Pensamento para o dia - agosto 2019

1° de agosto de 2019

“‘Manasa bhajare guru charanam, dustara bhava sagara taranam’ (Ó mente, sem adorar os Pés de Lótus do Guru, não é possível cruzar o oceano da vida e da morte). Eu chamei todos aqueles que sofrem no infindável ciclo de nascimento e morte para prestar adoração aos Pés do Guru, que estava se anunciando e que havia voltado para carregar sobre Si o fardo daqueles que encontram refúgio Nele. Essa foi Minha primeira Mensagem para a humanidade. Eu não preciso de suas guirlandas de flores e frutas, coisas que você compra por algumas rúpias, pois elas não são genuinamente suas. Dê-me algo que seja seu, algo que seja limpo e fragrante com o perfume da virtude e da inocência, e lavado nas lágrimas do arrependimento! As guirlandas e frutas que você traz são um exibicionismo de sua devoção. Os devotos mais pobres, que não têm condições para dar tais oferendas, se sentem humilhados e desamparados, por não conseguirem demonstrar sua devoção como você! Instale o Senhor em seu coração e ofereça a Ele os frutos de suas ações corretas e as flores de seus pensamentos e sentimentos mais íntimos. Essa é a adoração de que Eu mais gosto, a devoção que mais aprecio.” (Discurso Divino, Vijayadasami, 1953) 

Sathya Sai Baba

2 de agosto de 2019

“Muitos de vocês se sentam em meditação (dhyana) e depois de algum tempo começam a reclamar: ‘Ó Bhagavan, por que não consigo me concentrar? Por favor, me ajude a fixar minha mente em Você!’ Não fique impaciente, nem se lamente. Ao contrário, perceba que você deve tornar sua mente pura e limpa, de modo que o próprio Deus seja atraído a ocupá-la. Ele é o Ladrão de Corações Puros (Chitta-chora). Quando ladrões entram em uma casa, eles escolhem coisas de valor. Eles não vão se preocupar com lenha ou sacos de carvão!  Quando Deus está no papel de um ladrão, Ele também procura o que é mais precioso, o que Ele mais valoriza, o que você deve tomar mais cuidado para cultivar. Ele leva pensamentos puros, atos embebidos na doçura da empatia e da compaixão, e os sentimentos de Amor que não anseiam por vingança. Se você conseguir oferecer um coração tão puro ao Senhor, saiba que se tornará mais rico em felicidade, serenidade e autoestima!” (Discurso Divino, 10 de julho de 1974)

Sathya Sai Baba

3 de agosto de 2019

“O ideal do serviço deve inspirar autoridades, os que possuem riquezas, os dotados com habilidades, inteligência, tempo livre e saúde. Ponha um fim à preguiça, enterre seu clamoroso ego e a ganância por poder e dinheiro. Então, você se tornará qualificado para servir! Seja digno deste dom da graça de ser voluntário (Sevadal) e mantenha os elevados ideais de Sevadal. Essa oportunidade é pura graça. Não é uma consequência de alguma reivindicação. Não restringe você e lhe dá distinção e responsabilidade! Se você tem essa oportunidade de servir, e ainda assim, se afasta do serviço ou hesita em realizá-lo, você está no caminho errado. As pessoas vêm ao Divino para se livrar do pecado e acumular mérito espiritual. Se você desonrar a credencial do serviço, você estará retendo os pecados e talvez acumulando muitos mais! Lembre-se, com cada ato de amor e serviço, você estará se aproximando do Senhor e com cada ato de ódio e apego, estará se afastando Dele.” (Discurso Divino, 16 de outubro de 1974)

Sathya Sai Baba

4 de agosto de 2019

“O corpo é um presente precioso que deve ser cuidadosamente tratado e alimentado. É uma máquina muito complicada, mas bem coordenada e dotada para realizar uma tarefa louvável. Seu exterior também deve estar limpo e repleto de bondade e graciosidade. A pele do fruto da felicidade divina (Ananda) é o corpo físico. A carne suculenta é o músculo, osso e nervo. A semente dura e não comestível é o mal que se apresenta na vida. O suco que a fruta oferece, para o qual a árvore foi plantada e nutrida, é a felicidade que compartilha com todos. O corpo reluzirá, se o caráter for bom. O serviço ao homem e a adoração a Deus preservarão seu encanto. O Senhor estará observando com mil olhos a menor atividade do homem, para descobrir qualquer pequena porção de amor abnegado que a purifique. Sabendo que você é a encarnação do Divino Atma, anseie por ganhar a Graça do Senhor neste mesmo nascimento.” (Discurso Divino, 16 de outubro de 1974)

