Pensamento para o dia - abril 2020

1° de abril de 2020

“Falamos frequentemente sobre a oração. Oração não significa fazer pedidos a Deus. Oração é um indicador da experiência da bem-aventurança do Atma. É um método para compartilhar essa bem-aventurança, espalhando-a por todos os lados, e para mergulhar nessa bem-aventurança. A oração deve vir do coração. A oração que não vem do coração é completamente inútil. O Senhor aceitará um coração sem palavras, mas Ele não aceitará palavras e preces que não vêm do coração. É por isso que Deus é descrito como Hridayesha (o Senhor do Coração). É somente quando você tem fé nisso, que você é capaz de manifestar sua Divindade. Deus está dentro de você, fora de você e ao seu redor. Reconheça essa verdade e viva de acordo com ela. Enquanto você estiver cheio de dúvidas, você não experimentará paz ou felicidade.” (Divino Discurso, 29 de julho de 1988)

Sathya Sai Baba

2 de abril de 2020

“Rama é o Morador Interno em cada corpo. Ele é o Atma-Rama, a Fonte de Bem-Aventurança em todo indivíduo. Ele é a própria encarnação do dharma, de todos os códigos morais que mantêm a humanidade coesa em amor e unidade. O Ramayana ensina duas lições: o valor do desapego e a necessidade de cada um se tornar consciente do Divino existente em todo ser. A fé em Deus e o desprendimento de buscas materiais são as chaves para a liberação humana. Renuncie aos objetos dos sentidos e você conquistará Rama. Sita abandonou os luxos da cidade de Ayodhya, para que pudesse estar com Rama durante o período de ‘exílio’. Porém, quando lançou olhares desejosos sobre o cervo dourado e almejou tê-lo para si, perdeu a presença de Rama. A renúncia leva à alegria; o apego traz a tristeza. Esteja no mundo, mas não seja do mundo. Torne o seu coração puro e forte, mediante a contemplação da grandeza do Ramayana. Esteja estabelecido na fé de que Rama é a Realidade de sua existência.” (Ramakatha Rasavani: A História de Rama, cap. 1)

Sathya Sai Baba

3 de abril de 2020

“Havia grande unidade e compreensão, não somente entre os quatro irmãos: Rama, Lakshmana, Bharata e Shatrughna, mas também entre suas esposas. Cada personagem no Ramayana é um ideal para toda família. Existe hoje alguma família onde os filhos e as noras vivam em amizade? Existe alguma família onde os irmãos vivam em harmonia, sem se deixar levar por disputas? Em lugar algum pode-se ver uma família ideal assim hoje em dia. Você pode ter desejos, mas eles devem ser limitados. Devem ser baseados na verdade e na retidão. Não coma o que lhe aparecer pela frente. Não fale tudo aquilo que vem à mente. Você deve falar somente depois de uma apropriada ponderação. Essas são algumas das lições que o Ramayana ensina à humanidade. Lembre-se, a história de Rama não é uma história antiga. Ela é eterna e sempre nova. É repleta de auspiciosidade. Abandone todo ódio e todas as diferenças! Que vocês possam encher seus corações com os ideais sagrados do Ramayana! Que possam viver em paz e harmonia!” (Divino Discurso, 11 de abril de 2003)

Sathya Sai Baba

4 de abril de 2020

“Uma vez, três pessoas chegaram aos portões do Céu. Uma delas declarou que era o mestre de todas as escrituras e, portanto, os portões deveriam ser abertos para que entrasse. Os guardiões do portão disseram: ‘Você só tem familiaridade com os textos. Você não tem experiência prática. Pode ir embora.’ O segundo homem disse: ‘Eu realizei muitos sacrifícios e rituais (yagas e yajñas).’ Os guardiões lhe disseram: ‘Você realizou os sacrifícios tendo em vista objetivos egoístas. Não há lugar para você aqui.’ A terceira pessoa, um fazendeiro, se aproximou dos portões e disse: ‘Sou um pobre fazendeiro, possuo somente um casebre em dois acres de terra. Tenho oferecido alimento e bebida para aqueles que passam por mim, e abrigo quando necessário. Tenho compartilhado com eles o pouco que tenho. Esse é todo o sadhana que tenho podido praticar.’ Os guardiões disseram: ‘Você pode entrar.’ Essa história ilustra a verdade de que somente aqueles que estão preparados para sacrificar o pouco que têm, para aplacar as necessidades dos outros, estão autorizados a entrar no Céu.” (Divino Discurso, 26 de março de 1988)

