Pensamento para o dia - agosto 2017

 

1° de agosto de 2017

“Descubra as dificuldades e os problemas que envolvem os outros e ajude-os na medida em que você puder auxiliá-los; e também auxilie-os a levarem suas vidas de tal forma que elas não se repitam. Aprenda a viver com os outros, compartilhando suas alegrias e dores; seja tolerante, não arrogante. Quando se vive junto em harmonia, a vila será feliz e segura; e quando as aldeias são bem unidas e fortes, a nação também será forte e inexpugnável. O ciúme, a raiva, o ódio e a ganância desintegram uma nação e a faz cair em desordem e angústia. Afaste as forças divisórias que mantêm a pessoa afastada de outra e evitam uma cooperação saudável e a ajuda mútua. Inculque disciplina também no campo do Sadhana e insista para que as pessoas desempenhem seu dever para si e seu destino. A devoção é como a cabeça, o dever é o tronco e a disciplina é os pés. Que a devoção esteja ligada ao dever e seja liderada pela disciplina; então, o sucesso será certo.” (Discurso divino, 16 de março de 1973)

Sathya Sai Baba

2 de agosto de 2017

“Um coração saturado com amor a Deus nunca pode acolher pensamentos de violência. É pura hipocrisia se ajoelhar diante de Deus e depois forçar outros a se ajoelhar diante de você. Deus é amor, Deus é paz e Deus é força. Como uma pessoa pode estar em contato com Deus e ainda ser orgulhosa e amarga? Agitada e irritada? Fraca e vacilante? Sua afirmação de estar em contato com Deus é apenas uma fraqueza risível; isto não pode ser verdade. Uma árvore é julgada pelo seu fruto. Os líderes devem desenvolver o amor universal, não limitado a fronteiras políticas que mudam de década para década, ou rótulos religiosos afixados e apagados para atender às necessidades temporárias. A oração que surgiu de milhões neste país de todos os seus templos, esplanadas sagradas, santuários e altares durante séculos é: Sarve janah sukhino bhavanthu - Que todos os seres do mundo sejam felizes e prósperos, e Samastha lokaah sukhino bhavanthu - Que todos os mundos tenham paz e prosperidade.” (Discurso Divino, abril de 1973)

Sathya Sai Baba

3 de agosto de 2017

“Sua vida não deve ser um círculo inútil de comer, beber e dormir; você tem o Atma (alma) como sua realidade e, portanto, aprenda a tomar consciência dessa fonte infalível de bem-aventurança. Ao usar corretamente sua inteligência, você pode tocar na fonte e ser extremamente feliz. A felicidade só pode ser conquistada prosseguindo rumo a Deus, não seguindo os impulsos dos sentidos. Das vinte e quatro horas que lhe são disponíveis todos os dias, deixe-Me aconselhá-lo a dedicar uma pequena fração à meditação ou a orações ou a ler escrituras ou a ouvir discursos sobre o jogo divino (leelas) do Senhor. Pense em Deus e na gratidão que você Lhe deve pela vida humana que Ele o concedeu e os vários talentos materiais, morais e intelectuais que Ele lhe deu, antes de começar qualquer tarefa. Você certamente terá grande benefício e terá paz, alegria e sucesso em seus esforços através da Graça Divina.” (Discurso Divino, 16 de março de 1973)

Sathya Sai Baba

4 de agosto de 2017

“Você tem todos os recursos que precisa em si mesmo. Você pode liberá-los identificando, manifestando e compartilhando-os com os outros. Você é Sath, Chit e Ananda (Ser, Consciência, Bem-aventurança absoluta); você é Shiva-Shakti Swarupa (forma de energia divina). Não cultive a convicção de que você é meramente humano; tenha certeza de que você está destinado à Divindade. Quando a Divindade assume a forma humana como descrito no Ramayana, Mahabharata e Bhagavatha, você deve interpretar as ações como fornecedoras de exemplos e lições, e não como histórias humanas apregoadas para o entretenimento! Os cinco irmãos Pandavas são cinco qualidades do caráter humano, todos observando as normas estabelecidas pelo mais velho, que é o mais nobre e o mais justo. No Ramayana, o Senhor Rama é um exemplo brilhante de adesão intransigente ao princípio da retidão, seja qual for a tentação! Rama foi considerado como tendo um amor que transcendeu casta, credo e que se estendeu até mesmo a pássaros e feras. O amor é a chave para abrir as portas bloqueadas pelo egoísmo e a ganância.” (Discurso Divino, abril de 1973)