Sathya Sai Baba

5 de agosto de 2019

“Ravana tinha um conhecimento vasto sobre textos espirituais. Suas dez cabeças representam o aprendizado que ele adquiriu com as seis escrituras (Shastras) e os quatro Vedas. No entanto, ele nunca colocou esse conhecimento em prática. Ele ansiava somente pela posse de objetos materiais (Prakriti) e queria dominar o mundo da matéria, o mundo objetivo. Portanto, ele não foi conquistado pelo espírito e descartou Purusha, o Senhor. Ele estava satisfeito com a posse da Matéria (Prakriti) em Lanka, representada pela Mãe Sita. Foi por isso que ele foi derrotado. Assim como o macaco que não conseguia tirar a mão do pote de boca estreita, porque segurava um punhado de amendoim dentro do pote, hoje em dia, as pessoas também estão sofrendo, já que não estão dispostas a soltar um punhado de coisas agradáveis do mundo, que elas seguram. Somos levados à crença equivocada de que o acúmulo de bens materiais nos trará felicidade e tranquilidade. No entanto, só o Amor Divino pode dar essa felicidade eterna.” (Discurso Divino, 16 de outubro de 1974)

Sathya Sai Baba

6 de agosto de 2019

“O silêncio é a única linguagem do ser que tem consciência. Pratique a moderação na fala. Isso ajudará você de várias maneiras. Desenvolverá o amor incondicional (prema), pois a maioria dos mal-entendidos e rupturas se originam de palavras ditas de forma descuidada. Quando o pé escorrega, a ferida pode ser curada, mas quando a língua escorrega, a ferida provocada no coração do outro permanecerá infeccionada por toda a vida. A língua está sujeita a quatro grandes erros: expressar falsidade, escandalizar, encontrar falhas nos outros e falar em excesso. Esses erros devem ser evitados para haver paz (shanti), tanto no indivíduo, quanto na sociedade. O vínculo da fraternidade universal será reforçado, caso as pessoas falem menos e falem com doçura. Assim, o silêncio foi prescrito como um voto para os aspirantes espirituais, nos textos espirituais. Vocês são aspirantes espirituais em vários estágios do caminho, por isso, essa disciplina também é valiosa para vocês.” (Discurso Divino, 22 de julho de 1958)

Sathya Sai Baba

7 de agosto de 2019

“Cada simples coisa na natureza tem seu dharma (dever, ação correta). A água tem seu dharma: a natureza e a obrigação de se mover. O fogo tem o dharma de queimar e consumir. O ímã, o dharma de atrair e arrastar para si mesmo. E cada um deles está mantendo seu dharma inalterado, incluindo o sistema solar e as estrelas do universo. Entre as coisas dotadas de Consciência ou chaitanya, plantas e árvores, insetos e pássaros, seres nascidos de ovos ou de mamíferos, todos conseguiram preservar seu dharma inalterado pela passagem do tempo. No entanto, a humanidade – cuja inteligência oscila do inerte e do infinitesimal ao Superconsciente e ao Universal – é a única coisa viva que se desviou e continua se desviando. O dharma prescreve: ‘fale a verdade’ (satyam vada) e ‘pratique a retidão’ (dharmam chara). A cada momento do seu tempo acordado, verifique se você está observando o dharma ou se afastando dele. Preencha cada momento com pensamentos, palavras e ações que reflitam sua compreensão do dharma.” (Discurso Divino, 15 de abril de 1964)

Sathya Sai Baba

8 de agosto de 2019

“Muitos de vocês se entristecem, pois pensam assim: ‘É dito que conseguir uma audiência com uma pessoa santa é a destruição dos pecados (darshanam papa nashanam). Bem, eu tive o darshan (visão do divino) não uma, mas muitas vezes e, ainda assim, meu destino ruim não me deixou e eu estou sofrendo mais do que antes!’ É verdade, você pode ter vindo, ter tido darshan e semeado novas sementes obtidas em lugares sagrados: sementes de amor, fé, devoção, boa companhia, pensamentos virtuosos, lembrança do nome de Deus, etc. E você pode ter aprendido a arte do cultivo intensivo e da preparação do solo. Agora você tem que plantar cuidadosamente as sementes nos campos bem preparados do coração purificado. Contudo, até a nova colheita, quando o produto fresco chegar, você não terá que consumir o cereal das colheitas anteriores já armazenado? Os problemas e ansiedades que você experimenta agora são as colheitas de suas plantações anteriores. Portanto, não fique triste, nem desanime!” (Discurso de Shivaratri, março de 1963)

