Pensamento para o dia - agosto 2016

1° de agosto de 2016

“Atualmente, ninguém canta o nome de Deus com sinceridade. Muitos discutem à menor menção de Deus. Eles pensam que são superiores o suficiente para isso. O Divino só pode ser conhecido por aqueles que estudam as escrituras com sinceridade e carinho. Simplesmente porque você tem uma língua e ela pode balançar, não lance calúnias contra o Senhor ou Seu Nome Divino. Há a história de um rei, o ministro e o servo indo em um barco. O servo entrou em pânico com a visão da água ao seu redor; de fato seus ataques de pânico estavam prestes a virar o barco. Assim, o ministro o agarrou, empurrou-o para dentro da água, mergulhou-o várias vezes e, em seguida, quando ele gritou: "O barco, o barco", ele o içou de volta. Uma vez no barco, ele sabia que estava a salvo das águas tempestuosas. Não espere sofrer as provações da vida mundana para perceber a segurança e a proteção da fé em Deus. (Discurso Divino, 19 de fevereiro de 1966) ”

Sathya Sai Baba

2 de agosto de 2016

“O olho, que é uma polegada de comprimento, pode ver as estrelas a milhões de milhas de distância. Mas, é o olho que vê? O olho pode ver a si mesmo? Não. Você deve aprender a conhecer as outras pessoas e, mais do que isso, como conhecer a si mesmo. Você é muito curioso sobre os outros e tudo ao redor. Mesmo para conhecidos ocasionais que você encontra em locais públicos, como em trens, aeroportos ou ônibus, você pergunta-lhes sobre seus assuntos de família, propriedades e linhagem. Mas você conhece sua própria linhagem, sua propriedade, seu patrimônio e status? Você é Manuja, que quer dizer nascido de Manu, a pessoa que estabeleceu o código moral, que é sua propriedade e herança. Você tem o Senhor instalado em seu coração e, portanto, você é essencialmente Divino. Você nega toda essa riqueza preciosa e anda por aí anunciando que é pobre e fraco de espírito! Para ver seus próprios olhos, você precisa de um espelho; para ver a si próprio em sua grandeza nativa, você precisa de um guru (preceptor). (Discurso Divino, 19 de fevereiro de 1966) ”

Sathya Sai Baba

3 de agosto de 2016

“Você está afligido pela doença que a Gita pode curar, a doença da ilusão (moha) que distorce seu senso de valores, embaça sua visão e distorce seu ponto de vista. Mas, para se beneficiar dos remédios, é necessário ter o pesar (vishada) que Arjuna teve, a dedicação que ele ofereceu, o desapego que ele desenvolveu e a concentração (ekagrata) que ele demonstrou. Ele estava pronto a implorar por seu modo de vida ao invés de entronizar-se como rei após a morte de seus parentes, professores e anciãos. Tenha esse anseio agudo; então, a Gita poderá destruir o apego (moha) e libertá-lo. Descubra por si mesmo o seu estágio de desenvolvimento espiritual, a qual classe na escola você se encaixa. Então, decida-se a prosseguir a partir dessa classe para a próxima mais elevada. Esforce-se ao máximo e você conquistará a Graça de Deus. Não negocie ou se desespere. Um passo de cada vez é suficiente, desde que seja em direção à meta, não longe dela. (Discurso Divino,19 de fevereiro de 1966) ”

Sathya Sai Baba

4 de agosto de 2016

“Certas figueiras parecem muito grandes e tem muitos galhos e parecem como uma grande mansão. Mas a sua semente é muito pequena, como uma semente de mostarda. É verdade que tal árvore enorme esteja contida em uma pequena semente ou é apenas nossa ilusão? Sabemos que é uma verdade. A semente está na forma infinitesimal e quando nós a colocamos na terra, a alimentamos e nutrimos, ela brota, cresce e se torna grande. Frutos, flores e folhas - Todos saem dessa pequena semente. Da mesma forma, neste seu enorme corpo, há uma semente infinitamente pequena chamada Atma. Se você lhe conceder alimento e deixá-la crescer e prosperar, então ela lhe mostrará a forma Divina do universo. Mas onde devemos colocar essa semente, como é que vamos protegê-la e estimulá-la a crescer em uma grande árvore? Podemos colocar essa semente em nossa palma da mão e derramar água sobre ela? Uma semente se tornará uma árvore somente se for colocada no solo e regada adequadamente. Mesmo nesse solo, se você colocar a semente muito fundo ou demasiado superficial, ela não se tornará uma árvore. No solo do nosso coração, se pudermos plantar a semente do nome de Deus e nutri-la com a água do amor, ela germinará numa boa árvore. (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, Capítulo 8) ”

