Pensamento para o dia - dezembro 2020

1° de dezembro de 2020

Encarnações do Amor! Livrem-se das más qualidades como o ódio e a inveja. Façam com que seu amor por Deus não flutue conforme seus desejos sejam realizados ou não. Lembrem-se que vocês colhem os frutos de suas ações, boas ou más. Somente o Amor de Deus pode conferir a bem-aventurança permanente. Muitos no mundo adquirem riqueza, fama e posição. Mas o que eles atingiram em relação à meta da vida? Sua falha é devido à falta de compreensão acerca da unidade que é subjacente à aparente diversidade. Reconhecer o divino em todos é uma marca de bondade espiritual. Prahlada declarou que você pode encontrar Deus onde quer que você O busque. Seu pai, Hiranyakashipu, era uma grande pessoa por conta de suas conquistas. Mas ele falhou em obter a bondade devido à sua negação do Divino. A lição para os estudantes hoje é que eles devem seguir o caminho  sagrado da retidão. Eles devem trabalhar para o bem-estar da sociedade. (Divino Discurso, 1º de janeiro de 1998)

Sri Sathya Sai Baba

2 de dezembro de 2020

A maioria das pessoas se limitam a fazer adoração ritualística por um breve período todos os dias. Elas não buscam saber para que estão realizando esses rituais. Não há sentido em fazer rituais sem compreender o propósito e a meta da vida. O propósito final de todos os exercícios espirituais é vivenciar o Princípio do Amor (o Amor do Divino). Promover o amor é o propósito de todos os esforços espirituais. Em circunstância alguma o amor deve ser abandonado ou ignorado. Onde há amor, não pode haver ódio, angústia ou carência. O tempo está passando. A idade de todos vocês está avançando. Mas há pouca mudança em suas atitudes. A pureza no pensamento resulta na pureza de conhecimento e sabedoria. A Iluminação vem somente através da sabedoria espiritual (jñana). Para viver uma vida sagrada e ter experiências sagradas, envolva-se em ações sagradas. O bem e o mal no mundo podem ser transformados somente quando há uma mudança nas ações do homem. A transformação da sociedade deve iniciar com a transformação dos indivíduos. (Divino Discurso, 1º de janeiro de 1998)

Sri Sathya Sai Baba

3 de dezembro de 2020

Os olhos devem ver somente o que é bom. As mãos devem se envolver em boas ações. Os ouvidos não devem ouvir o mal, devem escutar somente o que é bom. Não fale nada de mal. Fale somente o que é bom. Não pense o mal. Pense aquilo que é bom. Não faça o mal. Faça aquilo que é bom. Esse é o caminho para Deus. Os olhos devem ver somente objetos sagrados. O mundo inteiro se transformará quando sua visão se tornar sagrada. Devote todos os momentos a ações que agradarão a Deus. Desenvolvam amor por Deus, o que irá lhe conferir todas as bênçãos. Isso é exemplificado na vida de Harishchandra. Ele sacrificou tudo em prol da verdade. E por fim ele teve tudo de volta pela graça de Deus. Vivam uma vida longa, uma vida feliz, uma vida em paz, uma vida amorosa e divina. Salvem suas vidas pela prática do Amor Divino. A vida é um jogo, jogue-o! A vida é um sonho, concretize-o! A vida é amor, desfrute-o! (Divino Discurso, 1º de janeiro de 1998)

Sri Sathya Sai Baba

4 de dezembro de 2020

A mente é a marionete do alimento consumido pelo ser humano. Ela é impelida para uma direção ou outra pela atração sutil do alimento com o qual é alimentada. A qualidade do alimento determina a direção do desejo que desvia o fluxo mental. É por isso que na Gita, bem como em todas as escrituras, o alimento sátvico (puro) é recomendado para o indivíduo que busca se elevar. O alimento sátvico, de acordo com alguns, consiste em leite e frutas. Mas é muito mais do que isso; e pode até mesmo nem ser isso. Pois, as calorias que a pessoa assimila através da boca são somente uma pequena parte da ingestão humana. Aquilo que é ingerido pelos sentidos é parte do alimento que constrói o indivíduo. Os sons ouvidos, aquilo que é visto, as impressões procuradas ou recebidas pelo tato, o ar respirado, o ambiente que exige atenção, apreciação e aceitação — tudo isso é ‘alimento’. Eles têm um impacto considerável no caráter e no percurso do indivíduo. (Divino Discurso, 28 de janeiro de 1971)

