Pensamento para o dia - agosto 2018

1° de agosto de 2018

“Cada um de vocês deve trabalhar duro para superar o hábito de cair em preocupações (chinta) e desânimo, de vez em quando.  Uma vez que essa semente crie raiz em sua mente, ela assumirá várias formas para reivindicar seu domínio. Cada estágio da vida está repleto de ansiedade; cada degrau do seu progresso é causa de preocupação. De fato, nascimento, morte, velhice e doença – cada uma dessas situações produz suas próprias preocupações. Como ter sono e dormir é causa de preocupação; como acordar é outra! Hoje em dia, entrar para a faculdade gera preocupação; conseguir vaga, nos alojamentos universitários, é outra preocupação; então, provas causam novas preocupações! Porém, essas não são questões essenciais. Elas não devem causar tanto mal-estar como o problema de remover o erro fundamental do seu processo de pensamento – ignorar a Divindade que inspira e guia você constantemente e para sempre. Não se preocupe. Desenvolva amor desinteressado com fé e compartilhe esse amor com todos.” (Discurso Divino, 07 de dezembro de 1978)

Sathya Sai Baba

2 de agosto de 2018

“Por suas palavras, você será julgado. Em uma caçada, um rei acabou cavalgando para tão longe, que sua comitiva não pode alcançá-lo. Ele viu um homem cego pela estrada na floresta, e então o abordou: “Olá caro homem. Você viu alguém passando por aqui?” O homem cego disse: “Não”. Então, passados alguns minutos, o ministro apareceu e perguntou ao mesmo homem: “Olá irmão! Você viu alguém passando por aqui? E recebeu a mesma resposta. O comandante, ao ver o homem, perguntou: “Olá tolo! Você viu alguém passando por aqui?”. Um soldado, que vinha por último, gritou: “Você, seu canalha cego, abra sua boca suja e me diga se alguém passou por este caminho”. Por fim, quando o padre da corte veio e disse: “Querido irmão, por favor, diga-me se alguém passou por aqui”. Ele, então, respondeu que um rei, um ministro, um comandante e um soldado passaram e lhe fizeram a mesma pergunta. A forma de falar de cada um revelou o status deles e seu caráter.” (Discurso Divino, 24 de julho de 1964)

Sathya Sai Baba

3 de agosto de 2018

“Atribuir a Deus as relações materiais da família humana é uma completa tolice. O Senhor, que está além do tempo e do espaço, anterior ao Início e posterior ao Fim, não pode nunca ser descrito com base nas memórias incipientes da humanidade, nos fenômenos temporários da família humana e da sociedade humana. Tais descrições não podem fazer sentido para aqueles que experimentaram a glória que é Deus. Não modernize Deus para satisfazer suas fantasias. Ele não é nem antigo nem moderno; Seu semblante nunca muda, tampouco Sua glória. Apresente-O, se lhe parecer importante, de uma maneira moderna, em estilo moderno, para que Ele possa ser entendido na atualidade. Se uma criança relutar para engolir um comprimido, introduza-o em uma fruta e ofereça a fruta à criança; ela comerá a fruta e engolirá o comprimido. Entretanto, não mude o comprimido para atender aos caprichos e fantasias do paladar da criança, porque se assim o fizer, a doença não será curada!” (Discurso Divino, 26 de outubro de 1961)

Sathya Sai Baba

4 de agosto de 2018

“Adote o Senhor como seu pai ou mãe, mas apenas como um primeiro passo para uma relação duradoura, que termina em fundir-se no absoluto. Não pare nos degraus; entre na mansão a qual eles o conduzem. A conexão com a alma (Atmasambandha) é uma associação eterna e imutável. Como um primeiro passo, você oferece flores, lamparina, incenso para adorar a forma com atributos. Em pouco tempo, sua devoção deve passar para oferendas mais novas, que são mais puras, de maior valor e dignas do seu Senhor. Ninguém fica parado em algum lugar por muito tempo; você também deve sentir que deve colocar algo mais duradouro que flores e incenso para o Senhor. Você deve sentir que deve se purificar e fazer da sua vida inteira uma chama perfumada. Isso é verdadeira adoração, devoção real. Não venha a Mim com as mãos cheias de lixo, pois como posso, então, preenche-las com a Graça? Venha com as mãos vazias para levar Meu tesouro, Meu amor.” (Discurso Divino, 26 de outubro de 1961)