Sathya Sai Baba

9 de agosto de 2019

“A tentação de ignorar a retidão (dharma) cresce do egoísmo. O anseio por satisfazer um desejo inferior é a causa raiz da ausência de retidão (adharma). Este desejo toma conta de você astuta e silenciosamente, como um ladrão na noite, como um camarada vindo para salvá-lo, como um servo vindo para atendê-lo ou como um conselheiro, para adverti-lo. Oh, a maldade tem mil truques para capturar seu coração! Sempre fique em estado de alerta para esse tipo de tentação. O desejo produz uma fissura na sua consciência, entra e se estabelece, se multiplica e se alimenta da personalidade que você construiu com grande cuidado ao longo dos anos. Ele, então, ocupa a fortaleza do seu coração e você perde o controle. Você se torna uma marionete manipulada pelos seus próprios inimigos internos. Sempre que você tenta se reconstruir, eles penetram na estrutura e você precisa recomeçar do zero! Portanto, esteja alerta para resistir à primeira tentação de ignorar o dharma!” (Discurso Divino, 15 de abril de 1964) 

Sathya Sai Baba

10 de agosto de 2019

“Para vencer o egoísmo, não é necessário nenhum exercício rigoroso ou controle da respiração, nem mesmo uma escolaridade elevada. As Gopikas confirmaram essa verdade. Elas eram pessoas simples, que viviam em áreas rurais e não conheciam análises de estudos profundos. Narada ficou tão chocado com a sua ignorância da ciência do progresso espiritual, que se voluntariou para lhes dar algumas lições sobre a sabedoria espiritual (jñana). Ao entrar em Brindavan, ele descobriu que as Gopis estavam vendendo leite e coalhada nas ruas, mas se esqueciam de gritar os nomes dos itens à venda, e gritavam "Govinda, Narayana"! Elas continuamente ansiavam e chamavam os nomes do Senhor. Isso demonstra o quanto elas estavam imersas na consciência de Deus. A poeira de Brindavan era altamente sagrada para elas. Elas não tinham desejo por prazeres sensuais (vishayavasana) e, portanto, não apresentavam ignorância (ajñana). Narada percebeu que elas não precisavam de ensinamentos espirituais! Ao invés disso, ele orou para que elas lhe ensinassem os meios de obter esse anseio profundo pelo Senhor!” (Discurso Divino, 15 de abril de 1964) 

Sathya Sai Baba

11 de agosto de 2019

“Certa vez, um grande pintor se ofereceu para fazer uma pintura na parede do palácio. Com ele veio outro pintor, que afirmou que pintaria na parede oposta qualquer pintura que o grande artista desenhasse, mesmo que as cortinas a escondessem de sua vista e fosse mantida em segredo! Ambos foram autorizados a realizar as tarefas oferecidas! O segundo pintor terminou seu trabalho no exato momento em que o primeiro terminou! O príncipe chegou ao salão, onde uma cortina espessa separava os dois artistas. Ele gostou muito da pintura e ordenou que a cortina fosse removida. E eis que, na parede de frente para a pintura, havia uma cópia exata daquela imagem sofisticada! Exatamente igual, pois o pintor poliu a parede, tornando-a um bom e grande espelho! Faça com que seu coração esteja limpo, puro e suave, para que a glória do Senhor possa ser refletida e o Senhor possa ver a Sua própria imagem nele!” (Discurso de Shivaratri, março de 1963) 

Sathya Sai Baba

12 de agosto de 2019

“Existem muitos obstáculos ao longo do caminho da devoção. Dificuldades servem para lavar o coração e torná-lo limpo e puro. Algumas pessoas acusam, criticam, desprezam ou condenam Deus quando estão passando por dificuldades. Cada um tem que enfrentar as consequências de suas próprias ações. Deus permanece inalterado. Deus é puro, imaculado e sagrado. Diante de qualquer coisa que as pessoas falarem, fique tranquilo e calmo. Não entre em discussões desnecessárias com qualquer pessoa. Discussões geram apenas inimizade. Sempre fale suave e docemente, com um sorriso no rosto. Isso irá silenciar as críticas. O sorriso é a melhor resposta para críticas. Quando Paulo acusou Jesus, Ele amorosamente foi até Paulo e lhe sorriu com doçura. A doçura no sorriso de Jesus transformou o coração venenoso de Paulo. Portanto, esteja sempre alegre, mesmo em tempos de adversidades. Sempre coloque um sorriso no rosto e nunca ande por aí de ‘cara amarrada’. Felicidade reside apenas na união com Deus.” (Discurso Divino, 25 de dezembro de 1998) 

