Pensamento para o dia - dezembro 2018

1° de dezembro de 2018

“Personificações do Divino! Hoje em dia, pessoas diferentes possuem diferentes tipos de Sadhana. Para perceber os benefícios desse Sadhana, elas vão aos Ashrams, admiram e adoram os anciãos. Enquanto o egoísmo permanecer nelas, todos esses exercícios serão inúteis. Portanto, suprima seu ego, enterre o sentido de posse e desenvolva apego ao Atma para se tornar consciente de sua verdadeira humanidade. Nas Organizações Sai, os requisitos principais são unidade e confiança mútua. Somente com unidade você poderá promover o bem-estar do mundo. Se há discórdia dentro da Organização, como você poderá servir aos outros? Atualmente, inveja, ódio e raiva estão causando o caos entre todas as pessoas. Para começar, destrua seu ego. Então, a raiva desaparecerá. A raiva é descrita como um incenso oferecido à imoralidade. Faça do autocontrole o seu ornamento. Por meio do amor, elimine suas más caraterísticas. Cumpra seu dever sem dar projeção ao seu ego. Desenvolva ajuda mútua. Seja amigável com todos e realize seu trabalho com alegria e paz.” (Discurso Divino, 07 de outubro de 1993)

Sathya Sai Baba

2 de dezembro de 2018

“Você deve cultivar o amor por todos, por mais distinto que seja o caráter e a capacidade de cada um. Embora o mesmo sangue flua por todo corpo, o olho não pode cheirar, o ouvido não pode provar, o nariz não pode ver e assim por diante. Então, não amplifique as distinções e nem se desentenda com os outros. Dê ênfase à irmandade fundamental da humanidade e ao princípio do amor. Assim como o açúcar totalmente dissolvido em um copo d'água é invisível – mas evidente para a língua em cada gota – também o Divino é invisível, porém imanente. Ele é capaz de ser experimentado em cada indivíduo, seja rico, pobre, educado ou iletrado. Repita os nomes do Senhor (Namasmarana) incessantemente. Habite na glória do Senhor e na compaixão que os Seus nomes lhe concedem. Prove a doçura que há no coração de cada um. Assim, será mais fácil para você visualizá-Lo, amá-Lo e adorá-Lo em todos.” (Discurso Divino, 31 de julho de 1967)

Sathya Sai Baba

3 de dezembro de 2018

“Convença-se de que o Senhor está em você como seu cocheiro, segurando as rédeas dos cinco cavalos (os sentidos) e lhe dando conselhos constantemente, como fez quando Arjuna orou para que Ele o conduzisse e guiasse. Então, ficará fácil para você se convencer que o mesmo cocheiro está conduzindo e guiando todos os outros. Quando você estiver firmemente estabelecido nessa fé, ficará livre de ódio e maldade, ganância e inveja, raiva e apego. Ore ao Senhor para que Ele fortaleça essa convicção e essa fé. Ele abrirá seus olhos à Verdade e lhe revelará que Ele é o Sanathana Sarathi (Eterno Cocheiro) em todos. Essa revelação conferirá a você uma felicidade incomparável e lhe concederá familiaridade com a multiplicidade da criação. Sinta Deus como sua força, sua respiração, sua inteligência, sua alegria. Assim, Ele se torna tudo isso para você. Ele direcionará todos os seus sentidos, mente, consciência e inteligência para a Meta mais elevada. Sua Graça conferirá tudo que você precisa.” (Discurso Divino, 31 de julho de 1967)

Sathya Sai Baba

4 de dezembro de 2018

“Hanuman não se sentiu vaidoso quando Rama o selecionou para a importante busca por Sita. Quando Ele lhe deu um anel para ser entregue à Sita, também não. Tampouco ficou com medo da enorme responsabilidade. Ele aceitou e não ficou feliz, nem infeliz. Ele percebeu que Rama sabia tudo e assim seu dever era apenas obedecer. Eu chamei você e o nomeei como ‘Voluntário’ (Sevadal) para dar-lhe uma oportunidade de praticar esse exercício espiritual de Madhava seva por meio de Manava seva (serviço a Deus por meio do serviço ao homem). No entanto, não entenda isso como uma autoridade conferida a você ou como um fardo colocado nos seus ombros. Quando você chama a si mesmo de Sevak (ou Sevadal) prestando serviço aos outros, em sua mente, também reverencie a pessoa a qual você serve como o próprio Senhor naquela forma. Essa atitude é muito benéfica para o aspirante. Servir ao homem é servir a Deus. Mas quando? Somente quando você sentir no fundo do seu coração que a pessoa a quem você serve é uma onda do mesmo mar do qual provêm sua individualidade, paladar, nome e forma!” (Discurso Divino, 22 de novembro de 1967)

