Pensamento para o dia - dezembro 2016

 

1° de dezembro de 2016

“O coração humano é muito delicado quando é jovem. Ele responde à dor e ao sofrimento em seus semelhantes. É o exemplo dos anciãos, as lições que recebem dos pais, da companhia que aceitam e do treinamento que recebem na escola e na sociedade que endurecem esses corações até pedra! Mantenha tais corações delicados. Compartilhe com os outros sua dor e sua alegria. Não seja ciumento quando os outros são mais felizes ou mais apreciados ou recompensados com prêmios. Siga sua natureza trabalhadora, ore por mais inteligência ou uma memória mais nítida, mas nunca dê lugar à inveja e à malícia em seu coração. A inveja é um veneno mortal que irá contaminar seu caráter, arruinar sua saúde e roubar-lhe a paz. Como uma praga que destrói culturas em crescimento, a inveja entra sorrateiramente e se espalha rapidamente, causando danos galopantes. Assim, mesmo em pequenas questões, esteja vigilante para garantir que você não caia presa da inveja. Não se afete pela inveja (Anasuya) e você poderá agradar a Deus.” (Discurso Divino, 18 de abril de 1966)

Sathya Sai Baba

2 de dezembro de 2016

“Uma pessoa é julgada pelas ações. As boas ações revelam uma pessoa boa e as más ações revelam uma pessoa perversa. Suas qualidades e ações são interdependentes, pois as ações revelam suas qualidades interiores e suas qualidades interiores impulsionam suas ações. Esforce-se para se reformar, desenvolvendo boas qualidades. Simplesmente ouvir discursos espirituais ou viver em lugares sagrados ou em companhia sagrada é inútil, a menos que um esforço seja feito para praticar alguns dos nobres ensinamentos. Qualidades como tolerância (kshama), compaixão, verdade, amor e empatia não estão restritas a qualquer nação, raça ou fé. Estas são qualidades espirituais e são essenciais para as pessoas em todos os lugares, em todos os momentos. Propagação da Retidão (Dharma) não significa propagar o conhecimento sobre algo que é desconhecido. O conhecimento do Dharma é adquirido apenas para promover sua prática e somente aqueles que praticam a retidão estão qualificados a propagá-la. Somente praticando na vida diária é que você aprende sua verdadeira natureza e realiza seu completo valor.” (Discurso Divino, 7 de janeiro de 1988)

Sathya Sai Baba

3 de dezembro de 2016

“É dever primordial de todos transformar cada atividade de sua vida em força e beleza. Infelizmente, o sistema educacional de hoje não consegue nutrir as qualidades de salubridade, unidade e amor, que são as características da verdadeira educação. Todos vocês devem perceber que sua vida está se derretendo rapidamente como gelo, se vocês se importam em melhorar a si mesmos ou não. Muitas pessoas sentem que a aquisição de comida, roupas, abrigo, riqueza, conveniências e confortos constituem o próprio propósito da vida. A vida continua sendo uma tragédia enquanto as pessoas trabalham sob essa ilusão. Muitos são cegos para a meta da vida, alguns nem sequer sentem a dor de ser ignorante sobre isso. Apenas um em um milhão se esforça para realizá-la. Este esforço é o trampolim para a realização do propósito da vida. No dia em que se realiza o propósito da vida, ela passa por uma transformação total, da agonia (vedana) à liberdade da dor (nirvedana).” (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1996, Capítulo 1)

Sathya Sai Baba

4 de dezembro de 2016

“Entre as qualidades que são necessárias para realizar sua Divindade, a mais importante é ‘Kshama’, tolerância ou perdão. É essencial para todo ser humano. É suprema entre as virtudes. A tolerância é verdade, retidão, compaixão e não-violência; Kshama compreende todas as outras qualidades. A pureza da mente deve ser praticada para adquirir Kshama. A pureza da mente requer a eliminação total dos apegos e aversões da mente. Ódio e inveja não devem ter lugar. Hoje as pessoas não podem suportar ver os outros felizes ou prósperos; este é o sinal de uma mente poluída. Para ser verdadeiramente humano, você deve ter uma mente pura e imaculada. Você deve cultivar um grande coração para retribuir o mal com o bem e não causar dor a ninguém em qualquer circunstância. Esta é a marca de uma mente pura. Reconheça que a mesma Divindade - o mesmo Espírito puro que habita em você e o Poder que o anima - está igualmente presente em todo ser humano.” (Discurso Divino, 07 de janeiro de 1988)