Sri Sathya Sai Baba

5 de dezembro de 2020

Você deseja tomar uma bebida doce, mas ao invés de açúcar você coloca sal no copo, pensando que o sal é açúcar. Esse é o estado do ser humano hoje. Ele almeja a paz, mas não sabe como obtê-la. Os métodos que ele adota não o levam ao fim desejado. Uma grande porcentagem de pessoas que vêm a Mim pedem por moksha, Libertação da prisão do sofrimento e alegria, nascimento e morte. Mas, quando ofereço abençoá-los com a consumação de seus desejos, eles não se apresentam; desejam obtê-la dez ou cinco anos mais tarde. Assim, toda a sede e anseio é somente uma encenação, uma frase pronta que está na moda, e nada mais. A pessoa deve ser sincera; sua palavra deve estar em conformidade com seu sentimento, e sua ação deve estar em conformidade com sua palavra. Assuma com determinação essa prática, pelo menos a partir de hoje. Não seja falso consigo mesmo. (Divino Discurso, 15 de fevereiro de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

6 de dezembro de 2020

Toda manhã, assim que vocês se levantarem da cama, façam a si mesmos as seguintes perguntas: "Para que propósito eu vim para este mundo? Qual a tarefa designada para mim? Qual o triunfo para o qual esta luta está me preparando? Qual a grande vitória pela qual devo me empenhar?” Vocês já devem ter assistido desfiles de carruagens nos grandes centros de peregrinação. As colossais carruagens são esplendidamente decoradas; grupos de homens fortes puxam as carruagens ao longo dos extensos caminhos ao som da música de trombetas e conchas; acrobatas, dançarinos, cantores, menestréis — todos vão à frente e somam à euforia da ocasião. Milhares de pessoas se aglomeram ao redor e suas atenções estão naturalmente direcionadas ao entretenimento proporcionado, mas elas só se sentem totalmente felizes quando juntam suas mãos em prece e reverenciam a Forma Divina (imagem) instalada na carruagem. Todo o resto é secundário, até mesmo irrelevante! Assim também, no processo da vida, o corpo é a carruagem, o Atma (Eu Superior) é a Imagem instalada ali dentro. Ganhos, gastos, riso, choro, dor, cura e todas as várias acrobacias da vida diária são secundárias à adoração a Deus, à realização do Atma! (Divino Discurso, 13 de janeiro de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

7 de dezembro de 2020

O esforço espiritual (sadhana) revelará a vocês sua identidade. Mas sejam cuidadosos; a disciplina espiritual pode fomentar até mesmo o orgulho e a inveja como um subproduto do progresso. Vocês calculam o quanto e por quanto tempo praticaram a disciplina espiritual e são tentados a menosprezar o outro, cujo registro é inferior. Vocês se orgulham de terem escrito o nome de Sai dez milhões de vezes; falam sobre isso sempre que têm a chance para que assim os outros possam admirar a sua fé e firmeza. Mas não são os milhões que contam, mas sim a pureza da mente que resulta da verdadeira concentração no nome. Vocês devem evitar que seu sadhana se torne algo como pegar água do poço usando um cesto de taquara! Vocês não terão água alguma, independentemente de quantas vezes vocês desçam e subam a cesta. Cada mau hábito é um buraco no balde. Mantenham o coração puro, mantenham-no inteiro. (Divino Discurso, 13 de janeiro de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

8 de dezembro de 2020

A escolaridade é um desperdício se as crianças, como resultado do processo, não aprendem virtudes duradouras e não desenvolvem firmeza de caráter. Hoje, elas aprendem uma série de conceitos copiados de livros, mas não colocam em prática um único na vida diária! Elas devem aprender a reverência aos pais, professores e aos mais velhos. Mesmo como crianças, elas precisam aprender a glória de Deus, que é sua Realidade interna; precisam entender que não são o corpo, mas que são o morador interno (dehi) que habita em todos. Através do canto devocional (bhajan) e ouvindo histórias sobre a Glória de Deus (shravana), essas verdades elevadas podem ser transmitidas a elas por professores e pais que sejam, eles mesmos, conscientes delas e as pratiquem na vida diária. Aprendam suas próprias informações antes de ficarem estimulados com as informações dos outros. Aprendam o A, B, C, D de seu próprio alfabeto e, então, estarão mais aptos a guiar os outros em seus aprendizados e vidas! (Divino Discurso, 19 de janeiro de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