Sathya Sai Baba

13 de agosto de 2019

“Quando a estatueta do Senhor Rama foi tirada de Thyagaraja, ele ficou inconsolado. Ele até questionou a divindade de Rama e gritou: ‘Você não tem o poder de resolver meus problemas ou eu não tenho devoção? Definitivamente eu tenho devoção, é apenas você que não tem poder.’ Ele continuou com essa atitude de exaltar sua devoção e, no processo, se tornou egoísta. Quando ele se sentou em meditação, a sabedoria tomou conta dele e, assim, percebeu sua loucura em duvidar da divindade de Rama. Ele refletiu: ‘Sem a graça do Senhor Rama, um macaco poderia atravessar o oceano? Se Rama não tivesse poder, Lakshmana O adoraria? Como também, Lakshmi, a deusa da riqueza, serviria a Ele? E Bharata, extremamente inteligente, ofereceria suas saudações? Ó Rama! Certamente Seu poder é imenso. Foi devido à minha ignorância e maldade que desafiei Sua divindade.’ Ele buscou o perdão do Senhor Rama e se rendeu a Ele. Quando você purifica seu coração e se entrega completamente a Deus, Ele se manifesta instantaneamente!” (Discurso Divino, 25 de dezembro de 1998) 

Sathya Sai Baba

14 de agosto de 2019

“Elogio e crítica são reflexos do ser interior. Uma pessoa virtuosa nunca critica as outras. Somente uma pessoa pouco virtuosa se dedica a tais atividades não sagradas. A cor que você vê depende da cor dos óculos que você usa. Use os óculos do amor e você verá amor por todos os lados. Não dê importância às críticas. Se alguém critica você em voz alta, a crítica fica no ar. Se eles acusam você em silêncio, a crítica volta para eles mesmos. Eles estão criticando o seu corpo? O corpo é inerte. Eles estão criticando o Atma? Se assim for, o mesmo Atma habita em ambos e, consequentemente, isso equivale a criticar a si próprio! Um sincero buscador da verdade perceberá esse fato! Reserve tempo para reconhecer as muitas falhas presentes em você. Por que, ao invés disso, você procura apontar a falha mais insignificante nos outros? O mal nos outros é um reflexo do mal em você. Escolha corrigir-se primeiro! Só então sua mente se tornará pura. Portanto, sempre desenvolva pensamentos sagrados!” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1998)

Sathya Sai Baba

15 de agosto de 2019

“É uma grande sorte nascer na Índia (Bharat). Ser capaz de declarar que você é um indiano (bharatiya) é uma questão de grande sorte. Você deve ser digno dessa graça que lhe foi dada. Sob nenhuma circunstância, uma pessoa deve criticar sua pátria-mãe. Sob nenhuma circunstância, você deve criticar sua pátria. Você não deve esquecer ou negar sua pátria, nem mesmo em seus sonhos. Essa é a verdadeira gratidão. Qual o sentido de nascer como um ser humano se você não tiver gratidão? Aquele que não tem gratidão é uma pessoa má. Nos hinos de adoração ao Deus Sol, é dito que Ele pode perdoar qualquer falta, menos a ingratidão. Portanto, nunca deixe de ser grato e nunca dê a ninguém a oportunidade de acusá-lo de ingratidão. Você deve se esforçar para fortalecer a glória da cultura indiana (bharatiya). A mãe e a pátria-mãe são maiores que o próprio céu.” (Discurso Divino, 27 de maio de 2000) 

Sathya Sai Baba

16 de agosto de 2019

“Neste mundo transitório, existem muitos poderes misteriosos desconhecidos pelo homem. Eles são entendidos como poderes transcendentais e ocultos, pois nem todos conseguem compreendê-los. Todo ser é dotado de poder divino. É por isso que Eu sempre Me dirijo a vocês como personificações do Divino Atma (Divyatma Swarupulara). Mesmo hoje, os médicos são incapazes de compreender os segredos e mistérios do corpo humano. Por exemplo, observe a língua. Existem 40.000 papilas gustativas na língua. Dentre elas, há 25.000 que geram calor. O olho, que tem apenas alguns poucos centímetros de tamanho, pode reconhecer 130 milhões de tipos de luz. Existem milhões e milhões de células em seu corpo. Cada célula é divina e contém sua forma completa. Não é inspirador? De quem é essa criação? Este é o poder transcendental da Divindade. É tolice considerar que tal onipresente Divindade seja inexistente!” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1998)