Sathya Sai Baba

5 de dezembro de 2018

“O Senhor valoriza sua intenção por trás de cada ação. Yad bhavam, tad bhavati: você se torna aquilo que sente. Assim, transmute cada ato em adoração e obtenha disso felicidade máxima. Sai está em todos os seres. Portanto, não menospreze ninguém. Reverencie e sirva a todos da melhor maneira possível. Quando alguém pede água para saciar a sede e você lhe oferece um copo, sinta que está oferendo-o a Mim. Então, essa ação purificará e limpará você. Não é a pessoa necessitada a quem você está servindo. Você está servindo a Deus, que está em você e nela. Karma (ação) é a flor e Jñana (sabedoria) é o fruto. A flor se torna um fruto, na plenitude do tempo, quando você a protege das pragas. Carvão é a madeira que foi queimada sob o batismo do fogo. Com o tempo, o carvão se transforma em cinza branca e leve, que voa com o vento. Rigorosamente, purifique sua mente no fogo da sabedoria até obter sucesso.” (Discurso Divino, 22 de novembro de 1967)

Sathya Sai Baba

6 de dezembro de 2018

“Sentimentos de ódio, maldade, inveja e orgulho – que provocam separações entre pessoas, que são parentes e amigos – surgem da identificação com o corpo. Você sente e acredita que é o corpo. Você sabe que seu corpo está separado de outros corpos. Você pensa na sua sede, sua fome, seu conforto, sua família, sua comunidade, seu estado. Dessa forma, você cria limites para o seu amor e se restringe, e trata a todos fora dessas fronteiras como inimigos, estrangeiros e competidores. No entanto, Deus – o Pai da humanidade – é a única fonte e o sustento.  Preste mais atenção na Paternidade do que na irmandade. Isso reforçará a irmandade cada vez mais no seu coração e removerá o veneno da distinção, que veio através da ignorância. Todos vocês são partes de um corpo, nutrido pela mesma vida. O sangue flui em vocês motivado pela mesma vontade, a vontade de Deus e todos estão conectados pela mesma Lei Divina! Isso é Vishwarupa (Visão Cósmica), que deve ser visualizada e experimentada. Isso confere bem-aventurança eterna.” (Discurso Divino, 20 de dezembro de 1967)

Sathya Sai Baba

7 de dezembro de 2018

“Deus não está longe de você. Ele está dentro de você, no seu próprio altar interno. Todos vocês sofrem porque são incapazes de encontrá-Lo lá e extrair paz e felicidade dessa descoberta. Um homem – mergulhado na correnteza de um rio, com água até os joelhos – que lavava suas roupas no rio, morreu de sede porque não percebeu que a água doadora da vida estava ao seu alcance.  Tal é a história do homem. Ele corre em desespero para procurar por Deus no exterior e morre desapontado e aborrecido, somente para nascer novamente. Obviamente, você tem que estar no mundo, porém lembre-se: você não precisa ser dele. A atenção deve estar fixada em Deus no seu interior. Na nação Kannada, existe um festival chamado Karaga. A figura central desse ritual sagrado carrega muitos potes em sua cabeça, um sobre o outro, e se move com a procissão acompanhando a música. Ele também tem que cantar afinado com os outros e manter o ritmo da batida dos tambores. Contudo, durante todo o tempo, sua atenção está fixada no equilíbrio precário da torre em sua cabeça. Assim também, você deve manter o objetivo de se tornar consciente de Deus diante de você, enquanto estiver engajado na procissão barulhenta e hilária.” (Discurso Divino de 1º de janeiro de 1967)