9 de dezembro de 2020

Os esforços espirituais (sadhana) devem torná-los calmos, tranquilos, estáveis e equilibrados. Tornem suas mentes tão frescas e confortantes como a luz da lua, pois a Lua é a deidade que mantém o controle sobre a mente. Sejam calmos no falar e nas suas respostas à maldade, à crítica e ao elogio. Vocês reclamam que os outros estão atrapalhando sua equanimidade; mas vocês não sabem que embora suas línguas não falem, seus pensamentos podem perturbar a equanimidade dos que estão à sua volta. Desapego, Fé e Amor — esses são os pilares sobre os quais a paz repousa. Dentre estes, a fé é crucial, porque sem ela a disciplina espiritual é um ritual inútil. Só o desapego pode tornar a disciplina espiritual efetiva, e o amor conduz rapidamente a Deus. A fé alimenta a agonia da separação de Deus; o desapego canaliza a fé ao longo do caminho de Deus, e o Amor ilumina o caminho. Deus concederá o que vocês necessitam e merecem; não é necessário pedir, e não há razão para reclamar. Estejam contentes. Nada pode acontecer contra a vontade d’Ele! (Divino Discurso, 13 de janeiro de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

10 de dezembro de 2020

O manava (ser humano) é chamado assim porque ele tem a habilidade de fazer manana: meditação interior sobre o significado e importância do que foi ouvido. Mas vocês ainda não saíram do estágio de ouvir! Toda a alegria que almejam está em vocês. Porém, vocês sofrem tal qual o homem que possui uma enorme riqueza em um cofre de ferro, mas não tem ideia onde está a chave. Ouçam corretamente as instruções, mergulhem nelas no silêncio da meditação, pratiquem o que ficou claro disso; então vocês podem obter a chave, abrir o cofre e serem ricos em alegria. Todos têm amor dentro de si, em uma forma ou outra, que se direciona a alguém ou ao seu trabalho ou objetivos. Esse Amor é Deus, uma centelha de Deus neles. Eles têm bem-aventurança (ananda), mesmo sendo pequena ou temporária. Isso é outra centelha do Divino. Eles têm paz interior, desapego, discernimento, solidariedade e espírito de serviço. Esses são o Divino no espelho de suas mentes. (Divino Discurso, dia do Shivaratri, 1969)

Sri Sathya Sai Baba

11 de dezembro de 2020

As crianças são encantadores brotos frescos. Com carinho e amor, elas podem florescer em cidadãos ideais desta terra, capazes de compreender e praticar as grandiosas disciplinas estabelecidas pelos sábios para sua libertação através da autorrealização. Os pais devem assumir uma parte maior da responsabilidade pela educação adequada das crianças. Os primeiros anos de vida são extremamente cruciais. As habilidades, atitudes, emoções e impulsos que construirão ou arruinarão seu futuro são estabelecidos no alicerce da vida nesses anos. Os pais podem auxiliar ou atrapalhar o processo de tornar esse alicerce forte e correto. Mas, agora os pais não têm os instrumentos para essa responsabilidade básica. Não têm fé em sua própria cultura ancestral; eles mesmos não têm paz mental ou o sadhana que as crianças possam absorver deles. As crianças devem crescer em lares onde seus pais honrem seus pais, e que sejam felizes somente quando servem os mais velhos. Isso lhes deve ser ensinado não pelo preceito, mas pelo exemplo! (Divino Discurso, 19 de janeiro de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

12 de dezembro de 2020

O corpo é a carruagem; o intelecto (buddhi) é o cocheiro; os desejos são os caminhos através dos quais a carruagem é puxada pelo laço dos apegos sensoriais; a liberação (moksha) é a meta; o Divino primordial todo-imanente (Mula-Virat-Svarupa) é o Mestre da carruagem. O carro que você leva consigo tem que ser tratado deste modo. Ao invés disso, as pessoas estão girando desenfreadamente, em fatigantes círculos, do nascimento à morte, arrastados por desejos ou empurrados por necessidades. Nenhum marco é cruzado na estrada do peregrino, pontes não são transpostas, e nenhum progresso é registrado. O verdadeiro processo da jornada é ignorado. Você pode dizer que o progresso só é possível através da Minha Graça; mas, apesar de Meu Coração ser mole como manteiga, ele somente derrete quando há algum calor em sua oração. A menos que você faça algum esforço disciplinado, ou estabeleça alguma prática espiritual, a Graça não pode descer sobre você. O anseio e a agonia da meta não alcançada derrete Meu Coração. Esta é a aflição (avedana) que ganha a Graça. (Divino Discurso, 13 de janeiro de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

