Pensamento para o dia - abril 2018

1° de abril de 2018

“Jesus Cristo exemplificou várias qualidades nobres. Ele deu proteção a pessoas pobres e indigentes com um coração amoroso. Jesus ganhou um bom nome ao sacrificar Seu corpo na cruz. Você também deve estar preparado para um sacrifício tão grande. Você deve purificar seu coração com amor altruísta. Leve uma vida cheia de amor e sacrifício! Nunca se permita insultar os outros, pois o mesmo atma está permeando todos os seres vivos. Se você maltratar os outros, isso significa maltratar você mesmo. Se você não gosta deles, mantenha-se longe, mas nunca os maltrate! Qualquer bom trabalho feito por você será inútil, se você não abrir mão de más características. Você nem sempre pode atender os pedidos dos outros, mas sempre pode falar com carinho. Ninguém pode escapar da dor e do sofrimento. Hoje é essa pessoa, amanhã pode ser você. Portanto, se você encontrar alguém sofrendo, tente ajudar.” (Discurso Divino, 25 de dezembro de 2002)

Sathya Sai Baba

2 de abril de 2018

“A mansão chamada vida deve ser construída sobre fundações fortes. A busca de artha (riqueza) e de kama (desejo) por objetos e bem-estar, deve ser regulada pelo Dharma (retidão). O Dharma promove aqueles que o promovem (Dharmo rakshati rakshitah). O fundamento mais forte é a fé sempre presente em Deus. Alguns podem perguntar: "Se Deus é Todo-Poderoso, por que ele não é evidente?" Bem, Deus se revela apenas para aqueles que anseiam por uma resposta, não para aqueles que perguntam com impudência ou ignorância. Deus é evidente somente em todo coração transparente que não é obscurecido pelo egoísmo ou apego. O fio do rosário é evidente apenas nas contas de cristal, não nas contas rubras ou rudraksha, embora também passe por estas últimas. Todos os milhares de indivíduos aqui diante de Mim agora são milhares de flores amarradas nesse único fio, Brahman (Divindade). Em Brahman, todos encontram unidade, a unidade que vocês perderam porque estavam absortos em sua própria separação.” (Discurso Divino, 29 de março de 1965)

Sathya Sai Baba

3 de abril de 2018

“A conquista do ego é uma tarefa difícil; anos de esforço persistente são necessários para obter sucesso nessa empreitada. Pense neste exemplo - você tentou quebrar um coco assim que ele cai do coqueiro? A casca é coberta de maneira compacta por uma camada de fibra. Você não pode quebrar o coco mesmo batendo com um pé de cabra. Retire a armadura fibrosa e, então, quebrá-lo é fácil. Quando você pega um coco para ser oferecido no templo, você remove a fibra e o oferece a Deus, dividindo-o em duas metades. Este é o símbolo para destruir o ego e se render ao Senhor. Assim também na vida, você deve remover a fibra do desejo por objetos dos sentidos e então, ir diante do Senhor sem desejo e raiva (kama e krodha); lá você declara que é sem ego, quebrando o coco em dois. Você é então aceito!” (Discurso Divino, 29 de março de 1965)

Sathya Sai Baba

4 de abril de 2018

“Você deve oferecer ao Senhor, não as flores que as plantas cultivam; isso recompensará a planta, não você! O Senhor quer que você ofereça o lótus que floresce no lago do seu coração, o fruto que amadurece na árvore da sua carreira terrena, não o lótus e o fruto disponíveis no mercado! Você pode perguntar: "Onde podemos encontrar o Senhor?" Bem, Ele deu seu endereço, no capítulo 18, Sloka 61 da Bhagavad Gita. Ele declara: "Ó Arjuna, o Senhor reside no coração de todos os seres" (Ishwara Sarva Bhutanam hriddese, Arjuna, thisthathi). Agora, depois de saber isso, como você pode desprezar qualquer ser vivo em adversidade ou como você pode se deleitar em odiar ou se deleitar no passatempo de ridicularizar? Cada indivíduo é saturado com a Presença Divina, movido pelos atributos Divinos. Amor, honra e amizade - é o que cada um merece de você. Dê isto em plena medida.” (Divino Discurso, 16 de abril de 1964)