Sathya Sai Baba

5 de agosto de 2018

“Você clama por mais experiências com a Minha natureza divina e pede que sua fé seja fortalecida a partir delas. Para sentir o sabor da água do mar, não é suficiente uma gota em sua língua? Você precisa beber todo o oceano? Desobediência, egoísmo e orgulho fazem você duvidar e negar o que você já havia experimentado! Uma experiência não é suficiente? Bem, deixe-Me perguntar: como o limitado pode conhecer a profundidade do Ilimitado? Como pode a formiga escavar a montanha? Está além de você Me avaliar. Você não tem paciência nem mesmo para lidar com os problemas de uma única família, embora seja sua responsabilidade. Imagine Minha paciência que Me permite ouvir e resolver os problemas de milhões de famílias com amor infinito! Você nunca poderá compreender a força desse vínculo supramundano, que o conecta a Mim. A experiência desse vínculo chegará a você inconscientemente. Seu dever é aguardar o momento. Acredite e seja abençoado!” (Discurso Divino, 23 de outubro de 1961)

Sathya Sai Baba

6 de agosto de 2018

“Existem três tipos de pessoas que se aproximam do Senhor: a) o tipo águia, que, com rapidez gananciosa e precipitação, desce sobre o alvo, e, devido ao impacto da descida, perde o objeto cobiçado; b) o tipo macaco, que pula rapidamente para cá e para lá, de uma fruta à outra, incapaz de decidir qual é a mais saborosa; c) o tipo formiga, que se move de forma constante, mas lentamente em direção ao objeto desejado. A formiga não bate com força na fruta, fazendo-a cair; tampouco arranca todas as frutas que vê; ela se apropria somente do que pode ingerir, e nada mais. Não desperdice o tempo destinado à sua peregrinação na Terra, em busca de defeitos e falhas tolas, que o mantém em áreas externas. Quando você vai caminhar no calor e quietude do seu próprio interior? De vez em quando, se retire solitário e em silêncio; experimente a felicidade proveniente somente de dentro.” (Discurso Divino, 26 de outubro de 1961)

Sathya Sai Baba

7 de agosto de 2018

“Para afastar o mal, algumas pessoas, que até então nunca fizeram caridade, tendem a fazer, com extravagância, rituais sagrados, rituais de adoração e reverenciar as forças planetárias.  Até então, tudo bem; deixe algum dinheiro fluir de um bolso a outro mais necessitado. Deixe o dinheiro circular. Deixe o espírito de caridade crescer, mesmo a partir do pânico. Entretanto, calamidades, perigos e morte não podem ser evitados o tempo todo; eles são fatos inevitáveis da vida, e você deve aprender a conviver, bravamente, com eles. Isso só pode ser alcançado por meio de orações ininterruptas, e não por surtos de adoração provocados por medos repentinos. Purifique seus corações e seus pensamentos, sentimentos, emoções e fala; fortaleça seus impulsos nobres. Dessa forma, nenhum pânico pode desencorajá-lo, e nada pode abalar sua estabilidade e paz interior (Prashanti). Suas orações serão ouvidas e atendidas; o Senhor não faz distinção alguma entre grande ou pequeno, alto ou baixo.” (Discurso Divino, 04 de março de 1962) 

Sathya Sai Baba

8 de agosto de 2018

“Quando uma pessoa morre, sua propriedade e posses permanecem na casa; estes não vão com a pessoa. Seus parentes tampouco podem ir; somente o bom ou mau nome conquistado dura aqui. Então, você deve viver de tal maneira, que a posteridade se recordará de você com gratidão e alegria. Para levar uma vida boa, o contato constante com o Deus interior é de grande ajuda. Essa inspiração pode, somente, ser alcançada por meio da recitação do Nome do Senhor e da invocação das fontes internas da Divindade. O Nome é um instrumento valioso para ganhar Sua Graça, realizar Sua Presença, descrever Sua Forma e lembrar de Sua Glória. Mesmo que seja repetido com o coração uma vez pela manhã, e uma vez à noite, isso fará de uma griham (casa) uma griham, ao invés de uma guha (caverna). Lembre-se quão felizes, contentes e despreocupados foram os grandes santos, que se deleitaram no Nome - Jayadeva, Tukaram, Kabir, Surdas, Tulsidas ou Ramakrishna.” (Sathya Sai Speaks, volume 06, capítulo 27)  