Sathya Sai Baba

5 de dezembro de 2016

“A cultura consiste em ver a unidade na diversidade, com uma profunda fé na unidade da vida. Nutra a fé no sentimento da casta da humanidade e da cultura do amor. Aqui o amor não se refere ao afeto corporal que marca a relação entre esposa e marido, entre filhos e pais ou entre amigos. O filho, embora amasse a sua mãe com todo o seu coração, joga o seu corpo sobre a pira ardente e a envia às chamas sem qualquer misericórdia depois da sua morte. Como esse amor pode ser chamado Amor verdadeiro? Todos esses relacionamentos podem, na melhor das hipóteses, serem chamados de "apegos"! Apegos, como nuvens passageiras que navegam ao longe, vêm do nada e desaparecem do nada. Mas o Amor existia mesmo antes do nascimento e durará após a morte. Não há amor entre marido e mulher antes de seu casamento ou entre a mãe e o filho antes de seu nascimento. Somente o Amor Divino existe antes do nascimento e dura após a morte.” (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1996, capítulo 1)

Sathya Sai Baba

6 de dezembro de 2016

“Para desenvolver kshama (paciência), você deve praticar quatro tipos de pureza - 1. Dravya Soucham (pureza material); 2. Manasika Soucham (pureza da mente); 3. Vak Soucham (pureza na fala); 4. Kriya Soucham (pureza na ação ou pureza do corpo). A pureza material abrange todas as coisas usadas por uma pessoa, desde roupas, alimentos, utensílios de cozinha, até casas e todas as coisas variadas usadas por uma pessoa. Tudo o que está em uso diário deve estar completamente puro. A pureza da mente exige a eliminação total dos apegos e aversões da mente. Pureza na fala implica em evitar falsidade e linguagem abusiva, fofocas caluniosas e fala que causam dor aos outros. Uma língua vil suja a mente e desumaniza o homem. O corpo deve ser purificado executando Achamana com água (este ritual envolve pronunciar os nomes do Senhor três vezes e beber três colheradas de água da palma da mão)”. (Discurso Divino, 07 de janeiro de 1988)

Sathya Sai Baba

7 de dezembro de 2016

“A cultura é universal em seu alcance e significado. Não devemos afirmar e defender que a cultura indiana é superior a todas as outras culturas do mundo. Em vez disso, devemos ter fé firme nas determinações como: a) "Todos são um. Seja igual a todos." b) "Juntos viveremos. Juntos vamos nos mudar. Juntos, cresceremos em esplendor. Juntos, viveremos em amizade e harmonia, sem conflitos e escaramuças." Devemos fomentar os nobres sentimentos expressos em declarações védicas desse tipo. Infelizmente, as instituições educacionais de hoje não nutrem esses nobres sentimentos nos alunos. Eles são puramente orientados academicamente e desconsideram os valores mais finos da vida. Aprendizagem secular deve ser acompanhada de espiritualidade. É somente uma mistura tão harmoniosa do secular e do espiritual que confere beleza e brilho à vida. Não devemos aprender apenas para preencher nossas barrigas, mas também para preencher nossos corações de bem-aventurança. O alimento ingerido preenche apenas o estômago, mas não preenche a mente, mas o alimento espiritual preenche a mente e confere bem-aventurança eterna.” (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1996, capítulo 1)

Sathya Sai Baba

8 de dezembro de 2016

“Sua vida deve ser marcada por disciplina e moralidade, onde quer que você viva. Conduza sua vida em consonância com o comando de sua consciência. Suas ações devem permanecer as mesmas, observadas ou não observadas, notadas ou despercebidas. Embora seja difícil conter sua mente, ela pode ser desviada. Quando a mente mergulhada no mundo secular é desviada para a Divindade, ela ganha força moral. A mente mergulhada nos assuntos mundanos faz de você um prisioneiro do mundo, enquanto uma mente mergulhada em Deus o liberta. Seu coração é a fechadura e sua mente é a chave. Quando você vira a chave para a esquerda, ela tranca. Mas se você virar para a direita, ela abre. É o giro da chave que faz a diferença. Portanto, sua mente é a causa de sua libertação e escravidão. O que então é libertação (moksha)? Não é uma mansão com ar-condicionado, mas um estado desprovido de ilusão (moha).” (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis 1996, Capítulo 1)

