Pensamento para o dia - agosto 2021

01 agosto de 2021

Os Vedas nos ensinam que existe o Uno, o soberano por trás de todas as regras e restrições no Universo; o Uno, que é o núcleo de cada objeto, de cada unidade de energia, de cada partícula e átomo; o Uno, sob cujas ordens exclusivas operam os cinco elementos - o éter, o ar, o fogo, a água e a terra. Amem-No, adorem-No, prestem-Lhe culto - isso é o que nos ensinam os Vedas. Esta é a grandiosa filosofia de amor elaborada por eles. O segredo supremo é: as pessoas devem viver no mundo em que nasceram tal como a folha do lótus, que flutua sobre a água onde nasceu sem ser afetada ou molhada por ela. Claro, é bom amar e adorar a Deus para obter frutos valiosos aqui ou no futuro; no entanto, como não há nada mais precioso ou que valha mais a pena que Deus, os Vedas nos aconselham a amá-Lo sem nenhum traço de desejo na mente. Já que devem amar, amem pelo próprio amor; amem a Deus, pois o que quer que Ele possa dar será sempre menos que a Si mesmo; amem somente a Ele, sem nenhum outro desejo ou exigência! (Sathya Sai Vahini, cap. 1)

Sri Sathya Sai Baba

 

02 agosto de 2021

A paz é da mesma natureza do Atma. O Atma é imperecível. Ele não morre, como o corpo e a mente. É universal, é sutil; a sua própria natureza é o conhecimento. Consequentemente, a paz também compartilha dessas características. O conhecimento do Atma (Atma Jñana) destrói a ilusão, a dúvida e a tristeza; portanto confere a paz imperturbável e, com ela, a santidade e a felicidade. O Atma não é o objeto do conhecimento; é a própria fonte e origem do conhecimento. A sabedoria espiritual (jñana) mostra o caminho para o amadurecimento, a fruição, a liberdade, a imortalidade, a felicidade e a paz eternas. Aqueles que são arrastados pelos caprichos dos sentidos não podem alcançar o Atma. Brahman é o Uno, sempre Imutável neste mundo mutável. O Atma não é maculado por transformações, mudanças ou modificações externas. A glorificação do corpo não é o Atma; para falar a verdade, o Atma é indescritível e impossível de ser expressado.  Não é isto nem aquilo; dele se pode dizer apenas que é Ele, o Atma, Brahman! (Prashanti Vahini, Cap. 2)

Sri Sathya Sai Baba

 

03 agosto de 2021

O homem deve conquistar a graça de Deus; quando se assegura essa graça, a alma individual é libertada da identificação com o corpo e pode se identificar com o Atma. Os Vedas se referem a essa consumação como “libertação dos apegos” (bandha-vicchedana) ou “liberação” (moksha). Para lutar contra a tendência à identificação com o corpo e conquistar  a graça de Deus como o único meio de vitória, foram estabelecidos exercícios espirituais, como a investigação filosófica, o controle dos sentidos (dama) e outras práticas componentes da disciplina espiritual sêxtupla. Tais práticas garantirão a purificação da consciência; esta então se tornará um espelho límpido capaz de refletir o objeto e o Atma será claramente revelado. A senda régia para se obter a sabedoria mais elevada (jñana-siddhi) é a purificação da consciência (chitta-shuddhi). Isso é de fácil alcance para os puros de coração. (Sathya Sai Vahini, cap. 1)

Sri Sathya Sai Baba

04 agosto de 2021

A bem-aventurança (ananda) é a natureza inata de todos. Entretanto, é uma pena que a estejam buscando em toda parte, exceto onde ela está disponível. A bem-aventurança não é algo sem vida e inativo; é outro nome para uma vida plena de propósito. A paz é a autoridade sob a qual prevalece a lei da bem-aventurança. A paz estabelece os limites e as regras para todas as atividades. Deve-se torná-la tão estável que não seja afetada pela mente sempre errante nem pelos sentidos voltados para o exterior. Só se pode experimentá-la pessoalmente em um estado natural de sabedoria (jñana). Ela é o tesouro mais precioso. Quem compreende aquilo que é imortal e que não pode ser destruído nem modificado - esse desfruta de paz e não conhece a morte. A paz é um oceano sem limites. É a luz que ilumina o mundo. Possuí-la é possuir tudo. Ela confere conhecimento tanto deste mundo quanto do outro. Conduz à compreensão de Brahman, a verdadeira realização da vida humana! (Prashanti Vahini, cap. 3)