Sathya Sai Baba

8 de dezembro de 2018

“Cada dia que passa se torna verdadeiramente sagrado quando você o santificar por meio do sadhana, não de outra maneira. As práticas espirituais (Sadhana) podem crescer apenas em um campo fertilizado com amor e não-violência. Amor ou Prema é absolutamente essencial para a devoção a Deus (bhakti). O amor que você tem em relação a objetos materiais, nome, fama, esposa e filhos etc deve ser santificado, subjugando-o ao poderoso Amor por Deus. Adicione duas colheres de água a duas medidas de leite: a água também será apreciada como leite! No momento, seu sadhana pode ser descrito como somente uma mistura de dois litros de água e duas colheres de leite, não é? Deixe o amor por Deus preencher e entusiasmar seu coração. Então, você não poderá odiar a ninguém, não cederá a rivalidades doentias e não encontrará falhas em ninguém. A vida se tornará agradável, doce e tranquila.” (Discurso Divino, 01 de janeiro de 1967)

Sathya Sai Baba

9 de dezembro de 2018

“Algumas pessoas têm inveja do alto padrão de vida experimentado por outras em nações ricas. No entanto, a pobreza da Índia é muito mais compatível com a boa vida, do que a extravagante e vaidosa vida do ocidente. O mar tem uma vasta extensão de água, mas ele pode saciar a sede de um homem? Da mesma forma, por mais riquezas e conforto que uma pessoa possa ter, se ela não tiver cultivado o desapego, tudo que foi acumulado será nada além de um completo desperdício. O desapego dos prazeres sensuais e buscas materiais ajuda o crescimento do Amor por Deus e pelo Divino. Quando você se tornar consciente de que Deus está em você, valorizará muito mais a si próprio. Quando você souber que o pedaço de vidro que pegou é um diamante, irá guardá-lo em um cofre de ferro, não é? Similarmente, saiba que cada um de vocês foi talhado cuidadosamente por um escultor para se transformar em uma encantadora imagem de Deus e ter uma conduta de acordo.” (Discurso Divino, 01 de janeiro de 1967)

Sathya Sai Baba

10 de dezembro de 2018

“Há uma imensa diferença entre a Índia de cinco séculos atrás e a Índia de hoje, no que diz respeito ao autocontrole. Hoje em dia, os sentidos têm total liberdade. Todo ser humano é escravo da ambição, luxúria e egoísmo. A responsabilidade sobre isso é, inteiramente, dos pais e anciãos. Quando as crianças vão aos templos ou escutam palestras religiosas, eles as repreendem e as alertam que esses são sinais de insanidade. Eles dizem às crianças que religião é uma busca dos idosos, que não deve ser levada a sério pelos jovens! No entanto, se as crianças fossem apenas encorajadas, elas poderiam estar melhor equipadas para a batalha da vida. Todos os pais devem aconselhar seus filhos: ‘Esteja convencido que Deus está nos guiando e nos protegendo. Lembre-se Dele com gratidão. Ore para que Ele torne você puro. Ame a todos. Sirva a todos. Junte-se à boa companhia. Visite templos e homens santos’. Faça campanha contra as tentações dos sentidos, conquiste os inimigos internos e triunfe sobre seu ego.  Esta é a verdadeira vitória, que merece celebração!” (Discurso Divino, 01 janeiro de 1967)

Sathya Sai Baba

11 de dezembro de 2018

“Por quanto tempo você pode ficar estagnado na mesma aula de devoção? Você não deseja ser promovido para uma turma mais adiantada? Em devoção (Bhakti), existem dois grupos: Sahaja-bhakti e Vishesha-bhakti. Sahaja-bhakti fica satisfeito com pujas (adoração), vrata (observação dos rituais de adoração), bhajan (canto em grupo), namasmarana (recordação dos nomes do Senhor), peregrinação etc. Visesha-bhakti almeja a pureza do caráter, a supressão dos impulsos, o controle da mente, a prática de daya (compaixão), prema (amor), shanti (paz), ahimsa (não-violência) etc, e ainda investiga sobre o porquê e para que do homem. É vergonhoso o fato das pessoas se manterem no estágio devocional de sahaja-bhakti, ano após ano. Após finalizar esses dois níveis, há outro mais elevado, chamado Para Bhakti (ver Deus em todos os lugares). A inteligência pode corrigir e resolver problemas externos. Apenas a concentração no sadhana pode corrigir e resolver a crise interna, que ferve em cólera a partir de dentro.” (Discurso Divino, 14 de janeiro de 1967)