Sathya Sai Baba

5 de agosto de 2016

“Comece com esta primeira lição. Não apenas alardeie que você domina a Bhagavad Gita (escrituras), a leu mais de cem vezes e memorizou todos os versos e os comentários escritos até o momento. Entre todos os milhões de pessoas que foram instruídas na Gita, somente Arjuna teve a percepção de que este universo é apenas uma manifestação parcial de Sua glória incomensurável (Vishwarupa Darshana)! Por que é que estes grandes estudiosos não tiveram essa experiência? A realização dessa realidade pode acontecer apenas para o aspirante que a merece. Arjuna alcançou o estágio mais elevado de rendição; quando o ensinamento começou, e durante o processo, ele tinha concentração insuperável. Não admira que ele fosse abençoado. A menos que se tenha o mesmo grau de rendição, o mesmo anseio e concentração, como se pode esperar o resultado que Arjuna alcançou? O caminho da entrega (Saranagathi ou Prapatti) que a Gita estabelece não é fácil; ele exige dedicação e persistência. (Discurso Divino, 16 de março de 1966) ”

Sathya Sai Baba

6 de agosto de 2016

“Uma visão divina de Vishwavirat (Forma Cósmica) tem sido descrita como composta por milhares de cabeças, pernas e mãos. De onde vem essa visão de Vishwavirat? É simplesmente a versão ampliada do que está dentro de nós mesmos. Quando Eu abro meus olhos, vejo milhares de cabeças; mas, quando os olhos estão fechados, não vejo sequer uma cabeça. Quando os olhos estão abertos, Eu não só vejo estas milhares de cabeças, mas também vejo este muro, esta janela e tudo ao Meu redor. Se alguém for para fora e observar com os olhos abertos, verá as montanhas, o céu, os rios e as terras distantes; mas, naquele instante em que a pessoa fecha os olhos, por que é que não se vê nem mesmo uma pequena formiga? Se os olhos estão abertos, vemos toda a criação; e se os olhos estão fechados, não vemos qualquer coisa da criação. Assim, podemos concluir que toda esta criação veio de nossa própria visão. Assim como com a visão externa somos capazes de ver a criação, com a ajuda da visão interna podemos ver o Eu interior. (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, Capítulo 8) ”

Sathya Sai Baba

7 de agosto de 2016

“Ao tentar preparar uma refeição, você precisa ter com você todos os ingredientes essenciais: arroz, dal (ervilha), sal, limão, especiarias e legumes. Mas, a menos que tenha fogo no fogão, você não consegue obter uma refeição comestível. Similar à vida, Jnana (conhecimento de sua própria realidade como apenas uma onda de oceano da Divindade) é o fogo que torna o mundo material, e as ações externas e a experiência, comestíveis e saborosas, assimiláveis, que concedem saúde e alegria. Essa alegria é chamada Ananda; é edificante, luminosa e construtiva. Vida "aqui" é chegar "lá" (isto é, iha-nivasam é para para-prapthi). Trate o seu corpo como um machucado que deve ser lavado, enfaixado e tratado com um unguento medicamentoso, três ou quatro vezes por dia. Esse é o propósito real da comida e da bebida. A sede é a doença; a bebida é o fármaco. A fome é a doença; a comida é o remédio. Desejo por prazer é a doença para qual o desapego é o remédio! (Discurso Divino, 16 de março de 1966) ”