Sathya Sai Baba

5 de agosto de 2017

“Ravana tinha um vasto conhecimento de textos espirituais. Suas dez cabeças representam o aprendizado que ele obteve dos seis Shastras (escrituras) e dos quatro Vedas. Mas ele nunca colocou esse conhecimento em uso de alguma forma. Ele ansiava apenas pela posse de Prakriti (objetos materiais); Ele queria dominar o mundo da matéria, o mundo objetivo. Mas ele não foi domesticado pelo espírito. Ele descartou o Purusha, o Senhor; Ele estava satisfeito com a posse de Lanka, de Prakriti (Matéria), representada pela mãe Sita. Foi por isso que ele caiu. Como o macaco que não conseguia retirar a mão do pote de pescoço estreito, porque ele já segurava em sua mão um punhado de amendoins que o pote continha, as pessoas também estão sofrendo atualmente porque não estão dispostas a se livrarem de um punhado de coisas agradáveis ​​que eles agarraram do mundo. A pessoa é levada à crença errada de que a acumulação de bens materiais o dotará de alegria e calma. Mas apenas o Amor Divino pode dar essa alegria eterna.” (Discurso Divino, 28 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

6 de agosto de 2017

“Se despojar de todos os contatos com os outros e seguir um caminho solitário é um sinal de fraqueza, de medo e não de coragem. A associação viva, por si só, produz moralidade, justiça, compaixão, simpatia, amor, tolerância, equanimidade e muitas outras qualidades que endurecem e treinam o caráter e moldam a personalidade de um indivíduo. A cultura é a consequência da co-mistura de corações e cabeças. Um grupo de indivíduos, que são acusados ​​de ódio ou desprezo uns pelos outros, não pode produzir nenhum efeito benéfico sobre nenhum grupo; Sama-chintha, ou seja, uma visão comum ou, preferencialmente, uma visão interior comum é o fator essencial. Sistemas de crenças comuns, opiniões e atitudes são fundamentais. Este Sama-chintha deve resultar em uma onda de bem-aventurança divina que envolva e ilumine uma comunidade inteira. A consciência de que a pessoa é Divina e que todos os outros são igualmente assim é o melhor vínculo para uma comunidade, essa bem-aventurança é a melhor atmosfera para nutrir e sustentar as comunidades.” (Discurso Divino, abril de 1973)

Sathya Sai Baba

7 de agosto de 2017

“Um milionário paga o imposto de renda com lágrimas em seus olhos. Um diretor entrega alegremente os móveis e aparelhos de laboratório de sua escola quando ele é transferido para algum outro lugar. Por quê? Porque o diretor sabe que ele é apenas o cuidador e não o dono. Ele não está vinculado a esses artigos. Ele sabe que eles pertencem ao governo. Assim também, sinta que sua família, casa, propriedade, carro, etc. são todos propriedades do Senhor e que você é apenas o administrador. Esteja pronto para abandoná-los sem um murmúrio no momento em que o fizer. As escrituras sagradas contêm os remédios para curar o apego e dotá-lo com a força do desapego. Sacrifício (Tyaga) não significa que você não deve valorizar as coisas. Você pode até se importar com elas. Mas lembre-se sempre de que elas são passageiras, que a alegria que elas dão é trivial e temporária. Conheça o seu valor real. Não as superestime. Não desenvolva apego (moha) por elas.” (Discurso divino, 19 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

8 de agosto de 2017

“Dhana (dinheiro) é a moeda do mundo; Sadhana (práticas espirituais) é a moeda do espírito. Quando os autodenominados devotos vêm a você com suas listas e livros buscando doações, não ofereça dinheiro. Por que você precisa de um salão para meditar ou repetir o Nome do Senhor (dhyana ou namasmarana)? A presença de outros com intenções diferentes será mais frequentemente um obstáculo ao invés de uma ajuda. Em vez disso, faça da sua casa um templo, medite em sua própria sala de santuário. Cante bhajans amorosamente em sua própria casa! Acima de tudo, seja um exemplo para os outros pela sua conduta - pratique um discurso suave e sincero, seja humilde e mostre reverência aos anciãos. Viva com fé, firmeza e veracidade. Dessa forma, você trará mais pessoas para o rebanho do teísmo do que pela criação de sociedades, de coleta de doações e do funcionamento de templos. Lembre-se, o Senhor realmente se preocupa com sinceridade, simplicidade e alegria constante na contemplação de Seu nome e forma; nada mais!” (Discurso Divino, 19 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