Sathya Sai Baba

5 de abril de 2020

“Este mundo é a morada do Senhor: Ishavasyam idam jagat. Assim sendo, ninguém pode nutrir um sentimento de posse ou mesmo algum vestígio de egoísmo. Renuncie ao sentimento de apego e sinta a presença do Senhor em toda parte. Abandone os sentimentos de “eu” e “você”; só então você poderá entender a glória daquilo que não é nem “eu” nem “meu”. Isso não envolve sua renúncia a tudo. O teste definitivo pelo qual uma atividade pode ser determinada como sendo santa ou sagrada consiste em examinar se ela promove o apego ou evita a escravidão. O teste definitivo para decidir se uma atividade é impura ou pecaminosa consiste em examinar se ela se origina da cobiça, ou a promove. O real ensinamento (Atma-vidya) instrui que o mundo seja lidado da forma como o dever demanda, mas em um espírito de desapego e evitando as amarras. Acolha a bem-aventurança espiritual que o Senhor, a encarnação da bem-aventurança espiritual, confere em você e viva a experiência com gratidão e sem estar preso pelos desejos.” (Vidya Vahini, cap. 1)

Sathya Sai Baba

6 de abril de 2020

“A sublime importância da sabedoria divina só pode ser assimilada por um indivíduo, e só pode ser comunicada a outro, quando a mente pura irradia sua luz reveladora. Dentro de um aposento mantido escrupulosamente limpo, nenhuma cobra, escorpião ou inseto venenoso entrará; eles só estarão presentes nos locais sujos e escuros. Da mesma forma, a sabedoria sagrada não pode entrar em corações escuros e sujos. Pelo contrário, seres venenosos, como a raiva irão encontrar nesses corações um agradável abrigo. Você não pode lavar um pedaço de carvão com sabão e água. Lavar com leite também não ajudará. A única forma é lançá-lo no fogo. O fogo transformará o carvão em uma pilha de cinza branca. Da mesma forma, somente a obtenção da consciência do Atma (Atma-jñana) — em outras palavras, o Conhecimento de Brahman (Brahman-vidya) — destruirá a escuridão da ignorância e a sujeira do desejo. A escuridão só acaba com a ajuda da luz. Não se pode dominar a escuridão atacando-a com mais escuridão. A Sabedoria Espiritual proporciona a iluminação interna necessária para se destruir a escuridão interior.” (Vidya Vahini, cap. 2)

Sathya Sai Baba

7 de abril de 2020

“O alimento no prato, quando não consumido por nós ou dado a uma pessoa faminta, torna-se podre. Da mesma forma, imaginem o destino de nossas vidas quando nossas faltas e deslizes não são corrigidos através de nossos próprios esforços ou atentando-se aos avisos de grandes almas que tiveram êxito no processo de purificação! Como o prato de lentilhas cozidas (dhal) deixado de lado por muito tempo, a vida irá cheirar mal. As pessoas não reconhecem a verdade de que os valores espirituais, morais e comportamentais são as joias reais da realização humana. Quando não estão no cargo, as pessoas escrevem artigos e ensaios sobre educação ou entregam-se a ‘conversas de papagaio’ nos palanques. Quando essas mesmas pessoas alcançam posições de autoridade, colocam em prática ações totalmente contrárias ao que proclamaram antes. Evidentemente, os discursos dos palanques são bons; mas sua prática não deve ser paralisada. A menos que essa doença de falar sem praticar seja curada, a educação e o aprendizado real não podem manifestar seu valor verdadeiro!” (Vidya Vahini, cap. 2)