Sathya Sai Baba

12 de dezembro de 2018

“O imperador dos Cholas procurou visitar o templo Srirangam Gopuram, do qual ele havia ouvido falar muito. Ele preparou sua carruagem e seguiu muitas vezes rumo ao templo, durante seis meses. No entanto, a todo momento, seu veículo era interceptado por um renunciante com vestes ocre, um rosário no pescoço e um halo ao redor de sua cabeça. Quando o imperador desembarcava para reverenciá-lo, o renunciante o mantinha envolvido em uma conversação encantadora, a ponto de fazê-lo esquecer de sua jornada e objetivo.  Um dia, quando ele lamentou por não ter preenchido sua visão com a glória de Srirangam, o Senhor apareceu e lhe disse: ‘Por que você se lamenta? Eu sou o Mestre que foi até você assim que partiu para Srirangam. Reconheça-Me em todos. Essa é a verdadeira peregrinação a Srirangam.’ Considere todos que você encontrar como o Senhor de Srirangam, seu Mestre. Mostre Prema (amor) imaculado a todos que chegam até você.” (Discurso Divino, 14 de janeiro de 1967)

Sathya Sai Baba

13 de dezembro de 2018

“Quando você entrar em uma casa e nas paredes do cômodo que é o santuário olhar uma foto Minha, você não sentirá surgir uma onda de reverência e parentesco dentro de si mesmo?  Você pode não gostar dessa pessoa por qualquer razão, porém a foto aproximará vocês, ainda que o dono da casa possa ser seu rival no campo profissional. Até mesmo a pessoa a quem você tratava como seu pior adversário tem a mesma luz que você, na intimidade do seu coração! Saiba que todas as outras pessoas têm em seu coração uma imagem de Deus, que você reverencia. Reconheça isso e se reconcilie com os seus mal-entendidos. Fechem todas as brechas e sejam irmãos e irmãs de peregrinação, encorajando e inspirando uns aos outros ao longo do caminho árduo. Sob a Glória dessa Luz envolvente, todo ódio e inveja – que são os filhos da escuridão – desaparecerão. Saiba que a mesma luz está em todos.” (Discurso Divino, 22 de janeiro de 1967)

Sathya Sai Baba

14 de dezembro de 2018

“Você se engaja em bhajans (canto congregacional), puja (adoração) e dhyana (meditação), mas esses são apenas exercícios físicos. Pergunte a si mesmo: Sou capaz de sublimar meu pequeno sadhana (esforço espiritual) por um propósito maior? Meu coração está vibrando em sintonia com ele? Em caso negativo, você permanecerá no nível humano e não se elevará ao patamar do Divino. Um poeta fez as seguintes perguntas: ‘O lago pode se encher somente com chuviscos? A sede pode ser saciada com saliva? O estômago pode ser preenchido quando se prende a respiração? As brasas ardentes podem ser protegidas pela queima da grama?’. Tocos de árvores devem ser queimados, quando o carvão é necessário. Somente a chuva forte pode encher um lago até a borda. Só um copo de água gelada pode saciar a sede de uma pessoa, nada menos. Ofereça todo o seu coração. A devoção deve preencher e transbordar do coração.” (Discurso Divino, 08 de janeiro de 1983)

Sathya Sai Baba

15 de dezembro de 2018

“A casa é o templo onde a família e cada membro – que é um templo em movimento – são alimentados e cuidados. A mãe é o sumo sacerdote da casa de Deus. O centro de toda casa deve ser o altar. A fragrância das flores e do incenso, que emana do altar, deve permear e purificar a casa. A mãe deve dar o exemplo de fazer do altar o coração da casa. Ela deve impor uma disciplina de higiene pessoal, humildade, hospitalidade, boas maneiras e iniciativas de serviço para as crianças. Ela deve aconselhar as crianças a reverenciar os anciãos por meio do exemplo e do preceito, e designar algum tempo para orar e meditar em silêncio, pela manhã e pela noite. Humildade é o incenso com o qual a casa é preenchida. Reverência é a lamparina que é acesa com o amor como óleo e a fé como pavio. Eu abençoo você para que – através da sua fé e força – devoção e dedicação possam se expandir nessa terra.” (Discurso Divino, 26 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