Sri Sathya Sai Baba

05 agosto de 2021

Manifestem o poder sagrado que está dentro de vocês por esforço próprio! Não recorram a fracos estratagemas que consistem em imitar outras pessoas; em vez disso, absorvam as boas qualidades que elas possuem. Quando plantamos uma semente no solo e a nutrimos com os ingredientes de que necessita - água, ar e adubo -, a semente brota e cresce até virar uma muda, que finalmente se torna uma imensa árvore. Observem que a semente não se transforma em terra, adubo, ar ou água. Ela faz uso deles, porém se mantém fiel à sua própria natureza e se torna uma árvore. Claro que temos muito a aprender com os outros; quem recusa esse aprendizado faz papel de tolo. Dessa maneira vocês poderão aprender o que quer que possa contribuir para promover o seu avanço espiritual. Assimilem tudo completamente, segundo as regras estabelecidas na sua própria senda moral (dharma) para o seu próprio progresso. Vivam como vocês mesmos, não como outra pessoa. Não permitam que ninguém os desvie da sua natureza inata!  (Sathya Sai Vahini, cap. 7)

Sri Sathya Sai Baba

06 agosto de 2021

Quando alguém nasce, a sua mente é como uma folha de papel em branco. Assim que começam os processos de pensar, sentir e agir também tem início o processo de macular a mente. O corpo depende do alento vital (prana), da mente e dos desejos que agitam a mente. A retidão e a verdade são ofuscados por necessidades relativas a comportamentos, moda, convenções, costumes e assim por diante, e o indivíduo é lançado no meio de uma multidão. A sua solidão é invadida e arrebatada. Deve-se, portanto, em primeiro lugar acalmar e serenar a mente. Só então poderá o corpo ser saudável e o intelecto, aguçado. A mente é projetada de uma só vez em um único objeto, não em muitos, mas ainda é um conglomerado de pensamentos, desejos, fantasias, imaginações e tudo o mais. Na verdade, a mente tem dentro de si a síntese de toda a história da Criação. Esse é o molde de ilusão (maya) da humanidade. O ferro tem que ser malhado apenas pelo próprio ferro; de igual modo, a mente inferior, mais baixa, será melhor moldada pela mente superior. O homem precisa tornar a sua mente superior e mais forte para a tarefa de elevação pessoal. (Prashanti Vahini, cap. 3).

Sri Sathya Sai Baba

07 agosto de 2021

Nem a paz nem a devoção que a proporciona podem ser obtidas por meio de outra pessoa; cada um deve criá-las e desenvolvê-las para si mesmo. Ainda assim, deve-se também ter a graça do Senhor, que é fundamental. Como declaram as Upanishads, “Aquele a quem Ele escolhe a obtém” (Yameva vrunuthe thena labhyah). Entretanto, o aspirante espiritual poderá duvidar: "Qual será então a necessidade de práticas espirituais?" Aqueles que pensam no Senhor com devoção conseguem superar qualquer tipo de karma herdado ou acumulado. Com a Sua graça, podem experimentar até mesmo uma bem-aventurança inatingível. Não duvidem da utilidade da disciplina espiritual; ela jamais poderá ser infrutífera; não, para ninguém. Mantenham-se firmes nessa convicção. A devoção inabalável conquistará a graça do Senhor. Gajendra é um exemplo disso. (Prashanti Vahini, cap. 5)  

Sri Sathya Sai Baba

08 agosto de 2021

Outra doença começou agora a se espalhar pelo mundo para enfraquecer e diminuir a paz. Existem muitos que, como papagaios, fornecem conselhos salutares sobre moral, religião e disciplina, mas que eles mesmos não praticam minimamente. Os chamados anciãos só sabem falar, não sabem agir. Palavras desprovidas de experiência - esta é a doença que aflige o mundo atual. Deve-se, em primeiro lugar, tratá-la e eliminá-la, pois ela deturpa  a paz para a humanidade. Falar é fácil para qualquer pessoa. O verdadeiro aspirante espiritual, entretanto, age e depois fala por experiência própria. Aqueles que apenas falam e não agem causam desgraça. Tais aspirantes e buscadores perniciosos têm se multiplicado e confundido o verdadeiro caminho. Devotos inocentes e ingênuos que a eles se apegam também são desencaminhados e enganados. Que os leitores e aspirantes primeiro observem a conduta e depois façam a sua escolha. (Prashanti Vahini, cap. 4)