Sathya Sai Baba

9 de dezembro de 2016

“Um jogo de futebol é jogado por duas equipes, com cada equipe se esforçando para marcar um gol, atirando a bola entre as traves do gol. A vida também é um jogo entre os dois gols de educação secular e espiritual. Enquanto se joga futebol, chuta-se a bola desde que ela esteja cheia de ar. Uma vez que a bola murcha, ninguém vai chutá-la. O ar na bola significa a presença de ego. Uma pessoa influenciada pelo ego terá de receber golpes até ficar desprovida de ego. Apenas uma bola murcha é pega com as mãos, enquanto uma bola cheia é chutada sem piedade. Da mesma forma, uma pessoa que destruiu o ego é bem respeitada, ao passo que a pessoa que permite a livre influência do ego torna-se o alvo de todos os tipos de ataques. Somente quando você está livre de ego é que pode transformar-se em uma pessoa ideal. As coisas seculares vêm e vão, enquanto os ganhos espirituais permanecem para sempre.” (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis 1996, Capítulo 1)

Sathya Sai Baba

10 de dezembro de 2016

“Dharma (retidão) não é uma palavra casual para ser tratada de forma leviana. Repetir frases frequentemente citadas tais como "Retidão é o que sustenta" (Dharayateeti Dharmaha) ou “Retidão protege seus protetores” (Dharmo Rakshati Rakshitaha) é uma prática muito comum, mas não é suficiente. O que é necessário é a prática da Retidão. Somente a conduta correta constitui o Dharma. A pessoa que leva uma vida justa á fadada a encontrar a paz. Quem quer que entre em cidades e aldeias para propagar a retidão deve lembrar e praticar estas quatro injunções importantes: "Não cause mal a ninguém", "Não abuse de ninguém", "Realize seus deveres com devoção amorosa" e "Torne seu coração puro". Embora a maioria de nossas ações esteja relacionada a preocupações mundanas, a realização do Divino é a meta. A única maneira de santificar todas as nossas ações ao conduzir a nossa vida diária é fazer cada ato como um ato de adoração, como uma oferenda ao Divino. Assim, toda a sua vida será transformada em uma existência sagrada.” (Discurso Divino, 7 de janeiro de 1988)

Sathya Sai Baba

11 de dezembro de 2016

“Assim como o corpo humano entrará em colapso sem a coluna vertebral, a vida humana também afundará sem moralidade e espiritualidade. Sua coluna vertebral é feita de trinta e três vertebras e suporta todo o corpo humano. Da mesma forma, princípios morais e espirituais constituem as próprias vertebras da espinha dorsal da vida humana. O que é imortalidade? A remoção da imoralidade é imortalidade. A vida humana, que é mortal, está fadada a perecer algum dia. Portanto, devemos lutar pela moral, que é imperecível. Este esplendor moral é a necessidade do momento. Meu desejo sincero é que a juventude cultive o esplendor moral e lute pelo bem-estar e elevação do país, especialmente quando o egoísmo e o interesse próprio são tão galopantes. Os estudantes e os jovens devem demonstrar grande interesse pelos princípios morais e espirituais do Ramayana e beneficiar-se plenamente deles. Os anciãos também devem moldar suas vidas em consonância com a moralidade e a espiritualidade.” (Chuvas de Verão, 1996, capítulo 1)