Sathya Sai Baba

5 de abril de 2018

“Muitas pessoas dizem que o mundo de hoje é afligido por tristeza, perdas e dificuldades. Eu não concordo com essa visão - na verdade, estas são apenas a nossa ilusão! De fato, não há agitação ou tristeza neste mundo. Eu só vejo paz em todo lugar. Quando houver paz em nosso coração, poderemos testemunhar a paz em todos os lugares. Agitação, tristeza, raiva, e assim por diante, são reação, reflexo e ressonância do estado de nosso ser interior. Dores e dificuldades, raiva e inquietação são de nossa própria criação. Eles não são fenômenos naturais no mundo. É a falta de amor que é responsável por todas as diferenças, argumentos e conflitos do mundo, especialmente nos tempos atuais. O amor é a principal qualidade de um ser humano. E a fé é a base para esse amor. Na grafia da palavra Amor (Love em inglês), "L" significa "Senhor" (“Lord” em inglês). Assim, o Amor verdadeiramente se origina do Senhor!” (Discurso Divino, 26 de dezembro de 2007)

Sathya Sai Baba

6 de abril de 2018

“Os Vedas são chamados Sruti porque devem ser ouvidos com atenção. Ouvir (sravanam) implanta ideias: inspira você a fazer um balanço de sua condição, a notar suas deficiências e falhas e, até mesmo, suas excelências e méritos. O ouvido tem grande potencial para corrigir, reformar e orientar. Ouça o Ramayana e o Mahabharata; é uma oportunidade preciosa que muitos não estão se beneficiando agora! Descubra por si mesmo a grandeza de Rama, Krishna, Meera e Radha. Pense nas suas vidas e nos exemplos que eles colocam diante de você; corrija seus hábitos, sua visão, sua atitude para com o mundo, com a sociedade e consigo mesmo. Esse é o caminho para a salvação. O ouvido preenche a cabeça, a cabeça governa o braço e o braço age. Portanto, ouça coisas boas, faça coisas boas e compartilhe coisas boas. Isso dá alegria e contentamento.” (Discurso Divino, 30 de março de 1965)

Sathya Sai Baba

7 de abril de 2018

“Você tem que desistir de sua busca por objetos sensoriais se você busca paz e alegria duradouras. A riqueza material traz consigo não apenas alegria, mas também tristeza. A acumulação de riquezas e a multiplicação de desejos apenas levam à alternância entre alegria e tristeza. O apego é a raiz da alegria e do sofrimento; o desapego é o salvador. O apego (ashakti) é a morte (maraka). O não-apego (anashakti) é libertador (taraka). Um milionário paga imposto de renda com lágrimas nos olhos, enquanto um diretor desiste alegremente dos móveis e equipamentos de laboratório de sua escola quando é transferido para outro lugar. Por quê? O diretor sabe que ele é apenas o zelador, não o dono. Ele não está ligado a esses artigos; ele sabe que eles pertencem ao governo. Do mesmo modo, sinta que sua família, casa, propriedade, carro, etc. são todos propriedade do Senhor e você é apenas um administrador; seja desapegado e esteja pronto para desistir deles sem qualquer murmúrio, a qualquer momento!” (Discurso Divino, 19 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