Sathya Sai Baba

9 de agosto de 2018

“Como você não pode nadar em um riacho com correnteza, você usa uma jangada. Da mesma forma, já que você não pode dominar o Sem Forma, você recorre à Forma com atributos e luta para nadar até o Sem Forma, por meio da adoração e contemplação. Mas é possível permanecer na jangada para sempre, entre as correntezas e redemoinhos? Você deve descartar essa adoração convencional e alcançar a costa. Adoração é apenas um meio para educar as emoções. Impulsos humanos e emoções devem ser guiados e controlados. Assim como as águas revoltas do rio Godavari tem que ser contidas por diques, paradas por represas, domesticadas por canais e levadas calmamente ao oceano, o qual pode engolir todas as correntezas sem deixar vestígios, os instintos duradouros em você devem ser treinados e transmutados pelo contato com ideais e poderes elevados. Quando a fruta estiver madura, ela cairá da árvore por conta própria. Similarmente, quando a renúncia satura seu coração, você perde o contato com o mundo e cai no colo do Senhor.” (Discurso Divino, 26 de outubro de 1961)

Sathya Sai Baba

10 de agosto de 2018

“Em todas atividades mundanas, tenha cuidado para não ofender os códigos de conduta social apropriada ou os princípios da amabilidade; não traia as sugestões da voz interior; esteja preparado para, em todos os momentos, respeitar os ditames da consciência; fique atento aos seus passos, para saber se você está atrapalhando o caminho de outra pessoa; e esteja sempre vigilante para descobrir a verdade por trás dessa variedade de brilhos. Este é seu dever, seu dharma. O fogo ardente da sabedoria (jnana), o qual convence você de que tudo é Divino (Sarvam Khalvidam Brahma), transformará em cinzas todos os traços do seu egoísmo e apego mundano.  Quem subjuga o egocentrismo, vence desejos egoístas, destrói sentimentos e impulsos bestiais, e desiste da tendência natural de considerar o corpo como o eu, esta pessoa, certamente, está no caminho do dharma; ela sabe que o objetivo do dharma é a fusão da onda com o mar, a fusão do Eu com o Supremo Divino!” (Dharma Vahini, capítulo 1: O que é Dharma?)

Sathya Sai Baba

11 de agosto de 2018

“A retidão (Dharma) não tem preconceito ou parcialidade; está imbuída de verdade e justiça. As pessoas devem aderir à conduta reta (dharma); elas devem considerar nunca ir contra isso. É errado se desviar disso. O caminho do dharma requer que as pessoas desistam do ódio contra os outros, e que cultivem harmonia e amizade mútuas. Por meio de harmonia e amizade, o mundo crescerá, dia após dia, se tornando um lugar de felicidade. Se estes estão bem estabelecidos, o mundo estará livre de inquietação, indisciplina, desordem e injustiça. Qualquer que seja o ideal que você queira seguir, primeiramente, compreenda o seu verdadeiro significado. Então, você deve cultivá-lo diariamente e se beneficiar dele. Por estes meios, a sabedoria cresce e o contentamento duradouro é conquistado. Os sábios, que são imparciais e sem preconceitos, que estão comprometidos em viver em dharma, caminham na estrada da verdade (Sathya), como ensinado nos Vedas. Este é o caminho para as pessoas de hoje.” (Dharma Vahini, capítulo 13: A pessoa dharmica.)

Sathya Sai Baba

12 de agosto de 2018

“No tempos atuais, ansiedade e medo estão se espalhando entre as pessoas, enquanto que a retidão (dharma) está sofrendo um retrocesso. O mundo pode recuperar a paz e a harmonia somente quando as pessoas se sentirem convencidas a praticar os ideais estabelecidos nas escrituras (Vedas), que servem como um farol para guiar a humanidade corretamente. Todas as atividades na sua vida diária estão, sem dúvida, expressando a prática do dharma. As Upanishads nos guiam sobre o que deve ser feito e o que deve ser evitado, na jornada da vida. Para que alguém se envolva em atividades benéficas, a sabedoria espiritual é um pré-requisito essencial. As Upanishads nos orientam a reverenciar a mãe como Deus, o pai como Deus, o preceptor como Deus, e também o convidado como Deus. Elas também nos alertam que a verdade e a retidão não devem ser negligenciadas. Portanto, existem instruções positivas e negativas; siga estes conselhos, e não outros. Aceite o que for que o conduza ao seu progresso no bem; evite o que não para esta finalidade.” (Sathya Sai Vahini, capítulo 11: Princípios nos Vedas)