Sathya Sai Baba

12 de dezembro de 2016

“Lembre-se, se você orar a Deus com um coração puro, Deus usará alguém para responder a sua oração. Na verdade, é mesquinhez fazer perguntas como: "Onde está Deus", "Como Ele vai me ajudar?", e assim por diante. Ao levantar tais perguntas inapropriadas, nossa fé apenas se debilita. Essa é a razão pela qual o grande sábio Sri Ramakrishna Paramahamsa disse: "Se você quiser orar a Deus com sinceridade, você deve ser como uma criança inocente." O Senhor Jesus também deu a mesma mensagem. Ele costumava dizer: "Mesmo que eu seja como uma criança por um breve momento do dia, quão puro Eu posso ser!" É tal inocência e pureza que devemos possuir em nossos corações. Não há utilidade em pregar aos outros, se seus próprios pensamentos e conduta não mudarem. Envolva-se em Sadhana para limpar seu coração e mente, para que possa preenchê-los com pensamentos puros e sentimentos amorosos.” (Discurso Divino, 07 de janeiro de 1988)

Sathya Sai Baba

13 de dezembro de 2016

“Um verdadeiro ser humano é aquele que segue e pratica o princípio da retidão (dharma). Queimar é a natureza (dharma) do fogo. Frio é o dharma do gelo. O fogo não é fogo sem queimar. O gelo não é gelo sem esfriar. Da mesma forma, o dharma de um ser humano reside em realizar ações com o corpo e seguir os comandos do coração. Todo ato realizado com pensamento, palavra e ação em harmonia é um ato de retidão (dharma). Uma vida reta (dhármica) é uma vida divina. Dizemos a palavra dharma sem conhecer sua verdadeira natureza e majestade. Dharma é de vários tipos: dharma de um chefe de família, de um celibatário, de um recluso e de um renunciante. Mas o dharma do coração é o dharma supremo. Este dharma do coração é, na verdade, o dharma da vida também. O Ramayana consagra em si mesmo a própria essência do dharma do indivíduo, da família e da sociedade. Na verdade, todo ser humano que encarna os ideais de Rama, de certa forma, é o próprio Rama. Por isso, é imperativo por parte de cada indivíduo cultivar os ideais de Rama.” (Chuvas de Verão, 1996, Capítulo 2)

Sathya Sai Baba

14 de dezembro de 2016

“Um indivíduo, de acordo com antigas escrituras, não é meramente uma coleção coordenada de membros, sentidos e sensações. Ele é tudo isso e é governado pela inteligência, que é aguçada pelos modos e memórias obtidos através de muitos nascimentos. Essa inteligência em si é um instrumento com uma gama limitada de eficiência; há muitos objetivos que ele não pode alcançar. Esses objetivos preciosos só podem ser alcançados pela descida da Graça e do Poder de cima. A rendição completa do ego a esse Poder Divino lhe conferirá a Graça em recompensa. Vibheeshana foi capaz de se render e assim ele foi imediatamente aceito e recebeu a Graça do Senhor. Sugreeva levou muito mais tempo para chegar a esse estágio, pois sua fé pelo Senhor Rama era obstruída por dúvidas. Ele pensava: "O Senhor Rama tem a habilidade que Ele professa possuir? Ele pode destruir um adversário tão formidável como Vali?" Ele se rendeu apenas quando suas dúvidas foram esclarecidas.” (Discurso Divino, 17 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

15 de dezembro de 2016

“Para obter felicidade e paz, você deve desenvolver uma mente pura e imaculada, livre do egoísmo e de seus descendentes: luxúria, ganância, raiva, ódio, inveja e os demais. Para isso, você deve procurar companhia nobre (satsanga), realizar boas ações (satkarma), entreter apenas bons pensamentos (sat alochana) e ler somente livros nobres e que elevam (sat granthas). Você pode ver mil coisas boas ou ouvir mil discursos inspiradores ou ler milhares de bons livros, mas a menos que você ponha em prática pelo menos um de seus ensinamentos, as manchas no espelho de seu coração não serão removidas! O Senhor não pode ser refletido se o espelho do coração não estiver limpo. Lembre-se, você é apenas uma onda do mar. Saiba disso e você estará livre. A prática constante com plena fé transmutará um humano (Nara) em Deus (Narayana), pois a Divindade é a sua verdadeira natureza, a sua verdadeira essência!” (Discurso Divino, 17 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

