Pensamento para o dia - fevereiro 2018

 

1° de fevereiro de 2018

“O espírito de sacrifício é o pré-requisito básico para cada sevak (servidor). Sem a inspiração do sentimento de sacrifício, seu seva será hipocrisia, um ritual oco. Você usa o lenço de sevadal sobre o seu vestuário apenas para removê-lo em breve! Quando você remove o lenço, você se sente aliviado de ter sido liberado da obrigação de amar e servir. Ao fazer isso, você está apenas desempenhando um papel temporário em um drama, colocando o lenço e tirando-o. Internalize o espírito de sacrifício em seu coração, profundo e fortemente. Deus é amor e só pode ser conquistado pelo cultivo e o exercício do amor. Ele não pode ser capturado por qualquer truque; Ele só concede graça quando os Seus comandos são seguidos - o comando de amar a todos e servir a todos. Quando você faz isso, você está servindo a si mesmo - você mesmo é quem você mais ama! Então, pela Graça de Deus você é envolvido e fortalecido além de toda a experiência anterior.” (Discurso Divino, 26 de junho de 1969) 

Sathya Sai Baba

2 de fevereiro de 2018

“O nascimento humano é o mais nobre de todos, o produto final de eras incontáveis de sua própria evolução progressiva. Pergunte a si mesmo: você está conscientemente se esforçando para viver de acordo com esse presente precioso que ganhou? De agora em diante, faça de cada dia uma oferta contínua de Amor, como uma lâmpada de óleo que se exaure ao iluminar os arredores. Use o emblema invisível de um voluntário de Deus em todas as horas e em todos os lugares. Submeta o corpo, repare os sentidos e elimine a mente - esse é o processo de alcançar o status de "filho da imortalidade", que os Upanishads reservaram para você. Deus é a encarnação da doçura. Alcance-O oferecendo-Lhe a doçura que Ele lhe dotou. Esmague a cana no moinho do serviço, ferva no caldeirão da penitência, remova as impurezas de todo prurido sensual e ofereça o açúcar cristalizado do amor compassivo a Ele.” (Discurso Divino, 26 de junho de 1969)

Sathya Sai Baba

3 de fevereiro de 2018

“Hoje em dia, o acessório comum em cada bolsa das senhoras e nos bolsos dos cavalheiros é um espelho e um pente. Você teme que seu charme esteja em perigo se o seu cabelo estiver em ligeira desordem ou quando seu rosto revelar manchas de pó. Então, você tenta corrigir a impressão imediatamente. Embora tão preocupado com este encanto pessoal que se deteriora rapidamente, quão mais preocupado você deveria realmente estar com a poeira da inveja e do ódio e as manchas da presunção e malícia que profanam sua mente e seu coração? Tenha um espelho e um pente para este propósito também! Tenha o espelho de Bhakti (devoção) para julgar se eles estão limpos e brilhantes. O pente de Jnana ou sabedoria, obtido pelo discernimento, resolve problemas, desfaz nós e permite que você controle e canalize aqueles sentimentos e emoções que estão espalhados de forma descontrolada em todas as direções. Seja lá o que fizer, onde quer que esteja, lembre-se de que estou com você e em você. Isso irá salvá-lo da presunção e do erro.” (Discurso Divino, 26 de junho de 1969)

Sathya Sai Baba

4 de fevereiro de 2018

“Um lar deve ser cheio de amor, com o sacrifício que o amor envolve, a alegria que o amor irradia e a paz que o amor transmite. Qualquer estrutura de tijolos e argamassa em que os pais e as crianças passam a vida não pode ser um lar se as crianças não desejam e se os pais não encontrarem paz nela. O lar é o templo onde a família, cada qual dos membros é um templo em movimento, é nutrido e sustentado. A mãe é o sumo sacerdote desta Casa de Deus. A humildade é o incenso com o qual a casa é preenchida. A reverência é a lâmpada acesa, com o amor como o óleo e a fé como o pavio. Use os anos de sua vida dedicando-os para tal adoração nas casas em que você morar. Eu o abençoo para que, através da sua fé e força, sua devoção e dedicação possam aumentar.” (Discurso Divino, 26 de junho de 1969)