9 de agosto de 2017

“A conclusão de um Saptah (discurso de sete dias) é chamada Samapti. Mas o termo Samapti tem um significado profundo para isso também. Significa a conquista (Aapti) de Samam (Brahman ou Divindade). Esse é o fruto final da escuta, da recapitulação e da absorção (sravana, manana e nididhyasana) das lições e dos discursos espirituais. No sentido mundano, significa a conclusão de uma série de sessões. No sentido espiritual, significa transcender o tempo! Qual é a soma e a substância de todo empreendimento espiritual? É que você deve desistir de sua busca por objetos sensoriais em sua busca por paz e alegria duradouras. A riqueza material traz junto com ela não apenas alegria, mas sofrimento também. O acúmulo de riquezas e a multiplicação de desejos conduzem apenas à alternância entre alegria e tristeza. O apego é a raiz de alegria e tristeza. O desapego é o Salvador.” (Discurso Divino, 19 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

10 de agosto de 2017

“Se você faz uma peregrinação como um piquenique, sem a preparação mental necessária para receber a Graça de Deus, sua viagem será apenas para passear e não para fortalecer suas inclinações espirituais! Sua jornada será como a de um objeto postal, coletando carimbos no envoltório exterior, não no núcleo do seu ser interior. A pessoa com deficiência visual não se preocupa com o dia e a noite. Igualmente, você não pode diferenciar um lugar de outro, se não permitir que a santidade atue em sua mente. Como resultado das peregrinações, seus hábitos devem mudar para melhor, sua perspectiva deve se ampliar, seu olhar interior deve se tornar mais profundo e mais estável. Você deve perceber a onipresença de Deus e a unicidade da humanidade. Você deve aprender tolerância e paciência, caridade e serviço. Após a sua peregrinação, em sua casa, rumine sobre todas as experiências esplêndidas e esteja determinado a procurar arduamente pela experiência maior e mais rica da realização de Deus.” (Discurso Divino, 28 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

11 de agosto de 2017

“Se você permanecer acordado durante as doze horas do Shivarathri devido à doença, essa vigília não ganhará Seu favor. Se você discute com seu cônjuge e desiste da comida por um dia inteiro, isso não será gravado no livro de Deus como um jejum. Se você se perder no fundo da inconsciência após uma bebedeira, você não será contado como uma pessoa que alcançou o Samadhi (transe espiritual). Nenhum bhokta (desfrutador) pode ser um bhakta (devoto), isto é, quem tem um olho no lucro que pode ser obtido do serviço a Deus não pode ser um verdadeiro devoto. Tais pessoas louvam o Senhor aos céus num dia e criticam-No no próximo quando sua fortuna se seca. Valorize em seu coração o Amrita Vakyas (mensagem que concede imortalidade) que você ouviu nos discursos espirituais. Pondere sobre eles no silêncio da sua meditação e esforce-se para realizar o precioso objetivo deste inestimável nascimento humano.” (Discurso Divino, 19 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

12 de agosto de 2017

“A vida é uma árvore da ilusão, com todos os seus ramos, folhas e flores de maya. Você pode perceber como tal quando realizar todos os atos como ofertas dedicadas para agradar a Deus. Sem conhecer este segredo de transmutar todos os seus atos em um culto sagrado, você sofre de desapontamento e tristeza. Veja-O como a seiva através de cada célula, como o Sol que aquece e constrói todas as suas partes. Veja-O em tudo, adore-O através de todos, pois Ele é o todo! Envolva-se em qualquer atividade justa e preencha-a com devoção: lembre-se que é apenas a devoção que santifica a atividade! Um pedaço de papel é quase lixo, mas se um certificado for escrito nele, você o aprecia e valoriza-o. Torna-o um passaporte para promoção na vida. É o bhava (sensação por trás) que importa, não a bahya (pompa externa). É o sentimento que é importante, não a atividade.” (Discurso Divino, 11 de janeiro de 1966)