8 de abril de 2018

“Tome Meu próprio exemplo. Eu nunca exulto quando sou exaltado, nem retraio quando sou insultado. Poucos perceberam Meu propósito e significado, mas não estou preocupado. Quando as coisas que não estão em Mim são atribuídas a Mim, por que Eu deveria Me preocupar? Quando as coisas que estão em Mim são mencionadas, por que Eu deveria exultar? "Sayeeki Sarvamu sim, sim, sim" (para Sai é sempre sim!). Se você diz: "Sim, você é o Senhor", sim, Eu sou o Senhor para você, se você disser "não", Eu também faço o mesmo. Eu sou Anandam, Shantam, Dhairyam (Bem-aventurança, Paz e Coragem). Tome-Me como seu Atma tatwam (Realidade Átmica Interior); você não estará errado. Resolva a partir deste dia a ver apenas o bem nos outros e a desenvolver o bem em si mesmo. Esse é o melhor sadhana (esforço espiritual). Nutrir raiva e ódio no coração é como carregar um pote com muitos buracos para trazer água. Descarte raiva, ódio, inveja e ganância; faça isso nutrindo-se sempre do Nome que resume e significa a Glória de Deus.” (Discurso Divino, 30 de março de 1965)

Sathya Sai Baba

9 de abril de 2018

“Desenvolva renúncia às suas próprias necessidades e desejos. Examine cada um na pedra de toque da essencialidade. Quando você empilha coisas em seu apartamento, você só promove escuridão e poeira; também não colecione e armazene muitos materiais em sua mente. Viaje leve. Basta o suficiente para sustentar a vida e manter a saúde. O pappu (prato feito de lentilhas) deve ter apenas o suficiente uppu (sal) para torná-lo saboroso; isto é, não estrague o prato adicionando muito sal. A vida se torna muito difícil de suportar se você coloca muito desejo nela. Limite seus desejos à sua capacidade e, até mesmo entre eles, tenha apenas aqueles que concederão alegria duradoura. Não corra atrás da moda e da aprovação pública e não extrapole seus recursos além da recuperação. Além disso, atenha-se ao seu próprio dharma e ao código de regras que regulam a vida ou o estágio que você alcançou.” (Discurso Divino, 19 de agosto de 1964)

Sathya Sai Baba

10 de abril de 2018

“A pior ação que você pode fazer é fazer o oposto do que você prega. Negar pela mão o que você distribui da sua boca! Se você não pode agir de acordo com suas declarações, fique quieto; não aconselhe e se anuncie como um hipócrita! Não pregue a virtude enquanto a critica de fato. A retidão (dharma) é constante e imutável; ela nunca pode diminuir. Somente aqueles que devem praticar o dharma é que estão declinando em fé e firmeza! Todo indivíduo é julgado por sua prática, nunca por seus preceitos que se despeja eloquentemente. Honestamente, pergunte a si mesmo: "Que uso eu fiz da experiência espiritual que recebi até agora? Quanto me beneficiei?" Faça uma introspecção! Uma semente desenvolve-se lentamente em uma árvore frondosa enorme. Igualmente, através de pequenos atos, palavras suaves, ações genuínas e gentis, você deve se elevar a um Ser Divino!” (Discurso Divino, 31 de março de 1965)

Sathya Sai Baba

11 de abril de 2018

“Busque a companhia dos bons, dos que buscam, dos aspirantes e dos que são desapegados. Então, você verá a luz. Ouça discursos sagrados e leia livros sagrados. Seu esforço e a atmosfera do lugar - esses dois o levarão ao sucesso. Markandeya segurou firme o Shivalinga e assim o laço de Yama (Deus da morte) o prendeu e a Shiva; assim, o jovem Markandeya foi salvo. A história lhe ensina a estar sempre em contato com Deus, pois você não sabe quando o laço será lançado. Apegue-se ao Altíssimo, chame-O por qualquer nome, conceba-O de qualquer forma. Mas, lembre-se, sem retidão (Dharma) você não pode alcançar Deus. Aprenda os meios de obter graça e pureza daqueles que as conhecem - os anciãos e os estudiosos que puseram seu aprendizado em prática. A graça pode purificar o passado; Sat-prayatna, Sat-sanga e Sadhachara (bom esforço, boa companhia e boas práticas) garantirão a felicidade no futuro!” (Discurso Divino, 01 de abril de 1965)