Sathya Sai Baba

5 de fevereiro de 2018

“Uma disciplina que todos devem prestar atenção é o controle dos sentidos; se você lhes der livre curso, eles vão arrastá-lo para a calamidade. A educação deve torná-lo monarca de seus talentos, que são suas ferramentas para adquirir conhecimento. Os olhos, os ouvidos e a língua são cavalos selvagens. Aprenda a arte da meditação (dhyana) através da qual os sentidos podem ser controlados e a vontade direcionada para dentro, para o domínio dos sentimentos e das emoções. Você também deve aprender a evitar o ódio, a maldade, a ganância, a ira, a ansiedade, o orgulho e outros obstáculos que entram no caminho da paz interior. Não é suficiente se o seu orçamento domiciliar estiver equilibrado; você deve aprender a arte de ter uma visão equilibrada da vida, que não se afeta por triunfos e problemas, ganhos ou perdas, vitória ou derrota. Este equilíbrio pode ser obtido apenas pela confiança e fé no Deus interior.” (Discurso Divino, 26 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

6 de fevereiro de 2018

“O Senhor Dakshinamurthy estava caminhando ao longo de uma larga praia sozinho, imerso em meditação profunda. Ele viu um galho pequeno e seco na crista de uma onda distante, que passava de uma onda para outra, desde a calha até a crista, da crista até a calha, até ser lançado nas areias da costa. Ele ficou impressionado com o egoísmo do oceano que não deu asilo a um galho pequeno. Sentindo Sua reação, o Oceano declarou, em palavras que Ele pudesse entender: "Em mim não há egoísmo nem raiva, apenas o dever de autopreservação. Não devo permitir que a menor mancha deforme minha grandeza. Se eu permitir que este galho deteriore meu esplendor, será o primeiro passo na minha queda". Então, Dakshinamurthy sorriu admirando a vigilância do poderoso oceano. Ele imaginou o incidente como uma ótima lição de esforço espiritual. O menor galho de desejo, se cair na mente, deve ser imediatamente retirado das águas puras e jogado fora. Essa foi a lição a ser aprendida.” (Discurso Divino, 29 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

7 de fevereiro de 2018

“O amor é vital. O amor é divino. Para tornar um ato apto a ser oferecido a Deus e puro o suficiente para ganhar Sua Graça, ele deve ser uma manifestação de Amor. Preserve o amor de ser envenenado pelo mal. Esforce-se para cultivar o amor que é livre de ódio e parcialidade de todos os tipos. A raiz de todas as religiões, a substância de todas as escrituras, o encontro de todas as estradas e a inspiração de todos os indivíduos é o Princípio do Amor (Prema). É a base mais firme para a missão da vida do homem. É a Luz que garante a paz e a prosperidade mundial. Preencha todas as palavras e todos os seus atos com amor. A palavra que emerge de sua boca não deve esfaquear como a faca, nem ferir como a flecha, nem bater como o martelo. Deve ser um alicerce de néctar doce, um guia de sabedoria védica consoladora e um suave caminho de flores. Deve verter paz e alegria.” (Discurso Divino, 29 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

8 de fevereiro de 2018

“Mais refulgente que o Sol, mais branco e mais puro que a neve, mais sutil que o éter no espaço, o Senhor Supremo (Paramatma) habita em todos, permeando todo o Cosmos, brilhando em cada átomo. Você está nesse Brahman (Divindade) e esse Brahman está em você. Você é esse Brahman e esse Brahman é você. Que maior verdade posso lhe transmitir? A primeira tarefa que lhe peço é desenvolver a consciência da Divindade dentro de você. O próximo estágio é a realização da verdade de que a Divindade que está dentro de si mesmo está igualmente presente em todos os outros. Você deve reconhecer que o véu ou barreira que parece separá-lo dos outros nasce da ilusão e todos os esforços devem ser feitos para removê-lo. Só então será possível experimentar a unicidade de todos os seres vivos, que é a declaração do Sruti ou dos Vedas: Aham eva idam Sarvam - Eu sou realmente tudo isso.” (Discurso Divino, 16 de fevereiro de 1988)