Sathya Sai Baba

8 de agosto de 2016

“Quando os Pandavas estavam se preparando para ir à floresta, Dharmaraja chamou Draupadi, pediu-lhe para se sentar ao seu lado e disse: "Devido a diferenças pessoais entre nós e os Kauravas, surgiu uma situação pela qual devemos viver na floresta por 12 anos e um ano incógnitos. Os homens, de algum modo, vão suportar as dificuldades, por que você não fica aqui e cuida dos velhos Dhritarashtra e Gandhari?" Os Pandavas pediram a Draupadi que cuidasse das duas principais pessoas que foram cruéis e que de fato foram responsáveis por eles terem de ir para a floresta. Esta é uma grande qualidade nos Pandavas e devemos aprender uma lição com essa conduta. A moral aqui é que tudo o que precisa acontecer na vida de alguém vai acontecer, mas abraçar esses eventos inevitáveis e usá-los para promover o ódio é incorreto; não é um bom caráter humano. Infortúnios, problemas e dor que experimentamos não surgem externamente, nem são dados por Deus. Eles são o resultado de nossas próprias ações. É somente como resultado da própria fraqueza da pessoa, que ela acusa alguém pelos próprios problemas e infortúnios. Esta não é uma atitude correta. (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, Capítulo 8) ”

Sathya Sai Baba

9 de agosto de 2016

“Você não pode alcançar sukham por meio de sukham (isto é, felicidade por meio de comodidades). A alegria da libertação só pode ser alcançada por angústias e provações. Por meio de intensa dor uma mulher alcança a felicidade da maternidade. Pelo trabalho árduo, o cobiçado grão é obtido pelo agricultor no campo. Por meio de longos dias e noites de estudo constante, um estudante passa no exame e obtém um diploma cobiçado. Prive-se de luxo e até mesmo de conforto; desapegue-se do que você acha lhe ser mais querido pela pura ignorância de achar que aquilo é o mais caro para você; anseie, se esforce, lute incessantemente - e então você será abençoado com a Bem-aventurança indescritível da fusão com o Universal, Sakshathkara. É a dor que faz a alegria valer a pena e a torna um bem precioso; é a noite escura como breu que motiva o buscador da luz; é a morte que empresta sabor à vida. (Discurso Divino, 16 de março de 1966) ”

Sathya Sai Baba

10 de agosto de 2016

“Uma vez que o Atma é reconhecido, você descobrirá que tudo é realmente Um. Este é o objetivo prescrito pelas escrituras desta terra. Mas os filhos desta terra sagrada têm negligenciado isto e hoje estão lutando nos pântanos e fossas da discórdia e do medo. Quando os quatro touros que pastavam na selva estavam unidos e atentos com a segurança um do outro (porque eles sentiam que eram todos um) o tigre não se atrevia a aproximar-se deles; mas, quando a discórdia os dividiu e os mostrou desligados do 'um', quatro indivíduos separados, eles foram atacados, um por um, e devorados pelo tigre. Esse é o destino daqueles que se sentem separados. Saiba que embora vyaktis (indivíduos) podem estar separados, Shakti (poder) é um; tal Shakti é Paramatmatattva (princípio do Supremo Atma). Esta é a mensagem que Eu trago. Esta mensagem é certamente hitha (benéfica), embora possa não ser priya (agradável). Um paciente deve tomar medicamentos e seguir as advertências que os médicos recomendam; ele não pode comer e viver como quiser durante a doença. O médico sabe melhor e deve ser obedecido para recuperar a saúde. (Discurso Divino, 16 de março de 1966) ”

Sathya Sai Baba

11 de agosto de 2016

“Deus tem muitos nomes e formas, mas a Divindade é uma só. Estudiosos referem-se a 'Uma Verdade' com muitos nomes (Ekam Sath Viprah Bahudha Vadanti). Percebendo esta verdade, respeite a todos, ame a todos e dê alegria a todos. Então, você se torna Deus! Quando você reconhece o fato de que a Divindade em todos é a mesma, não haverá sentido de dualidade. Você pode pensar que é muito difícil, mas é extremamente simples. Sua incapacidade de reconhecer esta verdade é devido à falha de sua visão e não ao Criador. Corrija sua visão defeituosa e percepção; veja a unidade na diversidade. Neste mundo, há uma disputa constante entre bem e mal. Muitas pessoas têm inveja dos outros e as submetem à calúnia. Mas não atribua qualquer importância a essas críticas. Louvor e insulto são comuns à humanidade. Várias pessoas nobres enfrentaram dificuldades semelhantes e as superaram com firmeza. Viva na verdade e no amor, nenhum dano virá a você. (Discurso Divino, 23 de novembro de 2000) ”