13 de dezembro de 2020

Plantem nos delicados corações das crianças as sementes do amor, solidariedade, verdade, justiça, caridade, compaixão, arrependimento e autocontrole. Esse é o dever principal de todos que lidam com crianças. Quando o pai pede à criança para dizer a alguém na porta que ele não está em casa ou quando o filho pede ao irmão para responder a um telefonema dizendo que ele saiu, o vício da desonestidade é implantado na criança. Não carreguem seus delicados cérebros com todo tipo de trastes, informações que nunca podem ser colocadas em prática, fatos que deturpam e distorcem a verdade, e assim por diante. Ensinem-lhes somente tanto quanto eles possam usar proveitosamente e tanto quanto possa ser de ajuda direta a eles em suas vidas. Treinem mais seu caráter do que seus cérebros. Os pais em primeiro lugar, os professores a seguir, os colegas, os companheiros e parceiros depois, e os vários níveis da sociedade mais tarde — esses moldam o caráter das crianças, e o destino do país! (Divino Discurso, 19 de janeiro de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

14 de dezembro de 2020

Os sábios dirigiram-se a todos os seres humanos como Amritasya-putrah (Filhos da Imortalidade). Mas apesar dessa afirmação específica e do inesgotável contentamento que pode ser experimentado a partir dela, o ser humano degrada-se como um Anrita-putra (filho da falsidade) e começa a se lamentar que lhe falta isto, aquilo ou algum outro conforto ou objeto! Ladrões que lhe roubam valiosos tesouros, como a paz e contentamento, equilíbrio e coragem, estão sendo honrados como mestres, e mestres, que asseguram a paz e felicidade, são tratados com irreverência e repugnância. Você pode trancar suas portas e janelas contra ladrões, mas quem pode trancar a porta contra a morte? Os ladrões: luxúria, raiva, ganância, apego, orgulho e ódio são honrados como sendo convidados bem-vindos, e os reais amigos, como a tranquilidade e a humildade, são mandados embora! (Divino Discurso, 15 de fevereiro de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

15 de dezembro de 2020

Todos devem se esforçar para preencher o coração com a verdadeira devoção. A constante contemplação na forma do Senhor e a frequente repetição do nome do Senhor são as formas pelas quais o coração é preenchido com o amor de Deus. Quando há esse amor, o devoto é preenchido com um êxtase indizível. Foi através da vivência desse êxtase que Kulasekhara Alwar, o santo-rei, exclamou: “Ó Senhor! As pessoas falam de moksha (libertação) como a forma de salvar a vida e de se livrar dos nascimentos e mortes. Eu não peço por tal salvação. Eu estarei contente em amar-Te e servir-Te em incontáveis vidas. Permita-me amar-Te e servir-Te — essa é a única bênção que eu busco de Ti, e não moksha.” O universo é permeado de amor. Ele é a manifestação de Vishnu. Não há nada no cosmos, nenhum lugar nele onde Deus não esteja presente. Considerar o Universo como uma manifestação de Deus e vivenciá-lo como tal é a real devoção. (Divino Discurso, 19 de janeiro de 1986)

Sri Sathya Sai Baba

16 de dezembro de 2020

O coração do devoto flui em amor pelo Senhor através da constante recordação e recitação do Seu nome. Dessa corrente de amor a devoção emerge. A pessoa que é nutrida pelo néctar da devoção não tem mais desejo algum. Afeição, apego e desejo são qualidades naturais no ser humano. Quando essas qualidades são direcionadas a Deus e quando a pessoa se engaja constantemente em boas ações, essas qualidades adquirem pureza e santidade. O devoto estará sempre consciente de que o universo é uma manifestação do Divino e que é permeado por Ele. Sua vida será baseada no reconhecimento da imanência de Deus em tudo. Esse estado mental é chamado Prema Advaitam (unidade em Amor). Através desse amor, o devoto experimenta sua unidade com o Divino. Desfrutando a bem-aventurança dessa experiência, o devoto nem mesmo deseja a libertação dos nascimentos e mortes. O incessante amor do Senhor é tudo para ele. Tal devoção é conhecida como Ananya Bhakti (Total devoção ao Senhor Uno). (Divino Discurso, 19 de janeiro de 1986)