16 de dezembro de 2016

“A cultura da Índia busca se estabelecer por meio das mães e das crianças em seus colos. As mulheres têm sido suas guardiãs e promotoras; os homens têm um papel secundário. E entre as mulheres, as meninas que serão mulheres líderes no futuro, devem entender e praticar esta cultura, para que ela possa ser preservada e florescer. O desejo de adquirir educação é agora muito evidente entre as filhas da nação e, portanto, grande esperança pode ser colocada sobre elas neste campo de reconstrução. A educação deve ser para a vida, não para viver. As mulheres da história indiana provaram ao longo dos séculos que têm a coragem, a visão e a inteligência necessárias para mergulhar nas profundezas da ciência espiritual e da disciplina. Meera, Aandal, Maitreyi, Gargi, Sulabha, Choodala e Mahadevi são exemplos genuínos de poderosas heroínas que empreenderam a aventura espiritual da realização de Deus.” (Discurso Divino, 26 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

17 de dezembro de 2016

“Um ser humano não é apenas uma criatura com mãos, pés, olhos, ouvidos, cabeça e tronco. Ele é muito mais do que o total de todos esses órgãos e partes. Estes são apenas como a imagem bruta que sai do molde. Mais tarde, eles devem ser moídos, raspados, polidos, aperfeiçoados, suavizados e amaciados através dos impulsos mais elevados do intelecto e das intenções puras e ideais. Então, a pessoa se torna o candidato ideal para a Divindade, que é o verdadeiro destino de alguém. Os impulsos serão purificados e as intenções serão elevadas ao nível superior se e quando se decidir dedicar todos os atos, palavras e pensamentos ao Senhor. Para isso, a fé em Uma Inteligência Suprema, que concebeu, conserva e consome este Universo, é essencial. O próximo passo é ser convencido de sua própria impotência e angústia em sua própria dor. Então, a rendição a essa Inteligência é conseguida facilmente.” (Discurso Divino, 17 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

18 de dezembro de 2016

“Muitas mulheres instruídas estão convertendo suas casas em um hotel, com cozinheiro, jardineiro e empregadas domésticas, que geram desordem na casa! Ela se transforma em uma boneca cintilante, entrando e saindo dos quartos e muitas vezes em uma pedra de moinho em volta do pescoço do marido, a quem ela conduz passando por cima dos Senhores, gerando confusão para estes. Ocupa-se em gastar o dinheiro, comprando coisas extravagantes e perde tempo ocioso em preguiçoso descanso e se automedicando por doença imaginária. Cuidado! As mães devem cuidar de seus filhos durante seus primeiros anos; se a criança for entregue aos servos, eles aprenderão seus hábitos de vida e de fala, e só chorarão quando eles morrerem, não quando a mãe morrer! Pois, a criança começa a amar a empregada mais do que a mãe que cuida deles! A mãe deve preparar os alimentos em casa; alimentos preparados com amor e servidos com um sorriso são muito mais saudáveis e fortalecidos do que os alimentos adquiridos em outro lugar!” (Discurso Divino, 26 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

19 de dezembro de 2016

"Não é suficiente ter o orçamento doméstico equilibrado. Você também deve aprender a arte para ter uma visão equilibrada sobre a vida, que não deve ser afetada por triunfos e problemas, ganhos ou perdas, vitória ou derrota. Esse equilíbrio só pode ser obtido pela confiança e fé no Deus que habita em nós. Você deve aprender a evitar o ódio, a malícia, a ganância, a raiva, a ansiedade, o orgulho e outros obstáculos que aparecem no caminho de sua paz interior. A educação deve torná-lo um monarca de seus talentos e de suas ferramentas para adquirir conhecimento. O olho, a orelha, a língua, etc. são como cavalos selvagens que não têm nenhum freio entre os dentes. Aprenda a arte da meditação (dhyana) através da qual os sentidos podem ser controlados e a vontade dirigida para dentro para o domínio de sentimentos e emoções. Você deve colocar sua atenção em uma disciplina - controle de seus sentidos; se você lhes dá a rédea livre, arrastá-los-ão para a calamidade." (Divino Discurso, 26 de Julho de 1969)