Sathya Sai Baba

13 de agosto de 2017

“Desenvolva discernimento e avalie até mesmo suas próprias necessidades e desejos. Examine cada um na pedra de toque da essencialidade. Quando se acumula coisas em seu apartamento, você só promove escuridão e pó. Assim também, não colete e armazene muitas coisas em sua mente. Viaje leve! Tenha o suficiente para sustentar a vida e manter a saúde. O pappu (um prato de lentilhas) deve ter suficiente uppu (sal) para tornar o prato saboroso. Não estrague o prato adicionando muito sal. Da mesma forma, a vida torna-se muito difícil de suportar se você colocar nela muito desejo. Limite seus desejos à sua capacidade e, mesmo entre eles, tenha apenas aqueles que irão proporcionar uma alegria duradoura. Não corra atrás de moda e aprovação do público e não exceda seus recursos além da recuperação. Também viva de acordo com o código de regras que regulam a vida ou a fase em que você alcançou.” (Discurso Divino, 19 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

14 de agosto de 2017

“Desde os tempos mais antigos, os Bharatiyas (indianos) consideravam a Verdade como Deus, a amavam, promoviam, protegiam e, assim, alcançaram a Divindade. Eles eram dedicados à Verdade, casados com o Dharma (Retidão) e consideravam a moral na sociedade como seu principal dever. Hoje, porque as pessoas se esqueceram da Verdade e da Retidão, não conseguem resolver problemas nacionais ou acabar com as diferenças comunitárias. Nós temos a Baía de Bengala a leste e o Mar da Arábia a oeste e ambos se fundem no Oceano Índico. Do mesmo modo, Bharat exemplifica a combinação de prosperidade mundana e progresso espiritual. Bharat é o país onde a unidade do Jiva (o Espírito individual) e de Brahman (o Espírito Cósmico) foi estabelecida. Lembre-se, o termo Bharat não se relaciona a nenhum indivíduo ou país em particular. Os verdadeiros Bharatiyas são aqueles que se deleitam com o autoconhecimento. Por isso, alguém que brilha por seu próprio poder auto luminoso é um Bharatiya.” (Discurso Divino, 23 de novembro de 1990)

Sathya Sai Baba

15 de agosto de 2017

“Hoje é Gokulashtami, o aniversário de Krishna. Celebrar com pratos especiais não é tão importante. Mais importante é a adesão aos ensinamentos de Krishna. Onde nasceu o Senhor Krishna? Em uma prisão! Quais foram os seus pertences? Nenhum! Nascido em uma prisão, foi levado para a casa de Nanda e depois para Mathura. Ele não possuía nada. Mas ele se tornou o maior líder do mundo. O que isso mostra? As posses mundanas não são o segredo para alcançar a grandeza. A grandeza de Krishna estava em seu permanente estado de bem-aventurança (Ananda). O Senhor Krishna deu uma mensagem perene ao mundo - Ele conquistava e não guardava nada para Ele, mas distribuia tudo. Ele matou seu tio materno, Kamsa, mas não cobiçou o reino. Ele instalou no trono o pai de Kamsa, Ugrasena. Ele ajudou os Pandavas a derrotar os Kauravas e a coroar Dharmaja como imperador. Ele é o rei dos reis que governa os corações de milhões!” (Divino Discurso, 4 de setembro de 1996)

Sathya Sai Baba

16 de agosto de 2017

“As Gopis conheciam o segredo da rendição espiritual. Sua adoração não era manchada por qualquer espírito de barganha. Pois aqueles que negociam e desejam lucro, para quem a reverência é equiparada aos retornos, esses "vendem" a homenagem por uma unidade de resposta satisfatória. Eles são como empregados remunerados, barganhando salário, horas extras, bônus, etc. Eles calculam o quanto podem extrair pelo serviço prestado. Por outro lado, seja como um membro da família, um parente, um amigo. Sinta que você é o próprio Senhor. Então o trabalho não o cansará, será feito muito melhor e, de fato, renderá mais satisfação. E quanto aos salários? O mestre irá mantê-lo em bem-aventurança. Que mais se pode aspirar? Deixe o resto para Ele. Ele sabe melhor, Ele é tudo. A alegria de tê-Lo é recompensa suficiente. Viva sua vida nessas linhas e você nunca sofrerá dor. "Na me bhaktah pranashyati - Meus devotos nunca sofrem", disse Krishna.” (Discurso Divino, 19 de agosto de 1965)