Sathya Sai Baba

9 de fevereiro de 2018

“De que proveito é o estudo dos Upanishads e da Gita se não há transformação em nossos pensamentos ou modo de vida? Você deve examinar onde todas as suas práticas espirituais estão levando-o. Deve haver um desejo de mudar e progredir em direção a um estado de consciência superior. Na realidade, todos são personificações de Sat-chit-ananda (Verdade-Consciência-Bem-aventurança)! Seu verdadeiro 'eu' existe em todos os estágios de acordar, sonhar e dormir profundamente. Mas, nos estados de sonho e sono profundo, você não está consciente do seu corpo. A entidade que existe nos três estados não é alterada. Você deve tentar entender a natureza desse "eu". Você pode considerar isso extremamente difícil, mas se você tiver dedicação e perseverança, será bastante fácil. Não há nada no mundo mais fácil do que o caminho espiritual. Mas, quando não há seriedade, parece difícil. Por isso a Gita declarou: Shraddhavan labhate Jnanam (O aspirante sincero adquire Sabedoria Suprema).” (Discurso Divino, 16 de fevereiro de 1988)

Sathya Sai Baba

10 de fevereiro de 2018

“A maioria das pessoas hoje carece de Amor e também de Bem-aventurança. Quando as pessoas formam grupos conflitantes e planos para se destruir, como pode a alegria e a paz residir nelas? Os mitos antigos falam de guerras de extermínio entre deuses e demônios e entre homens e rakshasas (demônios). Mas, a história hoje está registrando guerras entre os rakshasas que se chamam de "humanos". Por quê? Porque, o amor é direcionado para fins egoístas. O sacrifício e a caridade são tolerados em favor do auto engrandecimento. As pessoas participam apenas do serviço social para se promoverem. Como o conteúdo doce pode ser consumido quando a garrafa está bem fechada pelas duas rolhas - pompa e publicidade pessoal? Remova estas rolhas pelo saca-rolha da abnegação. O amor desinteressado implica em compreensão e, consequentemente, simpatia e compaixão. Eles conferirão Ananda (Bem-aventurança Divina). Para experimentar felicidade, paz e alegria, você deve permitir que as virtudes inatas do Amor e do sacrifício emerjam de dentro e assim santifiquem sua vida.” (Discurso Divino, 29 de fevereiro de 1984)

Sathya Sai Baba

11 de fevereiro de 2018

“É bom amar e adorar a Deus com vista a obter um fruto valioso, agora ou no futuro, mas, como não há nada mais valioso do que Deus, os Vedas nos aconselham a amar a Deus sem nenhum toque de desejo nas nossas mentes. Ame por conta do amor. Ame a Deus, pois tudo o que Ele pode dar é menor do que Ele mesmo. Ame-o apenas, sem outro desejo ou exigência. Certa vez, Draupadi perguntou a Dharmaraja enquanto estava no exílio: ‘Senhor! Você é, sem dúvida, o melhor entre aqueles que seguem o caminho de Deus, como uma calamidade tão terrível como esta aconteceu a você?’ Ela foi acometida pela tristeza. Dharmaja respondeu: ‘Olhe para a cordilheira do Himalaia. Quão magnífica, gloriosa, linda e sublime ela é! É um fenômeno tão esplêndido que eu amo sem limite. Isso não me concederá nada, mas é minha natureza amar o belo e o sublime. A personificação desta beleza sublime é Deus. Ele é a única entidade que vale a pena amar. É por isso que eu O amo. Não vou desejar nenhum favor. Não irei orar por qualquer benefício. Que Ele me mantenha onde Ele quiser me manter. A maior recompensa pelo meu amor é o Seu amor, Draupadi!’ " (Sathya Sai Vahini, Capítulo 1, "A Realidade Suprema")

Sathya Sai Baba

12 de fevereiro de 2018

“Nenhum ser vivo, exceto o ser humano, foi dotado de inteligência e faculdade discriminativa, intensificada a este grau, a fim de que possa visualizar o Atma (Eu Divino). É por isso que a humanidade é aclamada como a coroa da criação e porque as escrituras (sastras) proclamam que a chance de nascer como humano é uma rara sorte. As pessoas têm as qualificações necessárias para buscar a causa da criação; elas têm nelas o impulso e a capacidade. Muitas grandes pessoas dirigiram sua inteligência para a descoberta do Senhor onipresente (Atma) e conseguiram visualizar esse Princípio Divino. No entanto, entre milhões de pessoas no Universo, apenas poucas conseguiram visualizar o Atma universal ou o Eu Superior em todos. O propósito e o significado do processo de viver é a realização do Senhor Supremo (Atma).” (Sathya Sai Vahini, Capítulo 1, 'A Realidade Suprema').