Sathya Sai Baba

12 de agosto de 2016

“Toda a criação que você vê emana do Senhor. Essa grande variedade, que vemos ao nosso redor, é proveniente apenas como resultado da mudança em nossos próprios atributos (gunas), e é uma verdade que é afirmada pelos textos sagrados. Você às vezes é muito feliz, às vezes assustado e em outros momentos corajoso. Estas mudanças acontecem em rápida sucessão e de uma forma casual. A principal razão para todas essas mudanças é a mudança que vem em nossa própria atitude mental. Estas são manifestações de seus próprios atributos. O homem tem três características distintas ou gunas - satva, tamas e rajas. Se estas são misturadas de uma forma equilibrada, não haverá nenhuma mudança drástica na natureza da pessoa. A luz solar é composta por sete cores diferentes. Quando essas cores são misturadas em proporções adequadas, não haverá nenhuma mudança e o sol brilhará em sua cor natural. Por outro lado, se houver um desequilíbrio na maneira com que essas cores são misturadas, então você descobrirá que algumas cores especiais se mostram. (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, Capítulo 9) ”

Sathya Sai Baba

13 de agosto de 2016

“Os Vedas nos deram quatro Mahavakyas: (1) Eu sou Aquele (Tat Twam Asi), (2) a Consciência integrada constante é Divindade (Prajnanam Brahma), (3) Eu sou Divino (Aham Brahmasmi) e (4) A alma é Divina (Ayam Atma Brahma). Todos vocês conhecem estas declarações e estão constantemente a entoar estas palavras, mas não as estão colocando em prática. Mero canto sem ação é puro exibicionismo. Você diz, todos são divinos (Brahman), mas odeiam os outros. Isso é pura hipocrisia. Se você tem aversão por qualquer indivíduo, calmamente mantenha-se longe deles. Não os odeie; tente desenvolver amor por eles. Não critique ou odeie ninguém. Esta é Minha mensagem para você hoje. Esse é o procedimento a ser adotado por você. Eu amo todo mundo. Eu não tenho antipatia por ninguém. Todos são meus devotos, amigos e filhos. Para Mim, todos são um só. Este universo é um grande livro. Sua consciência interna (Antaratma) é o seu Guru. Deus é seu melhor amigo. (Discurso Divino, 23 de novembro de 2000) ”

Sathya Sai Baba

14 de agosto de 2016

“Nem tristeza, nem prazer jamais poderão ser permanentes para qualquer um. Tudo o que fazemos, bom ou mau, consciente ou inconscientemente, produzirá resultados. Por isso, é necessário que façamos o bem para que as consequências também sejam boas. Quando uma criança nasce do ventre da mãe, ela não vem com uma grinalda ou uma corrente de ouro. No entanto, a criança vem com a sua corrente invisível de 'Karma' - o resultado de todas as ações (karma) que se tem feito em seus nascimentos anteriores. Mas esse ornamento é invisível. Para nos ajudar a viver esta vida bem e de forma a não ter uma corrente de reações ruins em torno do nosso pescoço, quando nascermos na nossa próxima vida, é necessário reconhecermos, como uma lição primária, que devemos fazer boas ações em nossas vidas diárias. Por isso pratique, 'faça o bem, seja bom e veja o bem.’ Somente isso o levará a Deus! (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, capítulo 8) ”

Sathya Sai Baba

15 de agosto de 2016

“Manifestações do Amor! Para nossa nação fazer progressos, deveria haver completa unidade entre todos os seus habitantes. Nossos grandes líderes fizeram grandes sacrifícios e nos asseguraram a liberdade. Embora tenhamos alcançado a independência, a unidade não foi alcançada. Qual é o uso da liberdade sem unidade? Há ódio em todos os lugares. Se este tipo de desunião persistir, como pode a liberdade duramente conquistada ser salvaguardada? As pessoas não estão trilhando o caminho correto. Você deve adotar o caminho da unidade completa, de modo que cada cidadão (Bharatiya) deva ser capaz de dizer com orgulho: "Este é o meu amado país; esta é a minha língua materna e minha religião". Você também deve manter a reputação e as tradições de sua família. Há muitos que cantam o doce nome do Senhor Rama, mas existe alguém que realmente pratica as virtudes representadas pelo Senhor Rama? O Senhor Rama disse, "Mãe e pátria são até mesmo maiores que o paraíso" (Janani Janma Bhumishcha Swargadapi Gariyasi). Você deve reconhecer e viver de acordo com essa verdade. (Discurso Divino, 23 de novembro de 2000) ”