Sri Sathya Sai Baba

17 de dezembro de 2020

Nunca falem mal dos outros. Maunat kalaham nasti (a briga não surge do silêncio). Cumprimentem aqueles que os ofendem. Não respondam à ofensa com ofensa. Se agirem do mesmo modo que seu oponente, como poderão se tornar maiores? Enquanto dizem que o outro está agindo de modo errado, vocês estarão certos se agirem do mesmo modo? Nunca ajam dessa maneira. Deixem aqueles que cometem a ofensa continuar com seu comportamento ofensivo. Nunca reajam. Anseiem pelo bem de todos. Quando todos estão felizes, vocês estão incluídos. Nós oramos para o bem-estar, riqueza e saúde de todos. Nunca desejem a má sorte de qualquer pessoa. Não há lugar para o ódio neste mundo. Todos são amigos. Se vocês persistirem nesse caminho, desejando o bem de todos, orando por sua prosperidade, vocês se tornarão um ideal para o mundo inteiro. (Divino Discurso, 12 de março de 2002)

Sri Sathya Sai Baba

18 de dezembro de 2020

Quando uma gota d’água cai no oceano, ela alcança a imortalidade e a infinitude. Se você segura uma gota d’água na palma de sua mão, ela evapora em pouco tempo. Mas quando você a une ao oceano, ela se torna ilimitada e una com ele. A união com o Universal só pode ser alcançada através do Amor. Para um devoto que alcançou tal união com o Eterno, tudo lhe parece como Divino. As Gopikas de Brindavan eram devotas assim. Elas experimentavam a bem-aventurança divina através de sua intensa devoção. Como um peixe que não pode viver fora da água, o devoto que está imerso no sublime oceano do divino amor não pode existir por um momento sequer sem o amor de Deus. Ele não tem satisfação em qualquer outra coisa. Cada parte de seu corpo está de tal forma preenchida com o amor de Deus que cada órgão encontra sua expressão em proclamar a glória de Deus ou em realizar serviço a Deus. Essa era a devoção que as Gopikas tinham por Krishna. Era algo além do intelecto e do poder da razão. (Divino Discurso, 19 de janeiro de 1986)

Sri Sathya Sai Baba

19 de dezembro de 2020

As imagens são inertes por natureza e não possuem as qualidades da compaixão, do amor etc. É por essa razão que algumas pessoas são contra a adoração de imagens. Isso é ignorância. Vocês não estão reverenciando as fotografias de seus pais e avós? Essas fotografias têm vida nelas? Não. Elas também não têm as qualidades da compaixão, do amor, do sacrifício, etc. Então, para que adorá-las? Através dessas fotografias somos lembrados das virtudes e ideais aos quais eles se dedicaram. Peguem por exemplo uma nota de 100 rupias. Não há nem vida nem as virtudes do amor ou da compaixão nessa nota. Ainda assim, as pessoas a amam e gostariam de possuí-la. O dinheiro é valioso porque tem o selo do governo. Do mesmo modo, respeitamos a bandeira nacional pelo valor que ela representa, embora seja apenas um pedaço de pano, que é inerte. Se a adoração ao ídolo é considerada tola, então, o mesmo deve se aplicar ao amor pelo dinheiro e ao respeito pela bandeira, que também não têm vida. As crenças do homem são baseadas nas coisas de que ele gosta e de que não gosta. (Divino Discurso, 12 de março de 2002)

Sri Sathya Sai Baba

20 de dezembro de 2020

Sem a firme fé na onipresença do Divino, a devoção não tem sentido. Ao se desenvolver a fé, a devoção é nutrida e a devoção permite que a pessoa enfrente todas as vicissitudes da vida com fortaleza e serenidade, considerando-as como concessões da Providência. No final, a devoção unidirecionada a Deus leva à união com o Divino. Hoje a devoção começa com o ritual matinal do yoga (uma forma de adoração), progride ao meio-dia para bhoga (desfrute), e termina com roga (enfermidade) à noite. “Satatam yoginah”, diz a Gita. Estar absorto no Divino a todo momento é a marca de um yogi. Isso não pode ser alcançado em um pulo, mas sim através de uma prática constante. A autorrealização é a meta. O amor é o meio. A vida pode alcançar sua plenitude através do cultivo do Amor. Todos devem se esforçar para alcançar essa plenitude preenchendo esta aventura humana com a doçura do amor e transformando-a em uma expressão da Divindade. Essa é Minha bênção para todos vocês. (Divino Discurso, 19 de janeiro de 1986)