Sri Sathya Sai Baba

09 agosto de 2021

Cada um nasce para alguma tarefa, mas todos só podem viver do mesmo alimento e bebida – a paz. Sem ela não há bem-aventurança. A paz embeleza cada ato, suaviza o cerne mais duro da humanidade. Ela os conduz até os Pés do Senhor e ganha para vocês a visão de Deus. A paz não conhece distinção; é uma força que estabelece a igualdade. É o mel do amor na flor encantadora da vida. É uma necessidade primordial para iogues e aspirantes espirituais. Tendo-a adquirido, eles poderão perceber a realidade amanhã, se não hoje. Devem suportar todos os obstáculos no caminho, e a paz lhes dará a força necessária para tal. Somente por meio da paz pode a devoção se expandir e a sabedoria espiritual (jnana) criar raízes. A sabedoria nascida da paz é o único meio de se viver uma vida plena ou uma vida que não conhece a morte. A pergunta "Quem sou eu?" desobstrui o caminho para a percepção da Divindade. Deve-se esperar pacientemente e em silêncio, com fé na graça e na sabedoria do Senhor. (Prashanti Vahini, cap. 5)

Sri Sathya Sai Baba

10 agosto de 2021

As pessoas têm uma imensidão dentro de si; este é o cerne do pensamento indiano. É realmente um mistério como alguém vem a se considerar condenado à queda! Uma pessoa pode nos parecer demoníaca, e outra divina; nos dois casos, o Atma é a realidade no mesmo grau. Não se pode dizer que o Atma está em menor grau em uma e em maior na outra. Quando se encontram falhas em alguém, o certo é concluir que essa pessoa apresenta deficiências de comportamento, isso é tudo! Não se deve concluir que nela não existe o Atma divino. Tais falhas cresceram como resultado das companhias que ela mantém ou da ineficiência da sociedade na qual foi criada. Não são inatas à sua natureza, que é átmica. Deve-se cercá-la de boas companhias, proporcionar-lhe ambientes benéficos e persuadi-la a entrar neles. Em hipótese alguma se deve condenar uma pessoa como incorrigível de nascença e mantê-la à parte! (Sathya Sai Vahini, cap. 7) 

Sri Sathya Sai Baba

11 agosto de 2021

Os aspirantes espirituais e devotos da antiguidade só alcançaram o seu objetivo por meio da paz. Ela deu a Ramdas, Tukaram, Kabir, Thyagaraja, Nandanar e outros a fortaleza necessária para suportar toda a calúnia, tortura e tribulações que lhes estavam reservadas. O aspirante que basear os seus esforços nesses exemplos estará livre de raiva, desespero e dúvida. Refletir sobre os relatos das suas lutas e sucessos será mais útil ao aspirante que a reflexão a respeito dos poderes e realizações do Senhor. Tais relatos  o ajudarão a testar por experiência própria os métodos por eles desenvolvidos. Pode-se alcançar a paz lembrando como superaram as limitações e suportaram os problemas, e também que caminhos trilharam para chegar à outra margem. Aí se descobrirá que a paz foi o principal instrumento que os salvou das espirais da raiva, da dor, da vaidade, da dúvida e do desespero. Portanto, ouçam, ó aspirantes! Conquistem esse instrumento - a paz - por meio da graça do Senhor. Direcionem todos os seus esforços para esse fim. (Prashanti Vahini, cap. 5)

Sri Sathya Sai Baba

12 agosto de 2021

A tristeza ou a alegria é a imagem da atividade na qual a pessoa se envolve - a ressonância, o reflexo e a reação! A alma individual pode ser a testemunha sem se envolver com o bem e o mal da atividade. Quando se dá o envolvimento, a pessoa tem que experimentar o bem quando este é feito, e o mal, quando este é praticado. A filosofia Vedanta afirma que a alma individual é, por sua própria natureza, pura e sem mácula. Esta é a doutrina aceita, de acordo com o pensamento indiano. Entretanto, esta verdade foi obscurecida por ignorância e negligência; por isso a ilusão (maya) polui a experiência e a sombra da ignorância gera o mal. Por outro lado, quando a atividade benéfica está envolvida, as nuvens da ilusão são dispersas e se percebe a realidade do Ser. Todos os seres, todas as almas, por sua própria natureza, são puras. Boas ações removem as manchas das más ações e preservam essa pureza essencial. Então a alma é conduzida para o caminho em direção a Deus. O impulso para Deus transformará os pensamentos, palavras e atos do indivíduo! (Sathya Sai Vahini, cap. 8)