16 de dezembro de 2018

“Todos os homens e mulheres são vasos que contêm a Divina Glória. No entanto, você ama alguns deles como amigos, odeia alguns outros como hostis e os divide em setores e grupos. Quando alguém é bom para você, atribua essa bondade ao sagrado presente nele. Quando alguém é mau para você, fique feliz por ter dado a ele alguma satisfação, ao se transformar em alvo de sua atenção! Se alguém prejudicar o corpo, o sábio não se afetará, porque ele sabe que não é o corpo.  Se alguém tentar prejudicar a alma, o sábio sabe que isso é impossível, pois a alma está sempre em bem-aventurança! Por meio do sadhana, transforme-se nesse tipo de sábio, que não se afeta com o prazer nem com a dor, ganho e perda, vitória ou derrota. Seja uma testemunha, uma testemunha sem interesse nas voltas da fortuna. O autoquestionamento (vichara) irá revelar a você que estas são meras fantasias efêmeras de sua mente. Por meio de Japa (repetição do nome divino) e Dhyana (meditação no nome divino) obtenha a unidade com o Absoluto Universal (Parabrahmam).” (Discurso Divino, 22 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

17 de dezembro de 2018

“A Cultura Bharatiya está presente em todo mundo, pois pode corrigir e canalizar as emoções humanas e motivações em formas produtivas saudáveis. Ela é sagrada e pode estabelecer a paz e a felicidade no coração de todos. Ela busca fincar raízes na vida por meio das mães e das crianças de colo. As mulheres têm sido as guardiãs e promotoras. Os homens têm um papel secundário. E dentre as mulheres, as estudantes jovens – as quais nos próximos dias serão líderes – devem se tornar exemplos, que todas as mulheres devem querer seguir. Elas devem compreender e praticar essa cultura, para que ela possa ser preservada e florescer. A ânsia por adquirir educação é agora muito evidente entre as filhas da nação. Esta grande esperança pode ser colocada nelas, nesse campo de reconstrução. A educação deve ser para a vida, não para a subsistência. As mulheres têm provado, durante os séculos de história da Índia, que têm a coragem, a visão e a inteligência necessárias para mergulhar nas profundezas da ciência espiritual e disciplina.” (Discurso Divino, 26 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

18 de dezembro de 2018

“Um lar é preenchido com amor, com o sacrifício que o amor envolve, a felicidade que o amor irradia e a paz que o amor transmite. A estrutura de tijolo e argamassa onde pais e filhos passam a vida é uma casa, não um lar. Nem os filhos anseiam por isso, nem os pais têm paz nela. Nos seus lares, uma disciplina que todos vocês devem observar é o controle dos sentidos! Se você deixá-los sem controle, eles o arrastarão para a calamidade. A educação deve tornar você o monarca de suas habilidades, que são suas ferramentas para adquirir conhecimento. O olho, a orelha e a língua são como cavalos sem rédeas. Aprenda a arte da meditação (dhyana), por meio da qual os sentidos podem ser controlados e a vontade conduzida para o interior, em direção à maestria sobre os sentidos e emoções. Não apenas as casas, as nações que não controlarem a sensualidade, jamais poderão prosperar, nem sobreviver.” (Discurso Divino, 26 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

19 de dezembro de 2018

“Se você visitar lugares sagrados como se fosse a um piquenique, sem a preparação mental necessária para receber a Graça de Deus, você será um estorvo, que estragará a atmosfera sagrada do ambiente. Você irá de lugar a lugar como encomendas postais, coletando selos na embalagem externa, não no núcleo do seu ser. Assim, você não permite que a sacralidade do local aja na sua mente. Como resultado da peregrinação, seus hábitos devem mudar para melhor, sua perspectiva deve se ampliar, sua visão interior deve se tornar mais profunda e mais estável. Você deve se tornar consciente da Onipresença de Deus e da Unidade da Humanidade. Você deve aprender sobre tolerância e paciência, caridade e serviço. Depois que a peregrinação terminar, sentado em sua casa e refletindo sobre suas experiências, você deve estar determinado a buscar o mais elevado, o mais rico e a experiência mais real de tornar-se consciente de Deus. Eu abençoo você para que estabeleça essa determinação e se esforce para alcançar essa meta, passo-a-passo.” (Discurso Divino, 28 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