Sathya Sai Baba

17 de agosto de 2017

“Um passageiro sedento perguntou ao carregador de água em uma estação de trem no interior do país se a sua bolsa de couro estava limpa. A resposta que obteve foi: "Quanto à limpeza, tudo o que posso dizer é que a bolsa que derrama é mais limpa do que a bolsa que assimila (o corpo do homem sedento)." Você deve se preocupar mais com a limpeza de sua mente e do intelecto. Em vez de criticar os outros e encontrar falhas nas ações dos outros, sujeite-se a um escrutínio vigilante, compreenda-se bem e corrija suas próprias falhas. Não seja como o dançarino que culpou o baterista por seus passos errados. Este mundo objetivo é tão eterno como Deus. Não podemos determinar quando surgiu, mas podemos determinar quando ele vai acabar, pelo menos para cada um de nós. Quando você olha para o poço, seu reflexo está sempre lá. Na medida em que estiver preocupado, seu reflexo poderá ser removido do poço no momento em que decidir não buscar mais o poço ou prestar atenção a ele.” (Discurso Divino, 19 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

18 de agosto de 2017

“A abelha paira em torno da flor de lótus, depois senta-se sobre ela e desfruta o néctar; enquanto bebe, é silenciosa, firme, focada e se esquece do mundo. As pessoas também se comportam assim quando estão na presença de Deus. O zumbido da abelha para e ela fica em silêncio assim que sorve o néctar. As pessoas também argumentam e afirmam a sua opinião apenas até descobrir a doce Essência Divina (rasa). Essa rasa é prema-rasa (a essência do amor). Onde há amor, não pode haver medo, ansiedade, dúvida e inquietação (ashanthi). Quando você está aflito em ashanthi, você pode ter certeza de que seu amor está manchado pelo egoísmo e seu amor tem algum ego misturado a ele. Aquele que experimenta o amor divino é o "eu" interior, que é o reflexo do "Eu" real, da Alma (Atma). Sentidos são seus inimigos mortais. Quando seus sentidos estiverem fora de ação, então o "Eu" brilhará em toda a sua glória.” (Discurso Divino, 26 de fevereiro de 1968)

Sathya Sai Baba

19 de agosto de 2017

“Muitas pessoas perdem tempo discutindo a superioridade de um caminho sobre outro, especialmente entre karma, bhakti e jnana margas. Estes três caminhos - Trabalho, Adoração e Sabedoria - são complementares, não contraditórios. O trabalho é como os pés, adoração, mãos e sabedoria, a cabeça. Esses três devem cooperar. Bhakti marga é o nome dado ao caminho da rendição à vontade do Senhor (saranagathi), à fusão do indivíduo na Vontade Divina. Lakshmana é o exemplo clássico desse espírito de rendição que salva. Uma vez, durante seu exílio na floresta, Rama pediu a Lakshmana que construísse uma cabana de palha no local de sua escolha. Lakshmana ficou chocado e foi atingido pelo sofrimento. Ele implorou a Rama: "Por que você me pede para escolher o local? Você não sabe que eu não tenho vontade própria? Você decide e eu obedeço. Você comanda e eu cumpro a ordem". Essa é a rendição verdadeira, adquirida pela prática constante do desapego.” (Discurso Divino, 11 de janeiro de 1966)