Sathya Sai Baba

13 de fevereiro de 2018

“A natureza do homem é uma mistura de características progressivas e regressivas. É preciso perceber isso e promover a primeira, excluindo a última. A vontade de renunciar, de compartilhar e de abrir mão é uma virtude preciosa. A curiosidade, o anseio de saber, é outra qualidade que deve ser usada para conhecer a Realidade, que aparece como muitas e momentânea. Este conhecimento só pode ser alcançado quando a consciência é purificada pela graça de Deus. Os dias sagrados como Shivaratri são marcados apenas para imprimir em sua mente seu dever de impor um "jejum" em seus sentidos e uma "vigília" em sua inteligência, e para mantê-lo longe de impulsos e inclinações poluentes. Mesmo o pensamento de que você não se beneficiou de puja ou japam (orações e contemplação) que você faz, não deve poluir sua fé. Aderir às práticas espirituais é seu dever, seu desejo mais íntimo e sua atividade genuína. Deixe o resto à vontade de Deus. Esta deve ser a sua determinação no sagrado Shivaratri.” (Discurso Divino, 29 de fevereiro de 1984)

Sathya Sai Baba

14 de fevereiro de 2018

“Desenvolver fé no princípio do Atma e amá-lo com fervor - esta é a verdadeira adoração. O Atma é o único ente querido para a humanidade. Sinta que ele é mais adorável do que qualquer objeto agora ou no futuro - essa é a verdadeira adoração que se pode oferecer a Deus. Isto é o que os Vedas ensinam. Os Vedas não ensinam a aceitação de um pacote de regras e restrições terrivelmente difíceis; eles não mantêm a pessoa em uma prisão onde ela é aprisionada por barras de causa e efeito. Eles nos ensinam que existe o Uno que é o soberano por trás de todas essas regras e restrições. Aquele que é a essência de todo objeto, toda unidade de energia e toda partícula ou átomo, e aquele Uno cujas ordens apenas os cinco elementos - éter, ar, fogo, água, terra - funcionam. Ame-O, adore-O, venere-O, dizem os Vedas. Esta é a grande filosofia do amor como elaborada nos Vedas.” (Sathya Sai Vahini, Capítulo 1, "A Realidade Suprema")

Sathya Sai Baba

15 de fevereiro de 2018

“Você pode duvidar de que uma pequena palavra como Rama, Sai ou Krishna possa levá-lo através do vasto mar da vida mundana. As pessoas atravessam vastos oceanos numa pequena jangada. Elas podem caminhar por selvas escuras com uma minúscula lâmpada nas mãos. O nome Pranava (Om), que é ainda menor, tem vastas potencialidades. A balsa não precisa ser tão grande quanto o mar. A Recitação do Nome do Senhor é como a operação de perfuração para drenar águas subterrâneas. É como o golpe de cinzel que libertará a imagem de Deus presa no mármore. Quebre o invólucro e o Senhor aparecerá. Rache o pilar, como Prahlada pediu a seu pai Hiranyakasipu para fazer, e o Senhor, sempre presente, se manifestará. Toda mãe ensina a filha a agitar e produzir a manteiga latente no leite. Da mesma forma, no campo espiritual, aprenda com os iogues que obtiveram e ofereceram essa manteiga fresca (navaneetam) a Krishna, recitando seu nome.” (Discurso Divino, 13 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

16 de fevereiro de 2018

“Remova todos os sentimentos negativos. Desenvolva mais e mais pensamentos positivos. Ao longo do caminho, alguns podem criticá-lo. Essa é uma oportunidade de transformação para você! Pense assim: ‘Meus pais me deram um nome, os amigos deram outro nome e outros me deram um apelido! Esse corpo tem muitos nomes, só isso!’ Você se tornará ruim se alguém chamá-lo de ruim? Não! Se eles o chamam de ruim, tente se libertar das más qualidades, se estiverem presentes em você. Se alguém aponta um erro, tente libertar-se desse erro se ele estiver lá em você - isso é tudo! Manuseie a crítica com graça. Personificações do Amor Divino! Nesta era de Kali, quando os desejos não são cumpridos, as pessoas começam a culpar até mesmo Deus! Não odeie ninguém e não acuse ninguém, tanto quanto possível, ame a todos e, se não for possível, pelo menos não odeie ninguém. Bhagavan quer que todos desenvolvam o espírito de união e unidade.” (Discurso Divino, 23 de novembro, 2000)