Sri Sathya Sai Baba

13 agosto de 2021

Qualquer que seja a dificuldade, por maior que seja a tribulação, persistam e vençam por meio da recordação do Nome do Senhor (namasmarana). Lembrem-se de Bhishma! Embora prostrado em um leito de flechas, suportou pacientemente a dor, esperando o amanhecer do momento auspicioso. Jamais clamou a Deus, em sua agonia, para pedir-Lhe que pusesse fim ao seu sofrimento. “Suportarei tudo, qualquer que seja a dor, por mais longa que seja a agonia. Ficarei em silêncio até chegar o momento. Leve-me quando amanhecer”, disse ele. Bhishma era o principal dentre os devotos serenos. Permaneceu firme e inabalável. A paz é essencial para todos. Ter paz é ter tudo; não possuí-la tira a alegria de tudo. Embora a paz seja a própria natureza de cada indivíduo, a raiva e a cobiça conseguem suprimi-la. Quando estas são removidas, a paz brilha em seu próprio esplendor. (Prashanti Vahini, cap.5)

Sri Sathya Sai Baba

 

14 agosto de 2021

Uma mente serena é assaz necessária para todo aspirante que esteja seguindo em frente; é uma das qualidades benéficas. Tal mente dá força e felicidade verdadeiras; esforcem-se para obtê-la. Ainda que falhem em sete tentativas, certamente obterão sucesso na oitava se não se entregarem ao desânimo. Vale a pena relembrar a história de Bruce, que se inspirou em uma aranha e conquistou os louros da vitória na oitava tentativa. O que lhe deu a vitória? A paz, a mente serena. Ele não cedeu ao desespero, à covardia ou à sensação de desamparo; permaneceu tranquilo o tempo todo e assegurou o êxito. Mesmo que sobrevenha uma calamidade, o aspirante não deve esmorecer. A sua mente deve ser sempre pura, imaculada, calma e cheia de coragem. Sem lamentar pelo passado e sem hesitar no desempenho da tarefa do momento - eis a marca de um aspirante. Estejam preparados para enfrentar com alegria qualquer obstáculo no caminho. Somente alguém assim consegue alcançar o objetivo! (Prashanti Vahini, cap. 6)

Sri Sathya Sai Baba

 

15 agosto de 2021

Atualmente os indianos estão sendo atraídos pela ideia de "liberdade", a marca da civilização ocidental. Liberdade não é licença, é restrição. A verdadeira liberdade consiste na restrição da mente e dos sentidos. Entregar-se imprudentemente às coisas do mundo não é liberdade. A Índia conquistou liberdade política, mas não liberdade econômica, moral e espiritual. As pessoas devem ter autoconfiança. Não se deve depender dos outros, e sim de si mesmo. Isso é conhecido como autossuficiência. Os estudantes de hoje adquirem habilidades mundanas para desfrutar a vida e a felicidade no mundo. Movidos pelo egoísmo, pensam em termos da própria família e de si mesmos. Embora obtenham muitos benefícios da sociedade, não querem beneficiá-la de nenhum modo, ignorando o fato de que a sua felicidade e a da sua família dependem da felicidade da sociedade. Todo estudante instruído deve dedicar-se de corpo e alma ao serviço à sociedade; somente então adquirirá respeito próprio. (Summer Showers, 1993, cap. 14) 

Sri Sathya Sai Baba

16 agosto de 2021

Euforia com o lucro, alegria e regozijo; abatimento diante da perda e infortúnio - estas são características naturais, comuns a todos os mortais. Qual será, então, a excelência dos aspirantes? Eles não devem esquecer o princípio: estejam vigilantes e suportem alegremente o inevitável. Quando forem oprimidos por dificuldades e perdas, não desanimem nem ajam precipitadamente; em vez disso, meditem calmamente sobre como foi que elas surgiram. Em uma atmosfera de paz, procurem descobrir meios simples de superá-las ou evitá-las. Quando o golpe for dirigido à cabeça, certifiquem-se de que só o turbante o receberá - essa é a marca da inteligência aguçada. A paz é essencial para se ter esse intelecto aguçado. A pressa e a preocupação confundem a inteligência. A paz desenvolve todas as características benéficas. Até a clarividência cresce com a paz e, por meio dela, obstáculos e perigos podem ser antecipados e evitados! (Prashanti Vahini, cap. 6)