Sathya Sai Baba

20 de agosto de 2017

“Como levar uma vida divina? Nenhuma filiação especial lhe dá direito a isso. Toda luta para perceber a unidade por trás de toda a multiplicidade é um passo no caminho da vida divina. A vida divina não admite a menor sujeira no caráter ou ilusão no intelecto. Destrua as causas profundas da ansiedade, do medo e da ignorância. Então, somente sua verdadeira personalidade poderá surgir. A ansiedade é removida pela fé no Senhor, a fé que lhe diz que tudo o que acontecer é para o melhor e para que a vontade do Senhor seja feita. A aceitação silenciosa é a melhor armadura contra a ansiedade. A tristeza brota do egoísmo, da sensação de que você não merece ser tão maltratado, de que ficou desamparado. Quando o egoísmo se vai, a tristeza desaparece. A ignorância é apenas um erro, uma identificação equivocada do corpo como o Eu Superior! Na verdade, todos devem tentar se tornar desprovidos de ego, e então o Senhor os aceitará como Sua flauta.” (Discurso Divino, Venkatagiri, abril de 1957)

Sathya Sai Baba

21 de agosto de 2017

“O Senhor é tão cheio de Graça que, de bom grado, guia e guarda todos os que se entregam a Ele. Quando a batalha com Ravana acabou, um vislumbre do olhar misericordioso do Senhor Rama foi suficiente para reviver os macacos que caíram no chão e curar as feridas que eles adquiriram durante a guerra. Alguns demônios penetraram no campo dos macacos disfarçados. Eles foram trazidos diante de Rama para punição sumária! O Senhor Rama sorriu e perdoou-os, pois assumiram a forma do macaco que Lhe era tão querida. Ele mandou-os embora, ilesos! Essa foi a medida de Sua misericórdia. Para conseguir a Graça generosa do Senhor, você deve tornar-se permeado de Retidão (dharma) para que todo ato seja digno de Deus. Com o cinzel afiado do intelecto (buddhi), molde a mente (manas) em uma imagem perfeita de Dharma-murthi, o ídolo (ou encarnação) da Retidão. Então você brilhará com o esplendor do Divino. Essa é a tarefa que você deve se dedicar hoje.” (Discurso Divino, 11 de janeiro de 1966)

Sathya Sai Baba

22 de agosto de 2017

“A vida divina é o próprio sopro de todos os seres. Consiste na verdade, no amor e na não-violência (Sathya, Prema e Ahimsa). Como alguém pode ser falso para outro quando não há nenhum outro? A falsidade surge do medo. Quando não há um segundo, não há medo algum. Ninguém é amado mais do que o Eu Superior. Então, quando tudo é o próprio Eu Superior, tudo é amado, pois o Eu Superior é amado. Quanto à violência, quem deve ferir quem, quando todos são apenas um? Todos são personificações de Existência-Consciência-Bem-aventurança (Sath-Chith-Ananda Swarupa), mas você não tem consciência disso e imagina-se estar submetido a uma ou outra limitação! Destrua este mito primeiro para que você possa começar a conduzir uma vida divina. É o Divino que inspira, ativa, lidera e cumpre a vida de cada ser! Do átomo ao Universo, cada entidade está se movendo através dos riachos apenas para se fundir no mar da bem-aventurança.” (Discurso Divino, Venkatagiri, abril de 1957)

Sathya Sai Baba

23 de agosto de 2017

“A principal causa do sofrimento para cada pessoa é o próprio nascimento. A ignorância (aavarana) cobre ou envolve o corpo humano e cria o estado da mente em que o corpo, composto pelos cinco elementos e os sentidos de percepção e ação, é considerado o eu real. Devido a esta condição mental, as pessoas acolhem delírios em relação ao corpo que são falsos e irreais. Mala significa impurezas. Como um estado de espírito, mala refere-se à condição em que se considera o impermanente, o falso e o mundano como permanente, verdadeiro e santo. As ações passadas são a raiz do seu nascimento. Desejo é a causa raiz de todas as ações. O desejo é motivado pelo apego, que se origina da falta de compreensão. O ego é a causa dessa ignorância. Quando a ignorância é removida, o ego diminui. A ausência de egoísmo leva ao entendimento correto, declínio dos desejos e purificação das ações. Então a vida se torna significativa.” (Discurso Divino, 4 de outubro de 1989)