Sathya Sai Baba

12 de abril de 2018

“Sua determinação de adquirir bem-aventurança e paz não deve oscilar como a chama de uma lamparina colocada em uma janela tempestuosa. Você deve aprender como obtê-las a partir das escrituras compostas por santos ou dos sábios que as conquistaram. Então você deve aderir ao caminho, por mais afiada que seja a crítica, e quem quer que seja o que o critica insensivelmente. O riso cínico não pode prejudicar o aspirante! Pode uma tempestade sacudir a cordilheira do Himalaia? Não deixe sua fé no objetivo ou na estrada tremer diante de problemas ou provações, trabalhos ou aflições, angústia ou desespero. São apenas nuvens passageiras, lançando sombras temporárias, escondendo por algum tempo a glória do sol ou da lua. Não se distraia com dúvidas ou desânimo. Construa a mansão de sua vida sobre quatro pilares firmes: virtude, riqueza, desejo e liberação (dharma, artha, kama e moksha), os objetivos do esforço humano estabelecidos pelos antigos sábios, cada pilar preso forte e seguro um ao outro.” (Discurso Divino, 23 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

13 de abril de 2018

“Se houver um furúnculo no corpo, aplique uma pomada e cubra-o com um curativo até que ele se cure. Se você não aplicar unguento e atar a bandagem ao redor desta ferida, é provável que ele se torne séptico e cause grandes danos mais tarde. De vez em quando você deve limpá-lo com água pura, aplicar pomada novamente e colocar um novo curativo. Da mesma forma, em nossa vida, há esse furúnculo que surgiu em nosso corpo na forma de ‘eu’. Se você quiser realmente curar esse furúnculo do ‘eu’, você terá que lavá-lo todos os dias com as águas do amor, aplicar o unguento de fé nele e amarrar o curativo de humildade em torno dele. O curativo da humildade, o unguento da fé e as águas do amor certamente curarão essa doença que irrompeu com esse furúnculo de ‘eu’.” (Discurso Divino, 17 de fevereiro de 1985)

Sathya Sai Baba

14 de abril de 2018

“Hoje marca o começo do Ano Novo (Tamil e Kerala). Muitos desses anos novos vieram e se foram. Todos esperam que o novo ano lhes confira, e ao mundo em geral, paz, felicidade e prosperidade. Mas o bem-estar do mundo depende da sua conduta e comportamento. Sua conduta depende da sua mente. A natureza da mente depende de pensamentos. Somente quando seus pensamentos forem baseados na verdade, o mundo florescerá. Se você aspira pelo bem-estar do mundo, cuide para que seus pensamentos e ações estejam de acordo com suas aspirações. Se você tem raiva de si mesmo, você não pode escapar da miséria. Aquele com desejos nunca pode alcançar a felicidade. Menos bagagem, mais conforto. Desejos são sua bagagem. Reduza-os para levar uma vida confortável. Uma pessoa gananciosa nunca pode alcançar prosperidade. Desista da ganância e você será feliz, próspero e feliz!” (Divino Discurso, 14 de abril de 2001)

Sathya Sai Baba

15 de abril de 2018

“Hoje não é diferente de ontem. Se fizer o bem agora, você colherá seus benefícios no futuro. Então, santifique suas ações. Lembre-se, a imortalidade não é alcançada por ação, progênie ou riqueza. É alcançada apenas pelo sacrifício! A bem-aventurança que você recebe do sacrifício é eterna. É a verdadeira riqueza e nunca pode diminuir! Para adquirir essa riqueza eterna, invista seu tempo na contemplação de Deus. A divindade deve permear tudo o que você vê, ouve e sente. O amor é a maior riqueza e tesouro. Que cada ação sua seja preenchida com amor. O amor gera recompensas sagradas. Deixe o mundo inteiro ser preenchido com amor. Só o amor pode salvaguardar os países e torná-los prósperos. Viva na companhia constante da Divindade onipresente. Por que temer quando estou com você, em você e ao seu redor? Se você tem fé, Deus irá protegê-lo onde quer que você esteja!” (Discurso Divino, 14 de abril de 2001)