Sri Sathya Sai Baba

17 agosto de 2021

A pessoa que medita (dhyani) considera importante a realização da bem-aventurança do Atma; no entanto, promover o bem-estar do mundo é um objetivo igualmente importante. Para cumprir esse objetivo, é preciso controlar certas tendências de ordem física, verbal e mental. Essas tendências são geralmente conhecidas como os dez pecados: três físicos, quatro verbais e três mentais. As tendências físicas são: dano à vida, adultério e roubo. Os pecados verbais são: alarmes falsos, palavras cruéis, conversação cheia de inveja e mentiras. As atitudes mentais são: cobiça, inveja e negar a Deus. Quem pretende seguir o caminho da meditação deve tomar todo o cuidado para que esses dez inimigos nem mesmo se aproximem; deve evitá-los completamente. Essa pessoa necessita de tendências que a ajudem a progredir e não que a arrastem ao retrocesso. Deve-se falar e praticar apenas o bem (shubha), pois somente o bem é auspicioso (mangala) e o único auspicioso é Shiva. O bem é o instrumento que leva à fusão em Shiva! (Dhyana Vahini, cap. 4)

Sri Sathya Sai Baba

18 agosto de 2021

Deixem a compaixão e o sacrifício serem os seus dois olhos, que a ausência de ego seja a sua respiração, que o amor seja a sua língua e que a paz reverbere nos seus ouvidos. São estes os cinco elementos vitais com os quais devem viver. Deus não lhes perguntará: “Quando e onde vocês prestaram serviço?”, e sim: “Com que motivo o fizeram? Qual a intenção que os inspirou?" Vocês podem calcular o seu serviço (seva) e se gabar da sua quantidade. Deus, porém, procura qualidade; qualidade de coração, pureza de mente e santidade de motivos. Vocês têm feito seva em muitas áreas e direções há muitos anos. Não são novatos, estão cientes do estilo de uma vida de serviço. No entanto, como são humanos, véus e névoa, ervas daninhas e vermes infestam a sua mente. Dúvidas e temores assombram o seu trabalho. Estejam vigilantes contra esses ataques! Esforcem-se diariamente e sejam fiéis ao ideal que estabeleceram para melhorar as suas atividades de serviço ao longo de diretrizes puras, altruístas e sagradas! (Divino Discurso, 19 de novembro de 1981)

Sri Sathya Sai Baba

19 agosto de 2021

Caso os aspirantes não tenham sucesso em seguir uma disciplina, devem procurar e descobrir a causa da sua derrota. Essa análise é necessária. Eles devem se certificar, então, que essa característica não venha a se repetir no segundo estágio. Têm que fazer o possível para se precaver de tal coisa. Nesses assuntos é necessário ser rápido e ativo como o esquilo. Agilidade e vigilância também devem ser combinadas com agudeza de inteligência. Somente por meio da paz se pode conquistar tudo isso. Uma seriedade firme e constante é muito importante para evitar e superar conflitos mentais. É preciso estar calmo e sereno. Coragem, conselhos sábios e firmeza tornam a força de vontade (icchashakti) forte e vigorosa. Brilho no rosto e esplendor no olhar, aspecto determinado e voz nobre, sentimento generoso e bondade inabalável - esses são os sinais de uma força de vontade em desenvolvimento e progressão. (Prashanti Vahini, cap. 6)

Sri Sathya Sai Baba

 