Sathya Sai Baba

17 de agosto de 2019

“O que é sadhana (disciplina espiritual)? O serviço é o verdadeiro sadhana. Preste serviço à sociedade. Trate todos como irmãos e irmãs. Somente através do serviço abnegado, sua vida será redimida. Considere o serviço aos outros como um serviço a Deus. Infelizmente, hoje as pessoas prestam serviço esperando algo em troca. As pessoas se tornaram obcecadas por dinheiro. Riqueza excessiva torna uma pessoa egoísta. O ego gera más qualidades. Desejos em excesso fazem uma pessoa sofrer. Conforme os desejos aumentam, a miséria também cresce. "Um homem infeliz sofre em dobro" (Asamtruptho dwijo nashtaha). Dessa forma, as pessoas não estão felizes com o que têm e se sentem infelizes com o que não têm. Fique feliz com o que você tem. Experimente a bem-aventurança e a compartilhe com os outros. Se você tem devoção, o próprio Deus conferirá bem-aventurança.” (Discurso Divino, 30 de setembro de 1998)

Sathya Sai Baba

18 de agosto de 2019

“Ficar com raiva é o simples resultado do esforço de um momento, enquanto que estar em paz e não ser afetado pelos altos e baixos da vida é o resultado de anos de treinamento em Vedanta. A paz só pode ser estabelecida com a fé firme de que todas as coisas materiais, que se enquadram no âmbito da experiência sensorial, são fundamentalmente inexistentes. Elas são frutos da ilusão, da tendência de ver muitos onde só existe Um. Você vê cadáveres sendo levados, um após o outro, ao cemitério. Contudo, ainda assim, você se mantém despreocupado, pois sente que é eterno. De fato, você – o Eu Divino – é verdadeiramente eterno! Assim como a água que você bebe é eliminada pela transpiração, o karma que você acumula é eliminado através do karma realizado com satisfação. Portanto, aceite tanto o prazer quanto a dor com a mesma tranquilidade. Da mesma forma que o espaço em uma vasilha se funde com o espaço fora dela, funda-se com o Universal, silenciosa e integralmente, sem qualquer traço de separação ou distinção. Essa é a verdadeira entrega, salvação e libertação!” (Discurso Divino, 6 fevereiro de 1963) 

Sathya Sai Baba

19 de agosto de 2019

“Os sentidos dizem: ‘Para que se esforçar tanto? Coma, beba e seja feliz pelo tempo que puder’. No entanto, o guru diz: ‘A morte cairá sobre você sem aviso prévio. Supere o medo da morte agora, antes que o chamado chegue. 'Agora' é o verdadeiro amigo, 'ontem' enganou você e se foi e 'amanhã' é um visitante incerto’. Certa vez, quando seu irmão mais velho, Dharmaraja, prometeu a um iogue mendicante alguma ajuda para um ritual de sacrifício e pediu para que ele o chamasse no dia seguinte, Bhima ordenou que todos os tambores soassem e todas as bandeiras fossem hasteadas, pois, disse ele: ‘Meu irmão com certeza viverá até amanhã! Pelo menos, é isso que ele acredita que acontecerá’. A morte persegue seus passos como um tigre na mata. Assim, sem mais desperdício de tempo, tente desistir da preguiça e da raiva. Fique tranquilo em meio às tempestades e se junte a companhias igualmente calmas. Deixe o notório aroma dos pensamentos divinos, cheios de amor para com todos, aumentar ao seu redor. A chama do conhecimento experiencial da Realidade Suprema pode reduzir a cinzas os impulsos herdados de muitos nascimentos e de muitas experiências. No calor desse cadinho, as impurezas são queimadas e o metal precioso é isolado.” (Discurso Divino, 6 de fevereiro de 1963) 