Sri Sathya Sai Baba

21 de dezembro de 2020

Conscientizar-se de Brahman (o Absoluto) através da meditação contínua em Brahman não é um caminho agradável para todos. Por essa razão, mestres espirituais como Ramanuja davam preferência ao caminho da devoção. Eles mesmos vivenciaram a bem-aventurança que flui do amor de Deus e propagaram o princípio do amor como a forma mais fácil de se vivenciar o Divino. Houveram mestres que enfatizaram o Caminho da Ação (Karma Marga), o Caminho da Sabedoria (Jñana Marga), os diferentes tipos de yoga, ou outras formas para se conscientizar do Divino. Mas a corrente subjacente que flui por todos eles é o caminho de Bhakti — o caminho do Amor Divino. Isso é aceito por todos eles. O amor deve expandir do indivíduo para todo o universo. O amor é Deus. O universo é permeado por Deus. Ver Deus em tudo, amar tudo como uma manifestação de Deus e oferecer tudo a Deus como uma oferta de Amor: esse é o caminho do Amor! (Divino DIscurso, 19 de janeiro de 1986)

Sri Sathya Sai Baba

22 de dezembro de 2020

O que é, fundamentalmente, o sadhana (prática espiritual)? É upavasam, upasana. ‘Upa’ significa perto, ‘Asana’ significa sentar, e ‘Vasam’ significa residir. Nós sentamos próximos a um ventilador para que possamos nos refrescar. Sentamos perto de Deus para que possamos receber algumas qualidades Divinas e nos livrar de qualidades não divinas. Deus não é um aparelho externo ou de conveniência, como o ar condicionado. Ele é o Antaryamin, o diretor interno, a realidade interior, a base invisível, na qual todo o mundo visível é construído. Ele é como o princípio do fogo que é latente na madeira, que pode ser manifestado quando um pedaço é esfregado vigorosamente contra outro. O calor que é produzido consome a madeira no fogo! A companhia dos bons e dos santos (satsang) faz vocês se encontrarem com outros indivíduos de igual natureza e cria o contato que manifesta o Fogo Interno. Sat-sang significa encontrar o Sat; o Sat (Verdade) que é falado enquanto se exalta Deus como Sat-chit-ananda. (Divino Discurso, 10 de maio de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

23 de dezembro de 2020

‘Sat’ é o Princípio da Existência, o Ser, que é a verdade básica do Universo. Alinhe-se com a Verdade, o Sat em vocês, a Realidade (Satya) na qual o falso (Mitya) é imposto por mentes que não veem a luz. Apoiando-se nesse Sat, a chama é acesa, a luz surge, a escuridão desaparece e o Jñana Bhaskara (o Sol da Realização) nasce. Quando há rocha dura embaixo, vocês têm que perfurar mais fundo para encontrar a água pura subterrânea. Quanto mais macio o solo subterrâneo, mais rápido o sucesso. Tornem seus corações macios; então o sucesso será rápido na prática espiritual. Falem suave e docemente, falem somente de Deus – esse é o processo de amaciar o subsolo. Desenvolvam compaixão, solidariedade; engajem-se em serviço, entendam a agonia da pobreza, da doença, aflição e desespero; dividam tanto as lágrimas quanto as alegrias com os outros. Essa é a maneira de amolecer o coração e ajudar a prática espiritual a ter êxito! (Divino Discurso, 10 de maio de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