20 agosto de 2021

O festival do Varalakshmi Vrata é uma dádiva para todas as mulheres. As mulheres sempre se esforçam muito pelo bem-estar da sua família. Elas sempre aspiram por igualdade, integridade, unidade e fraternidade (samata, samagrata, samaikyata e sowbhratrutwa). As suas palavras são verdadeiras, os seus corações estão cheios de paz e as suas ações são justas. As mulheres, sendo as recebedoras de oito formas de riqueza, conferem prosperidade e auspiciosidade à família, à sociedade e ao mundo em geral. Vocês já devem ter ouvido a história de Savitri, que, com a força do seu caráter, superou muitos obstáculos para trazer de volta à vida o marido morto. Mesmo nesta Era de Kali, é a oração das esposas que protege os maridos em tempos de perigo. Muitas mulheres no passado celebraram com devoção e sinceridade o festival do Varalakshmi Vrata e se tornaram recebedoras da graça da deusa Lakshmi (consorte de Vishnu e deusa da riqueza). (Divino Discurso, 11 de agosto de 2000)

Sri Sathya Sai Baba

 

21 agosto de 2021

A palavra bali tem um significado, que é o de cobrança por serviço prestado ou taxa. Pagamos ao departamento que fornece água, sabendo muito bem que ele não é o responsável pela criação da água. Mas que taxas pagamos ao Criador da água? Nenhuma. No entanto, desejamos receber a Sua Graça. Como é possível obtê-la sem pagar taxas (bali ou sunkam)? Devoção e pureza de coração - eis a taxa que o Senhor espera. Esta é a essência da mensagem do festival de Onam. Ele não deve ser tratado como um festival que ocorre uma vez por ano, mas como um acontecimento cuja mensagem deve se tornar um estilo de vida para todos. Mantenham sempre claros na mente os três eventos que Onam simboliza: 1) A Encarnação do Senhor Vishnu como o jovem brâmane (vatu); 2i) a liberação alcançada pelo imperador Bali; e 3) a fusão de Bali (anthardhanam) no Senhor! (Divino Discurso, 4 de setembro de 1979)

Sri Sathya Sai Baba

 

22 agosto de 2021

O Gayatri é a Oração Universal consagrada nos Vedas, as mais antigas Escrituras do homem. Geralmente se repete o Gayatri ao alvorecer, ao meio-dia e à hora do crepúsculo. Entretanto, como Deus está além do tempo, é apenas como resultado das nossas limitações que falamos em alvorecer e em crepúsculo. Quando nos afastamos do Sol, é o crepúsculo; quando nos aproximamos da luz do Sol, é o alvorecer. Sendo assim, vocês não precisam se limitar a esses três períodos do tempo para recitar a oração. Pode-se repeti-la sempre e em todo lugar; deve-se apenas garantir que a mente esteja pura. Aconselho a vocês, jovens, a recitá-la quando tomarem banho. Não cantem canções profanas e de filmes perniciosos. Recitem o Gayatri. Enquanto se banham, o seu corpo está sendo purificado; que a sua mente e o seu intelecto também o sejam. Façam questão de recitar o Gayatri ao se banharem e antes de cada refeição, assim como ao acordarem e quando se deitarem. Além disso, repitam 'Shanti' três vezes no final, pois essa repetição dará paz a três entidades em vocês - o corpo, a mente e a alma. (Discurso Divino, 20 de junho de 1977)

Sri Sathya Sai Baba

 

23 agosto de 2021

Nunca abandonem o mantra Gayatri; vocês podem abandonar ou ignorar qualquer outro mantra, mas devem recitar o Gayatri pelo menos algumas vezes ao dia. Ele os protegerá do perigo onde quer que estejam - viajando, trabalhando ou em casa. Os ocidentais investigaram as vibrações produzidas por esse mantra e descobriram que, quando ele é recitado com a pronúncia correta estabelecida nos Vedas, a atmosfera ao redor torna-se visivelmente iluminada. Assim, ao se entoar esse mantra, a refulgência do Divino (Brahmaprakasha) descerá sobre vocês e iluminará o seu intelecto e o seu caminho. O Gayatri é Annapurna, a Mãe, a força sustentadora que anima toda a vida; portanto não o negligenciem. Os anciãos e sacerdotes responsáveis por esse mantra o desprezaram. Mas vocês, como herdeiros e guardiões desta grande cultura, têm a grande responsabilidade de preservá-lo e demonstrar a sua eficácia e valor! (Divino Discurso, 20 de junho de 1977).