Sathya Sai Baba

17 de fevereiro de 2018

“Há muitos, talvez algumas centenas de milhares ou milhões, que se chamam devotos de Sai. Mesmo que um devoto de Sai praticasse o sacrifício e a verdade, o mundo inteiro se tornaria um lugar melhor. A verdade e o espírito de sacrifício são os dois princípios primários que são necessários para mudar o mundo. A verdade santifica o coração e a sensação de sacrifício nos leva à renúncia ao mundo. Através destes dois, pode-se experimentar a importância da declaração: Antar bahischa tat sarvam vyapya Narayana stitaha - O Senhor permeia todo o espaço, dentro e fora. Na ausência desse conhecimento verdadeiro, as pessoas se entregam às coisas mundanas e transitórias desde o nascimento até a morte. Como então elas podem se redimir e alcançar a libertação? Todo indivíduo deve amar a Deus para redimir sua vida. Você é dotado de um corpo apenas para praticar a retidão. Não leve uma vida ociosa.” (Discurso Divino, 08 de março de 1997)

Sathya Sai Baba

18 de fevereiro de 2018

“Você pode ter o melhor dos vegetais, você pode ser o cozinheiro mais capaz, mas se a vasilha de cobre em que você prepara a sopa de vegetais não estiver estanhada, o prato que você cozinhar será muito venenoso! Então, "estanhe" o seu coração com sathya, dharma, shanti e prema (verdade, retidão, paz e amor divino) e ele se tornará um recipiente apto para repetir o santo nome e para meditação, votos religiosos, peregrinação, culto ritual e outros pratos que você preparar. É uma tarefa árdua reformar as tendências e o caráter de alguém. Você pode estudar todos os livros-texto sobre prática espiritual, todas as escrituras e até mesmo falar sobre elas por horas, mas você incorrerá em erro quando a tentação o confrontar. O coração pode parecer uma terra seca e desprovida de qualquer plantação de maldade, mas quando as primeiras chuvas caem, as sementes e as raízes sob o solo transformam os resíduos em um tapete verde. É por isso que os valores humanos são tão essenciais.” (Discurso Divino, 13 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

19 de fevereiro de 2018

“Ore a Deus e obtenha Dele o ímã de Sua graça e ofereça ao mundo o poder de Sua energia elétrica. Esta é a energia que todos podem mobilizar para o bem comum. É todo-poderosa, porque é divina. Está dentro de você. Que pena que as pessoas não sejam conscientes disso e se sintam impotentes! Toda a energia e toda bem-aventurança estão dentro de nós. É por causa da ignorância que as pessoas estão recorrendo a todos os tipos de exercícios inúteis e desnecessários. Tenha plena fé em seu poder espiritual (Atma-shakti). Siga a verdade de sua fé, sem criticar os outros. Abra seu coração e feche sua boca. Hoje as pessoas estão fazendo exatamente o contrário. Pratique o silêncio, na medida do possível. Aquele que fala muito fará pouco. Aquele que age falará pouco. Faça o que fizer, tenha o nome do Senhor em seus lábios e fé em Deus em seu coração. Assim, o trabalho será transformado em adoração.” (Discurso Divino, 08 de março de 1997)

Sathya Sai Baba

20 de fevereiro de 2018

“O observador não pode se apegar àquilo que vê. Essa é a maneira de se libertar. O contato dos sentidos com o objeto suscita desejo e apego, isso leva ao esforço e à exaltação ou desespero. Então, há o medo da perda ou tristeza pelo fracasso e a cadeia de reações alonga. Com muitas portas e janelas mantidas abertas a todos os ventos que sopram, como pode a chama da lamparina resistir? Essa lamparina é a mente que deve arder constantemente, não afetada pelas demandas duais do mundo externo. A entrega completa ao Senhor é uma maneira de fechar janelas e portas, pois, em Saranagati (entrega completa a Deus) você é desprovido de ego e assim, você não é golpeado pela alegria ou pelo sofrimento. A rendição completa permite que você aproveite a graça do Senhor, encarando todas as crises em sua carreira e o tornando heroico e melhor preparado para as batalhas da vida.” (Discurso Divino, 13 de janeiro de 1965)