Sathya Sai Baba

20 de dezembro de 2016

“Desejos que se apegam à mente são as manchas que maculam a consciência interior. Controlem seus sentidos; não cedam às suas insistentes exigências de satisfação. Quando um cadáver é colocado em uma pira, e o fogo é aceso, tanto o cadáver quanto a pira são reduzidos a cinzas. Assim também, quando os sentidos são negados, a mente também desaparece. Quando a mente desaparece, a ilusão morre e a liberação é alcançada. A fé em Deus é o melhor reforço para a vitória espiritual. Quando você se deleita com a contemplação do esplendor do Senhor, nada material pode atraí-lo. Todo o resto parecerá inferior; apenas a companhia dos piedosos e humildes será apreciada. Quando você age com fé e entrega, a graça flui através de você em cada ato seu. Então eles não serão mais seus, eles serão Dele, e você não terá mais nenhuma preocupação com as conseqüências destes atos. Todas as palavras, pensamentos e ações que emanam de você serão saturados com amor e o ajudarão a ter paz.” (Discurso Divino, 17 de Março de 1966)

Sathya Sai Baba

21 de dezembro de 2016

“O centro de cada casa deve ser a sala do santuário; a fragrância de flor e incenso que emana de lá deve permear o lar e purificá-lo. A mãe deve dar o exemplo em fazer do santuário o coração da casa. Ela deve impor aos filhos a disciplina em limpeza pessoal, em humildade e hospitalidade, em boas maneiras e atos de serviço. Ela deve persuadir os filhos por meio de exemplo e preceito a reverenciar os anciãos e atribuir algum tempo, tanto na manhã como durante a noite para oração e meditação silenciosa. A sala do santuário deve estar limpa e consagrada; dias festivos especiais devem ser observados, de modo que seu significado possa impressionar as mentes jovens. Por mais egocêntrico e arrogante que seja o marido, por meio da regulação sistemática do horário doméstico, com a adoração de Deus como seu ponto focal, logo ele perceberá como uma casa centrada em Deus é um lar de paz e alegria. Ele também seguirá em breve e será um pilar da fé.” (Discurso Divino, 26 de julho de 1969)

Sathya Sai Baba

22 de dezembro de 2016

“De que serve uma montanha de conhecimento livresco se você não pode assegurar a verdadeira felicidade como um ser humano? Não cuidará Deus de alguém que coloca fé no Divino? O que se consegue com preocupação incessante em ganhar a vida, esquecendo-se do Senhor que permeia tudo? Todo mundo clama por paz dizendo: "Eu quero paz". Mas a paz pode ser encontrada no mundo externo, que só é preenchido com pedaços? A paz deve ser encontrada dentro de si mesmo ao se livrar do "eu" e do desejo. A paz está sendo destruída pelo ego e pelos desejos insaciáveis. Restrinja seus desejos. Você deve reduzir desejos e cultivar vairagya (desapego) para que você possa ter verdadeira paz de espírito. O homem é assombrado por intermináveis preocupações de muitos tipos. Somente voltando a mente para Deus, alguém pode se livrar das preocupações. Enquanto o Senhor está sempre ao lado do homem, ele está procurando por Deus em todo o mundo. Ao explorar o externo, você nunca pode purificar o interno.” (Discurso Divino, 25 de dezembro de 1989)

Sathya Sai Baba

23 de dezembro de 2016

“Jesus ensinou que Deus é Amor. Em vez de reconhecer essa verdade básica, as pessoas estão permitindo que o ódio, a inveja e outras características malignas poluam seu amor. Você é dotado com a qualidade do amor, não para expressá-lo para fins egoístas, mas para dirigi-lo para Deus. Jesus declarou claramente que não havia nada de grandioso em devolver o bem pelo bem. Você deve fazer o bem mesmo àqueles que o prejudicam. O amor é o meio de desenvolver a devoção e alcançar a libertação, além de outras coisas. Somente o amor de Deus é amor verdadeiro. O caminho nobre para o homem é perceber a divindade internamente e em todos. Onde há fé, há Amor; onde há Amor, há Paz; onde há Paz, há Verdade; onde há a Verdade, há Bem-aventurança; onde há Bem-aventurança, há Deus. Portanto, a fé precisa ser fortalecida.” (Discurso Divino, 25 de dezembro de 1988)

