Especial

CRIAÇÃO DINÂMICA

Dr. V. Anand Mohan

Swami diz: “Para a nação prosperar, as melhorias devem começar com os pais... sem paz e harmonia em casa, não pode haver paz no país... Esta mensagem deve ser propagada por todo o país”. 

O Dilema e o Desafio
Geralmente adotamos o estilo parental que nossos pais adotaram ao nos criar. Mas as normas de vida mudaram. Agora estamos passando pela idade que Toffler chama de “a terceira onda”, a “revolução em alta velocidade”. Esta idade diz a todos: “Seja algo, seja alguém. Este é um mundo competitivo”. Na corrida para ser alguém, “o ser se perde em tornar-se”. As crianças perdem seu núcleo interno de valores. Os pais não são orientados no sentido de tornar as crianças boas, mas em fazê-las grandes (Gandhiji foi bom, Hitler era grande).

O que acontece com as crianças? Bombardeio dos sentidos – uma geração inteira está sendo totalmente influenciada pela mídia. Sobrecarga de informação – uma grande quantidade de lixo se acumula em seus cérebros. Os pais têm que reorientar-se – devem mudar seus próprios valores. Eles devem compreender o seu papel em moldar o caráter dos filhos. 


Os pais raramente se fiscalizam sobre seu papel como pais. Uma vez, no nosso programa de jovens, um psicólogo/conselheiro perguntou para uma adolescente que nota ela daria ao seu pai no seu papel de pai, sendo cinquenta a nota mínima. Ela disse vinte. Houve um grande tumulto no corredor, pois o pai era um ícone, um bom líder e um trabalhador social. O psicólogo então pediu para a garota escrever dez pontos que o pai dela deveria mudar, para melhorar sua nota. Ela anotou dez pontos.

 Para a surpresa de todos, o pai veio ao palco e disse: “Minha humilde saudação para minha filha por abrir meus olhos. Eu prometo que mudarei e seguramente irei melhorar a nota que ela me deu”.

Pais como Modelos
Os pais têm que compreender certas verdades fundamentais:


•    A criança não é um adulto em miniatura. Uma criança de cinco anos de idade só pode pensar, sentir e se comportar como uma criança de cinco anos de idade. 


•    A “história de vida” de uma pessoa é escrita até o sétimo ano de vida, dependendo do que ela vê, ouve e experimenta. Assim, os pais têm que ter muito, muito cuidado com seu comportamento na presença de seus filhos e também ao que as crianças são expostas, por exemplo, programas de TV. A infância é como um espelho, que reflete na vida adulta as imagens apresentadas a ele.


•    Todos nós queremos segurança. Uma criança também. A melhor maneira de fazer a criança sentir-se segura é quando ouvimos e prestamos atenção a ela. Então, amor = escuta e partilha. “Ouça a criança para que a criança lhe ouça” é o ditado. Ouvir atentamente o conteúdo; compartilhar a emoção por trás das palavras da criança.


•    Nunca menosprezar uma criança. Se um menino com média 6 quer ser um médico, nunca ridicularize-o, dizendo: “Você?!” Ao invés disso, diga, “por que não, você pode tentar”!


•    Aprecie suas realizações, grandes ou pequenas.
Um menino/menina acerta 90% em matemática. “O que aconteceu com os 10% restantes?”: educação fraca; “Muito bom, da próxima vez você acerta 100% com certeza.”: boa educação.
Uma criança que não consegue amarrar o cadarço. “Uma coisa tão simples –  não consegue?”: má educação. “Amarrar um cadarço é muito difícil. Mas tenho certeza de que você pode fazer isso.”: boa educação.


•    Nunca compare uma criança com outra de forma negativa. A criança irá desenvolver um sentimento de “eu não sou boa”, os outros é que são.


•    Não dê ênfase aos erros delas. Faça-as “entender”. Não justifique os erros delas na frente dos outros. Use “eu” na mensagem ao invés de “você”. “Não faça isso” é uma mensagem centrada em “você”. “Podemos fazer isso de forma diferente?” ou “Eu ficaria feliz se isso não tivesse acontecido.”: essas são mensagens centradas em “eu”. 


•    Crianças irão rejeitar o “faça o que digo”. Elas vão aceitar o “faça o que eu faço”.

A mãe fumante não pode dizer a um filho adolescente “não fume”. Se os pais não querem seus filhos viciados em TV, eles próprios devem primeiro parar de assistir TV.
“Para a criança”, diz Richter, “A era mais importante da vida é a infância, quando ela começa a colorir e moldar-se pela companhia dos outros”.
Os pais são os primeiros modelos para os filhos. “Uma árvore de figo, olhando para uma árvore de figo, torna-se fecunda” – Provérbio Árabe.
“O lar é a primeira e mais importante escola do caráter. É lá que todo ser humano recebe sua melhor ou pior formação moral, pois é lá que absorve os princípios de conduta, que atravessam sua idade adulta e cessam somente com a vida.” - Samuel Smiles


•    Tempo de Qualidade: Todos os membros da família deveriam comer juntos, rezar juntos. “Uma família que reza unida permanece unida”, é o ditado. O amor é para ser expresso, não sentido, e amar é “ouvir e partilhar”.


•    Retomar os rituais: rituais simples como rezar juntos, os filhos tocarem os pés dos pais, os pais beijarem os filhos e abraçá-los.
Quando uma criança vai para um exame, ao invés de dizer “faça bem feito e obtenha o primeiro lugar”, mantendo as mãos na cabeça de seu filho diga “Vijayee Bhava” na bênção que é uma ótima maneira de construir a confiança na criança.


“O treinamento de todos os homens, mesmo os mais sábios, não pode deixar de ser poderosamente influenciado pelos arredores morais de seus primeiros anos.” - Samuel Smiles


Os pais são como um jardineiro. Um jardineiro cuida do jardim com amor – cuidar, nutrir, proteger – para ser entregue de volta ao seu dono. Da mesma forma, os pais devem cuidar das crianças como propriedade de Deus, cuidar e devolver em seu estado puro original.


“Seus filhos não são seus filhos.
Eles são os filhos e filhas da ânsia da vida por si mesma. 
Eles vêm através de vocês, mas não de vocês.
Vocês são os arcos de que seus filhos, como flechas vivas, são enviados adiante.
Deixe que seu arqueamento na mão do Arqueiro seja de alegria.”

–Khalil Gibran


- O autor é o Diretor do Instituto Sri Sathya Sai de Cuidados de Primários de Saúde, Shoramur, Kerala.

© © 2016-2019 Organização Internacional Sathya Sai do Brasil. Todos os direitos reservados.