Sathya Sai Baba

24 de agosto de 2017

“Hoje as pessoas não estão fazendo uso correto de sua mente (mati), esforço (gati), posição (stiti) e riqueza (sampathi), e estão perdendo a energia sagrada que Deus lhes deu. Não apenas isso, elas são submetidas à miséria e sofrimento por causa de maus traços como desejo, raiva e ganância (kama, krodha e lobha). As pessoas não têm absolutamente qualquer controle sobre seus desejos. Quando um desejo é realizado, elas anseiam por outro. A raiva é outra característica má que arruína. O ódio é mais perigoso que a raiva. Ele dá origem a muitas características malignas que impedem a pessoa de experimentar a Divindade. Você também será atormentado pela reflexão, reação e ressonância de suas próprias característica malignas. Desejo, raiva e ódio não são características humanas; são tendências bestiais. Você se tornará uma fera se permitir que essas características perversas lhe dominem. Portanto, lembre-se constantemente de que você é um ser humano e não um animal, subjugue essas tendências e desfrute de uma vida feliz.” (Discurso Divino, 10 de setembro de 2002)

Sathya Sai Baba

25 de agosto de 2017

"‘Vinayaka’ significa aquele que é o Mestre de si mesmo. O camundongo é o veículo de Vinayaka. Qual é o significado interno do pequeno rato? O camundongo simboliza seu apego às tendências mundanas (vasanas). O camundongo se move rapidamente e pode ver bem no escuro. Como o veículo de Vinayaka, o camundongo leva você da escuridão para a luz. O princípio de Vinayaka, portanto, significa o que remove todas as más características, más práticas e maus pensamentos em cada pessoa e inculca boas qualidades, boa conduta e bons pensamentos. Outro nome para Vinayaka é 'Vighneshwara'. Easwara é aquele que é dotado de todas as formas concebíveis de riqueza - fortuna, conhecimento, saúde, bem-aventurança, beleza, etc. Vighneswara nutre todas essas formas de riqueza e remove todos os obstáculos para o seu correto desfrute. Ele confere todas essas formas de riqueza aos que o adoram. Por isso, Vinayaka é descrito como a primeira divindade que deve ser adorada (Prathama Vandana). Compreenda o significado interior e o adore.” (Discurso Divino, 12 de setembro de 1991)

Sathya Sai Baba

26 de agosto de 2017

“Os seis vícios de luxúria, raiva, ganância, orgulho, delírio e inveja envolveram a maioria das pessoas. Apego e aversão as agarrou. Devido a isso, a maioria das pessoas esqueceu sua natureza verdadeira e está cheia de orgulho de todos os tipos. Perdendo seu poder de discernimento (vichakshana-jnana), as pessoas se entregam a todos os tipos de mau comportamento em relação aos outros. As escrituras prescrevem adoração devocional (upasana) como meio de se livrar dessas más características. Upasana é o processo de eliminação das impurezas acumuladas na mente resultante de pensamentos e ações impuras no passado. Como uma vareta de incenso acesa remove o mau cheiro por sua fragrância, a repetição devocional do nome de Deus afasta as impurezas da mente. Lembre-se, todas as ações feitas como uma oferta a Deus são ações puras (sat-karmas). Através de tais ações, a mente é purificada.” (Discurso Divino, 4 de outubro de 1989)

Sathya Sai Baba

27 de agosto de 2017

“Aqueles que estão tentando construir a comunidade humana sobre uma base de riqueza (dhana) estão construindo sobre a areia. Aqueles que procuram construí-la sobre a rocha da retidão (dharma) são os sábios. Dharma moolam idham jagath: A retidão e o dever são a raiz deste mundo. Obedeça e você será feliz. O homem maligno é um covarde, assombrado pelo medo. Ele não tem paz dentro dele. O respeito pelos pais, que o iniciaram na vida e o trouxeram a este mundo para reunir o vasto e variado tesouro da experiência, é a primeira lição que o Dharma ensina. A gratidão é a fonte que alimenta esse respeito. É uma qualidade que está desaparecendo rapidamente no mundo de hoje. O respeito pelos pais, professores, anciãos e sábios está em declínio. As pessoas falam alto e longamente em todos os tipos de plataformas sobre a conduta correta, o amor, a paz, a compaixão, a verdade, etc. e estes são publicados no jornal no dia seguinte, e lá o propósito deles acaba. Coloque em prática pelo menos uma fração do que você prega.” (Discurso Divino, 3 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