Sathya Sai Baba

13 de agosto de 2018

“Nessa jornada da vida, primeiro e acima de tudo, você precisa ter autoconfiança. Nos dias de hoje, as pessoas sofrem devido à falta de autoconfiança. Pode haver algumas dificuldades no seu caminho, mas não fique excessivamente perturbado. Você deve enfrentar todas as adversidades com coragem e convicção. Somente então, você alcançará a verdadeira felicidade. Se você tiver fé absoluta em Deus, você será capaz de superar todas as dificuldades. Jamais culpe Deus por suas dificuldades. Você é obrigado a enfrentar as consequências de suas ações, sejam boas ou más! Entretanto, se você ganhar a graça de Deus, mesmo as situações difíceis renderão o bem.  Portanto, desenvolva fé em Deus cada vez mais. Você confia no seu amigo, que conheceu há poucos anos atrás, mas não em Deus que está com você, em você e ao seu redor, ao longo de toda sua vida. Você confia na lavadeira, que leva suas roupas valiosas. Por que, então, é tão difícil para você ter fé firme e confiança na Divindade onipresente, onipotente, onisciente e todo-poderosa?” (Discurso Divino, 14 de fevereiro de 1999)

Sathya Sai Baba

14 de agosto de 2018

“Os olhos, as orelhas, o nariz e as mãos são membros diferentes do corpo. O corpo é um membro da sociedade. A sociedade é um membro da humanidade. A humanidade é um membro da natureza. A natureza é um membro de Deus. É devido ao impacto da educação moderna, que o homem está usando mal seus membros. Os Vedas ensinam que toda educação, que uma pessoa recebe, deve ser utilizada para o bem-estar da sociedade. Os Vedas dizem “Sarvaloka hite ratah” (as pessoas devem se envolver no serviço à sociedade). Sarvajnanopa sampannah (as pessoas devem ser um tesouro de sabedoria) e Sarva samudita gunaihi (as pessoas devem cultivar todas as boas qualidades). Depois da educação, deve-se trabalhar pelo bem-estar da sociedade e do mundo em geral. Uma pessoa não deve ter a visão estreita que somente sua família deve ser feliz. Sem o mundo, onde está a família? O homem e sua família são dependentes da sociedade, e do mundo de maneira geral. Assim, o indivíduo e a família só podem ser felizes quando o mundo estiver seguro e protegido.” (Divino discurso de 14 de abril de 1999)

Sathya Sai Baba

15 de agosto de 2018

“A bandeira é o símbolo da vitória, que celebra a alegria da independência. Cada nação tem sua própria bandeira. Preste atenção em outra bandeira, a que simboliza outra vitória louvável sobre os instintos mais baixos, impulsos, paixões, emoções e desejos – a bandeira que tem de ser hasteada em todo coração humano. Quando vocês atingirem esta vitória, vocês se tornarão os herdeiros verdadeiros da cultura Bharatiya. Todos devem amar sua pátria-mãe. Porém, isso não deve levá-los a odiar a pátria-mãe do outro. Então, vocês devem orar: ‘Que todo o mundo seja feliz e pacífico’. Lembrem-se sempre que sua paz e felicidade estão conectadas à paz e felicidade do mundo. Qualquer ato de ódio ou violência, cometido por vocês, poluirá a atmosfera do mundo. Quando vocês adoram qualquer ser vivo, a adoração chega a Deus, por Ele estar em todos os seres. Ofenda qualquer ser vivo, e a ofensa chegará a Deus. Então, desenvolvam amor por todos, em todos os lugares.” (Discurso Divino, 15 de agosto de 1985)

Sathya Sai Baba

16 de agosto de 2018

“Algumas pessoas, quando diante de dificuldades, pensam que Deus está punindo-as. É um erro pensar assim. Deus nunca pune alguém. Apenas o governante pune, não Deus. Deus é amor; Ele dá somente amor, sempre. A punição que você recebe é resultado de suas próprias ações. Deus nem pune nem protege você. Você é punido em razão de seus próprios erros, e protegido pelas suas boas ações. Você pode utilizar a luz para escrever relatórios incorretos ou para ler o sagrado Ramayana. Contudo, a luz não é afetada pelo que você faz. Similarmente, Deus é a eterna testemunha. Ele é como a luz, não se afeta por suas boas ou más ações. Sejam elas agradáveis ou desagradáveis, você deve enfrentar as consequências de suas ações. Assim, não se entretenha com más ações. Sempre faça o bem, seja bom e veja o bem. Este é o caminho para Deus. Não diga: ‘Eu tentarei’; você deve fazê-lo.” (Discurso Divino, 14 de abril de 1999)