Sathya Sai Baba

16 de abril de 2018

“O corpo humano é destinado a servir os outros, não a se entregar a atos egoístas. Como o egoísmo se tornou parte integrante de nossas vidas, nós nos entregamos a muitas atividades pecaminosas. Evite o egoísmo, aceite o serviço abnegado. Abandone o apego ao corpo. Torne-se ligado ao Eu. Entenda que o mesmo Eu (Atma) existe em todos. Embora você encontre várias lâmpadas brilhando em um grande salão, a corrente que passa por elas é a mesma. Corpos são como lâmpadas; o princípio do Atma é a corrente presente neles. Com tal sentimento de unidade, esforce-se para aliviar o sofrimento de seus semelhantes. O Sábio Vyasa deu a essência de 18 Puranas no ditado: Paropakaraya Punyaya, Papaya Parapeedanam (alcança-se mérito servindo aos outros e comete-se pecado ferindo-os). Então, pratique ‘ajudar sempre, ferir jamais’. Não há prática espiritual mais elevada do que essa. Esta é a base para a auto realização!” (Discurso Divino, 14 de abril de 2001)

Sathya Sai Baba

17 de abril de 2018

“Hoje as pessoas ignoram a lei da ação e agem como bem entendem. É fácil tolerar ações pecaminosas, mas é extremamente difícil suportar os maus resultados que elas produzem! O bem e o mal, a felicidade e a miséria, o mérito e o pecado dependem de suas ações. Assim como a ação, o resultado é o mesmo. Por isso, os Upanishads ensinam - “Saudai a ação” (Tasmai Namah Karmane). Ofereça saudações às ações que você realiza, para que elas se tornem sagradas, tragam bom nome e contribuam para o bem-estar do mundo. Desde tempos imemoriais, os bharatiyas fazem deferência à ação, seja ela grande ou pequena, antes de empreenderem. Uma dançarina faz reverência às tornozeleiras que ela usa antes de começar sua performance. Um motorista de caminhão analfabeto faz reverência ao volante antes de dirigir o veículo. Por que saudar a ação? É para discernir e escolher ações corretas e abandonar o sentido de ego ou de realização! Essa é a sacralidade que nossa cultura confere à ação.” (Discurso Divino, 14 de abril de 2001)

Sathya Sai Baba

18 de abril de 2018

“O Eu nada mais é do que o princípio do Atma (Eu Divino) penetrante. Existe apenas um Eu. Por isso as escrituras afirmam que Deus é o um sem um segundo (Ekam eva Advitiyam Brahma). É surpreendente que as pessoas sejam incapazes de acreditar neste princípio de unidade. Você tem fé no que é transmitido na televisão e no rádio, mas não tem fé no Eu. A pessoa sem fé no Eu é verdadeiramente cega. Neste mundo, todo ser é uma personificação da Divindade. Quem você saudar, isso chegará a Deus! Da mesma forma, quem quer que você critique, a crítica também chega a Deus. Portanto, não critique ou odeie ninguém. Há muitas pessoas que realizam práticas espirituais como recitações, meditação e yoga. Sem dúvida, estas são atividades sagradas e podem ser empreendidas. Mas é muito essencial reconhecer o princípio da unidade. Existe apenas um Deus e Ele é onipresente. Por que você não é capaz de acreditar nesta Divindade onipresente?” (Discurso Divino, 14 de abril de 2001)

Sathya Sai Baba

19 de abril de 2018

“Você agora tem multidões que clamam pelo status e benefícios de alguém com devoção; você pode vê-los nas estradas para rios ou cidades sagradas, ou cantando músicas espirituais usando toda a parafernália da devoção. Mas a pretensão de ser um devoto do Senhor, um devoto do Altíssimo, só pode ser admitida se as paixões e emoções forem puras e se o caráter for virtuoso. A língua pode proferir o Nome do Senhor, os ouvidos podem estar abertos quando a glória do Senhor for recitada, e a mão pode espalhar flores sobre a imagem de Deus, mas a língua pode não conhecer ou apreciar o sabor, o ouvido pode não ansiar e a mão pode não desejar. Isso só pode acontecer quando o coração estiver consciente do Supremo e quando a mente se emocionar ao lembrar-se da glória de Deus. Caso contrário, a pessoa é como a colher que mergulha no azedo e no doce com igual entusiasmo e insensibilidade. Não recusa nem aprecia qualquer um dos gostos.” (Discurso Divino, 23 de março de 1966)