Sathya Sai Baba

21 de fevereiro de 2018

“As pessoas obtêm muita riqueza e vários títulos, mas onde está a falha? Muitos pensam que a riqueza causa todas as coisas más e que os títulos são prejudiciais. Não, ambos são irrepreensíveis. A água é pura e doce, mas quando guardada em uma garrafa de cor vermelha, a água parece ser vermelha e, quando guardada em uma garrafa roxa, ela parece roxa. De onde as cores apareceram? O indivíduo é o frasco; ruim ou bom é o reflexo dos atributos individuais. Se o indivíduo é rajásico ou apaixonado, então a riqueza e a educação se tornam inúteis. Se o indivíduo é de natureza sátvica ou nobre, as ações e a educação também se tornam nobres. Portanto, o coração deve ser puro. Neste contexto, diz-se: Chitta suddhi leni Shiva pooja yetiki? – Qual a serventia da adoração a Shiva (Deus) sem a pureza do coração? Atma sudhdhi leni acharamadiyela? – Para que servem os rituais sem a pureza do indivíduo? Patra sudhdhi leni pakamela? - Como se pode preparar alimento puro e delicioso sem a higiene dos recipientes?” (Discurso Divino, 04 de abril de 1992)

Sathya Sai Baba

22 de fevereiro de 2018

“Estou insistindo em cinco pontos de disciplina que transformarão suas casas e vilas em Prasanthi Nilayams. ‘Silêncio’ é o primeiro passo que facilita os outros passos. Ele promove o autocontrole e reduz as chances de raiva, ódio, malícia, ganância e orgulho. Além disso, você pode ouvir os passos de Deus somente quando o silêncio reinar na mente. A ‘limpeza’ é a entrada da divindade. A limpeza interna e externa é essencial para instalar Deus em seu coração. O ‘serviço’ amplia sua visão, amplia a consciência e aprofunda a compaixão. Todos são ondas no mesmo mar. O serviço ensina você a ser firme nesse conhecimento. 'Amor' - Não calcule ou pese a reação, o resultado ou a recompensa. O amor chama, o amor responde. O amor é Deus, viva em amor. ‘Não-ódio’ em relação a todos - nenhum ser deve ser encarado como inferior, sem importância ou dispensável. A cada um é atribuído seu papel no drama projetado pelo Todo-Poderoso. Não desrespeite, insulte ou fira qualquer ser, pois Ele está em cada ser e sua desconsideração se torna um sacrilégio.” (Discurso Divino, 19 de julho de 1970)

Sathya Sai Baba

23 de fevereiro de 2018

“Quase todas as atividades são motivadas por interesse próprio. Essa preocupação com o interesse próprio se opõe à Divindade que é imanente em alguém. Sem perceber esta Divindade, como se consegue alcançar a paz internamente ou no exterior? Não há qualidade maior que o amor desinteressado, que se expressa como serviço aos outros. Compreenda o relacionamento entre karma e karma yoga adequadamente. A ação comum (karma) feita com apego ou desejos causa escravidão. Mas a ação desinteressada, abnegada, se torna karmayoga. Nossa vida deve tornar-se uma Divina Comunhão (yoga) ao invés de uma roga (doença). Hoje, a maioria das nossas ações resulta em roga porque nos sentimos atraídos por prazeres sensuais. A liberdade dessa doença pode ser conseguida pela busca do caminho espiritual. O caminho espiritual não é apenas cantar bhajans ou recitar hinos. Estas são apenas boas ações. Somente aquelas ações que são realizadas como uma oferta completa ao Divino podem ser consideradas espirituais.” (Discurso Divino, 06 de abril de 1983)

Sathya Sai Baba

24 de fevereiro de 2018

“Você obtém exaltação ao adorar no templo um ídolo de pedra esculpida. Quanto mais elevado você deveria estar enquanto adora o próprio Deus que reside no templo – os corações dos homens e mulheres ao seu redor? E não apenas nos corpos humanos; Deus vive em todos os pássaros, animais, árvores, seixos e partículas de pó! Lembre-se, a graça de Deus não pode ser conquistada simplesmente repetindo as suas glórias! Recite o nome do Senhor por você escolhido, com seu resplendor de significado límpido em sua mente e impregnando seus atos e sentimentos. Os americanos que cantaram os bhajans hoje prestaram atenção à melodia e à sua batida; eles também aprenderam o significado de cada música e cantaram de seu coração, respeitando seu espírito com bha-va (sentimentos), ra-ga (tom) e tha-la (ritmo) - Bha-ra-tha - que lhes dá direito a serem chamados de Bharatiyas! A cultura de 'Bharat' é construída sobre rati (apego) a Bhagavan; então, qualquer pessoa, independente de sua raça, que se apega ao Senhor é uma Bharatiya!” (Discurso Divino, 19 de julho de 1970)