Sathya Sai Baba

17 de agosto de 2018

“O homem sempre anseia por bem-aventurança. O primeiro requisito para conseguir a Bem-aventurança Suprema é um coração puro. O coração das pessoas, o qual deve ser branco e puro como o leite, hoje em dia, está cheio de maus pensamentos e sentimentos. Os exercícios espirituais começam com a purificação do coração, para então transformá-lo em um oceano de leite. Quando o coração está preenchido com qualidades sátvicas (puras), ele se transforma em um oceano de leite. Somente então, ele se torna uma moradia digna para o Senhor (Vishnu), cuja morada é descrita como Ksheera Sagara (o Oceano de Leite). Porém, por ceder a impulsos tamásicos e rajásicos (letargia e agressividade), as pessoas transformaram seu coração em ksharasagaram, um oceano salgado. No oceano salgado existem tubarões e baleias. Da mesma forma, no coração da pessoa maldosa, qualidades más – como luxúria, raiva, ganância e inveja – florescem. É uma estupidez dar lugar a estas forças maléficas. Elas devem ser totalmente eliminadas, para que o Senhor possa encontrar Seu lugar de direito em um coração puro e sagrado.” (Discurso Divino, 03 de maio de 1987)

Sathya Sai Baba

18 de agosto de 2018

“Uma vez Vivekananda perguntou a Ramakrishna Paramahamsa se ele já tinha visto Deus. Ramakrishna Paramahamsa respondeu enfaticamente: ‘Sim, eu já vi Deus. Eu O vi, assim como estou vendo você’. ‘Então, por que eu não O vejo?’, perguntou  Vivekananda. Ramakrishna respondeu: ‘Você chora por sua família, você sofre por seu negócio e riqueza, mas você chora ou anseia por uma visão de Deus? Faça isso e você, certamente, verá Deus! Todo o tempo, eu desejo apenas a visão de Deus. Por isso, Deus está visível para mim todo o tempo, em todos os seres humanos’. Neste mundo, não há nada mais fácil do que alcançar Deus. Você enfrenta adversidades e se sente deprimido porque você não compreende essa verdade. Ao invés de derramar lágrimas por coisas mundanas, por que você não anseia por ver Deus? Não vá a lugar algum em busca de Deus. Direcione sua visão para dentro. Você pode ver Deus instantaneamente. Tenha fé plena que Ele mora no seu coração e experimente-O dentro de você.” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1999)

Sathya Sai Baba

19 de agosto de 2018

“A cultura de Bharata tem dado grande ênfase ao ensinamento: Matrudevo bhava (reverencie a mãe como Deus) e Pitrudevo bhava (reverencie o pai como Deus). Não existem pessoas exemplares no estado de Bengala Ocidental? Lá também não existem pessoas ricas e educadas? No entanto, elas não puderam ser bem-sucedidas na vida, por causa da falta de fé em Deus. Apenas Ramakrishna Paramahamsa conseguiu levar uma vida ideal amando sua mãe e obedecendo suas instruções, devido à sua fé implícita e devoção à ela. Ele ensinou às pessoas que não há nada maior e mais nobre no mundo que o amor de mãe. Você analisa a história de qualquer pessoa grandiosa nesse mundo; essas pessoas devem às suas mães sua grandiosidade. Em verdade, a mãe é Deus. Portanto, não é adequado ferir os sentimentos de uma mãe, que é a personificação do amor. Nossa vida será feliz e próspera somente quando desenvolvermos amor por nossas mães.” (Discurso Divino, 06 de maio de 2005)

Sathya Sai Baba

20 de agosto de 2018

“O seu corpo é mortal, porém, o princípio da vida (Atma) é imperecível. Para obter imortalidade, tenha amor incondicional por Deus. Imagine que você está indo a um ourives para pedir-lhe que faça uma joia do seu gosto. Seu trabalho é apenas confiar o ouro a ele, com a condição de que o peso e design atendam à sua especificação. Você não deve interferir na maneira como ele transformará o ouro na joia que você quer. Se você coloca condições como não queimar o ouro, nem bater nele com um martelo, como conseguirá o ornamento que você encomendou? Da mesma forma, se você entrega seu coração a Deus com condições e reservas, como você alcança bem-aventurança?  O que Ele faz com você, diz respeito a Ele. Ore a Deus com entrega incondicional. Quando tudo que você tem – seu corpo, mente e intelecto – são dons Dele, onde está a necessidade de você estabelecer condições? Se entregue completamente, Deus lhe concederá a bem-aventurança que você merece!”  (Discurso Divino, 23 de novembro de 1999)