Sri Sathya Sai Baba

24 agosto de 2021

Em nossa vida diária deixamos amplo espaço para o cultivo de características indesejáveis, tais como a cobiça, o egoísmo e o egotismo, que na humanidade atual estão atingindo proporções gigantescas. É precisamente devido a esse tipo de situação que o mundo periodicamente mergulha em guerras. A mensagem de vida de Bali é que essas características no homem devem ser eliminadas a todo custo, tornando assim o seu coração puro para que o Senhor nele habite. Outro aspecto importante da vida de Bali é a sua demonstração do fato de que a qualidade do sacrifício altruísta (tyaga) deve ser parte integrante das ações (karma) do indivíduo. Todos os seres realizam ações, mas somente o homem, se assim o desejar, pode agir fazendo do sacrifício um componente integrante das suas ações. Mais uma vez, a existência desse traço no homem é possível por causa da sua capacidade de pensar e refletir. Infelizmente o homem usa essas faculdades dadas por Deus para enunciar teorias e pregar, mas nunca para praticar o que prega. (Divino Discurso, 4 de setembro de 1979).

Sri Sathya Sai Baba

25 agosto de 2021

Uma bananeira tem vários usos: a folha é usada como recipiente para se colocar  a refeição que se vai comer; a flor, para o preparo de alguns pratos; as camadas externas do tronco podem ser empregadas para amarrar e embalar coisas, pois é um bom material para produzir cordões. Contudo, o principal uso da bananeira está no cacho de bananas! As pessoas se dão o trabalho de plantá-la e cultivá-la por causa das bananas, não pelas folhas, pelos cordões, pelo núcleo interno macio ou pela flor. Da mesma forma, o principal uso do corpo humano é a percepção da Realidade! O resto é incidental. As mãos podem ser usadas para uma diversidade de operações, mas o principal propósito para o qual o homem foi dotado com elas é orar, celebrar cultos e tocar os Pés do Senhor. Os ouvidos foram projetados para escutar as glórias de Deus e os olhos para testemunhar as Suas manifestações! Pode-se usar a língua para a maledicência ou para lisonjear quem tem autoridade, mas isso é realmente um mau uso! Deem-lhe o uso que Deus quis para ela: cantar hinos de glória divina. (Divino Discurso, 21 de fevereiro de 1971).

Sri Sathya Sai Baba

 

26 agosto de 2021

Vocês devem dar as boas-vindas aos obstáculos, pois somente eles podem fortalecer o seu caráter e tornar mais estável a sua fé. Quando penduram um quadro em um prego cravado na parede, vocês o sacodem a fim de verificar se está suficientemente firme para suportar o peso do quadro, não é? Da mesma forma, para evitar que a imagem de Deus caia e se parta em pedacinhos, o prego - o Nome de Deus - cravado na parede do coração tem que ser sacudido por meio de um ou dois desastres! Suponham que agora eu peça a um de vocês para pular do primeiro andar. Não devem hesitar, pesar os prós e os contras e se afastar com medo de machucar os pés! Trata-se de um método que consiste em sacudir o prego para verificar se está firme e estável. Vocês devem considerá-lo um jogo divino (lila) Meu e pular; se o fizerem, nenhum dano lhes ocorrerá! Se assim não fosse, Eu não lhes pediria isso! (Divino Discurso, 21 de fevereiro de 1971).

Sri Sathya Sai Baba

27 agosto de 2021

O verdadeiro sacrifício envolve duas coisas: primeiro, perceber a causa da nossa escravidão nesta vida; segundo, romper com essa escravidão. O homem pensa erroneamente que a sua escravidão consiste na riqueza e na família e que, cortando as ligações com elas, será capaz de sacrificar tudo e se tornar qualificado para alcançar a liberação (moksha). Essas não constituem verdadeiras formas de escravidão; a verdadeira escravidão é a ignorância que consiste na identificação com o corpo! Aquele que rompe com essa escravidão, tal como Bali fez, alcançará moksha. Para isso é necessário purificar o coração. A purificação do corpo com água e sabão e a aplicação de perfume não resultam na purificação da mente. Na Era de Kali (Kali Yuga) a constante recordação de Deus (namasmarana) é o modo mais fácil de purificar a mente; entregar-se a Deus com uma mente pura é a maneira mais segura de se obter moksha! (Divino Discurso, 4 de setembro de 1979)

Sri Sathya Sai Baba

 