Sathya Sai Baba

24 de dezembro de 2016

“Dois mil anos atrás, quando o orgulho estreito e a ignorância abundante contaminavam a humanidade, Jesus veio como a encarnação do Amor e compaixão e viveu entre os homens, mantendo os ideais mais elevados da vida. Você deve prestar atenção às lições que Ele elaborou ao longo de Sua vida. 'Eu sou o Mensageiro de Deus,' Ele declarou primeiro. Sim. Todos também devem aceitar esse papel de mensageiro e viver como exemplos do Amor Divino e da Caridade. Jesus sabia que tudo é desejo de Deus. Assim, mesmo na cruz, quando Ele sofria em agonia, Ele não teve má vontade por ninguém e Ele exortou aqueles a, como Ele, tratarem todos como instrumentos da Vontade de Deus. "Todos são um, seja igual a todos" - pratique esta atitude em sua vida diária. Ao celebrar o Natal, traga à mente as palavras que Ele proferiu, o conselho que Ele ofereceu, a advertência que Ele deu e decida dirigir sua vida diária pelo caminho que Ele estabeleceu. Suas palavras devem ser impressas em seu coração e você deve resolver praticar tudo o que Ele ensinou.” (Discurso Divino, 24 de dezembro de 1980)

Sathya Sai Baba

25 de dezembro de 2016

“Quando Jesus nasceu numa manjedoura, três reis foram conduzidos por uma estrela para o Seu lugar de nascimento. Um deles, vendo o menino Jesus observou: "Este menino amará a Deus". O segundo disse: "Não, Deus o amará". O terceiro disse: "Verdadeiramente, Ele é o próprio Deus". O verdadeiro significado dessas três afirmações é: "Amar a Deus é ser Seu Mensageiro, ser amado por Deus é ser filho de Deus. O estado final é ser um com Deus." E Jesus disse: "Eu e meu Pai somos um. "Essas três afirmações são aplicáveis a todos. Entenda que você também é um mensageiro de Deus. Quando você pode se dar ao luxo de se chamar “filho de Deus”? Deus faz apenas ações puras, desinteressadamente para o bem de todos, sem qualquer traço de interesse próprio Nele. Para se tornar um mensageiro e filho de Deus, e alcançar a unidade com Ele, manifeste as qualidades do Pai e divinize-se.” (Discurso Divino, 25 de dezembro de 1994)

Sathya Sai Baba

26 de dezembro de 2016

“O que as pessoas deveriam adquirir hoje? É o alargamento do coração para que possa ser preenchido com amor abrangente. Somente então o sentido da unicidade espiritual de toda a humanidade pode ser experimentado. Desse sentido de unidade nascerá o amor por Deus. Este amor gerará bem-aventurança pura no coração que é ilimitado, indescritível e eterno. Para todas as formas de bem-aventurança, o amor é a fonte. Um coração sem amor é como uma terra estéril. Fomente o amor em seu coração e redima sua vida. Seja qual for sua escolaridade ou riqueza, elas não têm valor sem amor. Sem devoção, todas as outras realizações são inúteis para perceber Deus. As pessoas aspiram libertação. A verdadeira libertação é a liberdade dos desejos. Hoje não se pode ir às florestas para penitência ou se envolver em meditação e outros exercícios espirituais. O caminho espiritual mais fácil é dedicar todas as ações a Deus.” (Discurso Divino, 25 de dezembro de 1994)

Sathya Sai Baba

27 de dezembro de 2016

“Como uma lâmpada acesa, a graça de Deus se espalha ao redor de todos os que se aproximam Dele e gostam de estar perto Dele; mas se você interpor uma sombra que impede a chegada da luz a você, somente você tem culpa se a graça não brilhar. Abra as portas do seu coração, para que o Sol possa brilhar, desinfete os vícios e ilumine os cantos. Você deve, ao menos, iniciar esse pequeno esforço. O Sol não abrirá suas portas e entrará. Para ouvir o programa correto e desfrutar, você deve ligar e sintonizar o rádio. Esse esforço não pode ser dispensado. Acredite, lute, tenha sucesso - esta é a essência das escrituras. Deus é imanente no Universo. Ele é o núcleo de cada ser, como a manteiga está em cada gota do leite. Você pode vê-Lo, desde que você coalhe este Universo com viveka (discernimento), agite-o com vairagya (desapego) e recolha-o com sraddha (sinceridade).” (Discurso Divino, 23 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