24 de dezembro de 2020

Um dia o jovem Jesus foi para o alto de uma montanha. Jesus passou todo o tempo sentado meditando. Após algum tempo, ele retornou. Quando retornava, cruzou um grupo de homens preocupados que estavam às margens do mar da Galiléia. Quando Jesus perguntou, eles disseram que eram pescadores e que já há algum tempo não conseguiam pegar nenhum peixe em suas redes. Jesus disse: “Sigam-me; podem haver águas sem peixe?”. Ele levou-os ao meio do mar e pediu que lançassem suas redes em um determinado ponto. Para sua enorme surpresa e grande alegria, os pescadores descobriram que suas redes estavam cheias de peixes. Esse evento criou muita fé na mente dos pescadores. A fé é indispensável à humanidade. Onde existe fé, existe amor. Onde existe amor, existe verdade. Onde existe verdade, existe paz. Onde existe paz, existe bem-aventurança. Onde existe bem-aventurança, existe Deus. (Divino Discurso, 25 de dezembro de 2002)

Sri Sathya Sai Baba

25 de dezembro de 2020

Jesus veio para ensinar a humanidade sobre a grandiosidade do amor divino. Ele se determinou a cumprir três tarefas: a primeira, estar preenchido com amor Divino e compartilhá-lo com os outros — esse foi o propósito principal da sua vida; a segunda, não sucumbir ao elogio ou à crítica enquanto desempenhava sua missão; a terceira, inspirar nos outros a convicção de que a Divindade interior é onipresente. Jesus considerava como sua tarefa primordial espalhar a mensagem do amor. Ele encontrou muitas provações durante o cumprimento de sua missão, mas considerou todas elas como desafios a serem superados. Determinou-se a tratar o prazer e a dor, a doença e o fracasso com equanimidade. Ele não suportava ver ninguém sofrer. Todo ser humano é potencialmente um mensageiro de Deus. A essência humana demanda que todos manifestem a Divindade em seu interior. Todos devem ser um real mensageiro de Deus e se esforçar para promover a paz e a segurança no mundo. Não há outro caminho a ser seguido. A mensagem de Deus é sagrada e totalmente livre de interesse próprio. (Divino Discurso, 25 de dezembro de 1995)

Sri Sathya Sai Baba

26 de dezembro de 2020

Quando Cristo nasceu, três reis vieram ver o bebê. Um deles declarou que a criança seria um adorador de Deus. O segundo disse que ele seria o amado de Deus. O terceiro declarou que ele era Deus. Um adorador de Deus é um mensageiro de Deus. Aquele que Deus ama é um ‘Filho de Deus’. Quando a pessoa experimenta ambos, ela se torna una com Deus — ‘o Pai e o Filho são um’. Portanto, de início vocês devem se preparar para serem mensageiros de Deus. Isso significa que vocês devem viver de acordo com a mensagem de Deus. A mensagem conclama o servir a todos. Compaixão, moralidade e integridade são elementos essenciais na mensagem. Ao se propagar esta mensagem, a fé em Deus deve ser promovida. O amor deve ser a palavra de ordem. A falta de amor dá origem ao ódio. Hoje não há unidade entre as pessoas. Sem unidade, como pode haver bem-aventurança? Sem bem-aventurança, como pode alguém experimentar Deus? (Divino Discurso, 25 de dezembro de 1995)

Sri Sathya Sai Baba

27 de dezembro de 2020

Transcendam a consciência da multiplicidade (aneka-tva bhava) e cultivem a consciência da unidade (eka-tva bhava), que colocará fim na disputa, aflição, dor e orgulho. Vejam todos somente como expressões do mesmo Deus, como aparências na mesma tela, como lâmpadas acesas pela mesma corrente, apesar de terem diferentes cores e potências. Sintam que vocês, como os outros, são aptos a falar e andar, pensar e agir, por causa do Deus interno. Diferenças que os impressionam quando vocês projetam seu olhar são ilusórias; vocês ainda não desenvolveram a visão que faz com que compreendam a unidade, que é a verdade de toda a aparente diversidade, isto é tudo! O defeito está em vocês, não no mundo. O mundo é Um; mas cada um o compreende da forma como mais lhe agrada! O mundo é Um, mas cada um o vê de seu próprio ângulo, e assim ele parece como se tivesse múltiplas faces. (Divino Discurso, 10 de maio de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