Sathya Sai Baba

20 de abril de 2018

“Você quer estudar bem, passar e ser o melhor. Depois disso, você quer ter uma boa posição, casar e levar uma vida familiar feliz. E então você deseja ter filhos, e quer que eles sejam inteligentes e se deem bem na vida. Não há limite para tais desejos. A razão mais importante para a escravidão é dar muita liberdade à mente. Por exemplo, quando um animal é amarrado a um poste, ele não poderá ir para outro lugar e estragá-lo. Não será capaz de mostrar raiva ou violência ou prejudicar qualquer pessoa. Mas se for desamarrado e solto, pode percorrer vários campos, destruir as plantações e causar perdas e danos a outras pessoas. Pois ele é surrado pelo mal que faz. Da mesma forma, a mente deve estar presa a certos regulamentos e limites. Enquanto viver dentro de certos limites e disciplinas, bem como regras e regulamentos específicos, a pessoa será capaz de manter um bom nome e levar uma vida feliz e útil.” (Discurso Divino, 17 de fevereiro de 1985)

Sathya Sai Baba

21 de abril de 2018

“Você deve desejar a visão de Deus; só então você terá direito ao status de ser humano. Para fazer isso, você precisa conquistar sua mente. Lembre-se, o verdadeiro humano é aquele que é o governante da mente (manas), não seu escravo! Todo ser humano (manava) deve se esforçar para alcançar o Divino (Madhava)! Para conseguir a visão e a graça de Deus, você deve orar ao Poder Personificado com Nome e Forma; é o seu anseio que decide de que forma o Senhor aparece. Você chama e Ele responderá! Se você não é sincero, ou se você se sentir indiferente e disser: "Deixe que Ele venha quando Ele quiser, na forma que Ele quiser e com o Nome que Ele preferir", Ele não virá de jeito nenhum! Chame-O com aflição e Ele responderá imediatamente!” (Discurso Divino, maio de 1963)

Sathya Sai Baba

22 de abril de 2018

“Você não pode alcançar Deus por sua riqueza. Deus só pode ser alcançado pela devoção. Satyabhama em seu orgulho esperava possuir Krishna para si própria por sua riqueza. Ela optou por pesá-lo contra a enorme quantidade de ouro que possuía e falhou. Narada a fez perceber sua loucura mostrando que uma única folha de manjericão (Tulasi) oferecida por Rukmini com verdadeira devoção excedia toda a riqueza de Satyabhama. Satyabhama simboliza o desejo enquanto Rukmini representa a devoção. Krishna diz que Ele se satisfaz com a oferta de uma folha, uma flor, um fruto ou água. Não tome isso literalmente. Seu corpo é a folha, a flor é a flor do seu coração, sua mente é o fruto, e as lágrimas da alegria são a água - estas são as ofertas aceitáveis para Deus. Você terá tudo na vida se tiver amor em si. Nunca odeie ninguém. Faça disso seu objetivo na vida. Esta é a Minha mensagem para você hoje!” (Discurso Divino, 23 de novembro de 2000)