Sathya Sai Baba

21 de agosto de 2018

“As pessoas desejam os frutos das boas ações, que não fizeram! Você quer ser salvo das consequências das ações maléficas, nesse caso, pergunte a si mesmo: você se abstém da prática das más ações? Você fica feliz quando alguém lhe dá alguma coisa. No entanto, você se sente, igualmente, feliz em dar aos outros?  O que você planta, irá colher – é uma lei implacável! Ninguém pode escapar das consequências de suas ações, sejam boas ou más. Para desfrutar da felicidade duradoura, você deve preencher sua mente com pensamentos puros e guardar bons sentimentos no seu coração. Por meio de bons pensamentos e ações bondosas, o coração se torna puro e sagrado. Na jornada da vida, o corpo é como uma carroça e o coração como um cavalo. Se você não alimenta bem o coração, a jornada não pode prosseguir adequadamente. O coração deve ser alimentado com boa ração, em forma de Satsang (boa companhia), Sat Pravartana (boa conduta) e bons pensamentos. Submeta tudo como oferenda a Deus!” (Discurso Divino, 03 de maio de 1987)

Sathya Sai Baba

22 de agosto de 2018

“Seu destino é determinado por suas próprias ações. Por meio de ações corretas, a mente é purificada e uma mente pura resulta em um despertar de jñana (sabedoria espiritual). Quando você realiza práticas de adoração a Deus pela manhã, você deve honrar qualquer trabalho que se proponha a fazer. Você deve orar à deidade que preside o Karma (ação): ‘Hoje, deixe-me realizar somente ações puras, bem-intencionadas e úteis’. As circunstâncias do seu nascimento são o resultado das ações do passado. Ação (Karma), Nascimento (Janma), Retidão (Dharma) e o segredo da vida (Marma) estão todos conectados à Divindade (Brahman). Eles são como as quatro paredes de um edifício. A primeira parede é Karma (ação). Uma pessoa não deve agir segundo os  ditames de suas fantasias. Antes de fazer qualquer coisa, você deve verificar se é apropriado ou inapropriado. Nada deve ser feito às pressas ou sob o impulso do momento.  Somente então, suas ações serão sátvicas e livres das manchas rajásicas e tamásicas.” (Divino Discurso, 03 de maio de 1987) 

Sathya Sai Baba

23 de agosto de 2018

“Na medida do possível, sirva a sociedade. Obviamente, você precisa ter um trabalho e ganhar o seu sustento. Porém, não seja ganancioso. Fique satisfeito com o que conseguir. Todos têm de deixar esse mundo com as mãos vazias. Alexander conquistou muitos reinos e confiscou muitas riquezas.  Quando seu fim se aproximou, ele percebeu que não poderia levar consigo, sequer, uma moeda de um centavo. Ele pediu ao seu ministro que mantivesse suas duas mãos erguidas acima da cabeça, durante o cortejo fúnebre, para que o povo compreendesse que até mesmo o poderoso imperador Alexander teve que deixar o mundo sem levar nada com ele. Da mesma forma, mesmo um milionário tem que compartilhar apenas comida; ele não pode comer ouro. Assim, fique satisfeito com o atendimento das necessidades básicas de alimentos, roupas e abrigo. Faça seu trabalho apropriadamente, e realize atividades de serviço no seu tempo de lazer. O melhor caminho para amar a Deus é amar a todos e servir a todos.” (Discurso Divino, 26 de julho de 1999)