Sathya Sai Baba

20 de agosto de 2019

“A língua pode proferir o Nome do Senhor, seus ouvidos podem estar atentos quando a glória do Senhor é recitada, suas mãos podem colocar flores na imagem de Deus, mas sua língua sabe ou aprecia o sabor do Senhor? O ouvido e as mãos anseiam por Ele? O resultado de suas práticas espirituais pode ser experimentado somente quando seu coração estiver consciente do Supremo e sua mente ficar emocionada quando a glória de Deus for recordada. Caso contrário, seria como a colher, que mergulha no azedo e no doce com igual entusiasmo e insensibilidade. Ela não recusa nem aprecia qualquer sabor! Leia com seriedade Vedanta, textos sagrados ou escrituras e pratique-os, então, eles se tornarão parte de sua vida diária, conduta e caráter. Uma pessoa que reivindica ser um devoto do Senhor, um devoto do Altíssimo, só pode ser admitida se suas paixões e emoções forem puras, nobres e virtuosas.” (Discurso Divino, 23 de março de 1966) 

Sathya Sai Baba

21 de agosto de 2019

“Quando os Pandavas estavam atravessando o Himalaia, Dharmaraja foi afetado por ansiedades mentais e orou a Krishna por ajuda. O Senhor Krishna os consolou e deu a Dharmaraja um bilhete, que ele deveria ler para si mesmo sempre que fosse afetado por alegria ou tristeza. O bilhete dizia: ‘Isto também passará’ (Eppudu undadhu). Este método irá acalmar suas agitações mentais. Conduza a vida no mundo como um dever compulsório imposto a você. Você está agora preso devido a uma sentença recebida por crimes cometidos em uma vida anterior. O superintendente designa vários deveres, como cozinhar, tirar água, cortar lenha etc. Trabalhe com o máximo de sua capacidade, sem qualquer expectativa de recompensa. Se você se comportar bem - fizer as tarefas designadas sem objeção e não causar problemas - poderá ser libertado mais cedo, com um certificado de que você é confiável e bom. Essa analogia deve ajudá-lo a praticar a ação altruísta sem esperar recompensa (nishkama karma) e a controlar seus sentidos.” (Discurso Divino, 26 de outubro de 1963) 

Sathya Sai Baba

22 de agosto de 2019

“Sua determinação em obter felicidade (ananda) e paz (shanti) não deve oscilar como a chama de uma lamparina colocada no peitoril da janela. Você deve aprender a adquiri-las das escrituras ou dos sábios, que as conquistaram. Então, por mais grave que seja a crítica, siga firme no caminho, sem se importar com quem o condena de maneira brutal e irônica. O riso irônico não deve prejudicar um aspirante. Pode uma tempestade abalar as cordilheiras do Himalaia? Não deixe a fé em sua meta se enfraquecer frente aos problemas, provações, dificuldades, tribulações, angústia ou desespero. Eles são apenas nuvens passageiras, que lançam sombras temporárias e escondem a glória do sol ou da lua por um curto tempo. Nunca se distraia com dúvidas ou desânimo. Construa a mansão da sua vida sobre os firmes pilares da retidão (dharma), prosperidade (artha), desejo (kama) e libertação (moksha). Esses são os objetivos do esforço humano (purusharthas) estabelecidos pelos antigos sábios, sendo cada pilar amarrado um ao outro com firmeza e segurança. Nunca permita que os pilares se inclinem ou tombem, como muitos indivíduos, comunidades e nações estão fazendo agora!” (Discurso Divino, 23 de março de 1966) 

Sathya Sai Baba

23 de agosto de 2019

“O nome ‘Krishna’ tem três significados separados: (1) ‘Karsh’ é uma raiz da qual o nome é derivado. Significa ‘aquilo que atrai’. Krishna atrai corações para Si mesmo, por Seus passatempos esportivos, vitórias miraculosas sobre as forças do mal, Sua conversa encantadora, Sua sabedoria e Sua beleza pessoal. (2) A palavra também está relacionada à raiz ‘Krish’, de cultivar, como um campo para plantação. O significado derivado daí é: Aquele que tira as ervas daninhas do coração do homem e semeia as sementes da fé, coragem e alegria. (3) Está relacionado à raiz ‘Krish’, que também significa algo acima e além dos três atributos e das três eras. E ‘na’ significa sat-chit-ananda (Verdade-Consciência-Bem-Aventurança). As brincadeiras divinas (lilas) e os poderes milagrosos (mahimas) de Krishna – por meio dos quais Ele atrai o amor da humanidade, cultiva a felicidade nos corações de Seus devotos e os torna conscientes de que Ele é sat-chit-ananda – estão descritos no Bhagavata.” (Discurso Divino, 13 de agosto de 1971)