Sathya Sai Baba

8 de abril de 2020

“Arjuna era cunhado de Krishna; eles eram também grandes amigos. Krishna sem dúvida tinha o poder de transformar, num piscar de olhos, a mente agitada de seu companheiro em um instrumento iluminado de ação resoluta. Mas Krishna não usou nenhum de Seus poderes! Ele somente ofereceu o remédio e a dieta; para se salvar, Arjuna tinha que, ele mesmo, tomar o medicamento e seguir o regime. Krishna disse: ‘Você é Meu amigo, você é Meu parente, você é tão próximo de Mim que Eu sou agora seu cocheiro. Você está em grande sofrimento; Eu concordo que a ilusão que o dominou deva ser removida rapidamente; mas sua ignorância (ajñana) deve ser destruída através de seu próprio esforço, não através de algum milagre de Meus desígnios.’ A Verdade que é obtida através de seus próprios esforços contra a inverdade será um tesouro duradouro; esse esforço lhe fortalecerá para que possa valorizar o tesouro real!” (Divino Discurso, 2 de março de 1965)

Sathya Sai Baba

9 de abril de 2020

“A primeira coisa que você deve fazer é desenvolver auto-confiança. São as pessoas sem confiança em si mesmas que começam a vaguear e hesitar, e embarcam em diferentes caminhos. Quando você leva seu corpo a diferentes lugares, e quando você se põe a vagar sem direção, a mente também vai a diferentes lugares. A primeira coisa é estabilizar seu corpo físico. Se você tem um recipiente cheio de água, e esse recipiente está constantemente em movimento, então seu conteúdo estará em constante movimento. Portanto não devemos continuamente deslocar nosso corpo e nossos membros de uma forma sem propósito; essa é uma parte essencial de nossa prática de meditação. Devemos nos sentar quietos e o corpo deve estar estável. Por que pedimos para que as pessoas se sentem eretas e quietas em meditação? Porque quando o corpo está ereto e quieto, a mente dentro também fica estável e quieta. A primeira coisa a se controlar é o corpo, assegurando-se de que todos os membros e órgãos estão imóveis.” (Divino Discurso, 28 de março de 1975)

Sathya Sai Baba

10 de abril de 2020

“Jesus sabia que tudo era o desejo de Deus. Assim, mesmo sofrendo agonia na cruz, Ele não tinha sentimentos maus por ninguém, e exortava aqueles que estavam com Ele a tratar a todos como sendo instrumentos da vontade de Deus. É muito difícil desenvolver uma fé inabalável e praticá-la na vida diária! A mente, como Arjuna se queixava, pula da crença para a dúvida, causando agitação e confusão. No entanto, você pode conquistá-la por seu esforço pessoal! A abelha carpinteira pode furar um buraco na mais dura madeira. Mas, quando ela está tomando o néctar da flor de lótus, e a noite vem chegando, as pétalas abertas vão se fechando sobre a abelha, prendendo-a sem chance de escapar! Essa abelha não sabe como lidar com a suavidade! Da mesma forma, sua mente faz seus truques e pula por todo lado; quando colocada sobre o pé de lótus do Senhor, ela se torna inativa e inofensiva. Cultive o desapego, domine os caprichos da mente, e manifeste a Divindade latente em você.” (Divino Discurso, 24 de dezembro de 1980)

Sathya Sai Baba

11 de abril de 2020

“A inveja é a primeira má qualidade que adentra quando a paciência (kshama) se retira. O Mahabharata retrata vividamente como uma vida serena pode ser totalmente destruída pela inveja. A ilha dourada de Lanka era como o próprio céu, mas a inveja de Ravana a reduziu a ruínas. Kshama lhe dará proteção total; sua ausência lhe levará à angústia e ao desastre. A impaciência dá luz ao egoísmo e promove a inveja, que juntos estimulam vários tipos de conflitos e tendências separatórias. Os problemas que frequentemente experimentamos são em grande parte causados pela ausência dessa nobre qualidade de kshama. A impaciência arruinou até mesmo grandes aspirantes espirituais. Da mesma forma, reis foram reduzidos à mendigos. A ausência de kshama pode transformar iogues em rogis (doentes). Sem kshama, a humanidade se degrada e começa a declinar, e, quando se cultiva essa qualidade, a humanidade progride muito rapidamente.” (Divino Discurso, 25 de maio de 2000)