28 agosto de 2021

Algumas pessoas podem ter certas dúvidas relacionadas à oração. Qual é o valor da oração? Será que o Senhor atenderá a todos os nossos pedidos? Ele só nos concede aquilo que, segundo Ele, nós precisamos ou merecemos, não é? Será que o Senhor gostaria de nos dar tudo o que Lhe pedimos em nossas preces? Naturalmente, todas essas dúvidas podem ser resolvidas. Se o devoto dedicou tudo - corpo, mente e existência - ao Senhor, Ele mesmo cuidará de tudo, pois estará sempre com o devoto. Sob tais condições, não há necessidade de orações. Mas será que vocês se dedicaram tanto assim e entregaram tudo ao Senhor? Não. Quando ocorrem perdas, sobrevêm calamidades ou os planos dão errado, o devoto culpa o Senhor. Alguns, por outro lado, oram para que Ele os salve. Se evitarem ambas as atitudes, e igualmente evitarem depositar a sua confiança nos outros, mas colocarem inteiramente a sua fé no Senhor em todos os momentos, por que lhes negaria Ele a Sua graça? Por que desistiria de ajudá-los? (Prashanti Vahini, cap. 7)

Sri Sathya Sai Baba

29 agosto de 2021

Todo aspirante está ciente de como Draupadi, por meio da sua retidão (dharma) e da sua paz (shanti), mereceu a graça do Senhor. Embora os seus maridos fossem poderosos heróis e célebres monarcas, ela buscou refúgio no Senhor Krishna, sentindo que todos os demais não tinham utilidade. Prahlada, entretanto, não buscou refúgio em circunstâncias semelhantes. Desde o nascimento, entregara tudo ao Senhor. Sabia que o Senhor estava sempre ao seu lado e que ele estava sempre ao lado do Senhor; portanto não tinha necessidade de chamá-lo pedindo proteção. Prahlada não tinha consciência de nada, exceto do Senhor; não era capaz de distinguir entre uma e outra função do Senhor. Então como poderia orar por proteção, quando não sabia se estava sendo punido? Para todas essas almas inebriadas em Deus e a Ele dedicadas, a oração é desnecessária. Mas até que esse estágio seja alcançado, a oração em uma atitude de paz é essencial para os aspirantes. Ela promoverá a equanimidade no deleite (sama-rasa). (Prashanti Vahini, cap. 7)

Sri Sathya Sai Baba

 

 

30 agosto de 2021

O coração de Uddhava se comoveu quando ele percebeu que Krishna o enviara em uma missão até as pastoras (gopis) para fazê-lo aprender o que era a verdadeira devoção. Compreendeu que Krishna encenara aquele episódio para lhe mostrar que até os bem versados nas Escrituras tinham que aprender a realidade interna sobre a verdadeira devoção com a devoção pura e unidirecional que as gopis demonstravam por Krishna. O amor por Deus é o meio e o objetivo; foi esse o segredo revelado pelas gopis. Elas viam amor em tudo - na música da flauta de Krishna, que enchia o mundo de amor e inundava a terra ressequida com amor. O Divino está em todos, mas a única maneira de se perceber isso é cultivar amor intenso por Deus. Gokulashtami, o dia do nascimento de Krishna, será somente aquele em que o indivíduo se esforçar para desenvolver tal amor. Krishna não nasce em todos os Gokulashtamis. Ele nasce em nós quando procuramos desenvolver o amor divino como meio para superar as nossas amarras. (Discurso Divino, 31 de agosto  de 1983)

Sri Sathya Sai Baba

 

31 agosto de 2021

Se encherem os seus corações de amor, vocês não terão má vontade para com ninguém. Cultivem a fé em que o Divino está em todos. Rendam-se ao Divino com espírito de dedicação. O significado simbólico das relações entre Krishna e as gopikas é o seguinte: o coração é o Brindavan em cada pessoa, os pensamentos são como as gopikas e o Atma é Krishna. A bem-aventurança é o esporte de Krishna. Todos devem converter o seu coração em um Brindavan e considerar o Atma, o Residente Interno, como Krishna. Deve-se considerar toda ação como uma brincadeira (lila) Sua. Celebra-se o Gokulashtami oferecendo a Krishna arroz cozido com açúcar mascavo (paramannam). O verdadeiro significado de paramannam é alimento (annam) relacionado ao Supremo (Param). Paramannam é doce. O amor de vocês deve ser doce. A sua oferenda a Deus deve ser esse doce amor, que a tudo deve abranger. Esta é a mensagem primordial do avatar Krishna. (Discurso Divino, 3 de setembro de 1988)

Sri Sathya Sai Baba