20 de dezembro de 2018

“Quando as pessoas não colocam a fé no Eu Supremo e vão em busca apenas dos sentidos, um sinal de alerta é aceso e o Senhor envia um mensageiro ou Ele mesmo vem, caso um grande passo na reconstrução tenha que ser dado. Arjuna esqueceu o princípio básico do Eu Supremo,  Ravana foi contra o mesmo. O mundo está se construindo sobre a base arenosa do mundo sensorial. Então, Avatares descem. Assim como o macaco que não pôde tirar sua mão do pote de boca estreita porque segurava um punhado de amendoins encontrado no pote, hoje em dia, as pessoas sofrem, já que não desejam soltar o punhado de coisas prazerosas do mundo que seguram. As pessoas são levadas à crença equivocada de que a acumulação de bens materiais lhes dará felicidade e calma. Contudo, somente Prema (Amor Divino) pode dar a felicidade eterna. Apenas Prema pode eliminar a raiva, a inveja e o ódio!”  (Discurso Divino, 28 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

21 de dezembro de 2018

“Personificações do Amor Divino! Se você deseja proteger a paz verdadeira no mundo, não deveria ter qualquer antipatia por religiões. Você deve considerar a moralidade (neeti) superior à sua comunidade (jati). Deve valorizar os bons sentimentos como mais importantes que crenças religiosas. Consideração mútua (Mamata), mentalidade igualitária (samata) e indulgência (kshamata) são as qualidades básicas imprescindíveis para todos os seres humanos. Um verdadeiro ser humano é aquele que cultiva essas três qualidades sagradas. Livre-se de todo interesse próprio e egocentrismo. Desenvolva amor, indulgência e compaixão. Viva harmoniosamente. O serviço aos necessitados deve ser seu princípio orientador.  Não deve haver espaço para qualquer tipo de divergência na prestação do serviço. Quando você desejar servir à sociedade, deve se preparar para sacrificar seus interesses individuais e populares. Por meio desses sacrifícios, você pode purificar sua vida. As escrituras (Vedas) declararam, enfaticamente, que a imortalidade pode ser obtida somente por meio do sacrifício (tyaga).” (Discurso Divino, 25 de dezembro de 1990)

Sathya Sai Baba

22 de dezembro de 2018

“O maior obstáculo no caminho para a renúncia é o egoísmo e a percepção de ‘meu’ ou possessividade.  Isso está enterrado em sua personalidade há eras, e vem enviando seus tentáculos cada vez mais fundo, vida após vida. Isso pode ser removido somente pelos detergentes duplos da discriminação e da renúncia. A devoção é a água, que lava essa sujeira antiga, e a repetição dos nomes de Deus, a meditação e a comunhão (yoga), o sabão, que fará uma limpeza mais eficaz e mais rápida. Os corredores lentos e constantes certamente vencerão a corrida. Caminhar é o método mais seguro de viajar, embora seja condenado como lento! Meios de viagem mais rápidos garantem desastres. Quanto mais rápido o meio, maiores os riscos de desastres. Você deve comer apenas o necessário para saciar sua fome, mais que isso causará distúrbios. Similarmente, avance passo a passo nos esforços espirituais com fé. Não oscile, dando dois passos para trás e um para frente.” (Discurso Divino, 07 de outubro de 1993)

Sathya Sai Baba

23 de dezembro de 2018

“Jesus ensinou lições práticas simples sobre o progresso espiritual para o bem da humanidade. Ele manifestou poderes divinos para incentivar a fé na validade de Seus ensinamentos. Ele demarcou o caminho que confere à humanidade o néctar doce da bem-aventurança (Ananda). Ele encorajou as pessoas pela máxima do cultivo das virtudes da caridade, compaixão, indulgência, amor e fé. Nós devemos prestar atenção ao sacrifício que Jesus fez, por vontade própria, enquanto era livre. Ele sacrificou Sua felicidade, prosperidade, posição, conforto e segurança, e enfrentou a animosidade dos poderosos. Ele se recusou a ceder ou a se comprometer. Ele renunciou ao ego, que é o mais difícil de se eliminar. Honre-O por isso. Voluntariamente, Ele desistiu dos desejos com os quais o corpo atormenta o homem. Esse é um grande sacrifício. A celebração do Seu aniversário deve ser marcada pelo seu sacrifício de, ao menos, um ou dois desejos, assim como pela conquista dos impulsos mais desastrosos do ego.” (Discurso Divino, 24 de dezembro de 1972)