Sathya Sai Baba

12 de abril de 2020

“Podemos encontrar duas características diferentes entre as pessoas. Uma característica comum é se iludir de que são bons indivíduos com muitas virtudes, inteligência e talento. A segunda categoria, que é rara, é o reconhecimento das boas qualidades nos outros, seus méritos, habilidades e boas ações, e apreciar seus ideais. Jesus pertencia à segunda categoria. Ele via as boas qualidades nas pessoas, se alegrava com suas virtudes e compartilhava sua alegria com os outros. Jesus ensinou que Deus é Amor e que o nascimento humano deve ser utilizado para a percepção do Espírito Interior! Ele declarou que não havia nada de grandioso em dar o bem em retribuição ao bem. As pessoas deveriam fazer o bem até mesmo àqueles que as ferem. Encarnações do Amor Divino! Derrubem os muros que os separam de outro ser. Abandonem todas as diferenças! Cultivem amor em seus corações. Lembrem-se e adorem o Senhor com amor. Que tipo de devoção é essa de uma pessoa que não pratica os ensinamentos do Senhor?” (Divino Discurso, 25 de dezembro de 1988)

Sathya Sai Baba

13 de abril de 2020

“Devemos transformar o poder divino latente em nós em habilidade, para assim realizarmos alguma atividade útil. Quando o conhecimento é convertido em habilidade, você adquire equilíbrio na vida. Nesse estado de equanimidade, você desenvolverá visão discernida (insight). Engrandecido com tal visão e poder divino, você deve empreender uma atividade nobre. Somente então haverá resultados frutíferos e benéficos a todos. Sempre realize atividades nobres com uma mente pura. A unidade traz pureza, e a pureza, por sua vez, leva à Divindade. Você nunca deve se esquecer da relação inseparável entre unidade, pureza e Divindade, e sempre deve se esforçar para alcançá-la. Vocês todos devem se juntar e trabalhar juntos com o espírito de sacrifício. A espiritualidade não é uma atividade comercial. A espiritualidade é divina. A espiritualidade está associada com a unidade. Essa unidade na diversidade, sozinha, irá lhe trazer felicidade. Desejo que você cultive o princípio da unidade. Então, toda atividade realizada por você alcançará seu devido valor e santidade!” (Divino Discurso, 1º de janeiro de 2003)

Sathya Sai Baba

14 de abril de 2020

“Para embarcar em uma nova vida, vocês não precisam esperar a chegada de um ano novo. Considerem cada segundo como novo. Santifiquem cada momento de sua vida. A observância do início de um ano novo é baseado nas indicações daquele que fez o calendário. O calendário é um artifício criado pelo ser humano. O sol e a lua permanecem inalterados. O onipotente e onipresente Divino transcende tais ideias. Aspirem sinceramente a perceber a unidade entre Sat (o Divino) e Chit (a Consciência individual). Quando essa união for alcançada, vocês experienciarão Ananda (Bem-Aventurança Espiritual). Essa é a tarefa principal diante de todos. Todos vocês devem se esforçar para alcançar esse propósito essencial de seu nascimento humano. Vocês estão sujeitos às suas próprias ações neste mundo. Considerem o cosmos como uma grande mansão do Supremo Senhor! Que suas ações sejam boas. Sejam puros em sua fala. Desenvolvam uma visão sagrada e purifiquem seus corações.” (Divino Discurso, 1º de janeiro de 1992)

Sathya Sai Baba

15 de abril de 2020

“Para se obter o amor altruísta, a qualidade da paciência (kshama*) é uma necessidade vital. Todo indivíduo deve cultivar essa nobre qualidade. Kshama não é obtida pela leitura de livros ou através de algum instrutor. Também não pode ser recebida como um presente de outra pessoa. Essa virtude primordial de kshama somente pode ser obtida pelo esforço pessoal, enfrentando-se diretamente diversos problemas e dificuldades de vários tipos, passando por ansiedades e também sofrendo tristeza. Na falta de kshama, o ser humano se torna suscetível a todos os tipos de más tendências. Ódio e inveja facilmente se enraízam em uma pessoa sem essa virtude. Divindade é simplesmente a combinação de prema (amor) e kshama.” (Divino Discurso, 25 de maio de 2000)

* Kshama é uma palavra rica de significado. Além de ‘tolerância’, também implica em uma extrema paciência e uma enorme capacidade de esquecer e de perdoar.