Sathya Sai Baba

16 de agosto de 2016

“Abraham Lincoln nasceu em uma família extremamente pobre na América. Sua mãe Nancy trabalhou duro para educá-lo. Quando Lincoln foi para a escola, as outras crianças zombavam dele por suas roupas e pobreza. Incapaz de suportar isso, Lincoln disse à sua mãe: "Mãe, meus colegas estudantes estão me ridicularizando muito. Por favor, me dê boas roupas." Chegando perto dele, a mãe disse: "Filho, nossa situação familiar não é boa. Mesmo alimentar a todos é um problema. Nesta condição, como se pode esperar boas roupas? Viva de acordo com sua condição. Cedo ou tarde você chegará ao nível do seu merecimento. Não se deixe intimidar pelo escárnio de outras pessoas. Viva com autoconfiança. Autoconfiança é a fonte de todo sucesso". Assim, ela o encorajou. A partir desse momento, Lincoln foi dotado com grande autoconfiança e prosseguiu seus estudos e atividades com esforço sincero. Ele nunca se aborreceu com nada. Embora desprovido de riqueza material e conforto, com a autoconfiança como sua armadura ele teve êxito. (Discurso Divino, 23 de novembro de 2000) ”

Sathya Sai Baba

17 de agosto de 2016

“Se um pássaro entra numa sala de espelhos, ele vê muitos reflexos de sua própria forma. Ele imagina que há uma infinidade de aves e elas são seus concorrentes. Então, ele continua colidindo contra os espelhos e eles se quebram em pedaços. Agora ele vê tantas aves quanto existem pedaços de espelhos. Quando os espelhos são todos quebrados em pequenos pedaços, nenhuma imagem é visível e o pássaro voa para longe. Este é um estado de ignorância. Pelo contrário, quando um homem de sabedoria entra no quarto, ele reconhece que estes são, todos, suas próprias imagens e se sente feliz. Da mesma forma, aquele que vê a si mesmo em todos os outros e contempla-os como as próprias imagens é um verdadeiro ser humano. O princípio manifesto que é visível no mundo externo é o mesmo que o que existe em um indivíduo. Nomes, formas e habilidades são percebidos como separados, mas estes são meros reflexos. O que você tenta ver em uma mesquita ou num templo está dentro de você. Todo sadhana é realizado para experimentar esta realidade interior. (Discurso Divino, 23 de novembro de 2000) ”

Sathya Sai Baba

18 de agosto de 2016

“Em uma esfera espiritual de paz mental e alegria interior, a responsabilidade pelo sucesso ou fracasso é inteiramente da própria pessoa. Você não tem o direito de transferi-la para os outros. O fogo se extinguirá se o combustível acabar assim que parar de alimentá-lo com o combustível. Não adicione combustível ao fogo dos sentidos. Retire a mente do temporário e vincule-a ao eterno. Plante a muda da devoção, ou seja, o exercício preliminar de lembrar o nome do Senhor (namasmarana) na mente. Ela se transformará em uma árvore com os ramos da virtude, serviço, sacrifício, amor, serenidade, força e coragem. Você ingere alimentos, mas você não está ciente de como esse alimento é transformado em energia, inteligência, emoção e saúde. Da mesma forma, apenas ingira este alimento para o espírito, esta lembrança do nome do Senhor, e observe como ele é transmutado em virtude e no restante sem que você se aperceba disso. (Discurso Divino, 27 de fevereiro de 1961) ”

Sathya Sai Baba

19 de agosto de 2016

“O Mahabharata nos ensinou uma lição na qual devemos considerar nossas ações como responsáveis pelas nossas tristezas ou alegrias. Mas, como um ser humano, você deve realizar quaisquer ações que tiver que executar. Não pense que conseguirá isso ou aquilo, e não pense que será capaz de fazer grandes coisas sem a graça de Deus. Não se canse com esse processo. O tipo de semente que você plantou, que lhe trouxe para a posição em que você está hoje, irá determinar os resultados que você obterá mais tarde. Você pode ser muito inteligente e esperto. No entanto, toda sua inteligência e esperteza não lhe permitirá superar o seu próprio Karma. Brahma, o Criador, prepara uma guirlanda de todo o bem e mal que você tem feito, como eles são, e Ele coloca isso ao redor do seu pescoço quando você nasce. É necessário reconhecermos esta relação causal. Nós somos responsáveis pelo bem e o mal que fazemos, e que os nossos desejos são, de fato, meramente consequências disto. (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, capítulo 8) ”