Sathya Sai Baba

23 de abril de 2018

“O que Eu tomei como sankalpa (resolução) certamente será frutificado. Mas não preciso aceitar um sankalpa se não quiser. Meus próprios pensamentos, sankalpas e ideias dependem de como os devotos se comportam. Minha graça está disponível em plena medida para o benefício de todos os devotos. Como Me movo como um indivíduo comum, falando e brincando com você, muitas pessoas não entendem Minha verdadeira natureza. Neste contexto, mesmo pessoas com grande força mental não podem reconhecer a verdadeira natureza deste Sai e a diferença entre a aparência exterior e o aspecto interno real. Meu objetivo é estabelecer unidade na humanidade e revelar-lhe o aspecto da divindade que é Brahman, o único objetivo que se deve procurar. É também Meu dever fazer com que você perceba o tipo de relacionamento que deve existir entre homem e homem, e que a Divindade está presente e latente em todos os seres humanos.” (Chuvas de Verão em Brindavan, 1974, Capítulo 32)

Sathya Sai Baba

24 de abril de 2018

“Que mensagem posso dar a você para o dia? Quando o vejo, Meu coração transborda de amor. Quando vejo muitos expressando seu amor por Mim, não há limite para a Minha alegria. Eu não enviei convites para qualquer um. Meu amor os atraiu para mim. Seu amor a Deus e o amor de Deus por você é a verdadeira mensagem e troca que pode acontecer entre Deus e Seu devoto. Seja feliz e bem-aventurado. Aumente suas dimensões espirituais. Meu amor é sua maior riqueza e boa fortuna. Este é Meu maior presente a você. Cuide bem deste precioso presente. Esta é Minha bênção a você neste dia. Viva com a firme convicção de que existe uma Divindade residente em todos. Que todos tenham devoção constante e vida sagrada, longa e feliz! Que todas as suas dificuldades sejam removidas! Que você experimente uma bem-aventurança absoluta! Que você tenha tudo isso!” (Discurso Divino, 23 de novembro de 2000)

Sathya Sai Baba

25 de abril de 2018

“Eu não quero sua devoção; Eu só quero sua transformação. Você deve entender que o propósito desse corpo humano é servir aos outros (Paropakarartham Idam Shariram). Envolva-se em atividades que beneficiarão os outros e lhe darão felicidade. Resolva trilhar o caminho do serviço. As escrituras ensinam que nem pela penitência, nem pela peregrinação, nem pelo estudo das escrituras, nem pela devoção podemos atravessar o oceano da vida. Você só pode alcançar a libertação servindo os piedosos. O caminho do serviço é superior a todas as outras práticas espirituais como japa, dhyana e yoga. Somente através do serviço você pode agradar a Deus. Algumas pessoas se entregam a atividades sem sentido em nome da devoção e perdem seu tempo. A verdadeira devoção está em realizar ações que santificarão o tempo. Eu não estou lhe pedindo para servir o mundo inteiro de uma maneira grande. É suficiente se você mantiver Deus em seu coração e servir com amor, conforme sua capacidade o permitir.” (Discurso Divino, 14 de abril de 2001)

Sathya Sai Baba

26 de abril de 2018

“Características animais estão aumentando rapidamente no homem. Os animais têm uma estação e uma razão, mas os humanos não têm nenhuma. Hoje os seres humanos se tornaram piores que os animais. Qualidades humanas como compaixão, bondade, amor e paciência estão ausentes. A pessoa deve estar livre de maus pensamentos que são a raiz das preocupações. Isso requer abhyasa (prática constante e sustentada). Pode-se controlar a mente e alcançar a paz por abhyasa. É somente em uma mente pacífica que surgem pensamentos nobres. A mente deve estar sob o controle da pessoa. Domine a mente e seja um comandante. Infelizmente, em vez de controlar a mente, as pessoas se tornaram escravas de seus sentidos. Essa é a principal causa da instabilidade. Além disso, as pessoas têm apego ao corpo, razão pela qual elas ficam facilmente perturbadas se as pessoas encontrarem falhas nelas. Por que alguém deveria se preocupar com o corpo quando ele é como uma bolha de água? Você deve se livrar do apego ao corpo.” (Discurso Divino, 26 de maio de 2001)

