada e trazida de volta? Nós tentamos saber o tipo de comida que ela procura e a alimentamos com algo ainda melhor, em casa. Gradualmente, ela perderá a tendência de sair da casa. Dome a sua mente do mesmo modo!” (Chuvas de Verão, capítulo 27, 1973)  

Sathya Sai Baba

13 de fevereiro de 2019

“A conduta virtuosa também garante paz mental, que, por sua vez, salvará você de muitas enfermidades físicas e mentais. Se ultrapassar os limites (mithi), você não terá progresso (gathi). Sobre a questão das doenças físicas, Eu devo dizer que você deve praticar a moderação na comida, bebida, sono e exercícios. Comida saudável, consumida em quantidades moderadas, em intervalos regulares: essa é a prescrição.  Alimento puro e integral (sátvico) promove o autocontrole e a inteligência, mais do que o alimento impuro (tamásico) e aquele que estimula as paixões (rajásico). Para os aspirantes espirituais, alimentos puros e integrais são extremamente necessários.  Formas-pensamento sutis e invisíveis podem passar de uma pessoa a outra por meio dos alimentos. Portanto, você deve ser muito cuidadoso com a alimentação, especialmente quando está avançando em direção a Deus, por meio da árdua estrada do yoga. O sono também deve ser regulado e moderado, pois é tão importante quanto o trabalho e a alimentação. Lembre-se também que as roupas são para proteger do calor e do frio, e não para o vão exibicionismo, que prejudica a saúde.” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1961)  

Sathya Sai Baba

14 de fevereiro de 2019

“Você pode andar em seu próprio carro automático, porém, diariamente, sem pensar duas vezes, o carro, você e sua família estão entregues à habilidade e atenção da mente do seu motorista. No entanto, quando aconselhado a entregar suas questões diárias ao Senhor, você hesita e desiste de se render ao Poder divino (Mahashakti), devido ao poder da ilusão (mayashakti). De todas as formas, esteja preocupado com o sucesso ou fracasso em atingir o real propósito da vida. Anseie, anseie, anseie de verdade e o sucesso será seu. Lembre-se, definitivamente, você vencerá. Esta é a razão pela qual você atendeu ao chamado interno e o respondeu, vindo até Mim. Qual outra tarefa Eu posso ter, além de derramar a graça? Não Me trate como se estivesse distante, mas sim como muito próximo de você. Insista, demande e reivindique a Minha graça. Não elogie, exalte, e se acovarde. Tragam seus corações para Mim e conquistem o Meu Coração. Nenhum de vocês é um estranho para Mim. Tragam suas promessas para Mim e Eu darei Minha promessa a vocês. Contudo, primeiramente, verifique se sua promessa é genuína e sincera, e se seu coração é puro. Isso é o suficiente.”  (Discurso Divino, 10 de outubro de 1961)  

Sathya Sai Baba

15 de fevereiro de 2019

“Em uma das prisões, havia uma alma muito pura, devotada aos ideais espirituais, que estava praticando disciplina espiritual, atentamente. Ele progrediu muito em meditação e concentração. No entanto, um dia, quando se sentou para meditar, ele sentiu emoções violentas crescendo nele e ficou chocado ao descobrir que, a despeito de sua tremenda luta, não foi capaz de suprimir os pensamentos assassinos e de ódio, que se apossaram dele. Ele ficou estremecido pela agonia e seu guru também ficou aborrecido com o ocorrido.  O guru investigou a história do discípulo muito profundamente, mas não encontrou qualquer razão válida para a tragédia. Por fim, ele descobriu que um certo assassino convicto trabalhou como cozinheiro na cozinha da prisão, um dia antes da catástrofe ter acontecido, e os pensamentos de ódio dele penetraram na comida que ele cozinhou.  Formas-pensamento sutis e invisíveis podem passar de uma pessoa a outra dessa maneira.” (Discurso Divino, 10 de outubro de 1961)

Sathya Sai Baba

16 de fevereiro de 2019

“Não ceda ao desespero. Até mesmo os botões das flores de lótus desabrocham em seu próprio tempo. Devido ao efeito acumulado do bem realizado em nascimentos anteriores, você conseguiu garantir prosperidade. Você não sabe o quanto já passou, mas Eu sei! Contudo, sabendo ou não, Eu, certamente, satisfarei todas as suas necessidades. Você deve tomar o medicamento que Eu dou, como também, seguir a dieta que Eu prescrevo e evitar as coisas que Eu proíbo. Pegue a Forma que você gosta e medite nela. Pegue o Nome que você ama e o repita. Assim, nenhum mal pensamento surgirá.  Os pensamentos maléficos fugirão. Após terem fugido, o que permanece é a Personificação do Atma (Atmaswarupa). Conduza sua vida de acordo com os Meus Ensinamentos, sem a menor modificação. Primeiramente, tenha fé, então, a experiência será concedida. Se você adorar com fé, experimentará a Graça. A fé tem como resultado a Graça, sem que você esteja consciente disso.” (Discurso Divino, 25 de outubro de 1961) 