Sathya Sai Baba

20 de agosto de 2016

“Mantenha sua fé; não mude sua lealdade assim que algo aconteça ou alguém sussurre algo. Não retire a foto de Sai Baba da parede e pendure alguma outra foto lá na primeira decepção que encontrar. Confie tudo a Ele; deixe Sua Vontade se realizar - essa deve ser a sua atitude. A menos que você experimente calma e agitação, como pode se fortalecer? Acolha luz e sombra, sol e chuva. Não pense que só os que adoram uma foto ou imagem com apetrechos pomposos são devotos. Quem caminha continuamente ao longo do caminho moral, quem age como se fala e fala como se pensa, quem quer que se comove pela aflição do outro, e exulta pela alegria de outro - esses são devotos, talvez devotos maiores. (Discurso Divino, 26 de fevereiro de 1961) ”

Sathya Sai Baba

21 de agosto de 2016

“Você sabe por que lhe foi dado um corpo humano? Será que é para levá-lo a todos os cantos do mundo? Não, esse não é o fim. Lhe foi dado este corpo para que você possa demonstrar, com a ajuda dele, a verdade da afirmação de que o corpo está destinado a fazer o bem aos outros seres humanos. Divya Atma Swarupas (Personificações da Alma Divina)! Cabe-nos reconhecer que a compaixão que todos os seres vivos merecem de nós constitui a essência do nosso ser, capaz de obter uma visão do Atma. A maior austeridade (tapas) é a congregação da compaixão que está presente em todos os seres. Ao contrário de uma vaca, cavalo, elefante ou outros animais, a sacralidade da vida que foi dada a um ser humano está em um nível muito elevado. (Rosas de Verão nas Montanhas Azuis, 1976, Capítulo 10)”

Sathya Sai Baba

22 de agosto de 2016

“Você pode ter Me ouvido falar muitas vezes sobre a repetição do Nome do Senhor e os seus frutos, como ela lentamente muda o caráter, modifica a conduta, suaviza-o e leva-o mais perto do objetivo. Bem, há duas maneiras de fazer isso: ou com o rosário - girando as contas automaticamente, apenas mecanicamente, pontualmente e com tanto cuidado como qualquer outra rotina da vida diária, ou, como deve ser feito, isto é, repetindo o Nome, independentemente do número determinado, mergulhando profundamente na Forma a qual ela representa e nos atributos divinos os quais eles representam, provando-O, deleitando-se com Ele, aproveitando os contextos e associações do Nome, saboreando Sua doçura e se perdendo em Sua Música. Claro que você anseia pelo sabor do Nome somente quando está atormentado pelas dores da fome. Você não pode saborear o Nome ou a Forma se sofrer de prisão de ventre como consequência do excesso de indulgência em assuntos mundanos. (Discurso Divino, 27 de fevereiro de 1961)”

Sathya Sai Baba

23 de agosto de 2016

“Qual é exatamente o significado de "Sai Baba"? Sai significa Sahasrapadma (mil flores de lótus), Sakshatkara (realização, a experiência direta do Senhor), etc., Ayi significa mãe, e Baba significa pai. Assim, "Sai Baba" significa Aquele que é Pai e Mãe, e a Meta de todo esforço da yoga - a Mãe sempre misericordiosa, o sempre sábio Pai e a meta dos esforços espirituais. Sai Baba está além do intelecto mais aguçado, do cérebro mais inteligente. Mesmo os grandes sete sábios (rishis) falharam em compreender a sublimidade de Deus. Portanto, não tente se aprofundar em Mim; desenvolva fé e obtenha bem-aventurança (ananda) pelo amor (prema). Isso é o máximo que você pode fazer e, assim, ser beneficiado. Não corra atrás de tudo e todos que tagarelam coisas livrescas e vestem um manto de faquir. Analise, julgue e, então, admire. Examine a conduta diária deles, suas motivações, perspectivas e a coordenação entre o que dizem e fazem. (Discurso Divino, 26 de fevereiro de 1961) ”