Sathya Sai Baba

16 de abril de 2020

“Todos vocês são encarnações do amor e da Divindade. Tudo o que tem que acontecer, acontecerá. Não se preocupem com isso. O passado é passado, esqueçam o passado. O futuro é incerto, não sofram por ele. O presente é importante, vivam no presente e sejam felizes. Não se preocupem com o passado e o futuro. Onde está o passado? Muitas pessoas já faleceram. Alguma delas retornou? Nenhuma. Similarmente, não sabemos nada sobre o futuro. Por que deveríamos nos preocupar com ele? Busquem a felicidade no presente. Quando vocês têm uma atitude assim, vocês nunca se preocuparão com nada na vida. Que forma tem a preocupação? É um medo criado pela mente. Não devemos nunca nos preocupar. Pressa, preocupação e tempero (Hurry, Worry, Curry) —  essas são as causas das doenças do coração. Vocês portanto devem evitá-los. Um verdadeiro devoto nunca terá qualquer preocupação. Você não pode se considerar um verdadeiro devoto se você é assolado por preocupações.” (Divino Discurso, 14 de abril de 2006)

Sathya Sai Baba

17 de abril de 2020

“A ação, o trabalho no qual as mãos estão engajadas, é a fonte de felicidade ou sofrimento. Vocês afirmam que estão felizes, ansiosos, com medo, ou que estão em dificuldades. Muito frequentemente, atribuímos a causa dessas expressões a outras pessoas, e não a nós mesmos. Isso não é certo; felicidade e sofrimento são resultados de nossas próprias ações. Mesmo aceitando ou negando esta verdade, vocês vivenciarão as consequências de suas ações. Essa é a lei da natureza. Vocês podem não acreditar em verão ou inverno, em fogo ou chuva, mas não poderão escapar do calor e do frio; eles os afetarão de qualquer forma. Portanto, os sábios e virtuosos conduzirão suas atividades dentro de caminhos adequados. Assimilem essas lições e demonstrem seus efeitos em seus pensamentos, palavras, e transforme-as em ação!” (Vidya Vahini, cap. 19)

Sathya Sai Baba

18 de abril de 2020

“As mãos não são os únicos membros ou agentes envolvidos na atividade humana (karma). O que quer que você faça, veja ou escute, você deve estar vigilante a respeito de sua pureza. Pensamento, palavra e ação devem ser livres de orgulho, de cobiça e de ódio. As palavras que você pronuncia devem estar livres dessas falhas; as coisas que você anseia ouvir devem estar livres dessas qualidades superficialmente atrativas; e os prazeres que você busca não devem estar poluídos pelo mal. Aquilo que entra nos ouvidos pode não estar claro à mente; pode chegar à mente de uma forma difusa. Assim, a educação deve ser comunicada de uma forma que possa ser recebida pela mente com clareza. Para alcançar esse objetivo, ela precisa ser transmitida por cabeças, línguas e mãos que sejam puras, sem nenhuma mácula que a perverta. Só então pode o aprendizado ser claro e a sabedoria, luminosa.” (Vidya Vahini, cap. 19)

Sathya Sai Baba

19 de abril de 2020

“Abandone o hábito de se preocupar. As dúvidas são a causa de sua preocupação. Devido ao hábito de se preocupar, você enfrenta mais dificuldades. Cumpra seus deveres com sinceridade sem se preocupar por nada. Quando você conduz uma vida verdadeira, você não precisará correr atrás de ninguém ou suplicar por favores. Uma vez que você cultive o verdadeiro amor por Deus, você terá tudo na vida. Experimente a bem-aventurança que está dentro de seu coração sem fazer disso um espetáculo aos outros. De um lado está o mundo e, do outro, Deus. Você não pode ter os dois ao mesmo tempo. É como cavalgar em dois cavalos — o que certamente se mostrará perigoso. Foque sua mente somente em Deus e tenha fé plena Nele. Sempre pense em Deus, tanto no prazer quanto na dor. Deseje somente Deus. Não se preocupe muito com suas dificuldades. Todas as dificuldades são como nuvens passageiras. Quando você cultiva amor por Deus, todas as suas dificuldades desaparecerão em um instante.” (Divino Discurso, 14 de abril de 2006)