Sathya Sai Baba

17 de fevereiro de 2019

“Você recebe o corpo humano, devido ao karma (ações) do passado. Você tem um ‘tipo de caráter’ devido a tendências (vasanas) cultivadas no passado. Não se iluda com a crença de que você é o corpo, nem se deixe ofuscar pelo apego a ele. No entanto, é sua tarefa protegê-lo do perigo e mantê-lo em bom estado. Não é, pois, com seu corpo que você está absorvendo a alegria da bem-aventurança do Senhor, da Majestade do Senhor? Portanto, não deprecie o corpo, nem o trate com desrespeito. Esse equipamento é destinado à jornada em direção ao Senhor. Ele é a carruagem do Senhor. Não o negligencie, nem o deixe se deteriorar. Não se lamente dizendo: ‘Ó, esse é meu destino. Meu próprio passado está me punindo. Eu tenho que sofrer. Eu não posso fugir disso.’ Dessa forma, as pessoas ficam desencorajadas. Se o karma fosse tão inescapável assim, qual seria a utilidade da oração, de lembrar do nome do Senhor, da meditação ou dos rituais de adoração? Tenha fé, persista e conquiste a graça do Senhor e todas as tribulações acumuladas serão queimadas e transformadas em cinzas em instantes!” (Discurso Divino, 25 de outubro de 1961)  

Sathya Sai Baba

18 de fevereiro de 2019

“Nossa conduta é a própria responsável por todos os nossos problemas e dificuldades. Se nossas ações são boas, os resultados serão bons. Más ações levarão a consequências negativas. As pessoas pensam que o bem e o mal estão relacionados a um momento ruim. Não, de maneira nenhuma! Seus próprios pensamentos são a causa-raiz. Assim, você deve desenvolver bons pensamentos e realizar boas ações. Você deve cultivar sentimentos bons e se associar a pessoas boas. Cada um de vocês deve tomar consciência da preciosidade do tempo. Hoje em dia, a maioria de vocês desperdiça grande parte do tempo disponível. Isso é totalmente errado. O tempo deve sempre ser utilizado para fins corretos. Esse é o principal dever de cada indivíduo. Desperdício de tempo é desperdício de vida.  O Senhor do Tempo protege aqueles que se refugiam Nele, até mesmo contra o Senhor da Morte, Kala. De fato, a prosperidade da nação depende de como as pessoas fazem uso de seu tempo na realização de boas ações!” (Discurso Divino, 7 de abril de 1997) 

Sathya Sai Baba

19 de fevereiro de 2019

“Os épicos ensinam a você o caminho da devoção e da entrega. Eles demandam que todas as ações sejam realizadas com um espírito de dedicação. Permita que o vento da dúvida ou o sol do desespero afete o pote de Ananda (felicidade) que você encheu e ele evaporará rapidamente. No entanto, mantenha o pote nas águas frias da boa companhia e boas ações e ele poderá ficar totalmente preservado para sempre. Ananda (bem-aventurança) também crescerá quando você permanecer nela em silêncio e fizer uma revisão sobre as circunstâncias que possibilitaram essa experiência. É por isso que manana ou reflexão interna é uma parte tão importante do esforço espiritual. Assim como a criança que joga fora seus brinquedos e começa a chorar, você também deve perceber a insignificância dos brinquedos da fama e riqueza e chamar pela Mãe. A criança percebe que tudo mais é lixo diante do amor da Mãe e da bênção da Sua presença. Uma pessoa não deve aspirar por nada menos.” (Discurso Divino, 2 de julho de 1966)  