Sathya Sai Baba

24 de agosto de 2016

“Isso é trágico: quando as coisas boas são ditas, você acha que é difícil prestar atenção, mas quando coisas humilhantes e perturbadoras são ditas, os ouvidos estão em alerta. Seja o mestre do seu comportamento; não seja levado pelo impulso do momento; esteja sempre consciente do que é bom para você. Prossiga em suas tarefas diárias para que você não faça os outros sofrerem ou cause sofrimento a si próprio. Esse é o sinal de vida inteligente. Não dê lugar a acessos de raiva ou tristeza ou euforia ou desespero. A confusão que você exibe é resultado de características escuras e sem brilho (tamásicas) e impulsivas (rajásicas). Treine seus ouvidos para ouvir em silêncio o bem e mantenha sua compostura. Seja imperturbável, sereno e calmo (sátvico). Quanto mais você desenvolver caridade por todos os seres, arrependimento por suas próprias falhas, medo do errado e temor a Deus - mais firmemente você será estabelecido na paz. (Discurso Divino, 27 de fevereiro de 1961) ”

Sathya Sai Baba

25 de agosto de 2016

“Manifestações do Amor Divino! Cultivem o Princípio de Amor e manifestem amor em todos os seus pensamentos, palavras e ações, para experimentar bem-aventurança. Quando se está cheio de Amor Divino, todas as dores e problemas serão esquecidos. É para propagar esse princípio do Amor Divino que adventos de avatares ocorrem de tempos em tempos. O princípio do amor altruísta é a essência de Krishna Tattva (Princípio de Krishna). Embora Deus habite em cada pessoa, ele permanece latente como o óleo na semente de gergelim. Para manifestar o Divino dentro de si, deve-se passar por provações e sofrimentos. O amor a Deus deve crescer como resultado de tais experiências de adversidade. Assim como o ouro aumenta em brilho quanto mais ele é aquecido no cadinho, sua devoção também deve passar por um processo de purificação constante. Cultivem boa companhia (Satsang), a companhia de pessoas preenchidas com o Amor Divino. Usem esse Satsang para se livrarem de seus instintos animais e progredirem do humano ao Divino. (Discurso Divino, 21 de agosto de 1992) ”

Sathya Sai Baba

26 de agosto de 2016

“Internalize o fato de que cantar o nome do Senhor é muito sagrado e eficaz. Serve para remover as impurezas dentro de uma pessoa e promove pensamentos bons e sagrados. Quando o coração está cheio de verdade e amor, somente pensamentos positivos irão surgir. Não há nenhum significado em recitar o nome do Senhor Krishna ou de Rama apenas uma vez por ano. Quantas vezes você ingere alimentos para nutrir seu corpo? Sua mente não necessita ser alimentada da mesma forma? Contemplação do Senhor é o alimento para a mente. Alimentar a barriga e fazer a mente passar fome é como decorar a carruagem e matar de fome o cavalo! Para manter a carruagem do corpo em movimento, você deve alimentar o cavalo da mente. Enquanto o corpo se alimenta de inúmeras maneiras, alimente a mente com solidão. Entoe o nome do Senhor constantemente e silenciosamente dentro de você. Possuindo esta sabedoria, você não aproveitará isso totalmente e economizará tempo para preciosos pensamentos do Senhor? (Discurso Divino, 26 de fevereiro de 1998) ”

Sathya Sai Baba

27 de agosto de 2016

“Prema (amor) é como o mais precioso diamante. O amor é estranho às pessoas que são egoístas, vaidosas ou pomposas. Onde, então, este amor pode ser encontrado? Este precioso diamante só pode ser obtido no reino do Amor, na rua do Amor, na loja do Amor. Ele pode ser obtido apenas por um coração amoroso. Pode-se perguntar, "o mundo inteiro não está permeado com amor? Então, por que o amor não está prontamente disponível?" O amor com que o mundo parece estar preenchido não é o verdadeiro amor. O amor não pode estar associado com o corpo, os sentidos, a mente e o intelecto. Qualquer coisa associada com estes é somente apego (Anuraga). Somente a vida espiritual (Atma) é uma vida cheia de amor. Portanto, leve uma vida espiritual, não uma vida limitada por corpo, mente, sentidos e intelecto. Uma vida relacionada ao corpo, sentidos, mente e intelecto nunca pode ser livre de egoísmo, vaidade e ostentação. (Discurso Divino, 21 de agosto de 1992) ”