Sathya Sai Baba

24 de agosto de 2019

“Deus está em todos os lugares, o tempo todo. Ele realiza tudo. Ele realiza o pequeno feito de assumir uma forma humana, crescer com homens e mulheres e estar no meio deles para persuadi-los ao caminho da verdade. Ele dá à humanidade a chance de saborear Sua doçura e ter um vislumbre de Sua glória. Ele age, apesar da ausência de qualquer obrigação, para que os seres humanos possam escolher agir da mesma maneira! O sábio Vyasa estava passando e viu Krishna lavando os cavalos da carruagem de Arjuna na água do rio Yamuna. Ele derramou lágrimas ao contemplar a tarefa que o Senhor havia imposto a Si mesmo, a fim de guiar o homem adequadamente. Krishna desempenhou o papel de servo de Arjuna, para que o homem soubesse como servir e desse modo se elevasse a uma posição de grandeza!” (Discurso Divino, 13 de agosto de 1971) 

Sathya Sai Baba

25 de agosto de 2019

“Ele é doçura (Raso vai sah). Portanto, o Universo (jagat), que é Sua criação, deve ser doce para aqueles que o reconhecem como Sua obra. Jagat deve servir como uma ferramenta para se aprender sobre a glória e o poder de Deus, para que você possa procurá-Lo e alcançá-Lo. A menos que você tenha amor, você não poderá reivindicar parentesco com os devotos de Deus. Um mero culto ritualístico, adoração pomposa ou aclamação exagerada não lhe darão o direito de entrar nos portais do Divino! Esses são simplesmente lata e lixo diante do baú do amor. O Amor Puro é a ponte que ajuda a passagem do nascimento e morte à imortalidade. Quando você deixa de ser humano para ser Divino, não há mais nascimento nem morte. A libertação acontece quando você ama todos os seres tão intensamente que se torna consciente apenas do Uno. Mergulhe seu coração em amor, seus atos em retidão e suas emoções na compaixão. Então, você se fundirá em Deus muito rapidamente!” (Discurso Divino, 13 de agosto de 1971)

Sathya Sai Baba

26 de agosto de 2019

“Seu banco ajuda a manter seu dinheiro seguro quando você o deposita lá. O banco permitirá que você faça uso dele quando estiver em dificuldade. Contudo, seu dinheiro o ajuda apenas com problemas mundanos. Você o acumula com muito cuidado, por milhares de atos de negação, negando a si mesmo este ou aquele conforto ou conveniência, economizando nisto ou naquilo, gastando menos e ganhando mais. No entanto, chega um dia em que você tem que deixar a pilha de dinheiro e partir de mãos vazias. Esta caderneta bancária não será analisada lá. Embora você deva desenvolver o hábito de economizar em um banco por causa da velhice e de dias difíceis, é necessário que você também desenvolva o hábito de ‘guardar’ para o futuro, para que seja ‘resguardado’. Pratique ações corretas e fale a verdade (dharmam chara, satyam vada): esse é o método. Retidão, Verdade e Amor são a moeda aceita pelo outro banco. Todos os atos, palavras e sentimentos que ressoam com a pureza desses metais serão aceitos como depósito.” (Discurso Divino, 14 de julho de 1966) 

Sathya Sai Baba

27 de agosto de 2019

“É um trabalho difícil conhecer o seu próprio Ser. Analise o caso dos alimentos que você come com a própria boca. Você os sente no estômago e, depois disso, não acompanha o que acontece com eles em cada estágio. Então, como você poderá saber – sem adquirir os meios especiais para isto – a Verdade que está por trás dos envoltórios que o recobrem: Annamaya (de alimentos), Pranamaya (de energia vital), Manomaya (da mente), Vijñanamaya (da inteligência) e Anandamaya (da felicidade)? Limpe seu poder intelectual (dheeshakti) das teias de aranha do ego, da poeira do desejo, da fuligem da ganância e da inveja. Ele, assim, se tornará um instrumento adequado para revelar a Verdade Interior. ‘Conheça a si mesmo, conheça o Motivador que está dentro: o Morador Interno (Antaryamin)’: essa é a máxima das escrituras de todas as fés. Caso não esteja imbuído desse conhecimento, você será como um navio sem bússola, navegando em um mar tempestuoso.” (Discurso Divino, 16 de abril de 1964)