Sathya Sai Baba

27 de abril de 2018

“A morte é imaginada por alguns como um deus aterrorizador, montando um monstro-búfalo, atacando-o com um laço. Não! O laço é sua própria criação! Ele não ataca; ele avisa com antecedência sua chegada para levá-lo - insinuações como cabelos grisalhos, dentes caindo, visão falida, surdez auditiva, pele enrugada, etc. Ele não monta nenhum animal; ele é apenas outro nome para o tempo. É o tempo que se arrasta até você e corta o cordão da vida. Portanto, utilize a capacidade de ação (karma) com a qual você é dotado para se libertar. A lei do karma lhe traz esperança; como o karma, assim é a consequência. Não se apegue demais, buscando os frutos da ação. Ofereça a ação aos pés de Deus. Faça com que isso O glorifique. Não se preocupe com o sucesso ou o fracasso do esforço. Então, a morte não o prenderá, mas virá como uma libertadora!” (Discurso Divino, 14 de abril de 2001)

Sathya Sai Baba

28 de abril de 2018

“Os templos são centros de disciplina onde os aspirantes são guiados, passo a passo, para alcançar uma visão da verdade. São escolas de treinamento do espírito, academias de promoção de estudos das escrituras, institutos de superciência e laboratórios para testar os valores da vida. São hospitais para o tratamento e cura não só da "doença do nascer-morrer", que persistiu durante séculos, mas até mesmo dos "distúrbios mentais", muito mais patentes, que incomodam aqueles que não conhecem o segredo da paz. Os templos são ginásios onde as pessoas são recondicionadas e sua fé hesitante, convicção decadente e egoísmo crescente são curados. O propósito do templo é despertar a Divindade na humanidade (Madhavatwa em manavatwa), induzindo as pessoas a acreditarem que as estruturas físicas em que vivem são elas mesmas casas de Deus.” (Dharma Vahini, capítulo 10)

Sathya Sai Baba

29 de abril de 2018

“À primeira vista, todo mundo parece ser um devoto, mas os indivíduos respondem de maneira diferente a diferentes circunstâncias. Se você mantiver uma bola de ferro e folha seca lado a lado, quando não houver vento ambos estarão estáveis e firmes. Mas quando há uma brisa, a folha seca será soprada a vários quilômetros de distância. A bola de ferro, no entanto, permanecerá firme. Se alguém tem amor verdadeiro e fé inabalável em Deus, será como uma bola de ferro, firme e imperturbável. Por outro lado, se alguém é como uma folha, fugindo por causa de dificuldades e problemas, como alguém pode afirmar ser um verdadeiro devoto? Desenvolva amor e fé puros e firmes. A luz só tem valor quando há escuridão; caso contrário, não tem valor por si só. Portanto, em tempos de dificuldade e tristeza, sempre que surgirem problemas, evoque o princípio da Divindade. O Senhor derramou iluminação e luz em momentos de escuridão!” (Discurso Divino, 17 de fevereiro de 1985)

Sathya Sai Baba

30 de abril de 2018

“O Senhor Buda passou por grandes dificuldades para perceber a verdade de que todos eram dotados do mesmo princípio da Divindade. Muitas almas nobres que foram contemporâneas de Buda reconheceram a sua grandeza. Eles disseram que Buda experimentou a verdade que eles eram incapazes de perceber. Quando o Senhor Buddha abandonou todos os desejos, tornou-se um epítome da renúncia total. Não havia nada nele exceto o amor. Ele considerou o amor como seu próprio alento vital. Ele ensinou ainda que as pessoas não devem ter raiva, não devem encontrar defeitos nos outros e não devem prejudicar os outros, pois todas são personificações do princípio puro e eterno - o Divino. Ele instou as pessoas a ter compaixão pelos necessitados e ajudá-las na medida do possível, compreendendo e respeitando o princípio subjacente de unidade e Divindade em todos. Nunca tenha considerações limitadas de que alguns são seus amigos e alguns são seus inimigos. Todos são um, seja igual para todos. Estes são os ensinamentos mais importantes de Buda.” (Discurso Divino, 13 de maio de 2006)

Sathya Sai Baba

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.