Sathya Sai Baba

28 de agosto de 2016

“As pessoas atualmente estão totalmente imersas em preocupações mundanas e não dedicam atenção à busca espiritual. É fato que o envolvimento em assuntos mundanos não pode ser abandonado totalmente. Mas, todas essas ações podem ser santificadas realizando-as com um espírito de dedicação ao Divino. Para progredir da condição humana à Divina no homem, a única maneira prática é o Princípio do Amor (Prema Tattva). A partir do Mahabharata, tome como exemplo o destino de Karna e de Arjuna, que indica a diferença entre alguém que não tem a graça Divina e outro que tem o benefício da graça Divina. Enquanto Karna, que se associou aos perversos Kauravas, encontrou um fim trágico, apesar de seus muitos talentos; Arjuna, que era um devoto firme do Senhor, foi abençoado com a vitória. Muitas escrituras apropriadamente demonstram o poder da graça do Senhor para transformar o ser humano para o estado do Divino. (Discurso Divino, 21 de agosto de 1992) ”

Sathya Sai Baba

29 de agosto de 2016

“Você pode considerar que o amor dentro de você e o Amor Divino, representado por Deus, são os mesmos. Há uma diferença. O amor de Deus é totalmente altruísta, absolutamente puro, eterno e sem falhas. A maioria das pessoas procura coisas no mundo, incluindo Deus, apenas por motivos egoístas. O amor humano é autocentrado e maculado. Tal amor egoísta não pode fundir-se com o amor de Deus. É somente quando ele está livre de egoísmo, orgulho, ódio e inveja que Deus habita em você. Sem renúncia (tyaga), se alguém está imerso em prazeres mundanos e leva uma vida mundana, sua devoção somente é egoísta, artificial e auto enganadora. Ela não o levará a Deus. Deus não pode ser obtido tão facilmente. O coração tem apenas um único assento. Há espaço nele para apenas uma pessoa. Se você instalar desejos mundanos naquela cadeira, como se pode esperar que Deus se sente nela? Deus tomará esse lugar apenas se você a esvaziar de todas as outras coisas. (Discurso Divino, 21 de agosto de 1992) ”

Sathya Sai Baba

30 de agosto de 2016

“Certa vez, Krishna fingiu que sofria dor de cabeça para a qual a cura era a aplicação da poeira dos pés de um devoto em Sua cabeça. O sábio Narada procurou recolher a poeira de Sathyabhama, Rukmini e outros, a quem considerava grandes devotos do Senhor. Mas todos eles se recusaram a dar o pó dos seus pés por considerar pecaminoso oferecer seu pó para ser colocado na cabeça do Senhor. Por fim, Narada foi às Gopikas, que não tiveram a menor hesitação em oferecer a poeira de seus pés, se somente isso desse alívio imediato ao Senhor, independentemente das consequências para si mesmas. As Gopikas não consideravam se era certo ou errado para elas oferecer o pó dos seus pés. Sua única preocupação era o alívio para o seu Senhor, por qualquer meio. Elas declararam: "Toda a nossa vida é dedicada a Krishna. Sua alegria é nossa." Este foi o espírito de unidade com que elas ofereceram a poeira dos seus pés. Naquele exato momento, Krishna foi livrado de seu incômodo e o sábio Narada também aprendeu uma lição! (Discurso Divino, 21 de agosto de 1992) ”

Sathya Sai Baba

31 de agosto de 2016

“Não é suficiente alegar ser um devoto do Senhor. O Senhor deve reconhecê-lo como um devoto. Somente então é que a devoção da pessoa adquire valor. Bhagavatam e outras escrituras demonstram como esse tipo de vida dedicada pode ser conduzido por qualquer pessoa que deseja devotar-se ao Senhor. Ninguém deve sentir que está além de sua capacidade entregar-se totalmente ao Senhor. Se houver determinação firme, isto pode ser conseguido. É somente pelo esforço sério que a sabedoria Divina pode ser obtida (Shraddhavan Labhate Jnanam). Hoje o mundo é afligido pela epidemia do egoísmo (Ahamkara). Não há realmente nenhuma base para este tipo de vaidade. Ela nasce da ignorância. Ela deve ser totalmente erradicada. Se todos perceberem que o corpo foi dado para a busca da retidão e agirem com base nisso, certamente irão realizar o Divino. (Discurso Divino, 21 de fevereiro de 1992) ”

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.