Sathya Sai Baba

24 de agosto de 2018

“Os anos de vida atribuídos a um humano são poucos; o mundo, no qual você vive, é muito amplo; o tempo se estende para trás e muito além. Seja o que for que você tenha que fazer, faça rápido, no local e tempo que lhe foram determinados. Você deve cumprir com os deveres correspondentes ao seu papel social com uma atitude de reverência. Uma guirlanda não surge de uma única flor; muitas flores de matizes e fragrâncias diferentes são amarradas em um fio para alcançar o objetivo comum de decorar o Senhor. Da mesma forma, força física, recursos financeiros e inteligência de todos devem ser misturados e combinados para que o projeto seja bem-sucedido. A vida não foi dada somente para comer e fazer a digestão, perambular e descansar, mas para um propósito muito maior – a realização da Divindade em nós, e em tudo que existe em torno de nós, como também em todas as coisas que estão além dos nossos sentidos. Desperdiçar esta vida em atividades fúteis e meros prazeres sensoriais, não é um sinal de uma pessoa inteligente. Mereça a Graça de Deus, ajudando os fracos e pobres, doentes e portadores de deficiências, aflitos e oprimidos.” (Discurso Divino, 28 de janeiro de 1975)

Sathya Sai Baba

25 de agosto de 2018

“Queridos estudantes, professores e aficionados por educação, para alcançar qualquer objetivo na vida, vocês precisam de uma mente resoluta, esforço incansável e determinação inabalável. Meninos e meninas devem cultivar estas qualidades para garantir um futuro brilhante, uma carreira respeitável e digna. Para enfrentar diferentes situações na vida, os estudantes devem aprender a praticar equanimidade e amabilidade. Visão igualitária e sentido de unidade com todos é a marca de um verdadeiro ser humano. Todos vocês têm responsabilidade social. O mundo, em verdade, é uma família humana, e você deve experimentar essa unidade. Esportes e jogos permitem que os estudantes desenvolvam esse sentimento de unidade. Esportes, jogos e exercícios físicos contribuem, diretamente, para a boa forma física e boa saúde. No entanto, você não é apenas o corpo grosseiro. Você tem o elemento sutil, a mente em você.  Somente quando você alcança a pureza da mente e desenvolve altruísmo, você pode conseguir paz mental e experimentar a felicidade genuína.” (Discurso Divino, 14 de janeiro de 1989)

Sathya Sai Baba

26 de agosto de 2018

“Gita Govindam, um livro de músicas sobre Govinda do grande poeta Jayadeva de Odisha, é um retrato imortal de Radha Bhakti (o amor que a devota Radha tinha pelo Senhor Krishna) em suas múltiplas manifestações. Jayadeva expressou isso com tanta beleza e clareza, que até o homem que estava no arado cantou as canções, e encheu seu coração com alegria divina. O rei Lakshmana Sena ficou com inveja, preparou um livro paralelo de canções e ordenou que essas canções fossem cantadas – ao invés das inspirações de Jayadeva – em todos os templos de Odisha, incluindo o Templo de Jagannath, em Puri. As suas ordens foram recebidas com protestos generalizados, por esta razão, o rei colocou ambos livros aos Pés do Senhor, trancou o santuário, colocando-o sob severa vigilância. Quando as portas foram abertas pela manhã, o rei viu o Senhor com o Gita Govindam de Jayadeva em Suas mãos, enquanto que o seu livro rival – escrito com base na inveja e orgulho – havia sido jogado fora. O Senhor anunciou que Ele derrama Graça sobre pureza interior, não em pompa externa.” (Discurso Divino, 07 de setembro de 1985)

Sathya Sai Baba

27 de agosto de 2018

“Devoção ajuda você a conseguir a bem-aventurança da fusão com Deus mais facilmente, por meio do direcionamento das agitações mentais, impulsos sensoriais e emocionais a Ele. As várias formas de adorar a Deus nos templos retratam esse conceito. Você encontrará muitas cerimônias desde ‘despertando Deus’, durante o amanhecer, a ‘colocando Deus para dormir’, tarde da noite. Estas cerimônias se destinam a elevar e estimular tendências devocionais da mente vacilante. Cada evento ajuda a sublimação das emoções apropriadas, de maneira particularmente encantadora. Na experiência dessa sublimação, a agitação das emoções inferiores diminui e desaparece. Os sentimentos mundanos e vulgares da vida cotidiana se elevam à categoria de adoração e dedicação à Presença Todo-Poderosa. O Senhor evoca em você a emoção que você associa a Ele. Quando o Senhor é concebido como o Mais Amado – assim como Jayadeva, Thukaram, Surdas, Radha e Meera conceberam-nO – Ele se manifesta como o mais próximo e o mais querido, e jorra felicidade.”  (Dharma Vanihi, capítulo 10, A casa de Deus)