28 de dezembro de 2016

“A mensagem mais valiosa que as escrituras transmitem é a seguinte: conduza seus deveres legítimos, cumpra suas obrigações e viva de acordo com seus direitos; mas não permita ao apego crescer. Seja como um administrador em se tratando de família, riqueza, reputação, conhecimento e habilidades relacionadas. Abandone-os de bom grado, quando o chamado da morte vier. A morte é imaginada por alguns como um Deus que golpeia o terror e monta um búfalo-monstro e que ataca com um laço (o Senhor Yama nas escrituras indianas). Não, o laço é de sua própria fabricação. Ele não ataca; Ele dá aviso prévio de sua chegada para levá-lo - na forma de insinuações como cabelos grisalhos, dentes caindo, visão falha, surdez, rugas, etc. Ele não monta qualquer animal; Ele é apenas outro nome para o Tempo. É o Tempo que rasteja firmemente em sua direção e corta a corda da vida. Portanto, use sua capacidade de ação (karma) com a qual você é dotado para libertar-se das garras do Tempo.” (Discurso Divino, 23 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

29 de dezembro de 2016

“Riqueza (Artha) é um dos Purusharthas ou objetivos legítimos do esforço humano. Os quatro purusharthas são Dharma, Artha, Kama e Moksha. Eles foram listados assim, nessa ordem de propósito. A retidão (Dharma) deve dirigir e controlar o processo de conseguir riqueza (Artha) e a libertação (Moksha) é o fator regulador do desejo (Kama). Toda a riqueza proveniente de fontes maculadas pela iniquidade (Adharma) deve ser tratada com desprezo e é indigna para você. Todos os desejos que não servem à única necessidade suprema de libertação devem ser desprezados por serem inferiores à sua dignidade. Assim, a base espiritual, Dharma e Moksha, deve ser a raiz de Artha e Kama. Sem essa ordem, lucrar se degenera em pilhagem; desejo se degenera em morte.” (Discurso Divino, 14 de julho de 1966)

Sathya Sai Baba

30 de dezembro de 2016

“O Amor Divino é a única panaceia para todos os seus problemas e misérias decorrentes de desejos insaciáveis e ambições frustradas. Se você está realmente cheio de devoção, manifeste seu amor por Deus, que é a encarnação do amor. Se você está verdadeiramente faminto e sedento de Deus, compartilhe o amor Divino para apaziguar sua fome e saciar sua sede. O amor de Deus é como um farol. Ele mostra o caminho certo. Desvie o barco de sua vida para o farol do Amor Divino. Você estará então fadado a alcançar a costa da bem-aventurança. Você não precisa fazer nenhum tipo especial de ascetismo. Preencha sua mente com amor. Ao atender suas tarefas diárias, considere todas elas como oferendas ao Divino. Deus é onipresente. Veja Deus em tudo e em cada ser. Que o amor inabalável seja consagrado em seu coração. Como Tukaram disse: "Dil me Ram, hath me kam" (Rama em seu coração e trabalho em suas mãos).” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1996)

Sathya Sai Baba

31 de dezembro de 2016

“As pessoas fazem todos os esforços para acumular riqueza. Um esforço igual é necessário para adquirir a riqueza do amor. Os seres humanos hoje investem seus bens de amor em empreendimentos lamentáveis. Em vez disso, deveriam investir todo o seu amor no divino banco da devoção. Este depósito não é apenas seguro, mas vai render-lhe retornos crescentes em termos de bem-aventurança. Seu coração é o banco onde seu amor por Deus deve ser depositado. Os depósitos em outros lugares são inseguros. Depósitos de dinheiro podem estar em perigo de serem perdidos. Mas o depósito em seu coração é imune a qualquer tipo de roubo ou perda. Torne seu depósito seguro protegendo-o dentro de seu coração. Este amor foi caracterizado como a forma do néctar eterno (amrita-swarupa). Néctar agrada apenas ao paladar. Mas o Amor Divino confere bem-aventurança eterna, que é mais doce que o néctar. Decida por adquirir este amor de néctar.” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1996)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.