Sathya Sai Baba

25 de fevereiro de 2018

“Considere de forma igual boa sorte e infortúnio, felicidade e tristeza, perda e ganho. Estes são produtos da natureza como calor e frio, verão e inverno. Eles têm seus propósitos para servir. Da mesma forma, os altos e baixos da vida têm lições para nos ensinar. Na verdade, sem reveses na vida, não seremos capazes de experimentar a Divindade. Sem escuridão, não podemos valorizar a luz. Sem sofrer dificuldades, não seremos capazes de aproveitar os benefícios. É a falta de paz de espírito que nos obriga a buscar os meios para obter uma paz duradoura. As escrituras (Upanishads) declaram que, pela renúncia, a imortalidade pode ser alcançada. Você deve aprender a praticar a verdadeira renúncia em sua vida diária para que possa descobrir o segredo da paz e da bem-aventurança duradouras.” (Discurso divino, 06 de abril de 1983)

Sathya Sai Baba

26 de fevereiro de 2018

“Todos são filhos de Deus e têm igualmente o direito ao amor do Senhor. Por que, então, existem diferenças entre homens e mulheres? Por que não há igualdade ou semelhança? Isto é devido às diferenças na maquiagem mental das pessoas. Se a mente é impura, as ações de alguém devem ser impuras. Quando a mente e a consciência estão distorcidas pelo egoísmo, o comportamento humano também é distorcido. Quando estes são voltados para o Divino, as boas ações seguem naturalmente. Sua mente é a causa de boas e más ações. Portanto, o que quer que você deseja alcançar, você deve tentar realizar sem emoção ou agitação. Sabedoria ou conhecimento espiritual (Jnana) é considerado o principal requisito para todo ser humano. Mas o que é verdadeiramente primário é a conduta de alguém - conduta reta. Sua conduta determina suas qualidades e as qualidades, por sua vez, determinam seu comportamento!” (Discurso Divino, 08 de abril de 1983)

Sathya Sai Baba

27 de fevereiro de 2018

“Você não é educado se tudo o que você conseguiu é o estudo de uma tonelada de livros. O corpo e a mente devem ser iluminados pela luz do amor que emana da consciência da Alma e sua Divindade essencial. Uma vez que a educação atual trata apenas do corpo e da mente, e não está relacionada com a Alma, a juventude do país é movida para lá e para cá a cada rajada que passa como uma vegetação sem raízes. A consciência do Atma proporcionará poder e coragem inabaláveis. Os Vedas ensinam os meios para assegurar essa consciência e usá-la para enfrentar os desafios da vida. Somente isso pode coroar a educação com sucesso. Isso apenas pode fortalecer os jovens para enfrentar os problemas de agitação e ansiedade. As faculdades devem ensinar não apenas matérias específicas, mas também o relacionamento entre as matérias e as vidas das pessoas. O processo pelo qual se pode transcender essa dualidade e conhecer a Unidade também deve ser estudado para tornar a educação completa.” (Discurso Divino, 31 de janeiro de 1974)

Sathya Sai Baba

28 de fevereiro de 2018

“O Sábio Vyasa escreveu dezoito Puranas (escrituras baseadas em histórias mitológicas), mas há alguém que tenha tempo para examinar todas elas? As pessoas afirmam que não têm tempo para ler escrituras ou observar vratas (votos de adoração) ou serviço, pois têm trabalho relacionado a escritórios, negócios ou educação e assim por diante. Muitas dessas desculpas não são verdadeiras. Uma pessoa volta do escritório e relaxa na cadeira dizendo que está cansada. Ela está sentada relaxando na cadeira? Não, ela vê televisão! Ela não está cansada para ver TV ou jogar ou conversar com amigos? Verdadeiramente falando, se alguém quiser pensar em Deus, há muito tempo. Todos têm tempo suficiente, mas o utilizam mal e o desperdiçam. O verdadeiro valor humano é usar o tempo eficazmente. Todos são personificações do Divino. Não prejudique, engane ou machuque os outros ou a sua própria pessoa. Não há forma de devoção mais elevada do que o desenvolvimento dessas qualidades sagradas.” (Discurso Divino, 08 de abril de 1997)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.