Sathya Sai Baba

24 de dezembro de 2018

“O que as pessoas devem obter, nos dias de hoje? A expansão do coração para que possa ser preenchido com amor infinito. Somente então, o sentimento de unidade espiritual de toda humanidade poderá ser experimentado. Desse sentimento de unidade, nascerá o amor de Deus. Esse amor, que é ilimitado, indescritível e eterno, produzirá a felicidade genuína no coração.  O amor é a fonte de todas as formas de felicidade. Um coração sem amor é como terra estéril. Nutra o amor no seu coração e resgate a sua vida. Seja qual for sua bolsa de estudos ou riquezas, essas não têm valor se não tiver amor. Sem devoção, as outras realizações são inúteis para tornar-se consciente de Deus. Os homens aspiram pela liberação. A verdadeira liberação significa libertar-se dos desejos. Atualmente, as pessoas não podem ir a florestas para penitências, para meditar ou para outras práticas espirituais.  O caminho espiritual mais fácil para todas as pessoas é dedicar todas as suas ações a Deus.” (Discurso Divino, 25 de dezembro de 1994)

Sathya Sai Baba

25 de dezembro de 2018

“Havia um enorme halo de esplendor iluminando o céu sobre a vila, quando Cristo nasceu. Isso significou que Ele, que deveria superar a escuridão da maldade e da ignorância, nasceu e que Ele espalharia a Luz do Amor nos corações dos homens e mulheres. Quando você celebrar o nascimento do Cristo, tome a decisão de conduzir sua vida prestando serviço amoroso aos vulneráveis, desamparados, aflitos e desolados. Cultive tolerância, indulgência, caridade e generosidade. Agarre-se aos ideais que Jesus ensinou e coloque-os em prática em sua vida, diariamente.  No entanto, o modo como o Natal é celebrado atualmente revela o quanto as pessoas se afastaram desses nobres ideais!  O horário da meia-noite é reverenciado, a iluminação é organizada, a árvore de Natal é montada, mas então, você passa o restante da noite se preenchendo com a Bem-aventurança Divina? Purifique seu coração, realize atividades sagradas e seja amoroso com todos. Essa é a melhor maneira de celebrar o Natal.” (Discurso Divino, 24 de dezembro de 1972)

Sathya Sai Baba

26 de dezembro de 2018

“Encarnações do Amor Divino! Quando a mente está voltada para as coisas do mundo, isso se chama Anuraga (afeição ou apego) e quando está voltada para Deus, se chama Prema (Amor ou devoção).  O Amor é o fruto do amor. O Amor é comparável somente com o amor. O amor só pode oferecer amor. O Amor não pode ser descrito em uma poesia. Ele não pode ser provado pela mente, nem pela palavra falada. Por isso, os Vedas declaram que o amor puro transcende a mente e a fala. O Amor é inestimável e indescritivelmente precioso. Sua doçura é insuperável. As escrituras descrevem Amrit (néctar) como indescritivelmente doce. No entanto, o amor é muito mais doce que o néctar. O Amor pode ser obtido somente por meio do amor. O Amor é um diamante precioso, que só pode ser obtido no reino do amor, em nenhum outro lugar. O reino do Amor está localizado em um coração repleto de amor.” (Discurso Divino, 02 de setembro de 1991)   

Sathya Sai Baba

27 de dezembro de 2018

“Todos têm fé no poder do amor. Quando as pessoas perguntarem: ‘Como podemos desenvolver amor por Deus?’. A resposta será: ‘Só há uma maneira: colocar em prática o amor no qual você tem fé e, então, o amor crescerá’. Por você não praticar aquilo que prega, a sua fé enfraquece. Uma planta crescerá somente se for molhada regularmente. Quando você plantar a semente do amor, poderá fazê-la crescer somente se regá-la com amor todos os dias. A árvore do amor crescerá e produzirá os frutos do amor. Hoje em dia, homens e mulheres não realizam essas ações que promovem o amor. Quando desejar desenvolver amor por Deus, você deve praticar a devoção amorosa pelo Senhor, permanentemente. A devoção deve fluir do coração, como era o caso das Gopikas. Muito do que se pratica, como sendo devoção, é artificial. Desenvolva pura e sincera devoção, e santifique sua vida.” (Discurso Divino 02 de setembro de 1991)