28 de dezembro de 2020

Segurem o rosário sobre o dedo médio, mantendo juntos os dedos das três gunas. Isto significa que vocês estão agora transcendendo o mundo de atributos e qualidades, do nome e da forma, da multiplicidade, que é a consequência de toda esta transformação, e prosseguindo em direção ao conhecimento da Unidade. O dedo da alma individual (jivi) — o dedo indicador — agora passa lentamente cada conta em direção ao polegar (Brahman), tocando a ponta do dedo de Brahman. Quando a conta desliza, a união é enfatizada com cada conta e cada respiração, pois enquanto os dedos aprendem e ensinam a lição, a língua também repete o mantra ou o Nome juntamente com o Pranava (o som primordial do OM). O rosário (japamala) é muito útil para os iniciantes na prática espiritual, mas à medida que vocês progridem, o canto (japa) precisa tornar-se o verdadeiro alento de suas vidas e, assim, a rotação das contas torna-se um exercício supérfluo e incômodo, no qual vocês não têm mais interesse! Sempre, em todas as horas, em todos os lugares, meditem sobre o Senhor (Hari). Esse é o estágio ao qual o japamala os deve levar. (Divino Discurso, 10 de maio de 1969)

Sri Sathya Sai Baba

29 de dezembro de 2020

Encarnações do Amor! Todos nascem neste mundo pela vontade de Deus. Tendo alcançado o nascimento como um ser humano, vocês devem se conscientizar da Divindade interior. Todo ser humano é um mensageiro de Deus. O dever fundamental de todo indivíduo como um mensageiro de Deus é praticar e propagar os princípios da verdade, amor e paz, experimentar a bem-aventurança e compartilhá-la com os outros. Aquele que propaga o mundano, o volátil e o efêmero não pode ser chamado de mensageiro de Deus. Não devem desperdiçar sua vida meramente comendo, bebendo e dormindo. De fato, uma vida assim é uma mancha sobre a própria natureza humana! A pessoa deve superar dificuldades para ter sucesso na vida. Toda atividade deve refletir a mensagem divina. Vocês veem muitas pessoas sofrendo. De que forma as estão ajudando? Dê felicidade àqueles que estão sofrendo. Considere todas as suas atividades como um trabalho de Deus. (Divino Discurso, 25 de dezembro de 1998)

Sri Sathya Sai Baba

30 de dezembro de 2020

Prahlada nunca abandonou o Nome do Senhor, mesmo em momentos de adversidades. Ele era protegido por ter se entregado completamente ao Senhor Narayana. Quando foi lançado ao oceano, as ondas assumiram a forma do Senhor Narayana. Quando ele foi empurrado do alto de uma montanha, o Senhor Narayana o segurou em Seus braços. Quando foi mordido por cobras venenosas, o veneno se tornou néctar. Nunca fiquem deprimidos quando forem açoitados por dificuldades. Deus nunca lhe dará provações que vocês não possam suportar. Deus adora os testes. Nunca temam qualquer teste. Quando você purifica seu coração e se entrega completamente a Deus, Ele se manifesta instantaneamente. Ele não atrasa nem mesmo um instante. Isso também foi provado no caso do Santo Ramdas! Vedanta diz: Brahmavid Brahmaiva Bhavati — aquele que conhece Brahman (o Divino), torna-se Brahman. “Como você pensa, assim você se torna!” Se você pensa em Deus incessantemente, você assumirá Sua forma. (Divino Discurso, 25 de dezembro de 1998)

Sri Sathya Sai Baba

31 de dezembro de 2020

A paz é essencial ao ser humano em todos os três níveis: corpo, mente e espírito. Essa é a razão pela qual cantamos shanti (paz) três vezes. Você pode obter paz nesses três níveis somente quando desenvolve amor por Deus. Aquele sem amor por Deus nunca terá paz. Todos os prazeres mundanos são voláteis e momentâneos. O mesmo sentimento foi ecoado por Shankaracharya: “Ma kuru dhana, jana, yauvana garvam; Harathi nimeshat kalah sarvam” — ‘Nunca sejam orgulhosos de sua riqueza, progênie e juventude. As ondas do tempo podem destruí-las em um instante’. O que é felicidade? Seria estar sentado em uma sala com ar condicionado, ou comer alimentos deliciosos? Isso confere felicidade somente nos níveis físico e mental, não no nível do Atma (Espírito). A verdadeira felicidade é aquela que é relacionada ao Atma. Vocês não devem ter medo das dificuldades; elas são nuvens passageiras. Não hesitem. Sigam o coração, que é firme e inabalável. (Divino Discurso, 25 de dezembro, 1998)

Sri Sathya Sai Baba

Mídias Sociais

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
  • Spotify ícone social

© © 2016-2020 Organização Internacional Sri Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.