28 de agosto de 2017

“Samskriti, a palavra para a cultura, é derivada da palavra samskara. Samskara é o processo duplo de remover o pó e a sujeira dos vícios e do plantio das virtudes. Saiba que a inveja é a sujeira mais pegajosa! Você deve estar feliz quando outros estão felizes. É dito que Rama ficava feliz quando os outros estavam felizes. O Ramayana diz que Ele ficava tão feliz por um evento que deixava outra pessoa feliz, como se tivesse acontecido com Ele. Esse é o verdadeiro teste. Krishna fala de Arjuna como desprovido de inveja (An-asuya). Que grande elogio! Portanto, Ele propôs a ensinar-lhe os mistérios da disciplina espiritual. Sathyabama é infame em muitas histórias por causa de seu ciúme. Em todos os casos, Krishna tenta eliminar esse vício e ensinar-lhe a humildade. Tenha Amor pelo Senhor, mas não fique deprimido, com inveja, quando os outros também amarem ou se apegarem a Ele.” (Discurso Divino, 9 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

29 de agosto de 2017

“Assim como o corpo é a casa em que você mora, o mundo é o corpo de Deus. Uma formiga que morde o dedo pequeno do pé é capaz de chamar toda a atenção para o local, e você reage a essa dor imediatamente. Você também deve sentir a dor, a miséria, a alegria ou a euforia, onde quer que esteja presente; deve fazer um esforço para proteger seu país e compatriotas, por mais remoto que seja o local onde o sofrimento ocorra. Seja gentil com todos os seus familiares e parentes. Expanda sua empatia. Sirva aos outros que necessitam na medida em que suas habilidades e recursos o permitam. Não gaste seus talentos em caminhos infrutíferos. Todos consomem uma grande quantidade de comida, mas nunca calculam o que se faz em troca para a sociedade que o ajuda a viver! Os alimentos que você come devem ser transformados em serviço, quer para o seu próprio interesse, quer para o interesse dos outros. Você não deve ser um fardo para os outros ou um inimigo para si mesmo.” (Discurso Divino, 3 de fevereiro de 1964)

Sathya Sai Baba

30 de agosto de 2017

“Sua inteligência mundana não pode entender os caminhos de Deus. Deus não pode ser reconhecido pela mera astúcia, que é o que é a sua inteligência! Você pode se beneficiar de Deus, mas não pode explicá-Lo. Você pode se beneficiar da eletricidade e usá-la de mil maneiras, mas não pode explorar e explicar seu mistério. Na melhor das hipóteses, suas explicações são apenas suposições, tentativas de adornar sua ignorância com expressões pomposas. O erro real é que você dá ao cérebro mais valor do que merece. A Suprema Verdade (Para-tattva) está além do seu cérebro. Estando sobre uma rocha, você pode levantá-la? Permanecendo na ignorância (maya), você não pode descartá-la! Traga algo para sua prática diária como prova de ter conhecido, a partir de Mim, o segredo da vida superior. Mostre que você tem maior fraternidade, que fala menos, que fala com mais doçura e autocontrole e que demonstra que pode suportar a derrota e a vitória com tranquila resignação.” (Discurso Divino, 9 de outubro de 1964)

Sathya Sai Baba

31 de agosto de 2017

“Sem desistir da preguiça, como a Verdade pode ser conhecida? Sem desistir da paixão, como a devoção pode enraizar-se? Seja sereno e calmo no tumulto e dificuldade - esse é o caminho Sátvico ou piedoso para conquistar o Senhor, a Verdade. A mente é uma maravilha, suas excentricidades são ainda mais surpreendentes. Ela não tem forma ou configuração distinta. Ela assume a forma ou a configuração daquilo com o que está envolvida. Vagar de desejo em desejo, flutuar de um desejo para outro é a sua natureza. Ela provoca perda e sofrimento, exaltação e depressão. Seus efeitos são positivos e negativos. A mente reunirá experiências e as armazenará na memória para sempre. Ela não conhece a arte de desistir! Como consequência, o sofrimento, a ansiedade e a miséria continuam a fervilhar nela. Vale a pena conhecer as características de sua mente e as formas de dominá-la, pois, em última instância, você se beneficiará! Ensine-a a se sacrificar (tyaga) e você se tornará espiritualmente sábio (yogi)!” (Discurso Divino, 8 de janeiro de 1983)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.