Sathya Sai Baba

28 de dezembro de 2018

“A Natureza ao nosso redor, e em nós, é a vestimenta de Deus. Temos evidências de Sua beleza, bondade, sabedoria e poder por toda nossa volta, para todos os lados que os olhos se virem. No entanto, a arte de reconhecê-Lo não é familiar para nós, e assim, O negamos e vivemos na escuridão. À nossa volta, temos as músicas que emanam de todas as estações de radiodifusão do mundo, porém, elas não invadem nossos ouvidos em momento algum. Contudo, se tiver um receptor e sintonizá-lo na correta frequência de onda, você ouvirá a transmissão! Se errar na sintonização correta, você terá ruídos incômodos ao invés de notícias! Assim também, o Divino está em toda parte: acima, ao redor, abaixo, ao lado, perto tanto quanto longe. Para conhecê-Lo, você não precisa de uma máquina (yantra), mas de uma fórmula mística (mantra). A meditação (Dhyana) é a fixação da localização exata da frequência da estação, o amor é a sintonização correta, e tornar-se consciente da realidade e da bem-aventurança que ele confere é a escuta sem ruído e feliz!” (Discurso Divino, 01 de janeiro de 1971)

Sathya Sai Baba

29 de dezembro de 2018

“Personificações do Divino! Não desperdicem seus dias tentando alcançar a abundância com bens materiais, que, muitas vezes, são impedimentos na jornada da vida. O dinheiro vem e vai. A moralidade vem e cresce! O dinheiro não é a verdadeira riqueza, pois ele perde valor, infla o ego e endurece o coração. Se você não permitir que o dinheiro circule, destruirá sua saúde, tão certo quanto o sangue contaminado o fará! Não entenda isso de maneira equivocada, pois falo da plenitude do Meu amor por vocês! As conquistas mundanas desenvolvem o egoísmo e causam o afastamento entre as pessoas! Seu coração se contrai e sua esfera de consciência do Divino encolhe! Amor é expansão e expansão é Vida Divina. Deus só pode ser compreendido por meio do amor. Sem amor, seu coração é um deserto. Deus não residirá nele. Semeie o Amor puro. Ele desabrochará como compaixão e tolerância, e produzirá o fruto da paz eterna (shanti).” (Discurso Divino, 25 de dezembro de 1970)

Sathya Sai Baba

30 de dezembro de 2018

“Você não nasceu nesse mundo para desfilar em um palco por um tempo, comer e festejar. Você veio ao mundo para que possa se regozijar na presença de Deus, por meio da prática e do cultivo do amor.  Se você negar a Deus repetidamente, estará secando as raízes do amor no seu coração. A terra é um grande empreendimento, uma fábrica ativa, onde o produto é o amor. Por meio do Sadhana (prática espiritual), torna-se possível produzir amor e exportá-lo a milhões e milhões de pessoas que o necessitam. Quanto mais ele for compartilhado, mais vasto se tornará. Quanto mais doce ele se tornar, maior será a felicidade. Uma pessoa pode se aproximar de Deus e permanecer em Sua presença por meio do amor, pois Deus é amor, e quando uma pessoa vive em amor, vive em Deus e com Ele.” (Discurso Divino, 01 de janeiro de 1971)

Sathya Sai Baba

31 de dezembro de 2018

“Sob quaisquer e todas as circunstâncias, se certifique de que seus sentimentos e ações sejam puros, nobres e ideais. Permita que todas as suas ações sejam para o bem maior de todos. Seu coração é o centro dos sentimentos sagrados. Ele está preenchido com compaixão.  É a compaixão que dá origem a sentimentos sagrados. Você deve desenvolver compaixão, espalhar a luz do amor e cultivar sentimentos Divinos. Sem agir dessa maneira, como esperar que o tempo lhe conceda felicidade? Se você almeja bons resultados, deve cultivar sentimentos virtuosos. Com pureza de coração, mente firme e ações altruístas, você poderá se tornar o receptáculo da graça Divina, que removerá qualquer quantidade de sofrimento em instantes. Por isso, sempre escolha e desenvolva tais atividades, que irão conferir a você a graça Divina, que por sua vez, lhe abençoará com paz e felicidade!” (Discurso Divino, 01 de janeiro de 2001)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.