Sathya Sai Baba

20 de abril de 2020

“Os professores devem adotar a disciplina espiritual (sadhana) de purificar suas emoções para que possam conquistar a posição e a autoridade de mestres (gurus). Um mestre verdadeiro deve conduzir o aluno a uma vida digna e feliz. Os aluno verdadeiros, por sua vez, devem responder com entusiasmo e adoração. Os professores são responsáveis pela natureza e qualidade das atividades e do caráter dos estudantes. Eles têm a oportunidade de causar uma impressão nos jovens através de sua erudição e liderança. Por isso, os professores devem se livrar do engrandecimento egoísta e de manobras políticas, e ter somente a iluminação espiritual como seu ideal na vida. Os membros do corpo docente devem conviver entre si como irmãos e irmãs. Os estudantes percebem as diferenças e rivalidades entre seus professores. Claro que as diferenças são inevitáveis e podem até ser úteis. Mas elas não devem poluir suas relações mútuas, impedir o progresso da instituição, e afetar adversamente os processos de ensino e aprendizagem. Os professores devem consultar uns aos outros e cooperar com os demais.” (Vidya Vahini, cap. 19)

Sathya Sai Baba

21 de abril de 2020

“Vocês desenvolvem amor por muitas coisas neste mundo. O desejo é causa fundamental de todos os seus sofrimentos. ‘Menos bagagem, mais conforto, a viagem se torna um prazer’. Quando há bagagens, vocês não podem escapar dos problemas. Aqui, as bagagens se referem às relações e desejos mundanos. Vocês só podem ter felicidade real quando reduzem sua bagagem: as amarras mundanas. Não há nada neste mundo que vocês devam desejar. Se qualquer desejo mundano surge em sua mente, abandone-o imediatamente. Abandonar os desejos é a verdadeira renúncia. Há muitos milionários neste mundo — pode algum deles viver para sempre? Todos eles vêm e se vão! Não importa o quanto uma pessoa acumula, todos devem retornar de mãos vazias. No final, todas as posses mundanas são inúteis. Assim, não desenvolvam relações e desejos mundanos indevidos. Vocês devem ter a consciência corpórea somente para cumprir seus deveres. Cumpram seus deveres com esmero, fazendo o melhor uso do presente; não se preocupem desnecessariamente sobre o que virá no futuro.” (Divino Discurso, 14 de abril de 2006)

Sathya Sai Baba

22 de abril de 2020

“Os professores devem revelar a direção e a meta. Os estudantes traçam o caminho e viajam para o futuro. A habilidade e a força, o status e a grandeza da humanidade são moldados e propagados proporcionalmente à qualidade e caráter de seus professores. O caráter é a marca característica da humanidade. Os professores devem dedicar seu conhecimento e sabedoria à grandiosa tarefa de elevar seus alunos a níveis mais elevados de conhecimento e ação. As virtudes que eles ajudam a imprimir em seus pupilos são essenciais para a elevação da sociedade. Todo estudante deve se esforçar para manifestar a divindade presente em seu interior e se equipar para servir a sociedade com suas habilidades e conhecimento. Quando as virtudes estão enraizadas no coração, todo ser brilha em seu pleno esplendor. Uma vida sem um bom caráter é como um santuário sem luz, uma moeda falsificada e uma pipa com a linha cortada.” (Vidya Vahini, cap. 18)

Sathya Sai Baba

23 de abril de 2020

“Deus está presente em cada um. Ele habita em cada coração. Assim, não confine Deus a um templo, uma mesquita ou uma igreja. Onde há um ser humano, ali há Deus. Deus assume a forma humana (Daivam manushya rupena). Pelo fato de se esquecer e não perceber esse importante fato, você se entrega à crítica aos outros. A quem você está criticando? A quem você adora? Investigue isso você mesmo. Deus está presente em todos. Se você critica os outros, você critica a Deus. Quem quer que você saúda, isso alcança Deus (sarva jiva namaskaram Keshavam prati gacchati) e quem quer que você insulte ou ridicularize, isso também alcança Deus (sarva jiva tiraskaram Keshavam prati gacchati)! A partir deste exato momento, embarque em uma vida nova, abandonando maus pensamentos e más qualidades. Purifique seu coração. Ame a todos, tenha fé que Deus está presente em todos. Preencha seu coração com puro amor. Que seus pensamentos, palavras e ações sejam sagrados. Só então sua vida será bem-aventurada.” (Divino Discurso, 13 de abril de 2002)