Sathya Sai Baba

28 de agosto de 2018

“Você se refere à doação de alimentos como Anna-dana. Entretanto, ninguém tem a autoridade de doar, por caridade, o que foi dado por Deus, nem tampouco, ficar orgulhoso ou mesmo acreditar que fez caridade. Deus deu as chuvas, alimentou as sementes e fez amadurecer os grãos. Qual direito você tem de chamá-los de seus, e doá-los por caridade? Não é dana (caridade) que você faz; você está, apenas, sendo grato a Deus! Você está santificando os grãos que colheu, ao oferecê-los como alimento aos Deuses em forma humana (Narayanas)! Então, chame esta ação de Narayana Seva! Assim será mais correto. Cada um de vocês é um membro do corpo chamado Universo. Faça seu trabalho sem resmungar; trabalhe em cooperação com todos. Somente assim, o Universo ficará saudável e feliz. O amor – e somente o amor – pode conectar você aos outros e a Deus, que é a própria personificação do amor.” (Discurso Divino, 28 de janeiro de 1975)

Sathya Sai Baba

29 de agosto de 2018

“Pense profundamente sobre as funções de um local de adoração, isto é, um templo. Templos são centros de disciplina, onde o aspirante é guiado, passo-a-passo, para conseguir a visão da Verdade.  Eles são escolas para a educação do espírito, academias para o fomento de estudos das escrituras, institutos de super ciência e laboratórios de teste dos valores da vida. Eles são hospitais para tratar e curar não apenas a “doença morte-nascimento” – que tem persistido nos indivíduos por eras – mas até mesmo desordens mentais muito mais poderosas, que perturbam aqueles que não conhecem o segredo da obtenção da paz.  Templos são academias de ginástica, onde as pessoas são recondicionadas, sua fé, convicção em declínio e egoísmo crescente são curados. Templos são espelhos que refletem padrões estéticos e conquistas. O propósito do templo é despertar a divindade na humanidade e levar as pessoas a crer que as estruturas físicas na qual vivem são, elas mesmas, casas de Deus.” (Dharma Vahini, capítulo 10, A Casa de Deus)

Sathya Sai Baba

30 de agosto de 2018

“Cada pássaro, animal, árvore, montanha e estrela, cada pequenino verme, tem uma lição para você, caso você tenha vontade e sede de aprender. Eles fazem do mundo uma universidade de verdade para você; é um Gurukul, onde você é um estudante desde o nascimento até a morte. Por exemplo, a árvore pode ensinar a você indulgência e tolerância. Ela oferece sombra a todos, independentemente de idade, gênero, religião, nacionalidade ou posição econômica. Ela ajuda com frutas e sombra até mesmo o adversário, que corta seu tronco com um machado! O mar revolve e surge com enorme alegria em lua cheia; ele só conhece a plenitude do contentamento. O sol pode levantar nuvens de vapor dele, no entanto, o mar não se lamenta. A chuva pode contemplá-lo com uma costa abundante, porém ele não se regozija. Isso ensina a você equanimidade. Observe as ondas rolando – uma atrás da outra – em direção à costa, trazendo detritos e objetos flutuantes descartados, frascos e galhos para serem depositadas em terra. Existe uma luta ininterrupta, um sadhana admirável para se manter limpo, o qual você pode muito bem adotar.” (Discurso Divino, 26 de julho de 1972)

Sathya Sai Baba

31 de agosto de 2018

“O Senhor, que é Prema Swarupa (Amor Divino personificado), concederá a você tudo que lhe for necessário, apesar de você não ter pedido qualquer coisa. Ele sabe; Ele é a Mãe, que não precisar esperar ouvir o choro da criança para alimentá-la. Seu amor é tão vasto e profundo, que Ele se antecipa a todas as necessidades e corre para ajudar você. Você está sempre orando com ansiedade e colocando diante de Mim a longa lista de desejos que tem. Esses desejos vão se multiplicando infinitamente. A satisfação de um desejo leva a uma nova série. Empenhe-se para chegar ao estágio em que somente o desejo Dele tenha valor e que você seja um instrumento nas mãos Dele. As Gopis desejavam ouvir somente sobre a glória de Krishna, o encanto de Krishna, as palavras de Krishna, as brincadeiras de Krishna, jogos, passatempos, e as conquistas e realizações de Krishna. Quando você preenche seu coração com amor por Krishna, você alcança sarupya e sayujya (semelhança à forma e absorção em Krishna). Esforce-se para esta consumação, não para vitórias menores.” (Discurso Divino, 13 de julho de 1965)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.