Sathya Sai Baba

20 de fevereiro de 2019

“A árvore da vida deve ser regada pelas raízes, porém agora, aqueles que planejam elevar o padrão de vida, regam os galhos, as folhas e as flores. As raízes são as virtudes, que devem ser nutridas para que as flores das ações, palavras e pensamentos possam desabrochar em fragrância e produzir os frutos de seva (serviço), cheios do doce suco da bem-aventurança (ananda). O planejamento de alimentos, vestimentas e abrigo se destina à promoção do bem-estar da carruagem. Planeje também para o cavalo – a mente do homem – que tem que usar os alimentos, as vestimentas, o abrigo e outros instrumentos materiais para o propósito elevado de ‘escapar do ego em direção ao universal’. Cada um de vocês é, fundamentalmente, Divino. Assim, naturalmente, quanto mais você manifestar os atributos Divinos do Amor, Justiça, Verdade e Paz, mais você será capaz de desfrutar e transmitir felicidade. Você deve ficar envergonhado, quando manifestar qualidades animalescas, pois estará vivendo em desacordo com seu potencial e herança.” (Discurso Divino, 3 de agosto de 1966)   

Sathya Sai Baba

21 de fevereiro de 2019

“Dê as boas-vindas aos golpes do destino, infortúnios e dores, assim como o ouro recebe o cadinho, o martelo e a bigorna para se tornar uma joia. Como a cana de açúcar, dê boas-vindas ao picador, moedor, caldeira, panela, pulverizador e secador, pois, dessa maneira, a doçura é preservada e usada como açúcar por todos. Os Pandavas nunca hesitaram quando os desastres caíram sobre eles. Eles aceitavam os problemas como oportunidades para lembrar de Krishna e oravam fervorosamente. Deus nutrirá você a partir de seu interior, da mesma forma como Ele salvou e deu suporte a muitos santos, que depositaram sua fé Nele.” (Discurso Divino, 8 de setembro de 1963)

Sathya Sai Baba

22 de fevereiro de 2019

“Primeiramente, coloque em prática a atitude: ‘Eu sou Teu’. Deixe a onda descobrir e reconhecer que ela pertence ao mar. Esse passo não é fácil, pois a onda leva muito tempo para reconhecer o vasto oceano que lhe dá existência. O ego é tão poderoso, que não permite a ele mesmo ser humilde e se curvar diante do oceano. O segundo passo é: ‘Eu sou Teu. Tu és meu Mestre. Eu sou Teu servo.’ Essa atitude mental domará o ego e tornará todas as atividades valiosas. O próximo passo é: ‘Tu és meu’. A partir desse momento, a onda demanda o suporte do oceano, como sendo seu direito. O Senhor deve assumir a responsabilidade de proteger e guiar os indivíduos. Surdas disse: ‘Tu és meu. Eu não Te deixarei. Eu Te aprisionarei em meu coração. Tu não fugirás.’ O próximo passo é: ‘Tu és eu. Eu sou apenas a imagem e Tu és a Realidade. Eu não tenho uma individualidade separada. Não há dualidade.’” (Discurso Divino, 8 de setembro de 1963)

Sathya Sai Baba

23 de fevereiro de 2019

“Desapego (vairagyam) é o primeiro sinal de uma vida espiritualizada. Sem desapego, você é um iletrado na espiritualidade. Ele é o ‘bê-á-bá’ dos esforços espirituais. O desapego deve se tornar forte o suficiente para que você rejeite a escravidão dos sentidos. Alguns minutos de reflexão ajudarão você a enxergar o vazio da riqueza, fama e felicidade mundanas. Enquanto você adiciona mais e mais quantias de dinheiro à sua conta bancária, reflita se está ou não acumulando problemas para você mesmo e para seus filhos, ao tornar mais difícil para eles levarem uma vida correta, confortável e honrosa. Quando você luta para ter fama insignificante por meios desonestos, lembre-se de quem, dentre milhões de compatriotas, é enaltecido hoje e por qual razão. Você não vê que apenas aqueles que são honrados em todos os lugares desistiram, renunciaram e buscaram o caminho mais difícil para a realização de Deus, ao invés do caminho mais fácil da realização mundana?” (Discurso Divino, 8 de setembro de 1963)

Sathya Sai Baba

24 de fevereiro de 2019

“Seja bom, prestativo, útil, gentil e temente a Deus, e, então, você terá a confiança das pessoas. Fé é o próprio alento da vitória: fé em si mesmo, fé na boa obra que se realizou e no seu sucesso, a despeito dos sinais de fracasso. Apego e ódio são os grandes inimigos do progresso de qualquer obra. Se alguém estiver iludido com a crença de que está salvando os outros, então, coitada dessa pessoa, porque não há ‘outro’, de maneira alguma!  A falha fundamental aqui é a ignorância! Se você for sábio, saberá que todos os indivíduos são ondas na superfície do mesmo oceano. Todos são Um. Um ferimento na mão produz dor em todo o corpo. Portanto, o serviço desinteressado é o ideal a ser praticado! Realize todas as ações sem desejos egoístas (Nishkama Karma)! O desejo por ganhos é como uma presa venenosa. Quando ela é extraída, a serpente do karma (ação) se torna inofensiva!” (Discurso Divino, 15 de setembro de 1963)