Sathya Sai Baba

24 de abril de 2020

“Considere o significado do nome ‘Sai Baba’. ‘Sa’ significa Divino; ‘ai’ ou ‘ayi’ significa mãe, e ‘Baba’ significa pai. Seus pais físicos demonstram amor com uma dose de egoísmo; mas Sai, sua Divina Mãe e Pai, demonstra afeição ou reprimendas apenas para conduzí-los em direção à vitória na luta pela autorrealização. Pois, este Sai veio para realizar a tarefa suprema de unir a humanidade inteira como uma família, através do laço da irmandade. Sua tarefa é afirmar e iluminar a Realidade Átmica de cada ser, para revelar o Divino que é a base sob a qual o Cosmos inteiro repousa. Também é Sua tarefa instruir a todos a reconhecer a herança divina comum que os une, para que vocês possam se livrar do animal e elevar-se ao Divino. Eu precisei falar a vocês sobre a Minha Verdade, pois Eu desejo que vocês contemplem sobre isso e obtenham alegria disso. Eu desejo que vocês sejam inspirados a observar as disciplinas estabelecidas por Mim e progridam até a Meta da Autorrealização, a realização do Sai que brilha em seus corações.” (Divino Discurso, 19 de junho de 1974)

Sathya Sai Baba

25 de abril de 2020

“O amor é Divino. Ame todos, compartilhe seu amor até mesmo com aqueles que são desprovidos de amor. O puro Amor é como a bússola de um navegador. Onde quer que ele esteja, ele apontará na direção de Deus! Em cada ação de sua vida diária, manifeste amor sem traços de egoísmo. A Divindade irá emergir dali! Esse é o caminho mais fácil para a percepção de Deus. Mas por que as pessoas não o estão seguindo? A razão é que elas estão obcecadas com uma falsa concepção sobre os meios de experimentar Deus. Elas consideram Deus como uma entidade distante que só pode ser alcançada através de práticas espirituais árduas. Deus está em todos os lugares. Não há necessidade de buscar Deus em lugar algum. Tudo o que você vê é uma manifestação do Divino. Todos os seres humanos que você vê são formas do Divino. Corrija sua visão defeituosa e você sentirá Deus em todas as coisas. Fale com amor, aja com amor, pense com amor, e realize cada ação com um coração cheio de amor. Entenda que o caminho do divino Amor é a estrada mais fácil, mais doce, e mais segura para Deus!” (Divino Discurso, 5 de julho de 1996)

Sathya Sai Baba

26 de abril de 2020

“Rama tinha um coração cheio de compaixão; Ele dava refúgio a quem O procurasse para abrigo e se entregasse a Ele. Deu refúgio ao irmão de Ravana e tratou-o como seu próprio irmão Lakshmana. Rama afirmou: “Se alguém diz uma vez, ‘eu sou Seu’, ele será Meu para sempre!”. Rama viveu e ensinou o dharma (retidão) através de todos os Seus atos, e estabeleceu o dharma pela prática e pelo preceito. Promovia e protegia as boas pessoas (sadhus). Removeu seus sofrimentos, atraiu-os a Ele, e suas vidas foram preenchidas pela Sua graça. Não fazia distinção entre os altos e os baixos. Era Senhor de todas as escrituras (shastras), e conhecia o significado de todos os Vedas. Rama transformou o mundo em um reino de retidão através de diversas atividades e exemplos. Amor, beleza e virtude emanavam Dele e se espalhavam a todos. Para todos os chefes de família, Rama é o ideal. Seu advento foi para restaurar os valores espirituais e para salvar o mundo do desastre moral!” (Bhagavata Vahini, cap. 33)