Sathya Sai Baba

28 de agosto de 2019

“A única maneira eficaz de vencer todas as fontes de doenças e debilidades físicas e mentais é a consciência da Realidade Divina. Isso trará uma explosão de Amor e Luz, pois, quando você reconhecer que é o Atma, perceberá o mesmo Atma em todos, compartilhará a alegria e o pesar de todos e participará da força e fraqueza de todos. Quando você ansiar pela felicidade e prosperidade de toda a humanidade, será abençoado com sabedoria e força para demarcar o caminho e liderar todos em direção a ele. Em cada um, você verá Deus. Então, todos os seus atos serão puros, sinceros e sagrados, como uma oferenda a Deus. Boas palavras, boas maneiras, visão e pensamentos bons são essenciais para uma boa saúde! O que os remédios poderosos e caros podem fazer, se a pessoa está doente com maus pensamentos e sentimentos ruins? Vida virtuosa, pensamentos benéficos, ideais elevados e conduta correta conferirão saúde e, ainda mais preciosa, a bem-aventurança do Ser (Atmananda)!” (Discurso Divino, 20 de novembro de 1982)

Sathya Sai Baba

29 de agosto de 2019

“Os hábitos alimentares são de importância primordial para que a saúde possa ser garantida e mantida. Quando eles não são controlados, a saúde sofre. Devem-se restringir as aventuras descontroladas da língua. Entre os 8,4 milhões de espécies de seres vivos, todos, exceto os humanos, vivem de alimentos conforme fornecidos pela Mãe Natureza. Somente o homem se esforça para tornar esses alimentos mais saborosos, mais atraentes para os sentidos da visão, tato e olfato, fervendo, fritando, congelando, misturando, moendo e ensopando. A consequência dessa ganância é uma saúde débil e fragilidades. Deve-se perceber que as substâncias dos alimentos oferecidos pela natureza são realmente mais benéficas. Quando o calor é aplicado, os componentes dos alimentos perdem a vitalidade e não podem conferir força e eficiência. Assim, a pessoa envelhece rapidamente e perde a energia da juventude. Atender aos desejos da língua e ingerir alimentos pesados três ou quatro vezes ao dia só pode aumentar o problema. A ingestão regular e limitada, por si só, permite que uma pessoa cumpra seus deveres.” (Discurso Divino, 13 de agosto de 1971) 

Sathya Sai Baba

30 de agosto de 2019

“Não busque por mais e mais felicidade (sukham). Busque sabedoria (jñanam). A mente é um campo fértil para a ignorância. Limpe todos os traços da mente (mano nasanam). Como destruir a mente? É fácil. A mente é preenchida com desejos. É uma bola cheia de ar, como uma bola de futebol. Perfure-a e ela não se moverá. Nirvana significa sem ar. Em um tanque quadrado cheio de água, a água parece quadrada. Se o campo for circular ou retangular, a água que o preenche se parecerá com a mesma forma geométrica. A mente assume a forma do desejo que a preenche. Outro exemplo: ela é como um pedaço de pano, sendo a trama dos fios o desejo. Textura, cor, durabilidade e brilho do tecido dependerão do desejo que constitui a trama. Retire os fios, um por um, e o pano desaparece. Esta é a técnica para se destruir a mente.” (Discurso Divino, 20 de novembro de 1982) 

Sathya Sai Baba

31 de agosto de 2019

“Você deve saber que cada indivíduo é um peregrino e cada vida é apenas um estágio na jornada em direção à cidade da libertação. Este corpo é uma hospedagem, na qual permanecemos por um curto período de tempo durante esta peregrinação. A mente é o zelador, o vigia do abrigo onde descansamos. Não devemos tratá-la como se ela fosse o senhor ou dono. Contudo, devemos cuidar para que a morada que temos o privilégio de ocupar não seja danificada ou poluída. Temos que cuidar bem dela e de seus móveis, e tratar o vigia educadamente. O peregrino é ajudado ou prejudicado pelas artimanhas da mente. Os fios que formam a mente são o desejo ou a sede de algo, obtendo algum ganho ou evitando alguma perda. O desejo surge do apego, que é frequentemente a consequência da ilusão. O desejo distorce e denigre a mente, e a mantém incessantemente agitada. A bem-aventurança que emana do Atma deve ser, de fato, armazenada com a ajuda do intelecto (buddhi), como um canal no reservatório da mente. Essa é a sua função genuína.” (Discurso Divino, 20 de novembro de 1982) 

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.