Sathya Sai Baba

25 de fevereiro de 2019

“O amor, que está concentrado em você mesmo, é como uma lâmpada que ilumina todo o cômodo, sem deixar com que a luz saia das quatro paredes. Esse amor está limitado pelos sentidos e nunca se abre para os outros, que são seus amigos e parentes em Deus. Há outro tipo de amor, mais amplo e mais profundo, que se expande para os membros da família da pessoa. Esse amor é como o luar: não forte o suficiente para deixar as coisas claras, mas o suficiente para se mover. Ele também passa por altos e baixos, aumenta e diminui. No entanto, o tipo mais desejável de amor é como o sol – sempre empenhado em purificar, estimular e iluminar, sem distinção. Esse amor faz com que uma pessoa sempre realize ações com espírito de dedicação ao Senhor. Assim, todas as ações serão elevadas e sagradas.” (Discurso Divino, 17 de dezembro de 1964)

Sathya Sai Baba

26 de fevereiro de 2019

“Seja o que for que aconteça, jamais desista do caminho virtuoso. Quando Hanuman avistou a Mãe Sita no Ashoka Vana, em Lanka, ele A viu desolada e abandonada em meio aos sequestradores, cercada por seres monstruosos. Ele sentiu uma agonia avassaladora ao vê-La e, então, propôs à Ela: ‘Mãe, eu não posso suportar o Teu sofrimento. Eu vou Te levar no meu ombro, saltando pelo mar e Te devolver ao Senhor Rama.’ No entanto, veja a resposta da Mãe Sita! A despeito do sofrimento insuportável, Ela resistiu à tentação de escapar do cativeiro e se juntar ao Seu Senhor. Ela se ateve ao Dharma (retidão) e explicou: ‘Eu não devo, por vontade própria, tocar outro homem além do Meu Senhor. Se você Me carregar agora, você realizará a mesma ação pela qual Ravana é condenado. Isso diminuirá a glória que está reservada ao Meu Senhor, que, certamente, irá Me libertar com a destreza dos Seus braços.’ Os fins jamais podem justificar os meios. Os meios são tão importantes quanto os objetivos – ambos devem ser nobres!” (Discurso Divino, 31 de março de 1965)       

Sathya Sai Baba

27 de fevereiro de 2019

“Dentre todos os seres vivos, o nascimento humano é o mais raro. Não desperdice uma oportunidade tão preciosa e rara. Você perderá sua humanidade quando se envolver em desonestidades, injustiças e iniquidades. Assim, tenha bons pensamentos, fala agradável e visão amorosa. Veja o bem, faça o bem e seja bom. Esse é o significado verdadeiro da vida. Imagine que alguém o critique, você deve acreditar que isso também é para o seu bem. Seja o que for que os outros possam fazer, pense que tudo é para o seu próprio bem. Realize todas as ações com o objetivo de redimir sua vida. Fique atento para não perder sua humanidade, sob nenhuma circunstância. Conduza sua vida sempre sorridente e feliz. Realize todas as ações com boas intenções. Para realizar boas ações, seus pensamentos devem ser bons. Quando sua mente estiver preenchida com bons pensamentos, todos os maus pensamentos desaparecerão. Isso conduz a uma boa saúde. Ame a todos, sirva a todos. Se aderir a esses princípios, você terá sempre uma saúde boa.” (Discurso Divino, 3 de julho de 2008)  

Sathya Sai Baba

28 de fevereiro de 2019

“A pior ação que você pode realizar é fazer o oposto do que fala ou fazer um gesto de negação com a mão sobre o que foi afirmado pela boca. Se você não puder viver de acordo com o que fala, fique calado. Não dê conselhos, porque se o fizer, estará promovendo sua própria hipocrisia. Não ensine o dharma (virtude), enquanto o desvaloriza com ações. O dharma é inabalável, imutável e nunca declina. O que acontece é que aqueles, que têm que praticar o dharma, declinam em fé e firmeza. Todos os indivíduos são julgados segundo sua prática, não pelos conceitos que pregam. A semente cresce lentamente até se transformar em uma enorme e frondosa árvore. Assim também, por meio de pequeninos atos, palavras doces e ações amorosas, o homem se eleva a um Ser Divino!” (Discurso Divino, 31 de março de 1965)    

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.