Sathya Sai Baba

27 de abril de 2020

“Moksha significa libertação. Todos os seres vivos são, forçosamente, aspirantes pela libertação (mumukshu), praticantes da renúncia. Todos têm de ser renunciantes (tyagi), versados no desapego. Essa é a verdade final, a incontestável verdade. Quando abandonamos o corpo e partimos, não levamos conosco nem mesmo um punhado de terra. Quando não aprendemos a renunciar, a natureza nos ensina, diante da morte, essa grande verdade sobre a necessidade e o valor do desapego e da renúncia. Assim, é bom aprender a lição antes que isso aconteça. A pessoa que aprende e pratica essa verdade é de fato abençoada. O desapego é a segunda preciosa virtude que o conhecimento espiritual (vidya) confere (o primeiro é a ausência de orgulho e egoísmo). Esvazie a água de um pote, e a imagem do céu que podíamos ver refletida na água também se perde com a água; porém, o céu real entra no pote. Igualmente, quando aquilo que não é o Atma (Ser) for descartado, o Atma permanece, e a libertação é alcançada.” (Vidya Vahini, cap. 4)

Sathya Sai Baba

28 de abril de 2020

“Muitas pessoas interpretam a renúncia como sendo doar dinheiro e propriedade em caridade, executar rituais e sacrifícios (yajña e yaga), ou abandonar seu lar, família, esposa e filhos e ir para a floresta. Mas a renúncia não significa tais gestos de mentes fracas. Essas coisas não são tão difíceis de serem abandonadas quanto se supõe ser. A verdadeira renúncia é desistir dos desejos. Esse é o real objetivo da existência de uma pessoa, o propósito de todos seus esforços. Envolve abandonar luxúria, raiva, ganância, ódio, etc. A renúncia fundamental deve ser aquela do desejo. Os outros sentimentos e emoções são reações que vêm como consequência. O desejo implica na presença da luxúria, ira, ganância, etc. Estes são verdadeiros portões para o Inferno. A inveja é o trinco, e o orgulho é a chave. Destrave, levante o trinco e você poderá entrar.” (Vidya Vahini, cap. 4)

Sathya Sai Baba

29 de abril de 2020

“A raiva poluirá a sabedoria já obtida. Desejos desenfreados poluirão todas as ações. A ganância destruirá a devoção e a dedicação. Raiva, desejo e ganância minarão as ações, a sabedoria espiritual e a devoção, e tornarão a pessoa uma bruta. Mas, a causa fundamental da raiva é o desejo, e o desejo é consequência da ignorância. Ignorância é uma característica do animal (pashu). Animal é aquele que possui visão exterior e aceita o que a visão externa comunica. A visão interior conduzirá a pessoa ao Pashupati, o Senhor de todos os seres viventes. Aquele que não subjugou os sentidos é um animal. Um animal nasce com qualidades que não podem ser eliminadas tão facilmente. Ele não tem a capacidade para entender o sentido do conselho dado. Mas as pessoas podem ser educadas de uma maneira melhor. Por isso as escrituras declaram: ‘Entre todos os seres vivos, nascer como um ser humano é uma conquista rara.’ Os seres humanos são, de fato, os mais afortunados e santificados entre os animais, pois suas qualidades inatas podem ser sublimadas.” (Vidya Vahini, cap. 4)

Sathya Sai Baba

30 de abril de 2020

“Desejos produzem anseios. Anseios causam nascimento e morte. O nascimento seguinte é o resultado dos desejos não realizados nesta vida! Aqueles que não têm qualquer traço de desejos por objetos materiais podem alcançar a consciência da realidade Átmica. Na verdade, o desejo de conhecer Deus, de amar a Deus e de ser amado por Ele não é um desejo que prenda. Quando a consciência de Deus surge em todo o seu esplendor, todos os desejos mundanos e sensuais são reduzidos a cinzas nas chamas dessa consciência. O Ser individual se voltará para o Ser Universal tão logo os desejos cheguem ao fim, e se deleitará na Suprema Paz (parama shanti). O Ser deve romper todos os contatos com o não-ser para que possa ganhar a imortalidade. Você é um amontoado de pensamentos. Seus pensamentos desempenham um papel vital em moldar sua vida. Assim, observe seus pensamentos e cuidadosamente dê boas-vindas somente aos bons! O aprendizado espiritual (vidya) fixa bons pensamentos na mente, e assim se eleva ao status de conhecimento da suprema Realidade (Atma-vidya).” (Vidya Vahini, cap. 5)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2020 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.